Jornal Brasileiro de Pneumologia

ISSN (on-line): 1806-3756

ISSN (impressa): 1806-3713

SCImago Journal & Country Rank
Busca avançada

Ano 2004 - Volume 30  - Número 3  (Maio/Junho)






Artigo Original

3 - Efeito do salbutamol liberado através de inalador de pó seco sobre o broncoespasmo induzido por metacolina

Effects of salbutamol delivered by dry-powder inhaler on methacholine-induced bronchoconstriction

Adalberto Sperb Rubin, Liliana G Pelegrin,Christiano Perin, Maurício Roux Leite, Luiz Carlos Corrêa da Silva

J Bras Pneumol.2004;30(3):195-200

Resumo PDF PT English Text

Introdução: Os b2-agonistas de curta duração sob a forma de nebulímetro pressurizado são os fármacos utilizados rotineiramente na reversão do broncoespasmo induzido pela metacolina. A administração desses fármacos na forma de pó seco, liberados por inaladores de pó seco pode ser uma alternativa eficaz. Objetivo: Avaliar a efetividade e rapidez de ação do salbutamol liberado através de inalador de pó seco pulvinal (Butoventâ) na reversão do broncoespasmo induzido por metacolina, comparando-o com o salbutamol liberado por nebulímetro pressurizado. Método: Foram avaliados prospectivamente 60 pacientes sucessivos com broncoespasmo induzido por metacolina, cuja queda do volume expiratório forçado no primeiro segundo (VEF1) foi de, no mínimo, 20%. Foram randomizados 30 pacientes para receber 200 mcg de salbutamol liberado por nebulímetro pressurizado e 30 pacientes para receber 200 mcg de salbutamol através de inalador de pó seco (pulvinal), na etapa final do teste de broncoprovocação, com o objetivo de reverter o broncoespasmo induzido pela metacolina. Foram avaliados os VEF1 obtidos 1 minuto e 5 minutos após a administração do broncodilatador. Resultados: Os grupos foram pareados por sexo, idade, peso, altura, dose provocativa causadora de queda de 20% no VEF1 (primeiro grupo: 1,3 mg ; segundo grupo: 1,19 mg; p = 0,79) e VEF1 pós-metacolina (primeiro grupo: 2,03 l; segundo grupo: 1,99 l; p = 0,87), sem diferença significativa entre eles. O incremento médio do VEF1 foi de 16,2% (1 minuto) e 22,2% (5 minutos) no primeiro grupo e de 17% (1 minuto) e 23,6% (5 minutos) no segundo grupo, não havendo diferença estatística entre eles (p = 0,8). Conclusões: Os b2-agonistas administrados através de inalador de pó seco (pulvinal) apresentam a mesma eficácia broncodilatadora e rapidez de ação que no tradicional método por nebulímetro pressurizado.

 


Palavras-chave: Asma. Broncodilatadores/administração & dosagem. Albuterol/administração & dosagem. Cloreto de metacolina/administração & dosagem. Terapia respiratória/métodos. Administração por inalação/métodos. Estudos prospectivos.

 

4 - Estudo de imunoglobulinas, complementos e auto-anticorpos em 58 trabalhadores expostos à sílica

Immunoglobulins, complements and autoantibodies in 58 workers exposed to silica

Hermano Albuquerque de Castro, Carolina Gimenes da Silva, Alfred Lemle

J Bras Pneumol.2004;30(3):201-206

Resumo PDF PT English Text

Introdução: A silicose é a doença pulmonar ocupacional de maior prevalência em nosso meio. O agente patogênico da silicose é a poeira de sílica-livre ou dióxido de silício (SiO2) na forma cristalina. O processo inflamatório envolvendo o sistema imunológico na silicose ainda não está bem esclarecido. Objetivo: Estudar o perfil de IgG, IgM, IgA, C3, C4 e alguns auto-anticorpos no soro de trabalhadores expostos à sílica, com ou sem silicose, através de avaliação laboratorial imunológica, abrangendo tanto a imunidade inespecífica quanto a específica. Método: Foi examinada uma amostra de 58 pacientes ambulatoriais, do sexo masculino, constituída por trabalhadores expostos à sílica. Foram realizadas avaliações imunológica, radiológica e funcional pulmonar. Foram dosadas as imunoglobulinas IgG, IgA e IgM, os componentes C3 e C4 do sistema complemento e determinados auto-anticorpos. Resultados: Vinte trabalhadores apresentaram radiograma normal e 38 apresentaram-no alterado, compatível com silicose. As médias dos valores de IgG no grupo com silicose foi maior que no grupo com radiograma normal (p < 0,05). Para a IgA e IgM, assim como para o C3 e C4, não houve diferença estatisticamente significativa nas médias (p > 0.05). O percentual de positividade dos auto-anticorpos foi maior no grupo silicótico em relação ao grupo com radiograma normal. Conclusão: O aumento de IgG nos doentes com silicose constitui um achado importante pois pode indicar a continuidade da reação granulomatosa, mesmo com o trabalhador afastado da exposição. Entretanto, ainda são necessários estudos que possibilitem a compreensão do processo imunogênico na silicose.

 


Palavras-chave: pneumopatias. Silicose. Doenças ocupacionais. Imunoglobulinas.

 

5 - Influência de características gerais na qualidade de vida de pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica

Influence of general clinical parameters on the quality of life of chronic obstructive pulmonary disease patients

Victor Zuniga Dourado, Letícia Cláudia de Oliveira Antunes, Lídia Raquel de Carvalho, Irma Godoy

J Bras Pneumol.2004;30(3):207-214

Resumo PDF PT

Abstract

Background: There is currently no consensus regarding which factors influence the quality of life of patients suffering from chronic obstructive pulmonary disease (COPD). However, identifying such factors could orient approaches to improving the quality of the lives of these patients. Objective: To evaluate factors that can interfere with quality of life in COPD patients selected for pulmonary rehabilitation. Methods: Twenty-one patients with moderate to severe COPD were evaluated. Maximal inspiratory pressure (MIP), 6-minute walk test (6MWT), body mass index (BMI), pulmonary function, blood gases, grip strength (measured with a dynamometer), quadriceps strength and St. George's Respiratory Questionnaire (SGRQ) scores were assessed. Results: Statistically significant negative correlations with quality of life were found for the following factors: "impact" scores of: forced expiratory volume in one second (FEV1) (r = -0.68; p = 0.004), FEV1 to forced vital capacity ratio (FEV1/FVC) (r = -0.61; p = 0.014), peak expiratory flow (PEF) (r = -0.53 (p = 0.015), 6MWT (r = -0.63; p = 0.001) and BMI (r = -0.64; p = 0.002); "activity" scores for: MIP (r = -0.57; p = 0.007), baseline arterial oxygen saturation by pulse oximetry (SpO2) (r = -0.52; p = 0.018) and 6MWT (r = -0.58; p = 0.007); "symptom" score for: BMI (r = -0.60; p = 0.005); and "total" scores for: FEV1 (r = -0.64; p = 0.01), PEF (r = -0.47; p = 0.033) and BMI (r = -0.57; p = 0.009). Multiple linear regression revealed the primary factors influencing quality of life to be: BMI, which presented a significant influence on "symptom", "impact" and "total" scores (p = 0.002, p = 0.009 and p = 0.024, respectively); and 6MWT, which had a significant influence on "activity" and "impact" scores (p = 0.048 and p = 0.010, respectively). Conclusions: The BMI and 6MWT were shown to have an influence on quality of life in the COPD patients studied. Therefore, therapeutic approaches to improving the quality of life of COPD patients should take these indices into consideration.

 


Palavras-chave: Pneumopatias obstrutivas/reabilitação. Qualidade de vida

 

6 - Toracocentese esvaziadora com irrigação e uso de antimicrobiano intrapleural no tratamento do empiema

Treatment of empyema using thoracentesis with irrigation and intrapleural application of an antimicrobial agent

Liana Peres Duailibe, Maria Ilizabeti Donatti, Paulo de Tarso Müller, Pedro Nango Dobashi

J Bras Pneumol.2004;30(3):215-222

Resumo PDF PT English Text

Introdução: O empiema é uma doença grave caracterizada classicamente pela presença de pus na cavidade pleural. Seu reconhecimento precoce exige tratamento imediato, porém ainda existe grande controvérsia em relação à melhor terapêutica. Objetivo: Analisar o tratamento do empiema através de toracocentese, irrigação do espaço pleural, e uso de antimicrobiano intrapleural. Método: Foram avaliados dezessete pacientes com diagnóstico de empiema pleural livre ou septado, no período de janeiro de 1999 a maio de 2000, nos quais foi realizada toracocentese esvaziadora, seguida de lavagem exaustiva da cavidade pleural com solução isotônica e administração intrapleural de agente antimicrobiano não irritante à pleura. Resultados: Foram analisados 15 homens e 2 mulheres com idade média de 44 anos. Os sinais clínicos mais freqüentes foram febre, tosse produtiva, dor torácica e dispnéia. A causa mais comum foi pneumonia. Macroscopicamente, 12 pacientes apresentavam líquido pleural francamente purulento. O agente etiológico foi identificado em quatro casos (26,67%), sendo o mais frequente o Staphylococcus sp. Dois pacientes foram encaminhados para decorticação pulmonar e foram excluídos do estudo. O tempo médio de internação foi de 15,1 dias, sendo que três pacientes realizaram o protocolo ambulatorialmente. Não observamos recidiva com o método e todos os pacientes sobreviveram. Conclusão: Essa abordagem diminuiu a necessidade de outros procedimentos invasivos. Mostrou-se eficaz, segura e com baixa morbi-mortalidade em comparação com as demais modalidades terapêuticas.

 


Palavras-chave: Empiema/terapia. Pleura/irrigação sangüínea. Resultado de tratamento. Avaliações de resultado de intervenções terapêuticas.

 

7 - Tabagismo em estudantes de Medicina: tendências temporais e fatores associados

Smoking among medical students: temporal trends and related variables

Ana Maria Baptista Menezes, Pedro Curi Hallal, Fernando Silva, Marcos Souza, Luciene Paiva, Aline D'Ávila, Bianca Weber, Viviane Vaz, Fernando Marques, Bernardo L. Horta

J Bras Pneumol.2004;30(3):223-228

Resumo PDF PT English Text

Introdução: Após o declínio observado na prevalência de tabagismo entre estudantes de Medicina entre as décadas de 1960 e 1980, parece estar ocorrendo, atualmente, uma estabilização nessa prevalência. Objetivo: Avaliar as tendências temporais de tabagismo entre estudantes de Medicina da Universidade Federal de Pelotas (RS) nos últimos dezessete anos, e alguns dos fatores associados ao hábito de fumar desses estudantes. Método: Estudos transversais com metodologias comparáveis foram conduzidos em 1986, 1991, 1996 e 2002. Questionários auto-aplicáveis foram utilizados. Definiu-se como fumante o indivíduo que fumava mais de um cigarro por dia há mais de um mês. Foram realizadas análises descritivas iniciais, análises brutas com utilização dos testes de qui-quadrado para heterogeneidade e tendência linear, e regressão de Poisson para avaliar o efeito do ano cursado sobre a freqüência de tabagismo, com controle para a idade do estudante. Resultados: A prevalência atual de tabagismo entre os estudantes foi de 10,1%, valor estatisticamente similar ao dos levantamentos de 1991 e 1996. Não foram encontradas diferenças na prevalência de tabagismo por sexo, idade, tabagismo materno ou paterno. A freqüência de tabagismo aumentou durante a faculdade. Conclusões: A tendência de declínio na prevalência de tabagismo em estudantes de Medicina da Universidade Federal de Pelotas parece estar sendo substituída por uma estabilização em torno de 10% a 15%. O combate ao fumo ainda parece indispensável em ambientes universitários, especialmente nas escolas de Medicina.

 


Palavras-chave: Tabagismo/tendências. Tabagismo/epidemiologia. Estudantes de medicina/abandono do uso de tabaco. Estudos transversais. Questionários.

 

8 - Pneumonias adquiridas na comunidade em pacientes idosos: aderência ao Consenso Brasileiro sobre Pneumonias

Community-acquired pneumonia in elderly patients: adherence to Brazilian guidelines for the treatment of pneumonia

José Roberto de Almeida, Olavo Franco Ferreira Filho

J Bras Pneumol.2004;30(3):229-236

Resumo PDF PT English Text

Introdução: A pneumonia é uma doença comum, com alta mortalidade, e é a sexta causa de morte nos EUA e a quinta no Brasil, na população idosa. O tratamento inicial das pneumonias é empírico, porque o agente etiológico é identificado, aproximadamente, em apenas 50% dos casos. Assim, várias sociedades científicas definiram guias para orientar a terapêutica antimicrobiana inicial. Objetivo: Avaliar a aderência ao Consenso Brasileiro sobre Pneumonias para o tratamento de pneumonias adquiridas na comunidade por pacientes idosos. Método: Foram avaliados os pacientes com 60 anos ou mais, internados em um hospital universitário por pneumonia adquirida na comunidade, segundo a mortalidade em 30 dias, tempo médio para estabilização clínica, tempo médio de internação, custo do tratamento e índice de severidade em pneumonias, no período de 02/08/1999 a 02/08/2000. Resultados: Foram estudados 54 pacientes e a idade média foi de 74,1 anos. O esquema antimicrobiano recomendado pelo consenso foi utilizado em 61,1% dos pacientes. Não houve diferenças em relação ao tempo de internação, custo do tratamento, tempo para estabilização clínica e índice de gravidade em pneumonia entre os dois grupos, mas houve em relação à mortalidade. Os pacientes tratados de acordo com o consenso e com ídice de gravidade em pneumonia mais alto (IV e V) apresentaram maior mortalidade que o grupo não tratado de acordo com o consenso (p = 0,04). Os pacientes com índice de gravidade em pneumonia classes II e III apresentaram mortalidade de 9,5% enquanto nas classes IV e V a mortalidade foi de 30,3%. Conclusão: A aderência ao Consenso Brasileiro sobre Pneumonias, para pacientes idosos hospitalizados, foi boa e não houve diferença nos resultados entre os pacientes tratados e os não tratados de acordo com o consenso. O índice de gravidade em pneumonias demonstrou associação positiva com a mortalidade.

 


Palavras-chave: Pneumonia. Diretrizes para o Planejamento em Saúde. Infecções Comunitárias Adquiridas. Serviços de Saúde para Idosos.

 

9 - Traqueostomia percutânea no doente crítico: a experiência de uma unidade de terapia intensiva clínica

Percutaneous Tracheostomy in Critically-ill Patients: The Experience of a Medical Intensive Care Unit

Marcelo Park, Leonardo Brauer, Ricardo Reis Sanga, André Carlos Kajdacsy-Balla Amaral, José Paulo Ladeira, Luciano Cesar Pontes de Azevedo, Leandro Utino Taniguchi, Luiz Monteiro da Cruz-Neto

J Bras Pneumol.2004;30(3):237-242

Resumo PDF PT English Text

Introdução: A traqueostomia é um procedimento realizado freqüentemente na terapia intensiva. Nas duas últimas décadas o procedimento percutâneo vem sendo cada vez mais utilizado. Objetivo: Descrever nossa experiência, em uma unidade de terapia intensiva clínica. Método: Levantamento retrospectivo de nosso banco de dados prospectivo de 78 traqueostomias percutâneas realizadas desde janeiro de 2000 até julho de 2003. Foram utilizadas as técnicas de dilatação progressiva com velas múltiplas (36 pacientes) e com pinça fórceps (42 pacientes). Os dados são mostrados como número de ocorrência ou mediana com intervalos interquartis. Resultados: Nossos pacientes tinham em média idade de 66 (43 a 75) anos e APACHE II com mediana de 16 (12 a 21), tiveram um período de ventilação mecânica com mediana de 14 (10 a 17) dias antes da traqueostomia, e 23% faleceram na unidade de terapia intensiva. As causas mais freqüentes de internação na unidade de terapia intensiva foram as encefalopatias agudas (45%), e o motivo que mais freqüentemente levou à indicação do procedimento foi o desmame difícil (50%), seguido do Glasgow Coma Score persistentemente abaixo de 8 (49%). Em 6 pacientes a broncoscopia não foi utilizada como guia. Ocorreram complicações em 33% dos procedimentos. As complicações mais comuns foram pequenas hemorragias, sem necessidade de transfusão de sangue. Nenhum paciente morreu devido à complicação do procedimento. Conclusão: Em uma unidade de terapia intensiva clínica, o procedimento da traqueostomia percutânea a beira leito é factível e seguro.

 


Palavras-chave: Traqueostomia/métodos. Insuficiência respiratória/terapia. Respiração artificial/métodos. Insuficiência respiratória/complicações.

 

10 - Características clínicas e epidemiológicas do adulto contagiante da criança com tuberculose

Clinical and epidemiological characteristics of contagious adult of tuberculosis in children

João Ab Lima, Edgar Enrique Sarria Icaza, Beatriz G. Menegotto, Gilberto Bueno Fischer, Sérgio Saldanha Menna Barreto

J Bras Pneumol.2004;30(3):243-252

Resumo PDF PT English Text

Introdução: A tuberculose em crianças geralmente está associada ao convívio com um adulto contagiante. Objetivo: Descrever o perfil do adulto contagiante da criança com tuberculose identificada na rede pública de saúde. Método: Estudo de casos. Incluiram-se todas as crianças menores de quatorze anos com diagnóstico de tuberculose em tratamento na rede pública de saúde de Porto Alegre (RS). Foram feitas entrevistas com questionário estruturado com dados demográficos e da doença na criança e no contagiante. Resultados: No período de 21 de julho de 2001 a 10 de agosto de 2002 foram selecionadas 50 crianças (96% dos diagnósticos em crianças no período) com média de idade de 76 meses, 60% do sexo feminino. As formas pulmonares clássicas (consolidação ou cavitação) foram observadas em 38% das crianças. A maioria dos pacientes fez o diagnóstico em nível hospitalar, vivia em famílias com seis pessoas em média, e com renda familiar inferior a dois salários mínimos regionais. A co-infecção pelo vírus da imunodeficiência humana foi identificada em 25% dos pacientes que realizaram o teste de ELISA. As crianças freqüentavam regularmente outro local além de sua residência. O contagiante foi identificado em 78% dos casos, sendo 56% do sexo masculino, com idade média de 32 anos e na maioria das vezes era um parente (79%), geralmente pai ou mãe. Neste grupo de adultos, a co-infecção pelo vírus da imunodeficiência humana foi identificada em 43% dos indivíduos testados. Conclusão: O contato intradomiciliar com adulto tuberculoso continua a ser a mais importante fonte de contágio para a criança. A co-infecção pelo vírus da imunodeficiência humana é um importante achado tanto na criança quanto no adulto. Enfatiza-se a necessidade de se investigar a criança contato e se buscar o caso índice em toda criança com diagnóstico de tuberculose.

 


Palavras-chave: Tuberculose/epidemiologia. Criança. Doenças transmissíveis/etiologia.

 

Aprimoramento

11 - A residência médica em Pneumologia no Brasil

Pulmonary Medicine residency in Brazil

Evandro Guimarães de Sousa

J Bras Pneumol.2004;30(3):253-259

Resumo PDF PT English Text

Introdução: A residência médica é um curso de pós-graduação considerado ideal para a formação de especialistas, e é regulamentada no Brasil pela Comissão Nacional de Residência Médica. Objetivo: Verificar o número dos programas e de residentes em Pneumologia, a situação dos credenciamentos e sua distribuição em instituições localizadas nas várias regiões do Brasil. Método: Foi analisada a relação de todos os programas na especialidade de Pneumologia fornecida pela Secretaria Executiva da Comissão Nacional de Residência Médica em abril de 2003, e foram revisados os critérios básicos para o credenciamento na especialidade determinados pela legislação em vigor. Resultados: Observou-se que, dos 58 programas credenciados, 35 eram oferecidos em hospitais da região Sudeste e tinham 133 residentes, enquanto que na região Norte há apenas um programa credenciado, com 3 residentes. Conclusão: Apesar de todos os 58 programas estarem credenciados, há predomínio na região Sudeste. É necessário um trabalho conjunto entre a Comissão Nacional de Residência Médica e a Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia, no sentido de orientar e disciplinar a criação de novos programas e de estabelecer o número de residentes necessários para as diferentes regiões do país.

 


Palavras-chave: Residência Médica. Pneumologia. Programas

 

Relato de Caso

12 - Síndrome do pulmão encolhido no lúpus eritematoso sistêmico

Shrinking lung syndrome in systemic lupus erythematosus

Cíntia Andrade Costa, Dálvaro Oliveira de Castro Jr., Sérgio Jezler, Mettermayer Santiago

J Bras Pneumol.2004;30(3):260-263

Resumo PDF PT English Text

O lúpus eritematoso sistêmico pode envolver o aparelho respiratório de diversas maneiras como com pleurite, pneumonite, doença intersticial ou hipertensão pulmonar. Raramente, o paciente com lúpus eritematoso sistêmico pode apresentar uma síndrome caracterizada por dispnéia, dor torácica, alteração nas provas funcionais pulmonares e ausência de alterações parenquimatosas significativas na avaliação tomográfica de tórax, a qual tem sido denominada síndrome do pulmão encolhido. Descrevemos um caso que preenche os critérios diagnósticos dessa síndrome, e enfatizamos a patogênese que tem sido proposta, assim como as opções terapêuticas disponíveis.

 


Palavras-chave: Lúpus eritematoso sistêmico, Síndrome do pulmão encolhido

 

13 - Forma grave da síndrome pulmonar e cardiovascular por hantavírus tratada com pressurização positiva através de máscara facial

Severe form of hantavirus cardiopulmonary syndrome managed with continuous positive airway plessure through facial mask

Mariangela Pimentel Pincelli, Carlos Roberto Ribeiro de Carvalho, Luis Tadeu Moraes Figueiredo, Antônio Delfino de Oliveira Júnior, Ana Lúcia Bernardo Soares, Carmen Sílvia Valente Barbas

J Bras Pneumol.2004;30(3):264-269

Resumo PDF PT English Text

O primeiro surto no Brasil da síndrome pulmonar e cardiovascular por hantavírus foi descrito em Juquitiba (SP), em 1993. Desde então têm sido descritos novos casos, especialmente nos estados do sul e sudeste do país. Em 2002 ocorreu a observação dos primeiros três casos em São Carlos (SP). Um dos pacientes recebeu suporte respiratório sem intubação traqueal, utilizando-se pressão positiva contínua nas vias aéreas (CPAP) através de máscara facial. Este é o primeiro caso grave descrito de insuficiência respiratória por hantavírus em que houve sucesso com essa terapêutica ventilatória.

 


Palavras-chave: Ventilação Não Invasiva, CPAP, Síndrome Pulmonar e Cardiovascular por Hantavírus, Insuficiência Respiratória Aguda Hipoxêmica

 

14 - Histoplasmose disseminada aguda em indivíduo imunocompetente

Acute disseminated histoplasmosis in an immunocompetent patient

Simone Castelo Branco Fortaleza, Silvia Karine de Albuquerque Lopes, Tereza de Jesus Bandeira, Teresa Neuma Albuquerque Gomes Nogueira, Marcelo Alcântata Holanda

J Bras Pneumol.2004;30(3):270-273

Resumo PDF PT English Text

A histoplasmose é uma doença fúngica causada pela inalação de esporos de Histoplasma capsulatum. A maioria dos indivíduos normais não apresenta doença após pequena inalação, porém exposições mais prolongadas podem levar ao desenvolvimento de infecção pulmonar aguda, crônica ou disseminada. Nos pacientes imunocomprometidos a infecção é disseminada e grave. Relatamos o caso de um paciente de treze anos, imunocompetente, com febre, tosse seca e dispnéia progressiva havia dois meses. O radiograma e a tomografia computadorizada de tórax evidenciavam infiltrado intersticial com micronódulos difusos. O paciente relatava contato intenso com pássaros em sua residência. Foi submetido a biópsia pulmonar a céu aberto, que evidenciou Histoplasma capsulatum em tecido pulmonar. A cultura do fragmento da biópsia confirmou a presença de Histoplasma capsulatum sp. O paciente foi tratado com anfotericina-B por 28 dias, seguida de itraconazol por seis meses, com resolução do quadro.

 


Palavras-chave: Histoplasmose. Imunocompetente. Pássaros.

 

Artigo de Revisão

15 - Avaliação econômica da doença pulmonar obstrutiva crônica e de suas agudizações. Aplicação na América Latina

Economic evaluation of the impact of chronic obstructive pulmonary disease and its acute exacerbations on Latin America

Marc Miravitlles

J Bras Pneumol.2004;30(3):274-285

Resumo PDF PT English Text

A doença pulmonar obstrutiva crônica tem elevada prevalência em todo o mundo. Estima-se que entre 7% e 10% da população adulta seja afetada. No Brasil, a bronquite crônica tem uma prevalência de 12,7% na população de mais de 40 anos. Os estudos econômicos têm grande relevância em doenças de alta prevalência. A maioria dos estudos relacionados aos custos da doença pulmonar obstrutiva crônica provém de bases de dados nacionais de saúde. Poucos estudos avaliaram os custos sanitários diretos da doença. A partir destes, conclui-se que um paciente portador de doença pulmonar obstrutiva crônica gera um custo direto anual de 1.200 a 1.800 dólares. O custo correlaciona-se com a gravidade da doença: os pacientes graves geram um custo duas vezes maior que os menos graves, e por isso é vital o diagnóstico precoce. A estratégia mais custo-efetiva é a detecção precoce da doença, associada a campanhas contra o tabagismo. Em estágios avançados da doença, a hospitalização é responsável pelos custos mais elevados. Neste caso, o tratamento correto das agudizações é crucial como estratégia custo-efetiva. O custo médio de uma internação no Brasil é de 2.761 reais, o que representa quase o valor do tratamento ambulatorial por um ano. A antibioticoterapia é responsável por pequena parte do custo total da agudização. O uso de antibióticos mais eficazes pode ser uma estratégia custo-efetiva por reduzir a taxa de fracasso de tratamento. A análise econômica deve permitir a identificação e aplicação de estratégias custo-efetivas para o tratamento da doença.

 


Palavras-chave: Tabagismo/efeitos adversos. Abandono do uso de tabaco/métodos. Gravidez.

 

16 - Análise crítica dos escores de avaliação de gravidade da fibrose cística: Estado da arte

Critical analysis of scoring systems used in the assessment of Cystic Fibrosis severity: State of the art

Camila Isabel da Silva Santos, José Dirceu Ribeiro, Antônio Fernando Ribeiro, Gabriel Hessel

J Bras Pneumol.2004;30(3):286-

Resumo PDF PT English Text

Este trabalho descreve, compara e analisa os escores de avaliação de gravidade da fibrose cística publicados na literatura nos últimos anos, e contextualiza o surgimento e o objetivo de cada um deles. Através de levantamento bibliográfico, foram encontrados 16 escores de gravidade da fibrose cística: 8 escores de avaliação clínica, 5 radiográficos, 2 tomográficos e 1 proposta de escore cintilográfico. Apesar das críticas e controvérsias quanto à objetividade e ao realismo das informações obtidas através desses escores, sua aplicação, ao longo da história da fibrose cística, mostrou-se útil por contribuir para um maior entendimento da doença e da efetividade das diversas terapêuticas.

 


Palavras-chave: Fibrose cística. Índice de gravidade de doença. Revisão de leitura.

 

 


O Jornal Brasileiro de Pneumologia está indexado em:

Latindex Lilacs SciELO PubMed ISI Scopus Copernicus pmc

Apoio

CNPq, Capes, Ministério da Educação, Ministério da Ciência e Tecnologia, Governo Federal, Brasil, País Rico é País sem Pobreza
Secretaria do Jornal Brasileiro de Pneumologia
SCS Quadra 01, Bloco K, Salas 203/204 Ed. Denasa. CEP: 70.398-900 - Brasília - DF
Fone/fax: 0800 61 6218/ (55) (61) 3245 1030/ (55) (61) 3245 6218
E-mails: jbp@jbp.org.br
jpneumo@jornaldepneumologia.com.br

Copyright 2017 - Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia

Logo GN1