Jornal Brasileiro de Pneumologia

ISSN (on-line): 1806-3756

ISSN (impressa): 1806-3713

SCImago Journal & Country Rank
Busca avançada

Ano 2002 - Volume 28  - Número 5  (Setembro/Outubro)






Editorial

1 - A honra de poder servir à Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT)

Thaís Helena Abrahão Thomaz Queluz

J Bras Pneumol.2002;28(5):v-

PDF PT


Artigo Original

2 - Estudo comparativo dos fatores prognósticos entre os pacientes com maior e menor sobrevida em portadores de carcinoma broncogênico

Comparative study of prognostic factors among longer and shorter survival patients with bronchogenic carcinoma

Sérgio Jamnik, Ilka Lopes Santoro, César Uehara

J Bras Pneumol.2002;28(5):245-249

Resumo PDF PT English Text

Apesar dos avanços no tratamento, há pouca melhora na sobrevida dos pacientes com câncer do pulmão. Atualmente, é importante o conhecimento dos fatores que intervêm na sobrevida. Objetivos: Verificar possíveis diferenças de fatores prognósticos em duas populações de pacientes com câncer de pulmão, uma com pequena sobrevida (menos de seis meses) e outra com maior sobrevida (acima de 24 meses). Métodos: De 1997 a 1999 foram estudados 52 pacientes com diagnóstico histopatológico de carcinoma homogênico, sendo colhidos dados demográficos, clínicos, paramétricos, hábitos tabágicos, índice de Karnofsky, estadiamento da doença e dosagem laboratorial de desidrogenase lática, fosfatase alcalina, antígeno carcinoembrionário e cálcio. Resultados: 29 pacientes tiveram sobrevida menor do que seis meses e 23, superior a 24 meses. Os três fatores mais importantes que influenciaram o tempo curto de sobrevida foram baixo índice de Karnofsky inicial, redução do apetite e alto nível sérico de DHL. Conclusão: Os três componentes do prognóstico são o estado físico atual, o estado físico prévio e o estado atual da doença.

 


3 - Avaliação do risco de contaminação por bactérias, no paciente submetido à broncoscopia, após o reprocessamento do broncoscópio

Evaluation of the risk of bacterial contamination in the patient submitted to bronchoscopy, after reprocessing the bronchoscope

Nancy Spekla Grande, Romilda Aparecida Nakayama, Antonia Maria de Oliveira Machado, Fábio Akio Yamaguti, Cesar Uehara

J Bras Pneumol.2002;28(5):250-260

Resumo PDF PT English Text

Introdução: A broncoscopia é um procedimento diagnóstico e terapêutico realizado com a introdução nas vias aéreas de um tubo flexível que permite visualizar até as menores delas. Para evitar ou reduzir o risco de infecções, o broncoscópio deve ser adequadamente desinfetado com, pelo menos, desinfecção de alto nível. Objetivo: Verificar se há risco de contaminação bacteriana para os pacientes submetidos à broncoscopia do Hospital São Paulo da Unifesp, Estado de São Paulo. Métodos: No período de 1997 a 1998, o reprocessamento do broncoscópio incluiu limpeza e enxágüe com água estéril ou potável, seguida de rinsagem com glutaraldeído a 2% por 20 minutos, novo enxágüe com água estéril ou potável e rinsagem com álcool etílico a 70% e secagem com ar forçado pelo canal de sucção. Foram colhidas amostras de 65 pacientes para exames microbiológicos, instalando-se soro fisiológico estéril pelo canal de sucção do broncoscópio. Resultados: Após o reprocessamento foram encontrados nas amostras Staphylococcus epidermidis, Enterobacter sp, Acinetobacter baumanni, Streptococcus viridans, Staphylococcus aureus, Streptococcus beta hemoliticus A, Staphylococcus coagulase negativa e em cinco amostras houve crescimento de microbactéria na cultura. Conclusões: A desinfecção do broncoscópio com glutaraldeído a 2% não foi suficiente para garantir a desinfecção do aparelho e a presença de Staphylococcus epidermidis indica que houve contaminação do broncoscópio pela manipulação após a desinfecção.

 


4 - Ambiente e pulmão

Environment and lung

Maria João Marques Gomes

J Bras Pneumol.2002;28(5):261-269

Resumo PDF PT English Text

Resumo: O organismo humano está exposto às mais diversas agressões do ambiente; acidentes, agressões físicas, químicas e microbiológicas constituem um permanente risco para o organismo. O aparelho respiratório está particularmente exposto às agressões do ambiente e é freqüentemente sede de alterações de maior ou menor intensidade e gravidade. Revêem-se neste trabalho os efeitos da poluição atmosférica sobre o aparelho respiratório. Definem-se poluição atmosférica, poluição do exterior e dos interiores e poluição primária e secundária. Revêem-se sumariamente os mecanismos de defesa do aparelho respiratório e descrevem-se as ações deletérias dos diferentes poluentes atmosféricos para as vias aéreas: SO2, NO2, Co, O3, aerossóis e partículas. Destaca-se a ação do fumo do tabaco atendendo à sua importância para a saúde. Termina-se tecendo alguns comentários sobre a intervenção que a pneumologia e os pneumologistas devem ter nesta área, chamando a atenção para a comunidade e para as autoridades, para os riscos da poluição para a saúde em geral e, em particular, para o aparelho respiratório.

 


5 - Estudo do metabolismo da glicose na tuberculose pulmonar ativa utilizando a tomografia por emissão de pósitrons (18F-FDG PET)

Evaluation of glucose metabolism in active lung tuberculosis by positron-emission tomography (18F-FDG PET)

Sidney Bombarda, José Soares Júnior, Mário Terra Filho

J Bras Pneumol.2002;28(5):270-276

Resumo PDF PT English Text

Os métodos de imagem utilizados na avaliação da tuberculose pulmonar incluem a radiografia e a tomografia computadorizada do tórax. As imagens obtidas pelos métodos de medicina nuclear permitem estudos funcionais e metabólicos dos órgãos de interesse, através do uso de radiofármacos específicos. Alterações do metabolismo da glicose podem ser detectadas pela tomografia por emissão de pósitrons (PET) utilizando-se o 18F-fluorodesoxiglicose (18F-FDG). Essas alterações estão presentes nas doenças neoplásicas, inflamatórias e infecciosas. A tuberculose é uma doença granulomatosa causada pelo Mycobacterium tuberculosis, que se utiliza de glicose como fonte de energia. Objetivo: O estudo do metabolismo da glicose na tuberculose pulmonar através da PET e sua comparação com a tomografia computadorizada de tórax. Material e métodos: Foram avaliados 20 pacientes portadores de tuberculose pulmonar. Todos foram submetidos à PET e à tomografia computadorizada de tórax, em até 30 dias após o início do tratamento. Resultados: Todos os pacientes apresentaram captação positiva do 18F-FDG na PET. Na tomografia computadorizada do tórax, todos os pacientes apresentaram sinais compatíveis com atividade de tuberculose. A sensibilidade dos dois métodos foi de 100%. Houve concordância entre os achados do 18F-FDG PET e da tomografia computadorizada (K = 0,27 e p < 0,001). Conclusões: Concluiu-se, através do 18F-FDG PET, que o metabolismo da glicose está alterado na tuberculose pulmonar e que há concordância com as alterações anatômicas observadas pela tomografia computadorizada do tórax.

 


Relato de Caso

6 - Uso de terapias não convencionais no manejo da crise aguda de asma refratária

Non-conventional therapies to manage refractory acute asthma attack

Raquel Hermes Rosa Oliveira, Alexandre de Oliveira Ribeiro, Gustavo Adolpho Junqueira Amarante, Miguel Lia Tedde

J Bras Pneumol.2002;28(5):277-280

Resumo PDF PT English Text

Uma paciente em crise aguda de asma, refratária ao uso de b2-agonista inalatório e intravenoso, aminofilina intravenosa e corticóide, em ventilação mecânica, foi tratada com métodos terapêuticos não convencionais: broncoscopia, lavado broncoalveolar com N-acetilcisteína e ventilação com halotano. Houve melhora dos parâmetros ventilatórios após o lavado e a resolução do broncoespasmo ocorreu após a anestesia, propiciando a extubação e alta da UTI. É feita uma revisão da literatura sobre o uso desses métodos na crise aguda de asma.

 


7 - Pneumonia eosinofílica crônica

Chronic eosinophilic pneumonia

Alessandra Isabel Zille, Christiano Perin, Geraldo Resin Geyer, Jorge Lima Hetzel, Adalberto Sperb Rubin

J Bras Pneumol.2002;28(5):281-284

Resumo PDF PT English Text

Pneumonia eosinofílica crônica é uma entidade clínica rara que se caracteriza por infiltração alveolar e intersticial eosinofílica, de causa desconhecida. Os autores descrevem o caso de uma mulher branca de 49 anos, admitida por dispnéia aos mínimos esforços, de início insidioso e progressivo havia seis meses. Apresentava eosinofilia sérica e no escarro, radiografias de tórax com áreas de infiltração multifocais de distribuição irregular em ambos os pulmões e, na avaliação funcional pulmonar, distúrbio restritivo. O exame histopatológico de tecido pulmonar obtido por biópsia a céu aberto evidenciou pneumonia eosinofílica crônica. Houve marcada melhora clínica, radiológica e funcional após corticoterapia.

 


8 - Derrame pleural: uma complicação extra-intestinal da doença de Crohn

Pleural effusion: an extraintestinal complication of Crohn's disease

Elie Fiss, Flavio Steinwaurz, Andrea Barranjard Vannucci, Camila de Menezes Succi

J Bras Pneumol.2002;28(5):285-287

Resumo PDF PT English Text

Paciente de 34 anos, portadora de doença de Crohn (DC) havia oito anos, foi atendida queixando-se de dor torácica e febre, sem manifestações gastrointestinais. Testes laboratoriais mostraram atividade inflamatória (VHS = 45mm, PCR positivo). O exame físico revelou derrame pleural na base do hemitórax esquerdo, confirmado pela radiografia de tórax. A análise do líquido pleural mostrou 100% de linfócitos, com BAAR negativo. A biópsia pleural evidenciou granuloma não caseoso. Foi instituída terapia para tuberculose, sem sucesso, com regressão dos sintomas apenas após reintrodução de altas doses de corticosteróide, sugerindo atividade da DC como causa do derrame pleural.

 


Artigo de Revisão

9 - Síndrome de veia cava superior

Superior vena cava syndrome

Samuel Zuínglio de Biasi Cordeiro, Paulo de Biasi Cordeiro

J Bras Pneumol.2002;28(5):288-293

Resumo PDF PT English Text

A obstrução ao fluxo sanguíneo na VCS e suas manifestações clínicas têm hoje como causa principal o câncer de pulmão. A história relata que no século XVIII a sífilis e a tuberculose eram responsáveis por 40% dos casos conhecidos. O conhecimento das alterações hemodinâmicas compreendidas nesta síndrome assim como a apuração das técnicas de diagnóstico de imagem e de citopatologia permitem hoje que o médico possa tratar de seu paciente com mais segurança e conforto do que há 10 anos. A TC contrastada e a RM auxiliam no diagnóstico de localização da obstrução e técnicas mais antigas como a cavografia puderam ser abandonadas. O diagnóstico de obstrução da VCS e o estudo por Doppler realizado à beira do leito em muito contribuem para a realização de procedimentos de desobstrução como a angioplastia transluminal percutânea nos casos de trombose ou estenose do vaso. Também a utilização de próteses como PTFE é de importância fundamental na condução de casos de lesão traumática da VCS durante cirurgias para câncer pulmonar ou mediastinal. No campo da radioterapia, a técnica de fracionamento permite que altas doses de irradiação sejam administradas aos pacientes portadores de neoplasias malignas, com benefícios em 70% dos casos.

 


10 - Protocolos de rastreamento para o diagnóstico precoce do câncer de pulmão: passado, presente e futuro

Screening for lung cancer: past, present and future

Thamine Lessa E.S. Andrade, Soria Ramos-Barbosa, Jorge L. Pereira-Silva

J Bras Pneumol.2002;28(5):294-301

Resumo PDF PT English Text

O carcinoma brônquico é, de todos, o de maior letalidade, responsabilizando-se, anualmente, por maior número de óbitos do que aqueles decorrentes do câncer do cólon, mama e próstata juntos. Seguindo seu curso natural, mais de 50% dos pacientes têm metástases a distância e somente 20 a 25% são potencialmente ressecáveis no momento do diagnóstico, com perspectiva de sobrevida em cinco anos de apenas 14%. Os protocolos de rastreamento, baseados em radiografias do tórax e citologia do escarro, realizados há 30 anos com o intuito de estabelecer o diagnóstico precoce, mostraram maior índice de ressecabilidade e melhores taxas de sobrevida, porém sem causar impacto na redução da mortalidade específica. Nos últimos anos, com o advento da tomografia computadorizada helicoidal de baixa dose e de novas técnicas para análise das secreções respiratórias e da mucosa brônquica, com o potencial para identificar casos de câncer de pulmão em fases mais precoces de sua evolução natural, os protocolos de rastreamento voltam a despertar o interesse. Os autores revisam os protocolos de rastreamento realizados no passado, assim como analisam os estudos prospectivos mais recentes e discutem as perspectivas futuras, destacando suas principais limitações, os problemas metodológicos no seu delineamento e principais vieses que comprometem a interpretação dos resultados.

 


Cartas ao Editor

 


O Jornal Brasileiro de Pneumologia está indexado em:

Latindex Lilacs SciELO PubMed ISI Scopus Copernicus pmc

Apoio

CNPq, Capes, Ministério da Educação, Ministério da Ciência e Tecnologia, Governo Federal, Brasil, País Rico é País sem Pobreza
Secretaria do Jornal Brasileiro de Pneumologia
SCS Quadra 01, Bloco K, Salas 203/204 Ed. Denasa. CEP: 70.398-900 - Brasília - DF
Fone/fax: 0800 61 6218/ (55) (61) 3245 1030/ (55) (61) 3245 6218
E-mails: jbp@jbp.org.br
jpneumo@jornaldepneumologia.com.br

Copyright 2017 - Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia

Logo GN1