Jornal Brasileiro de Pneumologia

ISSN (on-line): 1806-3756

ISSN (impressa): 1806-3713

Busca avançada

Ano 2006 - Volume 32  - Número 1  (Janeiro/Fevereiro)






Editorial

1 - Mestre Rosemberg

Master Rosemberg

Affonso Berardinelli Tarantino

J Bras Pneumol.2006;32(1):1

PDF PT PDF EN English Text


Artigo Original

4 - Avaliação prognóstica precoce da asma aguda na sala de emergência

Early prognosis of acute asthma in the emergency room

Deise Marcela Piovesan, Diego Milan Menegotto, Suzie Kang, Eduardo Franciscatto, Thaís Millan, Cristine Hoffmann, Lílian Rech Pasin, Josiane Fischer, Sérgio Saldanha Menna Barreto, Paulo de Tarso Roth Dalcin

J Bras Pneumol.2006;32(1):1-9

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Estudar medidas clínicas e funcionais pulmonares utilizadas nos primeiros quinze minutos de manejo da asma aguda em um serviço de emergência, para predição prognóstica. Métodos: Estudo de coorte, prospectivo, que incluiu pacientes consecutivos com asma aguda, com idades entre doze e 55 anos e medida do pico de fluxo expiratório menor ou igual a 50% do previsto. Realizaram-se avaliações na admissão, aos quinze minutos e em quatro horas após o início do tratamento. O tratamento incluiu salbutamol e ipratrópio, administrados por aerossol dosimetrado com espaçador, e 100 mg de hidrocortisona intravenosa. O desfecho favorável foi definido pelo pico de fluxo expiratório maior ou igual a 50% do previsto após a quarta hora de tratamento, e o desfecho desfavorável pelo pico de fluxo expiratório menor que 50% do previsto. Resultados: Tiveram desfecho favorável 27 pacientes e desfavorável 24. A análise multivariada identificou o pico de fluxo expiratório em porcentagem do previsto aos quinze minutos como variável mais preditiva. O pico de fluxo expiratório maior ou igual a 40% aos quinze minutos mostrou significativa contribuição em predizer desfecho favorável (sensibilidade = 0,74, especificidade = 1,00 e valor preditivo positivo = 1,00). O pico de fluxo expiratório menor que 30% aos quinze minutos contribuiu para predizer desfecho desfavorável (sensibilidade = 0,54, especificidade = 0,93 e valor preditivo positivo = 0,87). Conclusão: O estudo sugeriu que a medida do pico de fluxo expiratório aos quinze minutos do manejo da asma aguda em um serviço de emergência é um instrumento útil para avaliação prognóstica.

 


Palavras-chave: Asma; Doença aguda; Mecânica respiratória; Prognóstico; Serviço hospitalar de emergência; Estudos de coortes

 

5 - Avaliação da qualidade de vida em pacientes submetidos a ressecção pulmonar por neoplasia

Evaluation of quality of life of patients submitted to pulmonary resection due to neoplasia

Ivete Alonso Bredda Saad, Neury José Botega, Ivan Felizardo Contrera Toro

J Bras Pneumol.2006;32(1):10-15

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar a qualidade de vida relacionada à saúde de pacientes com ressecção de parênquima pulmonar por neoplasia. Método: Os pacientes foram estudados no pré-operatório e posteriormente nos 30º, 90º e 180º dias do pós-operatório, através do questionário The Medical Outcomes Study 36-item Short-Form Health Survey. Utilizaram-se como modelo estatístico as Equações de Estimação Generalizada em que a variável dependente qualidade de vida muda para cada paciente ao longo dos tempos de coleta, considerando como variáveis independentes: sexo, idade, escolaridade, tipo de cirurgia, radioterapia, quimioterapia, capacidade vital forçada e teste de caminhada de seis minutos. O nível de significância adotado foi de 5%. Resultados: Concluíram o estudo 36 pacientes, sendo 20 do sexo masculino. Dezessete foram submetidos a lobectomia, 10 a pneumectomia, 6 a segmentectomia e 3 a bilobectomia. Quinze pacientes receberam quimioterapia, 2 radioterapia e outros 2 rádio e quimioterapia. Houve melhora da qualidade de vida nos domínios: social após três meses da cirurgia; físico e funcional nos pacientes com melhor desempenho do teste de caminhada de seis minutos e capacidade vital forçada; e físico nos pacientes com menor ressecção cirúrgica. Houve piora da qualidade de vida nos domínios: social no sexo feminino; físico e social mediante tratamento com rádio e/ou quimioterapia; e físico e funcional nos primeiros 30 dias do pós-operatório. Conclusão: É importante a realização de estudos sobre os vários componentes da qualidade de vida e o impacto das formas de tratamento oncológico sobre estas variáveis, visando à melhora da qualidade de vida após ressecção pulmonar por neoplasia.

 


Palavras-chave: Neoplasias pulmonares/cirurgia; Pneumonectomia; Qualidade de vida; Questionários

 

6 - Repercussões do pneumoperitônio na amplitude da excursão diafragmática em suínos

Effects of pneumoperitoneum on the amplitude of diaphragmatic excursion in pigs

Valéria Marques Ferreira Normando, Marcus Vinicius Henriques Brito, Francisco Alves de Araújo Júnior, Breno Costa Maciel Albuquerque

J Bras Pneumol.2006;32(1):16-22

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Estudar as repercussões causadas pelo pneumoperitônio induzido com dióxido de carbono na mobilidade diafragmática de suínos. Métodos: Foram utilizados aleatoriamente 14 suínos machos, da raça Landrace, pesando entre cinco e sete quilos, com 30 a 45 dias de idade. A amostra foi dividida igualitariamente em um grupo com pneumoperitônio realizado com 10 mmHg durante 60 minutos (n = 7) e em outro com pneumoperitônio com 15 mmHg durante 60 minutos (n = 7). Após a indução anestésica, os animais foram intubados e mantidos sob monitoração do volume corrente associada à análise não invasiva da amplitude diafragmática com o uso da ultra-sonografia da hemicúpula diafragmática direita. Resultados: Em ambos os grupos foi observada restrição da amplitude diafragmática somente durante o procedimento. Não houve diferença estatística entre os níveis de pressão estudados. Conclusão: Houve restrição da amplitude diafragmática durante a insuflação da cavidade abdominal, a qual se mostrou independente do nível pressórico compreendido na faixa de 10 a 15 mmHg, durante o período de tempo estudado.

 


Palavras-chave: Pneumoperitônio/induzido quimicamente; Dióxido de carbono; Diafragma; Cirurgia video-assistida; Suínos

 

7 - Prevalência e características do tabagismo em jovens da Universidade de Brasília

Prevalence and characteristics of smoking among youth attending the University of Brasília in Brazil

Ana Paula Alves de Andrade, Ana Cláudia Corsini Bernardo, Carlos Alberto de Assis Viegas, Denise Bastos Lage Ferreira, Thais Cabral Gomes, Mariana Ramos Sales

J Bras Pneumol.2006;32(1):23-28

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Conhecer a prevalência do tabagismo e descrever o perfil e hábitos do consumo tabágico entre alunos da Universidade de Brasília. Métodos: Responderam a um questionário adaptado sobre tabagismo, da Organização Mundial da Saúde, com perguntas dirigidas a fumantes, ex-fumantes e não fumantes, 1.341 alunos. Foram avaliados vinte cursos diferentes pertencentes às áreas de ciências da saúde, exatas e humanas. No momento da pesquisa, os universitários estavam cursando o segundo semestre letivo de 2003, devidamente matriculados no período diurno. Resultados: A prevalência de tabagismo foi de 14,7%. Cerca de 80,8% dos alunos não eram fumantes e 4,5% foram classificados como ex-fumantes. Da amostra total, 57,3% eram homens. Não houve diferença estatisticamente significativa (p > 0,05) na prevalência de tabagismo entre os sexos ou períodos cursados. A média de idade da população estudada foi de 21,6 ± 3,6 anos, com idade média de início do tabagismo de 17 ± 2,8 anos. Os cursos de Geologia, Comunicação e História apresentaram as maiores prevalências de fumantes com 32,9%, 26,3% e 24,4%, respectivamente. Foi observado consumo médio de 7,5 cigarros por dia. O cigarro industrializado foi citado como o tipo de tabaco mais comumente utilizado entre os universitários (72,6%). Conclusão: Esta alta prevalência assemelha-se às de outros centros universitários e demanda políticas de controle do tabagismo nos meios universitários.

 


Palavras-chave: Tabagismo/epidemiologia; Estudantes; Questionários

 

8 - Conhecimento da disponibilidade e sobre o uso da ventilação não invasiva em unidades de terapia intensiva de hospitais públicos, privados e de ensino da região metropolitana de São Paulo

Availability and use of noninvasive ventilation in the intensive care units of public, private and teaching hospitals in the greater metropolitan area of São Paulo, Brazil

Lara Maris Nápolis, Leila Mara Jeronimo, Danila Vieira Baldini, Michelle Pinheiro Machado, Virgínia Aparecida de Souza, Pedro Caruso

J Bras Pneumol.2006;32(1):29-34

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar o conhecimento da disponibilidade de equipamentos para ventilação não invasiva e o grau de conhecimento, atualização e familiaridade sobre ventilação não invasiva entre médicos, enfermeiros e fisioterapeutas em unidades de terapia intensiva de hospitais públicos, privados e de ensino da região metropolitana de São Paulo. Métodos: Preenchimento de questionário no local. Resultados: A disponibilidade de equipamentos para ventilação não invasiva na região metropolitana de São Paulo é elevada, sendo maior nos hospitais privados do que nos de ensino e em ambos é maior do que nos públicos. Nos hospitais públicos predomina o uso de aparelhos de ventilação invasiva adaptados para ventilação não invasiva. Nos hospitais privados predomina o gerador de fluxo e nos hospitais de ensino, os ventiladores específicos para ventilação não invasiva. Todos os fisioterapeutas sentiam-se aptos a instalar a ventilação não invasiva, contra 72,6% dos médicos e 33,3% dos enfermeiros. Médicos e fisioterapeutas tiveram grande percentagem de acertos nas indicações e contra-indicações da ventilação não invasiva, que foi menor para os enfermeiros. Em um ano, mais fisioterapeutas leram artigos científicos e participaram de aulas sobre ventilação não invasiva do que médicos, e estes mais que enfermeiros. Conclusão: A disponibilidade de equipamentos para ventilação não invasiva é elevada nos hospitais da região metropolitana de São Paulo, com diferenças no tipo de equipamento disponível. Médicos e fisioterapeutas têm elevado grau de acerto nas indicações e contra-indicações de seu uso. Fisioterapeutas sentem-se mais aptos a instalar a ventilação não invasiva e estão mais atualizados do que médicos e enfermeiros.

 


Palavras-chave: Respiradores mecânicos; Respiração com pressão positiva/métodos; Insuficiência respiratória;

 

9 - Incidência de lesão pulmonar aguda e síndrome da angústia respiratória aguda no centro de tratamento intensivo de um hospital universitário: um estudo prospectivo

Incidence of acute lung injury and acute respiratory distress syndrome in the intensive care unit of a university hospital: a prospective study

Raquel Hermes Rosa Oliveira, Aníbal Basille Filho

J Bras Pneumol.2006;32(1):35-42

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Estabelecer a incidência de lesão pulmonar aguda e síndrome da angústia respiratória aguda, os principais fatores de risco associados e a mortalidade em um centro de tratamento intensivo. Comparar os pacientes que desenvolveram lesão pulmonar com pacientes com fatores de risco, porém sem lesão pulmonar aguda e síndrome da angústia respiratória aguda. Métodos: O estudo foi realizado no centro de tratamento intensivo da Unidade de Emergência do Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto. Os pacientes admitidos no período de maio de 2001 a abril de 2002 foram acompanhados prospectivamente. Foram registrados: características clínicas, índice Acute Physiologic and Chronic Health Evaluation II, complicações, tempo de internação no centro de tratamento intensivo e no hospital, e dados sobre a lesão pulmonar. Resultados: ocorreram 524 admissões no período, 175 pacientes apresentaram fatores de risco para lesão pulmonar aguda e síndrome da angústia respiratória aguda (33,4%), 33 desenvolveram síndrome da angústia respiratória aguda (6,3%) e 12 desenvolveram lesão pulmonar aguda (2,3%). Os principais fatores de risco foram pneumonia (37,7%), choque (32,0%), politrauma (24,6%) e sepse (21,1%). Os pacientes que desenvolveram lesão pulmonar aguda tiveram maior índice Acute Physiologic and Chronic Health Evaluation II (p < 0.05), maior freqüência de sepse (p = 0.001), mais complicações (p = 0.001), maior mortalidade (p = 0.001). A principal causa de morte foi a Síndrome de Disfunção de Múltiplos Órgãos e Sistemas (38,5%). Conclusão: A incidência de LPA e SARA foi de 2,3 e 6,3% respectivamente. Os principais fatores derisco foram pneumonia, choque, politrauma e sepse. Os pacientes com LPA e SARA apresentaram-se mais graves e tiveram alta mortalidade

 


Palavras-chave: Síndrome do desconforto respiratório do adulto/epidemiologia; Síndrome do desconforto respiratório do adulto/mortalidade; Fatores de risco; Hospitais Universitários

 

10 - Perfil funcional de pacientes portadores de seqüela de tuberculose de um hospital universitário

Functional profile of patients with tuberculosis sequelae in a university hospital

Lucia Maria Macedo Ramos, Nara Sulmonett, Cid Sergio Ferreira, Juliana Fulgêncio Henriques, Silvana Spíndola de Miranda

J Bras Pneumol.2006;32(1):43-47

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Descrever os dados de função pulmonar de pacientes com seqüela de tuberculose pulmonar, pleural e pleuropulmonar. Métodos: Em um ambulatório de tuberculose de um hospital universitário, de 218 pacientes atendidos, 56 tinham seqüela de tuberculose pulmonar, pleural e pleuropulmonar, e 162 tiveram outros tipos de tuberculose. No laboratório de função pulmonar, 43 foram elegíveis para o estudo, de fevereiro de 2000 a julho de 2004. Foram excluídos os pacientes com doenças prévias, como: asma; doença pulmonar obstrutiva crônica; insuficiência cardíaca; doenças do colágeno; silicose; cirurgia torácica prévia; e espirometria inaceitável ou não realizada. Os campos pulmonares foram divididos em seis zonas e os radiogramas classificados em: grau I, com mínimo envolvimento em somente uma zona sem cavitação; grau II, com envolvimento de duas ou três zonas ou uma zona com cavitação; grau III, com envolvimento grave em mais de três zonas com ou sem cavitação. Resultados: Cinqüenta pacientes foram incluídos no estudo e 44 deles tiveram tuberculose pulmonar (88%). O distúrbio ventilatório combinado foi o mais prevalente, 17/50 (34%). Os distúrbios acentuados foram mais significativos no grau III (p = 0,0002). A função pulmonar normal predominou nos graus I e II (p = 0,002). Conclusão: A descoberta e o tratamento precoce dos casos de tuberculose pulmonar contribuem para a diminuição dos casos da doença e de suas seqüelas, melhorando a qualidade de vida desses pacientes. Os autores sugerem uma análise logitudinal e seqüencial (protocolo), com maior número de pacientes com seqüelas de tuberculose nos serviços de referência no Brasil.

 


Palavras-chave: Tuberculose pulmonar/diagnóstico; Tuberculose pleural/diagnóstico; Testes de função respiratória;

 

11 - Prevalência e fatores associados à tuberculose em pacientes soropositivos para o vírus da imunodeficiência humana em centro de referência para tratamento da síndrome da imunodeficiência adquirida na região sul do Rio Grande do Sul

Prevalence of and factors related to tuberculosis in seropositive human immunodeficiency virus patients at a reference center for treatment of human immunodeficiency virus in the southern region of the state of Rio Grande do Sul, Brazil

Jussara Maria Silveira, Raúl Andrés Mendoza Sassi, Isabel Cristina de Oliveira Netto, Jorge Lima Hetzel

J Bras Pneumol.2006;32(1):48-55

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Considerando a relevância da co-infecção vírus da imunodeficiência humana/tuberculose, este estudo foi desenvolvido para determinar a prevalência e os fatores associados à tuberculose em pacientes residentes em uma zona de alta prevalência das duas infecções. Métodos: Todos os pacientes atendidos no ano de 1999 no Serviço HIV/AIDS do Hospital Universitário da Universidade Federal do Rio Grande foram avaliados retrospectivamente desde o momento do diagnóstico da presença do vírus da imunodeficiência humana, em relação à ocorrência de tuberculose e sua associação com fatores sociodemográficos, comportamentais e imunológicos. Resultados: A amostra incluiu 204 pacientes e a prevalência encontrada de tuberculose foi de 27%. A análise multivariada mostrou que existe uma associação significativa do desenvolvimento de tuberculose com a raça negra (razão de chance: 4,76; intervalo de confiança de 95%: 1,93 -11,72) e uma relação inversa com a contagem de linfócitos TCD4+ no momento do diagnóstico do vírus da imunodeficiência humana (razão de chance: 0,995; intervalo de confiança de 95%: 0,993-0,997). O sexo masculino (razão de chance: 2,49; intervalo de confiança de 95%: 1,15-5,39) e o uso de drogas (razão de chance: 2,1; intervalo de confiança: 95% de 1,02-4,31) podem também ser fatores de risco quando analisados separadamente. Conclusão: Os fatores responsáveis pelo desenvolvimento da tuberculose entre os pacientes soropositivos para o vírus da imunodeficiência humana incluem os aspectos imunitários e fatores socioeconômicos e demográficos. A alta taxa de tuberculose em pacientes soropositivos torna urgente implementar estratégias que combinem rápida identificação e tratamento dos casos, comunicantes e indivíduos com infecção latente.

 


Palavras-chave: Infecções por HIV/complicações; Infecções oportunistas relacionadas com a AIDS/complicações; Tuberculose/etiologia; Tuberculose/epidemiologia

 

Artigo de Revisão

12 - Marcadores moleculares no câncer de pulmão: papel prognóstico e sua relação com o tabagismo

Molecular markers in lung cancer: prognostic role and relationship to smoking

Ricardo Luiz de Menezes Duarte, Marcos Eduardo Machado Paschoal

J Bras Pneumol.2006;32(1):56-65

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Estudos epidemiológicos têm demonstrado um nexo causal entre tabagismo e carcinoma de pulmão. Embora a maioria dos cânceres de pulmão esteja associada com tabagismo, somente uma minoria de grandes tabagistas desenvolve essa malignidade, o que leva ao conceito de que fatores genéticos afetam a susceptibilidade individual. As principais alterações moleculares no câncer de pulmão são: genes de supressão tumoral, proto-oncogenes e fatores de crescimento, atividade da telomerase e status de metilação de promotores. Fatores estimuladores da angiogênese (fator de crescimento endotelial vascular) e fatores relacionados à proliferação e apoptose de células tumorais (receptor para fator de crescimento epidérmico, p53, K-ras, retinoblastoma, BCL-2) são bem conhecidos. Vários desses fatores genéticos foram investigados, porém nenhum deles apresentou seletividade no que diz respeito à importância prognóstica ou eficácia terapêutica. Estratégias terapêuticas para o tratamento do câncer de pulmão devem considerar essas alterações genéticas precoces para promover o seu reparo ou eliminar as células tumorais.

 


Palavras-chave: Tabagismo; Neoplasias pulmonares; Marcadores genéticos; Prognóstico

 

13 - Novas terapias ergogênicas no tratamento da doença pulmonar obstrutiva crônica

New treatments for chronic obstructive pulmonary disease using ergogenic aids

Débora Strose Villaça, Maria Cristina Lerario, Simone Dal Corso, José Alberto Neder

J Bras Pneumol.2006;32(1):66-77

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A doença pulmonar obstrutiva crônica é considerada, atualmente, uma doença sistêmica, cujas alterações estruturais e metabólicas podem levar à disfunção muscular esquelética. Esta afeta negativamente o desempenho muscular respiratório e periférico, a capacidade funcional, a qualidade de vida relacionada à saúde e mesmo a sobrevida. A indicação de suplementação de substâncias ergogênicas para pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica baseia-se no fato de que estas drogas podem evitar, ou minimizar, o catabolismo e/ou estimular a síntese protéica, diminuindo a depleção de massa muscular e aumentando a capacidade de exercício. A presente revisão sumariza o conhecimento disponível acerca da utilização de esteróides anabolizantes, creatina, L-carnitina, aminoácidos de cadeia ramificada e hormônio de crescimento em pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica. A vantagem do uso dessas substâncias ergogênicas parece residir no aumento da massa magra e/ou na indução de modificações bioenergéticas. Nesse contexto, a maior experiência acumulada é com os esteróides anabolizantes. Entretanto, os benefícios clínicos em relação à melhora da capacidade de exercício e força muscular, bem como os efeitos na morbimortalidade, não foram, até a presente data, consistentemente demonstrados. A suplementação ergogênica pode vir a se constituir numa ferramenta adjuvante para o tratamento de pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica avançada, especialmente naqueles com depleção muscular e/ou fraqueza periférica.

 


Palavras-chave: Pneumopatias obstrutivas; Músculos respiratórios; Suplementos dietéticos; Agentes anabolizantes/uso terapêutico; Exercício; Metabolismo energético

 

Relato de Caso

14 - Blastoma pulmonar: tratamento cirúrgico por lobectomia superior direita e broncoplastia

Pulmonary blastoma: treatment through sleeve resection of the right upper lobe

Eduardo Sperb Pilla, Pablo G. Sánchez, Gabriel Ribeiro Madke, Spencer Camargo, José de Jesus Peixoto Camargo

J Bras Pneumol.2006;32(1):75-77

Resumo PDF PT PDF EN English Text

O blastoma pulmonar é um tumor maligno raro, de crescimento rápido, composto por uma mistura de células epiteliais e mesenquimais malignas. Relatamos o caso de uma paciente com hemoptise e uma massa no lobo superior direito. Apresentava uma reserva pulmonar limitada e achado fibrobroncoscópico de comprometimento do brônquio intermediário. O tratamento realizado através de lobectomia superior direita com broncoplastia foi inédito. A paciente encontra-se assintomática após 36 meses de seguimento. A literatura é revisada em relação a aspectos clínicos, anatomopatológico e tratamento.

 


Palavras-chave: Blastoma pulmonar/cirurgia; Pneumonectomia; Relatos de casos [Tipo de publicação]

 

15 - Mediastinite esclerosante no diagnóstico diferencial de tumores mediastinais

Sclerosing mediastinitis in the differential diagnosis of mediastinal tumors

Davi Wen Wei Kang, Mauro Canzian, Ricardo Beyruti, Fábio Biscegli Jatene

J Bras Pneumol.2006;32(1):78-83

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A mediastinite esclerosante é uma doença rara, caracterizada por tecido fibrótico mediastinal extenso, que mimetiza uma neoplasia devido à compressão ou invasão das estruturas mediastinais. Apresentamos três casos de síndrome de veia cava superior em que se comprovou a mediastinite esclerosante. A fisiopatologia relaciona-se a adenomegalias mediastinais, proliferação de fibroblastos e deposição de colágeno. As principais causas são histoplasmose e tuberculose, doenças prevalentes em nosso meio. O diagnóstico histopatológico geralmente é difícil por métodos pouco invasivos. Necessita-se de exploração cirúrgica para o diagnóstico definitivo e resolução da obstrução das vias aerodigestiva e vascular, uma vez que não há tratamento clínico efetivo para esta afecção.

 


Palavras-chave: Mediastinite/fisiopatologia; Mediastino; Fibrose pulmonar; Neoplasias do mediastino; Diagnóstico diferencial; Relatos de casos [Tipo de publicação]

 

16 - Pneumotorax e pneumopericárdio hipertensivo em cirurgia cardiotorácica

Pneumothorax and tension pneumopericardium following cardiothoracic surgery

Rui Haddad, Carlos Eduardo Teixeira Lima, Carlos Henrique Boasquevisque, Guilherme Saraiva Haddad, Tadeu Diniz Ferreira

J Bras Pneumol.2006;32(1):84-87

Resumo PDF PT PDF EN English Text

São apresentados dois casos de pacientes com pneumotorax e pneumopericárdio hipertensivo, em pós-operatório de cirurgia cardiotorácica. Ambos tiveram abertura do pericárdio como um dos tempos cirúrgicos da operação inicial e apresentaram sintomas de tamponamento pericárdico como complicação. O tratamento foi uma drenagem pleural nos dois casos, que evoluíram para resolução do processo.

 


Palavras-chave: Pneumopericário/etiologia; Pneumotórax/etiologia; Procedimentos cirúrgicos torácicos/efeitos adversos; Complicações pós-operatórias

 

 


O Jornal Brasileiro de Pneumologia está indexado em:

Latindex Lilacs SciELO PubMed ISI Scopus Copernicus pmc

Apoio

CNPq, Capes, Ministério da Educação, Ministério da Ciência e Tecnologia, Governo Federal, Brasil, País Rico é País sem Pobreza
Secretaria do Jornal Brasileiro de Pneumologia
SCS Quadra 01, Bloco K, Salas 203/204 Ed. Denasa. CEP: 70.398-900 - Brasília - DF
Fone/fax: 0800 61 6218/ (55) (61) 3245 1030/ (55) (61) 3245 6218
E-mails: jbp@jbp.org.br
jpneumo@jornaldepneumologia.com.br

Copyright 2017 - Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia

Logo GN1