Jornal Brasileiro de Pneumologia

ISSN (on-line): 1806-3756

ISSN (impressa): 1806-3713

Busca avançada

Ano 2000 - Volume 26  - Número 2  (Março/Abril)






Editorial

1 - AIDS e tuberculose: novo problema, velho problema

Margareth Pretti Dalcolmo

J Bras Pneumol.2000;26(2):3-4

PDF PT


Artigo Original

2 - Impacto de múltiplas biópsias em dois pontos distintos da superfície pleural no diagnóstico de tuberculose

Impact of multiple biopsies in two different sites of the pleural surface for the diagnosis of tuberculosis

Marcelo Chalhoub, Ronald Fidelis, Ana Paula Barreto, Eduardo Ramos, Manoel Barral-Netto, Aryon Almeida Barbosa Jr.

J Bras Pneumol.2000;26(2):55-60

Resumo PDF PT English Text

Com o objetivo de avaliar se a retirada de maior número de fragmentos pleurais em um único sítio (A), bem como se a biópsia em um segundo sítio (B) da sua superfície, através do mesmo orifício cutâneo, acrescenta em rendimento diagnóstico aos três fragmentos habitualmente retirados, conduzimos um estudo prospectivo no Hospital Octávio Mangabeira, envolvendo 115 pacientes com indicação de biópsia pleural. Os fragmentos pleurais foram colocados em três frascos distintos: FRA1-3 = 3 primeiros fragmentos, FRA4-8 = 5 fragmentos subseqüentes e FRB1-5 = 5 fragmentos em segundo sítio da superfície pleural. Era retirada a agulha até o subcutâneo, feitas inclinação lateral e reintrodução no espaço pleural. A análise dos fragmentos provindos do FRA1-3 evidenciou granuloma em 72/92 casos de tuberculose (78,3%) e no FRA4-8 e FRB1-5, em 74/92 casos (80,5%). Em 6/92 pacientes foram encontrados pleurite inespecífica no FRA1-3 e granuloma no FRA4-8, resultando em acréscimo diagnóstico de 8,3% (6 aos 72 pacientes). Em 7/92 pacientes (7,6%) a HP foi inespecífica no sítio A e mostrou granuloma no sítio B, resultando em acréscimo diagnóstico de 9,0% (7 aos 78 pacientes). A concordância histológica intra-observador teve um índice kappa de 0,62 (0,54 a 0,70) e interobservador de 0,64 (0,56 a 0,72). Concluímos que a realização de múltiplas biópsias em dois sítios diferentes da superfície pleural diagnosticou 13 pacientes que não obteriam diagnóstico definitivo se fossem retirados apenas três fragmentos pleurais, resultando em incremento diagnóstico de 18,0% (13 aos 72 diagnosticados no FRA1-3), sendo considerado significativo do ponto de vista médico e social.

 


Palavras-chave: Tuberculose, tuberculose pleural, biópsia, diagnóstico.

 

3 - Fibrose pulmonar idiopática: características clínicas e sobrevida em 132 pacientes com comprovação histológica

Pulmonary idiopathic fibrosis: clinical findings and survival in 132 histologically-proven patients

Adalberto Sperb Rubin, José da Silva Moreira, Nelson da Silva Porto, Klaus Loureiro Irion, Rafael Franco Moreira, Bruno Scheidt

J Bras Pneumol.2000;26(2):61-68

Resumo PDF PT English Text

Com o objetivo de avaliar as características clínicas e sobrevida de pacientes portadores de fibrose pulmonar idiopática, foram analisados 132 casos com confirmação histológica, internados no Pavilhão Pereira Filho entre 1970 e 1996. O diagnóstico foi realizado em 120 casos por biópsia a céu aberto e em 12 casos por biópsia transbrônquica. A idade média do grupo estudado foi de 56 anos; 78 eram do sexo masculino; 126 eram brancos e 6, negros. O tabagismo estava presente em 61 casos. A duração média dos sintomas antes do diagnóstico foi de 22,7 meses. O hipocratismo digital esteve presente em 75 pacientes e estertores teleinspiratórios foram verificados em 100 casos. Dispnéia só não foi constatada em dois pacientes e tosse esteve presente em 89 casos. As provas de função pulmonar apresentaram os seguintes valores médios: CVF, 62%; VEF1, 70%; DCO, 43,4%; CPT, 76,7%; PaO2, 67,3mmHg; PaCO2, 39,1mmHg e SaO2, 92,3%. O lavado broncoalveolar apresentou os seguintes valores médios: macrófagos, 83,8%; neutrófilos, 9,1%; linfócitos; 6,1% e eosinófilos, 0,6%. Na radiologia convencional de tórax, foi observado faveolamento em 79 casos, redução da capacidade pulmonar total em 107 e alargamento da traquéia intratorácica em 50. Na TC de tórax, o grau médio de profusão do padrão reticular foi de 42,3% e do padrão de granularidade, de 43,6%. O padrão histológico usual esteve presente em 128 casos, sendo apenas quatro pacientes portadores de padrão descamativo. Em 121 casos foram obtidas informações quanto à sobrevida em dezembro de 1997. A sobrevida média total desta série foi de 28 meses, sendo de 24 meses para os pacientes que foram a óbito. Os pacientes desta série apresentaram características associadas a um estágio avançado da doença. Este fato, mais a presença maciça de pacientes com padrão usual e a rígida seleção de casos muito provavelmente contribuíram para os resultados encontrados quanto à sobrevida.

 


Palavras-chave: Fibrose pulmonar, doenças intersticiais pulmonares, sintomas clínicos; Análise de sobrevivência.

 

5 - Alterações funcionais respiratórias na colecistectomia por via laparoscópica

Functional respiratory changes in laparoscopic cholecystectomy

Luciana Dias Chiavegato, José Roberto Jardim, Sonia Maria Faresin, Yara Juliano

J Bras Pneumol.2000;26(2):69-76

Resumo English Text

Objetivo: Estudar as alterações da ventilação e volumes pulmonares e da força muscular respiratória no pós-operatório de colecistectomia por via laparoscópica. Tipo de estudo: Estudo prospectivo. Material e métodos: Foram avaliados 20 pacientes provenientes da enfermaria de gastrocirurgia da Unifesp, com média de idade 42,7 anos, sendo 7 (35%) homens e 13 (65%) mulheres. No período pré-operatório todos foram submetidos a um questionário clínico, exame físico, radiografia de tórax, espirometria. No pré e no pós-operatório foram obtidas as medidas da força muscular respiratória (pressões inspiratória e expiratória máximas), da ventilação pulmonar (volume corrente e volume minuto), da capacidade vital, a oximetria de pulso e o índice diafragmático (ID). Este índice é capaz de refletir o movimento toracoabdominal, determinado pelas mudanças nas dimensões ântero-posteriores da caixa torácica (CT) e do abdome (AB) e foi calculado utilizando-se a seguinte fórmula: ID = D AB/D AB + D CT. Resultados: Observou-se que os pacientes evoluíram no primeiro dia de pós-operatório com diminuição média significante de 26% do volume corrente, de 645ml ± 220ml para 475ml ± 135ml; 20% do volume minuto, de 15,0L ± 4,5L para 11,9L ± 3,6L; 36% da capacidade vital, de 2,7L ± 0,6L para 1,74L ± 0,7L; 47% da pressão inspiratória máxima, de -75 ± -22cm/H2O para -40 ± 17cm/H2O; 39% da pressão expiratória máxima, de +90 ± 28cm/H2O para +55 ± 28cm/H2O e 36% do índice diafragmático, de 0,60 ± 0,10 para 0,39 ± 0,14 (p < 0,05). O volume corrente, o volume minuto e a pressão expiratória máxima retornaram aos seus valores basais no 3º dia de pós-operatório; a capacidade vital, pressão inspiratória máxima e o índice diafragmático retornaram aos seus valores basais entre o 4º e o 6º dia de pós-operatório. Dos vinte pacientes, somente um apresentou atelectasia como complicação pulmonar, tendo evoluído bem com as medidas habituais de fisioterapia respiratória. Conclusão: Concluímos que os pacientes submetidos à colecistectomia por via laparoscópica apresentam no 1º dia de pós-operatório diminuição significante dos volumes pulmonares e da força muscular respiratória. Porém, quando comparados com dados de literatura, o retorno aos valores pré-operatórios é mais rápido na cirurgia por via laparoscópica (3º e 4º dias de pós-operatório) do que na cirurgia abdominal convencional.

 


Palavras-chave: Cirurgia laparoscópica, pós-operatório e força muscular respiratória.

 

Aprimoramento

6 - Pesquisa bibliográfica em ciências biomédicas

Enilze de Souza Nogueira Volpato

J Bras Pneumol.2000;26(2):77-80

PDF PT


Artigo de Revisão

7 - Agravos respiratórios decorrentes da atividade agrícola

Respiratory health hazards in agricultural activities

Carlos A.A. Viegas

J Bras Pneumol.2000;26(2):83-90

Resumo PDF PT English Text

As doenças respiratórias são um importante problema crítico para trabalhadores rurais, uma vez constatada evidência de aumento significativo do risco de morbidade e mortalidade, por problemas respiratórios, em trabalhadores agrícolas. Este fato é de grande importância especialmente nos países em desenvolvimento, onde grande parte da população depende da agricultura como fonte de subsistência. Sabidamente, pessoas envolvidas em atividades agrícolas estão potencialmente expostas a vários agentes como poeira inorgânica do solo, poeira orgânica, gases tóxicos, pesticidas, etc. O aparelho respiratório pode reagir a estes insultos ao nível de vias aéreas superiores com rinite, sinusite e otite. As vias aéreas inferiores podem responder desencadeando ou agravando asma brônquica, com o quadro conhecido como síndrome asthma-like, com obstrução crônica e lesões causadas por poeira orgânica, pneumonite por hipersensibilidade e fibrose intersticial. Assim, se faz necessário uma identificação precisa dos possíveis agentes etiológicos e conseqüentes medidas profiláticas das doenças respiratórias decorrentes da atividade agrícola.

 


Palavras-chave: doenças respiratórias; doenças ocupacionais; doenças dos trabalhadores agrícolas; exposição ambiental.

 

8 - Remodelamento brônquico na asma

Bronchial remodeling in asthma

Thais Mauad, Alessandra Sandrini Lopes de Souza, Paulo Hilário Nascimento Saldiva, Marisa Dolhnikoff4

J Bras Pneumol.2000;26(2):91-98

Resumo PDF PT English Text

É sabido que certos pacientes asmáticos apresentam perda parcial e irreversível da função respiratória ao longo do tempo. Postula-se que o processo inflamatório crônico em vias aéreas, característico da doença, poderia, através da liberação de diversos mediadores inflamatórios, ocasionar alterações estruturais irreversíveis nas vias aéreas e conseqüente piora da broncoconstrição, contribuindo assim para o fenômeno de perda de função pulmonar. A este processo creditou-se o nome de remodelamento brônquico. Nesta revisão descrevem-se os mecanismos propostos para o remodelamento brônquico, o papel dos diversos mediadores inflamatórios envolvidos e as diversas alterações patológicas observadas em vias aéreas asmáticas. Para cada alteração estrutural descrita, discute-se a possível conseqüência funcional. O entendimento do remodelamento brônquico é importante para o melhor manejo dos pacientes com asma e para a prevenção da deterioração funcional definitiva.

 


Palavras-chave: brônquios; patologia; asma.

 

Relato de Caso

9 - Leiomioma intrabrônquico: relato de um caso com sete anos de evolução

Intrabronchial leiomyoma: report of a case with seven years of tumor evolution

Paulo José Lorenzoni, Maria Ilizabeti Donatti, Paulo de Tarso Muller, Eliana Setti A. Aguiar, Pedro Nango Dobashi

J Bras Pneumol.2000;26(2):99-102

Resumo PDF PT English Text

Os autores relatam caso raro de tumor pulmonar benigno, o LEIOMIOMA INTRABRÔNQUICO, em paciente masculino de 33 anos de idade. O diagnóstico foi realizado por broncoscopia com biópsia do tumor, que apresentou intensa proliferação de células musculares lisas. A escolha terapêutica, após sete anos de evolução do tumor, foi a pneumectomia.

 


Palavras-chave: Leiomioma; Brônquios, Neoplasias pulmonares.

 

10 - Paragonimíase pulmonar e pleural: relato de dois casos

Pulmonary and pleural paragonimiasis: report of two cases

Teresa de Jesus Jhayya S., Miguel Angel Coloma S., Mónica Pérez V., Danilo Montaño E.

J Bras Pneumol.2000;26(2):103-106

Resumo PDF PT English Text

A paragonimíase é uma infecção pulmonar crônica causada por um trematóide do gênero Paragonimus, sendo o Paragonimus westermani o que mais infecta o homem. É uma doença endêmica da Ásia Oriental, mas também é vista na América. Relatamos dois casos de paragonimíase, em que um dos pacientes apresentava antecedentes e características clínicas e radiológicas sugestivas da doença, diagnosticada pela presença de ovos do P. westermani no escarro, e o outro, um empiema pós-trauma torácico cujo diagnóstico de paragonimíase foi um achado histopatológico pleural após uma decorticação. Este diagnóstico foi confirmado pela presença de ovos do P. westermani em escarro.

 


Palavras-chave: paragonimíase.

 

Cartas ao Editor

11 - O Brasil no "bonde da história da asma"

Márcia Alcântara Holanda

J Bras Pneumol.2000;26(2):19-21

PDF PT


 


O Jornal Brasileiro de Pneumologia está indexado em:

Latindex Lilacs SciELO PubMed ISI Scopus Copernicus pmc

Apoio

CNPq, Capes, Ministério da Educação, Ministério da Ciência e Tecnologia, Governo Federal, Brasil, País Rico é País sem Pobreza
Secretaria do Jornal Brasileiro de Pneumologia
SCS Quadra 01, Bloco K, Salas 203/204 Ed. Denasa. CEP: 70.398-900 - Brasília - DF
Fone/fax: 0800 61 6218/ (55) (61) 3245 1030/ (55) (61) 3245 6218
E-mails: jbp@jbp.org.br
jpneumo@jornaldepneumologia.com.br

Copyright 2017 - Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia

Logo GN1