Jornal Brasileiro de Pneumologia

ISSN (on-line): 1806-3756

ISSN (impressa): 1806-3713

SCImago Journal & Country Rank
Busca avançada

Resultado da Busca

A busca para o autor ou co-autor encontrou: 29 resultado(s)


As novas perspectivas do transplante de pulmão: da preservação convencional à perfusão pulmonar ex vivo com recondicionamento pulmonar

New perspectives in lung transplantation: from conventional preservation to ex vivo lung perfusion and lung reconditioning

Paulo Francisco Guerreiro Cardoso

J Bras Pneumol.2009;35(11):1057-1059

PDF PT PDF EN English Text



Avaliação da resposta de pacientes asmáticos com refluxo gastroesofágico após terapia com pantoprazol: estudo prospectivo, randomizado, duplo cego e placebo-controlado

Evaluation of pantoprazol treatment response of patients with asthma and gastroesophageal reflux: a randomized prospective double-blind placebo-controlled study

Leandro Heusi dos Santos, Iana Oliveira e Silva Ribeiro, Pablo Gerardo Sánchez, Jorge Lima Hetzel, José Carlos Felicetti, Paulo Francisco Guerreiro Cardoso

J Bras Pneumol.2007;33(2):119-127

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivos: Determinar o efeito do tratamento da DRGE no controle clinico e funcional respiratório em indivíduos asmáticos e avaliar as características clinicas deste grupo de pacientes. Métodos: Pacientes com asma portadores de DRGE patológico documentado por pHmetria de 24 h foram avaliados por meio de questionários sobre sintomas respiratórios, digestivos, de qualidade de vida além de manometria esofágica, espirometria e pico de fluxo expiratório antes e após o estudo. Quarenta e nove indivíduos que apresentavam DRGE patológico na pHmetria esofágica de 24 h foram selecionados e participaram de ensaio clínico terapêutico com pantoprazol (40 mg/dia) controlado com placebo, randomizado, duplo-cego, paralelo por 12 semanas consecutivas. Resultados: Quarenta e quatro indivíduos completaram o estudo (n = 22 cada grupo). Houve melhora significativa no escore de sintomas respiratórios e na qualidade de vida somente no grupo que utilizou pantoprazol (p = 0,01 e p = 0,001, respectivamente). Os parâmetros funcionais respiratórios não se modificaram com os diferentes tratamentos. Conclusões: Neste estudo, o tratamento efetivo do RGE melhorou a qualidade de vida, determinou diminuição dos sintomas em asma de maneira significativa no grupo que utilizou medicamento, contudo sem alterar os parâmetros funcionais.

 


Palavras-chave: Asma; Refluxo gastroesofágico; Tratamento; Diagnóstico; Antiácidos.

 


Bronquiectasias: aspectos diagnósticos e terapêuticos Estudo de 170 pacientes

Bronchiectasis: diagnostic and therapeutic features A study of 170 patients

José da Silva Moreira, Nelson da Silva Porto, José de Jesus Peixoto Camargo, José Carlos Felicetti, Paulo Francisco Guerreiro Cardoso, Ana Luiza Schneider Moreira, Cristiano Feijó Andrade

J Bras Pneumol.2003;29(5):258-263

Resumo PDF PT

Introdução: Bronquiectasias são freqüentemente encontradas na prática médica no Brasil, levando a significativa morbidez e comprometimento da qualidade de vida de seus portadores. Objetivos: Analisar aspectos diagnósticos e terapêuticos em uma série de pacientes com bronquiectasias atendidos em um serviço de doenças pulmonares. Método: Sinais, sintomas, achados radiográficos e microbiológicos, e resultados terapêuticos foram estudados em 170 pacientes portadores de bronquiectasias hospitalizados no período de 1978 a 2001 - 62,4% do sexo feminino, 37,6% do masculino, com idade média de 37 anos, variando entre 12 e 88 anos. Resultados: Antecedente de pneumonia na infância foi detectado em 52,5% dos pacientes, de tratamento tisiológico em 19,8%; 8,8% tinham asma brônquica, e dois tinham síndrome de Kartagener. Os sintomas mais comuns foram tosse (100%), expectoração (96%) e estertores pulmonares (66%). As lesões eram unilaterais em 46,5% dos casos. Pneumococo, H. influenzae ou flora mista estiveram presentes em 85% das amostras de escarro examinadas. Os 170 pacientes receberam inicialmente tratamento clínico à base de antibióticos e fisioterapia respiratória; 88 deles (52%) - mais jovens, com lesões menores e boa reserva funcional - foram submetidos à cirurgia de ressecção pulmonar (82 unilaterais e seis bilaterais). Ocorreram dois óbitos hospitalares entre os pacientes que receberam tratamento exclusivamente clínico. Os pacientes tratados cirurgicamente tiveram acentuada melhora dos sintomas, raramente necessitando ser reinternados. Conclusões: Os prolongados sintomas broncopulmonares foram permanentemente aliviados na maioria dos pacientes com bronquiectasias que puderam ir à cirurgia de ressecção pulmonar, diferentemente dos que seguiram com o tratamento clínico.

 


Palavras-chave: Bronquiectasia/diagnóstico. Bronquiectasia/cirurgia. Bronquiectasia/terapia. Bronquiectasia/complicações. Tomografia computadorizada por raios X/métodos. Pacientes internados. Estudos retrospectivos.

 


Carcinoma mucoepidermóide

Mucoepidermoid carcinoma

Cristiano Feijó Andrade, Spencer Marcantônio Camargo, Paulo Francisco Guerreiro Cardoso, José Carlos Felicetti

J Bras Pneumol.2002;28(6):342-344

Resumo PDF PT

O carcinoma mucoepidermóide é uma neoplasia infreqüente da árvore traqueobrônquica e de etiologia ainda indeterminada. Sua localização endobrônquica preferencial freqüentemente causa sintomas respiratórios obstrutivos e pneumopatias de resolução lenta. Normalmente, são tumores de crescimento lento, mas que podem apresentar comportamento agressivo, com invasão local e metástases para linfonodos, dependendo das suas características histopatológicas. O tratamento de eleição é o cirúrgico, com ressecção completa, seja através de lobectomia ou broncotomia e broncoplastia. O prognóstico dependerá do grau de diferenciação celular desses tumores. Relata-se um caso dessa rara neoplasia descrevendo suas características clínicas, radiológicas e o tratamento cirúrgico.

 



Cisto mediastinal como causa de grave compressão da via aérea central e disfonia

Mediastinal cyst as a cause of severe airway compression and dysphonia

Vanessa Costa Menezes, Paulo Francisco Guerreiro Cardoso, Hélio Minamoto, Márcia Jacomelli, Paulo Sampaio Gutierrez, Fabio Biscegli Jatene

J Bras Pneumol.2013;39(5):636-640

PDF PT PDF EN English Text



Ecobroncoscopia radial para o diagnóstico de lesões pulmonares periféricas

Radial-probe EBUS for the diagnosis of peripheral pulmonary lesions

Marcia Jacomelli, Sergio Eduardo Demarzo, Paulo Francisco Guerreiro Cardoso, Addy Lidvina Mejia Palomino, Viviane Rossi Figueiredo

J Bras Pneumol.2016;42(4):248-253

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: A broncoscopia convencional possui baixo rendimento diagnóstico para lesões pulmonares periféricas. A ecobroncoscopia radial (EBUS radial) emprega um transdutor ultrassonográfico rotatório na extremidade de uma sonda que é inserida no canal de trabalho do broncoscópio. O EBUS radial facilita a localização de nódulos pulmonares periféricos, aumentando assim o rendimento diagnóstico. O objetivo deste estudo foi apresentar nossa experiência inicial com o uso de EBUS radial para o diagnóstico de lesões pulmonares periféricas em um hospital terciário. Métodos: Foi realizada uma análise retrospectiva de 54 pacientes submetidos à broncoscopia guiada por EBUS radial para a investigação de nódulos ou massas pulmonares entre fevereiro de 2012 e setembro de 2013. O EBUS radial foi realizado com uma sonda flexível de 20 MHz, que foi inserida no canal de trabalho do broncoscópio até chegar à lesão-alvo. A fluoroscopia foi usada para localizar a lesão e realizar procedimentos de coleta (escovado brônquico, aspiração transbrônquica com agulha e biópsia transbrônquica). Resultados: O EBUS radial identificou 39 nódulos (média de diâmetro: 1,9 ± 0,7 cm) e 19 massas (média de diâmetro: 4,1 ± 0,9 cm). A sensibilidade global do EBUS radial foi de 66,7% (79,5% para as lesões visíveis pelo método e 25% para as lesões não visíveis pelo método). Nas lesões visíveis pelo método, a sensibilidade foi de 91,7% para massas e de 74,1% para nódulos. As complicações foram pneumotórax (3,7%) e sangramento brônquico controlado broncoscopicamente (9,3%). Conclusões: O EBUS radial apresenta bom perfil de segurança, baixo índice de complicações e alta sensibilidade para o diagnóstico de lesões pulmonares periféricas.

 


Palavras-chave: Técnicas de diagnóstico do sistema respiratório; Pulmão/ultrassonografia; Broncoscopia/métodos; Broncoscopia/instrumentação.

 


Efeitos da administração aguda e crônica de metilprednisolona no estresse oxidativo em pulmões de ratos

Effects of acute and chronic administration of methylprednisolone on oxidative stress in rat lungs

Ronaldo Lopes Torres, Iraci Lucena da Silva Torres, Gabriela Laste, Maria Beatriz Cardoso Ferreira, Paulo Francisco Guerreiro Cardoso, Adriane Belló-Klein

J Bras Pneumol.2014;40(3):238-243

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Determinar os efeitos da administração aguda e crônica de metilprednisolona no estresse oxidativo, por meio da quantificação da peroxidação lipídica (POL) e do potencial antioxidante reativo total (PART), em pulmões de ratos. Métodos: Quarenta ratos Wistar foram divididos em quatro grupos: tratamento agudo, com ratos recebendo uma dose única de metilprednisolona (50 mg/kg i.p.); controle agudo, com ratos recebendo injeção unida de salina; tratamento crônico, com ratos recebendo metilprednisolona v.o. na água do bebedouro (6 mg/kg por dia durante 30 dias; e controle crônico, com ratos recebendo água de bebedouro normal). Resultados: Os níveis de PART foram significativamente maiores no grupo tratamento agudo que no grupo controle agudo, sugerindo uma melhora do sistema de defesa pulmonar. Os níveis de POL foram significativamente maiores no grupo tratamento crônico que no grupo controle crônico, indicando dano oxidativo no tecido pulmonar. Conclusões: Nossos resultados sugerem que o uso agudo de corticoides foi benéfico aos tecidos pulmonares, enquanto seu uso crônico não o foi. O uso crônico de metilprednisolona parece aumentar os níveis pulmonares da POL.

 


Palavras-chave: Pulmão; Metilprednisolona; Glucocorticoides; Peroxidação de lipídeos; Elementos de resposta antioxidante.

 


Efeitos da metilprednisolona na atividade inflamatória e estresse oxidativo nos pulmões de ratoscom morte cerebral

Effects of methylprednisolone on inflammatory activity and oxidative stress in the lungs of brain-dead rats

Eduardo Sperb Pilla, Raôni Bins Pereira, Luiz Alberto Forgiarini Junior, Luiz Felipe Forgiarini,Artur de Oliveira Paludo, Jane Maria Ulbrich Kulczynski, Paulo Francisco Guerreiro Cardoso,Cristiano Feijó Andrade

J Bras Pneumol.2013;39(2):173-180

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar os efeitos da administração sistêmica precoce e tardia de metilprednisolona nos pulmões em um modelo de morte encefálica em ratos. Métodos: Vinte e quatro ratos Wistar machos foram anestesiados e randomizados em quatro grupos (n = 6 por grupo): sham, somente morte encefálica (ME), metilprednisolona i.v. (30 mg/kg) administrada 5 min após a morte encefálica (MP5) e 60 min após a morte encefálica (MP60). Os grupos ME, MP5 e MP60 foram submetidos à morte encefálica por insuflação de um balão no espaço extradural. Todos os animais foram observados e ventilados durante 120 min. Foram determinadas variáveis hemodinâmicas e gasométricas, relação peso úmido/seco, escore histológico, thiobarbituric acid reactive substances (TBARS, substâncias reativas ao ácido tiobarbitúrico), atividade de superóxido dismutase (SOD) e de catalase, assim como contagem diferencial de células brancas, proteína total e nível de desidrogenase lática no LBA. A atividade da mieloperoxidase, peroxidação lipídica e níveis de TNF- foram avaliados no tecido pulmonar. Resultados: Não foram observadas diferenças significativas nas variáveis hemodinâmicas e gasométricas, relação peso úmido/seco, análises do LBA, escore histológico, SOD, mieloperoxidase e catalase entre os grupos. Os níveis de TBARS foram significativamente maiores nos grupos MP5 e MP60 do que nos grupos sham e ME (p < 0,001). Os níveis de TNF- foram significativamente menores nos grupos MP5 e MP60 do que no grupo ME (p < 0,001). Conclusões: Neste modelo de morte cerebral, a administração precoce e tardia de metilprednisolona apresentou efeitos semelhantes sobre a inflamação e a peroxidação lipídica no tecido pulmonar.

 


Palavras-chave: Ratos; Morte encefálica; Estresse oxidativo; Pulmão; Hidroxicorticosteroides.

 


Empiema pleural experimental em ratos: avaliação dos efeitos do uso intrapleural de dextran-40 na fase fibrinopurulenta

Experimental pleural empyema in rats: effect of the intrapleural administration of dextran 40 during the fibrinopurulent stage

Tulio Tonietto, Eduardo Sperb Pilla, Gabriel Ribeiro Madke, Ubirajara de Lima e Silva, José Carlos Felicetti, José de Jesus Peixoto Camargo, Marisa Ribeiro de Itapema Cardoso, Ricardo Bettiol Nonnig, Paulo Francisco Guerreiro Cardoso

J Bras Pneumol.1999;25(3):-

Resumo PDF PT

O empiema pleural é patologia freqüente, apresentando morbidade e mortalidade consideráveis. O sucesso terapêutico nos empiemas baseia-se na detenção do processo em suas fases iniciais com antibióticos sistêmicos associados à drenagem e destruição dos coágulos fibrínicos intrapleurais. As propriedades do dextran na prevenção de aderências em cirurgia abdominal levou os autores à criação de um modelo de empiema pleural em ratos, em que testaram a hipótese de o dextran-40 ser capaz de reduzir a proliferação fibrínica intrapleural quando administrado juntamente com o inóculo bacteriano para produção do empiema. Foram utilizados 24 ratos Wistar com peso de 250-400g. Após anestesia, intubação orotraqueal e ventilação mecânica, os animais foram submetidos a toracotomia direita, randomizados em três grupos: grupo I (n = 8): administração intrapleural de 1ml/kg de solução de dextran-40 + 1ml/kg de inóculo contendo 1010 células/ml de Staphylococcus aureus em caldo cérebro-coração (obtidos a partir do cultivo de secreção oral dos animais); grupo II (n = 8): 1ml/kg de solução salina a 0,9% + 1ml/kg de inóculo contendo 1010 células/ml de Staphylococcus aureus em caldo cérebro-coração; grupo III (n = 8): grupo controle: instilação de caldo cérebro-coração no mesmo volume (1ml/kg) + solução salina a 0,9%. Após síntese da toracotomia, os animais foram recuperados e observados por quatro dias, sendo sacrificados. Somente os animais dos grupos I e II apresentaram derrame (volume de 9,7ml e 8,1ml, respectivamente, NS), empiema pleural na fase exsudativa e perda ponderal significativa em relação aos do grupo controle (p = 0,004). As análises bioquímicas do sangue e hemogramas não apresentaram diferenças significativas entre os grupos. A bioquímica do líquido pleural nos grupos I e II (DHL, pH, glicose e proteínas) não demonstrou diferenças. Todas as culturas dos líquidos pleurais foram positivas nos grupos I e II. Os autores concluem que nesse modelo confiável e inédito de empiema pleural em ratos, a instilação do dextran-40 intrapleural no momento da inoculação não foi capaz de induzir redução significativa na reação pleural até 96 horas de observação.

 


Palavras-chave: Empiema. Pleura. Rato. Dextrans. Estafilococo.

 


Errata: Ecobroncoscopia radial para o diagnóstico de lesões pulmonares periféricas.

Erratum: Radial-probe EBUS for the diagnosis of peripheral pulmonary lesions.

Marcia Jacomelli1, Sergio Eduardo Demarzo1, Paulo Francisco Guerreiro Cardoso2, Addy Lidvina Mejia Palomino1, Viviane Rossi Figueiredo1

J Bras Pneumol.2017;43(1):78-79

PDF PT PDF EN English Text



Esofagomanometria e pHmetria esofágica de 24 h em uma ampla amostra de pacientes com manifestações respiratórias

Esophageal manometry and 24-h esophageal pH-metry in a large sample of patients with respiratory symptoms

Mirna da Mota Machado, Paulo Francisco Guerreiro Cardoso, Iana Oliveira e Silva Ribeiro, Idílio Zamin Júnior, Rene Jacobsen Eilers

J Bras Pneumol.2008;34(12):1040-1048

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Determinar a prevalência da doença do refluxo gastroesofágico (DRGE) e avaliar o perfil motor esofágico de portadores de manifestações respiratórias encaminhados para avaliação funcional esofágica em um serviço de referência em motilidade digestiva. Métodos: Foram analisados os resultados de esofagomanometria e de pHmetria esofágica de 24 h. O critério de inclusão foi a presença de sintomas respiratórios, acompanhados ou não de sintomas digestivos. Resultados: Dos 1.170 pacientes incluídos no estudo, 602 (51,5%) relataram manifestações digestivas associadas às respiratórias (grupo MRD) e 568 (48,5%), apenas respiratórias (grupo MR). A asma foi diagnosticada em 142 indivíduos no grupo MR (subgrupo MR-A) e em 201 no grupo MRD (subgrupo MRD-A). Dentre os 346 casos de dismotilidade do corpo esofágico, a hipomotilidade esteve presente em 175 (14,3% e 15,6%, respectivamente, no grupos MRD e MR) e hipotonia do esfíncter esofágico inferior (EEI) em 411 (40.3% e 30,2% nos mesmos grupos, respectivamente). A hipotonia se correlacionou com DRGE. A exposição do esôfago distal ao ácido foi marcadamente anormal no período de decúbito. A prevalência de DRGE na amostra total, nos subgrupos MR-A/MRD-A e somente no subgrupo MR-A foi de 39,8%, 44,0% e 35,2%, respectivamente. Conclusões: A hipotonia do EEI foi a alteração manométrica preponderante, correlacionando-se com DRGE. Embora a DRGE foi mais evidente no grupo MRD, aproximadamente um terço dos pacientes do grupo MR apresentou DRGE (DRGE silencioso). Os achados sugerem a DRGE como possível causa extrapulmonar de sintomas respiratórios crônicos não responsivos à terapêutica convencional.

 


Palavras-chave: Refluxo gastroesofágico; Sinais e sintomas respiratórios; Asma; Monitoramento do pH esofágico; Manometria.

 


Estado atual e aplicabilidade clínica da punção aspirativa por agulha guiada por ultrassomendobrônquico

Current status and clinical applicability of endobronchial ultrasound-guided transbronchial needle aspiration

Viviane Rossi Figueiredo, Márcia Jacomelli, Ascédio José Rodrigues, Mauro Canzian,Paulo Francisco Guerreiro Cardoso, Fábio Biscegli Jatene

J Bras Pneumol.2013;39(2):226-237

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Endobronchial ultrasound-guided transbronchial needle aspiration (EBUS-TBNA, punção aspirativa por agulha guiada por ultrassom endobrônquico) tem desempenhado um papel fundamental no diagnóstico de lesões mediastinais, paratraqueais e peribrônquicas, assim como no estadiamento linfonodal da neoplasia pulmonar. Por se tratar de exame endoscópico minimamente invasivo cujo rendimento diagnóstico tem se mostrado comparável aos métodos cirúrgicos estabelecidos, o procedimento de EBUS-TBNA ganhou espaço rapidamente e já se encontra integrado à rotina de investigação em serviços de referência. Para a realização de EBUS-TBNA, é importante o planejamento prévio ao procedimento, que deve incluir uma análise minuciosa dos exames radiológicos e cuidado especial com a coleta e preparo do material, além do domínio da técnica e conhecimento de eventuais complicações inerentes ao procedimento. As principais indicações para a realização de EBUS-TBNA são o estadiamento linfonodal da neoplasia pulmonar e a investigação diagnóstica de massas e linfonodomegalias mediastinais ou hilares. Recentemente, iniciou-se a identificação de biomarcadores tumorais em amostras neoplásicas; essa análise molecular no material coletado durante o procedimento de EBUS-TBNA provou ser totalmente possível. Até o momento, o procedimento de EBUS-TBNA não consta nas tabelas de procedimentos médicos da Associação Médica Brasileira. O procedimento de EBUS-TBNA tem se mostrado seguro e eficaz no estadiamento e reestadiamento de neoplasia de pulmão e no esclarecimento diagnóstico de lesões ou linfonodomegalias mediastinais, paratraqueais e peribrônquicas.

 


Palavras-chave: Biópsia por agulha fina; Neoplasias pulmonares; Estadiamento de neoplasias.

 


Estudo prospectivo de derrames pleurais através da análise de ploidia do DNA por citometria de fluxo

A prospective study of pleural effusions through analysis of DNA ploidy by flow cytometry

Giuliano Borile, Luciano da Silva Selistre, Samir Abu El Haje, Luiz Jaime Tellez, João Carlos Prolla, Jorge Neumann, Heloisa Sporleder, José de Jesus Peixoto Camargo, José Carlos Felicetti, Paulo Francisco Guerreiro Cardoso

J Bras Pneumol.1999;25(3):153-158

Resumo PDF PT

Objetivos: Avaliar prospectivamente derrames pleurais benignos e malignos através de comparação dos resultados da citopatologia convencional com a ploidia de DNA analisada por citometria de fluxo com o objetivo de esclarecer o valor desta última na diferenciação entre derrames benignos e malignos. Casuística e métodos: 26 amostras de derrames pleurais de pacientes adultos foram colhidas por toracocentese e os líquidos pleurais analisados através de citopatologia convencional e análise de conteúdo de DNA por citometria de fluxo. O diagnóstico etiológico foi confirmado por exame anatomopatológico de biópsias pleurais em todos os casos. Dez amostras foram excluídas por problemas técnicos, restando 16 para análise. Resultados: Havia 13 derrames malignos e 3 benignos. A citopatologia revelou 9 exames positivos para a malignidade e 7 benignos (4 falso-negativos). A citometria de fluxo revelou conteúdo de DNA euplóide nos 3 derrames benignos (valor preditivo positivo e especificidade de 100%) e em 8 derrames malignos (sensibilidade de 38,4%, valor preditivo negativo de 27,2%). A citopatologia revelou especificidade de 100%, sensibilidade de 69,2%, valores preditivos positivo de 100% e negativo de 42,8%, respectivamente. Conclusões: Na diferenciação entre derrames benignos e malignos, a baixa sensibilidade e o valor preditivo negativo da citometria de fluxo em relação à citopatologia convencional nesta amostra limitaram a utilidade do método ao achado da presença de conteúdo de DNA euplóide em derrames benignos.

 


Palavras-chave: Citometria de fluxo. Citopatologia. Ploidia de DNA. Derrame pleural.

 


Influência da estratégia ventilatória no desempenho funcional de enxertos pulmonares em um modelo experimental de transplante pulmonar unilateral de doadores após parada cardiocirculatória

Ventilation strategy and its influence on the functional performance of lung grafts in an experimental model of single lung transplantation using non-heart-beating donors

Elaine Aparecida Felix, Cristiano Feijó Andrade, Paulo Francisco Guerreiro Cardoso, Gabriela Cury Thiesen, Ana Carolina Peçanha Antonio, Lucas Krieger Martins, Tiago Antonio Tonietto

J Bras Pneumol.2010;36(5):554-561

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Comparar a influência de duas estratégias ventilatórias - ventilação controlada a volume (VCV) e ventilação controlada a pressão (VCP) - no desempenho funcional de enxertos pulmonares em um modelo canino de transplante pulmonar unilateral esquerdo, utilizando-se doadores cujos pulmões foram captados após três horas de parada cardiocirculatória em temperatura ambiente e sob ventilação mecânica. Métodos: O estudo incluiu 40 cães mestiços randomizados nos grupos VCV e VCP. Dos 20 receptores, 5 não sobreviveram ao transplante, e 5 não sobreviveram ao período de avaliação pós-transplante. Os 10 receptores sobreviventes (5 em cada grupo) foram avaliados durante 360 min após o término do transplante pulmonar. O desempenho funcional dos enxertos foi estudado através da avaliação da mecânica respiratória, trocas gasosas e histologia do enxerto. Resultados: Não houve diferenças significativas entre os grupos quanto às variáveis de mecânica respiratória (pressão de pico inspiratória, pressão de platô, pressão média de vias aéreas, complacência dinâmica e complacência estática) e de trocas gasosas (PaO2, pressão venosa mista de oxigênio, PaCO2, pressão venosa mista de CO2 e diferença arteriovenosa de oxigênio). As alterações histopatológicas foram compatíveis com o padrão de lesão pulmonar aguda não específica e não diferiram entre os grupos. Conclusões: Este modelo de transplante pulmonar mostrou que o desempenho funcional do enxerto não foi influenciado pela estratégia ventilatória utilizada até seis horas após a reperfusão.

 


Palavras-chave: Ventilação pulmonar; Respiração artificial; Transplante de pulmão; Cães; Preservação de órgãos

 


Laringoscopia de suspensão para o cirurgião torácico: Quando e como utilizá-la

Suspension laryngoscopy for the thoracic surgeon: When and how to use it

Antonio Oliveira dos Santos Júnior, Hélio Minamoto, Paulo Francisco Guerreiro Cardoso, Tales Rubens de Nadai, Rafael Turano Mota, Fabio Biscegli Jatene

J Bras Pneumol.2011;37(2):238-241

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A laringoscopia de suspensão é um dos procedimentos mais comumente utilizados em otorrinolaringologia para a abordagem diagnóstica e cirúrgica da laringe mas é pouco conhecida e utilizada pelo cirurgião torácico. As indicações para sua utilização são similares às da broncoscopia rígida (dilatações, aplicação de próteses endotraqueais e ressecções tumorais), podendo ser realizada em crianças e adultos. Constitui-se em uma alternativa eficaz, mormente na indisponibilidade de equipamento de traqueobroncoscopia rígida, sendo, portanto, uma alternativa viável em centros menores. Nesta comunicação, descrevemos a técnica e suas aplicações na cirurgia torácica.

 


Palavras-chave: Traqueia; Dilatação; Cirurgia Torácica; Laringoscopia.

 


Lobectomia por carcinoma brônquico: análise das co-morbidades e seu impacto na morbimortalidade pós-operatória

Lobectomy for treating bronchial carcinoma: analysis of comorbidities and their impact on postoperative morbidity and mortality

Pablo Gerardo Sánchez, Giovani Schirmer Vendrame, Gabriel Ribeiro Madke, Eduardo Sperb Pilla, José de Jesus Peixoto Camargo, Cristiano Feijó Andrade, José Carlos Felicetti, Paulo Francisco Guerreiro Cardoso

J Bras Pneumol.2006;32(6):495-504

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Analisar o impacto das co-morbidades no desempenho pós-operatório de lobectomia por carcinoma brônquico. Métodos: Estudaram-se retrospectivamente 493 pacientes submetidos a lobectomia por carcinoma brônquico e 305 preencheram os critérios de inclusão. A técnica cirúrgica foi sempre semelhante. Analisaram-se as co-morbidades categorizando-se os pacientes nas escalas de Torrington-Henderson e de Charlson, estabelecendo-se grupos de risco para complicações e óbito. Resultados: A mortalidade operatória foi de 2,9% e o índice de complicações de 44%. O escape aéreo prolongado foi a complicação mais freqüente (20,6%). A análise univariada mostrou que sexo, idade, tabagismo, terapia neo-adjuvante e diabetes apresentaram impacto significativo na incidência de complicações. O índice de massa corporal (23,8 ± 4,4 kg/m2), volume expiratório forçado no primeiro segundo (74,1 ± 24%) e relação entre volume expiratório forçado no primeiro segundo e capacidade vital forçada (0,65 ± 0,1) foram fatores preditivos da ocorrência de complicações. As escalas foram eficazes na identificação de grupos de risco e na relação com a morbimortalidade (p = 0,001 e p < 0,001). A análise multivariada identificou que o índice de massa corporal e o índice de Charlson foram os principais determinantes de complicações; o escape aéreo prolongado foi o principal fator envolvido na mortalidade (p = 0,01). Conclusão: Valores reduzidos de volume expiratório forçado no primeiro segundo, relação entre volume expiratório forçado no primeiro segundo e capacidade vital forçada, índice de massa corporal e graus 3-4 de Charlson e 3 de PORT associaram-se a mais complicações após lobectomias por carcinoma brônquico. O escape aéreo persistente associou-se fortemente à mortalidade.

 


Palavras-chave: Neoplasias pulmonares/cirurgia; Complicações pós-operatórias; Pneumonectomia; Morbidade

 


Modelo experimental de perfusão pulmonar ex vivo em ratos: avaliação de desempenho de pulmões submetidos à administração de prostaciclina inalada versus parenteral

An experimental rat model of ex vivo lung perfusion for the assessment of lungs after prostacyclin administration: inhaled versus parenteral routes

Paulo Francisco Guerreiro Cardoso, Rogério Pazetti, Henrique Takachi Moriya, Paulo Manuel Pêgo-Fernandes, Francine Maria de Almeida, Aristides Tadeu Correia, Karina Fechini, Fabio Biscegli Jatene

J Bras Pneumol.2011;37(5):589-597

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Apresentar um modelo experimental de administração de prostaglandina I2 (PGI2) por via inalatória vs. parenteral e avaliar o desempenho funcional dos pulmões em um sistema de perfusão pulmonar ex vivo. Métodos: Quarenta ratos Wistar foram anestesiados, ventilados, submetidos a laparotomia com ressecção do esterno e anticoagulados. O tronco da artéria pulmonar foi canulado. Todos os animais foram submetidos a ventilação mecânica. Os animais foram randomizados em quatro grupos (10 ratos/grupo): salina nebulizada (SN); salina parenteral (SP); PGI2 nebulizada (PGI2N); e PGI2 parenteral (PGI2P). A dose de PGI2 nos grupos PGI2N e PGI2P foi de 20 e 10 µg/kg, respectivamente. Os blocos cardiopulmonares foram submetidos in situ a perfusão anterógrada com solução de baixo potássio e dextrana a 4°C via artéria pulmonar, extraídos em bloco e armazenados a 4°C por 6 h. Os blocos foram ventilados e perfundidos em um sistema ex vivo por 50 min, sendo obtidas medidas de mecânica ventilatória, hemodinâmica e trocas gasosas. Resultados: Houve redução da pressão arterial pulmonar média após a nebulização em todos os grupos (p < 0,001), sem diferença entre os grupos. Na perfusão ex vivo, a mecânica ventilatória não diferiu entre os grupos. Houve redução da capacidade relativa de oxigenação ao longo da perfusão nos grupos SN e SP (p = 0,04), e houve aumento significativo da pressão arterial pulmonar no grupo SN. Conclusões: O modelo experimental de administração de PGI2 na extração pulmonar é exequível e confiável. Na reperfusão, os resultados de hemodinâmica e de trocas gasosas demonstraram tendência a um melhor desempenho com o uso de PGI2 do que com solução salina.

 


Palavras-chave: Prostaglandinas; Transplante de pulmão; Reperfusão; Modelos animais; Ratos.

 


Modelo experimental de perfusão pulmonar ex vivo em ratos: avaliação histopatológica e de apoptose celular em pulmões preservados com solução de baixo potássio dextrana vs. solução histidina-triptofano-cetoglutarato

An experimental rat model of ex vivo lung perfusion for the assessment of lungs regarding histopathological findings and apoptosis: low-potassium dextran vs. histidine-tryptophan-ketoglutarate

Edson Azevedo Simões, Paulo Francisco Guerreiro Cardoso, Paulo Manuel Pêgo-Fernandes, Mauro Canzian, Rogério Pazetti, Karina Andriguetti de Oliveira Braga, Natalia Aparecida Nepomuceno, Fabio Biscegli Jatene

J Bras Pneumol.2012;38(4):461-469

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Comparar os achados histopatológicos e de apoptose em pulmões de ratos preservados em soluções low-potassium dextran (LPD, baixo potássio dextrana), histidine-tryptophan-ketoglutarate (HTK, histidina-triptofano-cetoglutarato) ou salina normal (SN) em 6 h e 12 h de isquemia pela utilização de um modelo experimental de perfusão pulmonar ex vivo. Métodos: Sessenta ratos Wistar foram anestesiados, randomizados e submetidos à perfusão anterógrada pela artéria pulmonar com uma das soluções preservadoras. Após a extração, os blocos cardiopulmonares foram preservados por 6 ou 12 h a 4°C, sendo então reperfundidos com sangue homólogo em um sistema de perfusão ex vivo durante 60 min. Ao final da reperfusão, fragmentos do lobo médio foram extraídos e processados para histopatologia, sendo avaliados os seguintes parâmetros: congestão, edema alveolar, hemorragia alveolar, hemorragia, infiltrado inflamatório e infiltrado intersticial. O grau de apoptose foi avaliado pelo método TdT-mediated dUTP nick end labeling. Resultados: A histopatologia demonstrou que todos os pulmões preservados com SN apresentaram edema alveolar após 12 h de isquemia. Não houve diferenças em relação ao grau de apoptose nos grupos estudados. Conclusões: No presente estudo, os achados histopatológicos e de apoptose foram semelhantes com o uso das soluções LPD e HTK, enquanto a presença de edema foi significativamente maior com o uso de SN.

 


Palavras-chave: Preservação de órgãos; Soluções para preservação de órgãos; Transplante de pulmão; Traumatismo por reperfusão; Apoptose.

 


Modelo experimental de perfusão pulmonar isolada em ratos: técnica e aplicações em estudos de preservação pulmonar

Experimental model of isolated lung perfusion in rats: technique and application in lung preservation studies

Paulo Manuel Pêgo-Fernandes, Eduardo de Campos Werebe, Paulo Francisco Guerreiro Cardoso, Rogério Pazetti, Karina Andrighetti de Oliveira, Paula Roberta Otaviano Soares, Fabio Biscegli Jatene

J Bras Pneumol.2010;36(4):-

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Estudos de preservação pulmonar em modelos experimentais realizados em animais de pequeno porte são de realização mais simples e barata. Esta comunicação tem o enfoque de descrever tecnicamente um modelo de perfusão pulmonar ex vivo em ratos, com o uso de um equipamento disponível comercialmente que foi o primeiro a ser instalado em um laboratório de pesquisa em cirurgia torácica no Brasil. Descrevemos detalhadamente o modelo e sua preparação, assim como suas aplicações para estudos de preservação pulmonar. Os detalhes técnicos da preparação podem ser observados também em um vídeo postado no site do Jornal Brasileiro de Pneumologia.

 


Palavras-chave: Transplante de pulmão; Traumatismo por reperfusão; Ratos; Modelos animais.

 


Modificação da técnica de alotransplante pulmonar unilateral em ratos

Technical modification of unilateral lung transplantation in rats

Pablo Gerardo Sánchez, Lucas Krieger Martins, Frederico Krieger Martins, Ricardo Schimer, Paulo Francisco Guerreiro Cardoso, Cristiano Feijó Andrade

J Bras Pneumol.2007;33(4):443-447

Resumo PDF PT PDF EN English Text Vídeo

A crescente demanda de pesquisa em transplantes requer modelos eficientes e baratos que permitam resultados confiáveis para que, posteriormente, possam ser reproduzidos em animais de grande porte e, finalmente, aplicados clinicamente. O modelo de transplante pulmonar unilateral esquerdo em ratos tem demonstrado ser uma alternativa útil para estes propósitos. Apresentamos uma nova variante para esta técnica, a qual consiste no isolamento e ligadura da artéria pulmonar contralateral, permitindo a circulação do sangue somente no pulmão transplantado. Este modelo é exeqüível e reprodutível; no entanto, o tempo de sobrevida é relativamente curto, não permitindo avaliação do pulmão transplantado por períodos superiores a três horas.

 


Palavras-chave: Transplante; Pulmão, Modelos Biológicos; Ratos.

 


Perfusão pulmonar anterógrada "versus" retrógrada na preservação pulmonar para transplante em modelo canino de viabilidade pulmonar pós-morte

Antegrade versus retrograde lung perfusion in pulmonary preservation for transplantation in a canine model of post-mortem lung viability

Jean Carlo Kohmann, Ubirajara Lima e Silva, Gabriel Madke, Eduardo Sperb Pilla, José Carlos Felicetti, José de Jesus Peixoto Camargo, Paulo Ivo Homem de Bittencourt, Paulo Francisco Guerreiro Cardoso

J Bras Pneumol.1999;25(2):78-83

Resumo PDF PT

A doação pulmonar após parada cardiocirculatória tem sido estudada experimentalmente na obtenção de órgãos para transplante, porém a severa lesão isquêmica/reperfusão exigem métodos de preservação que permitam viabilidade pulmonar. A perfusão do enxerto com solução cristalóide hipotérmica via anterógrada (artéria pulmonar) é o método de preservação mais utilizado, porém esta via não perfunde a circulação brônquica, permitindo a retenção sanguínea neste território capaz de desencadear fenômenos de lesão de reperfusão. Isto nos levou a testar os efeitos da perfusão anterógrada versus retrógrada (via átrio esquerdo, capaz de perfundir a circulação brônquica) em modelo canino de transplante unilateral cujos pulmões foram extraídos 3 horas após parada cardiorrespiratória. Doze cães doadores foram sacrificados com tiopental sódico e mantidos à temperatura ambiente sob ventilação mecânica durante 3 horas, após as quais os animais foram randomizados e os blocos cardiopulmonares perfundidos via retrógrada (n = 6) ou anterógrada (n = 6) com solução de Euro-Collins modificada e extraídos. Os receptores (n = 12) foram anestesiados, pneumonectomizados e submetidos a transplante pulmonar esquerdo recebendo enxertos perfundidos por via retrógrada (grupo I) ou anterógrada (grupo II). Após a reperfusão do enxerto, os animais foram mantidos sob ventilação mecânica (FiO2 = 1) por 6 horas, sendo então sacrificados. Durante este período obtiveram-se medidas hemodinâmicas e gasometrias arteriais, além de amostras de tecido pulmonar para dosagem de ATP intracelular. As medidas hemodinâmicas não diferiram entre os grupos. Nos animais do grupo I a PaO2 e PaCO2 foram superiores às do grupo II (p = 0,016 e p = 0,008, respectivamente). O ATP intracelular não diferiu entre os grupos, embora tenha se reduzido nas amostras obtidas na extração do enxerto do doador quando comparados aos valores após a reperfusão (p = 0,01) e ao término do período de avaliação (p = 0,01). Os autores concluem que, neste modelo experimental, a perfusão retrógrada hipotérmica resulta em função superior do enxerto após 3 horas de isquemia normotérmica sob ventilação mecânica.

 


Palavras-chave: Pulmão. Isquemia. Preservação pulmonar. Perfusão retrógrada. ATP.

 


Pré-condicionamento isquêmico por oclusão seletiva da artéria pulmonar em ratos

Ischemic preconditioning by selective occlusion of the pulmonary artery in rats

Eduardo Sperb Pilla, Giovani Schirmer Vendrame, Pablo Gerardo Sánchez, Gustavo Grun, Eduardo Fontena, Luiz Alberto Forgiarini Júnior, Norma Anair Possa Marroni, Cristiano Feijó Andrade, Paulo Francisco Guerreiro Cardoso

J Bras Pneumol.2008;34(8):583-589

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar o efeito do pré-condicionamento isquêmico (PCI) em modelo de isquemia e reperfusão (I/R) pulmonar normotérmica em ratos, quantificando a produção de espécies reativas do oxigênio. Métodos: Quarenta e sete ratos Wistar foram randomizados em quatro grupos: controle, sham, I/R e PCI. Após anestesia, animais do grupo controle foram sacrificados por decapitação, pneumonectomizados, e os pulmões esquerdos armazenados em nitrogênio líquido. Animais dos grupos sham, I/R e PCI foram anestesiados, traqueostomizados, ventilados, anticoagulados e submetidos a uma toracotomia esquerda com dissecção da artéria pulmonar esquerda para clampeamento. No grupo sham procedeu-se a dissecção da artéria pulmonar esquerda; no grupo I/R, clampeamento hilar total de 30 min e no grupo PCI, clampeamento da artéria pulmonar esquerda por 5 min seguido por reperfusão de 10 min e um clampeamento hilar total de 30 min. Pulmões foram reperfundidos por 90 min e ventilados com os mesmos parâmetros, acrescidos de pressão expiratória final positiva de 1 cmH2O. Foram obtidas medidas hemodinâmicas e gasométricas antes da toracotomia, antes do clampeamento hilar total, aos 30 e 90 min de reperfusão. A peroxidação lipídica foi estabelecida por meio da determinação das substâncias reativas ao ácido tiobarbitúrico. Resultados: A determinação das substâncias reativas ao ácido tiobarbitúrico analisada nos grupos controle, sham, I/R, PCI não revelou diferenças significativas, o mesmo ocorrendo com a pressão parcial arterial de oxigênio, pressão parcial arterial de gás carbônico e medidas hemodinâmicas entre os grupos sham, I/R e PCI. Conclusões: O PCI de 5 min da artéria pulmonar esquerda em modelo de I/R in situ em ratos não atenua a lesão de I/R.

 


Palavras-chave: Isquemia; Reperfusão; Preservação de órgãos; Espécies de oxigênio reativas.

 


Prevalência da doença do refluxo gastroesofágico em pacientes com fibrose pulmonar idiopática

Prevalence of gastroesophageal reflux disease in patients with idiopathic pulmonary fibrosis

Cristiane Dupont Bandeira, Adalberto Sperb Rubin, Paulo Francisco Guerreiro Cardoso, José da Silva Moreira, Mirna da Mota Machado

J Bras Pneumol.2009;35(12):1182-1189

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Determinar a prevalência da doença do refluxo gastroesofágico (DRGE) e sua apresentação clínica, além do perfil funcional do esôfago em pacientes com fibrose pulmonar idiopática (FPI). Métodos: Foram avaliados prospectivamente 28 pacientes com FPI. Os pacientes foram submetidos à esofagomanometria estacionária, pHmetria de 24 h e testes de função pulmonar, assim como responderam a questionários sobre sintomas e qualidade de vida em DRGE. Resultados: A prevalência de DRGE foi de 35,7%. Os pacientes foram divididos em dois grupos: grupo DRGE+ (pHmetria anormal; n = 10), e grupo DRGE− (pHmetria normal; n = 18). No grupo DRGE+, 77,7% dos pacientes apresentavam pelo menos um sintoma típico de DRGE. Nesse grupo de pacientes, 8 (80%) apresentaram refluxo em posição supina, e 5 (50%) apresentaram refluxo exclusivamente nessa posição. Nos grupos DRGE+ e DRGE−, respectivamente, 5 (50,0%) e 7 (38,8%) dos pacientes apresentaram hipotonia do esfíncter esofágico inferior, assim como 7 (70,0%) e 10 (55,5%) apresentaram hipomotilidade esofágica. Não houve diferenças significativas entre os grupos quanto a características demográficas, função pulmonar, apresentação clínica ou achados manométricos. Conclusões: A prevalência de DRGE nos pacientes com FPI foi elevada. Entretanto, as características clínicas e funcionais não diferiram significativamente entre os pacientes com e sem DRGE.

 


Palavras-chave: Fibrose pulmonar; Refluxo gastroesofágico; Prevalência; Manometria; Monitoramento do pH esofágico.

 


Prevalência de refluxo gastroesofágico em pacientes com doença pulmonar avançada candidatos a transplante pulmonar

Prevalence of gastroesophageal reflux in lung transplant candidates with advanced lung disease

Gustavo Almeida Fortunato, Mirna Mota Machado, Cristiano Feijó Andrade, José Carlos Felicetti, José de Jesus Peixoto Camargo, Paulo Francisco Guerreiro Cardoso

J Bras Pneumol.2008;34(10):772-778

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar o perfil funcional do esôfago e a prevalência de refluxo gastroesofágico (RGE) em pacientes candidatos a transplante pulmonar. Métodos: Foram analisados prospectivamente, entre junho de 2005 e novembro de 2006, 55 pacientes candidatos a transplante pulmonar da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre. Os pacientes foram submetidos a esofagomanometria estacionária e pHmetria esofágica ambulatorial de 24 h de um e dois eletrodos antes de serem submetidos ao transplante pulmonar. Resultados: A esofagomanometria foi anormal em 80% dos pacientes e a pHmetria revelou RGE ácido patológico em 24%. Os sintomas digestivos apresentaram sensibilidade de 50% e especificidade de 61% para RGE. Dos pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica, 94% apresentaram alteração à manometria, e 80% apresentaram hipotonia do esfíncter inferior, que foi o achado mais freqüente. Pacientes com bronquiectasias apresentaram a maior prevalência de RGE (50%). Conclusões: O achado freqüente em pacientes com doença pulmonar avançada é RGE. Na população examinada, a presença de sintomas digestivos de RGE não foi preditiva de refluxo ácido patológico. A contribuição do RGE na rejeição crônica deve ser considerada e requer estudos posteriores para seu esclarecimento.

 


Palavras-chave: Gastroesophageal reflux; Lung transplantation; Manometry; Esophageal pH monitoring.

 


Punção aspirativa por agulha guiada por ultrassom endobrônquico no estadiamento do câncer de pulmão: experiência inicial no Brasil

Endobronchial ultrasound-guided transbronchial needle aspiration for lung cancer staging: early experience in Brazil

Viviane Rossi Figueiredo, Paulo Francisco Guerreiro Cardoso, Márcia Jacomelli, Sérgio Eduardo Demarzo, Addy Lidvina Mejia Palomino, Ascédio José Rodrigues, Ricardo Mingarini Terra, Paulo Manoel Pego-Fernandes, Carlos Roberto Ribeiro Carvalho

J Bras Pneumol.2015;41(1):23-30

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: A endobronchial ultrasound-guided transbronchial needle aspiration (EBUS-TBNA, punção aspirativa por agulha guiada por ultrassom endobrônquico) é um método seguro e preciso para a coleta de amostras de linfonodos mediastinais e hilares. O presente estudo teve por objetivo avaliar os resultados iniciais com EBUS-TBNA para o estadiamento linfonodal de câncer de pulmão em 3 hospitais acadêmicos no Brasil. Métodos: Análise retrospectiva de pacientes com neoplasia de pulmão diagnosticada e submetidos a EBUS-TBNA para estadiamento linfonodal mediastinal. Todos os procedimentos foram realizados sob anestesia geral. Utilizou-se um ecobroncoscópio, uma processadora de ultrassom e agulhas 22 G descartáveis e compatíveis com o ecobroncoscópio. Resultados: Entre janeiro de 2011 e janeiro de 2014, 149 pacientes foram submetidos ao estadiamento linfonodal com EBUS-TBNA. A média de idade foi 66 ± 12 anos, sendo 58% do sexo masculino. Um total de 407 linfonodos foram puncionados via EBUS-TBNA. Os tipos mais comuns de neoplasia brônquica foram adenocarcinoma (em 67%) e carcinoma escamoso (em 24%). Para o estadiamento da neoplasia, o EBUS-TBNA apresentou sensibilidade de 96%, especificidade de 100% e valor preditivo negativo de 85%. Conclusões: A EBUS-TBNA mostrou-se um método seguro e acurado no estadiamento linfonodal em pacientes com câncer de pulmão.

 


Palavras-chave: Neoplasias Pulmonares; Estadiamento de neoplasias; Broncoscopia; Aspiração por agulha fina guiada por ultrassom endoscópico; Linfonodos.

 


Resposta dos autores

Authors' reply

Marcia Jacomelli1, Sergio Eduardo Demarzo1, Paulo Francisco Guerreiro Cardoso2, Addy Lidvina Mejia Palomino1, Viviane Rossi Figueiredo1

J Bras Pneumol.2017;43(1):77-77

PDF PT PDF EN English Text



Termoplastia brônquica em asma

Bronchial thermoplasty in asthma

Adalberto Sperb Rubin, Paulo Francisco Guerreiro Cardoso

J Bras Pneumol.2010;36(4):-

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Os modernos tratamentos disponíveis para a asma proporcionam um bom controle da doença na maioria dos casos. Um número significativo de pacientes, no entanto, não responde a esses tratamentos, ou seja, não apresenta um alívio sintomático importante. A termoplastia brônquica é uma nova modalidade terapêutica, na qual a musculatura lisa das vias aéreas é especificamente tratada. Esse procedimento broncoscópico libera energia através de radiofrequência para as vias aéreas buscando a redução da broncoconstrição mediada pela musculatura lisa. Neste artigo, apresentamos a técnica da termoplastia, sumarizamos os resultados dos principais estudos clínicos randomizados do procedimento e discutimos seus mecanismos de ação e potenciais efeitos adversos. Também propomos estratégias para o futuro uso clínico desse novo tratamento.

 


Palavras-chave: Asma/prevenção & controle; Asma/terapia; Broncoscopia.

 


Termoplastia brônquica: relato do primeiro tratamento endoscópico de asma na América Latina

Bronchial thermoplasty: report on the first endoscopic treatment for asthma in Latin America*

Adalberto Sperb Rubin, Paulo Francisco Guerreiro Cardoso

J Bras Pneumol.2008;34(1):59-62

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A termoplastia brônquica é um novo procedimento broncoscópico que libera energia por radiofreqüência nas vias aéreas, com potencial redução da broncoconstrição causada pela contratura da musculatura lisa. Relatamos o caso de um homem de 48 anos, portador de asma persistente moderada, submetido à termoplastia brônquica. O tratamento aumentou o volume expiratório forçado no primeiro segundo, aumentou o número de dias livres de sintomas, reduziu o uso da medicação de resgate e melhorou o escore no questionário de Juniper Asthma Quality of Life Scale. A termoplastia brônquica foi bem tolerada e segura. Esta foi a primeira termoplastia brônquica na América Latina, com resultados estimulantes após 12 meses quanto ao seu potencial benefício em asmáticos pouco controlados.

 


Palavras-chave: Asma/tratamento; Função pulmonar; Relatos de casos [tipo de publicação].

 


Ventilação líquida: revisão da literatura

Liquid ventilation: literature review

Cristiano Feijó Andrade, Elaine Aparecida Felix Fortis, Paulo Francisco Guerreiro Cardoso

J Bras Pneumol.2002;28(6):351-361

Resumo PDF PT

Atualmente, novas alternativas de ventilação têm sido estudadas em quadros de insuficiência respiratória, com o objetivo de melhorar a oxigenação e minimizar a agressão ao parênquima pulmonar. A utilização de perfluorocarbonos líquidos administrados diretamente na via aérea vem sendo ostensivamente estudada em modelos de lesão pulmonar e em alguns ensaios clínicos, demonstrando bons resultados com relação à troca gasosa, mecânica ventilatória e propriedades antiinflamatórias. Os PFCs são substâncias que possuem baixa tensão superficial, alta densidade, são insolúveis em água, além de permitirem alta difusão de oxigênio e gás carbônico. Esses compostos atuam recrutando alvéolos colapsados, melhorando a oxigenação, protegendo a arquitetura pulmonar e atuando como carreadores de impurezas, limpando a superfície alveolar de resíduos da degradação celular. Neste artigo de revisão são apresentadas as diferentes modalidades ventilatórias com perfluorocarbonos e fornecidas informações sobre a utilização e o estado atual da ventilação líquida.

 



 

 


O Jornal Brasileiro de Pneumologia está indexado em:

Latindex Lilacs SciELO PubMed ISI Scopus Copernicus pmc

Apoio

CNPq, Capes, Ministério da Educação, Ministério da Ciência e Tecnologia, Governo Federal, Brasil, País Rico é País sem Pobreza
Secretaria do Jornal Brasileiro de Pneumologia
SCS Quadra 01, Bloco K, Salas 203/204 Ed. Denasa. CEP: 70.398-900 - Brasília - DF
Fone/fax: 0800 61 6218/ (55) (61) 3245 1030/ (55) (61) 3245 6218
E-mails: jbp@jbp.org.br
jpneumo@jornaldepneumologia.com.br

Copyright 2017 - Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia

Logo GN1