Jornal Brasileiro de Pneumologia

ISSN (on-line): 1806-3756

ISSN (impressa): 1806-3713

SCImago Journal & Country Rank
Busca avançada

Ano 2018 - Volume 44  - Número 2  (Março/Abril)

App





Editorial

1 - Série tuberculose

Tuberculosis series

Denise Rossato Silva1,a, Fernanda Carvalho de Queiroz Mello2,b, Afrânio Kritski3,c, Margareth Dalcolmo4,d, Alimuddin Zumla5,e, Giovanni Battista Migliori6

J Bras Pneumol.2018;44(2):71-72

PDF PT PDF EN English Text


2 - Eliminação da tuberculose na América Latina: considerações

Eliminating tuberculosis in Latin America: making it the point

Raquel Duarte1,2,3,a, Denise Rossato Silva4,b, Adrian Rendon5,c, Tatiana Galvẫo Alves6,d, Marcelo Fouad Rabahi7,e, Rosella Centis8,f, Afrânio Kritski9,g, Giovanni Battista Migliori8,h

J Bras Pneumol.2018;44(2):73-76

PDF PT PDF EN English Text


3 - O papel da Rede Brasileira de Pesquisas em Tuberculose nos esforços nacionais e internacionais para a eliminação da tuberculose

The role of the Brazilian Tuberculosis Research Network in national and international efforts to eliminate tuberculosis

Afranio Kritski1,a, Margareth Pretti Dalcolmo2,b, Fernanda Carvalho Queiroz Mello3,c, Anna Cristina Calçada Carvalho4,d, Denise Rossato Silva5,e, Martha Maria de Oliveira6,f, Julio Croda7,8,g

J Bras Pneumol.2018;44(2):77-81

PDF PT PDF EN English Text


4 - Tuberculose: onde estamos?

Tuberculosis: where are we?

Fernanda Carvalho de Queiroz Mello1,a, Denise Rossato Silva2,b, Margareth Pretti Dalcolmo3,c

J Bras Pneumol.2018;44(2):82

PDF PT PDF EN English Text


Educação continuada: Imagem

5 - Calcificações linfonodais

Lymph node calcifications

Edson Marchiori1,a, Bruno Hochhegger2,b, Gláucia Zanetti1,c

J Bras Pneumol.2018;44(2):83

PDF PT PDF EN English Text


Artigo Original

7 - Análise sequencial como ferramenta na detecção da ototoxicidade da amicacina no tratamento da tuberculose multirresistente

Sequential analysis as a tool for detection of amikacin ototoxicity in the treatment of multidrug-resistant tuberculosis

Karla Anacleto de Vasconcelos1, Silvana Maria Monte Coelho Frota2, Antonio Ruffino-Netto3, Afrânio Lineu Kritski4

J Bras Pneumol.2018;44(2):85-92

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objective: To investigate early detection of amikacin-induced ototoxicity in a population treated for multidrug-resistant tuberculosis (MDR-TB), by means of three different tests: pure-tone audiometry (PTA); high-frequency audiometry (HFA); and distortion-product otoacoustic emission (DPOAE) testing. Methods: This was a longitudinal prospective cohort study involving patients aged 18-69 years with a diagnosis of MDR-TB who had to receive amikacin for six months as part of their antituberculosis drug regimen for the first time. Hearing was assessed before treatment initiation and at two and six months after treatment initiation. Sequential statistics were used to analyze the results. Results: We included 61 patients, but the final population consisted of 10 patients (7 men and 3 women) because of sequential analysis. Comparison of the test results obtained at two and six months after treatment initiation with those obtained at baseline revealed that HFA at two months and PTA at six months detected hearing threshold shifts consistent with ototoxicity. However, DPOAE testing did not detect such shifts. Conclusions: The statistical method used in this study makes it possible to conclude that, over the six-month period, amikacin-associated hearing threshold shifts were detected by HFA and PTA, and that DPOAE testing was not efficient in detecting such shifts.

 


Palavras-chave: Tuberculose; Perda auditiva; Aminoglicosídeos/toxicidade.

 

8 - Aspectos clínicos em pacientes com infecção pulmonar por micobactérias do complexo Mycobacterium abscessus na Amazônia brasileira

Clinical aspects in patients with pulmonary infection caused by mycobacteria of the Mycobacterium abscessus complex, in the Brazilian Amazon

José Tadeu Colares Monteiro1, Karla Valéria Batista Lima2, Adriana Rodrigues Barretto3, Ismari Perini Furlaneto1,2, Glenda Moraes Gonçalves3, Ana Roberta Fusco da Costa2, Maria Luiza Lopes2, Margareth Pretti Dalcolmo4,5

J Bras Pneumol.2018;44(2):93-98

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Descrever as manifestações clínicas de pacientes com infecção pulmonar por micobactérias do complexo Mycobacterium abscessus (CMA) e compará-las com as daqueles infectados com outras micobactérias não tuberculosas (MNT). Métodos: Estudo de coorte retrospectivo envolvendo 43 pacientes divididos em dois grupos: grupo CMA, com pacientes com infecção pulmonar por CMA (n = 17); e grupo MNT, com pacientes com infecção pulmonar por MNT que não CMA (n = 26). Os pacientes foram previamente tratados com o esquema rifampicina, isoniazida, pirazinamida e etambutol antes de o diagnóstico de MNT ser confirmado com culturas positivas em duas amostras de escarro diferentes. As sequências nucleotídicas dos genes hsp65, RNAr 16S e/ou rpoB foram analisadas para a identificação das micobactérias. Foram coletadas características demográficas, clínicas e radiológicas, assim como respostas terapêuticas e desfechos. Resultados: A única manifestação clínica significativamente mais frequente no grupo CMA que no grupo MNT foi hiporexia (p = 0,0306). A chance de haver a necessidade de utilização de um segundo esquema terapêutico foi quase 12 vezes maior no grupo CMA que no grupo MNT. O sucesso terapêutico foi significativamente maior no grupo MNT que no grupo CMA (83,2% vs. 17,6%; p < 0,0001). A chance de recidiva no grupo CMA foi aproximadamente 37 vezes maior que no grupo MNT. Conclusões: Na amostra estudada, a resposta terapêutica da doença pulmonar causada por CMA evoluiu de forma menos favorável do que naquela causada pelas demais MNT.

 


Palavras-chave: Micobactérias não tuberculosas/classificação; Micobactérias não tuberculosas/efeitos de drogas; Pneumopatias.

 

9 - Impacto do tabagismo na conversão de cultura e no desfecho do tratamento da tuberculose pulmonar no Brasil: estudo de coorte retrospectivo

Impact of smoking on sputum culture conversion and pulmonary tuberculosis treatment outcomes in Brazil: a retrospective cohort study

Michelle Cailleaux-Cezar1,a, Carla Loredo1,b, José Roberto Lapa e Silva1,c, Marcus Barreto Conde1,2,d

J Bras Pneumol.2018;44(2):99-105

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar o impacto do tabagismo no desfecho do tratamento da tuberculose pulmonar (TBP) e na taxa de conversão da cultura de Mycobacterium tuberculosis no escarro ao final do segundo mês de tratamento em pacientes com TBP confirmada por cultura em um local com incidência de tuberculose moderada no Brasil. Métodos: Estudo de coorte retrospectivo envolvendo pacientes com TBP diagnosticados e tratados no Instituto de Doenças do Tórax da Universidade Federal do Rio de Janeiro entre 2004 e 2012. Resultados: De 298 pacientes com diagnóstico confirmado de TBP no período do estudo, 174 foram incluídos na análise dos desfechos: 97 nunca fumaram (55,7%), 31 eram ex-tabagistas (17,8%), e 46 eram tabagistas atuais (26,5%). O tabagismo foi associado ao atraso na conversão da cultura do final do segundo mês do tratamento (risco relativo = 3,58 [IC95%: 1,30-9,86]; p = 0,01), assim como ao desfecho de tratamento não favorável (risco relativo = 6,29 [IC95%: 1,57-25,21]; p = 0,009). A associação entre tabagismo e cultura positiva ao final do segundo mês de tratamento foi estatisticamente significante entre os tabagistas atuais (p = 0.027). Conclusões: Nesta amostra, os pacientes tabagistas atuais apresentaram uma maior probabilidade de atraso na conversão da cultura após dois meses de tratamento e de desfecho de tratamento não favorável do que aqueles que nunca fumaram.

 


Palavras-chave: Tuberculose; Resultado do tratamento: Hábito de fumar.

 

10 - Doença pulmonar por micobactérias não tuberculosas em uma região de alta incidência de tuberculose no Brasil

Nontuberculous mycobacterial lung disease in a high tuberculosis incidence setting in Brazil

Maiara dos Santos Carneiro1,2, Luciana de Souza Nunes2,3, Simone Maria Martini De David4, Claudia Fontoura Dias5, Afonso Luís Barth1,2, Gisela Unis5

J Bras Pneumol.2018;44(2):106-111

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: A incidência de doença pulmonar causada por micobactérias não tuberculosas (MNT) tem aumentado em todo o mundo. No Brasil, há poucos estudos sobre doença pulmonar por MNT, e sua prevalência ainda não é conhecida. Nosso objetivo foi determinar a etiologia específica da doença no estado do Rio Grande do Sul, bem como a frequência e a diversidade das espécies de MNT em nossa amostra de pacientes. Métodos: Análise retrospectiva dos prontuários de pacientes diagnosticados com doença pulmonar por MNT atendidos em um centro de referência localizado na cidade de Porto Alegre, RS, entre 2003 e 2013. Resultados: Nossa amostra foi composta por 100 pacientes. As espécies de MNT mais prevalentes foram Mycobacterium avium complex (MAC, complexo M. avium), em 35% dos casos; M. kansasii, em 17%; e M. abscessus, em 12%. Um total de 85 pacientes havia feito tratamento anterior para tuberculose. Condições associadas incluíram anormalidades estruturais nos pulmões, como bronquiectasias, em 23% dos casos; DPOC, em 17%; e condições imunossupressoras, como AIDS, em 24%. Conclusões: MAC e M. kansasii foram as espécies mais prevalentes envolvidas na doença pulmonar por MNT no estado, à semelhança do que ocorre em outras regiões do Brasil. Dados sobre a epidemiologia regional da doença pulmonar por MNT, sua etiologia específica e condições associadas são fundamentais para se estabelecer um tratamento adequado, já que cada espécie requer um esquema específico. A maioria dos pacientes com doença pulmonar por MNT havia feito tratamento anterior para tuberculose, o que pode levar a desenvolvimento de resistência e diagnóstico tardio.

 


Palavras-chave: Micobactérias não tuberculosas; Infecções por micobactéria não tuberculosa; Pneumopatias.

 

11 - Teste rápido molecular para tuberculose: avaliação do impacto de seu uso na rotina em um hospital de referência

Rapid molecular test for tuberculosis: impact of its routine use at a referral hospital

Marilda Casela1,a, Silvânia Maria Andrade Cerqueira1,b, Thais de Oliveira Casela2,c, Mariana Araújo Pereira3,d, Samanta Queiroz dos Santos3,e, Franco Andres Del Pozo4,f, Songeli Menezes Freire3,g, Eliana Dias Matos5,h

J Bras Pneumol.2018;44(2):112-117

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar o impacto do teste rápido molecular automatizado Xpert MTB/RIF, utilizado para a detecção de Mycobacterium tuberculosis e sua resistência à rifampicina, em condições de rotina, em um hospital de referência no estado da Bahia. Métodos: Estudo descritivo retrospectivo utilizando o banco de dados do Laboratório de Micobacteriologia do Hospital Especializado Octávio Mangabeira, localizado na cidade de Salvador, e um programa de georreferenciamento. Entre junho de 2014 e março de 2015, foram incluídas no estudo 3.877 amostras de escarro coletadas de pacientes sintomáticos respiratórios em condições de rotina. Todas as amostras coletadas foram submetidas tanto à baciloscopia quanto a Xpert MTB/RIF. Os pacientes foram estratificados por sexo, idade e georreferenciamento. Resultados: Das 3.877 amostras de escarro analisadas, Xpert MTB/RIF detectou a presença de M. tuberculosis em 678 pacientes (17,5%). Desses, 60 (8,8%) apresentaram resistência à rifampicina. O Xpert MTB/RIF detectou 254 pacientes com baciloscopia negativa, representando um acréscimo diagnóstico de 59,9%. Conclusões: A implantação do Xpert MTB/RIF, sob condições de rotina, teve um impacto significativo no aumento da detecção de casos de tuberculose em pacientes com baciloscopia negativa.

 


Palavras-chave: Tuberculose/diagnóstico; Técnicas de diagnóstico molecular; Escarro.

 

12 - Preditores de mortalidade em pacientes da unidade de terapia intensiva coinfectados por tuberculose e HIV

Predictors of mortality among intensive care unit patients coinfected with tuberculosis and HIV

Marcia Danielle Ferreira1,2,a, Cynthia Pessoa das Neves1,3,b, Alexandra Brito de Souza3,c, Francisco Beraldi-Magalhães1,3,d, Giovanni Battista Migliori4,e, Afrânio Lineu Kritski5,f, Marcelo Cordeiro-Santos1,3,g

J Bras Pneumol.2018;44(2):118-124

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Identificar fatores preditores de mortalidade em pacientes da UTI coinfectados por tuberculose (TB)/HIV em Manaus (AM). Métodos: Estudo retrospectivo de coorte com pacientes coinfectados por TB/HIV, com mais de 18 anos de idade e admitidos na UTI entre janeiro de 2011 e dezembro de 2014. Foram avaliadas variáveis sociodemográficas, clínicas e laboratoriais. Para identificar fatores preditores de mortalidade, foi empregado um modelo de riscos proporcionais de Cox. Resultados: Durante o período estudado, 120 pacientes com coinfecção por TB/HIV foram admitidos na UTI. A média de idade foi de 37,0 ± 11,7 anos. Dos 120 pacientes avaliados, 94 (78,3%) morreram; dos 94 óbitos, 62 (66,0%) ocorreram na primeira semana após a admissão. Havia dados sobre ventilação mecânica invasiva (VMI) e SARA referentes a 86 e 67 pacientes, respectivamente. Dos 86, 75 (87,2%) foram submetidos a VMI, e, dos 67, 48 (71,6%) apresentaram SARA. Os fatores que se relacionaram independentemente com a mortalidade foram VMI (p = 0,002), hipoalbuminemia (p = 0,013) e contagem de CD4 < 200 células/mm3 (p = 0,002). Conclusões: Elevada mortalidade precoce foi observada em pacientes com coinfecção por TB/HIV admitidos na UTI. Os fatores preditores de mortalidade nessa população foram VMI, hipoalbuminemia e imunodepressão grave.

 


Palavras-chave: Mycobacterium tuberculosis; Cuidados críticos; Respiração artificial; Síndrome de imunodeficiência adquirida.

 

13 - Quem são os pacientes com tuberculose diagnosticados no pronto-socorro? Uma análise dos desfechos do tratamento no Estado de São Paulo, Brasil

Who are the patients with tuberculosis who are diagnosed in emergency facilities? An analysis of treatment outcomes in the state of São Paulo, Brazil

Otavio Tavares Ranzani1,2,a, Laura Cunha Rodrigues2,b, Eliseu Alves Waldman3,c, Elena Prina1,d, Carlos Roberto Ribeiro Carvalho1,e

J Bras Pneumol.2018;44(2):125-133

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: O diagnóstico e tratamento precoce da tuberculose são determinantes de melhores desfechos e controle eficaz da doença. Embora a tuberculose deva ser diagnosticada e tratada idealmente na atenção primária à saúde, uma porcentagem dos pacientes recebe o diagnóstico no pronto-socorro. Nosso objetivo foi descrever as características dos pacientes de acordo com o local onde o diagnóstico de tuberculose foi feito e determinar se há relação entre o local do diagnóstico e os desfechos do tratamento. Um objetivo secundário foi determinar se há relação entre indicadores municipais e a probabilidade de diagnóstico de tuberculose no PS. Métodos: Analisamos dados provenientes do banco de dados do Programa de Controle da Tuberculose do Estado de São Paulo, referentes ao período de janeiro de 2010 a dezembro de 2013. Foram incluídos no estudo pacientes recém-diagnosticados com mais de 15 anos de idade e tuberculose pulmonar, extrapulmonar ou disseminada. Modelos de regressão logística múltipla ajustados para levar em conta possíveis fatores de confusão foram usados para avaliar a relação entre o local do diagnóstico e os desfechos do tratamento. Resultados: De um total de 50.295 pacientes, 12.696 (25%) foram diagnosticados no PS. Em comparação com os pacientes que foram diagnosticados no ambulatório, os pacientes diagnosticados no PS eram mais jovens e mais vulneráveis socialmente. A probabilidade de tratamento com desfechos ruins, incluindo perda de seguimento e óbito, foi maior nos pacientes diagnosticados no PS (OR ajustada: 1,54; IC95%: 1,42-1,66). Nos municípios, a probabilidade de diagnóstico de tuberculose no PS relacionou-se com baixa cobertura da atenção primária, desigualdade e vulnerabilidade social. Em alguns municípios, mais de 50% dos casos de tuberculose foram diagnosticados no PS. Conclusões: No Estado de São Paulo, um em cada quatro pacientes com tuberculose é diagnosticado no PS; o diagnóstico de tuberculose no PS está relacionado com tratamento com desfechos ruins. Nos municípios, o diagnóstico de tuberculose no PS está relacionado com indicadores estruturais e socioeconômicos e indica pontos que precisam melhorar.

 


Palavras-chave: Tuberculose/diagnóstico; Tratamento de emergência; Resultado do tratamento; Assistência à saúde.

 

Artigo de Revisão

14 - Aspectos epidemiológicos, manifestações clínicas e prevenção da tuberculose pediátrica sob a perspectiva da Estratégia End TB

Epidemiological aspects, clinical manifestations, and prevention of pediatric tuberculosis from the perspective of the End TB Strategy

Anna Cristina Calçada Carvalho1,a, Claudete Aparecida Araújo Cardoso2,b, Terezinha Miceli Martire3,c, Giovanni Battista Migliori4,d, Clemax Couto Sant'Anna5,e

J Bras Pneumol.2018;44(2):134-144

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A tuberculose continua sendo uma prioridade de saúde pública em muitos países. Em 2015, a tuberculose matou 1,4 milhão de pessoas, incluindo 210.000 crianças. Apesar dos recentes progressos no controle da tuberculose no nosso país, o Brasil ainda é um dos países com maior carga de tuberculose. Em 2015, houve 69.000 casos de tuberculose notificados no Brasil e a tuberculose foi a causa de 4.500 mortes no país. Em 2014, a Organização Mundial da Saúde aprovou a Estratégia End TB, que estabeleceu 2035 como data-alvo para atingir suas metas de redução da incidência de tuberculose em 90% e do número de mortes por tuberculose em 95%. No entanto, para alcançar essas metas no Brasil, há a necessidade de colaboração entre os diversos setores envolvidos no controle da tuberculose e de priorização de atividades, incluindo medidas de controle voltadas às populações mais vulneráveis. As crianças são altamente vulneráveis à tuberculose, e há particularidades específicas dos pacientes pediátricos quanto ao desenvolvimento da tuberculose (rápida progressão da infecção para a doença ativa), prevenção (baixa eficácia da vacinação contra as formas pulmonares e disponibilidade limitada de tratamento preventivo da infecção tuberculosa latente), diagnóstico (baixa taxa de diagnóstico confirmado bacteriologicamente); e tratamento (pouca disponibilidade de fármacos antituberculose próprios para crianças). Nesta revisão, discutimos a epidemiologia, as manifestações clínicas e a prevenção da tuberculose na infância e adolescência, destacando as peculiaridades da tuberculose ativa e latente nessas faixas etárias, a fim de promover a reflexão sobre novas abordagens para o manejo da tuberculose pediátrica no àmbito da Estratégia End TB.

 


Palavras-chave: Tuberculose pulmonar/prevenção & controle; Mycobacterium tuberculosis; Pneumopatias/etiologia; Criança; Adolescente.

 

15 - Fatores de risco para tuberculose: diabetes, tabagismo, álcool e uso de outras drogas

Risk factors for tuberculosis: diabetes, smoking, alcohol use, and the use of other drugs

Denise Rossato Silva1,a, Marcela Muñoz-Torrico2,b, Raquel Duarte3,4,c, Tatiana Galvão5,d, Eduardo Henrique Bonini6,7,e, Flávio Ferlin Arbex6,f, Marcos Abdo Arbex6,g, Valéria Maria Augusto8,h, Marcelo Fouad Rabahi9,i, Fernanda Carvalho de Queiroz Mello10,j

J Bras Pneumol.2018;44(2):145-152

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A tuberculose continua a ser um importante problema de saúde para a humanidade. Embora os esforços para controlar a epidemia tenham reduzido sua mortalidade e incidência, há vários fatores predisponentes a ser controlados a fim de reduzir a carga da doença. Este artigo de revisão aborda alguns dos fatores de risco associados à infecção por tuberculose, como diabetes, tabagismo, uso de álcool e uso de outras drogas, que podem também contribuir para maus resultados do tratamento da tuberculose. A tuberculose pode levar a complicações no curso e no manejo de outras doenças, como o diabetes. Portanto, é importante identificar essas comorbidades em pacientes com tuberculose a fim de assegurar um manejo adequado de ambas as condições.

 


Palavras-chave: Tuberculose/epidemiologia; Tuberculose/prevenção & controle; Diabetes mellitus/prevenção & controle; Hábito de fumar/efeitos adversos; Consumo de bebidas alcoólicas/efeitos adversos; Drogas ilícitas/efeitos adversos.

 

16 - Novos fármacos e fármacos repropostos para o tratamento da tuberculose multirresistente e extensivamente resistente

New and repurposed drugs to treat multidrug- and extensively drug-resistant tuberculosis

Denise Rossato Silva1,a, Margareth Dalcolmo2,b, Simon Tiberi3,c, Marcos Abdo Arbex4,5,d, Marcela Munoz-Torrico6,e, Raquel Duarte7,8,9,f, Lia D'Ambrosio10,11,g, Dina Visca12,h, Adrian Rendon13,i, Mina Gaga14,j, Alimuddin Zumla15,k, Giovanni Battista Migliori10,l

J Bras Pneumol.2018;44(2):153-460

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A tuberculose multirresistente (TB-MDR, do inglês multidrug-resistant) e a extensivamente resistente (TB-XDR, do inglês extensively drug-resistant) continuam representando um desafio para os clínicos e as autoridades de saúde pública. Infelizmente, embora haja relatos encorajadores de taxas de sucesso maiores, a taxa global de desfechos favoráveis do tratamento da TB-MDR/XDR é de apenas 54%, ou muito menor quando o espectro de resistência aos fármacos vai além do da TB-XDR. O tratamento da TB-MDR/XDR continua sendo uma tarefa difícil, em razão da alta incidência de eventos adversos, do longo tempo de tratamento, do alto culto dos esquemas utilizados e da drenagem dos recursos de saúde. Diversos ensaios e estudos foram realizados recentemente (alguns já publicados e outros em andamento), todos visando a melhorar os desfechos do tratamento da TB-MDR/XDR por meio da alteração da abordagem geral, redução do tempo de tratamento e desenvolvimento de um esquema universal. O objetivo desta revisão foi resumir o que se conseguiu até o momento, no que se refere a novos fármacos e fármacos repropostos, dando foco especial para delamanid, bedaquilina, pretomanida, clofazimina, carbapenêmicos e linezolida. Após mais de 40 anos de negligência, recentemente foi dada mais atenção á necessidade de novos fármacos para se combater a "praga branca", e resultados promissores estão sendo relatados.

 


Palavras-chave: Tuberculose/terapia; Tuberculose resistente a múltiplos medicamentos; Tuberculose extensivamente resistente a drogas; Antituberculosos.

 

17 - Achados de radiografia e de TC de tórax em pacientes transplantados de órgãos sólidos e diagnosticados com tuberculose pulmonar: uma revisão sistemática

Chest X-ray and chest CT findings in patients diagnosed with pulmonary tuberculosis following solid organ transplantation: a systematic review

Irai Luis Giacomelli1,a, Roberto Schuhmacher Neto1,b, Edson Marchiori2,c, Marisa Pereira1, Bruno Hochhegger1,d

J Bras Pneumol.2018;44(2):161-166

Resumo PDF PT PDF EN English Text

O objetivo desta revisão sistemática foi selecionar artigos com achados radiográficos e/ou tomográficos de tórax em pacientes que desenvolveram tuberculose pulmonar após transplante de órgãos sólidos (pulmão, rim ou fígado). Os descritores utilizados para a pesquisa foram: "tuberculosis", "transplants", "transplantation", "mycobacterium" e "lung". As bases de dados utilizadas nesta revisão foram PubMed e Biblioteca Virtual em Saúde. Foram selecionados artigos em inglês, português e espanhol, independentemente do ano de sua publicação, que possuíam em seu título, resumo ou corpo do texto os aspectos selecionados quanto ao objetivo da pesquisa. Foram excluídos artigos sem dados sobre achados de radiografia ou de TC de tórax e aqueles não relacionados com transplantes de órgão sólido ou tuberculose pulmonar. Foram selecionados 29 artigos para o estudo, somando 219 pacientes. As maiores amostras vieram de estudos realizados no Brasil e na Coreia do Sul (78 e 35 pacientes, respectivamente). Os achados de imagem foram subdivididos em cinco padrões mais comuns. Os achados de imagem nesses pacientes variaram dependendo do órgão transplantado. O padrão mais comum foi o clássico para tuberculose pulmonar (escavação e nódulos em árvore em brotamento) nos transplantados de fígado e pulmão, que é similar ao acometimento da doença na população em geral. Transplantados de rim apresentaram um maior número de casos de acometimento miliar e de linfonodomegalia, que é mais similar aos casos de pacientes coinfectados com tuberculose e HIV. Estudos que avaliem dados clínicos, como o esquema farmacológico de imunossupressão, são necessários para um melhor entendimento da distribuição desses padrões de imagem nessa população.

 


Palavras-chave: Tomografia computadorizada por raios X; Radiografia; Tuberculose pulmonar; Pulmão/transplante; Rim/transplante; Fígado/transplante.

 

 


O Jornal Brasileiro de Pneumologia está indexado em:

Latindex Lilacs SciELO PubMed ISI Scopus Copernicus pmc

Apoio

CNPq, Capes, Ministério da Educação, Ministério da Ciência e Tecnologia, Governo Federal, Brasil, País Rico é País sem Pobreza
Secretaria do Jornal Brasileiro de Pneumologia
SCS Quadra 01, Bloco K, Salas 203/204 Ed. Denasa. CEP: 70.398-900 - Brasília - DF
Fone/fax: 0800 61 6218/ (55) (61) 3245 1030/ (55) (61) 3245 6218
E-mails: jbp@jbp.org.br
jpneumo@jornaldepneumologia.com.br

Copyright 2018 - Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia

Logo GN1