Jornal Brasileiro de Pneumologia

ISSN (on-line): 1806-3756

ISSN (impressa): 1806-3713

SCImago Journal & Country Rank
Busca avançada

Ano 2018 - Volume 44  - Número 1  (Janeiro/Fevereiro)

App





Editorial

1 - Músculos respiratórios na DPOC: atenção para o diafragma

Respiratory muscles in COPD: be aware of the diaphragm

Pauliane Vieira Santana1,a, Andre Luis Pereira de Albuquerque1,b

J Bras Pneumol.2018;44(1):1-2

PDF PT PDF EN English Text


Educação continuada: Imagem

2 - Massa do mediastino anterior

Anterior mediastinal mass

Edson Marchiori1,a, Bruno Hochhegger2,b, Gláucia Zanetti1,c

J Bras Pneumol.2018;44(1):3

PDF PT PDF EN English Text


Educação Continuada: Metodologia Científica

3 - Entendendo os testes diagnósticos. Parte 3.

Understanding diagnostic tests. Part 3.

Juliana Carvalho Ferreira1,2,a, Cecilia Maria Patino1,3,b

J Bras Pneumol.2018;44(1):4

PDF PT PDF EN English Text


Artigo Original

4 - Comparação da mobilidade diafragmática em pacientes com DPOC com e sem hipercifose torácica: um estudo transversal

Comparison of diaphragmatic mobility between COPD patients with and without thoracic hyperkyphosis: a cross-sectional study

Márcia Aparecida Gonçalves1, Bruna Estima Leal1, Liseane Gonçalves Lisboa2, Michelle Gonçalves de Souza Tavares3, Wellington Pereira Yamaguti4, Elaine Paulin1

J Bras Pneumol.2018;44(1):5-11

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Comparar a mobilidade diafragmática, a função pulmonar e a força muscular respiratória em pacientes que apresentam DPOC com e sem hipercifose torácica; verificar a relação do ângulo da curvatura torácica com a mobilidade diafragmática, variáveis da função pulmonar e de força muscular respiratória dos pacientes com DPOC; e comparar a mobilidade diafragmática e a cifose torácica entre os gêneros nesses pacientes. Métodos: Foram realizadas as seguintes avaliações: antropometria, espirometria, mensuração do ângulo da curvatura torácica e mobilidade diafragmática. Resultados: Participaram do estudo 34 pacientes com DPOC. No grupo de pacientes com DPOC e hipercifose torácica, a mobilidade diafragmática foi estatisticamente menor quando comparada à do grupo DPOC sem hipercifose torácica (p = 0,002). Não houve diferenças estatisticamente significantes entre esses grupos em relação a variáveis de função pulmonar e de força muscular respiratória. Houve uma correlação negativa significante entre o ângulo da curvatura torácica e a mobilidade diafragmática (r = −0,47; p = 0,005). Quando comparados homens e mulheres da amostra geral, houve diferenças estatisticamente significantes em relação à massa corpórea (p = 0,011), estatura (p < 0,001) e ângulo da curvatura da cifose torácica (p = 0,036), mas não em relação à mobilidade diafragmática (p = 0,210). Conclusões: Os pacientes com DPOC e hipercifose torácica apresentaram menor mobilidade diafragmática quando comparados com os pacientes com DPOC sem hipercifose torácica. O ângulo da curvatura torácica se correlacionou negativamente com a mobilidade diafragmática. O grupo feminino apresentou um aumento significante no ângulo da curvatura torácica quando comparado ao grupo masculino.

 


Palavras-chave: Doença pulmonar obstrutiva crônica; Cifose; Diafragma.

 

5 - Fatores associados à expressão da asma em adolescentes

Factors associated with asthma expression in adolescents

Silvia de Souza Campos Fernandes1,a, Dirceu Solé2,d, Paulo Camargos1,c, Cláudia Ribeiro de Andrade1,e, Cássio da Cunha Ibiapina1,b

J Bras Pneumol.2018;44(1):12-17

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar os fatores de risco associados aos sintomas relacionados à asma em adolescentes de 13 e 14 anos. Métodos: Estudo transversal realizado com alunos matriculados em escolas públicas de Belo Horizonte (MG), selecionadas aleatoriamente, com a utilização dos questionários International Study of Asthma and Allergies in Childhood e de seu módulo complementar para a avaliação dos potenciais fatores de risco. O primeiro questionário foi respondido pelos alunos, e o segundo foi respondido pelos pais e/ou responsáveis. Após a análise univariada, todas as variáveis cujo valor de p foi igual ou inferior a 0,25 foram submetidas à análise multivariada. A seleção das variáveis foi realizada pelo método passo a passo com eliminação retrógrada de variáveis. Resultados: Foram avaliados 375 adolescentes, dos quais 124 (33,1%) apresentavam sintomas de asma. O modelo final da análise multivariada revelou que sintomas de asma estiveram associados a peso ao nascimento < 2.500 g (p < 0,001), frequência a creches ou berçários (p < 0,002), história materna de asma (p < 0,001), contato com animais durante o primeiro ano de vida (p < 0,027), contato atual com animais fora da residência (cão, gato ou outros animais em fazenda; p < 0,005) e consumo de mais que 20 cigarros por dia por residentes no mesmo domicílio que o adolescente (p < 0,02). Conclusões: As exposições intra e extradomiciliar a animais domésticos e ao tabaco estiveram associadas à presença de sintomas de asma. Esses resultados devem ser considerados tanto pelos familiares como pelos profissionais e gestores dos serviços de saúde na prevenção da asma e na redução do seu impacto na morbidade.

 


Palavras-chave: Asma; Fatores de risco; Adolescente.

 

6 - Valor diagnóstico da expressão de α-enolase e dos níveis séricos de autoanticorpos contra α-enolase no câncer de pulmão

Diagnostic value of α-enolase expression and serum α-enolase autoantibody levels in lung cancer

Lihong Zhang1,a, Hongbin Wang1,b, Xuejun Dong1,c

J Bras Pneumol.2018;44(1):18-23

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Investigar o valor diagnóstico da α-enolase (ENO1) e dos níveis séricos de autoanticorpos contra ENO1 no câncer de pulmão. Métodos: Marcação imuno-histoquímica e ELISA foram realizados para detectar a expressão de ENO1 no tecido pulmonar e os níveis séricos de autoanticorpos contra ENO1, respectivamente. Resultados: A expressão de ENO1 foi maior nos tecidos de câncer de pulmão que nos tecidos de doença pulmonar benigna (p < 0,001). Não houve diferença significativa entre os diversos grupos de classificação patológica quanto à proporção de amostras de câncer de pulmão que expressaram ENO1. A proporção de amostras que expressaram ENO1 foi maior nos pacientes com câncer de pulmão nos estágios I/II que naqueles com câncer de pulmão nos estágios III/IV (χ2 = 5,445; p = 0,018). Não houve relação entre a expressão de ENO1 em tecidos de câncer de pulmão e idade, sexo ou histórico de tabagismo. Os níveis séricos de anticorpos contra ENO1 foram significativamente maiores no grupo câncer de pulmão que nos grupos doença pulmonar benigna e controle (p < 0,001). As diferenças entre os grupos de classificação patológica não foram estatisticamente significativas. Os níveis séricos de anticorpos contra ENO1 foram também significativamente maiores nos pacientes com câncer de pulmão nos estágios I/II que naqueles com câncer de pulmão nos estágios III/IV (p < 0,01). Nos pacientes com câncer de pulmão, não houve relação entre os níveis séricos de anticorpos contra ENO1 e idade, sexo ou histórico de tabagismo. A curva ROC do diagnóstico de câncer de pulmão baseado nos níveis de anticorpos contra ENO1 apresentou área sob a curva = 0,806. Conclusões: Nossos resultados sugerem que há relação entre níveis elevados de ENO1 e o estágio clínico do câncer de pulmão e que a expressão de ENO1 e os níveis séricos de autoanticorpos contra ENO1 têm valor diagnóstico no câncer de pulmão.

 


Palavras-chave: Fosfopiruvato hidratase/análise; Ensaio de imunoadsorção enzimática; Imuno-histoquímica; Neoplasias pulmonares.

 

7 - Complexidade do sistema nervoso autônomo em indivíduos com DPOC

Complexity of autonomic nervous system function in individuals with COPD

Laís Manata Vanzella1,f, Aline Fernanda Barbosa Bernardo1,d, Tatiana Dias de Carvalho3,e, Franciele Marques Vanderlei2,a, Anne Kastelianne França da Silva1,c, Luiz Carlos Marques Vanderlei2,b

J Bras Pneumol.2018;44(1):24-30

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar a modulação autonômica de indivíduos com DPOC, comparados com um grupo controle saudável, por meio do plot de recorrência (PR) associado a métodos lineares da variabilidade da frequência cardíaca (VFC). Métodos: Foram avaliados dados de 74 voluntários, os quais foram divididos em grupos DPOC (n = 43) e controle (n = 31). Para a análise dos índices de VFC, a frequência cardíaca dos voluntários foi registrada, batimento a batimento, por meio de um cardiofrequencímetro com os voluntários em repouso na posição supina por 30 min. Foram avaliados índices lineares nos domínios de tempo e de frequência, assim como índices obtidos por meio do PR. Resultados: No grupo DPOC, em comparação com o grupo controle, houve aumentos significativos em índices obtidos do PR, assim como houve reduções significativas nos índices lineares nos domínios de tempo e de frequência. Não foram observadas diferenças significativas nos índices lineares nos domínios de frequência em unidades normalizadas e na relação entre os componentes de alta e baixa frequência. Conclusões: Indivíduos com DPOC apresentam uma diminuição tanto da atividade simpática quanto da parassimpática, associada a uma redução da complexidade do sistema nervoso autônomo, identificada pelo PR, que fornece informações complementares importantes na detecção de alterações autonômicas nessa população.

 


Palavras-chave: Doença pulmonar obstrutiva crônica; Sistema nervoso autônomo; dinâmica não linear; Recidiva; Frequência cardíaca, Sistema nervoso simpático.

 

8 - Ideação suicida apresenta associação com asma e rinite alérgicas?

Is suicidal ideation associated with allergic asthma and allergic rhinitis?

Martín Bedolla-Barajas1,a, Norma Angélica Pulido-Guillén2,b, Bolívar Vivar-Aburto3,c, Jaime Morales-Romero4,d, José Raúl Ortiz-Peregrina5,e, Martín Robles-Figueroa3,f

J Bras Pneumol.2018;44(1):31-35

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Investigar se existe associação entre ideação suicida (IS) e doenças alérgicas em adultos. Métodos: Estudo transversal comparativo envolvendo indivíduos com idade entre 20 e 50 anos recrutados em um hospital universitário da cidade de Guadalajara, México. Foram incluídos pacientes com diagnóstico confirmado de asma alérgica, aqueles com diagnóstico confirmado de rinite alérgica e controles saudáveis. Todos os sujeitos preencheram o Beck Depression Inventory-II (BDI-II), que inclui um item que avalia a presença de pensamentos ou desejos suicidas nas últimas duas semanas, a fim de identificar IS. Resultados: A amostra foi composta por 115 pacientes com asma alérgica, 111 pacientes com rinite alérgica e 96 controles saudáveis. O número de indivíduos identificados com IS nos três grupos foi de 17 (14,8%), 13 (11,7%) e 8 (8,3%), respectivamente. Quanto à presença de IS, não foi encontrada associação estatisticamente significativa no grupo asma alérgica (OR = 1,98; IC95%: 0,78-4,64; p = 0,154) ou no grupo rinite alérgica (OR = 1,46; IC95%: 0,58-3,68; p = 0,424) quando os mesmos foram comparados com o grupo controle. No entanto, a presença de depressão apresentou associação com IS nos três grupos: asma alérgica (OR = 12,36; IC95%: 2,67-57,15; p = 0,001); rinite alérgica (OR = 6,20; IC95%: 1,66-23,14; p = 0,006); e controle (OR = 21,0; IC95%: 3,75-117,36; p < 0,001). Conclusões: Em comparação com o grupo controle, não foi encontrada associação entre IS e os grupos com doenças alérgicas. Por outro lado, houve associação entre IS e depressão nos três grupos.

 


Palavras-chave: Ideação suicida; Asma; Rinite alérgica; Adulto.

 

9 - Receptor do ativador de plasminogênio tipo uroquinase solúvel como medida da resposta ao tratamento da exacerbação aguda da DPOC

Soluble urokinase-type plasminogen activator receptor as a measure of treatment response in acute exacerbation of COPD

Gehan Hassan AboEl-Magd1,a, Maaly Mohamed Mabrouk2,b

J Bras Pneumol.2018;44(1):36-41

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar o valor do soluble urokinase-type plasminogen activator receptor (suPAR, receptor do ativador de plasminogênio tipo uroquinase solúvel) no diagnóstico de exacerbação aguda da DPOC (EADPOC) e no monitoramento da resposta ao tratamento, analisando-se a relação entre o suPAR e o fibrinogênio na EADPOC. A EADPOC leva ao aumento da inflamação das vias aéreas, contribuindo para a liberação exagerada de mediadores inflamatórios. Métodos: Foram recrutados 45 pacientes com EADPOC e 20 controles saudáveis. Realizou-se anamnese, e todos os indivíduos foram submetidos a exame clínico, radiografia de tórax, provas de função pulmonar e gasometria arterial. No dia 1 (início do tratamento para os pacientes com EADPOC) e no dia 14 (final do tratamento), foram coletadas amostras de sangue para dosagem de suPAR sérico e de fibrinogênio plasmático. Resultados: Os níveis séricos de suPAR foram significativamente maiores no grupo EADPOC do que no grupo controle. Nos pacientes com EADPOC, houve diminuição significativa da média de suPAR sérico após o tratamento. A sensibilidade, a especificidade e a acurácia do suPAR foram, respectivamente, de 95,6%, 80,0% e 93,0%. O estágio da doença segundo a Global Initiative for Chronic Obstructive Lung Disease (isto é, a gravidade da DPOC) apresentou correlação positiva e significativa com os níveis séricos de suPAR e os níveis plasmáticos de fibrinogênio. Conclusões: O monitoramento do suPAR sérico pode ser útil na avaliação da resposta ao tratamento da DPOC e seria um biomarcador valioso para a determinação do prognóstico da EADPOC. Como o suPAR sérico apresentou correlação com o fibrinogênio plasmático, ambos os marcadores poderiam ser preditores da EADPOC.

 


Palavras-chave: Doença pulmonar obstrutiva crônica/complicações; Doença pulmonar obstrutiva crônica/diagnóstico; Receptores de ativador de plasminogênio tipo uroquinase; Fibrinogênio.

 

10 - Avaliação de um tratamento para cessação do tabagismo iniciado durante a hospitalização em pacientes com doença cardíaca ou doença respiratória

Evaluation of smoking cessation treatment initiated during hospitalization in patients with heart disease or respiratory disease

Thaís Garcia1,a, Sílvia Aline dos Santos Andrade2, Angélica Teresa Biral1, André Luiz Bertani1,b, Laura Miranda de Oliveira Caram1,c, Talita Jacon Cezare3, Irma Godoy4,d, Suzana Erico Tanni3,e

J Bras Pneumol.2018;44(1):42-48

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar a eficácia de um programa de cessação de tabagismo, oferecido por profissionais da saúde treinados, para pacientes hospitalizados por doença cardíaca (DC) ou doença respiratória (DR). Métodos: Foram avaliados 393 pacientes, sendo incluídos 227 (146 e 81 pacientes tabagistas ativos hospitalizados com DC e DR, respectivamente) que receberam intervenção para cessação tabágica durante a internação com seguimento de seis meses após a alta hospitalar. Resultados: Houve diferenças significativas entre os grupos DC e DR em relação à participação na intervenção cognitivo-comportamental após a alta hospitalar (13,0% vs. 35,8%; p = 0,003); cessação do tabagismo ao final do seguimento (29% vs. 31%; p < 0,001); e uso de terapia de reposição de nicotina (3,4% vs. 33,3%; p < 0,001). Em relação ao uso da bupropiona, não houve diferença entre os grupos DC e DR (11,0% vs. 12,3%; p = 0,92). A vareniclina foi usada em apenas 0,7% dos pacientes do grupo DC. Conclusões: Nesta amostra, os pacientes com DR apresentaram maior taxa de cessação tabágica após seis meses da alta hospitalar e maior adesão ao tratamento. A incorporação de programas de cessação do tabagismo para pacientes hospitalizados com patologias diversas, promovidos pelas equipes que os atendem, é necessária para que ocorra uma maior efetividade na cessação tabágica.

 


Palavras-chave: Hábito de fumar; Abandono do hábito de fumar; Hospitalização; Doenças respiratórias; Cardiopatias.

 

Comunicação Breve

11 - Associação entre a exposição a maços de cigarros em pontos de venda e susceptibilidade ao tabagismo entre adolescentes brasileiros

Association between the display of cigarette packs at the point of sale and smoking susceptibility among adolescents in Brazil

Ana Luiza Curi Hallal1, Andreza Madeira Macario1, Roberto Hess de Souza2, Antônio Fernando Boing1, Lúcio Botelho1, Joanna Cohen3

J Bras Pneumol.2018;44(1):49-51

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Com o objetivo de verificar a associação entre a exposição a maços de cigarros em pontos de venda e a susceptibilidade ao tabagismo, foi realizado um estudo transversal com escolares entre 14 e 17 anos. Destes, 69,0% eram nunca fumantes, 21,3% eram experimentadores, e 9,7% eram fumantes. Entre os escolares expostos a maços de cigarros nos pontos de venda, 18,9% eram susceptíveis ao tabagismo, enquanto entre os estudantes não expostos, 12,9% eram susceptíveis a fumar (OR = 1,56; IC95%: 1,04-2,35; p = 0,029). Conclui-se que a exposição a maços de cigarros em pontos de venda está associada à susceptibilidade ao tabagismo entre adolescentes brasileiros.

 


Palavras-chave: Produtos do tabaco; Saúde escolar; Saúde do adolescente.

 

12 - Repetibilidade de medidas da fração de óxido nítrico exalado em crianças em duas ocasiões

Between-occasion repeatability of fractional exhaled nitric oxide measurements in children

Kamil Barański1,a, Jan E. Zejda1,b

J Bras Pneumol.2018;44(1):52-54

Resumo PDF PT PDF EN English Text

O objetivo do estudo foi avaliar a repetibilidade em curto prazo de medidas da fração de óxido nítrico exalado (FENO) e seus correlatos em crianças de 6-9 anos participantes de uma pesquisa epidemiológica respiratória. A FENO foi medida em duas sessões, com uma semana de intervalo, em 101 crianças. Os participantes foram divididos em três grupos: assintomático (n = 76), sintomático (n = 14) e asma (n = 11). A repetibilidade foi avaliada por meio de diferenças absolutas e relativas entre as medidas, bem como por coeficientes de correlação de concordância. As duas medidas da FENO correlacionaram-se fortemente (0,98). Embora as comparações entre as duas medidas em um mesmo grupo não tenham sido significativamente diferentes (p = 0,2), as comparações entre os grupos o foram. Medidas da FENO são reprodutíveis em crianças em cenários epidemiológicos.

 


Palavras-chave: Óxido nítrico; Expiração; Asma.

 

Artigo de Revisão

13 - Câncer de pulmão no Brasil

Lung cancer in Brazil

Luiz Henrique Araujo1,2,a, Clarissa Baldotto1,2,b, Gilberto de Castro Jr3,4,c, Artur Katz4,d, Carlos Gil Ferreira5,6,e, Clarissa Mathias7,f, Eldsamira Mascarenhas7,g, Gilberto de Lima Lopes8,9,h, Heloisa Carvalho4,10,i, Jaques Tabacof8, Jeovany Martínez-Mesa11,j, Luciano de Souza Viana12,k, Marcelo de Souza Cruz13,l, Mauro Zukin1,2,m, Pedro De Marchi12,n, Ricardo Mingarini Terra3,o, Ronaldo Albuquerque Ribeiro14, Vladmir Cláudio Cordeiro de Lima15,p, Gustavo Werutsky16,q, Carlos Henrique Barrios17,r; Grupo Brasileiro de Oncologia Torácica

J Bras Pneumol.2018;44(1):55-64

Resumo PDF PT PDF EN English Text

O câncer de pulmão é um dos tipos de câncer com maior incidência e uma das principais causas de mortalidade por câncer no Brasil. Revisamos a situação atual do câncer de pulmão por meio de pesquisa de dados relevantes a respeito de prevenção, diagnóstico e tratamento no país. Esta revisão mostra várias questões que precisam de atenção, tais como controle do tabagismo, educação dos pacientes, desconhecimento por parte dos pacientes, diagnóstico tardio e desigualdade de acesso ao tratamento de câncer no Brasil. Propomos estratégias para ajudar a superar essas limitações e desafiamos os profissionais de saúde, a sociedade e os representantes do governo a trabalhar em conjunto e dar um passo à frente na luta contra o câncer de pulmão.

 


Keywords: Lung neoplasms/epidemiology; Lung neoplasms/therapy; Lung neoplasms/diagnosis; Biomarkers; Brazil.

 

Relato de Caso

14 - Características do sono em um adulto com queixas de sono em três cidades a diferentes altitudes

Sleep characteristics in an adult with sleep complaints in three cities at different altitudes

Julio Cesar Castellanos-Ramírez1,a, Alvaro J Ruíz2,3,b, Patricia Hidalgo-Martínez1,2,c, Liliana Otero-Mendoza4,d

J Bras Pneumol.2018;44(1):65-68

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Estudos do sono realizados a uma altitude diferente da altitude do local onde se vive podem produzir resultados enganosos quanto à gravidade da apneia obstrutiva do sono (AOS). O objetivo do presente estudo foi determinar as características do sono de um paciente submetido a polissonografia (PSG) em três cidades colombianas a diferentes altitudes [Bogotá, a 2.640 m acima do nível do mar (ANM); Bucaramanga, a 959 m ANM e Santa Marta, a 15 m ANM]. O paciente era um homem obeso com diabetes e suspeita de AOS. Os dados obtidos receberam pontuação e foram interpretados de acordo com os critérios da American Academy of Sleep Medicine. Em Bogotá, a PSG revelou AOS moderada [índice de apneias e hipopneias (IAH) = 21 eventos/h]; em Bucaramanga, a PSG revelou aumento da resistência das vias aéreas superiores (IAH = 2 eventos/h); em Santa Marta, a PSG revelou AOS leve (IAH = 7 eventos/h). A redução do IAH foi predominantemente uma redução de hipopneias e apneias obstrutivas. Os eventos respiratórios tiveram menor duração na cidade a uma altitude intermediária. Como houve grande diferença entre as cidades quanto ao IAH, pode-se concluir que o paciente é normal ou apresenta AOS moderada dependendo da cidade onde está. As apneias centrais não influenciaram o IAH.

 


Palavras-chave: Apneia obstrutiva do sono; Polissonografia; Altitude.

 

Cartas ao Editor

15 - Oxigenação por membrana extracorpórea em paciente acordado como ponte para o transplante pulmonar

Extracorporeal membrane oxygenation in an awake patient as a bridge to lung transplantation

Spencer Marcantonio Camargo1,a, Stephan Adamour Soder1,b, Fabiola Adelia Perin1,c, Douglas Zaione Nascimento1,d, Sadi Marcelo Schio1,e

J Bras Pneumol.2018;44(1):69-70

PDF PT PDF EN English Text


 


O Jornal Brasileiro de Pneumologia está indexado em:

Latindex Lilacs SciELO PubMed ISI Scopus Copernicus pmc

Apoio

CNPq, Capes, Ministério da Educação, Ministério da Ciência e Tecnologia, Governo Federal, Brasil, País Rico é País sem Pobreza
Secretaria do Jornal Brasileiro de Pneumologia
SCS Quadra 01, Bloco K, Salas 203/204 Ed. Denasa. CEP: 70.398-900 - Brasília - DF
Fone/fax: 0800 61 6218/ (55) (61) 3245 1030/ (55) (61) 3245 6218
E-mails: jbp@jbp.org.br
jpneumo@jornaldepneumologia.com.br

Copyright 2018 - Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia

Logo GN1