Jornal Brasileiro de Pneumologia

ISSN (on-line): 1806-3756

ISSN (impressa): 1806-3713

SCImago Journal & Country Rank
Busca avançada

Ano 2002 - Volume 28  - Número 1  (Janeiro/Fevereiro)






Editorial

1 - A Maioridade do JP

Luiz Carlos Corrêa da Silva

J Bras Pneumol.2002;28(1):

PDF PT


2 - Admissão do Jornal de Pneumologia na SciELO Brasil: uma vitória com novos desafios

Thaís Helena Abrahão Thomaz Queluz

J Bras Pneumol.2002;28(1):

PDF PT


Artigo Original

3 - Morbidade respiratória em crianças fumantes passivas

Respiratory morbidity among passive smoking children

Luisa Maria Torres de Carvalho, Eanes Delgado Barros Pereira

J Bras Pneumol.2002;28(1):8-14

Resumo PDF PT English Text

Objetivo: Avaliar a prevalência de morbidade respiratória entre crianças expostas ao fumo passivo e determinar os efeitos do fumo ambiental no sistema respiratório inferior e superior dessas crianças, na cidade de Fortaleza, Ceará, Brasil. Casuística e método: Este é um estudo censitário do tipo transversal em 1.104 crianças menores de cinco anos. Dados sobre os sintomas respiratórios e as doenças dessas crianças, o histórico familiar de doenças respiratórias, os hábitos tabagísticos dos membros da casa e as condições habitacionais foram avaliados através de um questionário aplicado junto aos pais. Resultados: Das 1.104 crianças, 558 eram do sexo masculino e 546 do feminino. A morbidade respiratória foi maior entre as crianças expostas ao fumo ambiental do que entre as não expostas (82% vs. 74%). Em relação ao trato respiratório inferior as queixas mais comuns foram sibilância (57,7%; OR = 1,32; IC 95%: 1,04-1,68), dispnéia (43,8%; OR = 1,56; IC 95%: 1,22-1,99), asma, bronquite ou pneumonia (29,4%; OR = 1,31; IC 95%: 1,13-1,88). Quanto ao trato respiratório superior, a queixa mais comum foi de rinite em 38,1% dos casos (OR = 1,46; IC 95%: 1,00-1,71). A análise de regressão logística mostrou que as queixas referentes ao trato respiratório inferior se associaram com tabagismo materno (OR = 2,02; IC 95% 1,12-3,66); tabagismo paterno (OR = 1,99; IC 95%: 1,16-3,40); mofo (OR = 1,55; IC 95%: 1,14-2,13) e antecedentes de doenças respiratórias (OR = 1,72; IC 95%: 1,26-2,35). As doenças do trato respiratório superior associaram-se com antecedentes de doenças respiratórias (OR = 1,44; IC 95%: 1,13-1,85) e tabagismo materno (OR = 1,54; IC 95%: 1,01-2,35). Conclusão: A exposição de crianças ao fumo ambiental é um fator de associação para a morbidade do trato respiratório superior e inferior entre menores de cinco anos.

 


4 - Ventilação mecânica volume-controlada versus pressão controlada em modelo canino de lesão pulmonar aguda: efeitos cardiorrespiratórios e sobre o custo de oxigênio da respiração

Volume controlled ventilation versus pressure controlled ventilation in a canine acute lung injury model: effects on cardiorespiratory parameters and oxygen cost of breathing

Bruno do Valle Pinheiro, Marcelo Alcântara Holanda, Célia Mallart Larges, Oswaldo Shigueomi Beppu

J Bras Pneumol.2002;28(1):15-22

Resumo PDF PT English Text

Introdução: Persiste a questão sobre se há vantagens mecânicas ou de trocas gasosas no uso da ventilação pressão-controlada (VPC) sobre a ciclada a volume (VCV). Objetivos: Comparar, de forma randômica, a VPC com a VCV com fluxo desacelerado nos modos assistido e controlado em modelo experimental de lesão pulmonar aguda. Métodos: Sete cães com lesão pulmonar aguda grave (PaO2/FIO2 < 100mmHg) induzida por ácido oléico intravenoso (0,05mg/kg) foram ventilados em VPC ou VCV, mantidos constantes o volume corrente e o tempo inspiratório. Nas duas modalidades os animais foram ventilados por 40 minutos no modo assistido seguido do modo controlado após curarização. Resultados: Não houve diferenças em relação às trocas gasosas (PaO2 e PaCO2), ao débito, ao transporte de oxigênio e à mecânica respiratória entre a VCV e a VPC. O consumo de oxigênio (VO2) após a curarização foi semelhante (124 ± 48 na VCV versus 143 ± 50ml/min na VPC, com p = 0,42) Entretanto, no modo assistido, houve tendência de maior VO2 na VPC (219 ± 72 versus 154 ± 67ml/min na VCV, p = 0,06). Isso associou-se a tendência de maior custo de oxigênio da respiração (COR) naquela modalidade, embora sem diferença estatística significante (31 ± 77 na VCV versus 75 ± 96ml/min na VPC, p = 0,23) e menor PvO2 (34 ± 7 versus 42 ± 6ml/min na VCV, p = 0,02). O pico de fluxo inspiratório nos ciclos assistidos foi maior na VPC (58 ± 9 versus 48 ± 4L/min na VCV, p = 0,01). A instituição da ventilação controlada por curarização reduziu em cerca de 20% o débito cardíaco e o DO2 em relação ao modo assistido, tanto na VCV quanto na VPC. Conclusões: Em um modelo de insuficiência respiratória grave, com elevado COR, a manutenção da ventilação controlada em relação à assistida melhorou a relação entre oferta e consumo de oxigênio. A VPC não trouxe benefícios às trocas gasosas ou à mecânica pulmonar em relação à VCV, podendo aumentar o COR no modo assistido no presente modelo.

 


Palavras-chave: Respiração artificial. Troca gasosa pulmonar. Volume de ventilação pulmonar.

 

5 - Modelo experimental de enfisema pulmonar em ratos induzido por papaína

Papain-induced experimental pulmonary emphysema model in rats

Laerte Brasiliense Fusco, Paulo M. Pêgo-Fernandes, Alexandre Martins Xavier, Rogério Pazetti, Dolores Helena Rodriguez Ferreira Rivero, Vera Luiza Capelozzi, Fábio Biscegli Jatene

J Bras Pneumol.2002;28(1):1-7

Resumo PDF PT English Text

Objetivo: Com a finalidade de estabelecer uma linha de pesquisa em cirurgia redutora de volume pulmonar, foi proposta a reprodução de um modelo experimental de enfisema em ratos através da instilação intratraqueal de papaína. Métodos: Foi feita a instilação orotraqueal de papaína (20mg/kg) dissolvida em 3,5ml/kg de solução fisiológica a 0,9%. Após 40 dias da instilação, os animais foram submetidos a mecânica ventilatória, com medidas de elastância e resistência do sistema respiratório, e sacrificados com retirada dos pulmões. O tecido pulmonar dos animais foi analisado qualitativamente com coloração de hematoxilina-eosina e submetido à análise morfométrica com medida do diâmetro alveolar médio. O tecido pulmonar foi também submetido à coloração de resorcina-fucsina, para identificação de fibras elásticas, que foram quantificadas em septos alveolares através de análise digital de imagem. Resultados: A análise histológica dos pulmões dos animais submetidos à instilação de papaína mostrou um enfisema pan-acinar, com rotura de septos alveolares e hiperdistensão alveolar. A análise morfométrica revelou médias superiores de diâmetro alveolar médio nos pulmões dos animais submetidos à papaína (149,08μm e 100,56μm), em comparação com o grupo de solução fisiológica (64,08μm e 75,90μm). A quantificação de fibras elásticas de septos alveolares de animais tratados com papaína foi 70% menor do que a de animais submetidos à solução fisiológica. A mecânica ventilatória não mostrou diferença na resistência do sistema respiratório de animais submetidos à papaína ou à solução fisiológica. Já no caso da elastância do sistema respiratório, esta foi menor nos animais do grupo com papaína, em comparação com o grupo com solução fisiológica, demonstrando comportamento funcional do grupo com papaína compatível com enfisema pulmonar, apresentando diminuição da capacidade de recolhimento elástico do tecido pulmonar. Conclusão: Foi possível reproduzir um modelo experimental de enfisema pulmonar pan-acinar em ratos, através da instilação de papaína pela árvore respiratória, com comprovação funcional e morfológica.

 


Palavras-chave: Enfisema pulmonar. Modelo experimental. Papaína. Ratos. Instilação de medicamentos.

 

6 - Tuberculose pulmonar: achados na tomografia computadorizada de alta resolução do tórax em pacientes com doença em atividade comprovada bacteriologicamente

Pulmonary tuberculosis: findings on high resolution computerized tomography of active disease on patients with bacteriological confirmation

Cristiane Aló Campos, Edson Marchiori, Rosana Rodrigues

J Bras Pneumol.2002;28(1):23-29

Resumo PDF PT English Text

Objetivo: Descrever os achados em pacientes com tuberculose pulmonar em atividade na tomografia computadorizada de alta resolução e o padrão de distribuição das lesões pelo parênquima pulmonar. Casuística e método: Foram analisadas retrospectivamente as tomografias de alta resolução de 42 pacientes com diagnóstico bacteriológico de tuberculose pulmonar ou forte suspeita clínica, com posterior confirmação bacteriológica. Resultados: Os principais sinais sugestivos de atividade encontrados foram nódulos do espaço aéreo (83%), nódulos centrolobulares (74%), aspecto de árvore em brotamento (67%), cavitações (67%), espessamento das paredes brônquicas (55%), consolidações (48%), opacidade em vidro fosco (21%), e espessamento do interstício pulmonar (9%). Conclusão: A tomografia computadorizada de alta resolução do tórax pode sugerir fortemente atividade da doença, sendo particularmente útil nos pacientes com baciloscopias negativas e/ou radiografias indeterminadas, permitindo a instituição de tratamento adequado, antes mesmo do crescimento da micobactéria em meio de cultura.

 


Palavras-chave: Tuberculose pulmonar. Tomografia computadorizada

 

7 - Contribuição da biópsia pulmonar a céu aberto na avaliação de pneumopatias difusas e agudas em unidade de terapia intensiva pediátrica

Role of the open lung biopsy in the evaluation of undiagnosed acute lung disease in a pediatric intensive care unit

Albert Bousso, Evandro Roberto Baldacci, José Carlos Fernandes, Iracema de Cássia Oliveira Fernandes, Andréa Maria Gomes Cordeiro, José Pinhata Otoch, Bernardo Ejzenberg, Yassuhiko Okay

J Bras Pneumol.2002;28(1):30-40

Resumo PDF PT English Text

Introdução: Os dados clínico-laboratoriais convencionais raramente fornecem o diagnóstico em pneumopatias difusas. O objetivo deste estudo foi avaliar o papel da biópsia pulmonar a céu aberto no que se refere ao seu potencial diagnóstico, ao impacto dos resultados sobre a conduta clínica e à incidência de complicações do procedimento. Material e métodos: No período de janeiro/1987 a janeiro/1997, 29 biópsias pulmonares foram realizadas em crianças com pneumopatias difusas, em insuficiência respiratória aguda, sem etiologia e sem resposta à terapêutica empírica prévia. Foram excluídos os recém-nascidos, crianças com pneumopatias crônicas prévias e crianças com coagulopatia ou choque intratáveis. Todas as biópsias foram realizadas através de microtoracotomia no pulmão mais acometido ao exame radiológico. O fragmento de tecido pulmonar foi analisado por meio de culturas e de exames de microscopia ótica, eletrônica e imunofluorescência. Resultados: O processamento do material da biópsia forneceu pelo menos um diagnóstico histopatológico em todas as crianças estudadas (100%) e em 20 (68,9%) obteve-se um diagnóstico etiológico. Os principais diagnósticos histopatológicos foram: pneumonite intersticial não específica com fibrose variável em 18 casos; bronquiolite em oito casos e hipertensão pulmonar em três casos. Nos diagnósticos etiológicos, os principais agentes foram: citomegalovírus em seis crianças; Pneumocystis carinii em três; adenovírus em três e infecção pelo vírus respiratório sincicial em três casos. Os resultados geraram mudanças no tratamento em 20 casos (68,9%). As principais alterações de conduta foram a introdução de corticoterapia em 14 pacientes e a revisão da antibioticoterapia em seis. Sete casos (24,1%) apresentaram complicações, que foram resolvidas, e nenhum óbito foi relacionado ao procedimento. Conclusão: Conclui-se que a biópsia pulmonar a céu aberto é um procedimento que, mesmo invasivo, deve ser considerado na avaliação de crianças com pneumopatias difusas graves, sem etiologia definida, sem resposta à terapêutica previamente instituída e em insuficiência respiratória.

 


Relato de Caso

8 - Tumor de células granulares endobrônquico: relato de um caso diagnosticado por biópsia endoscópica

Endobronchial granular cell tumor: report of a case diagnosed by endoscopic biopsy

Ayrton Schneider Filho, Carlos Renato Almeida Melo, Alessandra Naimaier Bertolazi, Carlos Eurico da Luz Pereira

J Bras Pneumol.2002;28(1):51-54

Resumo PDF PT English Text

Tumor de células granulares (TCG) é um termo descritivo para um tumor com histologia distintiva, perfil imunohistoquímico característico e achados ultra-estruturais peculiares. Tem distribuição topográfica ampla e sua localização nas vias aéreas é considerada incomum. Os autores relatam o caso de uma mulher de 40 anos com tosse produtiva e febre há dois meses e exame físico normal. A tomografia computadorizada evidenciou espessamento de parede do brônquio intermediário e a broncoscopia mostrou, nesse nível, hiperemia e elevação da mucosa endobrônquica. Os exames histopatológicos e imunohistoquímico dos tecidos deste local diagnosticaram TCG. O objetivo do presente relato é chamar a atenção para a possibilidade de diagnóstico desse tumor em pequenas biópsias endoscópicas.

 


Palavras-chave: Neoplasias de tecido muscular. Tumor de células granulares. Biópsia. Diagnóstico.

 

9 - Pneumotórax recidivante secundário à agenesia do diafragma

Recurrent pneumothorax secondary to agenesis of the diaphragm

Camila Baracat Mendina, Paulo Manuel Pêgo-Fernandes, Fábio Biscegli Jatene

J Bras Pneumol.2002;28(1):48-50

Resumo PDF PT English Text

Os autores relatam um caso de pneumotórax recidivante secundário à agenesia do diafragma em mulher de 36 anos de idade. O diagnóstico foi realizado pela história clínica e radiografia de tórax. Optada pela correção cirúrgica, foi diagnosticada a agenesia de diafragma e realizada pleurodese. No segundo mês de pós-operatório, perante um novo episódio de pneumotórax, optou-se por laqueadura das trompas para impedir a entrada de ar no abdome no período ovulatório e, conseqüentemente, evitar novos episódios de pneumotórax.

 


Palavras-chave: Diafragma. Agenesia. Pneumotórax. Recidiva.

 

Artigo de Revisão

10 - Epidemiologia do câncer do pulmão

Lung cancer epidemiology

Mauro Zamboni

J Bras Pneumol.2002;28(1):41-47

Resumo PDF PT English Text

O câncer do pulmão, de doença rara no início do século XX, tornou-se a neoplasia mais letal em todo o mundo. Essa mudança se iniciou na segunda década do século, quando se observou que o número de casos vinha aumentando em todo o mundo. Somente na década de 1950 os trabalhos da literatura demonstraram, pela primeira vez, que o aparecimento do câncer do pulmão estava relacionado intimamente ao tabagismo. Foram necessários mais 10 anos para que os trabalhos de Doll e Hill convencessem o público e as autoridades de que o tabagismo era a mais importante causa da doença. O câncer do pulmão é dividido em quatro diferentes tipos: escamoso, adenocarcinoma, carcinoma de pequenas células e carcinoma de grandes células. Atualmente, sabe-se que tanto o carcinoma escamoso quanto o carcinoma indiferenciado de pequenas células e o adenocarcinoma estão relacionados com o tabagismo. A maioria dos carcinógenos ocupacionais dá origem a tumores do pulmão com distribuição histológica semelhante àquela causada pela fumaça do tabaco.

 


Palavras-chave: Câncer do pulmão. Epidemiologia.

 

Relato de Caso

11 - Tuberculoma cerebral

Cerebral tuberculoma

Elizabeth Clara Barroso, Tânia Regina Brígico de Oliveira, Ana Maria Dantas do Amaral, Valéria Góes Ferreira Pinheiro, Ana Lúcia de Oliveira Sousa

J Bras Pneumol.2002;28(1):55-58

Resumo PDF PT English Text

Relata-se o caso de paciente com crises convulsivas de início recente. A tomografia computadorizada cerebral evidenciou imagem sugestiva de lesão expansiva metastática frontoparietal direita. A investigação de tumor primário ou outra doença foi negativa e o exame histopatológico do tecido cerebral diagnosticou tuberculoma. As convulsões foram controladas com a associação de hidantoína 300mg/dia ao esquema específico, utilizado por 18 meses. A tuberculose do sistema nervoso central representa 5-15% das formas extrapulmonares e é reconhecida como de alta letalidade. Apresentação tumoral como a relatada é rara, particularmente em imunocompetentes. Quando tratada, pode ter bom prognóstico e deve entrar sempre no diagnóstico diferencial de massas cerebrais.

 


Palavras-chave: Tuberculoma intracraniano. Tuberculose do sistema nervoso central. Diagnóstico.

 

Cartas ao Editor

12 - Zémaria, a tosse e a fé no tratamento da tuberculose

Fernando Augusto Fiuza de Melo

J Bras Pneumol.2002;28(1):60-

PDF PT


 


O Jornal Brasileiro de Pneumologia está indexado em:

Latindex Lilacs SciELO PubMed ISI Scopus Copernicus pmc

Apoio

CNPq, Capes, Ministério da Educação, Ministério da Ciência e Tecnologia, Governo Federal, Brasil, País Rico é País sem Pobreza
Secretaria do Jornal Brasileiro de Pneumologia
SCS Quadra 01, Bloco K, Salas 203/204 Ed. Denasa. CEP: 70.398-900 - Brasília - DF
Fone/fax: 0800 61 6218/ (55) (61) 3245 1030/ (55) (61) 3245 6218
E-mails: jbp@jbp.org.br
jpneumo@jornaldepneumologia.com.br

Copyright 2017 - Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia

Logo GN1