Jornal Brasileiro de Pneumologia

ISSN (on-line): 1806-3756

ISSN (impressa): 1806-3713

SCImago Journal & Country Rank
Busca avançada

Ano 2014 - Volume 40  - Número 4  (Julho/Agosto)

App





Editorial

1 - Novos passos para a consolidação internacional do Jornal Brasileiro de Pneumologia

New steps for the international consolidation of the Brazilian Journal of Pulmonology

Carlos Roberto Ribeiro Carvalho, Bruno Guedes Baldi, Carlos Viana Poyares Jardim, Pedro Caruso, Rogério Souza

J Bras Pneumol.2014;40(4):325-326

PDF PT PDF EN English Text


Artigo Especial

2 - Recomendações brasileiras de ventilação mecânica 2013. Parte I

Brazilian recommendations of mechanical ventilation 2013. Part I

AMIB/SBPT

J Bras Pneumol.2014;40(4):327-363

Resumo PDF PT PDF EN English Text Anexo

O suporte ventilatório artificial invasivo e não invasivo ao paciente crítico tem evoluído e inúmeras evidências têm surgido, podendo ter impacto na melhora da sobrevida e da qualidade do atendimento oferecido nas unidades de terapia intensiva no Brasil. Isto posto, a Associação de Medicina Intensiva Brasileira (AMIB) e a Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT) - representadas pelo seus Comitê de Ventilação Mecânica e Comissão de Terapia Intensiva, respectivamente, decidiram revisar a literatura e preparar recomendações sobre ventilação mecânica objetivando oferecer aos associados um documento orientador das melhores práticas da ventilação mecânica na beira do leito, baseado nas evidencias existentes, sobre os 29 subtemas selecionados como mais relevantes no assunto. O projeto envolveu etapas visando distribuir os subtemas relevantes ao assunto entre experts indicados por ambas as sociedades que tivessem publicações recentes no assunto e/ou atividades relevantes em ensino e pesquisa no Brasil na área de ventilação mecânica. Esses profissionais, divididos por subtemas em duplas, responsabilizaram-se por fazer revisão extensa da literatura mundial sobre cada subtema. Reuniram-se todos no Forum de Ventilação Mecânica na sede da AMIB em São Paulo, em 03 e 04 de agosto de 2013 para finalização conjunta do texto de cada subtema e apresentação, apreciação, discussão e aprovação em plenária pelos 58 participantes, permitindo a elaboração de um documento final.

 


Palavras-chave: Recomendações; Ventilação Mecânica; Insuficiência Respiratória.

 

Artigo Original

3 - Fatores de risco de morte em pacientes portadores de asma grave

Risk factors for death in patients with severe asthma

Andréia Guedes Oliva Fernandes, Carolina Souza-Machado, Renata Conceição Pereira Coelho, Priscila Abreu Franco, Renata Miranda Esquivel, Adelmir Souza-Machado, Álvaro Augusto Cruz

J Bras Pneumol.2014;40(4):364-372

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Identificar os fatores de risco para morte em pacientes com asma grave. Métodos: Estudo caso-controle aninhado a uma coorte de pacientes acompanhados no Ambulatório Central de Referência do Programa para o Controle da Asma na Bahia, em Salvador (BA). No período entre dezembro de 2002 e dezembro de 2010, foram selecionados todos os pacientes com asma grave que foram a óbito e pacientes asmáticos graves vivos como controles na relação 1:4. As informações foram coletadas nos prontuários do serviço e complementadas por meio de visitas domiciliares e atestados de óbitos. Resultados: Foram selecionados 58 óbitos e 232 controles. Os óbitos, na sua maioria, foram atribuídos a causas respiratórias e ocorreram dentro de uma unidade de saúde. Idade avançada, inatividade laboral, presença de rinite, sintomas de doença do refluxo gastroesofágico, tempo prolongado de doença e obstrução ao fluxo aéreo persistente foram aspectos comuns em ambos os grupos. A análise multivariada mostrou que o gênero masculino, VEF1 pré-broncodilatador < 60% do previsto e a ausência de controle dos sintomas da asma foram fatores de risco significativamente e independentemente associados à mortalidade nessa amostra de asmáticos graves. Conclusões: Nesta coorte ambulatorial de pacientes com asma grave, os óbitos ocorreram predominantemente por causas respiratórias em unidades de saúde. A falta de controle da asma e o gênero masculino foram os fatores de risco para óbito.

 


Palavras-chave: Asma/mortalidade; Asma/terapia; Fatores de risco.

 

4 - Avaliação do fator de von Willebrand em pacientes com DPOC

Evaluation of von Willebrand factor in COPD patients

Thiago Prudente Bártholo, Cláudia Henrique da Costa, Rogério Rufino

J Bras Pneumol.2014;40(4):373-379

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Comparar os níveis séricos absolutos e a atividade sérica em percentual do fator de von Willebrand (FvW) em pacientes com DPOC clinicamente estáveis, tabagistas sem obstrução das vias aéreas e em indivíduos saudáveis que nunca fumaram. Métodos: Foram incluídos no estudo 57 indivíduos, em três grupos: DPOC (n = 36), tabagista (n = 12) e controle (n = 9). Todos os participantes realizaram radiografia do tórax, espirometria e exame de sangue durante a fase de seleção. Os níveis séricos absolutos e a atividade sérica em percentual do FvW foram obtidos por turbidimetria e ELISA, respectivamente. A escala Medical Research Council modificada foi utilizada para classificar pacientes como sintomáticos ou assintomáticos/pouco sintomáticos no grupo DPOC (ponto de corte = 2). Resultados: Os níveis absolutos do FvW no grupo controle foram significativamente menores que os nos grupos tabagista e DPOC: 989 ± 436 pg/mL vs. 2.220 ± 746 pg/mL (p < 0,001) e 1.865 ± 592 pg/mL (p < 0,01). Os valores em percentual de atividade do FvW no grupo DPOC foram significativamente maiores que no grupo tabagista (136,7 ± 46,0% vs. 92,8 ± 34,0%; p < 0,05), assim como foram significativamente maiores no subgrupo DPOC sintomático que no subgrupo DPOC assintomático/pouco sintomático (154 ± 48% vs. 119 ± 8%; p < 0,05). Houve uma correlação negativa entre o VEF1 (% do previsto) e os níveis em percentual de atividade do FvW nos três grupos (r2 = −0,13; p = 0,009). Conclusões: Nossos resultados sugerem que aumentos nos níveis de FvW e de sua atividade contribuem para a manutenção da inflamação sistêmica e o aumento do risco cardiovascular em pacientes com DPOC.

 


Palavras-chave: Fator de von Willebrand; Doença pulmonar obstrutiva crônica; Células endoteliais.

 

5 - Aplicação clínica da TC e biópsia transtorácica percutânea guiada por TC em pacientes com nódulos pulmonares indeterminados

Clinical application of CT and CT-guided percutaneous transthoracic needle biopsy in patients with indeterminate pulmonary nodules

Luciana Vargas Cardoso, Arthur Soares Souza Júnior

J Bras Pneumol.2014;40(4):380-388

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Investigar a aplicação clínica da TC e da biópsia transtorácica percutânea guiada por TC (BTP-TC) em pacientes com nódulos pulmonares indeterminados (NPIs). Métodos: Foram estudados retrospectivamente 113 pacientes portadores de NPIs submetidos a TC e BTP-TC. Foram analisadas variáveis como sexo, idade ao diagnóstico, tabagismo, achados tomográficos e técnicas de BTP-TC. A análise dos dados foi efetuada por meio do teste t de Student para amostras independentes, teste do qui-quadrado e teste de comparação de duas proporções por aproximação normal. Resultados: Dos 113 pacientes estudados, 68 (60,2%) eram do sexo masculino e 78 (69%) eram tabagistas. O diâmetro das lesões malignas variou de 2,6 a 10,0 cm. A maioria dos NPIs estava localizada na região periférica (85%). O resultado da biópsia foi maligno em 88 pacientes (77,8%) e benigno em 25 (22,2%). O adenocarcinoma foi o tumor maligno mais frequente, acometendo pacientes com idade mais avançada. O diâmetro dos NPIs foi significativamente maior nos pacientes com malignidade (p < 0,001). Houve uma associação significativa entre NPIs com contorno regular e lesões benignas (p = 0,022), enquanto os de tipo espiculado e bocelado foram mais frequentes em pacientes com lesões malignas (50,7% e 28,7%, respectivamente). Atenuação homogênea e necrose foram mais frequentes em pacientes com lesões malignas (51,9% e 26,9%, respectivamente). Conclusões: A TC e a BTP-TC foram úteis no diagnóstico diferencial entre lesões malignas e benignas nos pacientes com NPIs nesta amostra. Idade mais avançada e tabagismo associaram-se significativamente com malignidade. Houve associações de achados tomográficos (diâmetro maior, contorno espiculado, atenuação homogênea e necrose) com NPIs malignos.

 


Palavras-chave: Nódulo pulmonar solitário; Tomografia; Biópsia guiada por imagem.

 

6 - Comparação entre duas técnicas de fechamento de toracotomia: dor pós-operatória e função pulmonar

Comparison between two thoracotomy closure techniques: postoperative pain and pulmonary function

Juliana Duarte Leandro, Olavo Ribeiro Rodrigues, Annie France Frere Slaets, Aurelino F. Schmidt Jr, Milton L. Yaekashi

J Bras Pneumol.2014;40(4):389-396

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Comparar duas técnicas de fechamento de toracotomias (sutura pericostal e transcostal) em relação à dor pós-operatória e função pulmonar. Métodos: Estudo prospectivo, randomizado e duplo-cego realizado no Serviço de Cirurgia Torácica do Hospital das Clínicas Luzia de Pinho Melo e na Universidade de Mogi das Cruzes, na cidade de Mogi das Cruzes, Brasil. Foram incluídos no estudo 30 pacientes submetidos a toracotomias posterolaterais ou anterolaterais, com idade entre 18 e 75 anos. Os pacientes foram randomizados em dois grupos em função do tipo de fechamento da toracotomia: sutura pericostal (SP; n = 16) e sutura transcostal (ST; n = 14). A intensidade da dor no pós-operatório imediato e tardio foi avaliada por uma escala visual analógica e questionário de dor McGill. Foram avaliadas variáveis espirométricas (VEF1, CVF, relação VEF1/CVF e PFE) no pré-operatório e nos 21º e 60º dias pós-operatórios. Resultados: A intensidade da dor foi significativamente maior no grupo SP que no grupo ST. No grupo SP, houve reduções significativas nas variáveis espirométricas estudadas entre o período pré-operatório e pós-operatório. Essas reduções não foram significativas no grupo ST. Conclusões: Os pacientes no grupo ST apresentaram menor intensidade de dor pós-toracotomia, tanto imediata como tardia, e menor redução nos parâmetros espirométricos que os no grupo SP. Dessa forma, a técnica de fechamento de toracotomia por sutura transcostal é recomendada por apresentar vantagens sobre a técnica pericostal tradicional.

 


Palavras-chave: Cirurgia torácica; Técnicas de sutura; Dor aguda.

 

7 - Comparação entre os valores de referência para CVF, VEF1 e relação VEF1/CVF em brasileiros caucasianos adultos e aqueles sugeridos pela Global Lung Function Initiative 2012

Comparison between reference values for FVC, FEV1, and FEV1/FVC ratio in White adults in Brazil and those suggested by the Global Lung Function Initiative 2012

Carlos Alberto de Castro Pereira, Andrezza Araujo Oliveira Duarte, Andrea Gimenez, Maria Raquel Soares

J Bras Pneumol.2014;40(4):397-402

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Comparar os valores espirométricos previstos pelas equações da Global Lung Function Initiative (GLI) em 2012, sugeridas como de uso internacional, com aqueles obtidos em uma amostra utilizada para derivação de valores de referência em adultos caucasianos brasileiros. Métodos: A amostra utilizada era composta por 270 homens e 373 mulheres saudáveis. As médias das diferenças entre os valores dessa amostra e os valores previstos calculados a partir das equações da GLI para CVF, VEF1 e VEF1/CVF, assim como seus limites inferiores, foram comparados por teste de t pareado. Os valores previstos pelos pares das equações foram comparados em diversas combinações de idade e estatura. Resultados: Nos homens da amostra, os valores obtidos para todas as variáveis estudadas foram significativamente maiores que aqueles previstos pelas equações da GLI (p < 0,01 para todas). Estas diferenças se tornaram mais evidentes em indivíduos com menor estatura e idade mais avançada. Nas mulheres, somente o limite inferior da relação VEF1/CVF foi significativamente maior na amostra brasileira. Conclusões: Os valores previstos sugeridos pelas equações da GLI para caucasianos são significativamente menores daqueles utilizados como referência para homens brasileiros. Em ambos os sexos, o limite inferior da relação VEF1/CVF é significativamente menor que o previsto pelas equações GLI

 


Palavras-chave: Testes de função respiratória/estatística e dados numéricos; Testes de função respiratória/diagnóstico; Valores de referência.

 

8 - Anemia em pacientes internados com tuberculose pulmonar

Anemia in hospitalized patients with pulmonary tuberculosis

Marina Gribel Oliveira, Karina Neves Delogo, Hedi Marinho de Melo Gomes de Oliveira, Antonio Ruffino-Netto, Afranio Lineu Kritski, Martha Maria Oliveira

J Bras Pneumol.2014;40(4):403-410

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Descrever a prevalência de anemia e de seus tipos em pacientes internados com tuberculose pulmonar. Métodos: Estudo descritivo e longitudinal com pacientes com tuberculose pulmonar hospitalizados em dois hospitais de referência na cidade do Rio de Janeiro (RJ). Foram avaliados o índice de massa corpórea (IMC), dobra cutânea tricipital (DCT), área muscular do braço (AMB), VHS, volume globular médio e red blood cell distribution width (RDW, índice de anisocitose eritrocitária), assim como os níveis de proteína C reativa, hemoglobina, transferrina e ferritina. Resultados: Foram incluídos 166 pacientes, sendo 126 (75,9%) do sexo masculino. A média de idade foi de 39,0  10,7 anos. Alguns dados não estavam disponíveis para todos os pacientes: 18,7% eram portadores de HIV; 64,7% eram etilistas; as prevalências de anemia da doença crônica e de anemia ferropriva foram, respectivamente, de 75,9% e 2,4%; e 68,7% apresentaram baixo peso (média do IMC = 18,21 kg/m2). Com base em DCT e AMB, respectivamente, 126/160 pacientes (78,7%) e 138/157 pacientes (87,9%) foram considerados desnutridos. A presença de anemia associou-se às seguintes variáveis: sexo masculino (p = 0,03), baixo peso (p = 0,0004), baixo volume globular médio (p = 0,03), alto RDW (p = 0,0003), alto nível de ferritina (p = 0,0005) e de VHS (p = 0,004). Houve diferenças significativas entre pacientes anêmicos e não anêmicos em relação a IMC (p = 0,04), DCT (p = 0,003) e VHS (p < 0,001). Conclusões: Nesta amostra, a proporção de pacientes com tuberculose pulmonar classificados com baixo peso e desnutrição foi elevada, assim como a prevalência de anemia da doença crônica. Além disso, a anemia associou-se a VHS elevada e desnutrição.

 


Palavras-chave: Tuberculose pulmonar; Anemia; Desnutrição; Ferro.

 

9 - Dano oxidativo induzido por exposição a fumaça de cigarro em camundongos: impacto sobre o pulmão e o músculo diafragma

Oxidative damage induced by cigarette smoke exposure in mice: impact on lung tissue and dia-phragm muscle

Samanta Portão de Carlos, Alexandre Simões Dias, Luiz Alberto Forgiarini Júnior, Patrícia Damiani Patricio, Thaise Graciano, Renata Tiscoski Nesi, Samuel Valença, Adriana Meira Guntzel Chiappa, Gerson Cipriano Jr, Claudio Teodoro de Souza, Gaspar Rogério da Silva Chiappa

J Bras Pneumol.2014;40(4):411-420

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objective: To evaluate oxidative damage (lipid oxidation, protein oxidation, thiobarbituric acid-reactive substances [TBARS], and carbonylation) and inflammation (expression of phosphorylated AMP-activated protein kinase and mammalian target of rapamycin [p-AMPK and p-mTOR, respectively]) in the lung parenchyma and diaphragm muscles of male C57BL-6 mice exposed to cigarette smoke (CS) for 7, 15, 30, 45, or 60 days. Methods: Thirty-six male C57BL-6 mice were divided into six groups (n = 6/group): a control group; and five groups exposed to CS for 7, 15, 30, 45, and 60 days, respectively. Results: Compared with control mice, CS-exposed mice presented lower body weights at 30 days. In CS-exposed mice (compared with control mice), the greatest differences (increases) in TBARS levels were observed on day 7 in diaphragm-muscle, compared with day 45 in lung tissue; the greatest differences (increases) in carbonyl levels were observed on day 7 in both tissue types; and sulfhydryl levels were lower, in both tissue types, at all time points. In lung tissue and diaphragm muscle, p-AMPK expression exhibited behavior similar to that of TBARS. Expression of p-mTOR was higher than the control value on days 7 and 15 in lung tissue, as it was on day 45 in diaphragm muscle. Conclusion: Our data demonstrate that CS exposure produces oxidative damage, not only in lung tissue but also (primarily) in muscle tissue, having an additional effect on respiratory muscle, as is frequently observed in smokers with COPD.

 


Palavras-chave: Estresse oxidativo; Camundongos; Sistema respiratório; Poluição por fumaça de tabaco; Inflamação

 

Comunicação Breve

10 - Tratamento com lodenafila no modelo de hipertensão pulmonar induzida por monocrotalina em ratos

Lodenafil treatment in the monocrotaline model of pulmonary hypertension in rats

Igor Bastos Polonio, Milena Marques Pagliareli Acencio, Rogério Pazetti, Francine Maria de Almeida, Bárbara Soares da Silva, Karina Aparecida Bonifácio Pereira, Rogério Souza

J Bras Pneumol.2014;40(4):421-424

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Avaliamos os efeitos da lodenafila na hemodinâmica e inflamação no modelo experimental de hipertensão pulmonar (HP) induzida por monocrotalina em ratos. Trinta ratos Sprague-Dawley foram randomicamente distribuídos em três grupos: controle, monocrotalina (modelo experimental) e lodenafila (modelo experimental e tratado com 5 mg/kg lodenafila v.o. por 28 dias). A pressão média de artéria pulmonar (PAPm) foi obtida por cateterismo cardíaco direito. Foram determinados a hipertrofia ventricular direita (HVD) e os níveis de IL-1 em fragmentos de pulmão. O grupo monocrotalina apresentou valores significativamente maiores de PAPm, HVD e IL-1 em comparação aos grupos controle e lodenafila. Concluímos que a lodenafila pode prevenir o desenvolvimento de HP, HVD e inflamação.

 


Palavras-chave: Hipertensão pulmonar; Monocrotalina; Interleucina-1.

 

11 - Citocinas no líquido pleural após transplante pulmonar como marcadores de rejeição aguda

Cytokine levels in pleural fluid as markers of acute rejection after lung transplantation

Priscila Cilene León Bueno de Camargo, José Eduardo Afonso Jr, Marcos Naoyuki Samano, Milena Marques Pagliarelli Acencio, Leila Antonangelo, Ricardo Henrique de Oliveira Braga Teixeira

J Bras Pneumol.2014;40(4):425-428

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Nosso objetivo foi determinar os níveis de desidrogenase lática, IL-6. IL-8 e VEGF, assim como a contagem total e diferencial de células no líquido pleural de transplantados de pulmão, correlacionando esses níveis com a ocorrência e a gravidade de rejeição após o procedimento. Foram analisadas amostras de líquido pleural coletadas de 18 pacientes em diferentes momentos (até o quarto dia pós-operatório). Os níveis de IL-6, IL-8 e VEGF apresentaram uma tendência de aumento paralelamente à gravidade de rejeição. Nossos resultados sugerem que esses níveis são indicadores de rejeição aguda do enxerto em transplantados de pulmão.

 


Palavras-chave: Transplante de pulmão; Derrame pleural; Citocinas; Rejeição de enxerto.

 

Artigo de Revisão

12 - Panorama dos processos bioquímicos e genéticos presentes no mesotelioma maligno

Overview of the biochemical and genetic processes in malignant mesothelioma

Leonardo Vinícius Monteiro de Assis, Mauro César Isoldi

J Bras Pneumol.2014;40(4):429-442

Resumo PDF PT PDF EN English Text

O mesotelioma maligno (MM) é um câncer extremamente agressivo, com elevado período de latência e resistente aos protocolos de quimioterapia, além de ser extremamente fatal, com taxa de sobrevivência média inferior a um ano. O desenvolvimento do MM é fortemente correlacionado com a exposição ao amianto e erionita, assim como ao vírus símio 40. Apesar de vários países terem banido o uso de amianto, o MM tem se mostrado de difícil controle e sua incidência tende a aumentar nos próximos anos. No Brasil, o MM não é amplamente estudado do ponto de vista genético e bioquímico. Além disso, poucos estudos epidemiológicos foram realizados até o momento, e o perfil de incidência do MM não está bem estabelecido na população brasileira. O objetivo deste estudo foi revisar a literatura em relação ao processo de transformação maligna e seus respectivos mecanismos de tumorigênese no MM.

 


Palavras-chave: Doenças profissionais; Mesotelioma; Genes supressores de tumor; Oncogenes; Transdução de sinal.

 

Relato de Caso

13 - Utilização de ventilação não invasiva com dois níveis de pressão positiva nas vias aéreas e volume alvo em paciente com esclerose lateral amiotrófica

Use of volume-targeted non-invasive bilevel positive airway pressure ventilation in a patient with amyotrophic lateral sclerosis

Montserrat Diaz-Abad, John Edward Brown

J Bras Pneumol.2014;40(4):443-447

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A esclerose lateral amiotrófica (ELA) é uma doença neurodegenerativa progressiva. A maioria dos pacientes com ELA falece por insuficiência respiratória. Embora a ventilação não invasiva com dois níveis de pressão positiva nas vias aéreas e volume alvo tenha sido estudada em pacientes com insuficiência respiratória crônica de diferentes etiologias, sua utilização em ELA não foi relatada. Apresentamos o caso de uma mulher de 66 anos com ELA e insuficiência respiratória tratada com ventilação com dois níveis de pressão positiva e volume alvo por 15 semanas. Os dados obtidos semanalmente mostraram que a progressão da doença estava associada com aumento da fraqueza muscular respiratória, redução da respiração espontânea e maior uso de ventilação não invasiva com pressão positiva, enquanto o volume corrente e a ventilação minuto permaneceram relativamente constantes.

 


Palavras-chave: Esclerose amiotrófica lateral; Insuficiência respiratória; Hipoventilação; Ventilação com pressão positiva intermitente; Sono.

 

15 - Nódulos em vidro fosco e marcadores espirais de platina guiados por TC

Ground-glass nodules and CT-guided placement of platinum coils

Bruno Hochhegger, Fabíola Adélia Perin, Spencer Marcantonio Camargo, Edson Marchiori, Klaus Irion, Marcos Duarte Guimarães, Jose Carlos Felicetti, Jose Camargo

J Bras Pneumol.2014;40(4):450-452

PDF PT PDF EN English Text


 


O Jornal Brasileiro de Pneumologia está indexado em:

Latindex Lilacs SciELO PubMed ISI Scopus Copernicus pmc

Apoio

CNPq, Capes, Ministério da Educação, Ministério da Ciência e Tecnologia, Governo Federal, Brasil, País Rico é País sem Pobreza
Secretaria do Jornal Brasileiro de Pneumologia
SCS Quadra 01, Bloco K, Salas 203/204 Ed. Denasa. CEP: 70.398-900 - Brasília - DF
Fone/fax: 0800 61 6218/ (55) (61) 3245 1030/ (55) (61) 3245 6218
E-mails: jbp@jbp.org.br
jpneumo@jornaldepneumologia.com.br

Copyright 2017 - Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia

Logo GN1