Jornal Brasileiro de Pneumologia

ISSN (on-line): 1806-3756

ISSN (impressa): 1806-3713

Busca avançada

Ano 2003 - Volume 29  - Número 2  (Março/Abril)






Editorial

1 - Pleurodese: qual agente deve ser utilizado?

Richard W. Light

J Bras Pneumol.2003;29(2):53-54

PDF PT


2 - Fatores de risco para tuberculose multirresistente adquirida

Afrânio Lineu Kritski

J Bras Pneumol.2003;29(2):55-56

PDF PT


Artigo Original

3 - Pleurodese induzida pela injeção intrapleural de nitrato de prata ou talco em coelhos: há perspectivas para o uso em humanos?

Pleurodesis induced by intrapleural injection of silver nitrate or talc in rabbits. Can it be used in humans?

Francisco S. Vargas, Leila Antonangelo, Marcelo A.C. Vaz, Evaldo Marchi, Vera Luiza Capelozzi, Eduardo H. Genofre, Lisete R. Teixeira

J Bras Pneumol.2003;29(2):57-63

Resumo PDF PT English Text

Objetivo do estudo: Avaliar as alterações pleuropulmonares causadas pela injeção intrapleural de talco ou nitrato de prata em modelo experimental, com o intuito de considerar sua utilização em humanos. Método: 112 coelhos foram aleatoriamente escolhidos para receber, no espaço pleural, 400mg/kg de talco em 2ml de solução salina ou 2ml de nitrato de prata a 0,5%, sendo oito animais, em cada grupo, sacrificados após um, dois, quatro, seis, oito, 10 ou 12 meses. Em relação à cavidade pleural, foram analisados o grau de pleurodese macroscópica (aderências) e as alterações microscópicas representadas por inflamação e fibrose dos folhetos pleurais. O parênquima foi avaliado quanto ao grau de colapso alveolar, edema dos septos interalveolares e celularidade em escore de 0 a 4. Resultados: A injeção intrapleural de nitrato de prata produziu pleurodese mais precoce e mais intensa do que a injeção de talco. A lesão parenquimatosa foi mais evidente com nitrato de prata, sendo considerada de grau moderado e restrita à primeira avaliação (um mês). A partir do segundo mês, e durante todo o seguimento de um ano, a lesão parenquimatosa foi semelhante com ambas as substâncias, sendo apenas as aderências pleurais mais intensas com nitrato. Conclusões: O nitrato de prata intrapleural produz melhor e mais duradoura pleurodese do que a injeção intrapleural de talco. As alterações parenquimatosas, apesar de discretas, são mais pronunciadas com o uso de nitrato de prata, sendo, porém, mínimas após dois meses e semelhantes, durante todo o período de observação de um ano, às encontradas com o uso do talco. Esses efeitos sobre o parênquima pulmonar não contra-indicam seu uso em seres humanos. Dessa forma, o uso do nitrato de prata intrapleural, com o intuito de produzir rápida e efetiva pleurodese, pode ser considerado nos pacientes em que se deseja a sínfise da cavidade pleural.

 


Palavras-chave: Pleurodese. Talco. Nitrato de prata. Derrame pleural.

 

4 - Padrão do sono em pacientes portadores de doença pulmonar obstrutiva crônica e correlação entre variáveis gasométricas, espirométricas e polissonográficas

Sleep pattern in patients with COPD and correlation among the gasometric, spirometric, and polysomnographic variants

Carlos Eduardo Ventura Gaio dos Santos, Carlos Alberto de Assis Viegas

J Bras Pneumol.2003;29(2):69-74

Resumo PDF PT English Text

Objetivos: Pouco se investigou o sono de pacientes portadores de doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) estabelecendo comparações entre parâmetros funcionais e polissonográficos. Este estudo objetiva descrever o sono desses indivíduos e correlacionar variáveis espirométricas, gasométricas e polissonográficas. Métodos: Estudo transversal em portadores de DPOC, avaliando espirometria, gasometria arterial e polissonografia. Resultados: Avaliados 21 pacientes masculinos com idade = 67 ± 9 anos, na escala de sonolência de Epworth (ESE) = 7 ± 4 pontos, índice de Tiffenau (VEF1/CVF) = 54 ± 13,0%, PaO2 = 68 ± 11mmHg, PaCO2 = 37 ± 6mmHg. A eficiência do sono foi diminuída (65 ± 16%) com redução do sono de ondas lentas (8 ± 9%) e da fase do sono de movimento rápido dos olhos (REM) (15 ± 8%). T90 médio = 43 ± 41% . Índice de apnéia-hipopnéia médio = 2,9 ± 5,2/h, sendo que dois pacientes (9,5%) apresentaram apnéia obstrutiva do sono. Observou-se correlação significativa entre PaO2 e T90 (p < 0,01), PaCO2 e T90 (p < 0,05) e IAH e freqüência cardíaca durante o REM (p < 0,01). Foi também observado elevado número de despertares e de mudanças de estágio. Não houve correlações lineares entre variáveis espirométricas e polissonográficas. Conclusões: Observou-se má qualidade de sono nesses pacientes, caracterizada por baixa eficiência do sono e elevado número de despertares e mudanças de estágios. Não foram observadas correlações entre variáveis espirométricas e polissonográficas.

 


4 - Perfil de uma população brasileira com doença pulmonar obstrutiva crônica grave

Profile of a Brazilian population with chronic obstructive pulmonary disease

Mateo Sainz Yaksic, Mauro Tojo, Alberto Cukier, Rafael Stelmach

J Bras Pneumol.2003;29(2):64-68

Resumo PDF PT English Text

A doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) é um problema de saúde pública. O tabagismo é a principal causa, porém não a única. Poluição ambiental, exposição a químicos, fumaça inalada, tabagismo passivo, infecções virais e bacterianas também são considerados fatores de risco importantes. Sexo e peso correlacionam-se com a gravidade da doença. Co-morbidades são freqüentes. Objetivo: Caracterizar uma população de pacientes com DPOC acompanhados de forma ambulatorial em um serviço terciário de saúde. Material e métodos: Foram aplicados questionários padronizados em pacientes com DPOC. Os dados coletados incluíram: sexo, idade, peso, índice de massa corpórea (IMC), VEF1 e uso de oxigênio domiciliar, tabagismo, contato com fumaça de lenha, antecedentes de tuberculose pulmonar e moléstias associadas. Resultados: Dos 70 pacientes incluídos, 70% eram homens. A média de idade foi de 64 ± 10 anos; de peso, 63 ± 16kg e o IMC médio, de 22 ± 5kg/m². O VEF1 médio do grupo foi 35 ± 14% e 45,7% eram dependentes de oxigênio. Nove (12,8%) nunca fumaram, 78,8% eram ex-tabagistas, com tempo médio de tabagismo de 38 ± 11 anos/maço e nove haviam fumado cigarro de palha. Dezoito (25,7%) tiveram exposição à fumaça de lenha. Onze (15,7%) relataram tuberculose; 5,7% apresentaram sinais e sintomas de asma; 2,8%, bronquiectasias; 11,4%, diabetes melito; 51,4%, hipertensão arterial e 20%, cor pulmonale. Conclusão: Outras etiologias possíveis de DPOC devem ser investigadas. A fumaça inalada associada a infecções pulmonares pregressas podem ser determinantes na injúria pulmonar. Homens com menor massa corpórea representam essa população com DPOC grave. Hipertensão sistêmica e cor pulmonale são achados freqüentes.

 


6 - Inalantes no tratamento da asma: avaliação do domínio das técnicas de uso por pacientes, alunos de medicina e médicos residentes

Inhaled medication on asthma management: evaluation of how asthma patients, medical students, and doctors use the different devices

Janaína Barbosa Muniz, Carlos Roberto Padovani, Irma Godoy

J Bras Pneumol.2003;29(2):75-81

Resumo PDF PT English Text

A asma resulta da combinação de três características essenciais: obstrução das vias aéreas, hiper-responsividade brônquica e inflamação. O uso dos inalantes com técnica inadequada tem sido apontado como um dos responsáveis pelo fracasso terapêutico. O objetivo deste estudo foi avaliar o domínio da técnica de uso das medicações inalatórias de 20 estudantes do 6º ano médico, 36 médicos residentes em Clínica Médica/Pediatria e de 40 pacientes. Os pacientes eram acompanhados no Ambulatório de Pneumologia do HC/Unesp e estavam em uso de medicação inalatória durante pelo menos seis meses. Os dispositivos avaliados foram: nebulímetros pressurizados (NEPS), nebulímetros com espaçadores (ESP) e inaladores de pó seco (IPS). A técnica foi observada e pontuada por examinador único, de acordo com protocolo apropriado. Os profissionais de saúde demonstraram a técnica com os três tipos de inalantes citados, enquanto os pacientes foram avaliados somente nos que faziam parte do seu tratamento. O NEP foi o dispositivo mais conhecido tanto por médicos quanto por pacientes. Para o NEP, os erros mais comuns, em todos os grupos estudados, foram os relacionados com a coordenação entre a inspiração e o acionamento do dispositivo. Para o IPS, foi a não realização da expiração máxima antes da inalação do medicamento. Foi observado que os pacientes apresentavam grande carência de informações precisas quanto ao uso dos dispositivos e que os profissionais desconheciam a técnica ou sentiam-se inseguros quanto à melhor forma de ensinar seus pacientes, optando, muitas vezes, por não orientá-los.

 


7 - Mortalidade por pneumoconioses nas macrorregiões do Brasil no período de 1979-1998

Mortality due to pneumoconioses in macro regions of Brazil in the 1979-1998 period

Hermano Albuquerque de Castro, Genésio Vicentin, Kellen Cristina Xavier Pereira

J Bras Pneumol.2003;29(2):82-88

Resumo PDF PT English Text

As pneumoconioses representam um conjunto de doenças pulmonares relacionadas à exposição às poeiras minerais nos ambientes de trabalho. Constituem um problema de saúde pública, visto que poderia ser uma doença já erradicada em nosso meio com o uso de medidas de controle nesses ambientes. O objetivo deste trabalho foi realizar um mapeamento da distribuição de mortalidade das pneumoconioses nas regiões geográficas e nos Estados da Federação brasileira através de um estudo ecológico que utilizou como denominador a população ativa acima de 15 anos. Apresenta-se o resultado preliminar dessa investigação nas macrorregiões referente ao período de 1979 a 1998. Utilizou-se a informação de mortalidade do Sistema de Informações de Mortalidade (SIM) do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (Datasus), incluindo-se os códigos da Classificação Internacional de Doenças (CID) 9 e da CID 10. Verificou-se tendência crescente do coeficiente de mortalidade por penumoconioses/um milhão habitantes/ano ao longo do período estudado. A transição da CID 9 para a CID 10 mostrou elevação na freqüência dos óbitos, que duplicaram. Concluímos que os valores dos coeficientes de mortalidade por pneumoconioses não refletem adequadamente o problema, ofuscando a transcendência e magnitude da doença. Torna-se necessário o conhecimento da população efetivamente exposta e a localização territorial para a obtenção de indicadores mais representativos.

 


8 - Fatores de risco para tuberculose multirresistente adquirida

Risk factors associated to acquired multidrug resistant tuberculosis

Elizabeth Clara Barroso, Rosa Maria Salani Mota, Raimunda Oliveira Santos, Ana Lúcia Oliveira Sousa, Joana Brasileiro Barroso, Jorge Luís Nobre Rodrigues

J Bras Pneumol.2003;29(2):89-97

Resumo PDF PT English Text

A tuberculose multirresistente (TBMR) é um problema grave, temido, de difícil controle e vem apresentando tendência crescente em todo o mundo. Objetivo: Fazer uma análise de fatores de risco para TBMR adquirida. Casuística e métodos: Foi feito um estudo caso-controle de base populacional de modo retrospectivo. Foi considerado multirresistente o bacilo resistente a pelo menos rifampicina (RFP) + isoniazida (INH) e tuberculose (TB) sensível o caso que tivesse feito o primeiro tratamento num período semelhante ao do primeiro tratamento do caso com TBMR, mas que estivesse curado no momento da entrevista. A seleção dos casos foi feita tomando como base a lista de testes de sensibilidade (TS) realizados no Laboratório Central de Saúde Pública do Estado do Ceará, no período de 1990 a 1999. Foi utilizado o método das proporções para pesquisar a resistência às seis drogas (isoniazida, rifampicina, pirazinamida, etambutol, etionamida, estreptomicina) antituberculose padronizadas no Brasil. Os controles foram selecionados do livro de registro do Programa de Controle da TB. Foi realizada análise univariada e multivariada e considerado significante um p < 0,05. Resultados: Dos 1.500 TSs realizados no período, 266 cepas eram multirresistentes. Foram identificados 153 pacientes. Desses, 19 foram excluídos. O grupo dos casos ficou composto por 134 pacientes e o dos controles, por 185. Após a análise multivariada encontraram-se os seguintes fatores de risco: falta de esgoto no domicílio, alcoolismo + tabagismo, nº de tratamentos anteriores, tratamentos irregulares e cavidades pulmonares. Conclusão: Esses cinco fatores têm importância no desenvolvimento da TBMR adquirida e uma tentativa de neutralizá-los poderia contribuir para o controle da TB.

 


Relato de Caso

9 - Pericardite tuberculosa em portadores da síndrome de imunodeficiência adquirida

Tuberculosis pericarditis in patients with AIDS

Ruggero Bernardo Guidugli, Paul Albert Hamrick, Nancy Figueiroa de Rezende

J Bras Pneumol.2003;29(2):98-100

Resumo PDF PT English Text

Dois pacientes portadores do vírus HIV deram entrada no serviço de emergência bastante dispnéicos, exibindo sinais clínicos e de imagens sugestivos de derrame pericárdico. Realizada inicialmente a punção do líquido, sua análise não mostrou especificidade e os doentes não apresentavam evidência de melhora clínica. Foram, então, submetidos a uma janela pericárdica subxifóidea, foi drenado todo o líquido de efusão e realizada a biópsia do tecido pericárdico, o que revelou processo granulomatoso. Logo após o início do tratamento específico, os pacientes apresentaram boa evolução. Tais achados chamaram a atenção para a etiologia tuberculosa como causa de sufusão pericárdica em portadores da síndrome de imunodeficiência adquirida. Essa associação pode ser mais importante no Brasil, onde existe alta prevalência de tuberculose. Os resultados mostraram também que a realização de uma janela pericárdica subxifóidea permitiu boa drenagem do fluido e, junto com a ministração do esquema tríplice, possibilitou a boa evolução dos pacientes.

 


Artigo de Revisão

10 - Edema pulmonar de reexpansão

Reexpansion pulmonary edema

Eduardo Henrique Genofre, Francisco S. Vargas, Lisete R. Teixeira, Marcelo Alexandre Costa Vaz, Evaldo Marchi

J Bras Pneumol.2003;29(2):101-106

Resumo PDF PT English Text

O edema pulmonar de reexpansão é uma entidade rara, mas de notável mortalidade. Sua fisiopatologia ainda não é bem esclarecida, porém envolve fatores conhecidos, como a diminuição do surfactante pulmonar, e outros ainda incertos, como o papel dos mediadores inflamatórios na gênese e manutenção do processo. É imperativo o diagnóstico precoce, uma vez que o desfecho depende da agilidade no reconhecimento e tratamento dessa entidade. Tendo em vista a alta mortalidade, as medidas de prevenção ainda são a melhor estratégia no manuseio dos pacientes com doenças que podem levar ao edema pulmonar de reexpansão. Esta revisão discute os principais aspectos relacionados à fisiopatologia, diagnóstico, tratamento e prevenção do edema pulmonar de reexpansão, com recomendações práticas para o reconhecimento e adequada abordagem dessa entidade.

 


11 - Doença pulmonar obstrutiva crônica e desnutrição: por que não estamos vencendo a batalha?

Chronic obstructive pulmonary disease and malnutrition: why aren't we winning this battle?

Ivone Martins Ferreira

J Bras Pneumol.2003;29(2):107-115

Resumo PDF PT English Text

Objetivos: Fazer uma revisão dos mecanismos envolvidos na gênese da desnutrição em pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) e revisão sistemática dos artigos randomizados e controlados para esclarecer a contribuição de suplementação nutricional em pacientes com DPOC estável. Método: Revisão sistemática de artigos publicados na área de nutrição em todas as línguas, de várias fontes, incluindo Medline, Embase, Cinahl e Cochrane Registry, assim como trabalhos apresentados em congressos norte-americanos e europeus. Resultados: Estudos com suplementação nutricional maior que duas semanas mostraram que o efeito foi muito pequeno e não atingiu significância estatística. Estudo com regressão linear encontrou que idade avançada, anorexia relativa e resposta inflamatória elevada estão associadas a ausência de resposta à terapia nutricional. Conclusão: No momento não existe evidência de que suplementação nutricional seja realmente eficaz em pacientes com DPOC. Fatores associados com ausência de resposta sugerem relação com o grau de inflamação, incluindo altos níveis de TNF-alfa. Medida dos marcadores de inflamação pode ser útil na determinação do prognóstico e da terapia adequada. No futuro, tratamentos com citocinas antiinflamatórias ou inibidores de citocina são promissores.

 


 


O Jornal Brasileiro de Pneumologia está indexado em:

Latindex Lilacs SciELO PubMed ISI Scopus Copernicus pmc

Apoio

CNPq, Capes, Ministério da Educação, Ministério da Ciência e Tecnologia, Governo Federal, Brasil, País Rico é País sem Pobreza
Secretaria do Jornal Brasileiro de Pneumologia
SCS Quadra 01, Bloco K, Salas 203/204 Ed. Denasa. CEP: 70.398-900 - Brasília - DF
Fone/fax: 0800 61 6218/ (55) (61) 3245 1030/ (55) (61) 3245 6218
E-mails: jbp@jbp.org.br
jpneumo@jornaldepneumologia.com.br

Copyright 2017 - Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia

Logo GN1