Jornal Brasileiro de Pneumologia

ISSN (on-line): 1806-3756

ISSN (impressa): 1806-3713

Busca avançada

Ano 2000 - Volume 26  - Número 6  (Novembro/Dezembro)






Artigo Original

1 - Avaliação de parâmetros histológicos na pneumonia intersticial usual (fibrose pulmonar idiopática)

Evaluation of the histological parameters in usual interstitial pneumonia (idiopathic pulmonary fibrosis)

Rimarcs Gomes Ferreira, Ester Nei Aparecida Martins Coletta, Osvaldo Giannotti Filho

J Bras Pneumol.2000;26(6):279-285

Resumo PDF PT English Text

A fibrose pulmonar idiopática (alveolite fibrosante criptogênica) é uma doença pulmonar intersticial progressiva de etiologia desconhecida, morfologicamente reconhecida como pneumonia intersticial usual. Desde a publicação de Hamman e Rich (1944) até os dias atuais, uma das grandes preocupações foi a tentativa de encontrar um marcador histológico para correlacionar com prognóstico e resposta terapêutica. A busca desta situação não tem sido muito alentadora, pois existem vários pontos duvidosos na patogênese desta doença. Admite-se que a resposta terapêutica desta entidade se relaciona com a celularidade e fibrose presentes no tecido. A proposta deste estudo é descrever os resultados de método semiquantitativo segundo a avaliação independente de dois patologistas, das alterações exsudativo-inflamatórias, reparativo-fibróticas e de vias aéreas, em 24 pacientes com diagnóstico de fibrose pulmonar idiopática, submetidos à biópsia a céu aberto. Foram analisados 14 parâmetros histológicos segundo escala de 0 a 5 para as alterações intersticiais e de 0 a 2 para o comprometimento de vias aéreas e de espaços aéreos. Da análise independente realizada pelos dois observadores constatou-se concordância significante em todas as variáveis histológicas com Kw (teste de Kappa) indo de 0,47 a 0,92. Apenas na análise da intensidade da inflamação septal as discordâncias também foram significantes, sugerindo que para este parâmetro a percentagem de comprometimento tecidual deve ser previamente discutida entre os observadores. O método utilizado demonstrou ser rápido e eficiente.

 


Palavras-chave: Fibrose pulmonar idiopática (FPI). Pneumonia intersticial usual (PIU). Método semiquantitativo.

 

2 - Estudo caso-controle de indicadores de abandono em doentes com tuberculose

A case-control study about indicators of non-compliance in patients with tuberculosis

Sandra A. Ribeiro, Verônica M. Amado, Aquiles A. Camelier, Márcia M.A. Fernandes, Simone Schenkman

J Bras Pneumol.2000;26(6):291-296

Resumo PDF PT English Text

O abandono do tratamento da tuberculose tem implicações sociais e epidemiológicas. Objetivos: Comparar características de pacientes que abandonaram o tratamento com os que não o abandonaram (controle), matriculados no CS-EPM/Unifesp, no período de 1995 a 1997, e verificar se os grupos educativos de sala de espera diminuíram a ocorrência dos abandonos. Método: Foi realizado estudo retrospectivo controlado com 100 pacientes (38 abandonos pareados para 62 controles) matriculados para tratamento de tuberculose, em que se verificaram as variáveis mais relacionadas ao abandono. Destes, 60 pacientes participaram voluntariamente de grupos educativos (16 abandonos e 44 controles). Resultados: As variáveis mais relacionadas ao abandono foram: sexo masculino, tabagismo, alcoolismo, uso de drogas, presença de fatores de risco para HIV e internação prévia. Os que participaram voluntariamente dos grupos educativos de sala de espera tinham características semelhantes ao total de pacientes estudados, mas houve menor ocorrência de abandono durante o tratamento (p < 0,05). Conclusão: Os autores concluem que, tendo-se amplamente disponíveis os meios para diagnóstico e seguimento dos pacientes com tuberculose, todos os esforços possíveis deverão estar concentrados para evitar o abandono, sobretudo nos pacientes de risco, que deverão ter à sua disposição grupos educativos sobre a doença.

 


Palavras-chave: Prevalência. Grupos diagnósticos homogêneos.

 

Artigo de Revisão

3 - Asma aguda em adultos na sala de emergência: o manejo clínico na primeira hora

Acute asthma in adults in the emergency room: clinical management in the first hour

Paulo de Tarso Roth Dalcin, Alan Castoldi Medeiros, Marcelo Kurz Siqueira, Felipe Mallmann, Mariane Lacerda, Marcelo Basso Gazzana, Sérgio Saldanha Menna Barreto

J Bras Pneumol.2000;26(6):297-306

Resumo PDF PT English Text

Asma é doença com alta prevalência em nosso meio e ao redor do mundo. Embora novas opções terapêuticas tenham sido recentemente desenvolvidas, parece haver aumento mundial na sua morbidade e mortalidade. Em muitas instituições, as exacerbações asmáticas ainda constituem emergência médica muito comum. As evidências têm demonstrado que a primeira hora no manejo da asma aguda na sala de emergência concentra decisões cruciais que podem determinar o desfecho desta situação clínica. Nesta revisão não-sistemática, os autores enfocaram a primeira hora da avaliação e tratamento do paciente com asma aguda na sala de emergência, descrevendo uma estratégia apropriada para o seu manejo. São consideradas as seguintes etapas: diagnóstico, avaliação da gravidade, tratamento farmacológico, avaliação das complicações e decisão sobre onde se realizará o tratamento adicional. Espera-se que estas recomendações contribuam para que o médico clínico tome a decisão apropriada na primeira hora do manejo da asma aguda.

 


Palavras-chave: Asma. Medicina de emergência. Tratamento de emergência. Procedimentos clínicos. Serviços médicos de emergência.

 

4 - Pleurodese: perspectivas futuras

Pleurodesis: future prospects

Francisco S. Vargas, Lisete R. Teixeira, Alípio O. Carmo, Evaldo Marchi, Marcelo Costa Vaz, Leila Antonangelo, Fábio B. Jatene

J Bras Pneumol.2000;26(6):307-312

Resumo PDF PT English Text

Apesar de estarmos completando praticamente um século desde a realização da primeira pleurodese, a metodologia não está consensualmente definida. A tendência atual de executarmos procedimentos minimamente invasivos estimulou novas pesquisas com o objetivo de reduzir a agressão, incluindo o uso de novas substâncias, a colocação de drenos mais finos e a redução ou abolição da necessidade de internação hospitalar. Dentre as drogas esclerosantes, o talco tem a preferência mundial. Entretanto, o possível desenvolvimento da síndrome da angústia respiratória, por vezes fatal, fez renascer o interesse por outras drogas. Os quimioterápicos não têm evidente efeito esclerosante e originam importantes efeitos colaterais. Os agentes irritantes hidróxido de sódio e nitrato de prata produzem pleurodese efetiva. Ambos podem ser utilizados em seres humanos.

 


Palavras-chave: Pleurodese. Soluções esclerosantes. Procedimentos clínicos

 

Relato de Caso

5 - Esclerose sistêmica difusa com hipertensão pulmonar isolada: relato de caso

Diffuse systemic sclerosis with isolated pulmonary hypertension: a case report

Silméia Garcia Zanati, Katashi Okoshi, Luiz Shiguero Matsubara, Roberto Minoru Tani Inoue, Marina Politi Okoshi

J Bras Pneumol.2000;26(6):313-316

Resumo PDF PT English Text

A esclerose sistêmica (ES) é uma doença incomum, caracterizada por alterações vasculares e fibrose em pele e vários órgãos. O envolvimento pulmonar é freqüente na ES; entretanto, hipertensão pulmonar (HP) na ausência de fibrose intersticial é raramente observada. Os autores descrevem um caso de ES difusa com HP isolada em paciente do sexo feminino, de 49 anos. O diagnóstico de HP pôde ser sugerido pelo exame físico e confirmado por ecodopplercardiograma, que permitiu estimar a pressão sistólica em artéria pulmonar em 80mmHg. Tratamento foi iniciado com nifedipina; entretanto, devido a efeitos colaterais da droga, não foi possível o aumento da dose além de 30mg ao dia; nesta dosagem, a nifedipina não acarretou redução da pressão arterial pulmonar.

 


Palavras-chave: Escleroderma sistêmico. Nifedipina. Ecodopplercardiograma. Hipertensão pulmonar. Vasodilatadores. Ecocardiografia doppler.

 

6 - Hérnia diafragmática traumática transpericárdica: relato de caso

Traumatic transpericardial diaphragmatic hernia: case report

Roberto Ruben Pando-Serrano, Antonio J. Ferreira Leal, Márcio R.A. Gomes, René Crepaldi Filho

J Bras Pneumol.2000;26(6):317-320

Resumo PDF PT English Text

Relata-se caso de ocorrência rara, apenas um publicado nos últimos 30 anos. O diagnóstico e a correção de hérnia traumática transpericárdica, com redução espontânea, foram feitos intraoperatoriamente pela verificação de lesões na parede lateral esquerda do pericárdio, pericárdio diafragmático e do tendão central, com hemidiafragma esquerdo intacto.

 


Palavras-chave: Hérnia diafragmática transpericárdica. Traumatismo torácico.

 

7 - Hipertensão pulmonar: relato de seis casos e atualização do tema

Pulmonary hypertension: a report of six cases and updating review

Sérgio Saldanha Menna Barreto, Marcelo Basso Gazzana

J Bras Pneumol.2000;26(6):321-336

Resumo PDF PT English Text

Hipertensão arterial pulmonar (HP) ocorre quando os níveis de pressão da artéria pulmonar são desproporcionalmente elevados para um dado nível de fluxo sanguíneo pulmonar. Valores de pressão arterial pulmonar média superiores a 25mmHg em repouso ou 30mmHg em exercício permitem o diagnóstico de HP. A HP sustentada ou crônica pode ser secundária a doenças conhecidas, principalmente de natureza cardíaca ou pulmonar, ou ser uma anormalidade primária da circulação pulmonar, com ou sem identificação de condições associadas. Pneumologistas podem enfrentar casos de HP como conseqüência de pneumopatias ou como achados de investigações de dispnéia. Independente de sua etiologia, a HP representa uma anormalidade definida que afeta o ventrículo direito e tem conseqüências potencialmente fatais para os pacientes acometidos. Métodos de imagens têm tornado o diagnóstico de HP mais acessível e não invasivo. Avanços no entendimento dos mecanismos de vasoconstrição e remodelamento vascular têm aberto melhores perspectivas para o tratamento. O uso criterioso de vasodilatadores tradicionais e de anticoagulantes, o surgimento de novos vasodilatadores, como o epoprostenol e seus análogos, e as técnicas cirúrgicas têm melhorado a sobrevida de parcela significativa de pacientes. Seis casos de pacientes com HP, de etiologias variadas, são apresentados e suas abordagens discutidas. Conclui-se pelo conceito emergente de que a HP idiopática nem sempre é uma condição irreversível e que a identificação de condições associadas potencialmente tratáveis exerce efeito favorável no manejo de pacientes com HP.

 


Palavras-chave: hipertensão pulmonar, resistência vascular, pneumopatias, vasodilatadores

 

8 - Síndrome da cimitarra: relato de caso com falsos diagnósticos e conduta adequada

Scimitar syndrome: case report with false diagnoses and adequate procedure

Giesela Fleischer Ferrari, Cristina Costa Parreira, Samuel Marek Reibscheid, Antônio Sérgio Martins

J Bras Pneumol.2000;26(6):337-340

Resumo PDF PT English Text

A síndrome da cimitarra, embora rara, é importante de ser conhecida por pediatras e pneumologistas, pois a imagem radiológica, apesar de sugerir o diagnóstico, pode ser mal-interpretada, levando a falsos diagnósticos. A partir da suspeita diagnóstica, a investigação com ecocardiograma e angiografia é fundamental, mesmo no paciente assintomático, pois pode-se evidenciar hipertensão pulmonar importante, de tal forma que o tratamento cirúrgico é indicado para evitar complicações futuras irreversíveis. Criança, apesar das dificuldades diagnósticas iniciais, foi operada precocemente, havendo excelente evolução durante o seguimento ambulatorial.

 


Palavras-chave: Síndrome da cimitarra. Cirurgia. Doença pulmonar (especialidade). Diagnóstico.

 

Diretrizes da SBPT

9 - Oxigenoterapia domiciliar prolongada (ODP)

Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia

J Bras Pneumol.2000;26(6):341-350

PDF PT


Cartas ao Editor

10 - Medicina baseada em evidências: quais os limites?

Edmilson Vieira Gaia Filho

J Bras Pneumol.2000;26(6):351-352

PDF PT


 


O Jornal Brasileiro de Pneumologia está indexado em:

Latindex Lilacs SciELO PubMed ISI Scopus Copernicus pmc

Apoio

CNPq, Capes, Ministério da Educação, Ministério da Ciência e Tecnologia, Governo Federal, Brasil, País Rico é País sem Pobreza
Secretaria do Jornal Brasileiro de Pneumologia
SCS Quadra 01, Bloco K, Salas 203/204 Ed. Denasa. CEP: 70.398-900 - Brasília - DF
Fone/fax: 0800 61 6218/ (55) (61) 3245 1030/ (55) (61) 3245 6218
E-mails: jbp@jbp.org.br
jpneumo@jornaldepneumologia.com.br

Copyright 2017 - Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia

Logo GN1