Jornal Brasileiro de Pneumologia

ISSN (on-line): 1806-3756

ISSN (impressa): 1806-3713

SCImago Journal & Country Rank
Busca avançada

Ano 2006 - Volume 32  - Número 1  (Janeiro/Fevereiro)

Editorial

1 - Mestre Rosemberg

Master Rosemberg

Affonso Berardinelli Tarantino

J Bras Pneumol.2006;32(1):1

PDF PT PDF EN English Text


2 - A ratificação da Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco pelo Brasil: uma questão de saúde pública

Brazilian ratification of the Framework Convention on Tobacco Control: a question of public health

Ricardo Henrique Sampaio Meirelles

J Bras Pneumol.2006;32(1):2-3

PDF PT PDF EN English Text


3 - Pico de fluxo expiratório. É melhor medir!

Peak expiratory flow. It's better to measure!

Álvaro Augusto Cruz

J Bras Pneumol.2006;32(1):4-6

PDF PT PDF EN English Text


Artigo Original

4 - Avaliação prognóstica precoce da asma aguda na sala de emergência

Early prognosis of acute asthma in the emergency room

Deise Marcela Piovesan, Diego Milan Menegotto, Suzie Kang, Eduardo Franciscatto, Thaís Millan, Cristine Hoffmann, Lílian Rech Pasin, Josiane Fischer, Sérgio Saldanha Menna Barreto, Paulo de Tarso Roth Dalcin

J Bras Pneumol.2006;32(1):1-9

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Estudar medidas clínicas e funcionais pulmonares utilizadas nos primeiros quinze minutos de manejo da asma aguda em um serviço de emergência, para predição prognóstica. Métodos: Estudo de coorte, prospectivo, que incluiu pacientes consecutivos com asma aguda, com idades entre doze e 55 anos e medida do pico de fluxo expiratório menor ou igual a 50% do previsto. Realizaram-se avaliações na admissão, aos quinze minutos e em quatro horas após o início do tratamento. O tratamento incluiu salbutamol e ipratrópio, administrados por aerossol dosimetrado com espaçador, e 100 mg de hidrocortisona intravenosa. O desfecho favorável foi definido pelo pico de fluxo expiratório maior ou igual a 50% do previsto após a quarta hora de tratamento, e o desfecho desfavorável pelo pico de fluxo expiratório menor que 50% do previsto. Resultados: Tiveram desfecho favorável 27 pacientes e desfavorável 24. A análise multivariada identificou o pico de fluxo expiratório em porcentagem do previsto aos quinze minutos como variável mais preditiva. O pico de fluxo expiratório maior ou igual a 40% aos quinze minutos mostrou significativa contribuição em predizer desfecho favorável (sensibilidade = 0,74, especificidade = 1,00 e valor preditivo positivo = 1,00). O pico de fluxo expiratório menor que 30% aos quinze minutos contribuiu para predizer desfecho desfavorável (sensibilidade = 0,54, especificidade = 0,93 e valor preditivo positivo = 0,87). Conclusão: O estudo sugeriu que a medida do pico de fluxo expiratório aos quinze minutos do manejo da asma aguda em um serviço de emergência é um instrumento útil para avaliação prognóstica.

 


Palavras-chave: Asma; Doença aguda; Mecânica respiratória; Prognóstico; Serviço hospitalar de emergência; Estudos de coortes

 

5 - Avaliação da qualidade de vida em pacientes submetidos a ressecção pulmonar por neoplasia

Evaluation of quality of life of patients submitted to pulmonary resection due to neoplasia

Ivete Alonso Bredda Saad, Neury José Botega, Ivan Felizardo Contrera Toro

J Bras Pneumol.2006;32(1):10-15

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar a qualidade de vida relacionada à saúde de pacientes com ressecção de parênquima pulmonar por neoplasia. Método: Os pacientes foram estudados no pré-operatório e posteriormente nos 30º, 90º e 180º dias do pós-operatório, através do questionário The Medical Outcomes Study 36-item Short-Form Health Survey. Utilizaram-se como modelo estatístico as Equações de Estimação Generalizada em que a variável dependente qualidade de vida muda para cada paciente ao longo dos tempos de coleta, considerando como variáveis independentes: sexo, idade, escolaridade, tipo de cirurgia, radioterapia, quimioterapia, capacidade vital forçada e teste de caminhada de seis minutos. O nível de significância adotado foi de 5%. Resultados: Concluíram o estudo 36 pacientes, sendo 20 do sexo masculino. Dezessete foram submetidos a lobectomia, 10 a pneumectomia, 6 a segmentectomia e 3 a bilobectomia. Quinze pacientes receberam quimioterapia, 2 radioterapia e outros 2 rádio e quimioterapia. Houve melhora da qualidade de vida nos domínios: social após três meses da cirurgia; físico e funcional nos pacientes com melhor desempenho do teste de caminhada de seis minutos e capacidade vital forçada; e físico nos pacientes com menor ressecção cirúrgica. Houve piora da qualidade de vida nos domínios: social no sexo feminino; físico e social mediante tratamento com rádio e/ou quimioterapia; e físico e funcional nos primeiros 30 dias do pós-operatório. Conclusão: É importante a realização de estudos sobre os vários componentes da qualidade de vida e o impacto das formas de tratamento oncológico sobre estas variáveis, visando à melhora da qualidade de vida após ressecção pulmonar por neoplasia.

 


Palavras-chave: Neoplasias pulmonares/cirurgia; Pneumonectomia; Qualidade de vida; Questionários

 

6 - Repercussões do pneumoperitônio na amplitude da excursão diafragmática em suínos

Effects of pneumoperitoneum on the amplitude of diaphragmatic excursion in pigs

Valéria Marques Ferreira Normando, Marcus Vinicius Henriques Brito, Francisco Alves de Araújo Júnior, Breno Costa Maciel Albuquerque

J Bras Pneumol.2006;32(1):16-22

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Estudar as repercussões causadas pelo pneumoperitônio induzido com dióxido de carbono na mobilidade diafragmática de suínos. Métodos: Foram utilizados aleatoriamente 14 suínos machos, da raça Landrace, pesando entre cinco e sete quilos, com 30 a 45 dias de idade. A amostra foi dividida igualitariamente em um grupo com pneumoperitônio realizado com 10 mmHg durante 60 minutos (n = 7) e em outro com pneumoperitônio com 15 mmHg durante 60 minutos (n = 7). Após a indução anestésica, os animais foram intubados e mantidos sob monitoração do volume corrente associada à análise não invasiva da amplitude diafragmática com o uso da ultra-sonografia da hemicúpula diafragmática direita. Resultados: Em ambos os grupos foi observada restrição da amplitude diafragmática somente durante o procedimento. Não houve diferença estatística entre os níveis de pressão estudados. Conclusão: Houve restrição da amplitude diafragmática durante a insuflação da cavidade abdominal, a qual se mostrou independente do nível pressórico compreendido na faixa de 10 a 15 mmHg, durante o período de tempo estudado.

 


Palavras-chave: Pneumoperitônio/induzido quimicamente; Dióxido de carbono; Diafragma; Cirurgia video-assistida; Suínos

 

7 - Prevalência e características do tabagismo em jovens da Universidade de Brasília

Prevalence and characteristics of smoking among youth attending the University of Brasília in Brazil

Ana Paula Alves de Andrade, Ana Cláudia Corsini Bernardo, Carlos Alberto de Assis Viegas, Denise Bastos Lage Ferreira, Thais Cabral Gomes, Mariana Ramos Sales

J Bras Pneumol.2006;32(1):23-28

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Conhecer a prevalência do tabagismo e descrever o perfil e hábitos do consumo tabágico entre alunos da Universidade de Brasília. Métodos: Responderam a um questionário adaptado sobre tabagismo, da Organização Mundial da Saúde, com perguntas dirigidas a fumantes, ex-fumantes e não fumantes, 1.341 alunos. Foram avaliados vinte cursos diferentes pertencentes às áreas de ciências da saúde, exatas e humanas. No momento da pesquisa, os universitários estavam cursando o segundo semestre letivo de 2003, devidamente matriculados no período diurno. Resultados: A prevalência de tabagismo foi de 14,7%. Cerca de 80,8% dos alunos não eram fumantes e 4,5% foram classificados como ex-fumantes. Da amostra total, 57,3% eram homens. Não houve diferença estatisticamente significativa (p > 0,05) na prevalência de tabagismo entre os sexos ou períodos cursados. A média de idade da população estudada foi de 21,6 ± 3,6 anos, com idade média de início do tabagismo de 17 ± 2,8 anos. Os cursos de Geologia, Comunicação e História apresentaram as maiores prevalências de fumantes com 32,9%, 26,3% e 24,4%, respectivamente. Foi observado consumo médio de 7,5 cigarros por dia. O cigarro industrializado foi citado como o tipo de tabaco mais comumente utilizado entre os universitários (72,6%). Conclusão: Esta alta prevalência assemelha-se às de outros centros universitários e demanda políticas de controle do tabagismo nos meios universitários.

 


Palavras-chave: Tabagismo/epidemiologia; Estudantes; Questionários

 

8 - Conhecimento da disponibilidade e sobre o uso da ventilação não invasiva em unidades de terapia intensiva de hospitais públicos, privados e de ensino da região metropolitana de São Paulo

Availability and use of noninvasive ventilation in the intensive care units of public, private and teaching hospitals in the greater metropolitan area of São Paulo, Brazil

Lara Maris Nápolis, Leila Mara Jeronimo, Danila Vieira Baldini, Michelle Pinheiro Machado, Virgínia Aparecida de Souza, Pedro Caruso

J Bras Pneumol.2006;32(1):29-34

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar o conhecimento da disponibilidade de equipamentos para ventilação não invasiva e o grau de conhecimento, atualização e familiaridade sobre ventilação não invasiva entre médicos, enfermeiros e fisioterapeutas em unidades de terapia intensiva de hospitais públicos, privados e de ensino da região metropolitana de São Paulo. Métodos: Preenchimento de questionário no local. Resultados: A disponibilidade de equipamentos para ventilação não invasiva na região metropolitana de São Paulo é elevada, sendo maior nos hospitais privados do que nos de ensino e em ambos é maior do que nos públicos. Nos hospitais públicos predomina o uso de aparelhos de ventilação invasiva adaptados para ventilação não invasiva. Nos hospitais privados predomina o gerador de fluxo e nos hospitais de ensino, os ventiladores específicos para ventilação não invasiva. Todos os fisioterapeutas sentiam-se aptos a instalar a ventilação não invasiva, contra 72,6% dos médicos e 33,3% dos enfermeiros. Médicos e fisioterapeutas tiveram grande percentagem de acertos nas indicações e contra-indicações da ventilação não invasiva, que foi menor para os enfermeiros. Em um ano, mais fisioterapeutas leram artigos científicos e participaram de aulas sobre ventilação não invasiva do que médicos, e estes mais que enfermeiros. Conclusão: A disponibilidade de equipamentos para ventilação não invasiva é elevada nos hospitais da região metropolitana de São Paulo, com diferenças no tipo de equipamento disponível. Médicos e fisioterapeutas têm elevado grau de acerto nas indicações e contra-indicações de seu uso. Fisioterapeutas sentem-se mais aptos a instalar a ventilação não invasiva e estão mais atualizados do que médicos e enfermeiros.

 


Palavras-chave: Respiradores mecânicos; Respiração com pressão positiva/métodos; Insuficiência respiratória;

 

9 - Incidência de lesão pulmonar aguda e síndrome da angústia respiratória aguda no centro de tratamento intensivo de um hospital universitário: um estudo prospectivo

Incidence of acute lung injury and acute respiratory distress syndrome in the intensive care unit of a university hospital: a prospective study

Raquel Hermes Rosa Oliveira, Aníbal Basille Filho

J Bras Pneumol.2006;32(1):35-42

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Estabelecer a incidência de lesão pulmonar aguda e síndrome da angústia respiratória aguda, os principais fatores de risco associados e a mortalidade em um centro de tratamento intensivo. Comparar os pacientes que desenvolveram lesão pulmonar com pacientes com fatores de risco, porém sem lesão pulmonar aguda e síndrome da angústia respiratória aguda. Métodos: O estudo foi realizado no centro de tratamento intensivo da Unidade de Emergência do Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto. Os pacientes admitidos no período de maio de 2001 a abril de 2002 foram acompanhados prospectivamente. Foram registrados: características clínicas, índice Acute Physiologic and Chronic Health Evaluation II, complicações, tempo de internação no centro de tratamento intensivo e no hospital, e dados sobre a lesão pulmonar. Resultados: ocorreram 524 admissões no período, 175 pacientes apresentaram fatores de risco para lesão pulmonar aguda e síndrome da angústia respiratória aguda (33,4%), 33 desenvolveram síndrome da angústia respiratória aguda (6,3%) e 12 desenvolveram lesão pulmonar aguda (2,3%). Os principais fatores de risco foram pneumonia (37,7%), choque (32,0%), politrauma (24,6%) e sepse (21,1%). Os pacientes que desenvolveram lesão pulmonar aguda tiveram maior índice Acute Physiologic and Chronic Health Evaluation II (p < 0.05), maior freqüência de sepse (p = 0.001), mais complicações (p = 0.001), maior mortalidade (p = 0.001). A principal causa de morte foi a Síndrome de Disfunção de Múltiplos Órgãos e Sistemas (38,5%). Conclusão: A incidência de LPA e SARA foi de 2,3 e 6,3% respectivamente. Os principais fatores derisco foram pneumonia, choque, politrauma e sepse. Os pacientes com LPA e SARA apresentaram-se mais graves e tiveram alta mortalidade

 


Palavras-chave: Síndrome do desconforto respiratório do adulto/epidemiologia; Síndrome do desconforto respiratório do adulto/mortalidade; Fatores de risco; Hospitais Universitários

 

10 - Perfil funcional de pacientes portadores de seqüela de tuberculose de um hospital universitário

Functional profile of patients with tuberculosis sequelae in a university hospital

Lucia Maria Macedo Ramos, Nara Sulmonett, Cid Sergio Ferreira, Juliana Fulgêncio Henriques, Silvana Spíndola de Miranda

J Bras Pneumol.2006;32(1):43-47

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Descrever os dados de função pulmonar de pacientes com seqüela de tuberculose pulmonar, pleural e pleuropulmonar. Métodos: Em um ambulatório de tuberculose de um hospital universitário, de 218 pacientes atendidos, 56 tinham seqüela de tuberculose pulmonar, pleural e pleuropulmonar, e 162 tiveram outros tipos de tuberculose. No laboratório de função pulmonar, 43 foram elegíveis para o estudo, de fevereiro de 2000 a julho de 2004. Foram excluídos os pacientes com doenças prévias, como: asma; doença pulmonar obstrutiva crônica; insuficiência cardíaca; doenças do colágeno; silicose; cirurgia torácica prévia; e espirometria inaceitável ou não realizada. Os campos pulmonares foram divididos em seis zonas e os radiogramas classificados em: grau I, com mínimo envolvimento em somente uma zona sem cavitação; grau II, com envolvimento de duas ou três zonas ou uma zona com cavitação; grau III, com envolvimento grave em mais de três zonas com ou sem cavitação. Resultados: Cinqüenta pacientes foram incluídos no estudo e 44 deles tiveram tuberculose pulmonar (88%). O distúrbio ventilatório combinado foi o mais prevalente, 17/50 (34%). Os distúrbios acentuados foram mais significativos no grau III (p = 0,0002). A função pulmonar normal predominou nos graus I e II (p = 0,002). Conclusão: A descoberta e o tratamento precoce dos casos de tuberculose pulmonar contribuem para a diminuição dos casos da doença e de suas seqüelas, melhorando a qualidade de vida desses pacientes. Os autores sugerem uma análise logitudinal e seqüencial (protocolo), com maior número de pacientes com seqüelas de tuberculose nos serviços de referência no Brasil.

 


Palavras-chave: Tuberculose pulmonar/diagnóstico; Tuberculose pleural/diagnóstico; Testes de função respiratória;

 

11 - Prevalência e fatores associados à tuberculose em pacientes soropositivos para o vírus da imunodeficiência humana em centro de referência para tratamento da síndrome da imunodeficiência adquirida na região sul do Rio Grande do Sul

Prevalence of and factors related to tuberculosis in seropositive human immunodeficiency virus patients at a reference center for treatment of human immunodeficiency virus in the southern region of the state of Rio Grande do Sul, Brazil

Jussara Maria Silveira, Raúl Andrés Mendoza Sassi, Isabel Cristina de Oliveira Netto, Jorge Lima Hetzel

J Bras Pneumol.2006;32(1):48-55

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Considerando a relevância da co-infecção vírus da imunodeficiência humana/tuberculose, este estudo foi desenvolvido para determinar a prevalência e os fatores associados à tuberculose em pacientes residentes em uma zona de alta prevalência das duas infecções. Métodos: Todos os pacientes atendidos no ano de 1999 no Serviço HIV/AIDS do Hospital Universitário da Universidade Federal do Rio Grande foram avaliados retrospectivamente desde o momento do diagnóstico da presença do vírus da imunodeficiência humana, em relação à ocorrência de tuberculose e sua associação com fatores sociodemográficos, comportamentais e imunológicos. Resultados: A amostra incluiu 204 pacientes e a prevalência encontrada de tuberculose foi de 27%. A análise multivariada mostrou que existe uma associação significativa do desenvolvimento de tuberculose com a raça negra (razão de chance: 4,76; intervalo de confiança de 95%: 1,93 -11,72) e uma relação inversa com a contagem de linfócitos TCD4+ no momento do diagnóstico do vírus da imunodeficiência humana (razão de chance: 0,995; intervalo de confiança de 95%: 0,993-0,997). O sexo masculino (razão de chance: 2,49; intervalo de confiança de 95%: 1,15-5,39) e o uso de drogas (razão de chance: 2,1; intervalo de confiança: 95% de 1,02-4,31) podem também ser fatores de risco quando analisados separadamente. Conclusão: Os fatores responsáveis pelo desenvolvimento da tuberculose entre os pacientes soropositivos para o vírus da imunodeficiência humana incluem os aspectos imunitários e fatores socioeconômicos e demográficos. A alta taxa de tuberculose em pacientes soropositivos torna urgente implementar estratégias que combinem rápida identificação e tratamento dos casos, comunicantes e indivíduos com infecção latente.

 


Palavras-chave: Infecções por HIV/complicações; Infecções oportunistas relacionadas com a AIDS/complicações; Tuberculose/etiologia; Tuberculose/epidemiologia

 

Artigo de Revisão

12 - Marcadores moleculares no câncer de pulmão: papel prognóstico e sua relação com o tabagismo

Molecular markers in lung cancer: prognostic role and relationship to smoking

Ricardo Luiz de Menezes Duarte, Marcos Eduardo Machado Paschoal

J Bras Pneumol.2006;32(1):56-65

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Estudos epidemiológicos têm demonstrado um nexo causal entre tabagismo e carcinoma de pulmão. Embora a maioria dos cânceres de pulmão esteja associada com tabagismo, somente uma minoria de grandes tabagistas desenvolve essa malignidade, o que leva ao conceito de que fatores genéticos afetam a susceptibilidade individual. As principais alterações moleculares no câncer de pulmão são: genes de supressão tumoral, proto-oncogenes e fatores de crescimento, atividade da telomerase e status de metilação de promotores. Fatores estimuladores da angiogênese (fator de crescimento endotelial vascular) e fatores relacionados à proliferação e apoptose de células tumorais (receptor para fator de crescimento epidérmico, p53, K-ras, retinoblastoma, BCL-2) são bem conhecidos. Vários desses fatores genéticos foram investigados, porém nenhum deles apresentou seletividade no que diz respeito à importância prognóstica ou eficácia terapêutica. Estratégias terapêuticas para o tratamento do câncer de pulmão devem considerar essas alterações genéticas precoces para promover o seu reparo ou eliminar as células tumorais.

 


Palavras-chave: Tabagismo; Neoplasias pulmonares; Marcadores genéticos; Prognóstico

 

13 - Novas terapias ergogênicas no tratamento da doença pulmonar obstrutiva crônica

New treatments for chronic obstructive pulmonary disease using ergogenic aids

Débora Strose Villaça, Maria Cristina Lerario, Simone Dal Corso, José Alberto Neder

J Bras Pneumol.2006;32(1):66-77

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A doença pulmonar obstrutiva crônica é considerada, atualmente, uma doença sistêmica, cujas alterações estruturais e metabólicas podem levar à disfunção muscular esquelética. Esta afeta negativamente o desempenho muscular respiratório e periférico, a capacidade funcional, a qualidade de vida relacionada à saúde e mesmo a sobrevida. A indicação de suplementação de substâncias ergogênicas para pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica baseia-se no fato de que estas drogas podem evitar, ou minimizar, o catabolismo e/ou estimular a síntese protéica, diminuindo a depleção de massa muscular e aumentando a capacidade de exercício. A presente revisão sumariza o conhecimento disponível acerca da utilização de esteróides anabolizantes, creatina, L-carnitina, aminoácidos de cadeia ramificada e hormônio de crescimento em pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica. A vantagem do uso dessas substâncias ergogênicas parece residir no aumento da massa magra e/ou na indução de modificações bioenergéticas. Nesse contexto, a maior experiência acumulada é com os esteróides anabolizantes. Entretanto, os benefícios clínicos em relação à melhora da capacidade de exercício e força muscular, bem como os efeitos na morbimortalidade, não foram, até a presente data, consistentemente demonstrados. A suplementação ergogênica pode vir a se constituir numa ferramenta adjuvante para o tratamento de pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica avançada, especialmente naqueles com depleção muscular e/ou fraqueza periférica.

 


Palavras-chave: Pneumopatias obstrutivas; Músculos respiratórios; Suplementos dietéticos; Agentes anabolizantes/uso terapêutico; Exercício; Metabolismo energético

 

Relato de Caso

14 - Blastoma pulmonar: tratamento cirúrgico por lobectomia superior direita e broncoplastia

Pulmonary blastoma: treatment through sleeve resection of the right upper lobe

Eduardo Sperb Pilla, Pablo G. Sánchez, Gabriel Ribeiro Madke, Spencer Camargo, José de Jesus Peixoto Camargo

J Bras Pneumol.2006;32(1):75-77

Resumo PDF PT PDF EN English Text

O blastoma pulmonar é um tumor maligno raro, de crescimento rápido, composto por uma mistura de células epiteliais e mesenquimais malignas. Relatamos o caso de uma paciente com hemoptise e uma massa no lobo superior direito. Apresentava uma reserva pulmonar limitada e achado fibrobroncoscópico de comprometimento do brônquio intermediário. O tratamento realizado através de lobectomia superior direita com broncoplastia foi inédito. A paciente encontra-se assintomática após 36 meses de seguimento. A literatura é revisada em relação a aspectos clínicos, anatomopatológico e tratamento.

 


Palavras-chave: Blastoma pulmonar/cirurgia; Pneumonectomia; Relatos de casos [Tipo de publicação]

 

15 - Mediastinite esclerosante no diagnóstico diferencial de tumores mediastinais

Sclerosing mediastinitis in the differential diagnosis of mediastinal tumors

Davi Wen Wei Kang, Mauro Canzian, Ricardo Beyruti, Fábio Biscegli Jatene

J Bras Pneumol.2006;32(1):78-83

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A mediastinite esclerosante é uma doença rara, caracterizada por tecido fibrótico mediastinal extenso, que mimetiza uma neoplasia devido à compressão ou invasão das estruturas mediastinais. Apresentamos três casos de síndrome de veia cava superior em que se comprovou a mediastinite esclerosante. A fisiopatologia relaciona-se a adenomegalias mediastinais, proliferação de fibroblastos e deposição de colágeno. As principais causas são histoplasmose e tuberculose, doenças prevalentes em nosso meio. O diagnóstico histopatológico geralmente é difícil por métodos pouco invasivos. Necessita-se de exploração cirúrgica para o diagnóstico definitivo e resolução da obstrução das vias aerodigestiva e vascular, uma vez que não há tratamento clínico efetivo para esta afecção.

 


Palavras-chave: Mediastinite/fisiopatologia; Mediastino; Fibrose pulmonar; Neoplasias do mediastino; Diagnóstico diferencial; Relatos de casos [Tipo de publicação]

 

16 - Pneumotorax e pneumopericárdio hipertensivo em cirurgia cardiotorácica

Pneumothorax and tension pneumopericardium following cardiothoracic surgery

Rui Haddad, Carlos Eduardo Teixeira Lima, Carlos Henrique Boasquevisque, Guilherme Saraiva Haddad, Tadeu Diniz Ferreira

J Bras Pneumol.2006;32(1):84-87

Resumo PDF PT PDF EN English Text

São apresentados dois casos de pacientes com pneumotorax e pneumopericárdio hipertensivo, em pós-operatório de cirurgia cardiotorácica. Ambos tiveram abertura do pericárdio como um dos tempos cirúrgicos da operação inicial e apresentaram sintomas de tamponamento pericárdico como complicação. O tratamento foi uma drenagem pleural nos dois casos, que evoluíram para resolução do processo.

 


Palavras-chave: Pneumopericário/etiologia; Pneumotórax/etiologia; Procedimentos cirúrgicos torácicos/efeitos adversos; Complicações pós-operatórias

 

Ano 2006 - Volume 32  - Número 2  (Março/Abril)

Editorial

1 - Avaliando a DPOC pela perspectiva do paciente

Evaluating COPD from the perspective of the patient

Cláudia Adriana Sant'Anna Ferreira, Alberto Cukier

J Bras Pneumol.2006;32(2):7-8

PDF PT PDF EN English Text


2 - Apnéia obstrutiva do sono: uma doença contagiosa?

Obstructive sleep apnea: a contagious disease?

Denis Martinez

J Bras Pneumol.2006;32(2):9-10

PDF PT PDF EN English Text


Artigo Original

3 - Técnica de oscilações forçadas na análise da resposta broncodilatadora em voluntários sadios e indivíduos portadores de asma brônquica com resposta positiva

Using the forced oscillation technique to evaluate bronchodilator response in healthy volunteers and in asthma patients presenting a verified positive response

Juliana Veiga Cavalcanti, Agnaldo José Lopes, José Manoel Jansen, Pedro Lopes de Melo

J Bras Pneumol.2006;32(2):91-98

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Analisar, através da técnica de oscilações forçadas, pacientes asmáticos com resposta broncodilatadora positiva pelo laudo espirométrico e comparar esses resultados com os obtidos em indivíduos sadios. Métodos: Foram analisados 53 indivíduos não tabagistas, sendo 24 sadios sem história de doença pulmonar e 29 asmáticos com resposta broncodilatadora positiva segundo o laudo espirométrico. Todos foram submetidos à técnica de oscilações forçadas e a espirometria antes e após vinte minutos da administração de salbutamol spray (300 g). Os parâmetros derivados da técnica de oscilações forçadas foram: resistência total, reatância total, resistência extrapolada para o eixo y, coeficiente angular da reta de resistência e complacência dinâmica. Na espirometria, os parâmetros utilizados foram o volume expiratório forçado no primeiro segundo e a capacidade vital forçada. Resultados: No grupo controle, a utilização do broncodilatador produziu alteração significativa na resistência extrapolada para o eixo y (p < 0,001), embora o coeficiente angular da reta de resistência e a complacência dinâmica não tenham apresentado diferenças estatisticamente significativas. A análise dos asmáticos mostrou que a diferença entre as medidas pré e pós-broncodilatador foi significativa, tanto para os parâmetros espirométricos quanto para os de técnica de oscilações forçadas. Valores de p < 0,001 foram obtidos em todas as comparações relacionadas aos asmáticos. Conclusão: As alterações nos parâmetros obtidos a partir da técnica de oscilações forçadas mostraram-se em estreita concordância com a fisiopatologia da resposta broncodilatadora em asmáticos, indicando que a técnica de oscilações forçadas pode ser útil como análise complementar à espirometria nesses pacientes.

 


Palavras-chave: Asma; Hiper-reatividade brônquica; Espirometria/métodos; Testes de provocaçao brônquica; Volume expiratório forçado/fisiologia; Oscilometria

 

4 - Avaliação muscular respiratória nas toracotomias e laparotomias superiores eletivas

Respiratory muscle evaluation in elective thoracotomies and laparotomies of the upper abdomen

Laryssa Milenkovich Bellinetti, João Carlos Thomson

J Bras Pneumol.2006;32(2):99-105

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Verificar se existe associação entre a função muscular respiratória pré-operatória abaixo dos valores previstos e a incidência de complicações pós-operatórias e o óbito, nas laparotomias superiores e toracotomias eletivas. Métodos: Estudo de coorte prospectivo, no qual 70 pacientes acima de dezoito anos foram acompanhados, em dois hospitais similares. A avaliação durante a internação pré-operatória classificou-os em não expostos (50) ou expostos (20), estes quando os valores das pressões respiratórias máximas foram abaixo de 75% dos valores previstos. O acompanhamento foi feito até a alta hospitalar, verificando-se a incidência de pneumonia, insuficiência respiratória aguda, broncoespasmo, ventilação mecânica prolongada, atelectasia, derrame pleural, pneumotórax e óbito nos dois grupos. Realizou-se análise comparativa entre os grupos e cálculo do risco relativo. Resultados: A incidência total de complicações pós-operatórias da amostra foi de 22,86% (16/70); no grupo exposto foi de 55% (11/20) e no grupo não exposto de 10% (5/50). Os pacientes expostos apresentaram risco relativo de 5,5 (intervalo de confiança de 95% entre 2,19 e 13,82). Conclusão: Os resultados indicaram que a função muscular respiratória pré-operatória abaixo do valor previsto esteve associada a um risco relativo maior de complicações pós-operatórias nas cirurgias pesquisadas.

 


Palavras-chave: Complicações pós-operatórias; Toracotomia; Laparotomia; Músculos respiratórios; Insuficiência respiratória

 

5 - Avaliação da capacidade de exercício em portadores de doença pulmonar obstrutiva crônica: comparação do teste de caminhada com carga progressiva com o teste de caminhada com acompanhamento

Evaluating physical capacity in patients with chronic obstructive pulmonary disease: comparing the shuttle walk test with the encouraged 6-minute walk test

Fernanda Warken Rosa, Aquiles Camelier, Anamaria Mayer, José Roberto Jardim

J Bras Pneumol.2006;32(2):106-113

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar a aplicabilidade do teste de caminhada com carga progressiva em portadores de doença pulmonar obstrutiva crônica, e comparar o desempenho desses pacientes durante esse teste e o de caminhada de seis minutos com acompanhamento. Métodos: Foi realizado um estudo de corte descritivo, em que foram selecionados 24 portadores de doença pulmonar obstrutiva crônica. Em ordem aleatória, realizou-se um teste de caminhada com carga progressiva e um de caminhada de seis minutos com acompanhamento, após um período de prática inicial. Resultados: Os pacientes alcançaram no teste de caminhada com carga progressiva, em média, uma freqüência cardíaca máxima de 76,4 ± 9,7%, valor inferior aos 84,1 ± 11,4% alcançados no de caminhada de seis minutos com acompanhamento, em relação ao máximo previsto para idade e gênero (p = 0,003). A sensação de dispnéia ao final do teste (escala de Borg) também foi maior no de caminhada de seis minutos com acompanhamento. Os pacientes caminharam, em média, 307,0 ± 89,3 metros no teste de caminhada com carga progressiva, contra 515,5 ± 102, 3 metros no de caminhada de seis minutos com acompanhamento (p < 0,001). Houve boa correlação entre as distâncias percorridas entre os dois testes (r = 0,80, p < 0,001). Conclusão: O teste de caminhada com carga progressiva é simples e fácil de ser realizado em portadores de doença pulmonar obstrutiva crônica. O teste de caminhada de seis minutos com acompanhamento levou a uma maior freqüência cardíaca e a maior sensação de dispnéia ao seu final.

 


Palavras-chave: Doença pulmonar obstrutiva crônica/reabilitação; Teste de esforço: Atividade motora; Reprodutibilidade de resultados; Caminhada; Tolerância ao exercício

 

6 - Avaliação da qualidade de vida pelo Questionário do Hospital Saint George na Doença Respiratória em portadores de doença pulmonar obstrutiva crônica: validação de uma nova versão para o Brasil

Using the Saint George's Respiratory Questionnaire to evaluate quality of life in patients with chronic obstructive pulmonary disease: validating a new version for use in Brazil

Aquiles Camelier, Fernanda Warken Rosa, Christine Salim, Oliver Augusto Nascimento, Fábio Cardoso, José Roberto Jardim

J Bras Pneumol.2006;32(2):114-122

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: O objetivo deste estudo foi avaliar a aplicabilidade da versão modificada do Questionário do Hospital Saint George na Doença Respiratória. Esta versão possui adaptação nas respostas de algumas perguntas com duplas negativas, substituindo as respostas "sim" e "não" por "concordo" e "não concordo", com o intuito de facilitar a compreensão destas questões, e o período de recordação de sintomas passando de um ano para três meses. Métodos: Foram avaliados 30 pacientes com diagnóstico de doença pulmonar obstrutiva crônica, estáveis clinicamente. Foram aplicados o Questionário do Hospital Saint George na Doença Respiratória e a sua versão modificada em duas situações, separadas por quinze dias. Resultados: Todos os indivíduos apresentaram alteração da qualidade de vida relacionada à saúde. A comparação de médias das pontuações dos domínios dos dois questionários mostrou maior alteração no domínio Sintomas do questionário original em relação a sua versão modificada. Os demais domínios e a pontuação total não apresentaram diferenças significativas. Todos os domínios apresentaram correlações significativas: Sintomas, r = 0,71 (p < 0,001); Atividade, r = 0,75 (p < 0,001); Impacto, r = 0,73 (p < 0,001) e Total r = 0,86 (p <0,001). Conclusão: A versão do SGRQm possui propriedades de mensuração de qualidade de vida semelhantes à versão original, porém deve-se escolher qual o melhor tempo de recordação de sintomas a ser utilizado na avaliação.

 


Palavras-chave: Doença pulmonar obstrutiva crônica; Qualidade de vida; Reprodutibilidade de resultados; Comparação transcultural; Questionários

 

7 - Influência do método Reequilíbrio Toracoabdominal sobre a força muscular respiratória de pacientes com fibrose cística

Influence of the technique of re-educating thoracic and abdominal muscles on respiratory muscle strength in patients with cystic fibrosis

Renata Claudia Zanchet, Aline Mayara Azevedo Chagas, Juliana Sarmento Melo, Patricia Yuki Watanabe, Augusto Simões-Barbosa, Gilvânia Feijó

J Bras Pneumol.2006;32(2):123-129

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar o efeito do método Reequilíbrio Toracoabdominal na força dos músculos respiratórios de pacientes com fibrose cística, acompanhados no Ambulatório de Fibrose Cística da Universidade Católica de Brasília. Métodos: A amostra, constituída de 29 fibrocísticos, foi caracterizada com base em dados antropométricos, genéticos e de colonização bacteriana. Espirometria, manovacuometria e antropometria foram realizadas antes e depois do tratamento fisioterapêutico, no qual se utilizou o método Reequilíbrio Toracoabdominal, duas vezes por semana, durante quatro meses. Resultados: Houve aumento da pressão inspiratória máxima e da pressão expiratória máxima após o tratamento fisioterapêutico em todos os pacientes, naqueles sem distúrbio ventilatório obstrutivo e naqueles com distúrbio ventilatório obstrutivo leve (p < 0,05). Foi encontrada correlação positiva entre a idade e a pressão expiratória máxima para a maioria dos grupos. A pressão inspiratória máxima só apresentou correlação positiva com a idade no grupo com distúrbio ventilatório obstrutivo leve (p = 0,012; r = 0,817). Para o sexo feminino e para o grupo sem distúrbio ventilatório obstrutivo houve correlação negativa entre a pressão expiratória máxima e a colonização por Pseudomonas aeruginosa (p = 0,036; r = -0,585). Conclusão: Para os fibrocísticos avaliados, o método Reequilíbrio Toracoabdominal aumentou a força dos músculos respiratórios, o que reafirma a importância do tratamento fisioterapêutico para estes pacientes.

 


Palavras-chave: Fibrose cística/reabilitação; Técnicas de fisioterapia, Músculos respiratórios; Volume expiratório forçado; Capacidade inspiratória; Capacidade vital

 

8 - Ioga versus atividade aeróbia: efeitos sobre provas espirométricas e pressão inspiratória máxima

Yoga versus aerobic activity: effects on spirometry results and maximal inspiratory pressure

Dagoberto Vanoni de Godoy, Raquel Lonchi Bringhenti, Andréi Severa, Ricardo de Gasperi, Leonardo Vieira Poli

J Bras Pneumol.2006;32(2):130-135

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Esclarecer se, em indivíduos saudáveis, a prática de ioga pode modificar a pressão inspiratória máxima e os índices espirométricos quando comparada com a prática de ginástica aeróbia. Métodos: Ensaio clínico controlado. Foram alocados consecutivamente 31 voluntários hígidos, formando-se dois grupos: um que praticou ginástica aeróbia (n = 15) e outro que praticou ioga (n = 16). Os indivíduos do primeiro grupo serviram como controles e praticaram ginástica aeróbia em duas sessões semanais com duração de 45 a 60 minutos por três meses. Os indivíduos do segundo grupo praticaram posturas selecionadas de ioga em duas sessões semanais com a mesma duração, também por três meses. Capacidade vital forçada, volume expiratório forçado no primeiro segundo e pressão inspiratória máxima foram medidos antes e ao final dos três meses de treinamento. Resultados: Os índices espirométricos não apresentaram alterações significativas. As práticas de ioga ou ginástica aeróbia resultaram em pequenos aumentos da pressão inspiratória máxima, não significativos estatisticamente. Contudo, o delta absoluto da pressão inspiratória máxima (final menos inicial) do grupo que praticou ioga demonstrou uma variação positiva significativa para ambos os sexos em relação ao grupo controle: sexo masculino 19,5 cm H2O versus 2,8 cm H2O (p = 0,05), e sexo feminino 20 cm H20 versus 3,9 cm H2O (p = 0,01), respectivamente. Conclusão: A pressão inspiratória máxima de indivíduos que praticaram ioga ou ginástica aeróbia não aumentou de maneira estatisticamente significativa após três meses de treinamento. Entretanto, a variação absoluta da pressão inspiratória máxima foi maior entre os praticantes de ioga.

 


Palavras-chave: Ioga; Exercício; Músculos respiratórios; Testes de função respiratória; Ventilação voluntária máxima; Espirometria; Capacidade inspiratória/fisiologia

 

9 - Abscesso pulmonar de aspiração: análise de 252 casos consecutivos estudados de 1968 a 2004

Lung abscess: analysis of 252 consecutive cases diagnosed between 1968 and 2004

José da Silva Moreira, José de Jesus Peixoto Camargo, José Carlos Felicetti, Paulo Roberto Goldenfun, Ana Luiza Schneider Moreira, Nelson da Silva Porto

J Bras Pneumol.2006;32(2):136-143

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Apresentar a experiência de um serviço especializado em doenças respiratórias no manejo de casos de abscesso pulmonar de aspiração. Métodos: Descrevem-se aspectos diagnósticos e resultados terapêuticos de 252 casos consecutivos de pacientes com abscesso de pulmão, hospitalizados de 1968 a 2004. Resultados: Dos 252 casos, 209 ocorreram em homens e 43 em mulheres, com média de idade de 41,4 anos. Eram alcoolistas 70,2% dos pacientes. Tosse, expectoração, febre e comprometimento do estado geral ocorreram em mais de 97% dos casos, 64% tinham dor torácica, 30,2% hipocratismo digital, 82,5% apresentavam dentes em mau estado de conservação, 78,6% tiveram episódio de perda de consciência e 67,5% apresentavam odor fétido de secreções broncopulmonares. Em 85,3% dos casos as lesões localizavam-se nos segmentos posterior de lobo superior ou superior de lobo inferior, 96,8% delas unilateralmente. Em 24 pacientes houve associação de empiema pleural (9,5%). Flora mista foi identificada em secreções broncopulmonares ou pleurais em 182 pacientes (72,2 %). Todos os doentes foram inicialmente tratados com antibióticos (principalmente penicilina ou clindamicina) e 98,4 % deles foram submetidos à drenagem postural. Procedimentos cirúrgicos foram efetuados em 52 (20,6%) pacientes (24 drenagens de empiema, 22 ressecções pulmonares e 6 pneumostomias). Cura foi obtida em 242 pacientes (96,0%) e 10 faleceram (4,0%). Conclusão: O abscesso pulmonar de aspiração ocorreu predominantemente em indivíduos adultos masculinos com doença dentária e episódio antecedente de perda de consciência (especialmente por alcoolismo). A maioria dos pacientes foi tratada clinicamente (antibióticos e drenagem postural). Um quinto deles submeteu-se a algum procedimento cirúrgico.

 


Palavras-chave: Abscesso pulmonar; Pneumonia aspirativa; Bactérias anaeróbias; Infecções bacterianas; Drenagem postural

 

10 - Prevalência de fatores de risco para a síndrome da apnéia obstrutiva do sono em motoristas de ônibus interestadual

Prevalence of risk factors for obstructive sleep apnea syndrome in interstate bus drivers

Carlos Alberto de Assis Viegas, Haroldo Willuweit de Oliveira

J Bras Pneumol.2006;32(2):144-149

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Verificar a prevalência de fatores de risco para a síndrome da apnéia obstrutiva do sono em motoristas de ônibus interestadual. Métodos: Foram avaliados 262 motoristas profissionais de ônibus interestadual, de empresa brasileira baseada no Distrito Federal, por questionário para avaliar distúrbios respiratórios do Sono, Escala de Sonolência de Epworth, testes de atenção concentrada e difusa, e medidas antropométricas. Resultados: Encontravam-se com o peso acima do ideal 68% da amostra estudada, dos quais 34% apresentaram circunferência do pescoço = 42 cm. Durante o trabalho os motoristas referiram uso de tabaco (27%), refrigerantes à base de cola (55%), álcool (65%) e café (88%), e 28% dos motoristas apresentaram mais de dez pontos na Escala de Sonolência de Epworth. Houve ainda 36% de roncadores, 5% referiram paradas respiratórias durante o sono, 12% apresentaram sensação de sufocamento, 29% sono agitado e 48% referiram sentir sono ao dirigir. Já se envolveram em acidentes de trânsito 42% dos motoristas e em 7,6% dos casos o acidente foi devido a sonolência excessiva. Aqueles com mais de dez pontos na Escala de Sonolência de Epworth apresentaram nível de atenção concentrada comprometido e quanto maior a circunferência do pescoço e a hipersonolência, menor a atenção difusa. Conclusão: No grupo de motoristas estudados, há uso alarmante de substâncias estimulantes e alta prevalência de hipersonolência diurna, que leva a diminuição da atenção.

 


Palavras-chave: Condução de veículo; Apnéia do sono tipo obstrutiva; Tolerância ao trabalho programado; Psicometria; Fatores de risco; Questionários

 

Artigo de Revisão

11 - Manifestações extra-esofágicas da doença do refluxo gastroesofágico

Extraesophageal manifestations of gastroesophageal reflux disease

Richard Ricachenevski Gurski, André Ricardo Pereira da Rosa, Enio do Valle, Marcelo Antonio de Borba, André Alves Valiati

J Bras Pneumol.2006;32(2):150-160

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A doença do refluxo gastroesofágico freqüentemente se apresenta com pirose e regurgitação, os chamados sintomas típicos. Porém, um subgrupo de pacientes apresenta um conjunto de sinais e sintomas que não estão relacionados diretamente ao dano esofágico. A esse conjunto dá-se o nome de manifestações extra-esofágicas da doença do refluxo gastroesofágico. Compreendem, principalmente, broncoespasmo, tosse crônica e alterações inflamatórias na laringe (chamados manifestações atípicas). Apesar de essas manifestações formarem um grupo heterogêneo, algumas considerações gerais englobam todos os subgrupos: embora a associação entre a doença do refluxo gastroesofágico e as manifestações extra-esofágicas esteja bem estabelecida, uma relação entre causa e efeito definitiva ainda não está elucidada; em relação à patogênese das manifestações extra-esofágicas, os principais mecanismos propostos são a injúria direta do tecido extra-esofágico pelo conteúdo ácido gástrico refluído e o reflexo esôfago-brônquico mediado pelo nervo vago; a doença do refluxo gastroesofágico pode não ser incluída no diagnóstico diferencial do grupo de pacientes que apresenta somente os sintomas atípicos. Este artigo revisa as manifestações extra-esofágicas da doença do refluxo gastroesofágico encontradas na literatura, discutindo a epidemiologia, patogênese, diagnóstico e tratamento, com foco nas apresentações mais estudadas e estabelecidas.

 


Palavras-chave: Refluxo gastroesofágico/complicações; Asma; Laringite; Tosse; Fundoplicatura; Transtornos respiratórios/etiologia

 

12 - Manifestações sistêmicas na doença pulmonar obstrutiva crônica

Systemic manifestations in chronic obstructive pulmonary disease

Victor Zuniga Dourado, Suzana Erico Tanni, Simone Alves Vale, Márcia Maria Faganello, Fernanda Figueirôa Sanches, Irma Godoy

J Bras Pneumol.2006;32(2):161-171

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A doença pulmonar obstrutiva crônica é progressiva e está relacionada a uma resposta inflamatória anormal dos pulmões à inalação de partículas e/ou gases tóxicos, sobretudo a fumaça de cigarro. Embora acometa primariamente os pulmões, diversas manifestações extrapulmonares relacionadas a esta enfermidade têm sido descritas. O aumento do número de células inflamatórias, que resulta em produção anormal de citocinas pró-inflamatórias, e o desequilíbrio entre a formação de radicais livres e a capacidade antioxidante, resultando em sobrecarga oxidativa, provavelmente são mecanismos envolvidos na inflamação local e sistêmica. Além disso, a diminuição do condicionamento físico secundária às limitações ventilatórias pode estar envolvida no desenvolvimento de alterações musculares. A doença pulmonar obstrutiva crônica apresenta diversas manifestações sistêmicas que incluem a depleção nutricional, a disfunção dos músculos esqueléticos, que contribui para a intolerância ao exercício, e as manifestações relacionadas a co-morbidades comumente observadas nestes pacientes. Essas manifestações têm sido relacionadas à sobrevida e ao estado geral de saúde dos pacientes. Nesse sentido, esta revisão tem como objetivo discutir os achados da literatura relacionados às manifestações sistêmicas da doença pulmonar obstrutiva crônica, ressaltando o papel da inflação sistêmica, e algumas perspectivas de tratamento.

 


Palavras-chave: Doença pulmonar obstrutiva crônica/complicações; Estado nutricional; Toterância ao exercício;

 

Relato de Caso

13 - Ressecção de schwannoma mediastinal por cirurgia torácica videoassistida

Resection of a mediastinal schwannoma using video-assisted thoracoscopy

Leonardo Ortigara, Nelson Rosemberg, Rafael Siqueira, Francisco Neto

J Bras Pneumol.2006;32(2):172-175

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Os schwannomas são tumores em sua maioria benignos, derivados das células de Schwann (células da glia pertencentes ao sistema nervoso periférico que ajudam a separar e isolar neurônios de estruturas adjacentes), normalmente localizados em nervos intracranianos, principalmente no VIII par (neuroma acústico). Quando extradurais, sua apresentação mais comum é através de massas tumorais que podem comprimir estruturas adjacentes, tornando-se sintomático, como é o caso dos schwannomas intratorácicos (presentes mais comumente no mediastino posterior). Este trabalho apresenta o relato de caso de um schwannoma tratado por videotoracoscopia e uma revisão literária sobre o assunto.

 


Palavras-chave: Neoplasias do mediastino/cirurgia; Neurilemoma; Cirurgia torárica video-assistida; Relatos de casos

 

14 - Síndrome de Claude Bernard-Horner associada ao empiema pleural

Claude Bernard-Horner syndrome resulting from pleural empyema

Fernando Luiz Westphal, Luiz Carlos de Lima, Arteiro Queiroz Menezes, Dirany Leite Sacramento e Silva

J Bras Pneumol.2006;32(2):176-179

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A síndrome de Claude Bernard-Horner apresenta várias etiologias, ocorre por interrupção do estímulo nervoso em qualquer ponto do trajeto do nervo e pode ser intra ou extratorácica. É relatado um caso dessa síndrome causado por empiema pleural septado, localizado em região paravertebral, no terço superior do hemitórax direito. O paciente foi submetido à toracotomia para drenagem da cavidade pleural. A evolução foi satisfatória, com regressão do quadro infeccioso, expansão pulmonar e remissão da síndrome.

 


Palavras-chave: Empiema pleural/complicações; Síndrome de Horner/etiologia; Blefaroptose; Toracotomia;

 

15 - Síndrome de Mounier-Kühn

Mounier-Kuhn syndrome

Fabrício Piccoli Fortuna, Klaus Irion, Cesare Wink, Jorge Luis Boemo

J Bras Pneumol.2006;32(2):180-183

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A síndrome de Mounier-Kühn, ou traqueobroncomegalia congênita, é uma entidade clínica rara caracterizada pela dilatação anormal de traquéia e brônquios principais. O diagnóstico geralmente pode ser realizado através da mensuração do diâmetro traqueal. Os autores apresentam o caso de um homem de 40 anos com pneumonia refratária ao tratamento, no qual a traqueobroncomegalia foi confirmada através de tomografia computadorizada.

 


Palavras-chave: Traqueobroncomegalia/diagnostico; Tomografia computadorizada por raios X; Traqueobroncomegalia/reabilitação; Relatos de casos [tipo de publicaçao]

 

In Memoriam

16 - A partida de Jorge Kavakama, um pixel que se apaga na medicina brasileira

The parting of Jorge Kavakama, a shining star in Brazilian medicine that has flickered out

Mário Terra Filho

J Bras Pneumol.2006;32(2):187-

PDF PT PDF EN English Text


Cartas ao Editor

17 - Prevalência de asma no Distrito Federal Brasília

Prevalence of asthma in the Federal District of Brasília, Brazil

Murilo Carlos Amorim de Britto

J Bras Pneumol.2006;32(2):188-

PDF PT PDF EN English Text


Ano 2006 - Volume 32  - Número 3  (Maio/Junho)

Editorial

1 - Os broncodilatadores na asma: a arte de prescrever corretamente, aproveitando as qualidades e reduzindo os riscos

Bronchodilator use in asthma: the art of prescribing bronchodilators correctly, taking advantage of their differences and reducing risks

Ana Luisa Godoy Fernandes

J Bras Pneumol.2006;32(3):11-12

PDF PT PDF EN English Text


2 - Avaliação da reação em cadeia da polimerase no diagnóstico da tuberculose pulmonar em pacientes indígenas e não indígenas

Evaluating the efficiency of polymerase chain reaction in diagnosing pulmonary tuberculosis in indigenous and non-indigenous patients

Afrânio Lineu Kritski

J Bras Pneumol.2006;32(3):13-14

PDF PT PDF EN English Text


Artigo Original

3 - Adesão às medidas de controle ambiental em lares de crianças e adolescentes asmáticos

Compliance with environmental control measures in the homes of children and adolescents with asthma

Nulma Souto Jentzsch, Paulo Augusto Moreira Camargos, Elza Machado de Melo

J Bras Pneumol.2006;32(3):189-194

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Verificar a adesão às medidas de controle ambiental em lares de crianças asmáticas, através de visitas domiciliares. Métodos: Visitas domiciliares, com observação direta e preenchimento de questionário, foram feitas em 98 lares de crianças e adolescentes asmáticos de quatro a quinze anos, antes e após 90 dias de medidas de controle ambiental serem preconizadas. Foi perguntado aos pais o porquê de não se fazer o controle ambiental. Para a análise estatística foi usado o teste de McNemar. Resultados: O acréscimo na adesão aos diferentes itens pesquisados foi de 11,1%, com variação de -4,1%, para retirada de cortinas (p = 0,63) a +22,6%, para retirada de brinquedos de pelúcia (p < 0,01). A presença de fumantes passivos foi reduzida em 9,7% (p = 0,02). A população estudada tinha renda média mensal de 2,5 salários mínimos. Quando perguntado o porquê de não se adotarem as medidas recomendadas, os motivos principais alegados foram: "falta de dinheiro" (60,1%), "achou difícil de realizar" (6,1%), "não dependia só dela" (4,0%) e "falta de tempo da mãe" (4%). Conclusão: O controle ambiental nem sempre é realizado e pode ser influenciado por fatores socioeconômicos e culturais.

 


Palavras-chave: Asma; Alérgenos; Exposição ambiental; Hipersensibilidade/prevenção & controle; Complacência

 

4 - Avaliação da hiperresponsividade brônquica à solução salina hipertônica em crianças e adolescentes

Bronchial hyperresponsiveness to hypertonic saline challenge in children and adolescents

Paulo Kussek, Nelson Augusto Rosário Filho, Mônica Cat

J Bras Pneumol.2006;32(3):195-201

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar a hiperresponsividade brônquica à solução salina hipertônica a 4,5% como método alternativo a outros agentes broncoconstritores e sua relação com a sensibilização alérgica do paciente. Métodos: Estudo transversal, experimental, com 85 indivíduos assim distribuídos: 45 no grupo de asmáticos e 17 no grupo controle não asmáticos e não alérgicos, que completaram o teste. Para nebulizar a solução salina hipertônica foi utilizado um nebulizador ultra-sônico de grande volume, sucessivamente durante 0,5, 1, 2, 4 e 8 minutos até haver queda > 15% em relação ao volume expiratório forçado no primeiro segundo basal. A dosagem de imunoglobulina E específica ao Dermatophagoides pteronyssinus por ImmunoCap foi considerada positiva quando > 0,35 kU/L. Resultados: No grupo de asmáticos, 36 apresentaram queda média do volume expiratório forçado no primeiro segundo de 27,4% após nebulização de solução salina hipertônica. Nenhum do grupo controle (imunoglobulina E < 0,35 kU/L) apresentou resposta à solução salina hipertônica e a queda média do volume expiratório forçado no primeiro segundo foi de 9%. Nove asmáticos tiveram provocação brônquica negativa. A freqüência de provocação brônquica positiva foi maior nos indivíduos com imunoglobulina E específica elevada, o que indica uma relação entre hiperresponsividade brônquica e o nível sérico de imunoglobulina E específica. A sensibilidade do teste foi de 80% e a especificidade de 92%. Conclusão: A inalação de solução salina hipertônica é um método de provocação útil para avaliar hiperresponsividade brônquica em crianças e adolescentes, com adequadas sensibilidade e especificidade, além do baixo custo e necessidade de poucos equipamentos.

 


Palavras-chave: Testes de provocação brônquica, Hiperreatividade brônquica; Solução salina hipertônica; Administração por inalação; Asma; Criança; Adolescente

 

5 - Eficácia do formoterol na reversão imediata do broncoespasmo

Efficacy of inhaled formoterol in reversing bronchoconstriction

Adalberto Sperb Rubin, Christiano Perin, Liliana Pelegrin, Juliana Cardozo Fernandes, Luiz Carlos Corrêa da Silva

J Bras Pneumol.2006;32(3):202-206

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar efetividade e rapidez de ação do formoterol liberado através de inalador para pó seco na reversão de broncoespasmo induzido pela metacolina. Métodos: Avaliaram-se prospectivamente 84 pacientes com queda do volume expiratório forçado no primeiro segundo 20% após inalação de metacolina. Todos estavam sob investigação de sintomas respiratórios de etiologia não definida. Foram randomizados 41 pacientes para receber 200 mcg de fenoterol spray e 43 para receber 12 mcg de formoterol sob a forma de inalador de pó seco para reversão imediata do broncoespasmo. Avaliaram-se a queda no volume expiratório forçado no primeiro segundo inicial, dose provocadora de queda de 20% do volume expiratório forçado no primeiro segundo inicial, e volume expiratório forçado no primeiro segundo após cinco e dez minutos da administração dos fármacos. Resultados: Não houve diferença significativa entre os grupos em relação ao sexo, idade, peso, altura, dose provocadora de queda de 20% do volume expiratório forçado no primeiro segundo, volume expiratório forçado no primeiro segundo inicial e pós-metacolina. A melhora do volume expiratório forçado no primeiro segundo após uso do broncodilatador foi de 34% (cinco minutos) e 50,1% (dez minutos) no primeiro grupo, e 46,5% (cinco minutos) e 53,2% (dez minutos) no segundo. Conclusão: O efeito broncodilatador do formoterol após cinco e dez minutos da indução de broncoespasmo pela metacolina foi similar ao do fenoterol. O formoterol, além de ser um broncodilatador de longa duração, tem também rápido início de ação, sugerindo que possa ser empregado como medicação de resgate nas crises de broncoespasmo.

 


Palavras-chave: Asma; Formoterol; Fenoterol; Terapia inalatória; Broncodilatação; Metacolina

 

6 - Dessaturação noturna: preditores e influência no padrão do sono de pacientes portadores de doença pulmonar obstrutiva crônica com hipoxemia leve em vigília

Nocturnal desaturation: predictors and the effect on sleep patterns in patients with chronic obstructive pulmonary disease and concomitant mild daytime hypoxemia

Renata Claudia Zanchet, Carlos Alberto de Assis Viegas

J Bras Pneumol.2006;32(3):207-212

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Verificar o padrão da oximetria noturna em portadores de doença pulmonar obstrutiva crônica sem apnéia do sono e com hipoxemia leve em vigília, identificar prováveis parâmetros diurnos capazes de predizer a dessaturação noturna e verificar sua influência no padrão de sono. Métodos: Avaliaram-se 25 pacientes, divididos em dois grupos: com e sem dessaturação noturna. Resultados: Comparando-se o primeiro grupo (52%) com o segundo observou-se: idade, 63 + 5 versus 63 + 6 anos; volume expiratório forçado no primeiro segundo, 53 + 31% versus 56 + 19% do previsto; relação entre volume expiratório forçado no primeiro segundo e capacidade vital forçada, 49 + 14% versus 52 + 10%; pressão parcial de oxigênio no sangue arterial, 68 + 8mmHg versus 72 + 68mmHg; saturação arterial de oxigênio, 93 + 2% versus 94 + 1%. O grupo com dessaturação noturna apresentou menores valores de saturação arterial de oxigênio diurna e saturação periférica de oxigênio noturna. Não houve diferença no padrão de sono entre os grupos. Houve correlação da relação entre o volume expiratório forçado no primeiro segundo e a capacidade vital forçada, pressão parcial de oxigênio no sangue arterial e saturação arterial de oxigênio diurnas, e saturação periférica de oxigênio no exercício com os níveis de saturação periférica de oxigênio noturna, porém somente a saturação arterial de oxigênio diurna foi preditora da dessaturação noturna. Conclusão: A única variável capaz de predizer dessaturação noturna foi a saturação arterial de oxigênio diurna. A dessaturação noturna não influencia o padrão de sono de portadores de doença pulmonar obstrutiva crônica com hipoxemia diurna leve.

 


Palavras-chave: Sono REM; Doença pulmonar obstrutiva crônica; Anoxemia; Espirometria; Vigília

 

7 - Avaliação das características resistivas do sistema respiratório de indivíduos portadores de silicose pela técnica de oscilações forçadas

Using the forced oscillation technique to evaluate respiratory resistance in individuals with silicosis

Jayme Alves de Mesquita Júnior, Agnaldo José Lopes, José Manoel Jansen, Pedro Lopes de Melo

J Bras Pneumol.2006;32(3):213-220

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar o comportamento dos parâmetros resistivos obtidos por meio da técnica de oscilações forçadas em pacientes portadores de diferentes graus de obstrução respiratória em decorrência da silicose. Métodos: Foram analisados 40 indivíduos não tabagistas, sendo 10 sadios, sem história de doença pulmonar e exposição à sílica, e 30 portadores de silicose. Os voluntários foram examinados por meio da técnica de oscilações forçadas e da espirometria, técnica utilizada como referência para se classificar os diferentes níveis de obstrução. Desta classificação resultou a separação dos indivíduos em cinco grupos: controle (n = 10); normal ao exame, composto por indivíduos com laudo clínico e radiológico de silicose, porém normais ao exame espirométrico (n = 7); com obstrução leve (n = 10); com obstrução moderada (n = 8); e com obstrução acentuada (n = 5). Resultados: A redução dos parâmetros espirométricos correspondeu a um significativo aumento na resistência total do sistema respiratório (p < 0,001), assim como na resistência associada às vias aéreas (p < 0,003). Foi também observada uma significativa redução na homogeneidade do sistema respiratório (p < 0,004). Conclusão: As informações adicionais referentes às propriedades resistivas do sistema respiratório, obtidas por meio da técnica de oscilações forçadas, podem contribuir para a complementação dos dados obtidos a partir de exames espirométricos em indivíduos portadores de silicose, o que ressalta o elevado potencial desta técnica na análise desses pacientes.

 


Palavras-chave: Pneumoconiose; Silicose; Volume expiratório forçado; Oscilometria; Testes de função respiratória

 

8 - Diagnóstico precoce do câncer de pulmão: o grande desafio. Variáveis epidemiológicas e clínicas, estadiamento e tratamento

Early diagnosis of lung cancer: the great challenge. Epidemiological variables, clinical variables, staging and treatment

João Adriano Barros, Geraldo Valladares, Adriane Reichert Faria, Erika Megumi Fugita, Ana Paula Ruiz, André Gustavo Daher Vianna, Guilherme Luís Trevisan, Fabrício Augusto Martinelli de Oliveira

J Bras Pneumol.2006;32(3):221-227

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar casos confirmados de câncer de pulmão, revisando suas variáveis epidemiológicas, clínicas, estadiamento e tratamento. Métodos: Foram estudados 263 casos provenientes do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná e do Hospital Erasto Gaertner, instituições responsáveis por parcela significativa do atendimento a pacientes na cidade de Curitiba (PR). Realizou-se um estudo retrospectivo através de preenchimento de questionário e os dados obtidos foram analisados de forma descritiva, utilizando-se o software EPI-INFO. Resultados: Houve predomínio de pacientes do sexo masculino (76%), sendo que a maioria dos pacientes era fumante ou ex-fumante por ocasião do diagnóstico (90%). Não havia referência a doença pulmonar prévia em 87% dos casos. Tosse (142 casos) e dor torácica (92 casos) foram os sintomas iniciais mais freqüentes. O câncer de pulmão tipo não pequenas células foi encontrado em 87% dos pacientes e o tipo histológico mais freqüente foi o carcinoma espinocelular, representando 49% dos casos. O tabagismo foi considerado o fator predisponente mais importante. Conclusão: As características evolutivas do câncer de pulmão, como a inespecificidade dos sintomas iniciais e o tempo e evolução do tumor, somadas à ausência de programas de rastreamento efetivos, constituem os principais fatores que contribuem para a não detecção da neoplasia pulmonar de forma precoce, o que torna difícil o tratamento e dificulta o aumento da sobrevida.

 


Palavras-chave: Neoplasias pulmonares/diagnóstico; Neoplasias pulmonares/epidemiologia; Neoplasias pulmonares/cirurgia; Diagnóstico precoce; Estadiamento de neoplasias

 

9 - Alterações radiográficas em pacientes com a co-infecção vírus da imunodeficiência humana/tuberculose: relação com a contagem de células TCD4+

Radiographic alterations in patients presenting human immunodeficiency virus/tuberculosis coinfection: correlation with CD4+ T cell counts

Rosemeri Maurici da Silva, Lígia da Rosa, Renata Nunes Lemos

J Bras Pneumol.2006;32(3):228-233

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Correlacionar os padrões radiológicos com a contagem de células TCD4+ em pacientes co-infectados por tuberculose e vírus da imunodeficiência humana. Método: Foram avaliados os pacientes admitidos no Hospital Nereu Ramos, Florianópolis (SC), co-infectados por tuberculose e vírus da imunodeficiência humana, no período de janeiro de 2000 a dezembro de 2003. Resultados: Foram incluídos no estudo 87 pacientes, com média de idade de 34 + 8 anos, sendo 6,8% não caucasianos. A média de linfócitos TCD4+ foi de 220,2 células/mm3 e a mediana foi de 144 células/mm3, sendo que 56,4% dos pacientes possuíam menos de 200 células/mm3. Os padrões radiográficos isolados foram relacionados com a contagem de células TCD4+. O padrão de consolidação alveolar estava presente em 50,6% dos casos (56,8% TCD4+ < 200); o intersticial em 32,2% (53,6% TCD4+ < 200); derrame pleural em 24,1% (47,6% TCD4+ < 200); cavitação em 24,1% (57,1% TCD4+ < 200); linfonodomegalia mediastinal e/ou hilar em 11,5% (90% TCD4+ < 200); e sem alterações radiológicas em 11,5% deles (60% TCD4+ < 200). A média dos linfócitos para cada padrão radiológico foi de 235,2/mm3 (consolidação alveolar); 208,8/mm3 (intersticial); 243,3/mm3 (derrame pleural); 265/mm3 (cavitação); 115,1/mm3 (linfonodomegalia mediastinal e/ou hilar) (p < 0,05); e 205,5/mm3 (sem alteração radiológica). A linfonodomegalia mediastinal e/ou hilar foi o único padrão que se correlacionou de forma estatisticamente significativa com o grau de imunidade celular. Conclusão: Com exceção da linfonodomegalia mediastinal e/ou hilar, as alterações radiológicas distribuíram-se aleatoriamente em relação à contagem de células TCD4+.

 


Palavras-chave: Tuberculose pulmonar; Infecções por HIV; Pulmão/radiografia; Infecções oportunistas relacionadas com a AIDS; Contagem de linfócito CD4; Linfócitos T auxiliadores-indutores

 

10 - Avaliação da reação em cadeia da polimerase no diagnóstico da tuberculose pulmonar em pacientes indígenas e não indígenas

Evaluation of polymerase chain reaction in the diagnosis of pulmonary tuberculosis in indigenous and non-indigenous patients

Rose Mary Corrêa Santos, Mauricio Morishi Ogusku, José de Moraes Miranda, Maria Cristina Dos-Santos, Julia Ignez Salem

J Bras Pneumol.2006;32(3):234-240

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar a acurácia dos métodos bacteriológicos e da reação em cadeia da polimerase com oligonucleotídeos específicos para a IS6110 do complexo Mycobacterium tuberculosis, em amostras de escarro de indígenas e não indígenas. Métodos: Analisaram-se 214 amostras de escarro (154 de indígenas e 60 de não indígenas) quanto à acurácia da baciloscopia direta e pós-concentração, cultivo e reação em cadeia da polimerase. Resultados: Ambos os métodos baciloscópicos, quando comparados com o cultivo ou a reação em cadeia da polimerase foram de baixa sensibilidade. A especificidade variou de 91% a 100%, sendo a baciloscopia pós-concentração menos específica. Nas amostras indígenas constataram-se três vezes mais isolamentos de micobactérias não tuberculosas do que nas não indígenas. Resultados da reação em cadeia da polimerase aparentemente falsos-positivos e negativos foram encontrados com maior freqüência na população indígena. Conclusão: Baciloscopias positivas para bacilos álcool-acidorresistentes com isolamento de micobactérias não tuberculosas e reação em cadeia da polimerase positiva estabelecem as hipóteses de: existência na Amazônia de espécies de micobactérias não tuberculosas com regiões do DNA homólogas à IS6110 ou ainda que possuam a IS6110, até então só descrita no complexo M. tuberculosis; impossibilidade de isolamento do M. tuberculosis pelo crescimento mais rápido de micobactérias não tuberculosas presentes nas amostras de escarro, por colonização da orofaringe ou da lesão tuberculosa; presença de DNA de M. tuberculosis devida a antecedente de tuberculose. A ausência de positividade em resultados bacteriológicos com reação em cadeia da polimerase positiva sugere questões técnicas inerentes aos métodos bacteriológicos ou precedentes de tuberculose.

 


Palavras-chave: Tuberculose pulmonar/diagnóstico; Mycobacterium tuberculosis, Reação em cadeia da polimerase/métodos; Índios sul-americanos

 

Artigo de Revisão

11 - Bases celulares e bioquímicas da doença pulmonar obstrutiva crônica

Cellular and biochemical bases of chronic obstructive pulmonary disease

Rogério Rufino, José Roberto Lapa e Silva

J Bras Pneumol.2006;32(3):241-248

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A doença pulmonar obstrutiva crônica é uma doença inflamatória com participação ativa de macrófagos, neutrófilos e linfócitos CD8+ em sua patogênese, associada a estímulos oxidantes diretos das estruturas pulmonares, que desencadeiam reações bioquímicas, levando a progressiva desorganização das pequenas vias aéreas e ao remodelamento estrutural não reversível. A liberação de substâncias provenientes das células recrutadas e do estresse oxidativo leva ao desequilíbrio inicialmente temporário dos mecanismos de defesa pulmonar. A permanência desse desequilíbrio é uma das chaves da fisiopatogenia atual. Os autores descrevem as alterações celulares e bioquímicas da doença pulmonar obstrutiva crônica.

 


Palavras-chave: Doença pulmonar obstrutiva crônica/fisiopatologia; Pulmão/metabolismo; Inflamação; Oxidantes; Antioxidantes; Estresse oxidativo

 

12 - Fibrose pulmonar idiopática: uma década de progressos

Idiopathic pulmonary fibrosis: a decade of progress

Jeffrey J. Swigris, Kevin K. Brown

J Bras Pneumol.2006;32(3):249-260

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Embora diagnósticos de fibrose pulmonar idiopática continuem sendo devastadores, avanços recentes têm melhorado nossa compreensão a respeito de muitas das facetas desta doença. Estas descobertas, juntamente com o aumento da disponibilidade geral de ensaios terapêuticos, encerram a promessa de um futuro mais promissor para pacientes com fibrose pulmonar idiopática. Por exemplo, nós temos agora uma compreensão mais abrangente a respeito dos critérios diagnósticos e da história natural da doença. Vários estudos têm mostrado que a mensuração simples da fisiologia pulmonar ou troca gasosa pode ser usada para prever a sobrevida do paciente. Através da identificação de várias vias moleculares que têm papéis importantes na patogênese da fibrose pulmonar idiopática, os pesquisadores têm produzido uma lista crescente de possíveis novos alvos terapêuticos para a doença. Vários ensaios terapêuticos prospectivos e controlados têm sido realizados. Outros estão em andamento ou ainda estão em fase de planejamento. Estes esforços têm avançado nosso conhecimento atual sobre fibrose pulmonar idiopática e levantado novas questões importantes, assim como têm gerado o interesse e o impulso necessários para avançar terreno na luta contra esta doença desafiadora. Este artigo oferece ao leitor um panorama dos avanços recentes nas pesquisas sobre fibrose pulmonar idiopática, tendo como foco a história natural, patogênese e tratamento.

 


Palavras-chave: Fibrose pulmonar/diagnóstico; Fibrose pulmonar/farmacoterapia; Fibroblastos; TGF-b: Pulmão/patologia; Agentes anti-inflamatórios/uso terapêutico

 

Série de Casos

13 - Proteinose alveolar pulmonar: série de quatro casos

Pulmonary alveolar proteinosis: four cases

João Carlos Thomson, Marina Kishima, Mariana Ulbricht Gomes, Mariano de Almeida Menezes, José Perandré Neto, Paula Tapia Gomes Pereira

J Bras Pneumol.2006;32(3):261-266

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Apresentar a evolução de quatro casos de proteinose alveolar pulmonar atendidos na Faculdade de Medicina da Universidade Estadual de Londrina, enfocando a importância da lavagem pulmonar total como tratamento de escolha. Métodos: Trata-se de um estudo retrospectivo de quatro pacientes, sendo três do gênero feminino, com idades de 22 a 34 anos, e histórias semelhantes de dispnéia progressiva e tosse seca. O diagnóstico final foi realizado por biópsia pulmonar a céu aberto. A lavagem pulmonar total foi realizada em três pacientes em centro cirúrgico, com anestesia geral e sonda de duplo lúme. Resultados: Um paciente apresentou regressão espontânea da proteinose alveolar pulmonar, não sendo necessária a lavagem pulmonar. Nos outros três casos, o número de lavagens variou: uma única lavagem unilateral com remissão completa do quadro bilateralmente, três lavagens sem melhora significativa e quatro procedimentos intercalados com períodos de melhora. Conclusão: Constatamos em nossa casuística que a lavagem pulmonar se mostrou eficiente, apesar de alguns pacientes apresentarem certa resistência ao procedimento, enquanto que outros podem ter remissão completa da doença.

 


Palavras-chave: Proteinose alveolar pulmonar /diagnóstico; Lavagem broncoalveolar, Macrófagos alveolares;

 

Relato de Caso

14 - Adenoma alveolar

Alveolar adenoma

Eduardo Haruo Saito, Luciana Ribeiro de Araújo, Leonardo Hoehl Carneiro, Antonio Ambrosio de Oliveira Neto, João Carlos Corrêa, Luiz Sérgio Carvalho Teixeira

J Bras Pneumol.2006;32(3):

Resumo PDF PT PDF EN English Text

O adenoma alveolar é uma neoplasia benigna rara dos pulmões, com poucos casos descritos na literatura. Freqüentemente, o paciente é assintomático e apresenta-se com um achado acidental em telerradiografias de tórax de um nódulo solitário e bem circunscrito. O diagnóstico definitivo é histológico e o tratamento consiste na ressecção cirúrgica do nódulo.

 


Palavras-chave: Adenoma; Neoplasias pulmonares; Alvéolos pulmonares/patologia; Lesão numular pulmonar;

 

15 - Ossificação pulmonar dendriforme

Dendriform pulmonary ossification

Andrezza Araújo de Oliveira Duarte, Jorge Nakatani, Moacyr Pezati Rigueiro, Tânia Saad

J Bras Pneumol.2006;32(3):270-273

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A ossificação pulmonar difusa é uma condição rara, de etiologia desconhecida, na qual osso maduro é encontrado no parênquima pulmonar. É quase sempre descoberta como um achado incidental de autópsias. Freqüentemente afeta homens de meia-idade e é assintomática. Relata-se o caso de um paciente de 75 anos, que apresentou uma radiografia torácica com comprometimento pulmonar difuso e cujo diagnóstico foi baseado no exame histopatológico de fragmento pulmonar obtido através da biópsia a céu aberto, o qual demonstrou fibrose intersticial acentuada com ossificação do parênquima pulmonar.

 


Palavras-chave: Ossificação heterotópica; Pneumopatias; Pulmão/radiografia; Fibrose pulmonar/patologia;

 

Ano 2006 - Volume 32  - Número 4  (Julho/Agosto)

Editorial

1 - Produção científica da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia: 1979 a 2006

Scientific production of the Brazilian Society of Pulmonology and Phthisiology: 1979-2006

Ana Maria Baptista Menezes

J Bras Pneumol.2006;32(4):xv-xvii

PDF PT PDF EN English Text


2 - Transtornos respiratórios do sono e fibromialgia

Respiratory sleep disorders and fibromyalgia

Suely Roizenblatt

J Bras Pneumol.2006;32(4):18-19

PDF PT PDF EN English Text


3 - Pneumonia associada à ventilação mecânica

Ventilator-associated pneumonia

Carlos Roberto Ribeiro de Carvalho

J Bras Pneumol.2006;32(4):20-22

PDF PT PDF EN English Text


Artigo Original

4 - Adesão ao tratamento de manutenção em asma (estudo ADERE)

Compliance with maintenance treatment of asthma (ADERE study)

José Miguel Chatkin, Daniela Cavalet-Blanco, Nóris Coimbra Scaglia, Roberto Guidotti Tonietto, Mário B. Wagner, Carlos Cezar Fritscher

J Bras Pneumol.2006;32(4):277-283

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar a adesão ao tratamento preventivo de asma persistente moderada e grave. Métodos: Médicos de vários Estados do país foram contactados para selecionar asmáticos persistentes moderados ou graves, maiores de doze anos. Os pacientes receberam salmeterol/fluticasona 50/250 µg diskus durante 90 dias (sendo orientados a retornarem as embalagens ao final do estudo para conferência da dosagem total utilizada). Receberam telefonemas da equipe do estudo no início e ao final de 90 dias para que fosse avaliada a adesão. Foi considerado como aderente ao tratamento o asmático que utilizou no mínimo 85% das doses prescritas. As variáveis estudadas foram sexo, idade, cor, estado civil, escolaridade, tabagismo atual, outras atopias, co-morbidades, gravidade da asma, uso de outras medicações e número de hospitalizações por asma. Resultados: Foram incluídos 131 pacientes oriundos de quinze estados, com taxa geral de adesão de 51,9%. Houve diferença significativa na adesão quanto à gravidade da asma (maior adesão nos casos graves; p = 0,02). Não houve diferença estatisticamente significativa nas demais variáveis. Conclusão: A taxa geral de adesão ao tratamento de manutenção da asma foi baixa.

 


Palavras-chave: Asma/quimioterapia; Asma/prevenção & controle; Cooperação do paciente; Educação do paciente;

 

5 - Variação sazonal nos atendimentos de emergência por asma em Gama, Distrito Federal

Seasonal variations in emergency room visits for asthma attacks in Gama, Brazil

Laércio Moreira Valença, Paulo César Nunes Restivo, Mário Sérgio Nunes

J Bras Pneumol.2006;32(4):284-289

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Quantificar o atendimento por asma em um serviço de emergência público e estudar a flutuação sazonal, considerando as condições climáticas locais, caracterizadas por duas estações, uma chuvosa e úmida e outra seca. Métodos: Levantamento retrospectivo conduzido em um hospital geral comunitário. Um total de 37.642 consultas emergenciais por asma, bronquite, pneumonia, infecções de vias aéreas superiores e outras condições foram identificadas durante um período de dois anos. As informações constantes em cada guia de atendimento foram levantadas para posterior análise. Resultados: Asma foi o segundo diagnóstico mais freqüente dentre as condições respiratórias (24%). A maioria das consultas por asma foi feita em crianças de zero a catorze anos (56,6%). A análise de regressão mostrou uma variação sazonal dos atendimentos, com concentração significativamente maior de casos de asma no mês de março (p = 0,0109) e concentração menor nos meses de agosto e setembro (p = 0,0485 e p = 0,0169, respectivamente). A correlação entre asma e clima foi mais significativa em relação à flutuação da umidade defasada de um e dois meses (p = 0,0026 e p = 0,0002, respectivamente). Conclusão: As visitas por asma ao pronto-socorro foram mais freqüentes durante a estação úmida. O aumento do número de casos cresceu um a dois meses após o aumento da umidade e diminuiu no período seco. Essa correlação positiva levanta a possibilidade de uma relação causal com a proliferação de ácaros domésticos e fungos ambientais.

 


Palavras-chave: Estações do ano; Estado asmático/etiologia; Tempo (Meteorologia); Pyroglylphidae; Umidade;

 

6 - Drenagem torácica pós-pneumonectomia: sim ou não? Estudo retrospectivo

Post-pneumonectomy thoracic drainage: to drain or not to drain? A retrospective study

João Carlos Thomson, Olavo Franco Ferreira Filho

J Bras Pneumol.2006;32(4):290-293

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar a necessidade de realização de drenagem torácica pós-pneumonectomia. Métodos: É relatada a experiência do Serviço de Cirurgia Torácica do Hospital Universitário de Londrina de janeiro de 1998 a dezembro de 2004. Trata-se de um estudo retrospectivo, em que foram analisados 46 pacientes pneumonectomizados, divididos em dois grupos: drenados e não drenados. As doenças foram as mesmas: neoplasia, bronquiectasia e tuberculose. Resultados: Foram drenados 21 pacientes e 25 não o foram. A complicação pós-operatória mais comum foi o enfisema subcutâneo (12 casos), sendo o tempo de internação menor (6,5 dias) nos pacientes não drenados em relação aos drenados (10,2 dias), sem que tenham sido observadas complicações graves. Conclusão: A evolução favorável dos 25 pacientes não drenados e o tempo de internação menor levam ao questionamento da necessidade de drenagem rotineira da cavidade pleural pós-pneumonectomia.

 


Palavras-chave: Drenagem; Cavidade pleural; Pneumonectomia; Complicações pós-operatória; Estudos retrospectivos

 

7 - Freqüência relativa de hipomagnesemia em pacientes com limitação crônica do fluxo aéreo atendidos em ambulatório de referência do norte do Paraná

The relative frequency of hypomagnesemia in outpatients with chronic airflow limitation treated at a referral center in the north of the state of Paraná, Brazil

Alcindo Cerci Neto, Olavo Franco Ferreira Filho, Johnathan de Sousa Parreira

J Bras Pneumol.2006;32(4):294-300

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Determinar a freqüência relativa de hipomagnesemia em pacientes com limitação crônica do fluxo aéreo atendidos num ambulatório de referência do norte do Paraná, nos anos de 2000 a 2001, e verificar se há relação entre esse distúrbio e hipoxemia, outros distúrbios eletrolíticos e com a gravidade da doença. Métodos: Estudo descritivo sobre a freqüência relativa de hipomagnesemia em 72 pacientes com limitação crônica do fluxo aéreo. Os pacientes realizaram dosagens séricas de magnésio e outros eletrólitos, além de realizarem o estadiamento de sua doença de base. Resultados: A prevalência encontrada de hipomagnesemia foi de 27,8%. A idade média foi de 65 ± 9,9 anos, com predominância de homens. O volume expiratório forçado no primeiro segundo médio foi de 1,13 ± 0,52 L. A maioria dos pacientes encontrava-se em estádios avançados da doença (68,1%). Não houve associação do magnésio sérico baixo com outros distúrbios eletrolíticos, hipoxemia ou estádios de gravidade. Conclusão: A alta freqüência de pacientes em estádios avançados deve-se, provavelmente, ao fato de o ambulatório ser um centro de referência da região. Novos estudos devem ser realizados para determinar prováveis causas dessa alta prevalência de hipomagnesemia.

 


Palavras-chave: Magnésio/sangue; Ventilação pulmonar; Doença pulmonar obstrutiva crônica; Insuficiência respiratória

 

8 - Possíveis conseqüências de não se atingir a mínima atividade física diária recomendada em pacientes com doença pulmonar obstrutiva cronica estável

Potential consequences for stable chronic obstructive pulmonary disease patients who do not get the recommended minimum daily amount of physical activity

Fabio Pitta, Thierry Troosters, Vanessa S. Probst, Sarah Lucas, Marc Decramer, Rik Gosselink

J Bras Pneumol.2006;32(4):301-308

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: O presente estudo investigou se pacientes com Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) atingem a mínima atividade física recomendada pelos guidelines do American College of Sports Medicine (ACSM), assim como as consequências da não-aderência a esses guidelines. Métodos: Atividade física na vida diária (DynaPort activity monitor), função pulmonar, força muscular, capacidade de exercício, qualidade de vida, estado funcional e diferentes índices de severidade (GOLD, BODE, MRC) foram avaliados em 23 pacientes (61[59-69] anos; VEF1 39[34-53]%predito; IMC 24[21-27]kg/m2; mediana [intervalo interquartílico 25-75%]). Resultados: De acordo com a aderência aos guidelines (andar no mínimo 30 minutos todo dia), 12 pacientes foram considerados "fisicamente ativos", e 11 "fisicamente inativos". Não foram observadas diferenças significativas entre os dois grupos em termos de idade, sexo, composição corporal, força muscular, reserva ventilatória, hiperinsuflação e qualidade de vida. O grupo inativo tinha pior função pulmonar, capacidade de exercício, MRC e BODE (p<0.05). Além disso, na vida diária, o grupo inativo andou menos tempo e numa velocidade menor (p<0.05). O BODE e a MRC foram superiores ao GOLD na predição de aderência aos guidelines (especificidade 0.83 para BODE e MRC e 0.50 para o GOLD). O BODE aumentou significativamente para cada dia de inatividade física. Conclusão: Grande parte dos pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica não andam mais de 30 minutos por dia, e portanto não atingem a mínima atividade física recomendada pelos guidelines do American College of Sports Medicine. Inatividade está relacionada com maior taxa de mortalidade. O BODE e a MRC mostraram-se superiores ao GOLD para predizer pacientes fisicamente inativos na vida diária.

 


Palavras-chave: Doença pulmonar obstrutiva crônica; Índice de massa corporal; Tolerância ao exercício; Exercício; Diretrizes; Índice de gravidade de doença

 

9 - Perfil da atividade de pesquisa publicada nos anais dos congressos brasileiros de pneumologia e tisiologia nos últimos vinte anos

Profile of research published in the annals of the Brazilian Pulmonology and Phthisiology Conferences held over the last twenty years

Alexandre Todorovic Fabro, Hugo Hyung Bok Yoo, Thaís Helena Abrahão Thomaz Queluz

J Bras Pneumol.2006;32(4):309-315

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Contribuir para o melhor conhecimento da atividade de pesquisa em Pneumologia no Brasil. Métodos: Estudo retrospectivo observacional dos resumos publicados nos Anais dos Congressos Brasileiros de Pneumologia e Tisiologia de 1986 a 2004, para descrição quantitativa da distribuição geográfica e do tipo das instituições de origem dos resumos, dos tipos de estudos e dos temas abordados. Resultados: Foram publicados 6.467 resumos, sendo 3.870 originários de instituições do Sudeste, 1.309 do Sul, 783 do Nordeste, 267 do Centro-Oeste e 84 do Norte. Houve 94 resumos provenientes de instituições estrangeiras, em especial portuguesas (56,3%) e norte-americanas (13,8%). A maioria dos trabalhos (5.825) foi realizada em instituições públicas brasileiras. Quanto aos tipos de estudos, foram observados 4.234 estudos clínicos, 1.994 relatos de caso e 239 estudos experimentais, com elevação progressiva acentuada do número de estudos clínicos e de relatos de caso no período. No cômputo geral, tuberculose e outras doenças infecciosas foram os temas mais freqüentes (25,2%), seguidos por oncologia (11,6%), doenças pulmonares intersticiais (8,8%) e cirurgia torácica (8,5%). Entretanto, houve grandes variações no número de resumos sobre cada tema no decorrer do período. Conclusão: As instituições públicas brasileiras são as principais responsáveis pela atividade de pesquisa em Pneumologia no Brasil, a qual está concentrada na Região Sudeste. Um terço desta atividade é representada por relatos de caso e, embora haja grande variação de assuntos abordados, as doenças com elevada prevalência no país, como tuberculose e outras infecções pulmonares, são os temas mais freqüentes.

 


Palavras-chave: Pesquisa biomédica/estatística & dados numéricos; Doenças respiratórias; Doença pulmonar (especialidade); Bibliometria; Publicações científicas e técnicas/estatística & dados numéricos; Brasil

 

10 - Análise da mecânica pulmonar em modelo experimental de sepse

Analysis of pulmonary mechanics in an experimental model of sepsis

Rodrigo Storck Carvalho, André Gustavo Magalhãer de Pinho, Ana Paula Alves de Andrade, César Augusto Melo e Silva, Carlos Eduardo Gaio, Paulo Tavares

J Bras Pneumol.2006;32(4):316-321

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Verificar se há alterações na mecânica pulmonar de camundongos com sepse. Métodos: Foram utilizados 40 camundongos Balb/c divididos em dois grupos: sobrevida (n = 21) e mecânica respiratória (n = 19). O grupo sobrevida foi dividido em três subgrupos: controle (n = 7), subletal (n = 7) e letal (n = 7). O grupo mecânica respiratória também foi dividido em três subgrupos: controle (n = 5), subletal (n = 7) e letal (n = 7). A sepse foi induzida pelo método cecal ligation and puncture, usando-se um estímulo subletal e outro letal. A mecânica pulmonar foi medida oito horas após a intervenção, utilizando-se o método da oclusão ao final da inspiração. Dentro do grupo mecânica pulmonar foram estudadas as seguintes variáveis: variação total de pressão, pressão resistiva, pressão viscoelástica, elastância dinâmica e elastância estática. Os dados foram analisados por meio do teste estatístico ANOVA One-Way. Resultados: Os dados do grupo sobrevida determinaram a eficácia do modelo utilizado. Não houve diferença estatística entre os subgrupos da mecânica pulmonar quando analisadas as elastâncias dinâmica e estática, bem como não houve diferença estatística entre os subgrupos da mecânica pulmonar quando analisadas a variação total de pressão, pressão resistiva e pressão viscoelástica. Conclusão: Não houve lesão estrutural no pulmão, bem como não houve alteração nos componentes viscoso e viscoelástico do pulmão quando essas variáveis foram estudadas oito horas após a intervenção pelo método cecal ligation and puncture.

 


Palavras-chave: Sepse; Mecânica respiratória; Pulmão/lesões; Punções/instrumentação; Síndrome do desconforto respiratório do adulto; Camundongos

 

11 - Marcadores morfológicos de prognóstico no mesotelioma maligno: um estudo de 58 casos

Morphological aspects as prognostic factors in malignant mesothelioma: a study of 58 cases

Alexandre Bottrel Motta, Germânia Pinheiro, Leila Antonângelo, Edwin Roger Parra, Maria Margarida Monteiro, José Carlos das Neves Pereira, Tereza Takagaki, Mario Terra Filho, Sandro Martins, Vera Luiza Capelozzi

J Bras Pneumol.2006;32(4):322-332

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Diversos marcadores têm se mostrados promissórios como preditores do diagnóstico e prognóstico do mesotelioma maligno (MM). Método: Mediante estudo morfométrico e inmunomarcação de componentes estromais (calretinina, CEA, Leu-M1 e trombomodulina) e nucleares (p53 e Ki-67), avaliamos a sobrevida após o diagnóstico de 58 pacientes com tumores malignos de pleura. Resultados: O padrão histológico típico do mesotelioma maligno foi encontrado em 50 casos e o padrão atípico em 8 casos. Imunohistoquimicamente foram confirmados 40 casos como sendo mesoteliomas, 11 como adenocarcimonas e 7 casos do padrão atípico não puderam ser classificados. A análise multivariavel do Cox demonstrou a coexistência de um maior fator de risco de morte (476.2), nos pacientes com idade avançada, subtipo histológico bifásico e componentes de expressão nuclear. Conclusão: A calretinina foi o marcador inmunohistoquímico (IHQ) mais útil para o diagnóstico do mesotelioma e o CEA para o de adenocarcinoma. A quantificação por IHQ da trombomodulina foi fundamental na diferenciação do mesotelioma quando este foi positivo tanto para calretinina e como para o CEA. A informação prognostica mais valiosa foi a fornecida pela análise rotineira histopatológica do tipo histológico tumoral. Um ponto importante, divisor natural, foi a idade com uma media de 55 anos e 30.5% de componentes nucleares de marcação IHQ, separando os pacientes em dois grupos: pacientes com uma sobrevivência curta contra pacientes com uma sobrevivência mais longa que a esperada. Assim, a análise histopatológica oferece uma arma poderosa e de elevado potencial para guiar no tratamento adjuvante de quimioterápicos após a retirada cirúrgica do mesotelioma.

 


Palavras-chave: Neoplasias pleurais; Mesotelioma; Marcadores biológicos de tumor; Antígeno carcinoembrionário; Prognóstico

 

12 - Coexistência de transtornos respiratórios do sono e síndrome fibromiálgica

Sleep disordered breathing concomitant with fibromyalgia syndrome

Dienaro Germanowicz, Magali Santos Lumertz, Denis Martinez, Ane Freitas Margaretes

J Bras Pneumol.2006;32(4):333-338

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Identificar síndrome fibromiálgica em pacientes com transtornos respiratórios do sono. Métodos: Foram estudados 50 pacientes que compareceram à Clínica do Sono com queixas de roncar no sono, apnéias e sonolência diurna. Confirmou-se o diagnóstico de transtornos respiratórios do sono através de polissonografia. Para se estabelecer o diagnóstico de síndrome fibromiálgica, submeteram-se os pacientes a avaliação de acordo com os critérios estabelecidos pelo American College of Rheumatology. Resultados: Estudaram-se 50 pacientes, 32 do sexo masculino. A média (± desvio-padrão) de idade do grupo foi de 50 ± 12 anos. A média do índice de massa corporal do grupo foi de 29,7 ± 5,6 kg/m2. A média do índice de apnéias e hipopnéias do grupo foi de 36 ± 29 apnéias e hipopnéias /hora. Nove das 18 mulheres e 2 homens preencheram os critérios estabelecidos pelo American College of Rheumatology para o diagnóstico de síndrome fibromiálgica. Conclusão: Considerando-se que a prevalência de síndrome fibromiálgica na população geral é de 0,5% para homens e de 3,4% para mulheres, a fração de casos de fibromialgia mais de dez vezes maior nesta amostra reforça a hipótese de associação entre transtornos respiratórios do sono e síndrome fibromiálgica.

 


Palavras-chave: Transtornos respiratórios/complicações; Fibromialgia/complicações; Apnéia do sono tipo obstrutiva; Polissonografia

 

13 - Prevalência e prognóstico dos pacientes com pneumonia associada à ventilação mecânica em um hospital universitário

Prevalence of ventilator-associated pneumonia in a university hospital and prognosis for the patients affected

Márcio Martins de Queiroz Guimarães, José Rodolfo Rocco

J Bras Pneumol.2006;32(4):339-346

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Determinar prevalência de pneumonia associada à ventilação mecânica em unidade de terapia intensiva, fatores associados e evolução. Métodos: Foram avaliados 278 pacientes sob ventilação mecânica por mais de 24 horas prospectivamente em hospital universitário. Resultados: Desenvolveram a doença 38,1% dos pacientes, 35,7 casos/1.000 dias de ventilação mecânica: 45,3% por bacilos gram negativos, Pseudomonas aeruginosa (22%) o mais comum e 43,4% por germes multi-resistentes. O grupo com pneumonia associada à ventilação mecânica teve maiores tempos de ventilação mecânica, desmame, permanência no hospital e na unidade de terapia intensiva (p < 0,001); atelectasia, síndrome do desconforto respiratório agudo, pneumotórax, sinusite, traqueobronquite e infecção multirresistente foram mais comuns (p < 0,05). Letalidades na unidade de terapia intensiva e no hospital foram semelhantes. Fatores associados à doença (razão de chances; intervalo de confiança 95%): sinusite aguda (38,8; 3,4 - 441), ventilação mecânica >10 dias (7,7; 4,1 - 14,2), imunodepressão (4,3; 1,3 - 14,3), síndrome do desconforto respiratório agudo (3,5; 1,4 - 9,0), atelectasia (3,0; 1,2 - 7,3), parada cardiorrespiratória (0,18; 0,05 - 0,66) e hemorragia digestiva alta (0,07; 0,009 - 0,62]. Fatores associados ao óbito hospitalar: insuficiência renal crônica (26,1; 1,9 - 350,7), admissão prévia na unidade de terapia intensiva (15,6; 1,6 - 152,0), simplified acute physiologic score II > 50 pontos (11,9; 3,4 - 42,0) e idade > 55 anos (4,4; 1,6 - 12,3). Conclusão: A pneumonia associada à ventilação mecânica aumentou tempos de ventilação mecânica, permanência na unidade de terapia intensiva e no hospital, número de complicações, mas não a letalidade.

 


Palavras-chave: Pneumonia bacteriana; Infecção hospitalar; Unidades de terapia intensiva; Prognóstico; Estudos prospectivos; Terapia intensiva

 

Artigo de Revisão

14 - Pleurodese: técnica e indicações

Pleurodesis: technique and indications

Marcelo Costa Vaz, Evalo Marchi, Francisco Suso Vargas

J Bras Pneumol.2006;32(4):347-356

Resumo PDF PT PDF EN English Text

O derrame pleural recidivante é uma situação clínica comum que compromete a qualidade de vida dos pacientes, em especial dos portadores de doença oncológica em estágio avançado. A abordagem terapêutica do espaço pleural é variada, incluindo procedimentos agressivos como a pleurectomia. A pleurodese é a técnica mais freqüentemente utilizada, podendo ser induzida tanto através da inserção de cateteres pleurais, como por procedimentos cirúrgicos amplos (toracotomia). São vários os agentes esclerosantes indicados, incluindo o talco, que é o mais utilizado, o nitrato de prata e recentemente as citocinas proliferativas. Este artigo resume as principais abordagens do derrame pleural recidivante e particularmente da pleurodese, suas indicações, vantagens e desvantagens para a aplicação na prática diária do pneumologista.

 


Palavras-chave: Derrame pleural maligno/prevenção & controle; Neoplasias pleurais; Pleura/cirurgia; Pleurosede/métodos; Nitrato de prata; Talco; Recidiva

 

15 - Rinite, sinusite e asma: indissociáveis?

Rhinitis, Sinusitis and Asthma: hard to dissociate?

Cássio da Cunha Ibiapina, Emanuel Savio Cavalcantio Sarinho, Álvaro Augusto Souza da Cruz Filho, Paulo Augusto Moreira Camargos

J Bras Pneumol.2006;32(4):357-366

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Este estudo tem como objetivo rever a literatura ressaltando aspectos epidemiológicos e fisiopatológicos relacionados à abordagem unificada de rinossinusite alérgica e da asma, com as respectivas implicações terapêuticas. O levantamento bibliográfico foi realizado a partir das informações disponibilizadas pelas bases de dados Medline, MD Consult, Highwire, Medscape, LILACS e por pesquisa direta, dos últimos trinta anos, utilizando-se os termos allergic rhinitis e asthma. Foram selecionados 55 artigos originais em revisão não sistemática abordando a questão da associação clínica entre rinossinusite alérgica e asma. Verifica-se que nos últimos anos, com o uso de medicamentos tópicos, para as vias aéreas superiores ou para as vias aéreas inferiores, a abordagem terapêutica tem sido distinta. Entretanto, inúmeros inquéritos epidemiológicos, estudos de imunopatologia e clínicos demonstram a inter-relação entre asma e rinossinusite alérgica evidenciados por: i) a rinite alérgica encontra-se associada à asma e constitui-se em fator de risco independente para o seu aparecimento; ii)as características imunopatológicas da rinite alérgica e da asma são semelhantes; iii)a rinite alérgica e a asma são manifestações de uma enfermidade sistêmica; iv)o controle da rinite favorece o controle da asma. A estreita associação entre a rinite alérgica e a asma requer a integração das abordagens diagnóstica, terapêutica e profilática dessas enfermidades. Opções terapêuticas que permitam o controle simultâneo de ambas oferecem vantagens relacionadas ao custo e à tolerabilidade.

 


Palavras-chave: Asma/epidemiologia; Asma/fisiopatologia; Asma/quimioterapia; Sinusite/epidemiologia; Sinusite/fisiopatologia; Sinusite/quimioterapia; Rinite alérgica perene

 

Relato de Caso

16 - Asma e síndrome de Churg-Strauss

Asthma and Churg-Strauss syndrome

Soloni Afra Pires Levy, Alfeu Tavares França, Denise de La Reza, Solange Oliveira Rodrigues Valle, Ana Helena Pereira Correia

J Bras Pneumol.2006;32(4):367-370

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Relata-se o caso de uma mulher de 25 anos com síndrome de Churg-Strauss, cujos sintomas surgiram aos dezesseis anos, logo após o início do uso de contraceptivo oral. O quadro clínico evoluiu rapidamente com asma persistente grave, polipose nasal, rinite perene obstrutiva, eosinofilia periférica e tecidual, e mononeurite. A síndrome de Churg-Strauss é uma doença que exige suspeita precoce, diagnóstico preciso, tratamento agressivo e monitoramento periódico, devendo ser considerada no diagnóstico diferencial de asma persistente moderada e grave. O caso relatado chama a atenção para possível participação hormonal e surgimento em idade precoce.

 


Palavras-chave: Asma; Síndrome de Churg-Strauss; Eosinofilia; Pólipos nasais; Vasculites; Relatos de casos [tipo de publicação]

 

17 - Bócio de tireóide intratorácico e timoma invasivo: apresentação simultânea incomum

Intrathoracic goiter and invasive thymoma: rare concomitant presentation

Rodrigo Silva, Jefferson Gross, Fábio Haddad, Riad Younes

J Bras Pneumol.2006;32(4):371-374

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Apresentamos uma rara situação de ocorrência simultânea de dois tumores de mediastino com diferentes topografias e histologias, encontrados durante a ressecção de volumosa massa mediastinal em paciente assintomático. A possibilidade de diferentes tumores contidos numa mesma massa tumoral está relatada; entretanto, não encontramos na literatura médica relato de diferentes tumores em localizações distintas. Os bócios de tiróide intratorácicos e os timomas representam uma grande parcela dos tumores encontrados no mediastino. O tratamento cirúrgico, sempre que possível, desempenha papel fundamental na perspectiva de cura. A exploração cirúrgica minuciosa é fundamental para uma ressecção completa e possível achado de lesões concomitantes.

 


Palavras-chave: Timoma/complicações; Neoplasias do mediastino/complicações; Bócio subesternal;

 

18 - Microepidemia de histoplasmose em Blumenau, Santa Catarina

An outbreak of histoplasmosis in the city of Blumenau, Santa Catarina

Flávio de Mattos Oliveira, Gisela Unis, Luiz Carlos Severo

J Bras Pneumol.2006;32(4):375-378

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A histoplasmose pulmonar aguda é pouco diagnosticada e muitas vezes confundida com tuberculose. A maior parte do conhecimento sobre a doença veio de relatos de epidemias resultantes da exposição de certo número de indivíduos a uma mesma fonte de infecção. O isolamento do H. capsulatum var. capsulatum a partir de amostras de solo comprova o foco epidêmico. Pela primeira vez é descrita uma microepidemia, com o relato de dois casos e o isolamento do fungo do foco de infecção, em Santa Catarina. Recomendam-se novos estudos epidemiológicos para se determinar a prevalência da infecção nesse estado.

 


Palavras-chave: Histoplasmose/diagnóstico; Histoplasmose/epidemiologia; Histoplasma/isolamento & purificação; Pneumopatias fúngicas; Surtos de doenças; Relatos de casos [tipo de publicação]

 

Cartas ao Editor

20 - Acorda pneumologista !

Pulmonologists, awake!

Geraldo Lorenzi Filho, Flávio Magalhães, Carlos Alberto de Assis Viegas

J Bras Pneumol.2006;32(4):382-384

PDF PT PDF EN English Text


20 - Réplica

Reply

Richard Ricachenevski Gurski, André Ricardo Pereira da Rosa, Enio do Valle, Marcelo Antonio de Borba, André Alves Valiati

J Bras Pneumol.2006;32(4):384-

PDF PT PDF EN English Text


Ano 2006 - Volume 32  - Número 5  (Setembro/Outubro)

Editorial

1 - Infiltrado pulmonar no paciente crítico: a importância da biópsia pulmonar

Pulmonary infiltrates in critically ill patients: the importance of lung biopsy

Bruno do Valle Pinheiro

J Bras Pneumol.2006;32(5):23-24

PDF PT PDF EN English Text


2 - Asma pediátrica - O impacto das internações hospitalares

Pediatric asthma - The impact of hospital admissions

Renato Tetelbom Stein

J Bras Pneumol.2006;32(5):25-26

PDF PT PDF EN English Text


Artigo Original

3 - Estudo comparativo entre o manejo da asma em uma unidade de referência da rede pública de Porto Alegre (RS) e as proposições do III Consenso Brasileiro no Manejo da Asma

Asthma management in a public referral center in Porto Alegre in comparison with the guidelines established in the III Brazilian Consensus on Asthma Management

Waldo Mattos, Luciano Bauer Grohs, Fabíola Roque, Maurício Ferreira, Gabriela Mânica, Ernesto Soares

J Bras Pneumol.2006;32(5):385-390

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar se as diretrizes do III Consenso Brasileiro no Manejo da Asma estão sendo aplicadas em uma população de asmáticos em um hospital de referência da rede pública de Porto Alegre (RS). Métodos: Todos os pacientes adultos que iniciaram tratamento entre 1999 e 2002 foram avaliados. O tratamento recebido foi classificado em concordante ou discordante do Consenso. As características clínicas da asma e a freqüência do tratamento por especialista foram comparadas entre os grupos. Resultados: Foram avaliados os prontuários de 357 pacientes, com média de idade de 41 anos, sendo 106 homens (29,7%) e 251 mulheres (70,3%), 33 tabagistas (9,2%). O tratamento foi considerado discordante em 246 pacientes (70%), sendo que, neste grupo, houve ausência de tratamento com corticóide inalatório em pacientes com asma persistente em 174 deles (71%). Volume expiratório forçado no primeiro segundo normal, idade entre doze e dezoito anos e asma intermitente foram observados com maior freqüência entre os pacientes com tratamento concordante (p < 0,01). Tratamento discordante não teve correlação com tratamento por pneumologista, gravidade da asma persistente ou número de visitas à emergência. Conclusão: A maioria dos pacientes com asma tratados em uma unidade de referência da rede pública em Porto Alegre não faz o tratamento preconizado pelos consensos e o subtratamento com corticóide inalatório é a principal causa de discordância.

 


Palavras-chave: Asma/terapia; Consenso; Estudo comparativo

 

4 - Fatores de risco para readmissão hospitalar de crianças e adolescentes asmáticos

Risk factors for multiple hospital admissions among children and adolescents with asthma

Laura Maria de Lima Belizario Facury Lasmar, Paulo Augusto Moreira Camargos, Eugênio Marcos Andrade Goulart, Emília Sakurai

J Bras Pneumol.2006;32(5):391-399

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Verificar a importância da admissão hospitalar de lactentes jovens na readmissão futura por asma. Métodos: Realizou-se uma avaliação retrospectiva de prontuários de 202 pacientes, menores de quinze anos, registrados em ambulatório de Pneumologia Pediátrica, que foram reinternados uma ou mais vezes. O tempo decorrido entre a primeira hospitalização e a subseqüente readmissão foi analisado pelo método de Kaplan Meier, ao passo que a comparação entre as curvas de sobrevivência para diferentes faixas etárias foi analisada pelo teste log-rank. Empregou-se ainda análise multivariada para avaliação dos fatores de risco associados à readmissão. Resultados: Readmissões foram observadas na quase totalidade dos pacientes nos dezoito meses seguintes à primeira hospitalização (94,5%). Quando a idade à primeira admissão hospitalar foi =12 meses, a readmissão foi mais precoce, comparada à do grupo com doze meses ou mais (p = 0,001). Os fatores de risco associados à readmissão foram: idades à primeira admissão inferiores a doze meses (odds ratio: 2,55, intervalo de confiança de 95%: 1,18 - 5,48) e entre treze e 24 meses (odds ratio: 3,54, intervalo de confiança de 95%: 1,31 - 9,63), e gravidade do quadro clínico de asma (odds ratio: 3,86, intervalo de confiança de 95%: 2,02 - 7,4). Conclusão: Após a primeira hospitalização, as crianças com asma devem ter acompanhamento rigoroso, pois o risco de readmissão é elevado nos primeiros meses após a alta, principalmente nos menores de dois anos. Os serviços de saúde devem se organizar adequadamente para enfrentar este problema, inclusive quanto à ampla dispensação de medicação profilática.

 


Palavras-chave: Asma; Criança hospitalizada; Readmissão do paciente; Fatores de risco

 

5 - Terminologia da ausculta pulmonar utilizada em publicações médicas brasileiras, no período de janeiro de 1980 a dezembro de 2003

Pulmonary auscultation terminology employed in Brazilian medical journals between January of 1980 and December of 2003

Kamila Fernanda Staszko, Carla Lincho, Vivian da Cas Engelke, Nádia Spada Fiori, Karina Cirino Silva, Elisa Iribarren Nunes, Linjie Zhang

J Bras Pneumol.2006;32(5):400-404

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar a adequação de uso de termos semiológicos da ausculta pulmonar em publicações médicas brasileiras sobre doenças respiratórias, no período de janeiro de 1980 a dezembro de 2003. Métodos: Realizou-se um estudo descritivo, analisando-se três revistas médicas: Jornal de Pneumologia, Jornal de Pediatria e Revista Médica Brasileira. Foram selecionados os artigos originais e relatos de casos sobre doenças respiratórias, de onde foram extraídos os termos semiológicos da ausculta pulmonar. Foi avaliada a adequação dos termos na descrição dos ruídos adventícios. Resultados: Encontrou-se maior inadequação no uso dos termos de ruídos descontínuos, comparado com o uso dos termos de ruídos contínuos (87,7% versus 44%, p = 0,0000). Não houve diferença significativa entre relatos de pneumologistas e de outros especialistas quanto à inadequação no uso dos termos (56,5% versus 62,0%, p = 0,26). Também não observamos diferença significativa entre as regiões do país e os períodos antes e após a divulgação da nomenclatura internacional. Conclusão: O uso inadequado dos termos para descrever ruídos adventícios na ausculta pulmonar continua sendo um fenômeno freqüente e geral nas publicações médicas brasileiras.

 


Palavras-chave: Auscultação; Pulmão/fisiopatologia; Pneumopatias/diagnóstico; Sons respiratórios; Terminologia

 

6 - Infecção pulmonar pelo Rhodococcus equi na síndrome da imunodeficiência adquirida. Aspectos na tomografia computadorizada

Rhodococcus equi infection in acquired immunodeficiency syndrome. Computed tomography aspects

Edson Marchiori, Renato Gonçalves de Mendonça, Domenico Capone, Elza Maria de Cerqueira, Arthur Soares Souza Júnior, Gláucia Zanetti, Dante Escuissato, Emerson Gasparetto

J Bras Pneumol.2006;32(5):405-409

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Apresentar os aspectos na tomografia computadorizada da pneumonia pelo Rhodococcus equi em sete pacientes com síndrome da imunodeficiência adquirida. Métodos: Estudo retrospectivo das tomografias de sete pacientes com síndrome da imunodeficiência adquirida e infecção pelo Rhodococcus equi. Resultados: Os achados mais freqüentes foram: consolidação (n = 7) com escavação (n = 6), opacidades em vidro fosco (n = 6), nódulos do espaço aéreo (n = 4) e nódulos centrolobulares com árvore em brotamento (n = 3). Conclusão: Os achados mais comuns na infecção pulmonar pelo Rhodococcus equi em pacientes com síndrome da imunodeficiência adquirida foram as consolidações escavadas.

 


Palavras-chave: Síndrome da imunodeficiência adquirida; Rhodococcus equi; Infecções por actinomycetales; Pneumopatias fúngicas; Tomografia computadorizada de emissão

 

7 - Ambulatório de apoio ao tabagista no Ceará: perfil dos pacientes e fatores associados ao sucesso terapêutico

Outpatient smoking cessation program in the state of Ceará, Brazil: patient profiles and factors associated with treatment success

Maria Penha Uchoa Sales, Mara Rúbia Fernandes de Figueiredo, Maria Irenilza de Oliveira, Helano Neiva de Castro

J Bras Pneumol.2006;32(5):410-417

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar o perfil dos pacientes e fatores associados ao sucesso do tratamento do fumante. Métodos: Estudo retrospectivo dos pacientes que foram atendidos no ambulatório de apoio ao tabagista do Hospital de Messejana, no Ceará, durante o período de outubro de 2002 a abril de 2005. O tratamento foi avaliado considerando-se o perfil do tabagista, tipo de medicação e período de utilização da mesma. Resultados: Do total de 320 pacientes atendidos, 65,6% eram mulheres. A média de idade do início do tratamento foi de 48 anos, sendo 33 anos o tempo médio de uso do tabaco. Acima de 90% deles iniciaram o tabagismo antes dos vinte anos de idade. Daqueles que se encontravam no programa havia pelo menos um ano (258 pessoas), 50,8% atingiram o sucesso terapêutico, 17,8% recaíram e 31,4% não pararam de fumar. Sucesso parcial foi atingido, em média, na quinta semana do tratamento e a recaída foi predominante no quarto mês. Cerca de 60% dos pacientes utilizaram terapia medicamentosa. Conclusão: A chance de parar de fumar foi associada significativamente ao uso de medicação, independentemente do perfil tabágico avaliado. No segundo ano do programa, observou-se maior associação da bupropiona à terapia de reposição nicotínica, com conseqüente elevação da taxa de sucesso e tendência à redução da recaída.

 


Palavras-chave: Tabagismo/terapia; Abandono do uso de tabaco; Bupropiona; Nicotina

 

8 - Impacto de biópsia pulmonar a céu aberto na insuficiência respiratória aguda refratária

Impact of open lung biopsy on refractory acute respiratory failure

Carmen Silvia Valente Barbas, Vera Luiza Capelozzi, Cristiane Hoelz, Ricardo Borges Magaldi, Rogério de Souza, Maria Laura Sandeville, José Ribas Milanez de Campos, Eduardo Werebe, Laerte O. Andrade Filho, Elias Knobel

J Bras Pneumol.2006;32(5):418-423

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Verificar o impacto dos resultados da biópsia pulmonar a céu aberto nas decisões que determinem mudanças nas estratégias de tratamento de pacientes críticos, com infiltrados pulmonares difusos e insuficiência respiratória aguda refratária, bem como na melhora de seu quadro clínico. Métodos: Foram avaliados 12 pacientes com insuficiência respiratória aguda e sob ventilação mecânica, que foram submetidos à biópsia pulmonar a céu aberto (por toracotomia) após a ausência de resposta clínica ao tratamento padrão. Resultados: A maior causa isolada de insuficiência respiratória aguda foi a infecção viral, identificada em 5 pacientes (40%). A avaliação pré-operatória da causa da insuficiência respiratória foi modificada em 11 pacientes (91,6%), e um diagnóstico específico foi feito em 100% dos casos. A taxa de mortalidade foi de 50%, a despeito das mudanças no regime terapêutico. Seis pacientes (50%) sobreviveram e obtiveram alta hospitalar. Todos os pacientes que obtiveram alta sobreviveram por pelo menos um ano após a biópsia pulmonar a céu aberto, totalizando uma taxa de sobrevida em um ano de 50% dentre os 12 pacientes estudados. Quanto aos pacientes que faleceram no hospital, o tempo de sobrevida após a biópsia pulmonar a céu aberto foi de 14 + 10,8 dias. Conclusão: Concluímos que a biópsia pulmonar a céu aberto é uma ferramenta útil no controle da insuficiência respiratória aguda quando não se observa melhora clínica após o tratamento padrão, já que pode resultar em um diagnóstico específico que requeira tratamento distinto, provavelmente diminuindo a taxa de mortalidade desses pacientes.

 


Palavras-chave: Síndrome do desconforto respiratório do adulto; Pulmão/patologia; Biópsia

 

9 - Co-infecção por Mycobacterium tuberculosis e vírus da imunodeficiência humana: uma análise epidemiológica em Taubaté (SP)

Co-infection with Mycobacterium tuberculosis and human immunodeficiency virus: an epidemiological analysis in the city of Taubaté, Brazil

Luiz Gustavo Miranda de Carvalho, Anabelli Zanchetta Buani, Maria Stella Amorim da Costa Zöllner, Alexandre Prado Scherma

J Bras Pneumol.2006;32(5):424-429

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Discutir os principais aspectos da co-infecção por Mycobacterium tuberculosis e vírus da imunodeficiência humana no município de Taubaté (SP) nos anos de 2001 e 2002. Métodos: Este trabalho apresenta o levantamento epidemiológico dos casos de tuberculose ocorridos em Taubaté em 2001 e 2002. Resultados: Foram analisados 250 casos de tuberculose, dos quais 70 corresponderam a casos de sorologia positiva para o vírus da imunodeficiência humana (28%), 95 de sorologia negativa (38%), e para 85 pacientes a sorologia não foi realizada (34%). Com relação ao primeiro grupo houve predomínio do sexo masculino e da faixa etária de 30 a 40 anos, a forma clínica de tuberculose mais comum foi a pulmonar (65,71%) e a taxa de cura foi de 59,38% . No grupo de pacientes para os quais não se comprovou a co-infecção também predominou o sexo masculino e ocorrência na mesma faixa etária, sendo a forma clínica mais comum também a pulmonar (70,55%) e a taxa de cura foi de 81,63%. Conclusão: Concluiu-se que o vírus da imunodeficiência humana é importante na epidemiologia da tuberculose e, portanto, o teste sorológico para o vírus da imunodeficiência humana deve ser realizado quando se diagnostica a presença de tuberculose.

 


Palavras-chave: Tuberculose/epidemiologia; Infecções por HIV; HIV; Prevalência

 

10 - Perfil de sensibilidade e fatores de risco associados à resistência do Mycobacterium tuberculosis, em centro de referência de doenças infecto-contagiosas de Minas Gerais

Multidrug-resistant Mycobacterium tuberculosis at a referral center for infectious diseases in the state of Minas Gerais, Brazil: sensitivity profile and related risk factors

Márcia Beatriz de Souza, Carlos Maurício de Figueiredo Antunes, Guilherme Freire Garcia

J Bras Pneumol.2006;32(5):430-437

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Estudar os fatores determinantes da multirresistência do Mycobacterium tuberculosis às drogas tuberculostáticas em centro de referência de doenças infecto-contagiosas do Estado de Minas Gerais, Hospital Eduardo de Menezes. Métodos: Estudo tipo caso-controle, retrospectivo, realizado de setembro de 2000 a janeiro de 2004. Nesse período, 473 culturas com crescimento de M. tuberculosis relativas a 313 pacientes foram analisadas quanto ao perfil de sensibilidade, no Laboratório Central de Minas Gerais. Foram selecionados os casos multirresistentes definidos como resistência a pelo menos rifampicina e isoniazida, depois de pareados com o grupo controle de pacientes com tuberculose sensível a todas as drogas na razão de 1:3. A associação dos dados demográficos e clínicos foi feita por análise estatística uni e multivariada. Resultados: Durante o período de estudo, doze casos de tuberculose multirresistente foram identificados (3,83%). Na análise univariada, a tuberculose multirresistente foi mais comum no sexo masculino, em pacientes com baciloscopia de escarro positiva, pacientes com cavitações maiores que 4 cm de diâmetro e pacientes com um ou mais tratamentos prévios para tuberculose (p = 0,10). Após a análise multivariada somente o tratamento anterior para tuberculose permaneceu estatisticamente significativo (p = 0,0374), com odds ratio de 14,36 (1,96 - 176,46). Conclusão: O fator de risco que se mostrou independentemente associado ao desenvolvimento de tuberculose multirresistente neste estudo foi a presença de um ou mais tratamentos prévios para tuberculose.

 


Palavras-chave: Mycobacterium tuberculosis;. Tuberculose resistente a múltiplas drogas; Tuberculose;

 

11 - Teste tuberculínico em indivíduos com infecção pelo vírus da imunodeficiência humana: relação com número de linfócitos T periféricos e atividade tuberculosa

Tuberculin testing of individuals infected with the human immunodeficiency virus: relationship with peripheral T-cell counts and active tuberculosis

Lenice do Rosário de Souza, Marli Therezinha Gimenez Galvão, Jussara Marcondes Machado, Domingos Alves Meira, Karlla Cunhas

J Bras Pneumol.2006;32(5):438-443

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar os resultados do teste tuberculínico e relacioná-los com a presença ou não de tuberculose em atividade e com a contagem de linfócitos T CD4+/CD8+. Métodos: Foram revisados 802 prontuários de pacientes com síndrome da imunodeficiência adquirida atendidos no período de agosto de 1985 a março de 2003. Cento e oitenta e cinco pacientes realizaram o teste tuberculínico (23,1%) e, destes, 107 eram do sexo masculino (57,8%). A média de idade no grupo de reatores ao teste tuberculínico foi de 30,6 anos, com desvio-padrão de 6,62 anos, e entre os não reatores de 34,45 anos com desvio-padrão de 10,32 anos. Foram constituídos dois grupos de estudo: reatores ao teste tuberculínico, com 28 pacientes, e não reatores ao teste tuberculínico, com 157 pacientes. Resultados: Grande parte dos indivíduos foi pouco responsiva ao teste tuberculínico. Constatou-se, no grupo de reatores, maior porcentagem de indivíduos com tuberculose ativa à época da realização do teste, quando se comparou com os não reatores. Dez pacientes entre os reatores e onze entre os não reatores apresentavam alguma forma clínica de tuberculose em atividade à época da realização do teste, sendo que seis do primeiro grupo e oito do segundo tinham contagem de linfócitos T CD4+ menor que 200 células/mm3. Conclusão: Indurações maiores do que 5 mm não se relacionaram com contagens absolutas mais altas de células T CD4+.

 


Palavras-chave: Teste tuberculínico; Síndrome de imunodeficiência adquirida; Tuberculose; Linfócitos T CD4-positivos;

 

12 - Tuberculose como doença definidora de síndrome da imunodeficiência adquirida: dez anos de evolução na Cidade do Rio de Janeiro

Tuberculosis as a disease defining acquired immunodeficiency syndrome: ten years of surveillance in Rio de Janeiro, Brazil

Elizabeth Cristina Coelho Soares, Valéria Saraceni, Lilian de Mello Lauria, Antonio Guilherme Pacheco, Betina Durovni, Solange Cesar Cavalcante

J Bras Pneumol.2006;32(5):444-448

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Analisar a freqüência da tuberculose e das outras principais doenças oportunistas definidoras de síndrome da imunodeficiência adquirida, no momento em que estes casos são notificados, no Município do Rio de Janeiro. Métodos: Análise do banco de dados do Sistema de Vigilância Epidemiológica do Programa de Doenças Sexualmente Transmissíveis e Síndrome da Imunodeficiência Adquirida da Cidade do Rio de Janeiro, no período de 1993 a 2002. Resultados: A expansão da definição de casos de síndrome da imunodeficiência adquirida ocorrida em 1998 criou um aumento substancial no número de casos notificados de síndrome da imunodeficiência adquirida, principalmente por aqueles que passaram a ser definidos pelo critério imunológico. Dentre os casos de síndrome da imunodeficiência adquirida que foram definidos apenas por doença, a candidíase em suas diversas formas manteve-se como a doença oportunista de maior freqüência no momento da notificação. Embora a pneumonia por Pneumocystis carinii se apresentasse como a segunda doença mais freqüente na maioria dos anos observados, a partir de 2001, a tuberculose ultrapassou-a em freqüência, tornando-se a segunda doença mais freqüente no momento da notificação dos casos de síndrome da imunodeficiência adquirida. Conclusão: Apesar da diminuição do número de casos de síndrome da imunodeficiência adquirida definidos por doença, a tuberculose manteve-se como um importante evento definidor dessa síndrome, sendo atualmente de ocorrência mais freqüente do que a pneumonia por Pneumocystis carinii e a toxoplasmose, provavelmente por sua alta taxa de prevalência na cidade.

 


Palavras-chave: Tuberculose; Síndrome da imunodeficiência adquirida; Infecções oportunistas relacionadas com a AIDS

 

Artigo de Revisão

13 - Atualização no uso de agentes antifúngicos

An update on the use of antifungal agents

Roberto Martinez

J Bras Pneumol.2006;32(5):449-460

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Aborda-se sumariamente o espectro de ação, aspectos farmacológicos e toxicológicos e eficácia clínica de anfotericina B lipossomal, anfotericina B em dispersão coloidal, complexo lipídico de anfotericina B, voriconazol e caspofungina. Discute-se o uso desses antifúngicos mais recentes considerando a segurança, a eficiência e o custo da terapia. Sugestões para o uso clínico dessas drogas em infecções pulmonares e sistêmicas são apresentadas, destacando-se a menor toxicidade das formulações lipídicas da anfotericina B em relação à medicação convencional, a possibilidade de terapia primária da aspergilose invasiva, scedosporiose e fusariose com voriconazol e a caspofungina como opção terapêutica na candidíase disseminada e na aspergilose invasiva.

 


Palavras-chave: Aspergilose; Pneumopatias fúngicas/quimioterapia; Anfotericina B/administração & dosagem;

 

14 - Terapia nutricional na doença pulmonar obstrutiva crônica e suas complicações nutricionais

Nutrition therapy for chronic obstructive pulmonary disease and related nutritional complications

Amanda Carla Fernandes, Olívia Maria de Paula Alves Bezerra

J Bras Pneumol.2006;32(5):461-471

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A doença pulmonar obstrutiva crônica caracteriza-se pela obstrução progressiva e parcialmente reversível do fluxo aéreo pulmonar. Sua evolução pode trazer inúmeras complicações que afetam o estado nutricional dos pacientes. O objetivo deste artigo é apresentar uma breve revisão da literatura sobre a terapia nutricional instituída na doença pulmonar obstrutiva crônica, através de levantamento bibliográfico de artigos publicados nos últimos dezoito anos, utilizando as bases de dados LILACS e MEDLINE. A desnutrição está associada a mau prognóstico da doença devido a uma maior predisposição a infecções e à diminuição da força dos músculos expiratórios, tolerância ao exercício e qualidade de vida. Apesar de ser extremamente comum em pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica, é importante reconhecê-la como um fator de risco independente, uma vez que pode ser modificada através de um acompanhamento dietoterápico adequado e eficaz. A terapia nutricional na doença pulmonar obstrutiva crônica é iniciada com a avaliação do estado nutricional do paciente para identificação do risco nutricional e do nível de atendimento a ser estabelecido. Nessa avaliação devem ser utilizados indicadores antropométricos, bioquímicos, de consumo alimentar e de composição corporal. A dieta deve conter um aporte adequado de macronutrientes, micronutrientes e imunonutrientes a fim de recuperar e/ou manter o estado nutricional e evitar complicações. As características físicas da dieta devem ser adaptadas às necessidades e tolerâncias individuais de cada paciente. A terapia nutricional individualizada é muito importante no tratamento de pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica, mostrando-se fundamental na evolução do quadro e na melhoria da qualidade de vida.

 


Palavras-chave: Doença pulmonar obstrutiva crônica; Avaliação nutricional; Desnutrição; Terapia Nutricional

 

Relato de Caso

15 - Aspergilose broncopulmonar alérgica com imagem radiológica em "dedo de luva"

Allergic bronchopulmonary aspergillosis presenting a glove-finger shadow in radiographic images

Marta Elizabeth Kalil, Ana Luiza Godoy Fernandes, Aline Cristinane da Silva Curzel, Márcio Zamuner Cortez, Gláucia Cristina Godinho Alves Lima

J Bras Pneumol.2006;32(5):472-475

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A aspergilose broncopulmonar alérgica é uma doença pulmonar que ocorre em pacientes com asma ou fibrose cística, desencadeada pela reação de hipersensibilidade à presença do fungo Aspergilus fumigatus nas vias aéreas. Relatamos aqui um caso em que uma paciente com quadro clínico sugestivo de asma apresentou critérios clínicos, laboratoriais e radiológicos compatíveis com o diagnóstico de aspergilose broncopulmonar alérgica. A importância de tais achados deve-se ao fato de que quanto mais precocemente for feito o diagnóstico, menores serão os riscos de agravamento do quadro respiratório e de aparecimento de fibrose.

 


Palavras-chave: Asma; Bronquiectasia, Aspergillus fumigatus; Aspergilose broncopulmonar alérgica

 

16 - Criptococose pulmonar isolada em paciente imunocompetente

Isolated pulmonary cryptococcosis in an immunocompetent patient

Ana Teresa Fernandes Barbosa, Fernando Antônio Colares, Edson da Silva Gusmão, Amanda Araújo Barros, Cristiane Gonçalves Cordeiro, Maria Cecília Tolentino Andrade

J Bras Pneumol.2006;32(5):476-480

Resumo PDF PT PDF EN English Text

O presente trabalho relata um caso de criptococose pulmonar isolada em paciente com sintomas respiratórios, sem imunossupressão e sorologia negativa para o vírus da imunodeficiência humana, com massa pulmonar no radiograma de tórax. O diagnóstico foi confirmado pela biópsia transbrônquica e lavado broncoalveolar. A paciente recebeu tratamento ambulatorial com fluconazol, na dose de 300 mg/dia por seis meses, evoluindo com melhora clínica e regressão parcial da imagem radiológica. O presente caso ilustra uma apresentação não freqüente da criptococose pulmonar e faz considerações sobre a abordagem terapêutica com base na literatura.

 


Palavras-chave: Criptococose; Pneumopatias fúngicas; pulmonar; Pulmão/radiografia; Imunocompetência

 

17 - Paresia diafragmática bilateral idiopática

Idiopathic bilateral diaphragmatic paresis

Mônica Corso Pereira, Rodrigo Frange Miziara Mussi, Reinaldo Alexandre de Carvalho Massucio, Ana Maria Camino, Aristóteles de Souza Barbeiro, Wander de Oliveira Villalba, Ilma Aparecida Paschoal

J Bras Pneumol.2006;32(5):481-485

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Relata-se o caso de um paciente com dispnéia intensa ao se deitar, em que foram excluídas doenças pulmonares, neuromusculares ou cardíacas, cuja investigação revelou paresia diafragmática bilateral. Um sinal chave para o diagnóstico foi a evidência de respiração paradoxal com o doente em decúbito supino. Havia piora da oxigenação e da capacidade vital forçada com a mudança da posição ortostática para supina. A fluoroscopia ortostática foi normal. A pressão inspiratória máxima estava muito reduzida. A estimulação elétrica transcutânea do diafragma foi normal, e a eletroestimulação do nervo frênico mostrou ausência de resposta, permitindo o diagnóstico de paresia bilateral do diafragma.

 


Palavras-chave: Paresia; Insuficiência respiratória; Diafragma; Respiração

 

Cartas ao Editor

19 - Core biópsia; Tru-cut biópsia, punção lancetante ou biópsia por punção com agulha fragmentante tecidual (punção fragmentante - PFrag)?

Core biopsy; tru-cut biopsy, lance biopsy or punch biopsy with a tissue-cutting needle (punch cutting - PCut)?

Klaus Loureiro Irion, Bruno Hochhegger, Luciane Dreher Irion

J Bras Pneumol.2006;32(5):488-

PDF PT PDF EN English Text


Ano 2006 - Volume 32  - Número 6  (Novembro/Dezembro)

Editorial

1 - O Jornal Brasileiro de Pneumologia está no MEDLINE !

The Brazilian Journal of Pulmonology crosses the MEDLINE!

José Antônio Baddini Martinez

J Bras Pneumol.2006;32(6):27-29

PDF PT PDF EN English Text


2 - Fatores de risco nas lobectomias realizadas para tratar o carcinoma brônquico

Risk factors involved in performing lobectomy to treat bronchial carcinoma

Vicente Forte

J Bras Pneumol.2006;32(6):30-32

PDF PT PDF EN English Text


3 - A silicose (ainda) entre nós

Silicosis (still) among us

Eduardo Mello De Capitani

J Bras Pneumol.2006;32(6):33-35

PDF PT PDF EN English Text


Artigo Original

4 - Fatores prognósticos em complicações pós-operatórias de ressecção pulmonar: análise de pré-albumina, tempo de ventilação mecânica e outros

Prognostic factors for complications following pulmonary resection: pre-albumin analysis, time on mechanical ventilation, and other factors

Renata Cristiane Gennari Bianchi, Juliana Nalin de Souza, Carolina de Almeida Giaciani, Neucy Fenalti Höehr, Ivan Felizardo Contrera Toro

J Bras Pneumol.2006;32(6):489-494

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Estabelecer a relação entre o estado nutricional pré-operatório, tempo de ventilação mecânica e outros fatores com complicações pós-operatórias gerais e complicações pulmonares pós-operatórias do paciente submetido a cirurgia torácica eletiva. Métodos: Foram estudados prospectivamente 71 pacientes submetidos a cirurgia eletiva de ressecção pulmonar. Os dados pré-operatórios incluíram sexo, idade, tabagismo, pré-albumina, linfócitos e índice de massa corpórea. Os dados intra-operatórios incluíram tipo e tempo de cirurgia e tempo de ventilação mecânica. Resultados: Houve complicações pós-operatórias relacionadas à baixa concentração de pré-albumina, tipo e tempo de cirurgia e tempo de ventilação mecânica. Também houve complicações pulmonares pós-operatórias por tempo de cirurgia e de ventilação mecânica em 22 pacientes (30,99%). Conclusão: Neste trabalho, os resultados sugerem que concentração de pré-albumina, tipo e tempo de cirurgia, assim como o tempo de ventilação mecânica serviram como índices preditivos para complicações pós-operatórias em pacientes submetidos a cirurgia eletiva de ressecção pulmonar. Na análise das complicações pulmonares pós-operatórias, houve significância estatística no aumento dos tempos de cirurgia e de ventilação mecânica.

 


Palavras-chave: Cirurgia torácica; Complicações pós-operatorias; Ventilação mecânica; Estado nutricional; Pré-albumina

 

5 - Lobectomia por carcinoma brônquico: análise das co-morbidades e seu impacto na morbimortalidade pós-operatória

Lobectomy for treating bronchial carcinoma: analysis of comorbidities and their impact on postoperative morbidity and mortality

Pablo Gerardo Sánchez, Giovani Schirmer Vendrame, Gabriel Ribeiro Madke, Eduardo Sperb Pilla, José de Jesus Peixoto Camargo, Cristiano Feijó Andrade, José Carlos Felicetti, Paulo Francisco Guerreiro Cardoso

J Bras Pneumol.2006;32(6):495-504

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Analisar o impacto das co-morbidades no desempenho pós-operatório de lobectomia por carcinoma brônquico. Métodos: Estudaram-se retrospectivamente 493 pacientes submetidos a lobectomia por carcinoma brônquico e 305 preencheram os critérios de inclusão. A técnica cirúrgica foi sempre semelhante. Analisaram-se as co-morbidades categorizando-se os pacientes nas escalas de Torrington-Henderson e de Charlson, estabelecendo-se grupos de risco para complicações e óbito. Resultados: A mortalidade operatória foi de 2,9% e o índice de complicações de 44%. O escape aéreo prolongado foi a complicação mais freqüente (20,6%). A análise univariada mostrou que sexo, idade, tabagismo, terapia neo-adjuvante e diabetes apresentaram impacto significativo na incidência de complicações. O índice de massa corporal (23,8 ± 4,4 kg/m2), volume expiratório forçado no primeiro segundo (74,1 ± 24%) e relação entre volume expiratório forçado no primeiro segundo e capacidade vital forçada (0,65 ± 0,1) foram fatores preditivos da ocorrência de complicações. As escalas foram eficazes na identificação de grupos de risco e na relação com a morbimortalidade (p = 0,001 e p < 0,001). A análise multivariada identificou que o índice de massa corporal e o índice de Charlson foram os principais determinantes de complicações; o escape aéreo prolongado foi o principal fator envolvido na mortalidade (p = 0,01). Conclusão: Valores reduzidos de volume expiratório forçado no primeiro segundo, relação entre volume expiratório forçado no primeiro segundo e capacidade vital forçada, índice de massa corporal e graus 3-4 de Charlson e 3 de PORT associaram-se a mais complicações após lobectomias por carcinoma brônquico. O escape aéreo persistente associou-se fortemente à mortalidade.

 


Palavras-chave: Neoplasias pulmonares/cirurgia; Complicações pós-operatórias; Pneumonectomia; Morbidade

 

6 - Análise de 39 casos de pneumonia intersticial crônica idiopática

Analysis of 39 cases of idiopathic chronic interstitial pneumonia

Rogério Rufino, Leonardo Rizzo, Cláudia Henrique da Costa, Roberto José de Lima, Kalil Madi

J Bras Pneumol.2006;32(6):505-509

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Analisar de forma retrospectiva fragmentos de biópsias pulmonares que receberam o diagnóstico de pneumonia intersticial crônica idiopática, à luz da classificação da American Thoracic Society e European Respiratory Society, de 2000. Métodos: A partir da revisão de 252 fragmentos de biópsias pulmonares a céu aberto de pacientes com doença intersticial pulmonar, no período de 1977 a 1999, 39 casos de doença pulmonar intersticial idiopática foram selecionados e reavaliados por dois patologistas, segundo a classificação da American Thoracic Society e European Respiratory Society, de 2000. Resultados: Vinte e oito dos 39 diagnósticos foram mantidos (71,8%). Uma nova entidade patológica, a pneumonia intersticial não específica, foi incluída na reclassificação e houve superposição de padrões em seis casos. Mantiveram o mesmo diagnóstico 28 casos, 4 casos apresentaram associação entre fibrose pulmonar idiopática e organização pneumônica criptogênica, 1 entre organização pneumônica criptogênica e pneumonia intersticial não específica, e 1 entre pneumonia intersticial descamativa e pneumonia intersticial não específica. Todos os casos de fibrose pulmonar idiopática foram confirmados, embora 3 deles estivessem associados a organização pneumônica criptogênica. Os diagnósticos anteriores foram quase todos mantidos na revisão dos espécimes (p > 0,05). Conclusão: A classificação das doenças pulmonares intersticiais da American Thoracic Society e European Respiratory Society é uma ferramenta útil aos patologistas que lidam com biópsias pulmonares.

 


Palavras-chave: Fibrose pulmonar; Doenças pulmonares intersticiais

 

7 - Localização do carcinoma pulmonar em relação ao vício tabágico e ao sexo

Location of lung carcinoma in relation to the smoking habit and gender

Sérgio Jamnik, César Uehara, Vilmer Vieira da Silva

J Bras Pneumol.2006;32(6):510-514

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Analisar a localização do carcinoma pulmonar em relação ao tabagismo e ao sexo. Métodos: Foram estudados 697 pacientes portadores de carcinoma broncogênico do Ambulatório de Oncopneumologia da Universidade Federal de São Paulo, retrospectivamente, relacionando o vício tabágico e o sexo com a localização do tumor (campos superior e inferior, lados direito e esquerdo). Resultados: Os carcinomas broncogênicos ocorrem predominantemente no campo superior em fumantes e em maior número no campo inferior em não fumantes. Já no sexo feminino ocorreram mais neoplasias no campo inferior principalmente em não fumantes. Não houve diferenças em relação ao lobo (direito ou esquerdo) nos dados estudados. Conclusão: Os carcinomas broncogênicos predominam no campo superior em fumantes e não fumantes, em maior número no campo inferior nos não fumantes. Há uma tendência de ocorrem no campo inferior no sexo feminino.

 


Palavras-chave: Neoplasias pulmonares; Fatores sexuais; Tabagismo

 

8 - Edema pulmonar hidrostático: aspectos na tomografia computadorizada de alta resolução

Hydrostatic pulmonary edema: high-resolution computed tomography aspects

Cláudia Maria Cunha Ribeiro, Edson Marchiori, Rosana Rodrigues, Emerson Gasparetto, Arthur Soares Souza Júnior, Dante Escuissato, Luiz Felipe Nobre, Gláucia Zanetti, César de Araujo Neto, Klaus Irion

J Bras Pneumol.2006;32(6):515-522

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: A proposta deste estudo foi caracterizar por meio de tomografia computadorizada de alta resolução do tórax as principais alterações pulmonares do edema pulmonar hidrostático. Métodos: Foram analisadas, retrospectivamente, as tomografias de quinze pacientes com quadro clínico de edema pulmonar hidrostático, divididos em cinco principais grupos etiológicos: insuficiência cardíaca congestiva, valvulopatia mitral aguda, infarto agudo do miocárdio, miocardite e mediastinite fibrosante, tendo sido sete pacientes classificados no primeiro grupo e dois em cada um dos demais. Resultados: Os principais achados do edema hidrostático foram opacidades em vidro fosco (100%), espessamento dos septos interlobulares (100%), derrame pleural (87%) e espessamento do interstício peribroncovascular (80%). Outros achados menos comuns foram aumento do calibre dos vasos, consolidações e nódulos do espaço aéreo. Conclusão: O padrão predominante encontrado nos pacientes estudados foi o de opacidades em vidro fosco associadas a espessamento dos septos interlobulares (padrão de pavimentação em mosaico), com derrame pleural bilateral, predominante à direita.

 


Palavras-chave: Edema pulmonar; Tomografia computadorizada por raios x; Pneumopatias

 

9 - Fibrose maciça progressiva em trabalhadores expostos à sílica. Achados na tomografia computadorizada de alta resolução

Progressive massive fibrosis in silica-exposed workers. High-resolution computed tomography findings

Ângela Santos Ferreira, Valéria Barbosa Moreira, Hevânia Mara Vaz Ricardo, Renata Coutinho, José Manoel Gabetto, Edson Marchiori

J Bras Pneumol.2006;32(6):523-528

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar as características radiológicas das massas conglomeradas pela tomografia computadorizada de alta resolução de tórax. Métodos: Foram selecionados 75 pacientes silicóticos, a maioria jateadores de areia, portadores de fibrose maciça progressiva, atendidos no Hospital Universitário Antônio Pedro entre 1986 e 2004. Os pacientes foram submetidos a avaliação clínica, radiografia simples de tórax e tomografia computadorizada de alta resolução. Resultados: Mais da metade dos pacientes com silicose complicada mostrou na radiografia de tórax grandes opacidades dos tipos B e C, denotando a gravidade da doença nesses pacientes. Dos 75 casos, apenas um apresentou massa unilateral simulando câncer de pulmão. Quarenta e quatro pacientes realizaram tomografia computadorizada de alta resolução do tórax. As massas predominaram nos terços superiores e posteriores (88,6%). Broncograma aéreo e calcificações no interior das massas foram observados em 70,4% e 63,8% dos casos, respectivamente. História de tuberculose foi relatada em 52% dos pacientes estudados. Conclusão: Na grande maioria dos casos as massas eram bilaterais, predominando nas regiões póstero-superiores dos pulmões, com broncogramas aéreos e calcificações de permeio. Associação com calcificações linfonodais foi um achado freqüente. A exposição a elevadas concentrações de poeira e a tuberculose foram consideradas fatores de risco para o desenvolvimento da fibrose maciça progressiva.

 


Palavras-chave: Fibrose pulmonar; Silicose; Dióxido de silício; Doenças ocupacionais; Exposição ambiental;

 

10 - Aspectos epidemiológicos da co-infecção tuberculose e vírus da imunodeficiência humana em Ribeirão Preto (SP), de 1998 a 2003

Epidemiological aspects of human immunodeficiency virus/tuberculosis co-infection in Ribeirão Preto, Brazil from 1998 to 2003

Jordana de Almeida Nogueira, Antônio Ruffino-Netto, Tereza Cristina Scatena Villa, Mellina Yamamura, Ricardo Arcencio, Roxana Isabel Cardozo-Gonzales

J Bras Pneumol.2006;32(6):529-534

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: O estudo teve como propósito caracterizar o perfil epidemiológico dos casos de tuberculose notificados em Ribeirão Preto (SP), no período de 1998 a 2003, segundo a condição sorológica para o vírus da imunodeficiência humana, sexo, faixa etária e resultado do tratamento. Métodos: Trata-se de uma investigação epidemiológica de cunho descritivo, que utilizou como instrumento de coleta de dados o banco de dados do Sistema de Informação da Tuberculose. A população do estudo constituiu-se na totalidade dos casos de co-infecção tuberculose e vírus da imunodeficiência humana, de residentes em Ribeirão Preto, notificados nos anos de 1998 a 2003. Resultados: Nesse período foram notificados 1.273 casos de tuberculose, sendo que 377 apresentaram sorologia positiva para o vírus da imunodeficiência humana, o que significou taxa de co-infecção igual a 30%. Em relação ao sexo, observou-se neste grupo que 76% dos casos notificados foram de homens, havendo predominância na faixa etária de 20 a 59 anos. Quanto ao resultado terapêutico, a média de cura alcançada foi de 52%, de abandono de 11% e de óbito de 32%. A forma clínica predominante foi a pulmonar, com 58% dos casos. Conclusão: Foi observada alta prevalência da co-infecção no município estudado, sendo nítido que a conclusão terapêutica desses casos reflete a necessidade de se adotar estratégias especiais de acompanhamento dessa clientela. Quanto ao sexo e faixa etária, o acometimento foi equivalente ao de casos de tuberculose não infectados pelo vírus da imunodeficiência humana.

 


Palavras-chave: Tuberculose; Infecções por HIV; Comorbidade

 

11 - Características da tuberculose em idosos no Recife (PE): contribuição para o programa de controle

Characteristics of elderly tuberculosis patients in Recife, Brazil: a contribution to the tuberculosis control program

Zilda do Rego Cavalcanti, Maria de Fátima Pessoa Militão de Albuquerque, Antônio Roberto Leite Campelo, Ricardo Ximenes, Ulisses Montarroyos, Marianne Karel Amaral Verçosa

J Bras Pneumol.2006;32(6):535-543

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Descrever as características demográficas, de hábitos de vida, socioeconômicas, clínico-epidemiológicas e de acesso aos serviços de saúde de idosos com tuberculose, diagnosticados e tratados no Recife (PE), e compará-las com os adultos jovens em mesmas condições. Métodos: Utilizou-se uma estratégia de análise do tipo caso-controle em uma coorte de pacientes com tuberculose, atendidos nas unidades de saúde pública do Recife no período de maio de 2001 a julho de 2003. Resultados: Foram incluídos no estudo 1.127 pacientes, 136 idosos (casos) e 991 adultos jovens (controles). Nos dois grupos o sexo prevalente foi o masculino e a forma da doença a pulmonar. O etilismo foi mais freqüente entre os controles e o analfabetismo entre os casos. Os idosos queixaram-se menos de tosse, sudorese e dor torácica. A sorologia para o vírus da imunodeficiência humana foi realizada em apenas 29 pacientes (2,6%). Os controles tiveram maior percentual de positividade nos exames de baciloscopia e cultura. Ambos os grupos tiveram que procurar mais de dois serviços de saúde e passaram-se mais de dois meses até que se fizesse o diagnóstico da doença. Os idosos tiveram maiores índices de cura e óbito, e abandonaram menos o tratamento. Conclusão: Na população estudada, os idosos apresentaram menos tosse, sudorese noturna e dor torácica, menor positividade nos exames complementares e maior mortalidade. Devem constituir um grupo com abordagem especial dos serviços de saúde pública.

 


Palavras-chave: Tuberculose; Idosos; Caso-controle; Brasil

 

12 - Causas múltiplas de morte relacionadas à tuberculose no Estado do Rio de Janeiro entre 1999 e 2001

Deaths attributed to multiple causes and involving tuberculosis in the state of Rio de Janeiro Brazil between 1999 and 2001

Augusto Hasiak Santo

J Bras Pneumol.2006;32(6):544-552

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar a mortalidade relacionada à tuberculose por meio de causas múltiplas. Métodos: Foram estudados todos os óbitos de residentes no Estado do Rio de Janeiro entre 1999 e 2001 nos quais havia menção de tuberculose na declaração de óbito. As disposições da Organização Mundial da Saúde foram usadas para caracterizar causa básica e causas associadas (não básicas) de morte. Resultados: Nas mortes por tuberculose as afecções relacionadas à sua história natural foram as principais causas associadas, além do alcoolismo e diabetes. A síndrome da imunodeficiência adquirida foi a principal causa básica em cerca de três quintos das mortes em que a tuberculose foi informada como associada. A elevada percentagem de óbitos por causas mal definidas, e os baixos números de causas informadas por declaração de óbito e de tuberculose como causa associada levam a pressupor certa subestimação de mortes relacionadas à tuberculose. Conclusão: O estudo mostra que os coeficientes de mortalidade relacionados à tuberculose, calculados pelo número de causas básicas bem como pelo total de suas menções nas declarações de óbito, são os maiores do país. A vigilância epidemiológica das mortes ocorridas, preconizada como medida para orientar as atividades do programa de controle da tuberculose, deve ser efetivada.

 


Palavras-chave: Tuberculose/mortalidade; Síndrome da imunodeficiência adquirida; Causas múltiplas de morte; Brasil

 

13 - Evolução da mortalidade por tuberculose em Fortaleza (CE), entre 1980 e 2001

Evolution of tuberculosis-related mortality in Fortaleza, Brazil from 1980 to 2001

Mônica Cardoso Façanha

J Bras Pneumol.2006;32(6):553-558

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar a evolução da mortalidade específica por tuberculose, e sua tendência em relação ao sexo e à faixa etária em Fortaleza (CE). Métodos: Trata-se de um estudo descritivo de dados secundários, em que se incluíram todos os óbitos por tuberculose de residentes em Fortaleza, computados entre 1980 e 2001 e informados ao Ministério da Saúde através do Sistema de Informação em Mortalidade. O comportamento da mortalidade por tuberculose foi comparado com o da mortalidade geral e por doenças infecciosas. As tendências dos coeficientes de mortalidade geral e por tuberculose padronizados e não padronizados segundo idade e sexo foram calculadas para o período. Resultados: As tendências dos coeficientes de mortalidade geral e por tuberculose foram decrescentes. O coeficiente de mortalidade teve tendência decrescente em crianças e adolescentes de zero a 19 anos (y = -0,0906x + 2,5133), em adultos de 20 a 59 anos (y = -0,414x + 12,29) e nos indivíduos com 60 anos e mais (y = -1,2494x + 40,289), bem como nos sexos masculino ((y = -0,3175x + 10,971) e feminino (y = -0,1933x + 6,8051). Conclusão: O coeficiente de mortalidade por tuberculose ainda se encontra elevado embora com tendência decrescente.

 


Palavras-chave: Tuberculose/mortalidade; Sistemas de informação, Prevalência

 

14 - O controle de comunicantes de tuberculose no programa de controle da tuberculose em um município de médio porte da Região Sudeste do Brasil, em 2002

Investigation of tuberculosis contacts in the tuberculosis control program of a medium-sized municipality in the southeast of Brazil in 2002

Cláudia Eli Gazetta, Antônio Ruffino Netto, José Martins Pinto Neto, Maria de Lourdes Sperli Geraldes Santos, Maria Rita de Cássia Oliveira Cury, Silvia Helena Figueiredo Vendramini, Tereza Cristina Scatena Villa

J Bras Pneumol.2006;32(6):559-565

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Este estudo tem o objetivo de descrever as ações de controle dos comunicantes de tuberculose no Programa de Controle da Tuberculose do Município de São José do Rio Preto (SP), em 2002. Métodos: Estudo descritivo, utilizando dados secundários do Sistema de Informação de Notificação de Tuberculose, prontuários e planilhas de registros do programa de controle da tuberculose. Resultados: Estavam inscritos no programa 166 comunicantes intradomiciliares de tuberculose em 2002, sendo 82 do sexo masculino e 84 do feminino, com maior incidência de casos na faixa etária de 15 e 59 anos (70%); 42 tinham entre 0 e 19 anos (25,3%), 73 entre 20 e 49 anos (44%), e 44 tinham 50 anos ou mais (25,5%). Quanto ao grau de parentesco, 41 eram filhos, 29 companheiros, 22 irmãos e 15 mães do paciente índice. Com relação aos exames solicitados, observou-se que: 12% realizaram baciloscopia e/ou cultura; 100% realizaram radiografia de tórax, e destes, 2 apresentaram suspeita de tuberculose pulmonar e 5 outras afecções; 7,2% realizaram prova tuberculínica, com 4,2% de não reatores e 1,2% com enduração igual a 8 mm. Dos comunicantes examinados, 3 tiveram a doença detectada (1,8%). Conclusão: O serviço mostrou que não há uma sistematização em relação ao monitoramento do controle dos comunicantes de pacientes com tuberculose.

 


Palavras-chave: Tuberculose/mortalidade; Sistemas de informação, Prevalência

 

15 - Ocorrência de tuberculose em um hospital psiquiátrico do interior de Goiás

Tuberculosis in a Psychiatric Hospital in the state of Goiás, Brazil

Hindenburg Cruvinel Guimarães da Costa, Ana Carolina Malaspina, Fernando Augusto Fiúza de Mello, Clarice Queico Fujimura Leite

J Bras Pneumol.2006;32(6):566-572

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Investigar a prevalência de infecção, doença e eventual surto institucional de tuberculose em um hospital psiquiátrico empregando teste tuberculínico, pesquisa de micobactéria em material da árvore respiratória e técnica de rastreamento molecular baseada na seqüência IS6110. Métodos: Durante o período de fevereiro a agosto de 2002, foi realizado teste tuberculínico entre os 74 internos e os 31 funcionários de um hospital psiquiátrico na Cidade de Rio Verde (GO), pesquisa de Mycobacterium tuberculosis em material da árvore respiratória dos pacientes e estudo do perfil genético pelo método restriction fragment length polymorphism - IS6110. Resultados: Micobactérias foram isoladas de 5 pacientes analisados (6,8 %), sendo em quatro M. tuberculosis e em um M. chelonae. Os isolados de M. tuberculosis foram sensíveis a isoniazida e rifampicina e, através da técnica restriction fragment length polymorphism - IS6110, apresentaram perfis genéticos únicos, totalmente distintos uns dos outros, indicando que os casos de tuberculose encontrados eram decorrentes de reativação endógena, não sendo possível caracterizá-los como um surto institucional. Através da realização do teste tuberculínico em dois passos nos pacientes, verificaram-se taxas de infecção de 23% e 31%. Entre os funcionários a taxa foi de 42%, não tendo sido realizada entre estes a repetição do teste. Conclusão: Os resultados indicaram uma incidência considerável de tuberculose infecção entre os pacientes e funcionários, sendo também elevada a ocorrência de tuberculose doença entre os pacientes.

 


Palavras-chave: Tuberculose/epidemiologia; Mycobacterium tuberculosis; Hospitais psiquiátricos; Teste tuberculinico;

 

Artigo de Revisão

16 - A influência da genética na dependência tabágica e o papel da farmacogenética no tratamento do tabagismo

The influence of genetics on nicotine dependence and the role of pharmacogenetics in treating the smoking habit

José Miguel Chatkin

J Bras Pneumol.2006;32(6):573-579

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Mesmo com os esforços intensivos para o controle do tabagismo nas últimas décadas, uma proporção substancial de pessoas inicia a fumar ou mantém-se fumando apesar do pleno conhecimento dos malefícios do hábito. Os estudos têm focado atualmente as bases genéticas da adição nicotínica. O tabagismo tem sido associado a vários polimorfismos genéticos, mas os fatores ambientais também devem ser enfatizados. Esta revisão apresenta alguns dos principais dados disponíveis dos estudos genéticos sobre o comportamento tabágico. Esta linha de pesquisa poderá, no futuro, ajudar os clínicos a individualizar o tipo, a dosagem e a duração do tratamento da dependência tabágica, conforme o genótipo de cada fumante, maximizando a eficácia do esquema proposto.

 


Palavras-chave: Tabagismo; Abandono do uso do tabaco; Nicotina; Transtorno por uso de tabaco

 

17 - Funcionalidade do paciente com doença pulmonar obstrutiva crônica e técnicas de conservação de energia

Functionality of patients with chronic obstructive pulmonary disease: energy conservation techniques

Marcelo Velloso, José Roberto Jardim

J Bras Pneumol.2006;32(6):580-586

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A doença pulmonar obstrutiva crônica é progressiva, debilitante e diagnosticada após longa história de piora gradual. A dispnéia é o sintoma que mais interfere na execução das atividades profissionais, familiares, sociais e da vida diária dos pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica, levando-os ao sedentarismo e à queda na qualidade de vida. O objetivo deste artigo é abordar as limitações funcionais a que esses pacientes estão sujeitos, durante a realização de suas atividades da vida diária, e orientações para que os profissionais da saúde possam cuidar desses pacientes a fim de que obtenham uma maior funcionalidade. As orientações sobre o uso das técnicas de conservação de energia vêm sendo utilizadas nos programas de reabilitação pulmonar e também deveriam ser difundidas nos ambulatórios e hospitais. As atividades funcionais humanas envolvem as pernas e os braços, sendo estes últimos utilizados extensivamente para realizar atividades simples e complexas do cotidiano. Alguns estudos mostraram que os exercícios de braço não sustentados causam assincronia toracoabdominal e dispnéia em tempo mais curto e com menor consumo de oxigênio quando comparados com os exercícios de pernas. Tarefas simples podem apresentar consumo de oxigênio e ventilação minuto altos, justificando a sensação de dispnéia relatada pelos pacientes. Devido a isso, é conveniente adotar uma avaliação do impacto da incapacidade sobre a vida diária dos pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica. São discutidas e indicadas as técnicas de conservação de energia apropriadas como ferramenta para minimizar o desconforto desses pacientes.

 


Palavras-chave: Doença pulmonar obstrutiva crônica/reabilitação; Atividades cotidianas; Metabolismo energético;

 

Relato de Caso

18 - Associação de bronquiolite obliterante pós-infecciosa e hemossiderose pulmonar na infância

Postinfectious bronchiolitis obliterans accompanied by pulmonary hemosiderosis in childhood

Leonardo Araújo Pinto, Anick Oliveira, Sintia Collaziol, Paulo Márcio Pitrez, Marcus Jones, João Carlos Prolla, Marisa Dolhnikoff, Renato T. Stein

J Bras Pneumol.2006;32(6):587-591

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Descreve-se uma apresentação rara de bronquiolite obliterante associada a hemossiderose pulmonar, em paciente de nove anos com sintomas respiratórios persistentes iniciados após episódio de bronquiolite aguda grave aos sete meses. Após o episódio agudo, apresentou sintomas respiratórios persistentes, piorando significativamente aos sete anos, quando começou a apresentar dificuldade respiratória em pequenos esforços. A tomografia computadorizada de tórax demonstrou achados compatíveis com bronquiolite obliterante. A biópsia pulmonar a céu aberto demonstrou numerosos macrófagos corados com hemossiderina, além dos achados compatíveis com bronquiolite obliterante. O diagnóstico de hemossiderose pulmonar pode estar ocasionalmente associado a bronquiolite obliterante em crianças com seqüela pós-viral grave.

 


Palavras-chave: Lavagem broncoalveolar; Bronquiolite obliterante; Hemossiderose; Relatos de casos [Tipo de publicação]

 

19 - Nocardiose pulmonar e cutânea em paciente usuário de corticosteróide

Pulmonary and cutaneous nocardiosis in a patient treated with corticosteroids

Bruno Guedes Baldi, Alfredo Nicodemos Cruz Santana, Teresa Yae Takagaki

J Bras Pneumol.2006;32(6):592-595

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Nocardiose é a infecção localizada ou disseminada causada por bactérias gram positivas do gênero Nocardia. Acomete mais freqüentemente pulmão, pele e sistema nervoso central. Ocorre principalmente em indivíduos com deficiência de imunidade celular e deve ser investigada principalmente quando se tem associação de manifestações respiratórias, cutâneas e neurológicas nesse grupo de pacientes. Relata-se um caso de nocardiose pulmonar e cutânea em paciente usuário de corticosteróide oral para tratamento de bronquiolite obliterante com pneumonia em organização idiopática, que evoluiu com melhora clínico-radiológica após tratamento prolongado com sulfametoxazol-trimetoprim.

 


Palavras-chave: Nocardiose; Pneumopatias; Bronquiolite obliterante; Corticosteróides; Relatos de casos [Tipo de publicação]

 

20 - Pneumonia lipóide exógena: importância da história clínica no diagnóstico

Exogenous lipoid pneumonia: importance of clinical history to the diagnosis

Alfredo Pereira Leite de Albuquerque Filho

J Bras Pneumol.2006;32(6):596-598

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A pneumonia lipóide é uma doença rara, resultante da microaspiração de formulações lipídicas. Para seu diagnóstico, o grau de suspeição clínica deve ser elevado. Relata-se o caso de uma mulher com passado de câncer de mama, apresentando dispnéia e tosse progressivas e infiltrado pulmonar bilateral na radiografia. A suspeita de linfangite carcinomatosa com indicação de quimioterapia foi questionada por achados não usuais na tomografia computadorizada de alta resolução e história de ingestão crônica de laxantes contendo óleo mineral. A biópsia pulmonar confirmou pneumonia lipóide, que deve ser considerada em pacientes com pneumopatia difusa e exposição a potenciais agentes causadores.

 


Palavras-chave: Pneumonia lipóide; Tomografia computadorizada por raios x; Óleo mineral; Relatos de Casos

 

21 - Quilotórax espontâneo associado a atividade física leve

Spontaneous chylothorax associated with light physical activity

José Carlos Miranda Torrejais, Carolina Borges Rau, João Adriano de Barros, Márcia Miranda Torrejais

J Bras Pneumol.2006;32(6):599-602

Resumo PDF PT PDF EN English Text

O quilotórax ocorre quando há ruptura, laceração ou obstrução do ducto torácico, com liberação de quilo no espaço pleural. Pode acontecer em malformações linfáticas congênitas, linfomas, tumores de mediastino, doenças infecciosas, procedimentos cirúrgicos, traumas automobilísticos, ou ser idiopático. Apresenta sinais clínicos de dispnéia, hipotensão, edema generalizado e cianose. O diagnóstico geralmente é feito por toracocentese e o tratamento é conservador. O quilotórax espontâneo é uma condição incomum de derrame pleural, e somente é hipótese diagnóstica após a exclusão das demais causas. Descrevemos um caso de quilotórax espontâneo associado a atividade física leve em academia de ginástica.

 


Palavras-chave: Quilotórax; Derrame pleural; Atividade motora; Relato de Casos [Tipo de publicação]

 

Cartas ao Editor

22 - Dispositivos intra-traqueais: próteses ou órteses?

Intratracheal stent: prosthesis or orthesis?

Ricardo Mingarini Terra, Helio Minamoto, Fabio Biscegli Jatene

J Bras Pneumol.2006;32(6):606-607

PDF PT PDF EN English Text


Índice Remissivo de Assuntos

23 - Índice Remissivo de Assuntos do V.32 (1-6)

J Bras Pneumol.2006;32(6):608-611

PDF PT


Palavras-chave:

 

Índice Remissivo de Autores

24 - Índice Remissivo de Autores V.32 (1-6)

J Bras Pneumol.2006;32(6):612-615

PDF PT


Relação de Revisores

26 - Revisores

J Bras Pneumol.2006;32(6):616-618

PDF PT


 


O Jornal Brasileiro de Pneumologia está indexado em:

Latindex Lilacs SciELO PubMed ISI Scopus Copernicus pmc

Apoio

CNPq, Capes, Ministério da Educação, Ministério da Ciência e Tecnologia, Governo Federal, Brasil, País Rico é País sem Pobreza
Secretaria do Jornal Brasileiro de Pneumologia
SCS Quadra 01, Bloco K, Salas 203/204 Ed. Denasa. CEP: 70.398-900 - Brasília - DF
Fone/fax: 0800 61 6218/ (55) (61) 3245 1030/ (55) (61) 3245 6218
E-mails: jbp@jbp.org.br
jpneumo@jornaldepneumologia.com.br

Copyright 2017 - Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia

Logo GN1