Jornal Brasileiro de Pneumologia

ISSN (on-line): 1806-3756

ISSN (impressa): 1806-3713

SCImago Journal & Country Rank
Busca avançada

Ano 1997 - Volume 23  - Número 2  (Março/Abril)






Editorial

1 - Pneumonia por "Pneumocystis carinii": tratar ou investigar?

Sérgio Menna Barreto

J Bras Pneumol.1997;23(2):57-60

PDF PT


Artigo Original

2 - Controle da pneumonia por "Pneumocystis carinii" em pacientes HIV-positivos: tratamento empírico "versus" confirmação microscópica

Management of "Pneumocystis carinii" pneumonia in HIV-infected patients: empiric treatment versus microscopic confirmation

Carlos Viegas, Rob Roy Macgregor, Ronald G. Collman

J Bras Pneumol.1997;23(2):61-65

Resumo PDF PT English Text

To determine the need for microscopic confirmation as compared to empiric treatment based on a clinical diagnosis in HIV-infected patients with suspected Pneumocystis carinii pneumonia (PCP), we reviewed the data of 82 patients admitted to our institution with respiratory infections during 1994. These patients formed a PCP group (n = 37) of whom 17 had a confirmed diagnosis and 20 were treated empirically, and a non-PCP group (n = 45) with respiratory infectious other than PCP. The PCP group differed significantly from non-PCP patients in having longer duration of symptoms, more frequent dyspnea at presentation, predominant bilateral chest X ray lesions, lower CD4 cells number and less frequent anti-PCP prophylaxis use. When empirically treated and confirmed were compared, there were no significant differences for any variable, except for a higher serum LDH in the confirmed patients. Patients treated empirically did not differ from those with confirmed diagnosis in any measures of outcome. Thus, microscopic confirmation may not be essential for HIV-infected patients with typical features of PCP, and empiric treatment based on clinical diagnosis is a reasonable alternative in this group of patients.

 


Palavras-chave: Controle de PPC. Tratamento empírico.

 

3 - Teste de sacarina em crianças

The saccharin test (ST) in children

Fabíola Villac Adde, Tatiana Rozov

J Bras Pneumol.1997;23(2):66-70

Resumo PDF PT English Text

O teste de sacarina é um método simples, reprodutível e de baixo custo que avalia o transporte mucociliar nasal. É usado como triagem diagnóstica na discinesia ciliar primária. Objetivo do estudo - Estabelecer valores médios para o teste de sacarina em população de crianças brasileiras aparentemente normais e compará-los com os citados na literatura. Local - A pesquisa foi realizada em duas escolas de São Paulo, SP. Participantes - Duzentos e trinta e oito crianças (134 M/104 F), entre 10,8 e 16,8 anos, foram estudadas após autorização familiar e após preenchimento de questionário sobre antecedentes alérgicos, doenças respiratórias e tabagismo passivo. Resultados - Após análise dos questionários a população foi divida em cinco grupos. A média do TSR no grupo de crianças normais foi de 7,5 ± 2,8min., comparável à da literatura. Não se observou diferença na duração média do TSR nas crianças com familiares fumantes, com IVAS, com alergia e IVAS, porém houve diferença significativa no grupo dos alérgicos. Como o desvio-padrão foi maior no grupo dos com IVAS, a população foi reorganizada, de acordo com a presença ou não de IVAS. Novamente, não houve diferença na média do TSR, mas a variabilidade foi significativamente maior no grupo com IVAS. Em 99% das crianças estudadas o teste durou menos de 30 minutos. Conclusões - O teste deve ser considerado alterado quando acima de 30 minutos, devendo ser repetido nesta situação. Recomenda-se não realizá-lo em indivíduos com IVAS no mês precedente.

 


Palavras-chave: Teste de sacarina. Transporte mucociliar nasal.

 

4 - Distribuição da solução Euro-Collins em pulmões de porcos ministrada por diferentes vias de perfusão rápida: estudo comparativo

Distribution of the Euro-Collins solution in swine lungs, given through different rapid perfusion routes: a comparative study

José Bitu-Moreno, Ieda Francischetti, Ralph Siemer, Georg Matheis, Rufus Baretti, Francisco Humberto de Abreu Maffei, Friedhelm Beyersdorf

J Bras Pneumol.1997;23(2):71-78

Resumo PDF PT English Text

No transplante pulmonar as complicações brônquicas são causas importantes de morbidade e mortalidade, contribuindo para tal a qualidade de proteção das vias aéreas, durante armazenamento e implantação do enxerto. Como a flush perfusion (perfusão rápida - PR) via artéria pulmonar (AP), com diferentes soluções de preservação, seguida de armazenamento hipotérmico do enxerto, é a técnica mais utilizada nos centros de TP, foi nosso objetivo comparar o fluxo de Euro-Collins (EUC) em pulmões de porcos, enfatizando o efeito sobre as vias aéreas, por diferentes técnicas de PR. Os animais foram divididos em grupos sem PR: controle (n=6) e com PR pelas seguintes vias: AP (n=6); artérias pulmonar e brônquicas, simultaneamente (AP+AB) (n=8) e veias pulmonares (VP) (n=6). Foram mensurados: fluxo total e regional pela técnica de microesferas coloridas, conteúdo de água e temperatura teciduais e hemodinâmica cardíaca. No parênquima, não houve diferença quanto ao fluxo entre os grupos AP+AB e AP, sendo estes superiores a VP (4,78 ± 0,9; 6,311 ± 1,5 e 2,693 ± 0,9ml/min/g, respectivamente). Nas vias aéreas houve aumento significante de fluxo em AP+AB, comparado com os demais grupos, tanto em traquéia proximal e distal (grupo AP+AB: 0,970 ± 0,4 e 0,380 ± 0,2, respectivamente; AP: 0,023 ± 0,007 e 0,024 ± 0,07; VP: 0,009 ± 0,003 e 0,021 ± 0,006 e controle: 0,125 ± 0,0018 e 0,105 ± 0,012ml/min/g), como em brônquio principal direito (AP+AB: 1,04 ± 0,4; controle: 0,11 ± 0,03; AP: 0,033 ± 0,008 e VP: 0,019 ± 0,005ml/min/g) e brônquio principal esquerdo (AP+AB = 0,97 ± 0,3; controle = 0,09 ± 0,02; AP = 0,045 ± 0,012 e VP = 0,027 ± 0,006ml/min/g). Em conclusão, nosso estudo demonstrou aumento significante no fluxo de EUC às vias aéreas, com a técnica de PR simultânea AP+AB, em comparação com as demais técnicas.

 


Palavras-chave: Transplante de pulmões. Perfusão rápida. Circulação brônquica. Complicações brônquicas.

 

4 - Alterações funcionais respiratórias na colecistectomia por via laparoscópica

Functional respiratory changes in laparoscopic cholecystectomy

Luciana Dias Chiavegato, José Roberto Jardim, Sonia Maria Faresin, Yara Juliano

J Bras Pneumol.1997;23(2):69-76

Resumo English Text

Objetivo: Estudar as alterações da ventilação e volumes pulmonares e da força muscular respiratória no pós-operatório de colecistectomia por via laparoscópica. Tipo de estudo: Estudo prospectivo. Material e métodos: Foram avaliados 20 pacientes provenientes da enfermaria de gastrocirurgia da Unifesp, com média de idade 42,7 anos, sendo 7 (35%) homens e 13 (65%) mulheres. No período pré-operatório todos foram submetidos a um questionário clínico, exame físico, radiografia de tórax, espirometria. No pré e no pós-operatório foram obtidas as medidas da força muscular respiratória (pressões inspiratória e expiratória máximas), da ventilação pulmonar (volume corrente e volume minuto), da capacidade vital, a oximetria de pulso e o índice diafragmático (ID). Este índice é capaz de refletir o movimento toracoabdominal, determinado pelas mudanças nas dimensões ântero-posteriores da caixa torácica (CT) e do abdome (AB) e foi calculado utilizando-se a seguinte fórmula: ID = D AB/D AB + D CT. Resultados: Observou-se que os pacientes evoluíram no primeiro dia de pós-operatório com diminuição média significante de 26% do volume corrente, de 645ml ± 220ml para 475ml ± 135ml; 20% do volume minuto, de 15,0L ± 4,5L para 11,9L ± 3,6L; 36% da capacidade vital, de 2,7L ± 0,6L para 1,74L ± 0,7L; 47% da pressão inspiratória máxima, de -75 ± -22cm/H2O para -40 ± 17cm/H2O; 39% da pressão expiratória máxima, de +90 ± 28cm/H2O para +55 ± 28cm/H2O e 36% do índice diafragmático, de 0,60 ± 0,10 para 0,39 ± 0,14 (p < 0,05). O volume corrente, o volume minuto e a pressão expiratória máxima retornaram aos seus valores basais no 3º dia de pós-operatório; a capacidade vital, pressão inspiratória máxima e o índice diafragmático retornaram aos seus valores basais entre o 4º e o 6º dia de pós-operatório. Dos vinte pacientes, somente um apresentou atelectasia como complicação pulmonar, tendo evoluído bem com as medidas habituais de fisioterapia respiratória. Conclusão: Concluímos que os pacientes submetidos à colecistectomia por via laparoscópica apresentam no 1º dia de pós-operatório diminuição significante dos volumes pulmonares e da força muscular respiratória. Porém, quando comparados com dados de literatura, o retorno aos valores pré-operatórios é mais rápido na cirurgia por via laparoscópica (3º e 4º dias de pós-operatório) do que na cirurgia abdominal convencional.

 


Palavras-chave: Cirurgia laparoscópica, pós-operatório e força muscular respiratória.

 

5 - "Pneumocystis carinii" pneumonia in patients with and without AIDS: a reappraisal

Pneumonia por "Pneumocystis carinii" em pacientes com e sem SIDA: reavaliação

Carloss Viegas, Ronald FCCP, Collman G

J Bras Pneumol.1997;23(2):79-82

Resumo PDF PT English Text

Purpose: Pneumocystis carinii pneumonia (PCP), the most common life-threatening opportunistic infection in AIDS, has long been associated with other immunodeficiency states as well. Earlier reports suggested that the presentation of PCP in AIDS differed from that in other conditions, but both AIDS-related PCP and non-AIDS immunosuppressed states have evolved in recent years. In addition, if different patterns do exist, the presentation of PCP in AIDS is now much more likely to be familiar to physicians than non-AIDS PCP. This study was undertaken to compare the current clinical features of PCP in AIDS with those associated with other disorders. Methods: Retrospective review of medical records of all patients at our institution with confirmed PCP and AIDS during 1994 (17 patients) and without AIDS in the period of 1992-1994 (10 patients). Results: At presentation patients without AIDS had a significantly shorter duration of symptoms (8.4 ± 7.7 vs. 19.5 ± 10.2 days, p < 0.05), lower mean PaO2 on room air (47 ± 8.2 vs. 63 ± 10 mm Hg, p < 0.05), and more frequent unilateral infiltrates on chest X ray (60 vs. 6%, p < 0.05). Importantly, the mortality rate for PCP was markedly higher in the non-AIDS group than in individuals with AIDS (40% vs. 6%, p < 0.05), and this was associated with delayed initiation of treatment in non-AIDS patients. Conclusions: Because of its acute course, atypical radiological presentation and high mortality, we conclude that the diagnosis of PCP should be persued early in the clinical course of patients receiving immunosuppressive therapy, and that prophylaxis should be strongly considered in individuals who will be immunosuppressed.

 


Palavras-chave: PCP-AIDS. PCP non-AIDS.

 

Endoscopia respiratória

6 - Traquéia em bainha de sabre ("saber-sheath trachea"): correlação clínico-tomográfico-endoscópico-funcional

Saber-sheath trachea: clinic-tomographic-endoscopic-functional correlation

Jorge Luiz Pereira-Silva, Tereza Villas-Bôas Veloso, Márcia Maria Magalhães de Almeida e Marinho, Luiz Eduardo Lago de Castro, Guilherme Sóstenes da Costa Montal

J Bras Pneumol.1997;23(2):83-86

Resumo PDF PT English Text

A traquéia em bainha de sabre constitui um distúrbio morfofuncional do segmento intratorácico, caracterizado pela configuração anormal das cartilagens traqueais, em que o diâmetro lateral representa menos de 2/3 do ântero-posterior, com estreitamento do arco anterior e colapso das paredes laterais durante a tosse e expiração forçada. Assim como na forma semilunar da síndrome de colapso expiratório da traquéia, ela é mais freqüente em portadores de DPOC, quando o quadro clínico-radiológico costuma subestimar a gravidade do distúrbio funcional. Os autores demonstram a correlação clínico-tomográficoendoscópico-funcional no caso de uma paciente com 43 anos de idade, portadora de insuficiência respiratória crônica obstrutiva grave, cujo quadro clínico-radiológico subestimou o distúrbio funcional, enfatizando-se a necessidade de investigação sistemática da dinâmica traqueal em casos como esse.

 


Artigo de Revisão

7 - Radioterapia exclusiva "versus" radioterapia associada à quimioterapia no carcinoma de pulmão não de pequenas células localmente avançado (estádios IIIA e IIIB)

Radiation therapy alone versus combined chemotherapy and radiation therapy in locally advanced non-small cell lung carcinoma (stages IIIA and IIIB).

Heloisa de Andrade Carvalho

J Bras Pneumol.1997;23(2):87-92

Resumo PDF PT English Text

Para pacientes com carcinoma de pulmão não de pequenas células em estádio III (A ou B), a radioterapia ainda constitui o tratamento-padrão. Entretanto, os baixos índices de sobrevida a longo prazo com esse método levam os pesquisadores a buscarem novas alternativas ou associações terapêuticas. A quimioterapia tem sido objeto de estudo mais recentemente, com diversas propostas de associação com a radioterapia e/ou cirurgia. Foi feita revisão da literatura atual a respeito da controvérsia entre a utilização ou não da quimioterapia, associada à radioterapia, em pacientes com tumores de pulmão localmente avançados. Conclui-se que a associação com quimioterapia baseada em cisplatina é favorável a curto prazo, com perspectiva de melhora da sobrevida de 3% em dois anos e 2% em cinco anos. Ainda não está definida a melhor combinação de drogas nem o esquema ideal de associação com a radioterapia. A indicação do tratamento combinado deve ser baseada nas condições gerais do paciente e em balanço adequado entre a qualidade de vida e a toxicidade e custos adicionais da quimioterapia.

 


Palavras-chave: Neoplasias de pulmão. Radioterapia. Quimioterapia.

 

Relato de Caso

9 - Toracotomia com ressecção pulmonar no trauma

Thoracotomy with pulmonary resection in trauma

Roger Normando, Marco Antônio Franco Tavares, Antônio Guilherme Guimarães, Adenard Cunha, Marcello Rickmann Lobato

J Bras Pneumol.1997;23(2):101-104

Resumo PDF PT English Text

Objetivo - Verificar a incidência dos ferimentos de hilo pulmonar em hospital público com unidade de urgência e emergência assim como sua mortalidade. Avaliar também, em função da gravidade, a via de acesso, técnica e tática operatória utilizadas. Pacientes e métodos - Foram registrados 1.124 pacientes vítimas de trauma torácico no Serviço de Emergência do HPSM-Belém, PA. Cento e oitenta e duas toracotomias foram realizadas (16,19%) e em apenas quatro casos (2,20%) houve indicação de ressecção pulmonar. Resultados - A via de acesso mais utilizada foi a toracotomia ântero-lateral em três casos e a póstero-lateral em um. Foi realizada lobectomia inferior em dois casos e pneumonectomia em um. Num único paciente foi realizado apenas clampeamento do hilo, mas que evoluiu para óbito em função da extensa hemorragia. Dois outros pacientes foram a óbito, totalizando três casos. Houve apenas um sobrevivente nesta série, o qual evoluiu sem complicações. Conclusões - Observou-se baixa incidência de indicações de ressecções pulmonares no trauma; entretanto, a mortalidade foi extremamente elevada por tratar-se de lesão com alto risco de vida. A via de acesso mais utilizada foi a ântero-lateral, em função de menor tempo para clampear-se o hilo pulmonar, em três casos, sendo bem-sucedida.

 


Palavras-chave: Traumatismo torácico. Lobectomia. Pneumonectomia.

 

10 - Pneumatoceles gigantes: relato de caso

Giant pneumatoceles: report of a case

Vivian Kiran Lee, Antônio Carlos Pastorino, Joselina Magalhães Andrade Cardieri, Tatiana Rozov

J Bras Pneumol.1997;23(2):105-109

Resumo PDF PT English Text

As pneumatoceles geralmente apresentam evolução benigna. Relatamos um caso incomum de menino que apresentou pneumonia e derrame pleural esquerdo aos três meses de idade. Aos dois anos, teve episódio semelhante com o aparecimento de pneumatoceles. Evoluiu com sibilância e aumento das pneumatoceles, além de varicela, infecção urinária, abscessos hepáticos e toxocaríase. Aos três anos, foi internado com pneumonia, pneumatoceles gigantes bilaterais, mal asmático e suspeita de imunodeficiência. Foi realizada a drenagem de uma das pneumatoceles na tentativa de melhorar a expansibilidade pulmonar, mas não houve melhora do quadro restritivo. Evoluiu com septicemia e insuficiência ventilatória, necessitando de ventilação mecânica. Foi submetido à bulectomia bilateral de alívio, com expansão do parênquima pulmonar colapsado; entretanto, o paciente faleceu no pós-operatório imediato. Este foi um caso incomum de pneumatoceles que evoluiu para insuficiência ventilatória e necessidade de intervenção cirurgica.

 


Palavras-chave: Pneumatoceles. Doença pulmonar bolhosa. Cistos. Pneumonia estafilocócica. Insuficiência ventilatória. Bulectomia.

 

11 - Alterações pulmonares na macroglobulinemia de Waldenström

Renato de Albuquerque Medeiros, Jucineide Araújo, José Kerbauy, Miguel Bogossian

J Bras Pneumol.1997;23(2):110-112

PDF PT


 


O Jornal Brasileiro de Pneumologia está indexado em:

Latindex Lilacs SciELO PubMed ISI Scopus Copernicus pmc

Apoio

CNPq, Capes, Ministério da Educação, Ministério da Ciência e Tecnologia, Governo Federal, Brasil, País Rico é País sem Pobreza
Secretaria do Jornal Brasileiro de Pneumologia
SCS Quadra 01, Bloco K, Salas 203/204 Ed. Denasa. CEP: 70.398-900 - Brasília - DF
Fone/fax: 0800 61 6218/ (55) (61) 3245 1030/ (55) (61) 3245 6218
E-mails: jbp@jbp.org.br
jpneumo@jornaldepneumologia.com.br

Copyright 2017 - Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia

Logo GN1