Jornal Brasileiro de Pneumologia

ISSN (on-line): 1806-3756 | ISSN (impressa): 1806-3713

SBPT

Publicação contínua e bimestral

SCImago Journal & Country Rank
Busca avançada

Ano 2018 - Volume 44  - Número 1  (Janeiro/Fevereiro)

App

Editorial

1 - Músculos respiratórios na DPOC: atenção para o diafragma

Respiratory muscles in COPD: be aware of the diaphragm

Pauliane Vieira Santana1,a, Andre Luis Pereira de Albuquerque1,b

J Bras Pneumol.2018;44(1):1-2

PDF PT PDF EN English Text


Educação continuada: Imagem

2 - Massa do mediastino anterior

Anterior mediastinal mass

Edson Marchiori1,a, Bruno Hochhegger2,b, Gláucia Zanetti1,c

J Bras Pneumol.2018;44(1):3

PDF PT PDF EN English Text


Educação Continuada: Metodologia Científica

3 - Entendendo os testes diagnósticos. Parte 3.

Understanding diagnostic tests. Part 3.

Juliana Carvalho Ferreira1,2,a, Cecilia Maria Patino1,3,b

J Bras Pneumol.2018;44(1):4

PDF PT PDF EN English Text


Artigo Original

4 - Comparação da mobilidade diafragmática em pacientes com DPOC com e sem hipercifose torácica: um estudo transversal

Comparison of diaphragmatic mobility between COPD patients with and without thoracic hyperkyphosis: a cross-sectional study

Márcia Aparecida Gonçalves1, Bruna Estima Leal1, Liseane Gonçalves Lisboa2, Michelle Gonçalves de Souza Tavares3, Wellington Pereira Yamaguti4, Elaine Paulin1

J Bras Pneumol.2018;44(1):5-11

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Comparar a mobilidade diafragmática, a função pulmonar e a força muscular respiratória em pacientes que apresentam DPOC com e sem hipercifose torácica; verificar a relação do ângulo da curvatura torácica com a mobilidade diafragmática, variáveis da função pulmonar e de força muscular respiratória dos pacientes com DPOC; e comparar a mobilidade diafragmática e a cifose torácica entre os gêneros nesses pacientes. Métodos: Foram realizadas as seguintes avaliações: antropometria, espirometria, mensuração do ângulo da curvatura torácica e mobilidade diafragmática. Resultados: Participaram do estudo 34 pacientes com DPOC. No grupo de pacientes com DPOC e hipercifose torácica, a mobilidade diafragmática foi estatisticamente menor quando comparada à do grupo DPOC sem hipercifose torácica (p = 0,002). Não houve diferenças estatisticamente significantes entre esses grupos em relação a variáveis de função pulmonar e de força muscular respiratória. Houve uma correlação negativa significante entre o ângulo da curvatura torácica e a mobilidade diafragmática (r = −0,47; p = 0,005). Quando comparados homens e mulheres da amostra geral, houve diferenças estatisticamente significantes em relação à massa corpórea (p = 0,011), estatura (p < 0,001) e ângulo da curvatura da cifose torácica (p = 0,036), mas não em relação à mobilidade diafragmática (p = 0,210). Conclusões: Os pacientes com DPOC e hipercifose torácica apresentaram menor mobilidade diafragmática quando comparados com os pacientes com DPOC sem hipercifose torácica. O ângulo da curvatura torácica se correlacionou negativamente com a mobilidade diafragmática. O grupo feminino apresentou um aumento significante no ângulo da curvatura torácica quando comparado ao grupo masculino.

 


Palavras-chave: Doença pulmonar obstrutiva crônica; Cifose; Diafragma.

 

5 - Fatores associados à expressão da asma em adolescentes

Factors associated with asthma expression in adolescents

Silvia de Souza Campos Fernandes1,a, Dirceu Solé2,d, Paulo Camargos1,c, Cláudia Ribeiro de Andrade1,e, Cássio da Cunha Ibiapina1,b

J Bras Pneumol.2018;44(1):12-17

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar os fatores de risco associados aos sintomas relacionados à asma em adolescentes de 13 e 14 anos. Métodos: Estudo transversal realizado com alunos matriculados em escolas públicas de Belo Horizonte (MG), selecionadas aleatoriamente, com a utilização dos questionários International Study of Asthma and Allergies in Childhood e de seu módulo complementar para a avaliação dos potenciais fatores de risco. O primeiro questionário foi respondido pelos alunos, e o segundo foi respondido pelos pais e/ou responsáveis. Após a análise univariada, todas as variáveis cujo valor de p foi igual ou inferior a 0,25 foram submetidas à análise multivariada. A seleção das variáveis foi realizada pelo método passo a passo com eliminação retrógrada de variáveis. Resultados: Foram avaliados 375 adolescentes, dos quais 124 (33,1%) apresentavam sintomas de asma. O modelo final da análise multivariada revelou que sintomas de asma estiveram associados a peso ao nascimento < 2.500 g (p < 0,001), frequência a creches ou berçários (p < 0,002), história materna de asma (p < 0,001), contato com animais durante o primeiro ano de vida (p < 0,027), contato atual com animais fora da residência (cão, gato ou outros animais em fazenda; p < 0,005) e consumo de mais que 20 cigarros por dia por residentes no mesmo domicílio que o adolescente (p < 0,02). Conclusões: As exposições intra e extradomiciliar a animais domésticos e ao tabaco estiveram associadas à presença de sintomas de asma. Esses resultados devem ser considerados tanto pelos familiares como pelos profissionais e gestores dos serviços de saúde na prevenção da asma e na redução do seu impacto na morbidade.

 


Palavras-chave: Asma; Fatores de risco; Adolescente.

 

6 - Valor diagnóstico da expressão de α-enolase e dos níveis séricos de autoanticorpos contra α-enolase no câncer de pulmão

Diagnostic value of α-enolase expression and serum α-enolase autoantibody levels in lung cancer

Lihong Zhang1,a, Hongbin Wang1,b, Xuejun Dong1,c

J Bras Pneumol.2018;44(1):18-23

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Investigar o valor diagnóstico da α-enolase (ENO1) e dos níveis séricos de autoanticorpos contra ENO1 no câncer de pulmão. Métodos: Marcação imuno-histoquímica e ELISA foram realizados para detectar a expressão de ENO1 no tecido pulmonar e os níveis séricos de autoanticorpos contra ENO1, respectivamente. Resultados: A expressão de ENO1 foi maior nos tecidos de câncer de pulmão que nos tecidos de doença pulmonar benigna (p < 0,001). Não houve diferença significativa entre os diversos grupos de classificação patológica quanto à proporção de amostras de câncer de pulmão que expressaram ENO1. A proporção de amostras que expressaram ENO1 foi maior nos pacientes com câncer de pulmão nos estágios I/II que naqueles com câncer de pulmão nos estágios III/IV (χ2 = 5,445; p = 0,018). Não houve relação entre a expressão de ENO1 em tecidos de câncer de pulmão e idade, sexo ou histórico de tabagismo. Os níveis séricos de anticorpos contra ENO1 foram significativamente maiores no grupo câncer de pulmão que nos grupos doença pulmonar benigna e controle (p < 0,001). As diferenças entre os grupos de classificação patológica não foram estatisticamente significativas. Os níveis séricos de anticorpos contra ENO1 foram também significativamente maiores nos pacientes com câncer de pulmão nos estágios I/II que naqueles com câncer de pulmão nos estágios III/IV (p < 0,01). Nos pacientes com câncer de pulmão, não houve relação entre os níveis séricos de anticorpos contra ENO1 e idade, sexo ou histórico de tabagismo. A curva ROC do diagnóstico de câncer de pulmão baseado nos níveis de anticorpos contra ENO1 apresentou área sob a curva = 0,806. Conclusões: Nossos resultados sugerem que há relação entre níveis elevados de ENO1 e o estágio clínico do câncer de pulmão e que a expressão de ENO1 e os níveis séricos de autoanticorpos contra ENO1 têm valor diagnóstico no câncer de pulmão.

 


Palavras-chave: Fosfopiruvato hidratase/análise; Ensaio de imunoadsorção enzimática; Imuno-histoquímica; Neoplasias pulmonares.

 

7 - Complexidade do sistema nervoso autônomo em indivíduos com DPOC

Complexity of autonomic nervous system function in individuals with COPD

Laís Manata Vanzella1,f, Aline Fernanda Barbosa Bernardo1,d, Tatiana Dias de Carvalho3,e, Franciele Marques Vanderlei2,a, Anne Kastelianne França da Silva1,c, Luiz Carlos Marques Vanderlei2,b

J Bras Pneumol.2018;44(1):24-30

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar a modulação autonômica de indivíduos com DPOC, comparados com um grupo controle saudável, por meio do plot de recorrência (PR) associado a métodos lineares da variabilidade da frequência cardíaca (VFC). Métodos: Foram avaliados dados de 74 voluntários, os quais foram divididos em grupos DPOC (n = 43) e controle (n = 31). Para a análise dos índices de VFC, a frequência cardíaca dos voluntários foi registrada, batimento a batimento, por meio de um cardiofrequencímetro com os voluntários em repouso na posição supina por 30 min. Foram avaliados índices lineares nos domínios de tempo e de frequência, assim como índices obtidos por meio do PR. Resultados: No grupo DPOC, em comparação com o grupo controle, houve aumentos significativos em índices obtidos do PR, assim como houve reduções significativas nos índices lineares nos domínios de tempo e de frequência. Não foram observadas diferenças significativas nos índices lineares nos domínios de frequência em unidades normalizadas e na relação entre os componentes de alta e baixa frequência. Conclusões: Indivíduos com DPOC apresentam uma diminuição tanto da atividade simpática quanto da parassimpática, associada a uma redução da complexidade do sistema nervoso autônomo, identificada pelo PR, que fornece informações complementares importantes na detecção de alterações autonômicas nessa população.

 


Palavras-chave: Doença pulmonar obstrutiva crônica; Sistema nervoso autônomo; dinâmica não linear; Recidiva; Frequência cardíaca, Sistema nervoso simpático.

 

8 - Ideação suicida apresenta associação com asma e rinite alérgicas?

Is suicidal ideation associated with allergic asthma and allergic rhinitis?

Martín Bedolla-Barajas1,a, Norma Angélica Pulido-Guillén2,b, Bolívar Vivar-Aburto3,c, Jaime Morales-Romero4,d, José Raúl Ortiz-Peregrina5,e, Martín Robles-Figueroa3,f

J Bras Pneumol.2018;44(1):31-35

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Investigar se existe associação entre ideação suicida (IS) e doenças alérgicas em adultos. Métodos: Estudo transversal comparativo envolvendo indivíduos com idade entre 20 e 50 anos recrutados em um hospital universitário da cidade de Guadalajara, México. Foram incluídos pacientes com diagnóstico confirmado de asma alérgica, aqueles com diagnóstico confirmado de rinite alérgica e controles saudáveis. Todos os sujeitos preencheram o Beck Depression Inventory-II (BDI-II), que inclui um item que avalia a presença de pensamentos ou desejos suicidas nas últimas duas semanas, a fim de identificar IS. Resultados: A amostra foi composta por 115 pacientes com asma alérgica, 111 pacientes com rinite alérgica e 96 controles saudáveis. O número de indivíduos identificados com IS nos três grupos foi de 17 (14,8%), 13 (11,7%) e 8 (8,3%), respectivamente. Quanto à presença de IS, não foi encontrada associação estatisticamente significativa no grupo asma alérgica (OR = 1,98; IC95%: 0,78-4,64; p = 0,154) ou no grupo rinite alérgica (OR = 1,46; IC95%: 0,58-3,68; p = 0,424) quando os mesmos foram comparados com o grupo controle. No entanto, a presença de depressão apresentou associação com IS nos três grupos: asma alérgica (OR = 12,36; IC95%: 2,67-57,15; p = 0,001); rinite alérgica (OR = 6,20; IC95%: 1,66-23,14; p = 0,006); e controle (OR = 21,0; IC95%: 3,75-117,36; p < 0,001). Conclusões: Em comparação com o grupo controle, não foi encontrada associação entre IS e os grupos com doenças alérgicas. Por outro lado, houve associação entre IS e depressão nos três grupos.

 


Palavras-chave: Ideação suicida; Asma; Rinite alérgica; Adulto.

 

9 - Receptor do ativador de plasminogênio tipo uroquinase solúvel como medida da resposta ao tratamento da exacerbação aguda da DPOC

Soluble urokinase-type plasminogen activator receptor as a measure of treatment response in acute exacerbation of COPD

Gehan Hassan AboEl-Magd1,a, Maaly Mohamed Mabrouk2,b

J Bras Pneumol.2018;44(1):36-41

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar o valor do soluble urokinase-type plasminogen activator receptor (suPAR, receptor do ativador de plasminogênio tipo uroquinase solúvel) no diagnóstico de exacerbação aguda da DPOC (EADPOC) e no monitoramento da resposta ao tratamento, analisando-se a relação entre o suPAR e o fibrinogênio na EADPOC. A EADPOC leva ao aumento da inflamação das vias aéreas, contribuindo para a liberação exagerada de mediadores inflamatórios. Métodos: Foram recrutados 45 pacientes com EADPOC e 20 controles saudáveis. Realizou-se anamnese, e todos os indivíduos foram submetidos a exame clínico, radiografia de tórax, provas de função pulmonar e gasometria arterial. No dia 1 (início do tratamento para os pacientes com EADPOC) e no dia 14 (final do tratamento), foram coletadas amostras de sangue para dosagem de suPAR sérico e de fibrinogênio plasmático. Resultados: Os níveis séricos de suPAR foram significativamente maiores no grupo EADPOC do que no grupo controle. Nos pacientes com EADPOC, houve diminuição significativa da média de suPAR sérico após o tratamento. A sensibilidade, a especificidade e a acurácia do suPAR foram, respectivamente, de 95,6%, 80,0% e 93,0%. O estágio da doença segundo a Global Initiative for Chronic Obstructive Lung Disease (isto é, a gravidade da DPOC) apresentou correlação positiva e significativa com os níveis séricos de suPAR e os níveis plasmáticos de fibrinogênio. Conclusões: O monitoramento do suPAR sérico pode ser útil na avaliação da resposta ao tratamento da DPOC e seria um biomarcador valioso para a determinação do prognóstico da EADPOC. Como o suPAR sérico apresentou correlação com o fibrinogênio plasmático, ambos os marcadores poderiam ser preditores da EADPOC.

 


Palavras-chave: Doença pulmonar obstrutiva crônica/complicações; Doença pulmonar obstrutiva crônica/diagnóstico; Receptores de ativador de plasminogênio tipo uroquinase; Fibrinogênio.

 

10 - Avaliação de um tratamento para cessação do tabagismo iniciado durante a hospitalização em pacientes com doença cardíaca ou doença respiratória

Evaluation of smoking cessation treatment initiated during hospitalization in patients with heart disease or respiratory disease

Thaís Garcia1,a, Sílvia Aline dos Santos Andrade2, Angélica Teresa Biral1, André Luiz Bertani1,b, Laura Miranda de Oliveira Caram1,c, Talita Jacon Cezare3, Irma Godoy4,d, Suzana Erico Tanni3,e

J Bras Pneumol.2018;44(1):42-48

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar a eficácia de um programa de cessação de tabagismo, oferecido por profissionais da saúde treinados, para pacientes hospitalizados por doença cardíaca (DC) ou doença respiratória (DR). Métodos: Foram avaliados 393 pacientes, sendo incluídos 227 (146 e 81 pacientes tabagistas ativos hospitalizados com DC e DR, respectivamente) que receberam intervenção para cessação tabágica durante a internação com seguimento de seis meses após a alta hospitalar. Resultados: Houve diferenças significativas entre os grupos DC e DR em relação à participação na intervenção cognitivo-comportamental após a alta hospitalar (13,0% vs. 35,8%; p = 0,003); cessação do tabagismo ao final do seguimento (29% vs. 31%; p < 0,001); e uso de terapia de reposição de nicotina (3,4% vs. 33,3%; p < 0,001). Em relação ao uso da bupropiona, não houve diferença entre os grupos DC e DR (11,0% vs. 12,3%; p = 0,92). A vareniclina foi usada em apenas 0,7% dos pacientes do grupo DC. Conclusões: Nesta amostra, os pacientes com DR apresentaram maior taxa de cessação tabágica após seis meses da alta hospitalar e maior adesão ao tratamento. A incorporação de programas de cessação do tabagismo para pacientes hospitalizados com patologias diversas, promovidos pelas equipes que os atendem, é necessária para que ocorra uma maior efetividade na cessação tabágica.

 


Palavras-chave: Hábito de fumar; Abandono do hábito de fumar; Hospitalização; Doenças respiratórias; Cardiopatias.

 

Comunicação Breve

11 - Associação entre a exposição a maços de cigarros em pontos de venda e susceptibilidade ao tabagismo entre adolescentes brasileiros

Association between the display of cigarette packs at the point of sale and smoking susceptibility among adolescents in Brazil

Ana Luiza Curi Hallal1, Andreza Madeira Macario1, Roberto Hess de Souza2, Antônio Fernando Boing1, Lúcio Botelho1, Joanna Cohen3

J Bras Pneumol.2018;44(1):49-51

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Com o objetivo de verificar a associação entre a exposição a maços de cigarros em pontos de venda e a susceptibilidade ao tabagismo, foi realizado um estudo transversal com escolares entre 14 e 17 anos. Destes, 69,0% eram nunca fumantes, 21,3% eram experimentadores, e 9,7% eram fumantes. Entre os escolares expostos a maços de cigarros nos pontos de venda, 18,9% eram susceptíveis ao tabagismo, enquanto entre os estudantes não expostos, 12,9% eram susceptíveis a fumar (OR = 1,56; IC95%: 1,04-2,35; p = 0,029). Conclui-se que a exposição a maços de cigarros em pontos de venda está associada à susceptibilidade ao tabagismo entre adolescentes brasileiros.

 


Palavras-chave: Produtos do tabaco; Saúde escolar; Saúde do adolescente.

 

12 - Repetibilidade de medidas da fração de óxido nítrico exalado em crianças em duas ocasiões

Between-occasion repeatability of fractional exhaled nitric oxide measurements in children

Kamil Barański1,a, Jan E. Zejda1,b

J Bras Pneumol.2018;44(1):52-54

Resumo PDF PT PDF EN English Text

O objetivo do estudo foi avaliar a repetibilidade em curto prazo de medidas da fração de óxido nítrico exalado (FENO) e seus correlatos em crianças de 6-9 anos participantes de uma pesquisa epidemiológica respiratória. A FENO foi medida em duas sessões, com uma semana de intervalo, em 101 crianças. Os participantes foram divididos em três grupos: assintomático (n = 76), sintomático (n = 14) e asma (n = 11). A repetibilidade foi avaliada por meio de diferenças absolutas e relativas entre as medidas, bem como por coeficientes de correlação de concordância. As duas medidas da FENO correlacionaram-se fortemente (0,98). Embora as comparações entre as duas medidas em um mesmo grupo não tenham sido significativamente diferentes (p = 0,2), as comparações entre os grupos o foram. Medidas da FENO são reprodutíveis em crianças em cenários epidemiológicos.

 


Palavras-chave: Óxido nítrico; Expiração; Asma.

 

Artigo de Revisão

13 - Câncer de pulmão no Brasil

Lung cancer in Brazil

Luiz Henrique Araujo1,2,a, Clarissa Baldotto1,2,b, Gilberto de Castro Jr3,4,c, Artur Katz4,d, Carlos Gil Ferreira5,6,e, Clarissa Mathias7,f, Eldsamira Mascarenhas7,g, Gilberto de Lima Lopes8,9,h, Heloisa Carvalho4,10,i, Jaques Tabacof8, Jeovany Martínez-Mesa11,j, Luciano de Souza Viana12,k, Marcelo de Souza Cruz13,l, Mauro Zukin1,2,m, Pedro De Marchi12,n, Ricardo Mingarini Terra3,o, Ronaldo Albuquerque Ribeiro14, Vladmir Cláudio Cordeiro de Lima15,p, Gustavo Werutsky16,q, Carlos Henrique Barrios17,r; Grupo Brasileiro de Oncologia Torácica

J Bras Pneumol.2018;44(1):55-64

Resumo PDF PT PDF EN English Text

O câncer de pulmão é um dos tipos de câncer com maior incidência e uma das principais causas de mortalidade por câncer no Brasil. Revisamos a situação atual do câncer de pulmão por meio de pesquisa de dados relevantes a respeito de prevenção, diagnóstico e tratamento no país. Esta revisão mostra várias questões que precisam de atenção, tais como controle do tabagismo, educação dos pacientes, desconhecimento por parte dos pacientes, diagnóstico tardio e desigualdade de acesso ao tratamento de câncer no Brasil. Propomos estratégias para ajudar a superar essas limitações e desafiamos os profissionais de saúde, a sociedade e os representantes do governo a trabalhar em conjunto e dar um passo à frente na luta contra o câncer de pulmão.

 


Keywords: Lung neoplasms/epidemiology; Lung neoplasms/therapy; Lung neoplasms/diagnosis; Biomarkers; Brazil.

 

Relato de Caso

14 - Características do sono em um adulto com queixas de sono em três cidades a diferentes altitudes

Sleep characteristics in an adult with sleep complaints in three cities at different altitudes

Julio Cesar Castellanos-Ramírez1,a, Alvaro J Ruíz2,3,b, Patricia Hidalgo-Martínez1,2,c, Liliana Otero-Mendoza4,d

J Bras Pneumol.2018;44(1):65-68

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Estudos do sono realizados a uma altitude diferente da altitude do local onde se vive podem produzir resultados enganosos quanto à gravidade da apneia obstrutiva do sono (AOS). O objetivo do presente estudo foi determinar as características do sono de um paciente submetido a polissonografia (PSG) em três cidades colombianas a diferentes altitudes [Bogotá, a 2.640 m acima do nível do mar (ANM); Bucaramanga, a 959 m ANM e Santa Marta, a 15 m ANM]. O paciente era um homem obeso com diabetes e suspeita de AOS. Os dados obtidos receberam pontuação e foram interpretados de acordo com os critérios da American Academy of Sleep Medicine. Em Bogotá, a PSG revelou AOS moderada [índice de apneias e hipopneias (IAH) = 21 eventos/h]; em Bucaramanga, a PSG revelou aumento da resistência das vias aéreas superiores (IAH = 2 eventos/h); em Santa Marta, a PSG revelou AOS leve (IAH = 7 eventos/h). A redução do IAH foi predominantemente uma redução de hipopneias e apneias obstrutivas. Os eventos respiratórios tiveram menor duração na cidade a uma altitude intermediária. Como houve grande diferença entre as cidades quanto ao IAH, pode-se concluir que o paciente é normal ou apresenta AOS moderada dependendo da cidade onde está. As apneias centrais não influenciaram o IAH.

 


Palavras-chave: Apneia obstrutiva do sono; Polissonografia; Altitude.

 

Cartas ao Editor

15 - Oxigenação por membrana extracorpórea em paciente acordado como ponte para o transplante pulmonar

Extracorporeal membrane oxygenation in an awake patient as a bridge to lung transplantation

Spencer Marcantonio Camargo1,a, Stephan Adamour Soder1,b, Fabiola Adelia Perin1,c, Douglas Zaione Nascimento1,d, Sadi Marcelo Schio1,e

J Bras Pneumol.2018;44(1):69-70

PDF PT PDF EN English Text


Ano 2018 - Volume 44  - Número 2  (Março/Abril)

App

Editorial

1 - Série tuberculose

Tuberculosis series

Denise Rossato Silva1,a, Fernanda Carvalho de Queiroz Mello2,b, Afrânio Kritski3,c, Margareth Dalcolmo4,d, Alimuddin Zumla5,e, Giovanni Battista Migliori6

J Bras Pneumol.2018;44(2):71-72

PDF PT PDF EN English Text


2 - Eliminação da tuberculose na América Latina: considerações

Eliminating tuberculosis in Latin America: making it the point

Raquel Duarte1,2,3,a, Denise Rossato Silva4,b, Adrian Rendon5,c, Tatiana Galvẫo Alves6,d, Marcelo Fouad Rabahi7,e, Rosella Centis8,f, Afrânio Kritski9,g, Giovanni Battista Migliori8,h

J Bras Pneumol.2018;44(2):73-76

PDF PT PDF EN English Text


3 - O papel da Rede Brasileira de Pesquisas em Tuberculose nos esforços nacionais e internacionais para a eliminação da tuberculose

The role of the Brazilian Tuberculosis Research Network in national and international efforts to eliminate tuberculosis

Afranio Kritski1,a, Margareth Pretti Dalcolmo2,b, Fernanda Carvalho Queiroz Mello3,c, Anna Cristina Calçada Carvalho4,d, Denise Rossato Silva5,e, Martha Maria de Oliveira6,f, Julio Croda7,8,g

J Bras Pneumol.2018;44(2):77-81

PDF PT PDF EN English Text


4 - Tuberculose: onde estamos?

Tuberculosis: where are we?

Fernanda Carvalho de Queiroz Mello1,a, Denise Rossato Silva2,b, Margareth Pretti Dalcolmo3,c

J Bras Pneumol.2018;44(2):82

PDF PT PDF EN English Text


Educação continuada: Imagem

5 - Calcificações linfonodais

Lymph node calcifications

Edson Marchiori1,a, Bruno Hochhegger2,b, Gláucia Zanetti1,c

J Bras Pneumol.2018;44(2):83

PDF PT PDF EN English Text


Educação Continuada: Metodologia Científica

6 - Critérios de inclusão e exclusão em estudos de pesquisa: definições e por que eles importam

Inclusion and exclusion criteria in research studies: definitions and why they matter

Cecilia Maria Patino1,2,a, Juliana Carvalho Ferreira1,3,b

J Bras Pneumol.2018;44(2):84

PDF PT PDF EN English Text


Artigo Original

7 - Análise sequencial como ferramenta na detecção da ototoxicidade da amicacina no tratamento da tuberculose multirresistente

Sequential analysis as a tool for detection of amikacin ototoxicity in the treatment of multidrug-resistant tuberculosis

Karla Anacleto de Vasconcelos1, Silvana Maria Monte Coelho Frota2, Antonio Ruffino-Netto3, Afrânio Lineu Kritski4

J Bras Pneumol.2018;44(2):85-92

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objective: To investigate early detection of amikacin-induced ototoxicity in a population treated for multidrug-resistant tuberculosis (MDR-TB), by means of three different tests: pure-tone audiometry (PTA); high-frequency audiometry (HFA); and distortion-product otoacoustic emission (DPOAE) testing. Methods: This was a longitudinal prospective cohort study involving patients aged 18-69 years with a diagnosis of MDR-TB who had to receive amikacin for six months as part of their antituberculosis drug regimen for the first time. Hearing was assessed before treatment initiation and at two and six months after treatment initiation. Sequential statistics were used to analyze the results. Results: We included 61 patients, but the final population consisted of 10 patients (7 men and 3 women) because of sequential analysis. Comparison of the test results obtained at two and six months after treatment initiation with those obtained at baseline revealed that HFA at two months and PTA at six months detected hearing threshold shifts consistent with ototoxicity. However, DPOAE testing did not detect such shifts. Conclusions: The statistical method used in this study makes it possible to conclude that, over the six-month period, amikacin-associated hearing threshold shifts were detected by HFA and PTA, and that DPOAE testing was not efficient in detecting such shifts.

 


Palavras-chave: Tuberculose; Perda auditiva; Aminoglicosídeos/toxicidade.

 

8 - Aspectos clínicos em pacientes com infecção pulmonar por micobactérias do complexo Mycobacterium abscessus na Amazônia brasileira

Clinical aspects in patients with pulmonary infection caused by mycobacteria of the Mycobacterium abscessus complex, in the Brazilian Amazon

José Tadeu Colares Monteiro1, Karla Valéria Batista Lima2, Adriana Rodrigues Barretto3, Ismari Perini Furlaneto1,2, Glenda Moraes Gonçalves3, Ana Roberta Fusco da Costa2, Maria Luiza Lopes2, Margareth Pretti Dalcolmo4,5

J Bras Pneumol.2018;44(2):93-98

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Descrever as manifestações clínicas de pacientes com infecção pulmonar por micobactérias do complexo Mycobacterium abscessus (CMA) e compará-las com as daqueles infectados com outras micobactérias não tuberculosas (MNT). Métodos: Estudo de coorte retrospectivo envolvendo 43 pacientes divididos em dois grupos: grupo CMA, com pacientes com infecção pulmonar por CMA (n = 17); e grupo MNT, com pacientes com infecção pulmonar por MNT que não CMA (n = 26). Os pacientes foram previamente tratados com o esquema rifampicina, isoniazida, pirazinamida e etambutol antes de o diagnóstico de MNT ser confirmado com culturas positivas em duas amostras de escarro diferentes. As sequências nucleotídicas dos genes hsp65, RNAr 16S e/ou rpoB foram analisadas para a identificação das micobactérias. Foram coletadas características demográficas, clínicas e radiológicas, assim como respostas terapêuticas e desfechos. Resultados: A única manifestação clínica significativamente mais frequente no grupo CMA que no grupo MNT foi hiporexia (p = 0,0306). A chance de haver a necessidade de utilização de um segundo esquema terapêutico foi quase 12 vezes maior no grupo CMA que no grupo MNT. O sucesso terapêutico foi significativamente maior no grupo MNT que no grupo CMA (83,2% vs. 17,6%; p < 0,0001). A chance de recidiva no grupo CMA foi aproximadamente 37 vezes maior que no grupo MNT. Conclusões: Na amostra estudada, a resposta terapêutica da doença pulmonar causada por CMA evoluiu de forma menos favorável do que naquela causada pelas demais MNT.

 


Palavras-chave: Micobactérias não tuberculosas/classificação; Micobactérias não tuberculosas/efeitos de drogas; Pneumopatias.

 

9 - Impacto do tabagismo na conversão de cultura e no desfecho do tratamento da tuberculose pulmonar no Brasil: estudo de coorte retrospectivo

Impact of smoking on sputum culture conversion and pulmonary tuberculosis treatment outcomes in Brazil: a retrospective cohort study

Michelle Cailleaux-Cezar1,a, Carla Loredo1,b, José Roberto Lapa e Silva1,c, Marcus Barreto Conde1,2,d

J Bras Pneumol.2018;44(2):99-105

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar o impacto do tabagismo no desfecho do tratamento da tuberculose pulmonar (TBP) e na taxa de conversão da cultura de Mycobacterium tuberculosis no escarro ao final do segundo mês de tratamento em pacientes com TBP confirmada por cultura em um local com incidência de tuberculose moderada no Brasil. Métodos: Estudo de coorte retrospectivo envolvendo pacientes com TBP diagnosticados e tratados no Instituto de Doenças do Tórax da Universidade Federal do Rio de Janeiro entre 2004 e 2012. Resultados: De 298 pacientes com diagnóstico confirmado de TBP no período do estudo, 174 foram incluídos na análise dos desfechos: 97 nunca fumaram (55,7%), 31 eram ex-tabagistas (17,8%), e 46 eram tabagistas atuais (26,5%). O tabagismo foi associado ao atraso na conversão da cultura do final do segundo mês do tratamento (risco relativo = 3,58 [IC95%: 1,30-9,86]; p = 0,01), assim como ao desfecho de tratamento não favorável (risco relativo = 6,29 [IC95%: 1,57-25,21]; p = 0,009). A associação entre tabagismo e cultura positiva ao final do segundo mês de tratamento foi estatisticamente significante entre os tabagistas atuais (p = 0.027). Conclusões: Nesta amostra, os pacientes tabagistas atuais apresentaram uma maior probabilidade de atraso na conversão da cultura após dois meses de tratamento e de desfecho de tratamento não favorável do que aqueles que nunca fumaram.

 


Palavras-chave: Tuberculose; Resultado do tratamento: Hábito de fumar.

 

10 - Doença pulmonar por micobactérias não tuberculosas em uma região de alta incidência de tuberculose no Brasil

Nontuberculous mycobacterial lung disease in a high tuberculosis incidence setting in Brazil

Maiara dos Santos Carneiro1,2, Luciana de Souza Nunes2,3, Simone Maria Martini De David4, Claudia Fontoura Dias5, Afonso Luís Barth1,2, Gisela Unis5

J Bras Pneumol.2018;44(2):106-111

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: A incidência de doença pulmonar causada por micobactérias não tuberculosas (MNT) tem aumentado em todo o mundo. No Brasil, há poucos estudos sobre doença pulmonar por MNT, e sua prevalência ainda não é conhecida. Nosso objetivo foi determinar a etiologia específica da doença no estado do Rio Grande do Sul, bem como a frequência e a diversidade das espécies de MNT em nossa amostra de pacientes. Métodos: Análise retrospectiva dos prontuários de pacientes diagnosticados com doença pulmonar por MNT atendidos em um centro de referência localizado na cidade de Porto Alegre, RS, entre 2003 e 2013. Resultados: Nossa amostra foi composta por 100 pacientes. As espécies de MNT mais prevalentes foram Mycobacterium avium complex (MAC, complexo M. avium), em 35% dos casos; M. kansasii, em 17%; e M. abscessus, em 12%. Um total de 85 pacientes havia feito tratamento anterior para tuberculose. Condições associadas incluíram anormalidades estruturais nos pulmões, como bronquiectasias, em 23% dos casos; DPOC, em 17%; e condições imunossupressoras, como AIDS, em 24%. Conclusões: MAC e M. kansasii foram as espécies mais prevalentes envolvidas na doença pulmonar por MNT no estado, à semelhança do que ocorre em outras regiões do Brasil. Dados sobre a epidemiologia regional da doença pulmonar por MNT, sua etiologia específica e condições associadas são fundamentais para se estabelecer um tratamento adequado, já que cada espécie requer um esquema específico. A maioria dos pacientes com doença pulmonar por MNT havia feito tratamento anterior para tuberculose, o que pode levar a desenvolvimento de resistência e diagnóstico tardio.

 


Palavras-chave: Micobactérias não tuberculosas; Infecções por micobactéria não tuberculosa; Pneumopatias.

 

11 - Teste rápido molecular para tuberculose: avaliação do impacto de seu uso na rotina em um hospital de referência

Rapid molecular test for tuberculosis: impact of its routine use at a referral hospital

Marilda Casela1,a, Silvânia Maria Andrade Cerqueira1,b, Thais de Oliveira Casela2,c, Mariana Araújo Pereira3,d, Samanta Queiroz dos Santos3,e, Franco Andres Del Pozo4,f, Songeli Menezes Freire3,g, Eliana Dias Matos5,h

J Bras Pneumol.2018;44(2):112-117

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar o impacto do teste rápido molecular automatizado Xpert MTB/RIF, utilizado para a detecção de Mycobacterium tuberculosis e sua resistência à rifampicina, em condições de rotina, em um hospital de referência no estado da Bahia. Métodos: Estudo descritivo retrospectivo utilizando o banco de dados do Laboratório de Micobacteriologia do Hospital Especializado Octávio Mangabeira, localizado na cidade de Salvador, e um programa de georreferenciamento. Entre junho de 2014 e março de 2015, foram incluídas no estudo 3.877 amostras de escarro coletadas de pacientes sintomáticos respiratórios em condições de rotina. Todas as amostras coletadas foram submetidas tanto à baciloscopia quanto a Xpert MTB/RIF. Os pacientes foram estratificados por sexo, idade e georreferenciamento. Resultados: Das 3.877 amostras de escarro analisadas, Xpert MTB/RIF detectou a presença de M. tuberculosis em 678 pacientes (17,5%). Desses, 60 (8,8%) apresentaram resistência à rifampicina. O Xpert MTB/RIF detectou 254 pacientes com baciloscopia negativa, representando um acréscimo diagnóstico de 59,9%. Conclusões: A implantação do Xpert MTB/RIF, sob condições de rotina, teve um impacto significativo no aumento da detecção de casos de tuberculose em pacientes com baciloscopia negativa.

 


Palavras-chave: Tuberculose/diagnóstico; Técnicas de diagnóstico molecular; Escarro.

 

12 - Preditores de mortalidade em pacientes da unidade de terapia intensiva coinfectados por tuberculose e HIV

Predictors of mortality among intensive care unit patients coinfected with tuberculosis and HIV

Marcia Danielle Ferreira1,2,a, Cynthia Pessoa das Neves1,3,b, Alexandra Brito de Souza3,c, Francisco Beraldi-Magalhães1,3,d, Giovanni Battista Migliori4,e, Afrânio Lineu Kritski5,f, Marcelo Cordeiro-Santos1,3,g

J Bras Pneumol.2018;44(2):118-124

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Identificar fatores preditores de mortalidade em pacientes da UTI coinfectados por tuberculose (TB)/HIV em Manaus (AM). Métodos: Estudo retrospectivo de coorte com pacientes coinfectados por TB/HIV, com mais de 18 anos de idade e admitidos na UTI entre janeiro de 2011 e dezembro de 2014. Foram avaliadas variáveis sociodemográficas, clínicas e laboratoriais. Para identificar fatores preditores de mortalidade, foi empregado um modelo de riscos proporcionais de Cox. Resultados: Durante o período estudado, 120 pacientes com coinfecção por TB/HIV foram admitidos na UTI. A média de idade foi de 37,0 ± 11,7 anos. Dos 120 pacientes avaliados, 94 (78,3%) morreram; dos 94 óbitos, 62 (66,0%) ocorreram na primeira semana após a admissão. Havia dados sobre ventilação mecânica invasiva (VMI) e SARA referentes a 86 e 67 pacientes, respectivamente. Dos 86, 75 (87,2%) foram submetidos a VMI, e, dos 67, 48 (71,6%) apresentaram SARA. Os fatores que se relacionaram independentemente com a mortalidade foram VMI (p = 0,002), hipoalbuminemia (p = 0,013) e contagem de CD4 < 200 células/mm3 (p = 0,002). Conclusões: Elevada mortalidade precoce foi observada em pacientes com coinfecção por TB/HIV admitidos na UTI. Os fatores preditores de mortalidade nessa população foram VMI, hipoalbuminemia e imunodepressão grave.

 


Palavras-chave: Mycobacterium tuberculosis; Cuidados críticos; Respiração artificial; Síndrome de imunodeficiência adquirida.

 

13 - Quem são os pacientes com tuberculose diagnosticados no pronto-socorro? Uma análise dos desfechos do tratamento no Estado de São Paulo, Brasil

Who are the patients with tuberculosis who are diagnosed in emergency facilities? An analysis of treatment outcomes in the state of São Paulo, Brazil

Otavio Tavares Ranzani1,2,a, Laura Cunha Rodrigues2,b, Eliseu Alves Waldman3,c, Elena Prina1,d, Carlos Roberto Ribeiro Carvalho1,e

J Bras Pneumol.2018;44(2):125-133

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: O diagnóstico e tratamento precoce da tuberculose são determinantes de melhores desfechos e controle eficaz da doença. Embora a tuberculose deva ser diagnosticada e tratada idealmente na atenção primária à saúde, uma porcentagem dos pacientes recebe o diagnóstico no pronto-socorro. Nosso objetivo foi descrever as características dos pacientes de acordo com o local onde o diagnóstico de tuberculose foi feito e determinar se há relação entre o local do diagnóstico e os desfechos do tratamento. Um objetivo secundário foi determinar se há relação entre indicadores municipais e a probabilidade de diagnóstico de tuberculose no PS. Métodos: Analisamos dados provenientes do banco de dados do Programa de Controle da Tuberculose do Estado de São Paulo, referentes ao período de janeiro de 2010 a dezembro de 2013. Foram incluídos no estudo pacientes recém-diagnosticados com mais de 15 anos de idade e tuberculose pulmonar, extrapulmonar ou disseminada. Modelos de regressão logística múltipla ajustados para levar em conta possíveis fatores de confusão foram usados para avaliar a relação entre o local do diagnóstico e os desfechos do tratamento. Resultados: De um total de 50.295 pacientes, 12.696 (25%) foram diagnosticados no PS. Em comparação com os pacientes que foram diagnosticados no ambulatório, os pacientes diagnosticados no PS eram mais jovens e mais vulneráveis socialmente. A probabilidade de tratamento com desfechos ruins, incluindo perda de seguimento e óbito, foi maior nos pacientes diagnosticados no PS (OR ajustada: 1,54; IC95%: 1,42-1,66). Nos municípios, a probabilidade de diagnóstico de tuberculose no PS relacionou-se com baixa cobertura da atenção primária, desigualdade e vulnerabilidade social. Em alguns municípios, mais de 50% dos casos de tuberculose foram diagnosticados no PS. Conclusões: No Estado de São Paulo, um em cada quatro pacientes com tuberculose é diagnosticado no PS; o diagnóstico de tuberculose no PS está relacionado com tratamento com desfechos ruins. Nos municípios, o diagnóstico de tuberculose no PS está relacionado com indicadores estruturais e socioeconômicos e indica pontos que precisam melhorar.

 


Palavras-chave: Tuberculose/diagnóstico; Tratamento de emergência; Resultado do tratamento; Assistência à saúde.

 

Artigo de Revisão

14 - Aspectos epidemiológicos, manifestações clínicas e prevenção da tuberculose pediátrica sob a perspectiva da Estratégia End TB

Epidemiological aspects, clinical manifestations, and prevention of pediatric tuberculosis from the perspective of the End TB Strategy

Anna Cristina Calçada Carvalho1,a, Claudete Aparecida Araújo Cardoso2,b, Terezinha Miceli Martire3,c, Giovanni Battista Migliori4,d, Clemax Couto Sant'Anna5,e

J Bras Pneumol.2018;44(2):134-144

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A tuberculose continua sendo uma prioridade de saúde pública em muitos países. Em 2015, a tuberculose matou 1,4 milhão de pessoas, incluindo 210.000 crianças. Apesar dos recentes progressos no controle da tuberculose no nosso país, o Brasil ainda é um dos países com maior carga de tuberculose. Em 2015, houve 69.000 casos de tuberculose notificados no Brasil e a tuberculose foi a causa de 4.500 mortes no país. Em 2014, a Organização Mundial da Saúde aprovou a Estratégia End TB, que estabeleceu 2035 como data-alvo para atingir suas metas de redução da incidência de tuberculose em 90% e do número de mortes por tuberculose em 95%. No entanto, para alcançar essas metas no Brasil, há a necessidade de colaboração entre os diversos setores envolvidos no controle da tuberculose e de priorização de atividades, incluindo medidas de controle voltadas às populações mais vulneráveis. As crianças são altamente vulneráveis à tuberculose, e há particularidades específicas dos pacientes pediátricos quanto ao desenvolvimento da tuberculose (rápida progressão da infecção para a doença ativa), prevenção (baixa eficácia da vacinação contra as formas pulmonares e disponibilidade limitada de tratamento preventivo da infecção tuberculosa latente), diagnóstico (baixa taxa de diagnóstico confirmado bacteriologicamente); e tratamento (pouca disponibilidade de fármacos antituberculose próprios para crianças). Nesta revisão, discutimos a epidemiologia, as manifestações clínicas e a prevenção da tuberculose na infância e adolescência, destacando as peculiaridades da tuberculose ativa e latente nessas faixas etárias, a fim de promover a reflexão sobre novas abordagens para o manejo da tuberculose pediátrica no àmbito da Estratégia End TB.

 


Palavras-chave: Tuberculose pulmonar/prevenção & controle; Mycobacterium tuberculosis; Pneumopatias/etiologia; Criança; Adolescente.

 

15 - Fatores de risco para tuberculose: diabetes, tabagismo, álcool e uso de outras drogas

Risk factors for tuberculosis: diabetes, smoking, alcohol use, and the use of other drugs

Denise Rossato Silva1,a, Marcela Muñoz-Torrico2,b, Raquel Duarte3,4,c, Tatiana Galvão5,d, Eduardo Henrique Bonini6,7,e, Flávio Ferlin Arbex6,f, Marcos Abdo Arbex6,g, Valéria Maria Augusto8,h, Marcelo Fouad Rabahi9,i, Fernanda Carvalho de Queiroz Mello10,j

J Bras Pneumol.2018;44(2):145-152

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A tuberculose continua a ser um importante problema de saúde para a humanidade. Embora os esforços para controlar a epidemia tenham reduzido sua mortalidade e incidência, há vários fatores predisponentes a ser controlados a fim de reduzir a carga da doença. Este artigo de revisão aborda alguns dos fatores de risco associados à infecção por tuberculose, como diabetes, tabagismo, uso de álcool e uso de outras drogas, que podem também contribuir para maus resultados do tratamento da tuberculose. A tuberculose pode levar a complicações no curso e no manejo de outras doenças, como o diabetes. Portanto, é importante identificar essas comorbidades em pacientes com tuberculose a fim de assegurar um manejo adequado de ambas as condições.

 


Palavras-chave: Tuberculose/epidemiologia; Tuberculose/prevenção & controle; Diabetes mellitus/prevenção & controle; Hábito de fumar/efeitos adversos; Consumo de bebidas alcoólicas/efeitos adversos; Drogas ilícitas/efeitos adversos.

 

16 - Novos fármacos e fármacos repropostos para o tratamento da tuberculose multirresistente e extensivamente resistente

New and repurposed drugs to treat multidrug- and extensively drug-resistant tuberculosis

Denise Rossato Silva1,a, Margareth Dalcolmo2,b, Simon Tiberi3,c, Marcos Abdo Arbex4,5,d, Marcela Munoz-Torrico6,e, Raquel Duarte7,8,9,f, Lia D'Ambrosio10,11,g, Dina Visca12,h, Adrian Rendon13,i, Mina Gaga14,j, Alimuddin Zumla15,k, Giovanni Battista Migliori10,l

J Bras Pneumol.2018;44(2):153-460

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A tuberculose multirresistente (TB-MDR, do inglês multidrug-resistant) e a extensivamente resistente (TB-XDR, do inglês extensively drug-resistant) continuam representando um desafio para os clínicos e as autoridades de saúde pública. Infelizmente, embora haja relatos encorajadores de taxas de sucesso maiores, a taxa global de desfechos favoráveis do tratamento da TB-MDR/XDR é de apenas 54%, ou muito menor quando o espectro de resistência aos fármacos vai além do da TB-XDR. O tratamento da TB-MDR/XDR continua sendo uma tarefa difícil, em razão da alta incidência de eventos adversos, do longo tempo de tratamento, do alto culto dos esquemas utilizados e da drenagem dos recursos de saúde. Diversos ensaios e estudos foram realizados recentemente (alguns já publicados e outros em andamento), todos visando a melhorar os desfechos do tratamento da TB-MDR/XDR por meio da alteração da abordagem geral, redução do tempo de tratamento e desenvolvimento de um esquema universal. O objetivo desta revisão foi resumir o que se conseguiu até o momento, no que se refere a novos fármacos e fármacos repropostos, dando foco especial para delamanid, bedaquilina, pretomanida, clofazimina, carbapenêmicos e linezolida. Após mais de 40 anos de negligência, recentemente foi dada mais atenção á necessidade de novos fármacos para se combater a "praga branca", e resultados promissores estão sendo relatados.

 


Palavras-chave: Tuberculose/terapia; Tuberculose resistente a múltiplos medicamentos; Tuberculose extensivamente resistente a drogas; Antituberculosos.

 

17 - Achados de radiografia e de TC de tórax em pacientes transplantados de órgãos sólidos e diagnosticados com tuberculose pulmonar: uma revisão sistemática

Chest X-ray and chest CT findings in patients diagnosed with pulmonary tuberculosis following solid organ transplantation: a systematic review

Irai Luis Giacomelli1,a, Roberto Schuhmacher Neto1,b, Edson Marchiori2,c, Marisa Pereira1, Bruno Hochhegger1,d

J Bras Pneumol.2018;44(2):161-166

Resumo PDF PT PDF EN English Text

O objetivo desta revisão sistemática foi selecionar artigos com achados radiográficos e/ou tomográficos de tórax em pacientes que desenvolveram tuberculose pulmonar após transplante de órgãos sólidos (pulmão, rim ou fígado). Os descritores utilizados para a pesquisa foram: "tuberculosis", "transplants", "transplantation", "mycobacterium" e "lung". As bases de dados utilizadas nesta revisão foram PubMed e Biblioteca Virtual em Saúde. Foram selecionados artigos em inglês, português e espanhol, independentemente do ano de sua publicação, que possuíam em seu título, resumo ou corpo do texto os aspectos selecionados quanto ao objetivo da pesquisa. Foram excluídos artigos sem dados sobre achados de radiografia ou de TC de tórax e aqueles não relacionados com transplantes de órgão sólido ou tuberculose pulmonar. Foram selecionados 29 artigos para o estudo, somando 219 pacientes. As maiores amostras vieram de estudos realizados no Brasil e na Coreia do Sul (78 e 35 pacientes, respectivamente). Os achados de imagem foram subdivididos em cinco padrões mais comuns. Os achados de imagem nesses pacientes variaram dependendo do órgão transplantado. O padrão mais comum foi o clássico para tuberculose pulmonar (escavação e nódulos em árvore em brotamento) nos transplantados de fígado e pulmão, que é similar ao acometimento da doença na população em geral. Transplantados de rim apresentaram um maior número de casos de acometimento miliar e de linfonodomegalia, que é mais similar aos casos de pacientes coinfectados com tuberculose e HIV. Estudos que avaliem dados clínicos, como o esquema farmacológico de imunossupressão, são necessários para um melhor entendimento da distribuição desses padrões de imagem nessa população.

 


Palavras-chave: Tomografia computadorizada por raios X; Radiografia; Tuberculose pulmonar; Pulmão/transplante; Rim/transplante; Fígado/transplante.

 

Imagens em Pneumologia

18 - Aneurisma gigante da artéria pulmonar em paciente com hipertensão arterial pulmonar associada à esquistossomose

Giant pulmonary artery aneurysm in a patient with schistosomiasis-associated pulmonary arterial hypertension

Francisca Gavilanes1,a, Bruna Piloto1,b, Caio Julio Cesar Fernandes1,c

J Bras Pneumol.2018;44(2):167

PDF PT PDF EN English Text


Cartas ao Editor

19 - Conhecimento e percepção de médicos e enfermeiros em três capitais brasileiras com alta incidência de tuberculose a respeito da transmissão e prevenção da doença

Knowledge and perceptions of tuberculosis transmission and prevention among physicians and nurses in three Brazilian capitals with high incidence of tuberculosis

Jonas Ramos1,a, Maria F Wakoff-Pereira1,b, Marcelo Cordeiro-Santos2,3,c, Maria de Fátima Militão de Albuquerque4,d, Philip C Hill5,e, Dick Menzies6,f, Anete Trajman,6,7,g

J Bras Pneumol.2018;44(2):168-170

PDF PT PDF EN English Text


20 - Nódulo em vidro fosco de crescimento rápido, causado por melanoma metastático e sem captação de 18F fluordesoxiglicose na tomografia por emissão de pósitrons com 18F fluordesoxiglicose/tomografia computadorizada

Rapidly growing pulmonary ground-glass nodule caused by metastatic melanoma lacking uptake on 18F-FDG PET-CT.

Giorgia Dalpiaz1,a, Sofia Asioli2,b, Stefano Fanti3,c, Gaetano Rea4,d, Edson Marchiori5,e

J Bras Pneumol.2018;44(2):171-172

PDF PT PDF EN English Text


Ano 2018 - Volume 44  - Número 3  (Maio/Junho)

App

Editorial

1 - A importância do Simpósio Mundial de Hipertensão Pulmonar

The importance of the World Symposium on Pulmonary Hypertension

Carlos Jardim1,a, Daniel Waetge2

J Bras Pneumol.2018;44(3):173-174

PDF PT PDF EN English Text


2 - Análise de custos em UTI sob a perspectiva da fisioterapia

Cost analysis in the ICU from the standpoint of physical therapy

Liria Yuri Yamauchi1,a

J Bras Pneumol.2018;44(3):175

PDF PT PDF EN English Text


3 - Valores de referência para a avaliação de membros superiores: estamos diante de uma luz no fim do túnel?

Reference values for assessing the arms: are we seeing a light at the end of the tunnel?

Luciana Dias Chiavegato1,2,a

J Bras Pneumol.2018;44(3):176-177

PDF PT PDF EN English Text


4 - Abrindo as janelas de oportunidade para tratar o tabagismo

Opening windows of opportunity for smoking cessation treatment

Maria Vera Cruz de Oliveira Castellano1,a

J Bras Pneumol.2018;44(3):178-179

PDF PT PDF EN English Text


5 - Reperfusão vascular no tromboembolismo pulmonar: dúvidas e certezas

Vascular reperfusion in pulmonary thromboembolism: certainties and uncertainties

Veronica Moreira Amado1,a

J Bras Pneumol.2018;44(3):180-181

PDF PT PDF EN English Text


Educação continuada: Imagem

6 - Pulmão hipertransparente unilateral

Unilateral hyperlucent lung

Edson Marchiori1,a, Bruno Hochhegger2,b, Gláucia Zanetti1,c

J Bras Pneumol.2018;44(3):182

PDF PT PDF EN English Text


Educação Continuada: Metodologia Científica

7 - Validade interna e externa: você pode aplicar resultados de pesquisa para seus pacientes?

Internal and external validity: can you apply research study results to your patients?

Cecilia Maria Patino1,2,a, Juliana Carvalho Ferreira1,3,b

J Bras Pneumol.2018;44(3):183

PDF PT PDF EN English Text


Artigo Original

8 - Relação entre a disponibilidade de serviços de fisioterapia e custos de UTI

Relationship between availability of physiotherapy services and ICU costs

Bruna Peruzzo Rotta1,2,a, Janete Maria da Silva2,3,b, Carolina Fu2,4,c, Juliana Barbosa Goulardins4,5,d, Ruy de Camargo Pires-Neto2,4,e, Clarice Tanaka2,4,f

J Bras Pneumol.2018;44(3):184-189

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Determinar se a disponibilidade de serviços de fisioterapia 24 h/dia reduz os custos de UTI comparada à disponibilidade padrão de 12 h/dia entre pacientes admitidos pela primeira vez na UTI. Métodos: Estudo de prevalência observacional, envolvendo 815 pacientes ≥ 18 anos de idade que estavam em ventilação mecânica invasiva (VMI) por ≥ 24 h e que tiveram alta de uma UTI para uma enfermaria em um hospital universitário terciário no Brasil. Os pacientes foram divididos em dois grupos de acordo com a disponibilidade de serviços de fisioterapia na UTI em h/dia: 24 h (PT-24; n = 332); e 12 h (PT-12; n = 483). Os dados coletados incluíram os motivos das internações hospitalares e das admissões na UTI; a pontuação Acute Physiology and Chronic Health Evaluation II (APACHE II); a duração da VMI; o tempo de permanência na UTI (TP-UTI); e o escore Ômega. Resultados: A gravidade da doença foi similar em ambos os grupos. A disponibilidade ininterrupta de serviços de fisioterapia foi associada a tempos menores de VMI e TP-UTI, bem como a menores custos (totais, médicos e com pessoal), comparada à disponibilidade padrão de 12 h/dia. Conclusões: Na população estudada, os custos totais e os custos com pessoal foram menores no grupo PT-24 do que no grupo PT-12. A disponibilidade em h/dia dos serviços de fisioterapia mostrou ser um preditor significativo dos custos de UTI.

 


Palavras-chave: Unidades de terapia intensiva; Respiração artificial; Terapia respiratória; Custos hospitalares.

 

9 - Valores de referência para o teste de argolas de seis minutos em adultos saudáveis no Brasil

Reference values for the six-minute pegboard and ring test in healthy adults in Brazil

Vanessa Pereira Lima1,2,a, Fabiana Damasceno Almeida3,4,b, Tania Janaudis-Ferreira5,6,c, Bianca Carmona3,4,d, Giane Amorim Ribeiro-Samora3,4,e, Marcelo Velloso3,4,f

J Bras Pneumol.2018;44(3):190-194

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Determinar valores de referência para o teste de argolas de seis minutos (TA6) em uma amostra de adultos jovens e idosos saudáveis no Brasil e associar os resultados do teste com o comprimento de membros superiores, circunferências de braço e antebraço dominantes e nível de atividade física. Métodos: O TA6 foi realizado duas vezes, com intervalo de 30 min entre os testes. Os voluntários foram instruídos a mover tantas argolas quanto possíveis em seis minutos. O melhor resultado do teste foi escolhido para análise de dados. Resultados: Participaram do estudo 104 indivíduos com idades de 30-80 anos. Os valores de referência foram reportados por faixa etária. Foi observado que a idade se correlacionou com os valores obtidos no TA6. Indivíduos da faixa etária mais jovem (30-39 anos), quando comparados à faixa etária mais idosa (> 80 anos) apresentaram significativamente um maior desempenho (430,25 ± 77,00 vs. 265,00 ± 65,75; p < 0,05). O TA6 apresentou uma correlação fraca e positiva com o nível de atividade física (r = 0,358; p < 0,05), mas não com as outras variáveis analisadas. Conclusões: Este estudo foi capaz de originar valores de referência para o TA6 em uma amostra de adultos jovens e idosos saudáveis no Brasil. Houve uma correlação dos valores obtidos no TA6 com a idade.

 


Palavras-chave: Extremidade superior; Resistência física; Tolerância ao exercício; Teste de esforço.

 

10 - Comparação de duas intervenções de cessação do tabagismo em pacientes internados

Comparison of two smoking cessation interventions for inpatients

Antonio Carlos Ferreira Campos1,a, Angela Santos Ferreira Nani2,b, Vilma Aparecida da Silva Fonseca3,c, Eduardo Nani Silva1,2,d, Marcos César Santos de Castro2,4,e, Wolney de Andrade Martins1,2,f

J Bras Pneumol.2018;44(3):195-201

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Comparar a eficácia de duas intervenções de cessação de tabagismo baseadas na terapia cognitivo-comportamental em pacientes internados e avaliar os fatores relacionados à recaída após a alta hospitalar. Métodos: Estudo prospectivo, randomizado, com 90 tabagistas internados em um hospital universitário. Foram coletados dados relacionados a características sociodemográficas, motivo da internação, doenças relacionadas ao tabagismo, carga tabágica, grau de dependência de nicotina (DN) e grau de fissura. Os pacientes foram distribuídos em dois grupos de tratamento: intervenção breve (InB; n = 45) e intervenção intensiva com apresentação de um vídeo educativo (InIV; n = 45). Para avaliar recaídas, todos os pacientes foram entrevistados por contato telefônico no primeiro, terceiro e sexto mês após a alta. A abstinência foi confirmada pela medida de monóxido de carbono no ar expirado (COex). Resultados: Dos 90 pacientes avaliados, 55 (61,1%) eram homens. A média de idade foi de 51,1 ± 12,2 anos. O grau de DN foi elevado em 39 (43,4%), e sintomas de abstinência estavam presentes em 53 (58,9%). A média de COex inicial foi de 4,8 ± 4,5 ppm. O COex se correlacionou positivamente com o grau de DN (r = 0,244; p = 0,02) e negativamente com o número de dias sem fumar (r = −0,284; p = 0,006). Não houve diferenças entre os grupos quanto a variáveis relacionadas com nível socioeconômico, carga tabágica ou internação. Dos 81 pacientes avaliados após 6 meses de segmento, 33 (40,7%) continuaram abstinentes (9 e 24 nos grupos InB e InIV, respectivamente; p = 0,001) e 48 (59,3%) recaíram (31 e 17 nos grupos InB e InIV, respectivamente; p = 0,001). O grau de fissura (moderado ou intenso) foi um fator de risco independente significativo para a recaída, com um risco relativo de 4,0 (IC95%: 1,5-10,7; p < 0,00001). Conclusões: A inclusão de um vídeo educativo provou ser eficaz na redução das taxas de recaída. O grau de fissura foi um fator de risco significativo para a recaída.

 


Palavras-chave: Abandono do hábito de fumar; Tabagismo; Pacientes internados; Hospitalização.

 

11 - Tríade síndrome da apneia obstrutiva do sono, DPOC e obesidade: sensibilidade de escalas de sono e de questionários respiratórios

The triad of obstructive sleep apnea syndrome, COPD, and obesity: sensitivity of sleep scales and respiratory questionnaires

Flávio Danilo Mungo Pissulin1,a, Francis Lopes Pacagnelli1,b, Maiara Almeida Aldá1,c, Ricardo Beneti1,d, Jefferson Luis de Barros2,e, Suzana Tanni Minamoto2,f, Silke Anna Thereza Weber2,g

J Bras Pneumol.2018;44(3):202-206

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar se a presença de síndrome da apneia obstrutiva do sono (SAOS) modifica a percepção de queixas respiratórias e de qualidade de vida em pacientes com DPOC por meio de questionários específicos, além de verificar se escalas de sonolência diurna e de rastreamento para SAOS podem ser empregadas na tríade SAOS, DPOC e obesidade. Métodos: Foram incluídos no estudo 66 portadores diagnosticados com DPOC leve/moderada ou grave e com índice de massa corpórea > 27 kg/m2. Após a polissonografia, foram aplicados escala de sonolência de Epworth (ESE), Questionário de Berlim (QB), escala modificada do Medical Research Council (mMRC), Baseline Dyspnea Index (BDI) e Saint George's Respiratory Questionnaire (SGRQ). Resultados: Foram analisados os grupos DPOC e SAOS (n = 46) vs. DPOC sem SAOS (n = 20). Do primeiro grupo, foram formados os subgrupos DPOC+SAOS leve/moderada (n = 32) e DPOC+SAOS grave (n = 14), que foram comparados com o grupo DPOC sem SAOS. Houve diferença significativa nas médias de VEF1 (l) entre os grupos DPOC com e sem SAOS (p = 0,073). A presença da tríade não aumentou significativamente o escore de ESE, tendo o escore > 10 especificidade de 0,58. O QB não identificou alto risco para SAOS na presença da tríade (especificidade de 0,31). Não houve diferenças significativas nos domínios e no escore total do SGRQ entre os grupos DPOC com e sem SAOS. Conclusões: Os fatores de confusão presentes na tríade SAOS, DPOC e obesidade impediram a percepção de maior sonolência diurna e de risco elevado de SAOS. Não foi identificada piora na percepção de dispneia e na qualidade de vida.

 


Palavras-chave: Apneia obstrutiva do sono; Doença pulmonar obstrutiva crônica; Obesidade; Inquéritos e questionários.

 

12 - Obesidade e asma: caracterização clínica e laboratorial de uma associação frequente

Obesity and asthma: clinical and laboratory characterization of a common combination

Juliana Pires Viana de Jesus1,2,a, Aline Silva Lima-Matos2,3,b, Paula Cristina Andrade Almeida2,c, Valmar Bião Lima2,d, Luane Marques de Mello4,e, Adelmir Souza-Machado2,5,f, Eduardo Vieira Ponte5,6,g, Álvaro Augusto Cruz2,7,h

J Bras Pneumol.2018;44(3):207-212

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar a relação entre obesidade e asma. Métodos: Análise preliminar transversal de dados de um estudo de caso-controle com 925 pacientes com asma leve a moderada ou grave, avaliados entre 2013 e 2015. A classificação de obesidade levou em conta o índice de massa corpórea (IMC) e a circunferência abdominal. Foram coletados parâmetros clínicos, laboratoriais, medidas antropométricas e de função pulmonar, assim como resultados de questionários de controle da asma e de qualidade de vida e presença de comorbidades. Resultados: Os indivíduos obesos apresentaram um número significativamente maior de neutrófilos no sangue periférico que os não obesos (p = 0,01). Entre os obesos, 163 (55%) apresentaram positividade no teste alérgico, enquanto os grupos com sobrepeso e IMC normal apresentaram positividade em 62% e 67%, respectivamente. Os parâmetros espirométricos dos indivíduos obesos foram mais baixos que os dos não obesos, e 97 obesos (32%) apresentaram asma não controlada, uma proporção significativamente maior do que a observada nos demais grupos de estudo (p = 0,02). Conclusões: Indivíduos asmáticos e obesos têm pior controle da asma e valores mais baixos de parâmetros de função pulmonar que os não obesos. A proporção de pacientes sem atopia entre asmáticos obesos foi maior que entre os não obesos. Nossos resultados sugerem que indivíduos asmáticos obesos podem apresentar um padrão inflamatório diferente do habitual e doença de mais difícil controle quando comparados com indivíduos asmáticos não obesos.

 


Palavras-chave: Asma; Obesidade; Sobrepeso; Eosinofilia.

 

13 - O COPD Assessment Test é sensível para diferenciar pacientes com DPOC de indivíduos tabagistas e não tabagistas sem a doença? Um estudo de base populacional

Is the COPD Assessment Test sensitive for differentiating COPD patients from active smokers and nonsmokers without lung function impairment? A population-based study

Manuela Karloh1,2,a, Simone Aparecida Vieira Rocha1,b, Marcia Margaret Menezes Pizzichini1,3,c, Francine Cavalli1,d, Darlan Laurício Matte1,2,4,e, Emilio Pizzichini1,3,f; The Respira Floripa Group

J Bras Pneumol.2018;44(3):213-219

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar a pontuação obtida no COPD Assessment Test (CAT, Teste de Avaliação da DPOC) por adultos com e sem DPOC, bem como comparar a pontuação obtida no CAT por não fumantes, ex-fumantes e fumantes sem DPOC com a obtida por pacientes com DPOC. Métodos: Estudo populacional transversal (Respira Floripa) do qual participaram adultos com idade ≥ 40 anos, residentes em Florianópolis (SC). Foram investigados 846 domicílios. Além de responderem aos questionários do Respira Floripa e CAT, os participantes realizaram prova de função pulmonar. Resultados: Foram analisados dados referentes a 1.057 participantes (88,1% da amostra prevista). Noventa e dois participantes (8,7%) receberam diagnóstico funcional de DPOC. Destes, 72% não estavam cientes de que tinham DPOC. A média da pontuação no CAT foi maior no grupo de pacientes com DPOC que no de indivíduos sem DPOC [10,6 (IC95%: 8,8-12,4) vs. 6,6 (IC95%: 6,1-7,0); p < 0,01]. A pontuação obtida em cada item do CAT foi significativamente maior nos pacientes com DPOC que nos indivíduos sem DPOC (p < 0,001), à exceção da pontuação obtida nos itens referentes a sono (p = 0,13) e energia (p = 0,08). A média da pontuação no CAT foi maior nos pacientes com DPOC que em não fumantes [5,8 (IC95%: 5,3-6,4)] e ex-fumantes [6,4 (IC95%: 5,6-7,2); p < 0,05]. Entretanto, não houve diferenças significativas entre os pacientes com DPOC e fumantes sem DPOC quanto à média da pontuação no CAT [9,5 (IC95%: 8,2-10,8); p > 0,05], à exceção da média da pontuação no item confiança ao sair de casa (p = 0,02). Conclusões: A pontuação no CAT foi maior no grupo de pacientes com DPOC que em não fumantes e ex-fumantes sem DPOC. Entretanto, não houve diferenças significativas entre pacientes com DPOC e fumantes sem DPOC quanto à pontuação no CAT. Fumantes com relação VEF1/CVF > 0,70 apresentam estado de saúde comprometido e sintomas respiratórios semelhantes aos de pacientes com DPOC.

 


Palavras-chave: Testes de função respiratória; Doença pulmonar obstrutiva crônica; Fumar.

 

14 - Validade e confiabilidade da avaliação da mobilidade diafragmática pelo método da área radiográfica em sujeitos saudáveis

Validity and reliability of assessing diaphragmatic mobility by area on X-rays of healthy subjects

Aline Pedrini1,a, Márcia Aparecida Gonçalves1,b, Bruna Estima Leal1,c, Michelle Gonçalves de Souza Tavares2,d, Wellington Pereira Yamaguti3,e, David Luiz Góes4,f, Elaine Paulin1,g

J Bras Pneumol.2018;44(3):220-226

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar a validade concorrente, assim como a confiabilidade intra e interobservador, da avaliação da mobilidade diafragmática pelo método da área radiográfica (MDárea) em adultos saudáveis. Métodos: Foram avaliados os parâmetros antropométricos, a função pulmonar e a mobilidade diafragmática de 43 participantes. A mobilidade diafragmática foi determinada por dois observadores (A e B) em dois momentos distintos. O coeficiente de correlação de Pearson foi utilizado para avaliar a correlação entre o método da MDárea e o método por distância (MDdist). Para avaliar a confiabilidade intra e interobservador, foi utilizado o coeficiente de correlação intraclasse (CCI [2,1]), IC95% e a disposição gráfica de Bland & Altman. Resultados: Houve uma correlação significativa entre MDárea e MDdist (r = 0,743; p < 0,0001). Para MDárea, a confiabilidade intraobservador foi alta para a avaliação radiográfica do hemidiafragma direito (HDD) - CCI (2,1) = 0,92 (IC95%: 0,86-0,95) para o observador A e CCI (2,1) = 0,90 (IC95%: 0,84-0,94) para o observador B - e do hemidiafragma esquerdo (HDE) - CCI (2,1) = 0,96 (IC95%: 0,93-0,97) para o observador A e CCI (2,1) = 0,91 (IC95%: 0,81-0,95 para o observador B (p < 0,0001 para todos). Também para MDárea, a confiabilidade interobservador foi alta para a primeira e segunda avaliações do HDD - CCI (2,1) = 0,99 (IC95%: 0,98-0,99) e CCI (2,1) = 0,95 (IC95%: 0,86-0,97), respectivamente - e HDE - CCI (2,1) = 0,94 (IC95%: 0,87-0,97) e CCI (2,1) = 0,94 (IC95%: 0,87-0,97), respectivamente - (p < 0,0001 para ambos). A disposição gráfica de Bland & Altman mostrou uma boa concordância entre as medidas de mobilidade de HDD e HDE. Conclusões: O método de MDárea demonstrou ser válido e reprodutível para medir a mobilidade diafragmática.

 


Palavras-chave: Diafragma/fisiologia; Estudos de validação; Reprodutibilidade dos testes; Radiografia.

 

Comunicação Breve

15 - Minipleurostomia com curativo a vácuo: uma opção minimamente invasiva a pleurostomia

Mini-thoracostomy with vacuum-assisted closure: a minimally invasive alternative to open-window thoracostomy

Alessandro Wasum Mariani1,a, João Bruno Ribeiro Machado Lisboa1,b, Guilherme de Abreu Rodrigues1,c, Ester Moraes Avila2,d, Ricardo Mingarini Terra1,e, Paulo Manuel Pêgo-Fernandes1,f

J Bras Pneumol.2018;44(3):227-230

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A pleurostomia é uma opção frequente de tratamento para pacientes com empiema pleural fase III que não toleram decorticação pulmonar. Todavia, esse tratamento é considerado mutilante por envolver a confecção de um stoma torácico, que pode demorar anos para se fechar ou requerer nova cirurgia. Descreveu-se recentemente uma técnica minimamente invasiva que associa uso intrapleural de curativo a vácuo como opção a pleurostomia. A presente comunicação objetiva demonstrar o resultado de uma série inicial de pacientes tratados com a minipleurostomia associada ao uso de curativo a vácuo no que tange a sua efetividade e segurança.

 


Palavras-chave: Infecção; Empiema pleural; Tratamento de ferimentos com pressão negativa; Toracostomia.

 

Série de Casos

16 - Proteinose alveolar pulmonar: caracterização e desfechos em uma série de casos no Brasil

Characterization and outcomes of pulmonary alveolar proteinosis in Brazil: a case series

Rodolfo Augusto Bacelar de Athayde1,a, Fábio Eiji Arimura1,b, Ronaldo Adib Kairalla1,c, Carlos Roberto Ribeiro Carvalho1,d, Bruno Guedes Baldi1,e

J Bras Pneumol.2018;44(3):231-236

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: A proteinose alveolar pulmonar (PAP) é uma doença rara, caracterizada pelo acúmulo alveolar de substância surfactante, composta por proteínas e lipídios. É causada por um déficit de atividade macrofágica, cujo principal tratamento é a lavagem pulmonar total (LPT). Relatamos a seguir a experiência de um centro de referência brasileiro em PAP. Métodos: Estudo retrospectivo com a avaliação de pacientes com PAP acompanhados entre 2002 e 2016. Informações sobre história clínica, métodos diagnósticos, tratamentos realizados e desfechos, incluindo dados de função pulmonar, sobrevida e presença de complicações, foram analisados. Resultados: Foram incluídos 12 pacientes (8 mulheres), com média de idade de 41 ± 15 anos. A maioria dos pacientes foi diagnosticada por LBA e biópsia transbrônquica. A média do número de LPT realizadas por paciente foi de 2,8 ± 2,5. Um terço dos pacientes não foi submetido à LPT. Quatro pacientes (33,3%) apresentaram infecções associadas (criptococose, em 2; nocardiose, em 1; e tuberculose, em 1) e houve 2 óbitos (16,6%): 1 por adenocarcinoma lepídico e 1 por complicações na indução anestésica pré-LPT. Não houve diferença significativa entre os dados funcionais; porém houve uma tendência de aumento da SpO2 ao se comparar os dados iniciais aos do final do seguimento. A mediana de seguimento foi de 45 meses (1-184 meses), com taxa de sobrevida em 5 anos de 82%. Conclusões: Pelo que sabemos, esta é a maior série de casos de PAP no Brasil. A taxa de sobrevida foi semelhante à encontrada em outros centros. A LPT ainda é o tratamento de escolha para pacientes sintomáticos e hipoxêmicos. Deve-se atentar para complicações, especialmente infecções oportunistas.

 


Palavras-chave: Proteinose alveolar pulmonar; Lavagem broncoalveolar; Infecções oportunistas.

 

Artigo de Revisão

17 - Reperfusão no tromboembolismo pulmonar agudo

Reperfusion in acute pulmonary thromboembolism

Caio Julio Cesar dos Santos Fernandes1,2,a, Carlos Vianna Poyares Jardim1,b, José Leonidas Alves Jr1,2,c, Francisca Alexandra Gavilanes Oleas1,d, Luciana Tamie Kato Morinaga1,e, Rogério de Souza1,f

J Bras Pneumol.2018;44(3):237-243

Resumo PDF PT PDF EN English Text

O tromboembolismo pulmonar (TEP) agudo é uma condição altamente prevalente (104-183 por 100.000 pessoas-ano) e potencialmente fatal. Aproximadamente 20% dos pacientes com TEP agudo apresentam-se hipotensos, sendo considerados pacientes com alto risco de morte. Nesses casos, a necessidade de reperfusão pulmonar imediata é mandatória para reduzir a pós-carga do ventrículo direito e restaurar a condição hemodinâmica do paciente. Visando a redução da resistência vascular pulmonar no TEP agudo e, por consequência, a melhora na função ventricular direita, estratégias de reperfusão pulmonar foram desenvolvidas com passar do tempo e vêm sendo muito estudadas nos últimos anos. Avanços na indicação e no uso de trombolíticos sistêmicos, reperfusão pulmonar via abordagem endovascular ou abordagem cirúrgica clássica no TEP agudo são os focos desta revisão.

 


Palavras-chave: Embolia; Choque; Hipotensão; Terapia trombolítica; Reperfusão; Hemorragia.

 

Imagens em Pneumologia

18 - Síndrome da embolia gordurosa: achados de TC de tórax

Fat embolism syndrome: chest CT findings

Alessandro Graziani1,a, Chiara Carli Moretti2,b, Federica Mirici Cappa3,c

J Bras Pneumol.2018;44(3):244

PDF PT PDF EN English Text


Cartas ao Editor

19 - Resposta à quimioterapia citotóxica e sobrevida global em pacientes com câncer de pulmão não pequenas células com expressão positiva ou negativa para ERCC1

Response to cytotoxic chemotherapy and overall survival in non-small cell lung cancer patients with positive or negative ERCC1 expression

Helen Naemi Honma1,a, Maurício Wesley Perroud Jr1,b, André Moreno Morcillo2,c, José Vassallo3,d, Lair Zambon1,e

J Bras Pneumol.2018;44(3):245-246

PDF PT PDF EN English Text


20 - Hemoptise na papilomatose respiratória recorrente: pense também em aspergilose

Hemoptysis in recurrent respiratory papillomatosis: also think about aspergillosis

Giorgia Dalpiaz1,a, Sofia Asioli2,b, Stefania Damiani2,c, Gaetano Rea3,d, Edson Marchiori4,e

J Bras Pneumol.2018;44(3):247-248

PDF PT PDF EN English Text


Correspondência

21 - Reflexões sobre o artigo "Avaliação do impacto das mudanças do tratamento da tuberculose implantadas em 2009 no controle da tuberculose pulmonar no Brasil"

Reflections upon the article "Evaluation of the impact that the changes in tuberculosis treatment implemented in Brazil in 2009 have had on disease control in the country"

Ethel Leonor Maciel1,a, José Ueleres Braga2,3,b, Adelmo Inácio Bertolde4,c, Eliana Zandonade4,d

J Bras Pneumol.2018;44(3):249-252

PDF PT PDF EN English Text


Resposta do autor

22 - Resposta dos autores

Authors' reply

Marcelo Fouad Rabahi1,a, José Laerte Rodrigues da Silva Júnior2,3,b, Marcus Barreto Conde4,5,c

J Bras Pneumol.2018;44(3):251-252

PDF PT PDF EN English Text


Ano 2018 - Volume 44  - Número 4  (Julho/Agosto)

App

Editorial

1 - Um Mestre para lembrar e copiar

A teacher to remember and to emulate

Ana Luisa Godoy Fernandes1,a, Sonia Maria Faresin1,b

J Bras Pneumol.2018;44(4):253

PDF PT PDF EN English Text


2 - Pneumonia adquirida na comunidade: os desafios da realidade brasileira

Community-acquired pneumonia: challenges of the situation in Brazil

Mauro Gomes1,2,a

J Bras Pneumol.2018;44(4):254-256

PDF PT PDF EN English Text


3 - Teste da caminhada de seis minutos em pacientes com fibrose pulmonar idiopática

Six-minute walk test in patients with idiopathic pulmonary fibrosis

José Antônio Baddini-Martinez1,a

J Bras Pneumol.2018;44(4):257-258

PDF PT PDF EN English Text


Educação continuada: Imagem

4 - Cissura nodular

Nodular fissure

Edson Marchiori1,a, Bruno Hochhegger2,b, Gláucia Zanetti1,c

J Bras Pneumol.2018;44(4):259

PDF PT PDF EN English Text


Educação Continuada: Metodologia Científica

5 - Doze dicas para escrever um resumo para uma conferência: conselhos para investigadores iniciantes e experientes

Twelve tips to write an abstract for a conference: advice for young and experienced investigators

Juliana Carvalho Ferreira1,2,a, Cecilia Maria Patino1,3,b

J Bras Pneumol.2018;44(4):260

PDF PT PDF EN English Text


Artigo Original

6 - Perfil clínico, epidemiológico e etiológico de pacientes internados com pneumonia adquirida na comunidade em um hospital público do interior do Brasil

Clinical, epidemiological, and etiological profile of inpatients with community-acquired pneumonia in a public hospital in the interior of Brazil

Laura Fuchs Bahlis1,2,3,a, Luciano Passamani Diogo3,b, Ricardo de Souza Kuchenbecker4,c, Sandra Costa Fuchs4,d

J Bras Pneumol.2018;44(4):261-266

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Descrever o perfil dos pacientes, taxas de mortalidade, acurácia de escores prognósticos e fatores associados à mortalidade em pacientes com pneumonia adquirida na comunidade (PAC) em um hospital geral no Brasil. Métodos: Estudo de coorte envolvendo pacientes com diagnóstico clínico e laboratorial de PAC e necessidade de internação hospitalar entre março de 2014 e abril de 2015 em um hospital público do interior do Brasil. Foi realizada a análise multivariada mediante o modelo de regressão de Poisson com variância robusta para avaliar os fatores associados com mortalidade intra-hospitalar. Resultados: Foram incluídos 304 pacientes. Aproximadamente 70% dos pacientes foram classificados como graves de acordo com os critérios de gravidade utilizados. A taxa de mortalidade foi de 15,5% e a de necessidade de internação em UTI foi de 29,3%. Após a análise multivariada, os fatores associados à mortalidade intra-hospitalar foram necessidade de ventilação mecânica (OR = 3,60; IC95%: 1,85-7,47); Charlson Comorbidity Index > 3 (OR = 1,30; IC95%: 1,18-1,43); e mental Confusion, Urea, Respiratory rate, Blood pressure, and age > 65 years (CURB-65) > 2 (OR = 1,46; IC95%: 1,09-1,98). A média do tempo entre a chegada do paciente na emergência e o início da antibioticoterapia foi de 10 h. Conclusões: A taxa de mortalidade intra-hospitalar de 15,5% e a necessidade de internação em UTI em quase um terço dos pacientes demonstram o grande impacto da PAC nos pacientes e no sistema de saúde. Indivíduos com maior carga de comorbidades prévias, CURB-65 elevado e necessidade de ventilação mecânica apresentaram pior prognóstico. Ações para reduzir o tempo até o início da antibioticoterapia podem resultar em melhores desfechos nesse grupo de pacientes.

 


Palavras-chave: Infecções comunitárias adquiridas; Pneumonia; Mortalidade hospitalar; Fatores de risco.

 

7 - Distância no teste de caminhada de seis minutos e sobrevida na fibrose pulmonar idiopática no Brasil

Six-minute walk distance and survival time in patients with idiopathic pulmonary fibrosis in Brazil

Eliane Viana Mancuzo1,2,a, Maria Raquel Soares3,b, Carlos Alberto de Castro Pereira4,c

J Bras Pneumol.2018;44(4):267-272

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Determinar o ponto de corte da distância no teste de caminhada de seis minutos (DTC6) em relação à menor sobrevida em pacientes com fibrose pulmonar idiopática (FPI) no Brasil. Métodos: Estudo retrospectivo realizado em dois centros de referência para FPI. O TC6 foi realizado em duplicata, considerando-se o maior valor da DTC6. Vários pontos de corte foram estimados, em valores absolutos e em percentual do previsto, utilizando curvas ROC, método de Kaplan-Meier e dados de outros estudos. Resultados: A amostra envolveu 70 pacientes com FPI, com média de idade de 71,9 ± 6.4 anos, sendo 50 homens (71,4%). A média de CVF foi de 76,6 ± 18.2% do previsto. As médias de SpO2 em repouso antes e depois do TC6 foram de 93,8 ± 2,5% e 85,3 ± 6,5%, respectivamente. A mediana de sobrevida foi de 44 meses (IC95%: 37-51 meses). A média da DTC6 foi 381 ± 115 m (79,2 ± 24,0% do previsto). Após as análises, os melhores pontos de corte para estimar a sobrevida foram de DTC6 < 330 m e < 70% do previsto. A mediana de sobrevida foi de 24 meses (IC95%: 3-45 meses) para aqueles com DTC6 < 330 m comparada a 59 meses (IC95%: 41-77 meses) para aqueles com DTC6 ≥ 330 m (p = 0,009). Similarmente, a mediana de sobrevida foi de 24 meses (IC95%: 13-35 meses) para pacientes com DTC6 < 70% do previsto e de 59 meses (IC95%: 38-80 meses) para aqueles com DTC6 ≥ 70% do previsto (p = 0,013). Modelos de regressão multivariada de Cox incluindo idade, sexo, tabagismo, SpO2 ao final do TC6 e CVF% mostraram que a DTC6 permaneceu significativamente associada à sobrevida (p = 0,003). Conclusões: Valores de DTC6 < 330 m e < 70% do valor previsto associaram-se à menor sobrevida em pacientes com FPI no Brasil.

 


Palavras-chave: Doenças pulmonares intersticiais; Fibrose pulmonar, Tolerância ao exercício.

 

8 - Controle da asma, função pulmonar, estado nutricional e qualidade de vida relacionada à saúde: diferenças entre homens e mulheres adultos com asma

Asthma control, lung function, nutritional status, and health-related quality of life: differences between adult males and females with asthma

Gabriele Carra Forte1,a, Maria Luiza Hennemann2,b, Paulo de Tarso Roth Dalcin1,3,c

J Bras Pneumol.2018;44(4):273-278

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar a qualidade de vida relacionada à saúde em pacientes com asma tratados em um centro de referência no sul do Brasil e identificar diferenças entre homens e mulheres, além de avaliar as diferenças entre os sexos no tocante ao controle da asma, função pulmonar e estado nutricional. Métodos: Trata-se de um estudo transversal com pacientes com idade ≥ 18 anos tratados em um ambulatório de asma. Foram avaliados parâmetros clínicos, função pulmonar, estado nutricional e qualidade de vida. Resultados: Cento e noventa e oito pacientes completaram o estudo. A média de idade foi de 56,2 ± 14,8 anos, e 81,8% eram do sexo feminino. A proporção de pacientes com asma não controlada foi maior entre as mulheres que entre os homens (63,0% vs. 44,4%; p = 0,041). O índice de massa corporal (IMC) e a porcentagem de gordura corporal foram maiores nas mulheres que nos homens (30,2 ± 5,8 kg/m2 vs. 26,9 ± 4,5 kg/m2 e 37,4 ± 6,4% vs. 26,5 ± 7,4%; p = 0,002 e p < 0,001, respectivamente). A qualidade de vida foi menor nas mulheres que nos homens nos seguintes domínios: sintomas (3,8 ± 1,5 vs. 4,6 ± 1,7; p = 0,006); limitação das atividades (3,6 ± 1,3 vs. 4,4 ± 1,5; p = 0,001); função emocional (3,6 ± 1,9 vs. 4,5 ± 1,7; p = 0,014); estímulos ambientais (3,2 ± 1,6 vs. 4,3 ± 1,9; p = 0,001). Conclusões: Homens com asma aparentemente apresentam melhores resultados que mulheres com asma no que tange à qualidade de vida relacionada à saúde, controle da asma, IMC, porcentagem de gordura corporal e comorbidades.

 


Palavras-chave: Asma; Estado nutricional; Qualidade de vida; Adulto.

 

9 - Associação entre função pulmonar, força muscular respiratória e capacidade funcional de exercício em indivíduos obesos com síndrome da apneia obstrutiva do sono

Correlation of lung function and respiratory muscle strength with functional exercise capacity in obese individuals with obstructive sleep apnea syndrome

Thays Maria da Conceição Silva Carvalho1,a, Anísio Francisco Soares2,b, Danielle Cristina Silva Climaco3,c, Isaac Vieira Secundo3,d, Anna Myrna Jaguaribe de Lima2,e

J Bras Pneumol.2018;44(4):279-284

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar e correlacionar a função pulmonar e a força muscular inspiratória com a tolerância ao esforço em indivíduos obesos com síndrome de apneia obstrutiva do sono (SAOS). Métodos: Foram recrutados 31 adultos com diagnóstico de SAOS de moderada a grave através do exame de polissonografia. Os participantes foram submetidos à espirometria para a medida de CVF, VEF1 e relação CVF/VEF1, assim como à manovacuometria para a medida de PImáx e PEmáx. Para a determinação da capacidade funcional de exercício foram realizados o teste shuttle (TS) e o teste de caminhada de seis minutos (TC6). Resultados: Na amostra, as médias de CVF (% do previsto), VEF1 (% do previsto), PImáx e PEmáx foram de 76,4 ± 12,3%, 80,1 ± 6,3%, 60,0 ± 21,9 cmH2O e 81,3 ± 22,2 cmH2O, respectivamente. As médias das distâncias percorridas no TS e no TC6 foram de 221 ± 97 m e 480,8 ± 67,3 m, respectivamente. Houve correlações moderadas positivas entre a distância percorrida no TS e CVF (r = 0,658; p = 0,001) e entre a distância no TS e VEF1 (r = 0,522; p = 0,003). Conclusões: Nesta amostra de indivíduos obesos com SAOS não tratada, houve reduções na função pulmonar, força muscular inspiratória e capacidade física. Além disso, observou-se que o declínio da função pulmonar, mas não da força muscular respiratória, estava associado à tolerância ao esforço físico nestes pacientes.

 


Palavras-chave: Síndromes da apneia do sono; Tolerância ao exercício; Testes de função respiratória; Músculos respiratórios.

 

10 - Tradução, adaptação transcultural e confiabilidade do questionário Understanding COPD para uso no Brasil

Translation, cross-cultural adaptation, and reliability of the Understanding COPD questionnaire for use in Brazil

Anamaria Fleig Mayer1,2,a, Aline Almeida Gulart1,2,b, Karoliny dos Santos1,c, Katerine Cristhine Cani1,2,d, Manuela Karloh1,2,e, Brenda O'Neill3,f

J Bras Pneumol.2018;44(4):285-291

Resumo PDF PT PDF EN English Text Anexo

Objetivo: Traduzir o questionário Understanding COPD (UCOPD) para o português, adaptá-lo para uso no Brasil e avaliar sua confiabilidade. Métodos: O questionário UCOPD é dividido em duas seções, denominadas seção A e seção B. A seção A compreende 18 itens, divididos em três domínios: "Sobre a DPOC", "Manejo dos Sintomas da DPOC" e "Acesso a Ajuda e Suporte". A seção B inclui cinco itens referentes à satisfação do paciente com o componente educacional dos programas de reabilitação pulmonar. O questionário UCOPD foi aplicado duas vezes no mesmo dia por dois observadores diferentes (com 10 min de intervalo entre uma aplicação e outra) e mais uma vez 15-20 dias depois. O teste de Wilcoxon foi usado para comparar a pontuação obtida em cada aplicação. A confiabilidade foi avaliada por meio do coeficiente de correlação intraclasse e de gráficos de dispersão de Bland-Altman. Resultados: A amostra foi composta por 50 pacientes com DPOC (35 homens; média de idade = 65,3 ± 7,91 anos; média do VEF1 = 36,4 ± 16,2% do valor predito). Os coeficientes de correlação intraclasse referentes à análise interobservador da pontuação total da seção A e seus domínios variaram de moderados a elevados. A pontuação obtida na seção A e em seus domínios não apresentou diferenças significativas quanto à confiabilidade teste-reteste (p < 0,05). Os coeficientes alfa de Cronbach de teste-reteste e interobservador referentes à pontuação total da seção A foram de 0,93 e 0,86, respectivamente (p < 0,001). Não foram observados efeitos de piso ou teto. Conclusões: A versão em português do Brasil do questionário UCOPD é confiável.

 


Palavras-chave: Doença pulmonar obstrutiva crônica; Reprodutibilidade de testes; Conhecimentos, atitudes e prática em saúde.

 

11 - Hiperidrose: prevalência e impacto na qualidade de vida

Hyperhidrosis: prevalence and impact on quality of life

Erica Nishida Hasimoto1,a, Daniele Cristina Cataneo2,b, Tarcísio Albertin dos Reis3,c, Antonio José Maria Cataneo2,d

J Bras Pneumol.2018;44(4):292-298

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Estabelecer a prevalência de hiperidrose primária no município de Botucatu (SP) e avaliar como o transtorno afeta a qualidade de vida dos seus portadores. Métodos: Foi realizado um levantamento populacional para identificar os casos de hiperidrose em moradores da região urbana da cidade, selecionados por amostragem sistemática de conglomerados. O número amostral de 4.033 participantes foi calculado usando os mapas censitários do município. Dez entrevistadores aplicaram um questionário que avaliou a presença de transpiração excessiva e convidaram os sujeitos que referiram hiperidrose para uma entrevista com um médico para a confirmação do diagnóstico. Resultados: Foram pesquisados 1.351 domicílios, com 4.133 moradores. Desses, 85 queixaram-se de sudorese excessiva (prevalência = 2,07%), sendo 51 (60%) do gênero feminino. Dos 85 indivíduos, 51 (60%) concordaram receber avaliação médica para confirmar o diagnóstico, e apenas 23 (45%) apresentaram hiperidrose primária (prevalência = 0,93%). Dos 23 indivíduos diagnosticados com hiperidrose primária, 11 (48%) referiram qualidade de vida ruim ou muito ruim. Conclusões: Embora as queixas de transpiração excessiva tenham sido superiores a 2%, a prevalência real de hiperidrose primária em nossa amostra foi de 0,93% e o distúrbio afetava a qualidade de vida em quase 50% dos indivíduos.

 


Palavras-chave: Hiperidrose/epidemiologia; Hiperidrose/diagnóstico; Qualidade de vida

 

12 - Espirometria em pacientes submetidos a investigação para detecção de doença arterial coronariana: é útil?

Spirometry in patients screened for coronary artery disease: is it useful?

Frederico Leon Arrabal Fernandes1,a, Regina Maria Carvalho-Pinto1,b, Rafael Stelmach1,c, João Marcos Salge1,d, Carlos Eduardo Rochitte2,e, Eliane Cardoso dos Santos Souza1,f, Janaina Danielle Pessi1,g, Alberto Cukier1,h

J Bras Pneumol.2018;44(4):299-306

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Determinar a prevalência de alterações espirométricas em pacientes submetidos a investigação para detecção de doença arterial coronariana (DAC) e os fatores de risco de comprometimento da função pulmonar. Métodos: Pacientes encaminhados para TC cardíaca foram submetidos a espirometria e, em seguida, divididos em dois grupos: função pulmonar normal e função pulmonar anormal. A prevalência de alterações espirométricas foi calculada em fumantes, pacientes com síndrome metabólica, idosos e portadores de lesões coronárias obstrutivas. Os grupos e subgrupos foram comparados quanto ao escore de cálcio coronariano e ao índice de gravidade de DAC de Duke. Resultados: Completaram o estudo 205 pacientes. Destes, 147 (72%) apresentaram função pulmonar normal e 58 (28%) apresentaram função pulmonar anormal. A mediana do escore de cálcio coronariano foi 1 nos pacientes com função pulmonar normal e 36 naqueles com função pulmonar anormal (p = 0,01). A média do índice de gravidade de DAC de Duke foi = 15 nos pacientes com função pulmonar normal e 27 nos pacientes com função pulmonar anormal (p < 0,01). O tabagismo apresentou a maior OR de função pulmonar anormal, seguido de idade > 65 anos e lesões coronarianas obstrutivas. Conclusões: A prevalência de alterações espirométricas parece ser alta em pacientes submetidos a TC cardíaca para detecção de DAC. O risco de função pulmonar anormal é maior em fumantes, idosos e pacientes com DAC, os quais, portanto, devem ser submetidos a espirometria. (ClinicalTrials.gov identifier: NCT01734629 [http://www.clinicaltrials.gov/])

 


Palavras-chave: Doença pulmonar obstrutiva crônica; Espirometria; Doença das coronárias; Tomografia computadorizada por raios X.

 

13 - Biópsia percutânea com agulha grossa, guiada por TC, de nódulos pulmonares menores que 2 cm: aspectos técnicos e fatores que influenciam a precisão

CT-guided percutaneous core needle biopsy of pulmonary nodules smaller than 2 cm: technical aspects and factors influencing accuracy

Juliano Ribeiro de Andrade1,a, Rafael Dahmer Rocha1,b, Priscila Mina Falsarella1,c, Antonio Rahal Junior1,d, Ricardo Sales dos Santos2,e, Juliana Pereira Franceschini3,f, Hiran Chrishantha Fernando4,g, Rodrigo Gobbo Garcia1,h

J Bras Pneumol.2018;44(4):307-314

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar a precisão diagnóstica da biópsia percutânea com agulha grossa, guiada por TC - doravante denominada BAG-TC - de nódulos pulmonares ≤ 2 cm, bem como identificar fatores que influenciam a precisão do procedimento e sua morbidade. Métodos: Estudo retrospectivo, realizado em um único centro, com 170 pacientes consecutivos submetidos a BAG-TC de nódulos pulmonares pequenos (≤ 2 cm) entre janeiro de 2010 e agosto de 2015. Resultados: Do total de biópsias, 156 resultaram em diagnóstico definitivo, com precisão diagnóstica global de 92,3%. Lesões maiores estiveram relacionadas com maior precisão global (OR = 1,30; p = 0,007). A presença de hemorragia parenquimatosa durante o procedimento resultou em menor precisão (OR = 0,13; p = 0,022). Pneumotórax foi a complicação mais comum. Uma distância > 3 cm entre a lesão e a pleura foi identificada como fator de risco de pneumotórax (OR = 16,94), ao passo que a realização de tampão sanguíneo após a biópsia foi um fator de proteção contra o pneumotórax (OR = 0,18). Conclusões: O diagnóstico de nódulos pequenos (< 2 cm) é um desafio do ponto de vista técnico. A BAG-TC é uma excelente ferramenta diagnóstica, cuja precisão é alta.

 


Palavras-chave: Biópsia guiada por imagem; Neoplasias; Pulmão.

 

14 - Validação de um sistema de análise de impedância bioelétrica para a avaliação da composição corporal de pacientes com DPOC

Validation of a bioelectrical impedance analysis system for body composition assessment in patients with COPD

Fernanda Rodrigues Fonseca1,2,a, Manuela Karloh2,3,b, Cintia Laura Pereira de Araujo1,2,c, Cardine Martins dos Reis1,2,d, Anamaria Fleig Mayer1,2,3,e

J Bras Pneumol.2018;44(4):315-320

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Este estudo teve como objetivo investigar a validade de um sistema de bioelectrical impedance analysis (BIA, análise de impedância bioelétrica) com oito eletrodos de contato presente em uma balança doméstica para a avaliação da composição corporal total de pacientes com DPOC. Métodos: Dezessete pacientes com DPOC (média de idade = 67 ± 8 anos; média do VEF1 = 38,6 ± 16,1% do previsto; média de índice de massa corpórea = 24,7 ± 5,4 kg/m2) foram submetidos à avaliação da composição corporal por dual-energy X-ray absorptiometry (DEXA, absorciometria por dupla emissão de raios X) e por um sistema BIA com oito eletrodos de contato. Resultados: Houve forte correlação intermétodos para massa gorda (r = 0,95), massa livre de gordura (r = 0,93) e massa magra (r = 0,93), mas correlação moderada para conteúdo mineral ósseo (r = 0,73; p < 0,01 para todos). Na análise de concordância, os valores entre DEXA e o sistema BIA diferiram em apenas 0,15 kg (−6,39 a 6,70 kg), 0,26 kg (−5,96 a 6,49 kg), −0,13 kg (−0,76 a 0,50 kg) e −0,55 kg (−6,71 a 5,61 kg) para massa livre de gordura, massa magra, conteúdo mineral ósseo e massa gorda, respectivamente. Conclusões: O sistema BIA com oito eletrodos de contato mostrou-se uma ferramenta válida na avaliação da composição corporal total em nossa amostra de pacientes com DPOC.

 


Palavras-chave: Doença pulmonar obstrutiva crônica; Composição corporal; Impedância elétrica.

 

Artigo de Revisão

15 - Assincronia paciente-ventilador

Patient-ventilator asynchrony

Marcelo Alcantara Holanda1,2,a, Renata dos Santos Vasconcelos2,b, Juliana Carvalho Ferreira3,c, Bruno Valle Pinheiro4,d

J Bras Pneumol.2018;44(4):321-333

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A assincronia paciente-ventilador (APV) é um desacoplamento entre o paciente, em relação a demandas de tempo, fluxo, volume e/ou pressão de seu sistema respiratório, e o ventilador, que as oferta durante a ventilação mecânica (VM). É um fenômeno comum, com taxas de incidência entre 10% e 85%. A APV pode ser devida a fatores relacionados ao paciente, ao ventilador ou a ambos. Os tipos de APV mais comuns são as de disparo, como esforço ineficaz; autodisparo e duplo disparo; as de ciclagem (tanto prematura quanto tardia); e as de fluxo (insuficiente ou excessivo). Cada um desses tipos pode ser detectado pela inspeção visual das curvas de volume-tempo, fluxo-tempo e pressão-tempo na tela do ventilador mecânico. Estratégias ventilatórias específicas podem ser adotadas, em combinação com a abordagem clínica do paciente, como controle de dor, ansiedade, febre, etc. Níveis profundos de sedação devem ser evitados sempre que possível. A APV se associa a desfechos indesejados, tais como desconforto, dispneia, piora da troca gasosa, aumento do trabalho da respiração, lesão muscular diafragmática, prejuízo do sono, aumento da necessidade de sedação e/ou de bloqueio neuromuscular, assim como aumento do tempo de VM, de desmame e de mortalidade. A ventilação proporcional assistida e a ventilação assistida com ajuste neural são modalidades de suporte ventilatório parcial que reduzem a APV e têm se mostrado promissoras. Este artigo revisa a literatura acerca da APV abordando seus tipos, causas, métodos de avaliação, suas potenciais implicações no processo de recuperação de pacientes críticos e estratégias para sua resolução.

 


Palavras-chave: Respiração artificial; Insuficiência respiratória; Suporte ventilatório interativo.

 

Imagens em Pneumologia

16 - Presença de gás em um local incomum: pneumomediastino espontâneo (síndrome de Hamman)

Presence of gas in an unusual place: spontaneous pneumomediastinum (Hamman's syndrome)

Nicholas Oliveira Duarte1,a, Camila Hino Verdelho1,b, Rodolfo Mendes Queiroz2,3,c

J Bras Pneumol.2018;44(4):334

PDF PT PDF EN English Text


Cartas ao Editor

17 - Síndrome de hiperimunoglobulina E (síndrome de Jó): achados da TC de tórax

Hyperimmunoglobulin E syndrome (Job syndrome): chest CT findings

Pablo Rydz Pinheiro Santana1,2,a, Augusto Kreling Medeiros1,b, Cinthia Callegari Barbisan1,c, Antônio Carlos Portugal Gomes1,d, Edson Marchiori3,e

J Bras Pneumol.2018;44(4):335-336

PDF PT PDF EN English Text


18 - Compressão de tronco de artéria coronária esquerda em paciente com hipertensão portopulmonar

Left main coronary artery compression in a patient with portopulmonary hypertension

Iara Teixeira de Araújo1,a, Pammela Jacomeli Lembi1,b, Eduardo Belisario Falchetto2,c, Ricardo de Amorim Corrêa3,4,d

J Bras Pneumol.2018;44(4):337-338

PDF PT PDF EN English Text


Errata

19 - Assincronia paciente-ventilador. Versão ahead of print

Patient-ventilator asynchrony. Ahead of print

Marcelo Alcantara Holanda1,2,a, Renata dos Santos Vasconcelos2,b, Juliana Carvalho Ferreira3,c, Bruno Valle Pinheiro4,d

J Bras Pneumol.2018;44(4):339

PDF PT PDF EN English Text


20 - Tratamento da tuberculose

Tuberculosis treatment

Marcelo Fouad Rabahi1,2, José Laerte Rodrigues da Silva Júnior2, Anna Carolina Galvão Ferreira1,3, Daniela Graner Schuwartz Tannus-Silva1, Marcus Barreto Conde4,5

J Bras Pneumol.2018;44(4):340

PDF PT PDF EN English Text


Ano 2018 - Volume 44  - Número 5  (Setembro/Outubro)

App

Editorial

1 - Epidemiologia da asma: é necessário ampliar nossos conceitos

Epidemiology of asthma: it is necessary to expand our concepts

Maria Alenita de Oliveira1,2,a

J Bras Pneumol.2018;44(5):341-342

PDF PT PDF EN English Text


2 - Conhecimento do nosso pneumococo

Getting to know our pneumococcus

Fernando Luiz Cavalcanti Lundgren1,2,a

J Bras Pneumol.2018;44(5):343-344

PDF PT PDF EN English Text


3 - Cigarro eletrônico-repaginação e renovação da indústria do tabagismo

Electronic cigarettes-the new playbook and revamping of the tobacco industry

Ubiratan Paula Santos1,a

J Bras Pneumol.2018;44(5):345-346

PDF PT PDF EN English Text


4 - Global TB Network: trabalhando juntos para eliminar a tuberculose

Global TB Network: working together to eliminate tuberculosis

Denise Rossato Silva1,a, Adrian Rendon2,b, Jan-Willem Alffenaar3,c, Jeremiah Muhwa Chakaya4,5,d, Giovanni Sotgiu6,e, Susanna Esposito7,f, Giovanni Battista Migliori8,g

J Bras Pneumol.2018;44(5):347-349

PDF PT PDF EN English Text


5 - A importância de fundamentos robustos em metodologia científica

The importance of strong fundamentals in scientific methodology

Rogério Souza1,2

J Bras Pneumol.2018;44(5):350-351

PDF PT PDF EN English Text


Educação continuada: Imagem

6 - Massa paravertebral

Paravertebral mass

Edson Marchiori1,a, Bruno Hochhegger2,b, Gláucia Zanetti1,c

J Bras Pneumol.2018;44(5):352

PDF PT PDF EN English Text


Educação Continuada: Metodologia Científica

7 - Atender as premissas dos testes estatísticos: um passo importante e muitas vezes negligenciado na comunicação de resultados válidos

Meeting the assumptions of statistical tests: an important and often forgotten step to reporting valid results

Cecilia Maria Patino1,2,a Juliana Carvalho Ferreira1,3,b

J Bras Pneumol.2018;44(5):353

PDF PT PDF EN English Text


Artigo Original

8 - Mortalidade por asma no Brasil, 1980-2012: uma perspectiva regional

Asthma mortality in Brazil, 1980-2012: a regional perspective

Thaís de Sá Brito1,a, Ronir Raggio Luiz2,b, José Roberto Lapa e Silva3,c, Hisbello da Silva Campos4,5,d

J Bras Pneumol.2018;44(5):354-360

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Estimar as taxas de mortalidade por asma no Brasil no período de 1980-2012. Métodos: A partir dos dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade do Ministério da Saúde, as taxas de mortalidade foram estimadas pelo cálculo de médias móveis numa perspectiva municipal que permitisse a avaliação diferenciada entre Brasil urbano, rural e intermediário (rurbano) no período de 2002-2012. As tendências foram avaliadas através de regressão linear simples. Resultados: Em média, foram notificadas 2.339 mortes anuais por asma no período estudado. A asma variou entre 53ª e 95ª causa de óbito. Houve decréscimo das taxas de mortalidade no país: 1,92/100.000 habitantes em 1980 e 1,21/100.000 habitantes em 2012. Na perspectiva municipal, as taxas caíram no Brasil urbano e rurbano, mas aumentaram no Brasil rural, exceto na faixa etária de 5-34 anos. As taxas de mortalidade caíram na população com até 24 anos e aumentaram entre os maiores de 74 anos. O coeficiente de mortalidade foi sempre superior no sexo feminino. Conclusões: As taxas de mortalidade por asma estão diminuindo no Brasil de modo discreto, sendo mais marcante na década 2002-2012. Apenas a região Nordeste teve tendência oposta. As taxas de mortalidade no Brasil urbano e rurbano tiveram comportamento de queda semelhante ao do cenário nacional, enquanto o Brasil rural teve comportamento oposto. Quando consideradas as faixas etárias, as taxas diminuíram entre os mais jovens e aumentaram entre idosos ≥ 75 anos.

 


Palavras-chave: Asma/mortalidade; Brasil; População urbana; População rural.

 

9 - Cobertura vacinal pneumocócica teórica: análise de sorotipos isolados de pacientes internados em hospital terciário

Theoretical pneumococcal vaccine coverage: analysis of serotypes isolated from inpatients at a tertiary care hospital

Cynthia Rocha Dullius1,a, Luciana Zani2,b, José Miguel Chatkin2,c

J Bras Pneumol.2018;44(5):361-366

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar os sorotipos de Streptococcus pneumoniae isolados de uma população internada em um hospital terciário para verificar a cobertura vacinal teórica das vacinas conjugada pneumocócica 13-valente (VCP13) e pneumocócica polissacarídica 23-valente (VPP23). Métodos: Estudo transversal envolvendo 118 pacientes internados no Hospital São Lucas, na cidade de Porto Alegre (RS), cujas amostras de cultura de sangue, líquor ou outro líquido estéril apresentaram isolados de pneumococos entre janeiro de 2005 e dezembro de 2016. A cobertura vacinal teórica foi estudada em relação aos sorotipos observados na amostra e sua relação com os contidos nas vacinas pneumocócicas disponíveis no Brasil. Resultados: A maioria da população era masculina (n = 66; 55,9%), com mediana de idade de 57 anos (intervalo interquartil: 33-72 anos). O agravo mais frequente foi pneumonia, e o pneumococo foi mais frequentemente isolado em hemocultura. Mais de um quarto da população estudada tinha algum grau de imunossupressão (n = 34; 28,8%). Na amostra geral, 39 pacientes (33,1%) foram a óbito. Não houve associações significativas do número de óbitos com o tipo de comorbidades, internação em UTI ou necessidade de ventilação mecânica. A cobertura vacinal teórica da VPP23 e da combinação VCP13 + VPP23 foi de 31,4% e 50,8%, respectivamente. Conclusões: Nesta amostra, se os pacientes tivessem sido previamente vacinados com a combinação VCP13 seguida de VPP23, teoricamente, 50,8% dos casos de doença pneumocócica invasiva que necessitaram de internação hospitalar poderiam ter sido prevenidos potencialmente. Essa doença deve ser prevenida com a vacinação não só de crianças e idosos, mas também de adultos em idade economicamente ativa, para reduzir o custo socioeconômico, a morbidade e a mortalidade ainda associados à doença, especialmente em países subdesenvolvidos.

 


Palavras-chave: Infecções pneumocócicas; Sorotipagem; Centros de atenção terciária.

 

10 - Conhecimento e uso do cigarro eletrônico entre estudantes da Universidade Federal de Mato Grosso

Electronic cigarette awareness and use among students at the Federal University of Mato Grosso, Brazil

Wemerson José Corrêa de Oliveira1,a, Alexandre Figueiredo Zobiole1,b, Claudia Bonadiman de Lima1,c, Rebeca Melo Zurita1,d, Pedro Eduarto Muniz Flores1,e, Luís Guilherme Val Rodrigues1,f, Raissa Carolina de Assis Pinheiro1,g, Victor Francisco Figueiredo Rocha Soares e Silva1,h

J Bras Pneumol.2018;44(5):367-369

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Analisar a prevalência do conhecimento e experimentação do cigarro eletrônico (CE) entre universitários, bem como as características associadas ao conhecimento desse tipo de dispositivo. Métodos: Estudo transversal, utilizando-se questionário específico, onde foram entrevistados 489 estudantes da Universidade Federal de Mato Grosso (Campus Cuiabá) no ano de 2015. Estimou-se a prevalência e foram analisadas as principais características relacionadas ao conhecimento e uso do CE. Resultados: A prevalência de conhecimento do CE foi de 37%, e a taxa de experimentação foi de 2,7%. Verificou-se associação entre o conhecimento do CE com o estado civil, estado laboral do estudante, nível de escolaridade dos pais e presença de fumantes na família. Conclusões: Foi alta a proporção de universitários que conhecem o CE. Apesar de ser pequena a prevalência dos que o experimentaram, torna-se preocupante um possível aumento do consumo desse tipo de dispositivo. Medidas devem ser direcionadas aos jovens dentro das instituições universitárias a fim de promover a conscientização e prevenção do uso do CE.

 


Palavras-chave: Cigarros eletrônicos; Adulto jovem; Hábito de fumar.

 

11 - Avaliação da capacidade funcional: equações de referência para o teste Glittre Activities of Daily Living

Functional capacity measurement: reference equations for the Glittre Activities of Daily Living test

Cardine Martins dos Reis1,2,a, Manuela Karloh1,3,b, Fernanda Rodrigues Fonseca1,2,c, Roberta Rodolfo Mazzali Biscaro1,2,d, Giovana Zarpellon Mazo4,5,e, Anamaria Fleig Mayer1,2,3,5,f

J Bras Pneumol.2018;44(5):370-377

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Elaborar equações de referência para o teste Glittre Activities of Daily Living (Glittre ADL) com base em variáveis antropométricas e demográficas em indivíduos aparentemente saudáveis. O objetivo secundário foi determinar a confiabilidade das equações em uma amostra composta por pacientes com DPOC. Métodos: Estudo transversal com 190 indivíduos aparentemente saudáveis [95 homens; mediana de idade: 54,5 anos (variação: 42-65); mediana de VEF1 = 97% (variação: 91-105,2); mediana de CVF = 96% (variação: 88,5-102)] recrutados na comunidade geral e 74 pacientes com DPOC [55 homens; média de idade: 65 ± 8 anos; índice de massa corporal (IMC) = 25,9 ± 4,7 kg/m2; VEF1 = 36,1 ± 14,1%; CVF = 62,7 ± 16,1%] recrutados em um centro de reabilitação pulmonar. Resultados: A média do tempo necessário para completar o teste Glittre ADL foi de 2,84 ± 0,45 min. Na análise de regressão linear múltipla passo a passo (stepwise), a idade e a estatura foram selecionadas como preditores do desempenho no teste Glittre ADL, explicando 32,1% (p < 0,01) da variância total. A equação 1 foi a seguinte: Glittre ADLprevisto = 3,049 + (0,015 × idadeanos) + (−0,006 × alturacm). A equação 2 incluiu idade e IMC e explicou 32,3% da variância do teste: Glittre ADLprevisto = 1,558 + (0,018 × IMC) + (0,016 × idadeanos). Conclusões: As equações de referência para o tempo necessário para completar o teste Glittre ADL basearam-se na idade, IMC e estatura como variáveis independentes e podem ser úteis para prever o desempenho de indivíduos adultos. Os valores previstos são aparentemente confiáveis quando aplicados em pacientes com DPOC.

 


Palavras-chave: Atividades cotidianas; Teste de esforço; Valores de referência.

 

12 - O azul de metileno atenua a inflamação em pulmões não isquêmicos após transplante pulmonar?

Does methylene blue attenuate inflammation in nonischemic lungs after lung transplantation?

Marcus da Matta Abreu1,a, Francine Maria de Almeida1,b, Kelli Borges dos Santos2,c, Emílio Augusto Campos Pereira de Assis3,d, Rafael Kenji Fonseca Hamada4,e, Fabio Biscegli Jatene1,f, Paulo Manuel Pêgo-Fernandes1,g, Rogerio Pazetti1,h

J Bras Pneumol.2018;44(5):378-382

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar se o azul de metileno (AM) pode minimizar os efeitos da lesão de isquemia-reperfusão sobre o pulmão não isquêmico em um modelo de transplante pulmonar em roedores. Métodos: Quarenta ratas Sprague-Dawley foram divididas em 20 doadoras e 20 receptoras. As 20 ratas receptoras foram divididas em dois grupos (n = 10) de acordo com o tratamento (solução salina a 0,9% vs. AM a 1%). Todos os animais foram submetidos a transplante pulmonar unilateral. As receptoras receberam 2 ml de solução salina ou de AM por via intraperitoneal antes do transplante. Após 2 h de reperfusão, os animais foram sacrificados, e foram realizadas análises histopatológicas e imuno-histoquímicas no pulmão não isquêmico. Resultados: Houve diminuição significativa da inflamação - a contagem de neutrófilos e a expressão de intercellular adhesion molecule-1 (ICAM-1, molécula de adesão intercelular-1) foram maiores no grupo salina em comparação com o grupo AM - e da apoptose - a expressão de caspase-3 foi maior no grupo salina, e a expressão de Bcl-2 foi maior no grupo AM. Conclusões: O AM é uma droga eficaz para a proteção de pulmões não isquêmicos contra inflamação e apoptose após transplante pulmonar unilateral em ratos.

 


Palavras-chave: Traumatismo por reperfusão; Azul de metileno; Transplante de pulmão; Apoptose; Inflamação.

 

13 - Perfil dos pacientes com mutação no gene da alfa-1 antitripsina em um centro de referência no Brasil

The patient profile of individuals with Alpha-1 antitrypsine gene mutations at a referral center in Brazil

Manuela Brisot Felisbino1,a, Frederico Leon Arrabal Fernandes2,b, Maria Cecília Nieves Maiorano de Nucci2,c, Regina Maria de Carvalho Pinto2,d, Emilio Pizzichini1,e, Alberto Cukier2,f

J Bras Pneumol.2018;44(5):383-389

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Caracterização clínica, funcional, radiológica e genotípica dos pacientes portadores de mutações do gene da alfa-1 antitripsina (A1AT) em um centro de referência em doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) no Brasil. Métodos: Estudo transversal de pacientes com mutação no gene da A1AT compatível com deficiência. Foram avaliadas características genotípicas, demográficas, clínicas, tomográficas, de função pulmonar, e dosagem de A1AT. Resultados: De 43 pacientes suspeitos para deficiência de alfa-1 antitripsina (DA1AT), a doença foi confirmada por genotipagem em 27. A mediana da dosagem de A1AT foi de 45 mg/dL, e 4 pacientes (15%) apresentavam dosagens normais. A idade mediana foi de 54 anos, 63% dos participantes eram do sexo masculino e a idade do início dos sintomas prevalente foi aos 40 anos. A mediana do volume expiratório forçado no primeiro segundo (VEF1) foi de 1,37 L (43% do previsto). Enfisema tomográfico foi encontrado em 77,8% dos indivíduos, sendo panlobular em 76% e de predomínio em lobos inferiores em 48%. A frequência de bronquiectasias foi de 52%, e a de espessamento brônquico, de 81,5%. O genótipo mais encontrado foi Pi*ZZ (40,7%). Os demais genótipos foram: Pi*SZ (18,5%), Pi*M1Z (14,8%), Pi*M1S (7,4%), Pi*M2Z (3,7%), Pi*M1I (3,7%), Pi*ZMnichinan (3,7%), Pi*M3Plowell (3,7%) e Pi*SF (3,7%). Não encontramos diferença significativa para idade, carga tabágica, VEF1 e presença de bronquiectasias entre os grupos com dosagem de A1AT normal versus alterada, nem entre 1 alelo versus 2 alelos com mutação para DA1AT. Conclusões: Nossos pacientes apresentaram alta frequência de enfisema, bronquiectasias e espessamento brônquico, com início precoce dos sintomas respiratórios. O genótipo mais frequente foi Pi*ZZ, embora genótipos heterozigotos e níveis normais de A1AT também tenham se manifestado com doença pulmonar significativa.

 


Palavras-chave: Alfa 1-antitripsina; Enfisema; Alelos.

 

14 - Impacto da adesão à oxigenoterapia de longa duração em pacientes com DPOC e hipoxemia decorrente do esforço acompanhados durante um ano

Impact of adherence to long-term oxygen therapy on patients with COPD and exertional hypoxemia followed for one year

Carolina Bonfanti Mesquita1,a, Caroline Knaut1,b, Laura Miranda de Oliveira Caram1,c, Renata Ferrari1,d, Silmeia Garcia Zanati Bazan2,e, Irma Godoy1,f, Suzana Erico Tanni3,g

J Bras Pneumol.2018;44(5):390-397

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Determinar o impacto da adesão à oxigenoterapia de longa duração (OLD) na qualidade de vida, dispneia e capacidade de exercício em pacientes com DPOC e hipoxemia decorrente do esforço acompanhados durante um ano. Métodos: Foram incluídos no estudo pacientes que apresentaram hipoxemia grave durante um teste de caminhada de seis minutos (TC6) realizado enquanto respiravam ar ambiente, mas não em repouso. No início e após um ano de acompanhamento, todos os pacientes foram avaliados quanto a comorbidades, composição corporal, SpO2 e dispneia, bem como quanto a ansiedade e depressão, além de terem sido submetidos a espirometria, gasometria arterial e TC6 com oxigênio suplementar. O Saint George's Respiratory Questionnaire (SGRQ) foi usado para avaliar a qualidade de vida, e o índice Body mass index, airflow Obstruction, Dyspnea, and Exercise capacity (BODE; índice de massa corporal, obstrução do fluxo aéreo, dispneia e capacidade de exercício) foi calculado. A frequência de exacerbações e a taxa de mortalidade foram registradas. Usar OLD durante < 12 h por dia ou não usar OLD durante o exercício caracterizaram não adesão ao tratamento. Resultados: Foram incluídos no estudo 60 pacientes com DPOC e hipoxemia decorrente do esforço. Destes, 10 morreram e 11 apresentaram hipoxemia grave durante o acompanhamento; portanto, foram incluídos na análise final 39 pacientes. Destes, apenas 18 (46,1%) aderiram à OLD, apresentando melhor pontuação no SGRQ, maior SpO2 e menor PaCO2 do que os pacientes que não aderiram à OLD. Em todos os pacientes, a SaO2, a distância percorrida no TC6 e o índice BODE pioraram após um ano. Não houve diferenças entre as proporções de adesão à OLD aos 3 e 12 meses de acompanhamento. Conclusões: A qualidade de vida parece ser menor em pacientes com DPOC e hipoxemia decorrente do esforço que não aderem à OLD do que naqueles que o fazem. Além disso, a OLD parece ter efeito benéfico nos sintomas da DPOC (avaliados pela pontuação obtida no SGRQ). (Registro Brasileiro de Ensaios Clínicos - ReBEC; número de identificação RBR‑ 9b4v63 [http://www.ensaiosclinicos.gov.br])

 


Palavras-chave: Insuficiência respiratória; Doença pulmonar obstrutiva crônica; Cooperação do paciente; Hipóxia; Oxigenoterapia.

 

15 - Descumprimento da lei que proíbe a venda de cigarros para menores de idade no Brasil: uma verdade inconveniente

Noncompliance with the law prohibiting the sale of cigarettes to minors in Brazil: an inconvenient truth

André Salem Szklo1,a,Tânia Maria Cavalcante2,b

J Bras Pneumol.2018;44(5):398-404

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Fornecer um cenário atualizado do cumprimento da lei que proíbe a venda de cigarros para menores de 18 anos de idade. Métodos: Foram utilizados dados de acesso à compra de cigarros obtidos por meio de uma pesquisa de âmbito nacional, realizada em 2015, entre jovens escolares de 13 a 17 anos. Foram estimadas as proporções simples de tentativa de comprar cigarros; sucesso dessa tentativa; compra regular de cigarros; e compra regular de cigarros em lojas ou botequins. Todas as estimativas foram estratificadas por sexo, faixa etária e macrorregiões brasileiras. Para avaliar as diferenças absolutas, brutas e ajustadas, das proporções das categorias consideradas em relação às variáveis analisadas, foi utilizado um modelo linear generalizado com distribuição binomial e função de ligação identidade. Resultados: Aproximadamente 7 em cada 10 fumantes adolescentes tentaram comprar cigarros pelo menos em uma ocasião nos 30 dias anteriores à pesquisa. Desses, aproximadamente 9 em cada 10 obtiveram sucesso, sendo que jovens entre 16-17 anos (vs. 13-15 anos) foram menos impedidos de comprar cigarros (diferença absoluta ajustada = 8,1%; p ≤ 0,05). Aproximadamente 45% de todos os fumantes brasileiros entre 13 e 17 anos de idade referiram ter comprado regularmente os seus próprios cigarros sem serem impedidos, e, desses, 80% relataram tê-los comprado em lojas/botequins (vs. vendedores ambulantes). Conclusões: Nossos achados trazem um importante alerta de saúde pública e podem contribuir para apoiar ações educativas e de fiscalização no sentido de reforçar o cumprimento das leis antitabaco já existentes no Brasil, que vêm sendo desrespeitadas.

 


Palavras-chave: Fumar/epidemiologia; Fumar/legislação & jurisprudência; Comportamento do adolescente; Saúde pública.

 

Artigo Especial

16 - Recomendações para o manejo da pneumonia adquirida na comunidade 2018

2018 recommendations for the management of community acquired pneumonia

Ricardo de Amorim Corrêa1,a, Andre Nathan Costa2,b, Fernando Lundgren3.c, Lessandra Michelim4,d, Mara Rúbia Figueiredo5,e, Marcelo Holanda6,f, Mauro Gomes7,g, Paulo José Zimermann Teixeira8,h, Ricardo Martins9,i, Rodney Silva10,j, Rodrigo Abensur Athanazio2,k, Rosemeri Maurici da Silva11,l, Mônica Corso Pereira12,m

J Bras Pneumol.2018;44(5):405-423

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A pneumonia adquirida na comunidade (PAC) constitui a principal causa de morte no mundo. Apesar da vasta microbiota respiratória, o Streptococcus pneumoniae permanece como a bactéria de maior prevalência dentre os agentes etiológicos. Apesar da redução significativa das taxas de mortalidade por infecções do trato respiratório inferior nas últimas décadas, a PAC ocupa o terceiro lugar como causa de mortalidade em nosso meio. Desde a última publicação das Diretrizes Brasileiras sobre PAC da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (2009), houve importantes avanços na aplicação dos exames de imagem, na investigação etiológica, na estratificação de risco à admissão e de escores prognósticos evolutivos, no uso de biomarcadores e nas recomendações de antibioticoterapia (e sua duração) e da prevenção por vacinas. Para revisar esses tópicos, a Comissão de Infecções Respiratórias da SBPT reuniu 13 membros com reconhecida experiência em PAC no Brasil que identificaram aspectos relevantes à prática clínica que demandam atualizações frente às novas evidências epidemiológicas e científicas publicadas. Foram determinados doze tópicos envolvendo questões diagnósticas, prognósticas, terapêuticas e preventivas. Os tópicos foram divididos entre os autores, que realizaram uma revisão de forma não sistemática da literatura, porém priorizando as principais publicações nas áreas específicas, incluindo artigos originais, artigos de revisão e revisões sistemáticas. Todos os autores tiveram a oportunidade de revisar e opinar sobre todas as questões, criando um documento único final que foi aprovado por consenso.

 


Palavras-chave: Pneumonia/diagnóstico; Pneumonia/prevenção & controle; Pneumonia/terapia; Pneumonia/tratamento farmacológico.

 

Artigo de Revisão

17 - Microbioma pulmonar: desafios de um novo paradigma

The pulmonary microbiome: challenges of a new paradigm

André Nathan Costa1,a, Felipe Marques da Costa1,b, Silvia Vidal Campos1,c, Roberta Karla Salles1,d, Rodrigo Abensur Athanazio1,e

J Bras Pneumol.2018;44(5):424-432

Resumo PDF PT PDF EN English Text

O estudo do microbioma humano - e, mais recentemente, o do sistema respiratório - através de sofisticadas técnicas de biologia molecular, desvendou a imensa diversidade de colonização microbiana nos seres humanos, sejam saudáveis, sejam portadores de diferentes doenças. Aparentemente, ao contrário do que se acreditava, existe uma colonização não patogênica dos pulmões por microrganismos, como bactérias, fungos e vírus. Esse microbioma pulmonar fisiológico apresenta uma densidade baixa de colônias, porém uma elevada diversidade; por outro lado, alguns estados patológicos levam a uma perda dessa diversidade, com aumento da concentração de alguns gêneros bacterianos em detrimento de outros. Ainda, além do conhecimento qualitativo das bactérias presentes no pulmão em diversos estados de saúde ou de doença, o conhecimento avança para o entendimento da interação que essa microbiota tem com o sistema imune local e sistêmico, modulando a resposta imunológica. Compreendendo essa intrínseca relação entre a microbiota e os pulmões, estudos apresentam novos conceitos sobre os mecanismos fisiopatogênicos da homeostase do sistema respiratório e a possível disbiose em estado de algumas doenças, como fibrose cística, DPOC, asma e doenças intersticiais. Essa quebra de paradigma do conhecimento da microbiota presente nos pulmões fez com que se torne premente entender melhor o papel do microbioma para identificar possíveis alvos terapêuticos e abordagens clínicas inovadoras. Através desse novo salto de conhecimento é que os resultados dos estudos preliminares poderão ser traduzidos em benefícios aos nossos pacientes.

 


Palavras-chave: Microbiota; Microbiologia; Sistema imunológico.

 

Imagens em Pneumologia

18 - Síndrome de Hamman

Hamman's syndrome

João Filipe Alves Mesquita Rosinhas1,a, Sara Maria Castelo Branco Soares1,b, Adelina Branca Madeira Pereira2,c

J Bras Pneumol.2018;44(5):433

PDF PT PDF EN English Text


Correspondência

19 - Aspectos clínicos do complexo Mycobacterium abscessus

Clinical aspects of the Mycobacterium abscessus complex

Beuy Joob1,a, Viroj Wiwanitkit2,b

J Bras Pneumol.2018;44(5):434

PDF PT PDF EN English Text


Resposta do autor

20 - Resposta dos autores

Authors' reply

José Tadeu Colares Monteiro1,a

J Bras Pneumol.2018;44(5):435

PDF PT PDF EN English Text


Cartas ao Editor

21 - Cessação tabágica antes do início da quimioterapia no câncer de pulmão de células não pequenas metastático: influência sobre o prognóstico

Smoking cessation before initiation of chemotherapy in metastatic non-small cell lung cancer: influence on prognosis

Ana Rita Diegues Linhas1,a, Margarida Carmo Pinho Dias1,2,b, Ana Maria Paixão Barroso1,2,c

J Bras Pneumol.2018;44(5):436-438

PDF PT PDF EN English Text


22 - Omalizumabe como terapia adicional no tratamento da aspergilose broncopulmonar alérgica em asmáticos

Omalizumab as add-on therapy in patients with asthma and allergic bronchopulmonary aspergillosis

Fernanda Sales da Cunha1,a, Solange Oliveira Rodrigues Valle1,b, José Elabras Filho1,c, Sérgio Duarte Dortas Júnior1,2,d, Alfeu Tavares França1,e

J Bras Pneumol.2018;44(5):439-441

PDF PT PDF EN English Text


23 - Transplante pulmonar com oxigenação extracorpórea por membrana como suporte intraoperatório

Lung transplantation with extracorporeal membrane oxygenation as intraoperative support

Mariana Schettini-Soares1,a, Pedro Henrique Cunha Leite1,b, Ludhmila Abrahão Hajjar2,c, André Nathan Costa3,d, Paulo Manuel Pêgo-Fernandes1,e, Marcos Naoyuki Samano1,f

J Bras Pneumol.2018;44(5):442-444

PDF PT PDF EN English Text


Ano 2018 - Volume 44  - Número 6  (Novembro/Dezembro)

App

Editorial

1 - A necessidade de equilíbrio entre doenças de alta prevalência e doenças negligenciadas

The need for a balance between highly prevalent diseases and neglected diseases

Rogério Souza1,2,a

J Bras Pneumol.2018;44(6):445-446

PDF PT PDF EN English Text


Educação continuada: Imagem

2 - Calcificações pleurais

Pleural calcifications

Edson Marchiori1,a, Bruno Hochhegger2,b, Gláucia Zanetti1,c

J Bras Pneumol.2018;44(6):

PDF PT PDF EN English Text


Educação Continuada: Metodologia Científica

3 - Avaliação crítica da literatura. Por que nos importamos?

Critical appraisal of the literature. Why do we care?

Juliana Carvalho Ferreira1,2,a, Cecilia Maria Patino1,3,b

J Bras Pneumol.2018;44(6):448

PDF PT PDF EN English Text


Artigo Original

4 - Valores de referência para espirometria forçada em adultos negros no Brasil

Spirometry reference values for Black adults in Brazil

Tarciane Aline Prata1,a, Eliane Mancuzo2,3,b, Carlos Alberto de Castro Pereira4,c,Silvana Spíndola de Miranda2,d, Larissa Voss Sadigursky5,e, Camila Hirotsu6,f, Sérgio Tufik6,g

J Bras Pneumol.2018;44(6):449-455

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Derivar equações de referência para a espirometria forçada em adultos brasileiros negros, saudáveis, que nunca fumaram, e comparar os resultados com os valores previstos para a raça branca publicados em 2007. Métodos: Os exames seguiram as normas recomendadas pela Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia, e os espirômetros preencheram os requisitos técnicos exigidos pelas diretrizes da American Thoracic Society/European Respiratory Society. Os limites inferiores foram derivados pela análise do 5º percentil dos resíduos. Resultados: Equações e limites de referência foram derivados de uma amostra com 120 homens e 124 mulheres, habitantes de oito cidades brasileiras, utilizando-se um espirômetro de fluxo. Os valores previstos para CVF, VEF1, relação VEF1/CVF e PFE foram mais bem ajustados por regressões lineares, enquanto os fluxos, por equações logarítmicas. Os valores de eferência de VEF1 e CVF para ambos os sexos foram significativamente menores quando comparados aos previstos para adultos da raça branca no Brasil. Conclusões: O fato de que os valores previstos da espirometria forçada derivados para a população negra no Brasil tenham sido inferiores aos previstos para a raça branca no país justifica a utilização de uma equação específica para adultos negros.

 


Palavras-chave: Espirometria; Valores de Referência; Grupo com ancestrais do continente

 

5 - Acompanhamento longitudinal da atividade vagal cardíaca de indivíduos submetidos à simpatectomia torácica endoscópica

Longitudinal follow-up of cardiac vagal activity in individuals undergoing endoscopic thoracic sympathectomy

Ana Paula Ferreira1,2,3,a, Plinio dos Santos Ramos1,2,3,b, Jorge Montessi2,3,4,c, Flávia Duarte Montessi2,3,d, Eveline Montessi Nicolini3,4,e, Edmilton Pereira de Almeida4,f, Djalma Rabelo Ricardo1,2,3,g

J Bras Pneumol.2018;44(6):456-460

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Investigar longitudinalmente o comportamento da atividade vagal cardíaca (AVC) por meio da FC de repouso e do índice vagal cardíaco (IVC) de indivíduos submetidos à simpatectomia para o tratamento de hiperidrose primária. Métodos: Estudo de natureza descritiva e longitudinal que avaliou 22 pacientes (13 mulheres), com média de idade de 22,5 ± 8,8 anos. Os locais mais afetados eram as mãos, pés e axilas. A FC de repouso média foi mensurada através de eletrocardiograma 20 min antes do teste de exercício de 4 segundos (T4s), que foi utilizado para a avaliação da AVC em três momentos: antes da cirurgia, um mês após a cirurgia e quatro anos após a cirurgia. Resultados: A média ± erro-padrão da FC de repouso apresentou uma redução significativa entre a avaliação pré-operatória e um mês após a cirurgia (73,1 ± 1,6 bpm vs. 69,7 ± 1,2 bpm; p = 0,01), tendendo a retornar aos valores pré-operatórios quatro anos após a cirurgia (p = 0,31). Houve um aumento significativo do IVC entre o pré-operatório e um mês após a cirurgia (1,44 ± 0,04 vs. 1,53 ± 0,03; p = 0,02), tendendo também a retornar próximo aos valores do pré-operatório após quatro anos da cirurgia (p = 0,10). Conclusões: A simpatectomia resultou em alteração na FC de repouso e na AVC um mês após a cirurgia, retornando, após quatro anos, aos valores próximos do pré-operatório.

 


Palavras-chave: Hiperidrose; Simpatectomia; Sistema nervoso autônomo; Teste de esforço;

 

6 - Prevalência da infecção latente por Mycobacterium tuberculosis em transplantados renais

Prevalence of latent Mycobacterium tuberculosis infection in renal transplant recipients

Mônica Maria Moreira Delgado Maciel1,2,a, Maria das Graças Ceccato3,b, Wânia da Silva Carvalho3,c, Pedro Daibert de Navarro1,d, Kátia de Paula Farah1,e, Silvana Spindola de Miranda1,f

J Bras Pneumol.2018;44(6):461-467

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Estimar a prevalência da infecção latente por Mycobacterium tuberculosis (ILTB) em transplantados renais e avaliar as associações sociodemográficas, comportamentais e clínicas com a prova tuberculínica (PT) positiva. Métodos: Estudo transversal, com pacientes com idade ≥ 18 anos, transplantados renais no Centro de Transplante Renal do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais, em Belo Horizonte (MG). Foram incluídos os pacientes submetidos a transplante renal que realizaram a PT no período entre janeiro de 2011 e julho de 2013. Quando o resultado da primeira PT foi negativo, uma segunda PT foi realizada. As análises bivariada e multivariada, por meio de regressão logística, foram utilizadas para determinar os fatores associados com PT positiva. Resultados: A amostra incluiu 216 pacientes. A taxa de prevalência para ILTB foi de 18.5%. Na análise multivariada, história de contato com caso de tuberculose e função do enxerto preservada (taxa de filtração glomerular estimada ≥ 60 ml/min/1,73 m2) foram associadas com PT positiva. O incremento da primeira PT para a segunda PT foi de 5,8%, considerado significante (p = 0,012). Conclusões: A prevalência da ILTB foi baixa nessa amostra de pacientes transplantados renais. A PT deve ser efetuada quando a função do enxerto renal estiver preservada. Uma segunda PT deve ser realizada quando a primeira PT for negativa.

 


Palavras-chave: Tuberculose; Teste tuberculínico; Hospedeiro imunocomprometido.

 

7 - Impacto da radioterapia torácica na função respiratória e capacidade de exercício em pacientes com câncer de mama

Impact of thoracic radiotherapy on respiratory function and exercise capacity in patients with breast cancer

Milena Mako Suesada1,a, Heloisa de Andrade Carvalho2,b, André Luis Pereira de Albuquerque1,c, João Marcos Salge1,d, Silvia Radwanski Stuart2,e, Teresa Yae Takagaki1,f

J Bras Pneumol.2018;44(6):469-476

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar o impacto da radioterapia torácica na função respiratória e capacidade de exercício em pacientes com câncer de mama. Métodos: Pacientes com câncer de mama com indicação de radioterapia torácica após tratamento cirúrgico e quimioterápico foram submetidas a TCAR, avaliação respiratória e avaliação da capacidade de exercício antes da radioterapia torácica e três meses após o término do tratamento. Foram realizados teste de força muscular respiratória, medição da mobilidade torácica e prova de função pulmonar completa para a avaliação respiratória; realizou-se teste de exercício cardiopulmonar para avaliar a capacidade de exercício. A dose total de radioterapia foi de 50,4 Gy (1,8 Gy/fração) na mama ou na parede torácica, incluindo ou não a fossa supraclavicular (FSC). Histogramas dose-volume foram calculados para cada paciente com especial atenção para o volume pulmonar ipsilateral que recebeu 25 Gy (V25), em números absolutos e relativos, e a dose pulmonar média. Resultados: O estudo incluiu 37 pacientes. Após a radioterapia, observou-se diminuição significativa da força muscular respiratória, mobilidade torácica, capacidade de exercício e resultados da prova de função pulmonar (p < 0,05). A DLCO permaneceu inalterada. A TCAR mostrou alterações relacionadas à radioterapia em 87% das pacientes, o que foi mais evidente nas pacientes submetidas à irradiação da FSC. O V25% correlacionou-se significativamente com a pneumonite por radiação. Conclusões: Em nossa amostra de pacientes com câncer de mama, a radioterapia torácica parece ter causado perdas significativas na capacidade respiratória e de exercício, provavelmente por causa da restrição torácica; a irradiação da FSC representou um fator de risco adicional para o desenvolvimento de pneumonite por radiação.

 


Palavras-chave: Neoplasias da mama; Radioterapia; Pneumonite por radiação; Testes de função respiratória; Teste de esforço.

 

8 - Tabagismo entre asmáticos: avaliação por autorrelato e dosagem de cotinina urinária

Self-reported smoking status and urinary cotinine levels in patients with asthma

Gabriela Pimentel Pinheiro1,2,a, Carolina de Souza-Machado1,3,b, Andréia Guedes Oliva Fernandes4,c, Raquel Cristina Lins Mota5,d, Liranei Limoeiro Lima2,e, Diego da Silva Vasconcellos6,f, Ives Pereira da Luz Júnior7,g, Yvonbergues Ramon dos Santos Silva7,h, Valmar Bião Lima1,4,i, Sérgio Telles de Oliva8,j, Luane Marques de Mello9,k, Ricardo David Couto10,l, José Miguel Chatkin11,m, Constança Margarida Sampaio Cruz12,13,n, Álvaro Augusto Cruz1,14,o

J Bras Pneumol.2018;44(6):477-485

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Descrever a frequência de tabagismo ativo entre pacientes com asma e indivíduos sem asma, usando questionários padronizados e dosagem da cotinina urinária. Métodos: Estudo transversal realizado em Salvador (BA), com 1.341 indivíduos, sendo 498 com asma grave, 417 com asma leve/moderada e 426 sem asma. O tabagismo foi identificado por meio de autorrelato utilizando questionários e por mensuração da cotinina urinária. Para a comparação das variáveis estudadas, utilizaram-se os testes do qui-quadrado e de Kruskal-Wallis. Resultados: Dos 55 participantes (4,1%) que se declararam tabagistas atuais, 5, 17 e 33 eram dos grupos asma grave, asma leve/moderada e sem asma, respectivamente. Desses 55, 32 (58,2%) eram tabagistas diários e 23 (41,8%) eram tabagistas ocasionais. Observaram-se níveis elevados de cotinina urinária entre não fumantes autodeclarados e tabagistas pregressos, especialmente no grupo asma grave, o que sugere omissão do hábito atual de fumar. A carga tabágica entre os fumantes e a proporção de ex-tabagistas foram maiores no grupo asma grave do que no grupo asma leve/moderada. Conclusões: O tabagismo pregresso esteve associado à asma grave. Tabagismo atual também foi observado em alguns pacientes com asma grave e detectou-se omissão em alguns casos. A investigação de tabagismo deve ser meticulosa em pacientes com asma grave e a entrevista desses deve ser complementada por uma avaliação objetiva.

 


Palavras-chave: Asma; Fumar; Cotinina.

 

9 - Mitomicina C no tratamento endoscópico de estenose traqueal: estudo prospectivo de coorte

Mitomycin C in the endoscopic treatment of tracheal stenosis: a prospective cohort study

Daniele Cristina Cataneo1,a, Aglaia Moreira Garcia Ximenes2,b, Antônio José Maria Cataneo1,c

J Bras Pneumol.2018;44(6):486-490

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar a eficácia da mitomicina C (MMC) no tratamento endoscópico de estenose traqueal. Métodos: Pacientes com estenose laringotraqueal, traqueal ou traqueobrônquica foram tratados por meio de dilatação e MMC tópica. Foram empregados os seguintes critérios de inclusão: pacientes inaptos para cirurgia (por motivos médicos) no momento da avaliação; estenose membranosa com boa resposta a dilatação e estenose pós-operatória no local da anastomose. Foram analisadas as seguintes variáveis: etiologia da estenose; indicação de tratamento com MMC; local e extensão da estenose, bem como a porcentagem de estenose; presença de traqueostomia e tempo de seguimento. Os desfechos avaliados foram 12 meses ou mais sem sintomas, número de dilatações com aplicação de MMC tópica e complicações. Resultados: Vinte e dois pacientes (15 homens e 7 mulheres) foram tratados entre 2003 e 2010. As causas da estenose foram intubação endotraqueal em 15 pacientes e cirurgia em 8. A estenose traqueal pura foi observada em 13 pacientes, a subglótica, em 4, a traqueobrônquica, em 3 e a complexa, em 2. A extensão da estenose variou de 0,5 a 2,5 cm, e a porcentagem de estenose variou de 40 a 100%. Nove pacientes haviam sido submetidos a traqueostomia e apresentavam tubo T de Montgomery in situ. O tratamento teve êxito em 14 pacientes, que permaneceram sem sintomas durante pelo menos 12 meses. O número de aplicações de MMC tópica variou de 1 a 5, e as complicações foram infecção fúngica, queloide, granuloma e enfisema mediastinal. Conclusões: A MMC é aparentemente eficaz no tratamento endoscópico de estenose traqueal.

 


Palavras-chave: Estenose traqueal; Mitomicina; Endoscopia.

 

10 - Tendência da prevalência de asma autorreferida no Brasil de 2003 a 2013 em adultos e fatores associados à prevalência

Trend of self-reported asthma prevalence in Brazil from 2003 to 2013 in adults and factors associated with prevalence

Felipe Moraes dos Santos1,a, Karynna Pimentel Viana1,b, Luciana Tarbes Saturnino1,c, Evelyn Lazaridis1,d, Mariana Rodrigues Gazzotti1,e, Rafael Stelmach2,f, Claudia Soares1,g

J Bras Pneumol.2018;44(6):491-497

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivos: Determinar a tendência da prevalência de diagnóstico de asma autorreferida e descrever os fatores associados à asma em adultos brasileiros. Método: Estudo transversal de análise de dados de três pesquisas domiciliares nacionais: Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) 2003, PNAD 2008 e Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) 2013. Participantes entre 18 e 45 anos foram incluídos. A análise de tendência da prevalência do diagnóstico de asma foi realizada utilizando modelo logístico linear. Aplicou-se o modelo de regressão logística hierárquico para selecionar fatores significativamente associados à prevalência de asma. Resultados: A prevalência do diagnóstico de asma foi de 3,6% (2003), 3,7% (2008) e 4,5% (2013), apresentando tendência de elevação significativa. A prevalência do diagnóstico de asma também se elevou quando analisada por sexo (variação anual entre homens: 2,47%, p < 0,003; mulheres: 2,16%, p < 0,001), área urbana (variação anual: 2,15% p < 0,001), plano de saúde (variação anual sem plano: 2,18%, p < 0,001; com plano: 1,84%, p = 0,014) e regiões geográficas (variação anual Norte: 4,68%, p < 0,001; Nordeste 4,14%, p < 0,001; e Sudeste 1,84%, p = 0,025). Sexo feminino, obesidade, viver em áreas urbanas e depressão foram associados positivamente com a prevalência de diagnóstico de asma. Discussão: PNAD e PNS são bases populacionais representativas de adultos brasileiros que possibilitam a investigação da prevalência de asma. De 2003 a 2013, a prevalência de diagnóstico autorreferido de asma aumentou, especialmente nas regiões Norte e Nordeste. Sexo, região geográfica e área de residência (urbana/rural), obesidade e diagnóstico de depressão parecem desempenhar papéis significativos na epidemiologia da asma no Brasil.

 


Palavras-chave: Adultos; Asma; Modelos logísticos; Prevalência; Fatores de risco.

 

11 - Características genéticas e fenotípicas de crianças e adolescentes com fibrose cística no Sul do Brasil

Genetic and phenotypic traits of children and adolescents with cystic fibrosis in Southern Brazil

Katiana Murieli da Rosa1,a, Eliandra da Silveira de Lima2,b, Camila Correia Machado3,c, Thaiane Rispoli4,d, Victória d'Azevedo Silveira3,e, Renata Ongaratto2,f, Talitha Comaru2,g, Leonardo Araújo Pinto5,h

J Bras Pneumol.2018;44(6):498-504

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivos: Caracterizar as principais mutações identificadas no cystic fibrosis transmembrane conductance regulator (CFTR) em um grupo de crianças e adolescentes de um centro multidisciplinar de tratamento de fibrose cística e sua associação com características clínicas e laboratoriais. Método: Estudo transversal descritivo que incluiu pacientes com fibrose cística que possuíam dois alelos identificados com mutação no CFTR. Dados clínicos, antropométricos, laboratoriais e de função pulmonar (espirometria) foram coletados de registros em prontuários e descritos com os resultados de genotipagem da amostra. Resultados: Foram incluídos 42 pacientes com fibrose cística. A mutação mais frequente foi a F508del, abrangendo 60 alelos (71,4%). A segunda mutação mais comum foi a G542X (seis alelos, 7,1%), seguida das mutações N1303K e R1162X (ambas com quatro alelos cada uma). Três pacientes (7,14%) apresentaram mutações de classes III e IV, e 22 pacientes (52,38%), homozigose para F508del. Trinta e três pacientes (78,6%) tinham insuficiência pancreática, 11 (26,2%) apresentaram íleo meconial e sete (16,7%) déficit nutricional. Dos pacientes do estudo, 59,52% seriam potenciais candidatos ao uso de fármacos moduladores de CFTR. Conclusões: As mutações do CFTR identificadas com mais frequência foram F508del e G542X, as quais são mutações pertencentes às classes II e I, respectivamente, e que, juntamente à classe III, conferem um fenótipo de fibrose cística com mais gravidade. Mais da metade (52,38%) da amostra apresentava F508del em homozigose, população candidata ao novo tratamento com Lumacaftor/Ivacaftor. Aproximadamente 7% dos pacientes apresentavam mutações de classes III e IV, sendo candidatos ao tratamento com Ivacaftor.

 


Palavras-chave: Fibrose cística; Mutação; Genética; Fenótipo; Criança.

 

12 - Perda de peso proporcional em seis meses como fator de risco para mortalidade no câncer de pulmão de células não pequenas estádio IV

Proportional weight loss in six months as a risk factor for mortality in stage IV nonsmall cell lung cancer

Guilherme Watte1,2,5,a, Claudia Helena de Abreu Nunes1,b, Luzielio Alves Sidney-Filho3,c, Matheus Zanon2,4,d, Stephan Philip Leonhardt Altmayer4,5,e, Gabriel Sartori Pacini4,f, Marcelo Barros5,g, Ana Luiza Schneider Moreira4,h, Rafael José Vargas Alves1,i, Alice de Medeiros Zelmanowicz4,j, Bashir Mnene Matata2,k, Jose da Silva Moreira1,l

J Bras Pneumol.2018;44(6):505-509

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar diferentes pontos de corte da perda de peso (PP) como marcadores prognósticos de sobrevida em 3 meses após o diagnóstico de câncer de pulmão de células não pequenas estádio IV (CPCNP). Métodos: Estudo prospectivo envolvendo 104 pacientes com CPCNP metastático (estádio IV) que foram internados em um centro de tratamento de câncer no sul do Brasil entre janeiro de 2014 e novembro de 2016. Avaliamos a PP total e PP por mês, bem como PP e PP por mês nos 6 meses anteriores ao diagnóstico. Os pacientes foram acompanhados por 3 meses após o diagnóstico. Um modelo de regressão de riscos proporcionais de Cox e curvas de Kaplan-Meier foram utilizados para avaliar a sobrevida em 3 meses. Resultados: A mediana da PP nos 6 meses anteriores ao diagnóstico foi de 6% (intervalo interquartil, 0,0-12,9%). Pacientes com PP ≥ 5% tiveram uma sobrevida mediana de 78 dias, comparados a 85 dias para aqueles com PP < 5% (p = 0,047). A sobrevida em 3 meses foi de 72% para os pacientes com PP ≥ 5% (p = 0,047), 61% para aqueles com PP ≥ 10% (p < 0,001) e 45% para aqueles com PP ≥ 15% (p < 0,001). Na análise multivariada, a taxa de risco para óbito foi de 4,51 (IC95%: 1,32-15,39) para os pacientes com PP ≥ 5%, 6,34 (IC95%: 2,31-17,40) para aqueles com PP ≥ 10%, e 14,17 (IC95%: 5,06-39,65) para aqueles com PP ≥ 15%. Conclusões: A PP nos 6 meses anteriores ao diagnóstico de CPCNP é um fator prognóstico relevante e parece ser diretamente proporcional à taxa de sobrevida em 3 meses.

 


Palavras-chave: Perda de peso; Carcinoma pulmonar de células não pequenas; Prognóstico.

 

Artigo de Revisão

13 - Síndrome de obesidade-hipoventilação: uma revisão atual

Obesity hypoventilation syndrome: a current review

Rodolfo Augusto Bacelar de Athayde1,2,a, José Ricardo Bandeira de Oliveira Filho1,b, Geraldo Lorenzi Filho2,c, Pedro Rodrigues Genta2,d

J Bras Pneumol.2018;44(6):510-518

Resumo English Text

A síndrome de obesidade-hipoventilação (SOH) é definida pela presença de obesidade (índice de massa corpórea ≥ 30 kg/m2) e hipercapnia arterial diurna (PaCO2 ≥ 45 mmHg), na ausência de outras causas. A SOH é frequentemente negligenciada e confundida com outras patologias associadas à hipoventilação, em particular à DPOC. A importância do reconhecimento da SOH se dá por sua elevada prevalência, assim como alta morbidade e mortalidade se não tratada. Na presente revisão, abordamos os recentes avanços na fisiopatologia e no manejo da SOH. Revisamos a utilidade da medição do bicarbonato venoso como rastreamento e os critérios diagnósticos que descartam a necessidade de polissonografia. Destacamos ainda os avanços no tratamento da SOH, incluindo medidas comportamentais, e estudos recentes que comparam a eficácia do uso de pressão positiva contínua nas vias aéreas e de ventilação não invasiva.

 


Palavras-chave: Obesidade; Síndrome de hipoventilação por obesidade; Ventilação não invasiva.

 

Cartas ao Editor

16 - Comprometimento pulmonar na doença de Crohn

Pulmonary involvement in Crohn's disease

Rodolfo Augusto Bacelar de Athayde1,a, Felipe Marques da Costa1,b, Ellen Caroline Toledo do Nascimento2,c, Roberta Karla Barbosa de Sales1,d, Andre Nathan Costa1,e

J Bras Pneumol.2018;44(6):519-521

PDF PT PDF EN English Text


17 - Pneumonia eosinofílica: lembre-se de medicamentos tópicos como possível etiologia

Eosinophilic pneumonia: remember topical drugs as a potential etiology

Olívia Meira Dias1,a, Ellen Caroline Toledo do Nascimento2,b, Rodrigo Caruso Chate3,c, Ronaldo Adib Kairalla1,d, Bruno Guedes Baldi1,e

J Bras Pneumol.2018;44(6):522-524

PDF PT PDF EN English Text


18 - Embolia pulmonar quase fatal: perspectiva capnográfica

Near-fatal pulmonary embolism: capnographic perspective

Marcos Mello Moreira1,2,a, Luiz Claudio Martins3,b, Konradin Metze4,c, Marcus Vinicius Pereira2,d, Ilma Aparecida Paschoal1,e

J Bras Pneumol.2018;44(6):525-528

PDF PT PDF EN English Text


19 - Empiema causado por infecção por Clostridium septicum em um paciente com câncer de pulmão

Empyema caused by infection with Clostridium septicum in a patient with lung cancer

Gabriel Afonso Dutra Kreling1,a, Marilia Ambiel Dagostin1,b, Marcelo Park2,c

J Bras Pneumol.2018;44(6):529-531

PDF PT PDF EN English Text


Errata

20 - Recomendações para o manejo da pneumonia adquirida na comunidade 2018

2018 recommendations for the management of community acquired pneumonia

J Bras Pneumol.2018;44(6):532

PDF PT PDF EN English Text


Índice Remissivo de Assuntos

21 - Índice remissivo de assuntos do volume 44 (1-6) 2018

Índice remissivo de assuntos do volume 44 (1-6) 2018

J Bras Pneumol.2018;44(6):533-534

PDF PT


Índice Remissivo de Autores

22 - Índice remissivo de autores do volume 44 (1-6) 2018

Índice remissivo de autores do volume 44 (1-6) 2018

J Bras Pneumol.2018;44(6):535-538

PDF PT


Relação de Revisores

23 - Relação de revisores do volume 44 (1-6) 2018

Relação de revisores do volume 44 (1-6) 2018

J Bras Pneumol.2018;44(6):539-542

PDF PT English Text


 


O Jornal Brasileiro de Pneumologia está indexado em:

Latindex Lilacs SciELO PubMed ISI Scopus Copernicus pmc

Apoio

CNPq, Capes, Ministério da Educação, Ministério da Ciência e Tecnologia, Governo Federal, Brasil, País Rico é País sem Pobreza
Secretaria do Jornal Brasileiro de Pneumologia
SCS Quadra 01, Bloco K, Salas 203/204 Ed. Denasa. CEP: 70.398-900 - Brasília - DF
Fone/fax: 0800 61 6218/ (55) (61) 3245 1030/ (55) (61) 3245 6218
E-mails: jbp@jbp.org.br
jpneumo@jornaldepneumologia.com.br

Copyright 2019 - Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia

Logo GN1