Jornal Brasileiro de Pneumologia

ISSN (on-line): 1806-3756

ISSN (impressa): 1806-3713

Busca avançada

Ano 2017 - Volume 43  - Número 1  (Janeiro/Fevereiro)

App

Editorial

1 - Como a anemia pode influenciar negativamente as trocas gasosas?

How can anemia negatively influence gas exchange?

Roberta Pulcheri Ramos1

J Bras Pneumol.2017;43(1):1-2

PDF PT PDF EN English Text


2 - Busca pela terapia personalizada para o tabagismo

The search for individualized smoking cessation therapy

Ilka Lopes Santoro1

J Bras Pneumol.2017;43(1):3

PDF PT PDF EN English Text


Educação continuada: Imagem

3 - Sinal do halo

The halo sign

Edson Marchiori1,2, Bruno Hochhegger3,4, Gláucia Zanetti2,5

J Bras Pneumol.2017;43(1):4

PDF PT PDF EN English Text


Educação Continuada: Metodologia Científica

4 - Tipos de desfecho em pesquisa clínica

Types of outcomes in clinical research

Juliana Carvalho Ferreira1,2, Cecilia Maria Patino1,3

J Bras Pneumol.2017;43(1):5

PDF PT PDF EN English Text


Artigo Original

5 - Tabagismo em mulheres profissionais do sexo: prevalência e variáveis associadas

Smoking among female sex workers: prevalence and associated variables

Ligia Lopes Devóglio1, José Eduardo Corrente2, Maria Helena Borgato3, Ilda de Godoy3

J Bras Pneumol.2017;43(1):6-13

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar a prevalência de tabagismo e variáveis associadas em mulheres profissionais do sexo (MPS). Métodos: Estudo de corte transversal quantitativo com MPS na cidade de Botucatu (SP), as quais completaram um questionário sociodemográfico, incluindo informações sobre tabagismo, estágio motivacional para cessação do tabagismo e grau de dependência da nicotina, assim como a Escala de Estresse Percebido e a Escala Hospitalar de Ansiedade e Depressão. Resultados: Foram incluídas 83 MPS. A média de idade foi de 26,8 anos. Entre as participantes, 58 (69,8%) possuíam pelo menos o ensino médio, apenas 26 (31,3%) residiam em Botucatu, 59 (71,1%) eram fumantes, 5 (6,0%) eram ex-fumantes, 74 (89,2%) faziam uso de bebidas alcoólicas e 43 (51,8%) faziam uso de algum tipo de drogas. A maioria foi classificada com grau de estresse médio, 51 (61,4%) apresentaram nível de ansiedade possível ou provável, e 57 (68,7%) tiveram resultado improvável para depressão. O nível de dependência da nicotina foi elevado entre as fumantes. Dessas, a maioria não tinha intenção de parar de fumar. Houve associações do tabagismo com o consumo de drogas ilícitas (p = 0,0271) e com o uso de bebidas alcoólicas (p < 0,0001); porém, não houve associações do tabagismo com as questões de humor e nem da idade da iniciação tabágica com o tempo que trabalhavam como MPS (p = 0,4651). Conclusões: A prevalência de tabagismo entre as MPS estudadas se mostrou muito elevada quando comparada à da média nacional de mulheres (8,3%). Evidenciou-se que MPS estão expostas a diversos fatores de risco inerentes da própria profissão, sendo a redução de danos uma estratégia importante a ser trabalhada.

 


Palavras-chave: Mulheres; Hábito de fumar; Profissionais do sexo; Prevalência; Fatores de risco.

 

6 - Utilização de cateter pleural de longa permanência para o tratamento definitivo de derrame pleural neoplásico

Use of indwelling pleural catheters for the definitive treatment of malignant pleural effusion

Fernando Conrado Abrão1,2, Igor Renato Louro Bruno de Abreu1,2, Maria Gabriela Cavalcanti1, José Franklin Soares Pompa-Filho1

J Bras Pneumol.2017;43(1):14-17

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar a segurança e a viabilidade do uso de cateter pleural de longa permanência (CPLP) em pacientes com derrame pleural neoplásico (DPN). Métodos: Dados referentes a pacientes com DPN que receberam CPLP entre janeiro de 2014 e julho de 2015 foram colhidos prospectivamente. Todos os pacientes que receberam CPLP tinham expectativa de vida > 30 dias, em conformidade com as diretrizes de tratamento de DPN da Sociedade Torácica Britânica. Foram colhidos dados sobre sexo, idade, índice de massa corporal, local do câncer primário, tempo de drenagem com o CPLP, complicações relacionadas com o CPLP, tempo de internação hospitalar, recidiva do derrame pleural e ocorrência de pleurodese espontânea. Resultados: Dezenove pacientes receberam CPLP durante o período de estudo. A mediana de sobrevida global após a inserção do CPLP foi de 145 dias. A mediana de tempo de acompanhamento dos pacientes sobreviventes foi de 125 dias (variação: 53-485 dias), e a mediana de tempo decorrido entre a inserção e a remoção do cateter foi de 31 dias (variação: 2-126 dias). Houve complicações relacionadas com o CPLP em 5 pacientes (26,2%) e pleurodese espontânea em 8 (42,0%). Nesses 8 pacientes, o CPLP foi retirado entre os dias 30 e 126 em 4, e a pleurodese espontânea ocorreu nos primeiros 30 dias em 4. Conclusões: O uso de CPLP parece ser viável e seguro em pacientes com DPN.

 


Palavras-chave: Derrame pleural maligno; Sobrevivência; Cuidados paliativos.

 

7 - Sobrecarga do cuidador familiar: a sobrecarga de cuidar de pacientes com câncer de pulmão, de acordo com o estágio do câncer e a qualidade de vida do paciente

Family caregiver burden: the burden of caring for lung cancer patients according to the cancer stage and patient quality of life

Eliana Lourenço Borges1, Juliana Franceschini1, Luiza Helena Degani Costa1, Ana Luisa Godoy Fernandes1, Sérgio Jamnik1, Ilka Lopes Santoro1

J Bras Pneumol.2017;43(1):18-23

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Pacientes com câncer de pulmão vivenciam diferentes sentimentos e reações, dependendo de sua formação familiar, social, cultural e religiosa, que são fonte de grande sofrimento, não só para os pacientes mas também para seus cuidadores familiares. Este estudo objetivou avaliar o impacto do estágio do câncer de pulmão e da qualidade de vida (QV) dos pacientes com câncer de pulmão na sobrecarga do cuidador. Métodos: Estudo prospectivo transversal. Díades paciente-cuidador foram selecionadas consecutivamente e solicitadas a preencher a Hospital Anxiety and Depression Scale e o Medical Outcomes Study 36-item Short-Form Health Survey (SF-36). Os cuidadores familiares também preencheram a Caregiver Burden Scale. Utilizou-se a modelagem de grupos para identificar pacientes com câncer em estágio inicial ou avançado (IA a IIIA vs. IIIB a IV) mais QV não comprometida ou comprometida (pontuação total no SF-36 > 50 vs. ≤ 50). As díades paciente-cuidador foram estratificadas em quatro grupos: câncer em estágio inicial+QV não comprometida; câncer em estágio avançado+QV não comprometida; câncer em estágio inicial+QV comprometida; e câncer em estágio avançado+QV comprometida. Resultados: Foram incluídas 91 díades paciente-cuidador. A maioria dos pacientes era do sexo masculino e grande fumante. Os cuidadores familiares eram mais jovens e predominantemente do sexo feminino. A sobrecarga, QV, nível de ansiedade e nível de depressão dos cuidadores foram mais afetados pela QV dos pacientes do que pelo estágio do câncer de pulmão. Os cuidadores familiares dos pacientes com QV comprometida apresentaram maior mediana de sobrecarga do que os dos pacientes com QV não comprometida, independentemente do estágio da doença. Conclusões: A sobrecarga do cuidador é mais afetada pela QV do paciente do que pelo estágio do câncer de pulmão.

 


Palavras-chave: Neoplasias pulmonares; Qualidade de vida; Cuidadores; Ansiedade; Depressão; Efeitos psicossociais da doença.

 

8 - Tendências da mortalidade da asma nas faixas etárias de 0 a 4 anos e 5 a 34 anos no Brasil

Trends in asthma mortality in the 0- to 4-year and 5- to 34-year age groups in Brazil

Gustavo Silveira Graudenz1,2, Dominique Piacenti Carneiro1, Rodolfo de Paula Vieira1

J Bras Pneumol.2017;43(1):24-31

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Apresentar uma atualização das tendências da mortalidade da asma no Brasil em duas faixas etárias: 0-4 anos e 5-34 anos. Métodos: Dados relativos ao período de 1980 a 2014 referentes à mortalidade da asma, conforme se definiu na Classificação Internacional de Doenças, foram extraídos Sistema de Informação sobre Mortalidade do Departamento de Tecnologia da Informação do Sistema Único de Saúde. Para analisar as tendências temporais das taxas padronizadas de mortalidade da asma, realizou-se um estudo ecológico de séries temporais com modelos de regressão para as faixas etárias de 0 a 4 anos e 5 a 34 anos. Resultados: Houve uma tendência linear de redução da mortalidade da asma em ambas as faixas etárias e uma tendência polinomial de terceira ordem na população geral. Conclusões: Embora a mortalidade da asma tenha apresentado redução linear consistente em indivíduos com idade ≤ 34 anos, a taxa de declínio foi maior na faixa etária de 0 a 4 anos. A faixa etária de 5 a 34 anos também apresentou redução linear da mortalidade, e essa redução tornou-se mais pronunciada após o ano de 2004, quando o tratamento com corticosteroides inalatórios tornou-se mais amplamente disponível. A redução linear da mortalidade da asma em ambas as faixas etárias contrasta com a tendência não linear observada na população geral do Brasil. A introdução do uso de corticosteroides inalatórios por meio de políticas públicas de controle da asma coincidiu com uma diminuição significativa das taxas de mortalidade da asma em ambos os subgrupos de indivíduos com mais de 5 anos de idade. As causas dessa redução da mortalidade da asma em faixas etárias mais jovens ainda são objeto de debate.

 


Palavras-chave: Asma/epidemiologia; Asma/mortalidade; Asma/quimioterapia.

 

9 - Relação da mobilidade diafragmática com função pulmonar, força muscular respiratória, dispneia e atividade física de vida diária em pacientes com DPOC

Diaphragmatic mobility: relationship with lung function, respiratory muscle strength, dyspnea, and physical activity in daily life in patients with COPD

Flávia Roberta Rocha1, Ana Karla Vieira Brüggemann1, Davi de Souza Francisco1, Caroline Semprebom de Medeiros1, Danielle Rosal2, Elaine Paulin1

J Bras Pneumol.2017;43(1):32-37

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar a relação da mobilidade diafragmática com a função pulmonar, força muscular respiratória, dispneia e atividade física de vida diária (AFVD) em pacientes com DPOC. Métodos: Foram avaliados 25 pacientes com diagnóstico de DPOC, classificados de acordo com critérios da Global Initiative for Chronic Obstructive Lung Disease, e 25 indivíduos saudáveis. Todos foram submetidos às seguintes avaliações: mensuração antropométrica, espirometria, força muscular respiratória, mobilidade diafragmática (por radiografia), AFVD e percepção de dispneia. Resultados: No grupo DPOC, houve correlações da mobilidade diafragmática com variáveis de função pulmonar, força muscular inspiratória e percepção de dispneia. Não houve correlações da mobilidade diafragmática com força muscular expiratória e AFVD. Conclusões: A mobilidade diafragmática parece estar associada tanto com a obstrução das vias aéreas quanto com a hiperinsuflação pulmonar em pacientes com DPOC, assim como com a capacidade ventilatória e percepção de dispneia, mas não com AFVD.

 


Palavras-chave: Doença pulmonar obstrutiva crônica; Diafragma; Espirometria; Dispneia e Pressões respiratórias máximas.

 

10 - Comprometimento da função pulmonar após tratamento para tuberculose: o resultado final da doença?

Impaired pulmonary function after treatment for tuberculosis: the end of the disease?

Mikhail Ivanovich Chushkin1,2, Oleg Nikolayevich Ots1

J Bras Pneumol.2017;43(1):38-43

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar a prevalência de alterações da função pulmonar e investigar os fatores que afetam a função pulmonar em pacientes tratados para tuberculose pulmonar. Métodos: Um total de 214 pacientes consecutivos (132 homens e 82 mulheres; 20-82 anos de idade), tratados para tuberculose pulmonar e acompanhados em um dispensário local, foi submetido a espirometria e pletismografia pelo menos um ano após o tratamento. Resultados: O comprometimento pulmonar estava presente em 102 (47,7%) dos 214 pacientes avaliados. A alteração funcional mais comum foi o distúrbio ventilatório obstrutivo (observado em 34,6%). Dos 214 pacientes, 60 (28,0%) apresentaram função pulmonar reduzida (VEF1 abaixo do limite inferior de normalidade). Os fatores de risco para função pulmonar reduzida foram tuberculose pulmonar com cultura positiva no passado, idade acima de 50 anos, recidiva de tuberculose e menor nível de escolaridade. Conclusões: Quase metade de todos os pacientes com tuberculose evolui com comprometimento da função pulmonar. Isso reforça a necessidade de testes de função pulmonar após o término do tratamento.

 


Palavras-chave: Testes de função respiratória; Tuberculose pulmonar; Espirometria; Pneumopatias obstrutivas.

 

11 - Fenótipos de asma em crianças e adolescentes de baixa renda: análise de agrupamentos

Phenotypes of asthma in low-income children and adolescents: cluster analysis

Anna Lucia Barros Cabral1, Andrey Wirgues Sousa1,2, Felipe Augusto Rodrigues Mendes2, Celso Ricardo Fernandes de Carvalho2

J Bras Pneumol.2017;43(1):44-50

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Estudos que caracterizam fenótipos de asma predominantemente incluem adultos ou foram realizados em crianças e adolescentes de países desenvolvidos; portanto, sua aplicabilidade em outras populações, tais como as de países em desenvolvimento, permanece indeterminada. Nosso objetivo foi determinar como crianças e adolescentes asmáticas de baixa renda no Brasil são distribuídos através de uma análise de clusters. Métodos: Foram incluídos 306 crianças e adolescentes (6-18 anos de idade) com diagnóstico clínico de asma e sob tratamento médico por pelo menos um ano de acompanhamento. No momento da inclusão, todos os pacientes estavam clinicamente estáveis. Vinte variáveis comumente determinadas na prática clínica e consideradas importantes na definição dos fenótipos de asma foram selecionadas para a análise de clusters. As variáveis com alta multicolinearidade foram excluídas. Uma análise de clusters foi realizada utilizando-se um teste aglomerativo em duas etapas e log-likelihood distance measure. Resultados: Três clusters foram definidos para nossa população. O cluster 1 (n = 94) incluiu indivíduos com função pulmonar normal, inflamação eosinofílica leve, poucas exacerbações, início mais tardio da asma e atopia leve. O cluster 2 (n = 87) incluiu pacientes com função pulmonar normal, número moderado de exacerbações, início precoce da asma, inflamação eosinofílica mais grave e atopia moderada. O cluster 3 (n = 108) incluiu pacientes com função pulmonar ruim, exacerbações frequentes, inflamação eosinofílica e atopia graves. Conclusões: A asma foi caracterizada por presença de atopia, número de exacerbações e função pulmonar em crianças e adolescentes de baixa renda no Brasil. As muitas semelhanças entre esta e outras análises de clusters de fenótipos indicam que essa abordagem apresenta boa generalização.

 


Palavras-chave: Asma/classificação; Asma/etiologia; Criança; Adolescente.

 

Comunicação Breve

12 - Relação da tuberculose com multimorbidade e redes sociais

Association of tuberculosis with multimorbidity and social networks

Hiram Valenzuela-Jiménez1, Edgar Fabian Manrique-Hernández2, Alvaro Javier Idrovo2

J Bras Pneumol.2017;43(1):51-53

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A combinação de tuberculose e outras doenças pode afetar o tratamento da tuberculose nas populações. No presente estudo, a análise de redes sociais de dados extraídos do Sistema Nacional de Vigilância Epidemiológica do México foi usada para explorar as relações entre o número de contatos e a multimorbidade. O grau do nó foi calculado para cada indivíduo com tuberculose e incluiu informações a respeito de 242 contatos sem tuberculose. A multimorbidade foi identificada em 49,89% dos indivíduos. Os maiores graus dos nós foram os referentes a indivíduos com tuberculose + infecção pelo HIV (p < 0,04), e os menores foram os referentes a indivíduos com tuberculose + edema pulmonar (p < 0,07). A análise de redes sociais deve ser usada como método-padrão para monitorar a tuberculose e a sindemia relacionada com a tuberculose.

 


Palavras-chave: Tuberculose/epidemiologia; HIV; Nutrição em saúde pública.

 

Série de Casos

13 - Manifestações respiratórias na doença de Pompe de início tardio: uma série de casos no Brasil

Respiratory manifestations in late-onset Pompe disease: a case series conducted in Brazil

Bruna de Souza Sixel1,2, Luanda Dias da Silva3, Nicolette Celani Cavalcanti4, Glória Maria Cardoso de Andrade Penque5, Sandra Lisboa3, Dafne Dain Gandelman Horovitz6, Juan Clinton Llerena Jr6

J Bras Pneumol.2017;43(1):54-59

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Descrever a função respiratória em uma série de pacientes com doença de Pompe de início tardio após o diagnóstico definitivo e antes do início do tratamento através de terapia de reposição enzimática. Métodos: Estudo transversal em pacientes com diagnóstico molecular de doença de Pompe de início tardio. As informações analisadas incluíram idade ao início dos sintomas e ao diagnóstico, tipo de sintoma inicial, tempo entre início dos sintomas e diagnóstico, CVF em posição sentada e supina, distância percorrida no teste de caminhada de seis minutos e capacidade de locomoção. Análises por frequência, mediana, valor mínimo e valor máximo foram realizadas. Resultados: Foram incluídos seis pacientes no estudo. A mediana de idade ao início dos sintomas foi de 15 anos (variação, 13-50 anos) e a de idade ao diagnóstico foi de 39,5 anos (variação, 10-63 anos). A mediana de tempo entre o início dos sintomas e a confirmação diagnóstica foi de 8 anos (variação, 0-45 anos). A manifestação inicial da doença foi de sintomas motores de fraqueza muscular em todos os casos. As medianas da CVF em porcentagem do previsto (CVF%) em posição sentada, em supino e ΔCVF% foram de, respectivamente, 71,0% (variação, 22,9-104,6%), 58,0% (variação, 10,9-106,9%) e 24,5% (−4,59 a 52,40%). A mediana da distância percorrida no teste de caminhada de seis minutos foi de 391,7 m (variação, 97-702 m). Conclusões: Nesta série, o tempo entre o início dos sintomas e o diagnóstico foi longo. A manifestação inicial da doença não foi de sinais ou sintomas respiratórios, embora 66,7% dos pacientes apresentassem redução da CVF% em posição sentada e em supino no momento do diagnóstico.

 


Palavras-chave: Doença de depósito de glicogênio tipo II; Testes de função respiratória; Músculos respiratórios/patologia.

 

Artigo de Revisão

14 - Suporte respiratório extracorpóreo em pacientes adultos

Extracorporeal respiratory support in adult patients

Thiago Gomes Romano1,3, Pedro Vitale Mendes2,3, Marcelo Park2, Eduardo Leite Vieira Costa3,4

J Bras Pneumol.2017;43(1):60-70

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Em pacientes com insuficiência respiratória grave (hipoxêmica ou hipercápnica), o suporte somente com ventilação mecânica pode ser insuficiente para suas necessidades, especialmente quando se tenta evitar o uso de parâmetros ventilatórios que possam causar danos aos pulmões. Nesses pacientes, extracorporeal membrane oxygenation (ECMO, oxigenação extracorpórea por membrana), que também é muito eficaz na remoção de dióxido de carbono do sangue, pode manter a vida, permitindo o uso de ventilação pulmonar protetora. No presente artigo de revisão, objetivamos explorar alguns dos aspectos mais relevantes do suporte respiratório por ECMO. Discutimos a história do suporte respiratório por ECMO em adultos; evidências clínicas; custos; indicações; instalação do equipamento; parâmetros ventilatórios; cuidado diário do paciente e do sistema; solução de problemas comuns; desmame e descontinuação.

 


Palavras-chave: Oxigenação por membrana extracorpórea; Síndrome do desconforto respiratório do adulto; Anóxia; Hipercapnia.

 

Imagens em Pneumologia

15 - Angiossarcoma epitelioide primário da parede torácica complicando um fibrotórax calcificado e simulando empiema necessitatis

Primary epithelioid angiosarcoma of the chest wall complicating calcified fibrothorax and mimicking empyema necessitatis

Luis Gorospe1, Ana Patricia Ovejero-Díaz2, Amparo Benito-Berlinches3

J Bras Pneumol.2017;43(1):71

PDF PT PDF EN English Text


Relato de Caso

16 - Fibroelastose pleuroparenquimatosa: relato de dois casos no Brasil

Pleuroparenchymal fibroelastosis: report of two cases in Brazil

Paula Silva Gomes1, Christina Shiang2, Gilberto Szarf3, Ester Nei Aparecida Martins Coletta4,5, Carlos Alberto de Castro Pereira6

J Bras Pneumol.2017;43(1):72-75

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A fibroelastose pleuroparenquimatosa (FEPP) é uma doença pulmonar rara, podendo ser idiopática ou associada a diversas condições. Pelo que sabemos, este é o primeiro relato de dois casos de FEPP no Brasil. Nosso primeiro paciente apresentava fibrose pleural e subpleural nos lobos superiores, um nódulo espiculado no lobo superior esquerdo e um padrão reticular discreto nos lobos inferiores. A biópsia pulmonar cirúrgica demonstrou FEPP nos lobos superiores, incluindo no nódulo, e pneumonia intersticial não classificada no lobo inferior esquerdo. Nosso segundo paciente tinha história de exposição a aves domésticas, indicando um risco de pneumonite de hipersensibilidade, e doença pulmonar avançada predominando em lobos superiores, com fibrose subpleural. Esse paciente foi submetido a transplante pulmonar. No espécime do explante, FEPP e granulomas foram identificados, sugerindo pneumonite de hipersensibilidade como causa associada.

 


Palavras-chave: Doenças pulmonares intersticiais/diagnóstico; Doenças pulmonares intersticiais/etiologia; Alveolite alérgica extrínseca.

 

Correspondência

17 - Correspondência sobre o artigo - Ecobroncoscopia radial para o diagnóstico de lesões pulmonares periféricas

Correspondence about the article - Radial-probe EBUS for the diagnosis of peripheral pulmonary lesions

Juliana Guarize1, Stefano Donghi1, Maurício Guidi Saueressig1,2,3

J Bras Pneumol.2017;43(1):76

PDF PT PDF EN English Text


Resposta do autor

18 - Resposta dos autores

Authors' reply

Marcia Jacomelli1, Sergio Eduardo Demarzo1, Paulo Francisco Guerreiro Cardoso2, Addy Lidvina Mejia Palomino1, Viviane Rossi Figueiredo1

J Bras Pneumol.2017;43(1):77

PDF PT PDF EN English Text


Errata

19 - Errata: Ecobroncoscopia radial para o diagnóstico de lesões pulmonares periféricas.

Erratum: Radial-probe EBUS for the diagnosis of peripheral pulmonary lesions.

Marcia Jacomelli1, Sergio Eduardo Demarzo1, Paulo Francisco Guerreiro Cardoso2, Addy Lidvina Mejia Palomino1, Viviane Rossi Figueiredo1

J Bras Pneumol.2017;43(1):78-79

PDF PT PDF EN English Text


20 - Errata: Fatores associados à qualidade de vida sob a perspectiva da terapia medicamentosa em pacientes com asma grave.

Erratum: Factors associated with quality of life in patients with severe asthma: the impact of pharmacotherapy.

Daiane Silva Souza1 Lúcia de Araújo Costa Beisl Noblat2 Pablo de Moura Santos1

J Bras Pneumol.2017;43(1):80

PDF PT PDF EN English Text


Ano 2017 - Volume 43  - Número 2  (Março/Abril)

App

Editorial

1 - Termografia como ferramenta de monitorização do acoplamento da máscara de ventilação não invasiva à pele subjacente

Thermography as a tool for monitoring the interface between the noninvasive ventilation mask and the skin

Bruno do Valle Pinheiro1

J Bras Pneumol.2017;43(2):81-82

PDF PT PDF EN English Text


2 - Modelo murino de enfisema induzido por elastase e fumaça de cigarro: uma oportunidade para entender o enfisema na TC em seres humanos?

A murine model of elastase- and cigarette smoke-induced emphysema: is it an opportunity to understand CT emphysema in humans?

Alfredo Nicodemos Cruz Santana1

J Bras Pneumol.2017;43(2):83-84

PDF PT PDF EN English Text


Educação continuada: Imagem

3 - Nódulos múltiplos escavados

Multiple cavitated nodules

Edson Marchiori1, Bruno Hochhegger2,3, Gláucia Zanetti1

J Bras Pneumol.2017;43(2):85

PDF PT PDF EN English Text


Educação Continuada: Metodologia Científica

4 - Escores de propensão: uma ferramenta para ajudar a quantificar os efeitos de tratamento em estudos observacionais

Propensity scores: a tool to help quantify treatment effects in observational studies

Cecilia Maria Patino1,2 Juliana Carvalho Ferreira,1,3

J Bras Pneumol.2017;43(2):86

PDF PT PDF EN English Text


Artigo Original

5 - Influência do modo ventilatório nos efeitos adversos agudos e na termografia da face após ventilação não invasiva

Influence of the ventilatory mode on acute adverse effects and facial thermography after noninvasive ventilation

Suzy Maria Montenegro Pontes1, Luiz Henrique de Paula Melo2, Nathalia Parente de Sousa Maia3, Andrea da Nóbrega Cirino Nogueira3, Thiago Brasileiro Vasconcelos4, Eanes Delgado Barros Pereira5, Vasco Pinheiro Diógenes Bastos3, Marcelo Alcantara Holanda5

J Bras Pneumol.2017;43(2):87-94

Resumo PDF PT PDF EN English Text Anexo

Objetivo: Comparar a incidência e a intensidade de efeitos adversos agudos e a variação da temperatura da pele da face através da termografia após a aplicação de ventilação não invasiva (VNI). Métodos: Foram incluídos 20 voluntários sadios, de ambos os gêneros, submetidos à VNI com máscara oronasal por 1 h e divididos aleatoriamente em dois grupos de acordo com o modo ventilatório: bilevel positive airway pressure (BiPAP) ou continuous positive airway pressure (CPAP). A termografia da face foi realizada para determinar a temperatura na região de contato da máscara e no dorso do nariz em momentos diferentes. Os voluntários preencheram um questionário de efeitos adversos após a retirada da VNI. Resultados: A incidência e a intensidade dos efeitos adversos agudos foram maiores naqueles submetidos a BiPAP em relação aos submetidos a CPAP (16,1% vs. 5,6%). A análise termográfica evidenciou um esfriamento significativo da pele facial nas duas regiões de estudo imediatamente após a retirada da máscara. Os efeitos adversos agudos em maior intensidade ocorreram predominantemente no grupo de participantes cuja redução da temperatura média no dorso do nariz foi menor (14,4% vs. 7,2%). A análise visual termográfica de zonas de esfriamento e aquecimento na face identificou regiões de hipoperfusão ou hiperemia reativa. Conclusões: O uso do modo BiPAP associou-se a maior incidência e intensidade de efeitos adversos agudos associados à VNI. Houve associação entre efeitos adversos agudos e menor esfriamento da pele do dorso do nariz imediatamente após a retirada da máscara. A termografia cutânea pode ser uma ferramenta adicional na detecção de efeitos adversos na pele da face associados ao uso da VNI.

 


Palavras-chave: Máscaras; Ventilação não invasiva; Termografia.

 

6 - Modelo murino de enfisema induzido por instilação de elastase e exposição a fumaça de cigarro

A murine model of elastase- and cigarette smoke-induced emphysema

Rubia Rodrigues1, Clarice Rosa Olivo1, Juliana Dias Lourenço1, Alyne Riane1, Daniela Aparecida de Brito Cervilha1, Juliana Tiyaki Ito1, Milton de Arruda Martins1, Fernanda Degobbi Tenório Quirino dos Santos Lopes1

J Bras Pneumol.2017;43(2):95-100

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Descrever um modelo murino de enfisema induzido por exposição a fumaça de cigarro (FC) e instilação de elastase pancreática porcina (EPP). Métodos: Trinta e oito camundongos C57BL/6 foram aleatoriamente divididos em quatro grupos: controle (uma instilação intranasal de solução salina a 0,9%); EPP (duas instilações intranasais de EPP); FC (exposição a FC durante 60 dias) e FC + EPP (duas instilações intranasais de EPP + exposição a FC durante 60 dias). No fim do protocolo experimental, todos os animais foram anestesiados e traqueostomizados para o cálculo de parâmetros de mecânica respiratória. Em seguida, todos os animais foram sacrificados e seus pulmões foram removidos para a medição da intercepção linear média (Lm) e a determinação do número de células imunorreativas a antígeno macrofágico (MAC)-2, metaloproteinase da matriz (MMP)-12 e glicoproteína glicosilada de 91 kDa (gp91phox) no parênquima pulmonar distal e na região peribrônquica. Resultados: Embora não tenha havido diferenças entre os quatro grupos quanto aos parâmetros de mecânica respiratória avaliados, houve aumento da Lm no grupo FC + EPP. O número de células positivas para MAC-2 na região peribrônquica e no parênquima pulmonar distal foi maior no grupo FC + EPP do que nos outros grupos, assim como o foi o número de células positivas para MMP-12 e gp91phox, porém somente no parênquima pulmonar distal. Conclusões: Nosso modelo de enfisema induzido por instilação de EPP e exposição a FC resulta em um grau significativo de destruição parenquimatosa em um período de tempo menor que o empregado em outros modelos de enfisema induzido por FC, o que reforça a importância do desequilíbrio entre proteases e antiproteases e entre oxidantes e antioxidantes na patogênese do enfisema.

 


Palavras-chave: Tabaco; Modelos animais; Enfisema; Fenômenos fisiológicos respiratórios; Lesão pulmonar.

 

7 - Pneumomediastino espontâneo: experiência adquirida com 18 pacientes nos últimos 12 anos

Spontaneous pneumomediastinum: experience in 18 patients during the last 12 years

Patrícia Dionísio1, Luís Martins1, Susana Moreira1, Alda Manique1, Rita Macedo1, Fátima Caeiro1, Luísa Boal1, Cristina Bárbara1

J Bras Pneumol.2017;43(2):101-105

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Caracterizar clinicamente todos os pacientes com pneumomediastino espontâneo (PME) admitidos em uma enfermaria de pneumologia para adultos em Lisboa, Portugal. Métodos: Estudo descritivo retrospectivo no qual foram analisados todos os pacientes adultos (≥ 18 anos de idade) com diagnóstico de PME entre janeiro de 2004 e setembro de 2015. Resultados: Pelo menos um fator predisponente foi identificado na maioria (isto é, em 88,9%) dos 18 pacientes que apresentaram PME durante o período de estudo. No tocante a fatores precipitantes, crises de tosse ocorreram em 50,0% dos pacientes. Outros fatores precipitantes foram um aumento repentino do consumo de tabaco, uso de drogas inalatórias, inalação ocupacional de vapores de vernizes, exercício intenso e vômitos. As queixas mais comuns foram dispneia (em 83,3%) e dor torácica (em 77,8%). Outras queixas foram tosse, cervicalgia, disfagia e odinofagia. Constatou-se a presença de enfisema subcutâneo na maioria dos pacientes. O diagnóstico de PME baseou-se na radiografia de tórax em 61,1% dos pacientes. Conclusões: Embora seja uma doença rara, o PME deve ser levado em conta no diagnóstico diferencial de dor torácica e dispneia. O PME pode surgir sem um evento desencadeante e sem achados conclusivos na radiografia de tórax, que é geralmente suficiente para o diagnóstico.

 


Palavras-chave: Enfisema mediastínico; Enfisema subcutâneo; Dispneia.

 

8 - Recorrência de tuberculose em município prioritário do estado de São Paulo

Tuberculosis recurrence in a priority city in the state of São Paulo, Brazil

Amadeu Antonio Vieira1,2, Danila Torres Leite3, Solange Adreoni2

J Bras Pneumol.2017;43(2):106-112

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Descrever os casos de recorrência de tuberculose (RTB) e identificar possíveis preditores segundo a classificação RTB recente ou tardia. Métodos: Estudo epidemiológico observacional analítico retrospectivo a partir de uma coorte de 963 casos novos de tuberculose pulmonar notificados e tratados no Programa de Controle de Tuberculose de Carapicuíba (SP). O período de estudo foi de 2000 a 2010. Todos os casos novos de tuberculose pulmonar que completaram com sucesso o tratamento (com ou sem cura confirmada) foram selecionados e seguidos até 31 de dezembro de 2012. Resultados: Dos 963 casos, RTB ocorreu em 47 (4,88%). O tempo médio transcorrido até o segundo episódio foi de 36,12 meses. Dos 47 casos de RTB, 16 (34,04%) ocorreram em até 18 meses da alta do primeiro tratamento (RTB recente), e 31 (65,96%) ocorreram após 18 meses (RTB tardia). Entre as variáveis investigadas, somente houve diferenças significativas entre os grupos RTB recente e tardia em relação ao ganho de peso na alta do primeiro tratamento (1,78 kg vs. 5,31 kg; p < 0,045) e nível de escolaridade (≤ 3 vs. > 3 anos de estudo; p < 0,004). Conclusões: A baixa escolaridade pode indicar uma menor adesão ao tratamento, dificultando a esterilização dos bacilos e facilitando sua sobrevivência em forma dormente, o que mascara a efetividade do tratamento. A ausência ou um reduzido aumento de peso na alta do tratamento poderá servir como um marcador biológico que pode ser utilizado pelos serviços de saúde que realizam o tratamento de tuberculose.

 


Palavras-chave: Recorrência; Tuberculose; Fatores de risco.

 

9 - Estimativas das taxas de recidiva, cura e abandono de tratamento em pacientes com tuberculose pulmonar tratados com esquema de dose fixa combinada de quatro drogas em uma unidade de saúde terciária na cidade do Rio de Janeiro

Estimated rates of recurrence, cure, and treatment abandonment in patients with pulmonary tuberculosis treated with a ­four‑drug fixed-dose combination regimen at a tertiary health care facility in the city of Rio de Janeiro, Brazil

Vangie Dias da Silva1, Fernanda Carvalho de Queiroz Mello2, Sonia Catarina de Abreu Figueiredo2

J Bras Pneumol.2017;43(2):113-120

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Estimar as taxas de recidiva, cura e abandono de tratamento em pacientes com tuberculose pulmonar tratados com o esquema de dose fixa combinada (DFC) de quatro drogas e avaliar possíveis fatores associados. Métodos: Estudo observacional retrospectivo com 208 pacientes com diagnóstico confirmado de tuberculose pulmonar registrados no Programa de Controle da Tuberculose Hospitalar do Instituto de Doenças do Tórax, localizado na cidade do Rio de Janeiro. Os pacientes tratados entre janeiro de 2007 e outubro de 2010 receberam o esquema rifampicina-isoniazida-pirazinamida (RHZ), e aqueles tratados entre novembro de 2010 e junho de 2013 receberam o esquema rifampicina-isoniazida-pirazinamida-etambutol em DFC (RHZE/DFC). Os dados dos pacientes sobre recidiva e óbito foram obtidos no Sistema de Informação de Agravos de Notificação e no Sistema de Informação de Mortalidade, respectivamente. O período de acompanhamento foi de dois anos após o encerramento do tratamento. Resultados: As taxas de cura, abandono e óbito foram de 90,4%, 4,8% e 4,8%, respectivamente. Houve 7 casos de recidivas durante o período de acompanhamento. Não houve diferenças significativas na taxa de recidiva entre os grupos de tratamento RHZ e RHZE/DFC (p = 0,13). Não foram identificados fatores associados com a ocorrência de recidiva, nem houve diferenças estatisticamente significativas na ocorrência dos efeitos adversos ou nas taxas de cura, abandono e óbito entre os grupos de tratamento. Conclusões: A adoção do esquema de tratamento RHZE/DFC não produziu diferenças estatisticamente significativas nas taxas de recidiva, cura e abandono nem na ocorrência de efeitos adversos em comparação com o esquema RHZ.

 


Palavras-chave: Tuberculose pulmonar; Combinação de medicamentos; Recidiva.

 

10 - Teste do suor e fibrose cística: panorama da realização do teste em centros públicos e privados do estado de São Paulo

Sweat test and cystic fibrosis: overview of test performance at public and private centers in the state of São Paulo, Brazil

Maria Fátima Servidoni1,2, Carla Cristina Souza Gomez1, Fernando Augusto Lima Marson1,3, Adyléia Aparecida Dalbo Contrera Toro1, Maria Ângela Gonçalves de Oliveira Ribeiro1, José Dirceu Ribeiro1, Antônio Fernando Ribeiro1; Grupo Colaborativo de Estudos em Fibrose Cística

J Bras Pneumol.2017;43(2):121-128

Resumo PDF PT PDF EN English Text Anexo

Objetivo: O teste do suor (TS) mede os níveis de cloro no suor e é considerado o padrão ouro para o diagnóstico da fibrose cística (FC). Contudo, a confiabilidade do TS depende de sua realização por técnicos experientes e segundo diretrizes rígidas. Nosso objetivo foi avaliar como são realizadas a estimulação e coleta do suor e a dosagem de cloro em 14 centros (9 públicos e 5 privados) que realizam TS rotineiramente no estado de São Paulo, que possui a maior frequência de FC do Brasil. Métodos: Estudo de coorte transversal utilizando um questionário padronizado aplicado in loco ao pessoal responsável pela realização dos TS. Resultados: Não houve uniformidade entre os centros quanto aos procedimentos. A maioria dos centros não era aderente às diretrizes internacionais, especialmente quanto à coleta do suor (amostras insuficientes em 10-50% dos indivíduos testados), disponibilidade de equipamentos de estimulação (limitada em 2 centros), modernidade e certificação dos mesmos (a maioria utilizada há 3-23 anos) e protocolos escritos (ausentes em 12 centros). Avaliou-se o conhecimento sobre diretrizes para TS em apenas 1 centro. Conclusões: Nossos resultados mostram que, nos centros participantes, os TS estão muito distantes das diretrizes internacionalmente aceitas. Portanto, há necessidade urgente de padronização dos TS, de treinamento de pessoal qualificado e de aquisição/certificação de equipamentos adequados. Essas são condições essenciais para um diagnóstico confiável de FC, especialmente com a crescente demanda resultante da triagem neonatal em todo o país, e para a avaliação do possível benefício clínico do uso de moduladores.

 


Palavras-chave: Fibrose cística/diagnóstico; Fibrose cística/prevenção & controle; Suor.

 

11 - Ressecções pulmonares anatômicas por cirurgia torácica videoassistida: experiência de 117 casos em um centro de referência no Brasil

Anatomic pulmonary resection via video-assisted thoracic surgery: analysis of 117 cases at a referral center in Brazil

Stephan Adamour Soder1, Frederico Barth1, Fabiola Adelia Perin1, José Carlos Felicetti1,2, José de Jesus Peixoto Camargo1,2, Spencer Marcantônio Camargo1

J Bras Pneumol.2017;43(2):129-133

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Relatar a experiência com cirurgia torácica videoassistida (CTVA) para ressecções pulmonares anatômicas em um centro nacional de referência de cirurgia torácica no Brasil. Métodos: Foram incluídos todos os pacientes tratados com ressecções pulmonares anatômicas por CTVA entre 2010 e 2015 e analisados dados clínicos e patológicos, assim como complicações pós-operatórias. Resultados: Foram realizadas 117 ressecções pulmonares por CTVA, sendo 98 lobectomias e 19 segmentectomias anatômicas. A média de idade foi de 63,6 anos (variação, 15-86 anos), sendo a maioria mulheres (n = 69; 59%). A média de tempo de permanência com dreno foi de 2,47 dias e a de estada em UTI foi de 1,88 dias. A média de tempo de internação foi de 4,48 dias. Sangramento ≥ 400 ml ocorreu em 15 pacientes. Houve conversão para toracotomia em 4 pacientes. Conclusões: Nossos resultados vão ao encontro de publicações em grandes séries internacionais, corroborando que a CTVA é uma importante via de execução de ressecções pulmonares e que pode ser realizada com segurança quando há treinamento adequado, devendo ser mais utilizada no Brasil para o tratamento das doenças pulmonares.

 


Palavras-chave: Neoplasias pulmonares/terapia; Neoplasias pulmonares/complicações; Cirurgia torácica videoassistida.

 

12 - Efeito do exercício passivo em cicloergômetro na força muscular, tempo de ventilação mecânica e internação hospitalar em pacientes críticos: ensaio clínico randomizado

Effects that passive cycling exercise have on muscle strength, duration of mechanical ventilation, and length of hospital stay in critically ill patients: a randomized clinical trial

Aline dos Santos Machado1, Ruy Camargo Pires-Neto2, Maurício Tatsch Ximenes Carvalho3, Janice Cristina Soares4,5, Dannuey Machado Cardoso6, Isabella Martins de Albuquerque3

J Bras Pneumol.2017;43(2):134-139

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar os efeitos da realização de exercícios passivos com um cicloergômetro, associada à fisioterapia convencional, na força muscular periférica, no tempo de ventilação mecânica e no tempo de internação hospitalar em pacientes críticos internados em UTI de um hospital universitário terciário. Métodos: Ensaio clínico randomizado envolvendo 38 pacientes (idade > 18 anos) em ventilação mecânica e divididos aleatoriamente em grupo controle (n = 16), que realizou fisioterapia convencional, e grupo intervenção (n = 22) submetidos a fisioterapia convencional e exercícios passivos em cicloergômetro cinco vezes por semana. A média de idade dos pacientes foi de 46,42 ± 16,25 anos, e 23 eram homens. Os desfechos analisados foram força muscular periférica, mensurada pela escala Medical Research Council, tempo de ventilação mecânica e tempo de internação hospitalar. Resultados: Houve um aumento significativo da força muscular periférica (basal vs. final) tanto no grupo controle (40,81 ± 7,68 vs. 45,00 ± 6,89; p < 0,001) quanto no grupo intervenção (38,73 ± 11,11 vs. 47,18 ± 8,75; p < 0,001). Entretanto, a variação do aumento da força foi maior no grupo intervenção que no controle (8,45 ± 5,20 vs. 4,18 ± 2,63; p = 0,005). Não foram observadas diferenças significativas entre os grupos quanto ao tempo de ventilação mecânica e tempo de internação hospitalar. Conclusões: Os resultados sugerem que a realização de mobilização passiva contínua de forma cíclica auxilia na recuperação da força muscular periférica de pacientes internados em UTI. (ClinicalTrials.gov Identifier: NCT01769846 [http://www.clinicaltrials.gov/])

 


Palavras-chave: Modalidades de fisioterapia; Unidades de terapia intensiva; Deambulação precoce; Força muscular.

 

Ensaio Pictórico

13 - Doenças pulmonares císticas difusas: diagnóstico diferencial

Diffuse cystic lung diseases: differential diagnosis

Bruno Guedes Baldi1, Carlos Roberto Ribeiro Carvalho1, Olívia Meira Dias1, Edson Marchiori2,3, Bruno Hochhegger4,5,6

J Bras Pneumol.2017;43(2):140-149

Resumo PDF PT PDF EN English Text

As doenças pulmonares císticas difusas se caracterizam pela presença de cistos envolvendo mais de um lobo pulmonar, que se originam por diversos mecanismos, incluindo dilatação dos espaços aéreos distais por obstrução, necrose das paredes das vias aéreas e destruição do parênquima. Essas doenças apresentam evolução variável. A TCAR é fundamental na avaliação dessas doenças uma vez que permite uma melhor caracterização dos cistos pulmonares, incluindo sua distribuição, tamanho, extensão e regularidade das paredes, assim como a determinação de outras lesões pulmonares e extrapulmonares associadas. Frequentemente a TCAR é suficiente para a definição etiológica dos cistos pulmonares difusos, associada a achados clínicos e laboratoriais, sem a necessidade de realização de biópsia pulmonar. O diagnóstico diferencial das doenças pulmonares císticas difusas é extenso, incluindo etiologias neoplásicas, inflamatórias e infecciosas, sendo as mais frequentes determinantes desse padrão tomográfico a histiocitose pulmonar de células de Langerhans, a linfangioleiomiomatose, a pneumonia intersticial linfocitária e a bronquiolite folicular. Novas etiologias foram incluídas como potenciais determinantes desse padrão.

 


Palavras-chave: Cistos; Diagnóstico diferencial; Doenças pulmonares intersticiais; Tomografia computadorizada por raios X.

 

Imagens em Pneumologia

14 - Escarro hemoptoico de etiologia desconhecida

Bloodstained sputum of unknown etiology

Filipa Fernandes1, Rita Gomes1, Filomena Luís1

J Bras Pneumol.2017;43(2):150

PDF PT PDF EN English Text


Relato de Caso

15 - Traqueobroncopatia osteocondroplástica

Tracheobronchopathia osteochondroplastica

Mara Graziele Maciel Silveira1, Maria Vera Cruz de Oliveira Castellano2, Clarice Emiko Fuzi2, Ester Nei Aparecida Martins Coletta2, Guilherme Nogueira Spinosa2

J Bras Pneumol.2017;43(2):151-153

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A traqueobroncopatia osteocondroplástica é uma doença benigna rara, de causa desconhecida, caracterizada por numerosos nódulos submucosos sésseis, cartilaginosos e/ou ósseos, distribuídos pelas paredes anterolaterais da traqueia, projetando-se no lúmen laringotraqueobrônquico. Em geral, a traqueobroncopatia osteocondroplástica é descoberta acidentalmente durante broncoscopias ou em necropsias e não é associada a uma doença específica. Relatamos o caso de um paciente que foi diagnosticado com traqueobroncopatia osteocondroplástica por broncoscopia e biópsia.

 


Palavras-chave: Dispneia; Doenças da traqueia; Broncoscopia.

 

Cartas ao Editor

16 - Talcose pulmonar causada por injeção intravenosa de metadona

Pulmonary talcosis caused by intravenous methadone injection

Dante Luiz Escuissato1, Rimarcs Gomes Ferreira2, João Adriano de Barros1, Edson Marchiori3

J Bras Pneumol.2017;43(2):154-155

PDF PT PDF EN English Text


 


O Jornal Brasileiro de Pneumologia está indexado em:

Latindex Lilacs SciELO PubMed ISI Scopus Copernicus pmc

Apoio

CNPq, Capes, Ministério da Educação, Ministério da Ciência e Tecnologia, Governo Federal, Brasil, País Rico é País sem Pobreza
Secretaria do Jornal Brasileiro de Pneumologia
SCS Quadra 01, Bloco K, Salas 203/204 Ed. Denasa. CEP: 70.398-900 - Brasília - DF
Fone/fax: 0800 61 6218/ (55) (61) 3245 1030/ (55) (61) 3245 6218
E-mails: jbp@jbp.org.br
jpneumo@jornaldepneumologia.com.br

Copyright 2017 - Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia

Logo GN1