Jornal Brasileiro de Pneumologia

ISSN (on-line): 1806-3756

ISSN (impressa): 1806-3713

Busca avançada

Ano 2004 - Volume 30  - Número 4  (Julho/Agosto)






Editorial

1 - Incorporação de atores da Rede Brasileira de Pesquisa em TB nas atividades do Jornal Brasileiro de Pneumologia da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia

Participation of researchers from the Brazilian Network of Tuberculosis Research in the activities of the Brazilian Journal of Pulmonology, official publication of the Brazilian Society of Pulmonology and Phthisiology

Afrânio Lineu Kritski

J Bras Pneumol.2004;30(4):394-397

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A presente publicação que reúne manuscritos sobre tuberculose (TB) foi delineada para ser divulgada no mesmo momento da realização do I Encontro Nacional de Tuberculose, que ocorrerá em Brasília, 30 de junho a 3 de julho de 2004.

 


2 - Carga da tuberculose: reflexões sobre o tema

Tuberculosis load: reflections on a theme

Antonio Ruffino Netto

J Bras Pneumol.2004;30(4):398-400

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Os organismos patogênicos, como parte de um processo natural, interagem com o ambiente, buscando estabilidade dinâmica e seus nichos ecológicos, sejam estes internos ou externos a outros organismos.

 


3 - Um novo marco no Jornal Brasileiro de Pneumologia

Another milestone for the Brazilian Journal of Pulmonology

Geraldo Lorenzi Filho

J Bras Pneumol.2004;30(4):401

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Recentemente of Jornal Brasileiro de Pneumologia (JBP) mudou de nome e formato. Na ocasião destaquei que a maior mudança não estava na sua aparência mas sim na sua estrutura (1 REF 1 EDITORIAL JBP, JAN -FEV2004).

 


Artigo Original

4 - Ocorrência de tuberculose doença entre contatos de tuberculose sensível e multirresistente

Occurrence of active tuberculosis in households inhabited by patients with susceptible and multidrug-resistant tuberculosis

Elizabeth Clara Barroso; Rosa Maria Salani Mota; Valéria Góes Ferreira Pinheiro; Creusa Lima Campelo; Jorge Luis Nobre Rodrigues

J Bras Pneumol.2004;30(4):401-408

Resumo PDF PT PDF EN English Text

INTRODUÇÃO: Desde os primeiros anos da quimioterapia anti-tuberculose, existe polêmica a respeito da transmissibilidade, infectividade, virulência e patogenicidade de bacilos sensíveis e resistentes à quimioterapia. OBJETIVO: Determinar a ocorrência de casos de tuberculose doença entre contatos intra-domiciliares de tuberculose multirresistente e tuberculose sensível. MÉTODO: Foi realizado um estudo caso-controle, sendo considerado tuberculose multirresistente o caso de portador de bacilo resistente a pelo menos rifampicina e isoniazida, e tuberculose sensível o caso que tivesse feito o primeiro tratamento num período semelhante ao primeiro tratamento do caso de tuberculose multirresistente, estando o paciente curado no momento da entrevista. Contato foi definido como o residente no domicílio do caso índice. Os casos foram selecionados a partir dos resultados dos testes de sensibilidade obtidos pelo método das proporções no Laboratório Central do Estado do Ceará, e os controles constituídos por pacientes bacilíferos registrados no Programa de Controle da Tuberculose, entre 1.990 e 1.999. RESULTADOS: Foram avaliados 126 portadores de tuberculose multirresistente e 176 de tuberculose sensível. O número de contatos foi de 557 no grupo dos casos, 752 no grupo controle e a média de contatos por caso índice foi de 4,42 e 4,27 respectivamente. Entre os casos, 4,49% dos contatos (25/557) fizeram tratamento para tuberculose após os casos índices. Esse percentual foi de 5,45% (41/752) entre os controles (p = 0,4468). Ocorreu micro-epidemia de tuberculose multirresistente confirmada por teste de sensibilidade em oito famílias. CONCLUSÃO: Os resultados deste estudo sugerem que a ocorrência de tratamentos de tuberculose gerados entre contatos intra-domiciliares de tuberculose sensível e tuberculose multirresistente é semelhante.

 


Palavras-chave: Tuberculose resistente a múltiplas drogas/epidemiologia. Tuberculose/transmissão.

 

5 - Rendimento de variáveis clínicas, radiológicas e laboratoriais para o diagnóstico da tuberculose pleural

Efficiency of clinical, radiological and laboratory testing in the diagnosis of pleural tuberculosis

Denise Duprat Neves; Ricardo Marques Dias; Antônio José Ledo Alves da Cunha; Antonio Monteiro da Silva Chibante

J Bras Pneumol.2004;30(4):409-416

Resumo PDF PT PDF EN English Text

INTRODUÇÃO: A tuberculose é a causa mais freqüente de derrame pleural no Brasil. Em mais de 50% dos casos o tratamento tem sido instituído sem a confirmação do diagnóstico. Nosso objetivo é identificar variáveis que possam contribuir para este diagnóstico. MÉTODO: Estudamos 215 pacientes subseqüentes com derrame pleural, 104 com tuberculose (TB) e 111 com outras causas (NTB): 41 neoplasias, 29 transudatos, 28 parapneumômicos e 13 de outras etiologias. Variáveis clínicas, radiológicas e laboratoriais foram avaliadas quanto ao poder em discriminar os dois grupos de modo isolado ou em associação. RESULTADOS: O sexo masculino e a reação ao PPD maior do que 10mm foram significantemente mais freqüentes no grupo da tuberculose. Dentre as variáveis contínuas, a adenosina desaminase (ADA), o percentual de células, a proteína e a idade mostraram melhor desempenho isolado para o diagnóstico, com uma área abaixo da curva ROC maior do que 0,7 e razão de chance superior a 5. As características radiológicas, a desidrogenase lática, os leucócitos e o tempo de doença não foram capazes, isoladamente, de diferenciar o grupo TB do NTB. A associação da ADA com qualquer uma das demais variáveis contínuas, de melhor desempenho isolado, possui uma LR+ maior do que 10 e uma LR- menor do que 0,1, o que praticamente confirma a presença ou ausência da tuberculose pleural. CONCLUSÕES: Em pacientes com ADA maior do que 39U/L, a sensibilidade foi de 95%. A especificidade pode ser aumentada, para mais de 90%, se considerarmos os derrames não purulentos ou com predomínio de linfócitos (>50%).

 


Palavras-chave: Tuberculose, pleural/diagnóstico. Adenosina desaminase/uso diagnóstico. Sensibilidade e especificidade.

 

6 - Óbitos atribuídos à tuberculose no Estado do Rio de Janeiro

Deaths attributed to tuberculosis in the state of Rio de Janeiro

Lia Selig; Márcia Belo; Antônio Jose Ledo Alves da Cunha; Eleny Guimarães Teixeira; Rossana Brito; Ana Lucia Luna; Anete Trajman

J Bras Pneumol.2004;30(4):417-424

Resumo PDF PT PDF EN English Text

INTRODUÇÃO:Em 1998, o Rio de Janeiro era o estado de maior incidência e mortalidade por tuberculose do Brasil. O Sistema de Informação de Agravos de Notificação em Tuberculose (SINAN-TB-RJ) não era confiável. OBJETIVO: Utilizar o estudo dos óbitos por tuberculose como instrumento de avaliação do programa de controle de tuberculose. MÉTODO: Foram realizados estudos descritivos do SINAN-TB-RJ e do Sistema de Informação de Mortalidade em tuberculose do Rio de Janeiro (SIM-TB-RJ) e os dois bancos de dados foram cruzados utilizando-se o programa Reclink. Foi também realizado um estudo baseado em prontuários dos cinco hospitais onde ocorreu o maior número de óbitos por tuberculose. RESULTADOS: Em 1998 foram registrados no SINAN-TB-RJ 16.567 casos de tuberculose em maiores de 14 anos. A forma pulmonar estava presente em 13.989 (84,5%) casos, dos quais 8.223 (56,8%) tiveram baciloscopia positiva. A sorologia anti-HIV, recomendada para todos os pacientes com tuberculose, foi solicitada em apenas 4.141 (25%) casos. No SIM-TB-RJ foram registrados 1.146 óbitos, dos quais 478 (41,7%) casos haviam sido notificados no SINAN-TB-RJ, entre 1995 e 1998. Dos 302 prontuários estudados, em 154 (50,9%) o período de internação foi inferior a 10 dias. O tempo entre o início dos sintomas e o diagnóstico foi superior a 60 dias em 143 (47,3%) pacientes. Dos 125 pacientes em re-tratamento, para apenas 43 (34,4%) foi prescrito o esquema RHZE recomendado pelo Ministério da Saúde. CONCLUSÃO: O estudo demonstra que a tuberculose é sub-notificada, o diagnóstico é tardio, a utilização dos exames laboratoriais recomendados é baixa e as normas do Ministério da Saúde não são cumpridas.

 


Palavras-chave: Tuberculose. Epidemiologia. Avaliação de programas

 

7 - Resistência aos medicamentos anti-tuberculose de cepas de Mycobacterium tuberculosis isoladas de pacientes atendidos em hospital geral de referência para tratamento de AIDS no Rio de Janeiro

Drug-resistant Mycobacterium tuberculosis strains isolated at an AIDS reference center general hospital in Rio de Janeiro

Rossana Coimbra Brito; Celine Gounder; Dirce Bonfim de Lima; Hélio Siqueira; Hebe Rodrigues Cavalcanti; Maracy Marques Pereira; Afrânio Lineu Kritski

J Bras Pneumol.2004;30(4):425-432

Resumo PDF PT PDF EN English Text

INTRODUÇÃO: A tuberculose tem trazido importantes desafios ao setor de saúde. O Brasil tem alta prevalência da doença e o Estado do Rio de Janeiro possui as maiores taxas de incidência do país. O município do Rio de Janeiro é responsável pela maior notificação do estado e cerca de 30% dos casos diagnosticados têm origem em hospitais. OBJETIVO: Estimar a prevalência de resistência inicial e adquirida e identificar fatores associados à ocorrência de resistência em hospital geral referência para tratamento de AIDS no Rio de Janeiro. MÉTODO: Foram analisadas cepas de Mycobacterium tuberculosis de 165 pacientes, entre agosto de 1.996 e fevereiro de 1.998. RESULTADOS: Vinte por cento (33/165) apresentaram resistência a pelo menos um medicamento: 13% (22/165) à isoniazida, 1,8% (3/165) à rifampicina e 3,6% (6/165) a ambas. Entre pacientes infectados pelo HIV (52/165), 28,85% (15/52) apresentaram resistência a pelo menos um fármaco. Resistência adquirida ocorreu em 12,5% dos pacientes que referiram tratamento anterior (3/24), com associação significativa com imagem radiológica não cavitária (p = 0,05). Resistência inicial ocorreu em 18,4% dos pacientes virgens de tratamento (26/141), com associação significativa com ser profissional de saúde (p = 0,004), desemprego (p = 0,03) e diarréia (p = 0,01) na análise bivariada. Na análise multivariada, ser profissional de saúde manteve-se fortemente associado com a ocorrência de resistência inicial (p = 0,002). CONCLUSÃO: Taxas de resistência elevadas foram encontradas nesta série. Estes achados corroboram a necessidade de que atenção maior seja dada à tuberculose em ambiente hospitalar, em especial no que diz respeito à preocupante associação entre resistência nas cepas isoladas e profissionais de saúde.

 


Palavras-chave: Mycobacterium tuberculosis. Resistência a drogas. Transmissão de doença do paciente para o profissional. Hospitais.

 

8 - Análise de diferentes primers utilizados na PCR visando ao diagnóstico da tuberculose no Estado do Amazonas

Analysis of different primers used in the PCR method: diagnosis of tuberculosis in the state of Amazonas, Brazil

Mauricio Morishi Ogusku; Julia Ignez Salem

J Bras Pneumol.2004;30(4):433-439

Resumo PDF PT PDF EN English Text

INTRODUÇÃO: Há diferentes primers sendo testados para a detecção do DNA do Mycobacterium tuberculosis. A acuidade da reação em cadeia da polimerase (PCR) depende da existência da seqüência alvo no bacilo e de os testes serem realizados em cepas isoladas ou em amostras clínicas. OBJETIVO: Verificar a presença das seqüências de DNA alvo mais relatadas na literatura para o diagnóstico da tuberculose em amostras clínicas usando como controle positivo as respectivas cepas de M. tuberculosis isoladas. MÉTODO: Oitenta e uma amostras clínicas de pacientes com suspeita de tuberculose foram submetidas à baciloscopia e cultivo. A técnica de PCR foi realizada nas amostras clínicas e cepas isoladas com primers específicos para os seguintes alvos: IS6110, 65 kDa, 38 kDa e MPB64. RESULTADOS: Em 24 amostras com baciloscopia e cultivo negativos, a PCR também foi negativa com todos os primers testados. Em 19 amostras com baciloscopia positiva e nas cepas isoladas obteve-se 100% de resultados positivos nas PCR, exceto nas PCR em amostras clínicas com os primers para a seqüência MPB64 (89,4%). Em 38 amostras com baciloscopia negativa e cultivo positivo, as PCR tiveram resultados variáveis, sendo que os primers específicos que amplificam o fragmento de 123 pb da seqüência IS6110 foram os que forneceram os maiores percentuais de positividade (92,1%), concordância diagnóstica (0,9143), co-positividade (94,7%) e co-negatividade (100%). CONCLUSÃO: As seqüências IS6110, 38 kDa, MPB64 e 65 kDa foram encontradas no genoma de todas as cepas de M. tuberculosis isoladas desses pacientes do Estado do Amazonas. O protocolo utilizado no processamento das amostras clínicas e os primers específicos utilizados para amplificação do fragmento de 123 pb da seqüência IS6110 demonstraram maior eficiência no diagnóstico da tuberculose pulmonar (paucibacilar) em comparação com a literatura.

 


Palavras-chave: Primers/PCR. Diagnóstico/Tuberculose. Mycobacterium tuberculosis.

 

9 - Prevalência da prova tuberculínica positiva entre alunos da Faculdade de Medicina de Campos (RJ)

Prevalence of tuberculin skin testing among medical students in Campos School of Medicine, Rio de Janeiro

Luiz Clovis Parente Soares; Fernanda C. Queiroz Mello; Afrânio Lineu Kritski

J Bras Pneumol.2004;30(4):440-447

Resumo PDF PT PDF EN English Text

INTRODUÇÃO:O Hospital Ferreira Machado, utilizado em parte das atividades de treinamento clínico dos alunos da graduação da Faculdade de Medicina de Campos, admitiu 65 pacientes com tuberculose em 2001. OBJETIVO: Quantificar a resposta cutânea ao PPD e descrever a prova tuberculínica (PT) positiva entre os alunos. Identificar e analisar os fatores associados à PT positiva. Comparar as taxas de PT positiva, incluindo o efeito booster e estimar a prevalência da PT positiva nos diferentes períodos da graduação. MÉTODO: Estudo transversal de 500 alunos de medicina matriculados no primeiro semestre de 2002. Informações sobre características sócio-demográficas, vacinação pelo BCG e exposições potenciais à TB foram obtidas por meio de questionário padronizado e validado. A PT foi feita por profissional habilitado pelo Ministério da Saúde, usando-se PPD Rt23 através da técnica de Mantoux feita em dois tempos. RESULTADOS: Dos 500 alunos elegíveis, 316 (63,2%) foram incluídos. A análise mostrou taxas crescentes de positividade à PT feita em dois tempos, de acordo com o progredir das atividades práticas (4,0%, 6,4% e 13,1%) e uma tendência de associação entre o período profissional e a PT positiva. O maior percentual de PT positiva foi encontrado durante os anos de treinamento clínico, o que corresponde ao maior tempo de exposição a pacientes (1.000 horas). CONCLUSÃO: A prevalência da primeira PT positiva foi de 1,4% (5/345). Após o segundo teste, a proporção de PT positiva foi elevada (7,9%); 3). O período profissional (maior tempo de exposição a pacientes) mostrou tendência de associação com a PT positiva. A pesquisa do efeito booster mostrou-se altamente recomendável pois reduz a PT falso-negativa.

 


Palavras-chave: Tuberculina. Teste tuberculínico. Tuberculose. Estudantes de Medicina. Estudos transversais.

 

10 - Análise molecular de cepas de Mycobacterium tuberculosis provenientes de um centro de saúde ambulatorial em Porto Alegre, (RS)

Molecular analysis of Mycobacterium tuberculosis strains from an outpatient clinic in Porto Alegre, (RS)

Michele Borges; Patrícia Izquierdo Cafrune; Lia Gonçalves Possuelo; Andréia Rosane de Moura Valim; Marta Osório Ribeiro; Maria Lucia Rosa Rossetti

J Bras Pneumol.2004;30(4):448-454

Resumo PDF PT PDF EN English Text

INTRODUÇÃO: A tuberculose é uma doença antiga que ainda se mantém como um dos maiores males da humanidade no século XXI. Nas últimas décadas, o advento de novas tecnologias utilizando os conhecimentos de biologia molecular tem levado a um aumento na investigação da etiologia, detecção e epidemiologia da tuberculose. OBJETIVO: Avaliar o grau de similaridade entre as cepas de Mycobacterium tuberculosis provenientes do setor de tisiologia do Centro de Saúde Navegantes, de Porto Alegre (RS). MÉTODO: Foi realizado um estudo retrospectivo utilizando 55 amostras de escarro de pacientes atendidos ambulatorialmente no Centro de Saúde Navegantes para realização da técnica de RFLP. Os resultados obtidos pela genotipagem foram correlacionados com os dados gerados a partir da epidemiologia convencional. RESULTADOS: Trinta e nove isolados (70,9%) apresentaram padrão único, enquanto dezesseis isolados (29,1%) apresentaram padrões agrupáveis e formaram 8 clusters, com 2 pacientes em cada. Foi encontrada relação epidemiológica em 6 (37,5%) dos 16 pacientes em cluster. CONCLUSÃO: A associação adequada entre epidemiologia convencional e genotipagem de M. tuberculosis contribui para um melhor entendimento da dinâmica de transmissão da tuberculose mesmo quando o estudo é realizado em um único local.

 


Palavras-chave: Mycobacterium tuberculosis. Transmissão. RFLP. Epidemiologia.

 

11 - Avaliação de testes rápidos em microplacas usando indicadores de viabilidade celular para determinação da susceptibilidade de cepas de Mycobacterium tuberculosis à isoniazida e rifampicina

Evaluation of rapid microplate assays using cellular-viability indicators to determine patterns of susceptibility to isoniazid and rifampin in Mycobacterium tuberculosis strains

Marta Osório Ribeiro; Marlei da Silva Gomes; Simone Gonçalves Senna; Maria Lucia Rosa Rossetti; Leila de Souza Fonseca

J Bras Pneumol.2004;30(4):455-460

Resumo PDF PT PDF EN English Text

INTRODUÇÃO: As taxas de resistência aos fármacos constituem um dos pilares da avaliação dos programas de controle da tuberculose. A demora na obtenção dos resultados, conseqüência da metodologia convencional utilizada, faz com que haja a necessidade de avaliação de novos testes, mais rápidos e menos onerosos. OBJETIVO: Comparar técnicas fenotípicas rápidas para determinação do perfil de susceptibilidade de M. tuberculosis, utilizando indicadores de viabilidade celular, com o teste das proporções em Löwenstein-Jensen, padrão-ouro. MÉTODO: Foram utilizadas 166 cepas de M. tuberculosis com o perfil de susceptibilidade conhecido. A concentração mínima inibitória de cada fármaco foi determinada, em microplaca, utilizando-se meio líquido e os indicadores de oxi-redução, Alamar Blue® e brometo de tetrazolium. O ponto de corte entre a cepa sensível e a resistente foi estabelecido como concentração mínima inibitória maior ou igual a 0,2 mg /mL para isoniazida e 1,0 mg /mL para rifampicina. RESULTADOS: Houve concordância total entre os dois métodos de determinação da concentração mínima inibitória. Comparando os resultados dos testes com o padrão-ouro, obteve-se uma concordância de 95%, para isoniazida e rifampicina. O tempo para obtenção dos resultados foi de 7 dias, contrastando com os 28 dias pelo método convencional. CONCLUSÃO: Os testes para determinação da concentração mínima inibitória, em meio líquido, utilizando indicadores de oxi-redução, são rápidos e podem se utilizados como alternativa rápida na determinação de susceptibilidade de cepas de M. tuberculosis.

 


Palavras-chave: Tuberculose. Teste de susceptibilidade. Indicadores de oxi-redução. Concentração mínima inibitória

 

12 - Distribuição de Polimorfismos de Base única (SNPs) no gene de TNF-a (-238/-308) entre pacientes com TB e outras pneumopatias: marcadores genéticos de susceptibilidade a ocorrência de TB?

Single Nucleotide Polymorphisms (SNPs) of the TNF-á (-238/-308) gene among TB and nom TB patients: Susceptibility markers of TB occurrence?

Martha Maria de Oliveira; Jocilea C. S. da Silva; Joseane F. Costa; Lúcia Helena Amim; Carla C. S. Loredo; Hedi Melo; Luiz F. Queiroz; Fernanda C. Q. Mello; José Roberto Lapa e Silva; Afrânio Lineu Kritski; Adalberto Rezende Santos

J Bras Pneumol.2004;30(4):461-467

Resumo PDF PT PDF EN English Text

INTRODUÇÃO: Fatores genéticos podem desempenhar um importante papel na susceptibilidade à tuberculose (TB) ativa, e polimorfismos de base única (SNPs) em diferentes genes que codificam para citocinas têm sido descritos e associados com doenças. OBJETIVOS: Investigar o quanto polimorfismo na região promotora do gene que codifica para TNF-a (-238 e -308) estão associados a ocorrência de TB ativa. MÉTODOS: SNPs dentro do gene de TNF-a foram analisados por PCR- RFLP em dois grupos de indivíduos: pacientes com TB (n = 234) e pacientes com pneumopatias não TB (n = 113). RESULTADOS: Neste estudo, o alelo -238A esteve associado significantemente com susceptibilidade à ocorrência de TB e gravidade das formas clínicas (p = 0,00002; OR = 0,15; IC = 0,06-0,36). Por outro lado, o alelo -308A esteve associado significantemente com a proteção a outras formas de doença pulmonar (p = 0,02; OR = 1,95; IC = 1,07-3,58). CONCLUSÕES: Estes resultados preliminares sugerem a importância de estudos genéticos na ocorrência da TB. São necessários outros estudos para melhorar a compreensão sobre a patogênese do M. tb.

 


Palavras-chave: Tuberculoese/genética. Polimorfismo de um único nucleotídio/genética. Fator de necrose tumoral/genética. Alelos. Genótipo. Pneumopatias.

 

Artigo de Revisão

13 - É possível uma vacina gênica auxiliar no controle da tuberculose?

Could a DNA vaccine be useful in the control of tuberculosis?

José Maciel Rodrigues Júnior; Karla de Melo Lima; Arlete Aparecida Martins Coelho Castelo; Vânia Luiza Deperon Bonato Martins; Sandra Aparecida dos Santos; Lucia Helena Faccioli; Célio Lopes Silva

J Bras Pneumol.2004;30(4):468-477

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Vacinas de DNA, ainda em fase de experimentação e testes clínicos, podem se tornar uma importante ferramenta de combate a doenças infecciosas para as quais, até hoje, não existe prevenção segura e eficaz, como a tuberculose. Nos últimos anos vários estudos têm sido dedicados ao desenvolvimento de vacinas de DNA que codificam proteínas de micobactérias, entre as quais destacam-se as que codificam o antígeno 85 (Ag 85) e a proteína de choque térmico de 65 kDa (hsp65). Estes dois antígenos foram os mais estudados apresentando resultados bastante satisfatórios em ensaios pré-clínicos e com grande volume de dados registrados na literatura. Além de proteger contra infecção experimental por Mycobacterium tuberculosis virulenta, a vacina DNA-hsp65 também apresenta atividade terapêutica, ou seja, é capaz de curar os animais previamente infectados, inclusive aqueles com bacilos resistentes a múltiplas drogas. Esta vacina, hoje em avaliação clínica no Brasil também para o tratamento de câncer, é capaz de induzir a produção de citocinas de padrão Th1 tal como IFN- interferon-gama, associadas ao controle da doença. Além disso, a vacina de DNA-hsp65 é capaz de estimular clones de células CD8 citotóxicos e CD4 que podem ser caracterizados como células de memória sendo responsáveis por conferir imunidade duradoura contra a infecção. Quando utilizada na terapia da infecção, a vacina de DNA-hsp65 faz com que haja uma mudança no padrão de resposta imune, induzindo a secreção de citocinas de padrão Th1 criando um ambiente favorável à erradicação do bacilo. Os resultados demonstram ainda que a via de administração e a formulação na qual a vacina é administrada exerce fundamental influência no padrão e duração da resposta imune desencadeada. O conjunto de resultados hoje disponíveis mostra que uma vacina de DNA contra a tuberculose contribuirá de maneira significativa no controle desta doença.

 


Palavras-chave: Tuberculose/epidemiologia. Vacina de DNA/uso terapêutico. Proteínas do choque térmico. Auto-imunidade.

 

14 - O ressurgimento da tuberculose e o impacto do estudo da imunopatogenia pulmonar

The resurgence of tuberculosis and the impact of the study of pulmonary immunopathogenesis

José Roberto Lapa e SilvaI; Neio BoéchatII

J Bras Pneumol.2004;30(4):478-484

Resumo PDF PT PDF EN English Text

O ressurgimento da tuberculose como uma das doenças contagiosas que mais assola a humanidade deu-se após uma falsa impressão de que se caminhava para o seu controle antes do final do Século XX. Nos últimos dez anos, em associação com centros de pesquisas norte-americanos e europeus, nosso grupo na Universidade Federal do Rio de Janeiro tem estudado diversos aspectos relacionados com a patogenia da forma pulmonar, a mais importante por conta de sua freqüência e importância que tem no ciclo de transmissão. Nossa hipótese é que o estabelecimento da infecção latente e o desenvolvimento da forma ativa dependem de um desequilíbrio entre citocinas ativadoras e desativadoras da função microbicida dos macrófagos. A despeito da presença de mecanismos habitualmente protetores, como de moléculas nos macrófagos que denotam ativação celular e de moléculas comprometidas com a proteção contra a tuberculose, como o óxido nítrico e o interferon-g, a tuberculose progride. Um dos motivos é a presença no sítio de infecção de moléculas como a interleucina-10 e o TGF-b, que tem capacidade de desativar macrófagos previamente ativados. Existem evidências que a micobactéria secreta proteínas capazes de induzir a expressão de interleucina-10, agindo assim para burlar os mecanismos de defesa. Indivíduos suscetíveis teriam mais capacidade de responder a estas moléculas da micobactéria, devido a mutações genéticas que facilitam a produção de interleucina-10. A compreensão destes mecanismos poderá representar avanços na prevenção e descoberta de novos alvos terapêuticos para o controle da tuberculose.

 


Palavras-chave: Tuberculose/etiologia. Tuberculose pulmonar/patologia.

 

15 - Quimioprofilaxia na prevenção da tuberculose

Chemoprophylaxis in the prevention of tberculosis

Norma I Soza Pineda; Susan M. Pereira; Eliana Dias Matos; Mauricio L Barreto

J Bras Pneumol.2004;30(4):485-495

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A quimioprofilaxia da tuberculose constitui-se numa medida terapêutica para a prevenção da infecção pelo Mycobacterium tuberculosis ou para evitar o desenvolvimento da doença nos indivíduos infectados. Geralmente baseia-se na administração de isoniazida. Entretanto, o uso de rifampicina e pirazinamida vem sendo recentemente introduzido. Este trabalho tem como objetivo revisar os resultados dos principais estudos que avaliaram as indicações da quimioprofilaxia com isoniazida e sua associação com outras drogas, sua efetividade na prevenção da tuberculose considerando os diversos grupos de risco, e as alternativas do uso de outros esquemas. Procedeu-se à revisão sistemática da literatura, com ênfase em ensaios clínicos e meta-análises. Foram consultados também os documentos oficiais. Foram selecionados aqueles estudos que envolveram ensaios clínicos ramdomizados com uso de isoniazida, rifampicina ou pirazinamida em pacientes HIV positivos ou negativos. Concluiu-se que a isoniazida continua sendo efetiva na prevenção da tuberculose na população de indivíduos HIV negativos e de HIV positivos. A dose padrão de 5 a 15 mg/kg/dia tem mostrado proteção similar para períodos de tratamento de seis e doze meses. O risco de desenvolver hepatite foi menor que 1%, sendo recomendada sua utilização com acompanhamento nos indivíduos com idade superior a 35 anos e usuários de álcool. Os estudos com esquemas de tratamento utilizando outros medicamentos não foram conclusivos, sendo necessária a realização de novos estudos para avaliação da efetividade desses esquemas em populações de alto risco de desenvolver tuberculose.

 


Palavras-chave: Tuberculose. Quimioprofilaxia. Isoniazida.

 

Cartas ao Editor

16 - Limitações do uso do fragmento mtp40 como marcador de diferenciação entre Mycobacterium tuberculosis e M. bovis

Limitations of the use of the mtp40 fragment as a marker of differentiation between Mycobacterium tuberculosis and M. bovis

Cristina Viana-Niero; Sylvia Cardoso Leão

J Bras Pneumol.2004;30(4):496-500

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Os bacilos que causam a tuberculose estão agrupados no complexo Mycobacterium tuberculosis, composto por: M. tuberculosis, M. bovis subsp. bovis, M. africanum e M. microti, além da cepa vacinal M. bovis BCG. Tem sido proposta a inclusão de novas espécies neste complexo, como M. canettii, uma variante de M. tuberculosis encontrada na região da Somália(1), M. caprae, agente etiológico de tuberculose em caprinos(2), e M. pinnipedii, que causa tuberculose em leões marinhos, mas que também pode infectar o homem(3).

 


 


O Jornal Brasileiro de Pneumologia está indexado em:

Latindex Lilacs SciELO PubMed ISI Scopus Copernicus pmc

Apoio

CNPq, Capes, Ministério da Educação, Ministério da Ciência e Tecnologia, Governo Federal, Brasil, País Rico é País sem Pobreza
Secretaria do Jornal Brasileiro de Pneumologia
SCS Quadra 01, Bloco K, Salas 203/204 Ed. Denasa. CEP: 70.398-900 - Brasília - DF
Fone/fax: 0800 61 6218/ (55) (61) 3245 1030/ (55) (61) 3245 6218
E-mails: jbp@jbp.org.br
jpneumo@jornaldepneumologia.com.br

Copyright 2017 - Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia

Logo GN1