Jornal Brasileiro de Pneumologia

ISSN (on-line): 1806-3756

ISSN (impressa): 1806-3713

Busca avançada

Ano 2006 - Volume 32  - Número 4  (Julho/Agosto)






Artigo Original

4 - Adesão ao tratamento de manutenção em asma (estudo ADERE)

Compliance with maintenance treatment of asthma (ADERE study)

José Miguel Chatkin, Daniela Cavalet-Blanco, Nóris Coimbra Scaglia, Roberto Guidotti Tonietto, Mário B. Wagner, Carlos Cezar Fritscher

J Bras Pneumol.2006;32(4):277-283

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar a adesão ao tratamento preventivo de asma persistente moderada e grave. Métodos: Médicos de vários Estados do país foram contactados para selecionar asmáticos persistentes moderados ou graves, maiores de doze anos. Os pacientes receberam salmeterol/fluticasona 50/250 µg diskus durante 90 dias (sendo orientados a retornarem as embalagens ao final do estudo para conferência da dosagem total utilizada). Receberam telefonemas da equipe do estudo no início e ao final de 90 dias para que fosse avaliada a adesão. Foi considerado como aderente ao tratamento o asmático que utilizou no mínimo 85% das doses prescritas. As variáveis estudadas foram sexo, idade, cor, estado civil, escolaridade, tabagismo atual, outras atopias, co-morbidades, gravidade da asma, uso de outras medicações e número de hospitalizações por asma. Resultados: Foram incluídos 131 pacientes oriundos de quinze estados, com taxa geral de adesão de 51,9%. Houve diferença significativa na adesão quanto à gravidade da asma (maior adesão nos casos graves; p = 0,02). Não houve diferença estatisticamente significativa nas demais variáveis. Conclusão: A taxa geral de adesão ao tratamento de manutenção da asma foi baixa.

 


Palavras-chave: Asma/quimioterapia; Asma/prevenção & controle; Cooperação do paciente; Educação do paciente;

 

5 - Variação sazonal nos atendimentos de emergência por asma em Gama, Distrito Federal

Seasonal variations in emergency room visits for asthma attacks in Gama, Brazil

Laércio Moreira Valença, Paulo César Nunes Restivo, Mário Sérgio Nunes

J Bras Pneumol.2006;32(4):284-289

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Quantificar o atendimento por asma em um serviço de emergência público e estudar a flutuação sazonal, considerando as condições climáticas locais, caracterizadas por duas estações, uma chuvosa e úmida e outra seca. Métodos: Levantamento retrospectivo conduzido em um hospital geral comunitário. Um total de 37.642 consultas emergenciais por asma, bronquite, pneumonia, infecções de vias aéreas superiores e outras condições foram identificadas durante um período de dois anos. As informações constantes em cada guia de atendimento foram levantadas para posterior análise. Resultados: Asma foi o segundo diagnóstico mais freqüente dentre as condições respiratórias (24%). A maioria das consultas por asma foi feita em crianças de zero a catorze anos (56,6%). A análise de regressão mostrou uma variação sazonal dos atendimentos, com concentração significativamente maior de casos de asma no mês de março (p = 0,0109) e concentração menor nos meses de agosto e setembro (p = 0,0485 e p = 0,0169, respectivamente). A correlação entre asma e clima foi mais significativa em relação à flutuação da umidade defasada de um e dois meses (p = 0,0026 e p = 0,0002, respectivamente). Conclusão: As visitas por asma ao pronto-socorro foram mais freqüentes durante a estação úmida. O aumento do número de casos cresceu um a dois meses após o aumento da umidade e diminuiu no período seco. Essa correlação positiva levanta a possibilidade de uma relação causal com a proliferação de ácaros domésticos e fungos ambientais.

 


Palavras-chave: Estações do ano; Estado asmático/etiologia; Tempo (Meteorologia); Pyroglylphidae; Umidade;

 

6 - Drenagem torácica pós-pneumonectomia: sim ou não? Estudo retrospectivo

Post-pneumonectomy thoracic drainage: to drain or not to drain? A retrospective study

João Carlos Thomson, Olavo Franco Ferreira Filho

J Bras Pneumol.2006;32(4):290-293

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar a necessidade de realização de drenagem torácica pós-pneumonectomia. Métodos: É relatada a experiência do Serviço de Cirurgia Torácica do Hospital Universitário de Londrina de janeiro de 1998 a dezembro de 2004. Trata-se de um estudo retrospectivo, em que foram analisados 46 pacientes pneumonectomizados, divididos em dois grupos: drenados e não drenados. As doenças foram as mesmas: neoplasia, bronquiectasia e tuberculose. Resultados: Foram drenados 21 pacientes e 25 não o foram. A complicação pós-operatória mais comum foi o enfisema subcutâneo (12 casos), sendo o tempo de internação menor (6,5 dias) nos pacientes não drenados em relação aos drenados (10,2 dias), sem que tenham sido observadas complicações graves. Conclusão: A evolução favorável dos 25 pacientes não drenados e o tempo de internação menor levam ao questionamento da necessidade de drenagem rotineira da cavidade pleural pós-pneumonectomia.

 


Palavras-chave: Drenagem; Cavidade pleural; Pneumonectomia; Complicações pós-operatória; Estudos retrospectivos

 

7 - Freqüência relativa de hipomagnesemia em pacientes com limitação crônica do fluxo aéreo atendidos em ambulatório de referência do norte do Paraná

The relative frequency of hypomagnesemia in outpatients with chronic airflow limitation treated at a referral center in the north of the state of Paraná, Brazil

Alcindo Cerci Neto, Olavo Franco Ferreira Filho, Johnathan de Sousa Parreira

J Bras Pneumol.2006;32(4):294-300

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Determinar a freqüência relativa de hipomagnesemia em pacientes com limitação crônica do fluxo aéreo atendidos num ambulatório de referência do norte do Paraná, nos anos de 2000 a 2001, e verificar se há relação entre esse distúrbio e hipoxemia, outros distúrbios eletrolíticos e com a gravidade da doença. Métodos: Estudo descritivo sobre a freqüência relativa de hipomagnesemia em 72 pacientes com limitação crônica do fluxo aéreo. Os pacientes realizaram dosagens séricas de magnésio e outros eletrólitos, além de realizarem o estadiamento de sua doença de base. Resultados: A prevalência encontrada de hipomagnesemia foi de 27,8%. A idade média foi de 65 ± 9,9 anos, com predominância de homens. O volume expiratório forçado no primeiro segundo médio foi de 1,13 ± 0,52 L. A maioria dos pacientes encontrava-se em estádios avançados da doença (68,1%). Não houve associação do magnésio sérico baixo com outros distúrbios eletrolíticos, hipoxemia ou estádios de gravidade. Conclusão: A alta freqüência de pacientes em estádios avançados deve-se, provavelmente, ao fato de o ambulatório ser um centro de referência da região. Novos estudos devem ser realizados para determinar prováveis causas dessa alta prevalência de hipomagnesemia.

 


Palavras-chave: Magnésio/sangue; Ventilação pulmonar; Doença pulmonar obstrutiva crônica; Insuficiência respiratória

 

8 - Possíveis conseqüências de não se atingir a mínima atividade física diária recomendada em pacientes com doença pulmonar obstrutiva cronica estável

Potential consequences for stable chronic obstructive pulmonary disease patients who do not get the recommended minimum daily amount of physical activity

Fabio Pitta, Thierry Troosters, Vanessa S. Probst, Sarah Lucas, Marc Decramer, Rik Gosselink

J Bras Pneumol.2006;32(4):301-308

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: O presente estudo investigou se pacientes com Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) atingem a mínima atividade física recomendada pelos guidelines do American College of Sports Medicine (ACSM), assim como as consequências da não-aderência a esses guidelines. Métodos: Atividade física na vida diária (DynaPort activity monitor), função pulmonar, força muscular, capacidade de exercício, qualidade de vida, estado funcional e diferentes índices de severidade (GOLD, BODE, MRC) foram avaliados em 23 pacientes (61[59-69] anos; VEF1 39[34-53]%predito; IMC 24[21-27]kg/m2; mediana [intervalo interquartílico 25-75%]). Resultados: De acordo com a aderência aos guidelines (andar no mínimo 30 minutos todo dia), 12 pacientes foram considerados "fisicamente ativos", e 11 "fisicamente inativos". Não foram observadas diferenças significativas entre os dois grupos em termos de idade, sexo, composição corporal, força muscular, reserva ventilatória, hiperinsuflação e qualidade de vida. O grupo inativo tinha pior função pulmonar, capacidade de exercício, MRC e BODE (p<0.05). Além disso, na vida diária, o grupo inativo andou menos tempo e numa velocidade menor (p<0.05). O BODE e a MRC foram superiores ao GOLD na predição de aderência aos guidelines (especificidade 0.83 para BODE e MRC e 0.50 para o GOLD). O BODE aumentou significativamente para cada dia de inatividade física. Conclusão: Grande parte dos pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica não andam mais de 30 minutos por dia, e portanto não atingem a mínima atividade física recomendada pelos guidelines do American College of Sports Medicine. Inatividade está relacionada com maior taxa de mortalidade. O BODE e a MRC mostraram-se superiores ao GOLD para predizer pacientes fisicamente inativos na vida diária.

 


Palavras-chave: Doença pulmonar obstrutiva crônica; Índice de massa corporal; Tolerância ao exercício; Exercício; Diretrizes; Índice de gravidade de doença

 

9 - Perfil da atividade de pesquisa publicada nos anais dos congressos brasileiros de pneumologia e tisiologia nos últimos vinte anos

Profile of research published in the annals of the Brazilian Pulmonology and Phthisiology Conferences held over the last twenty years

Alexandre Todorovic Fabro, Hugo Hyung Bok Yoo, Thaís Helena Abrahão Thomaz Queluz

J Bras Pneumol.2006;32(4):309-315

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Contribuir para o melhor conhecimento da atividade de pesquisa em Pneumologia no Brasil. Métodos: Estudo retrospectivo observacional dos resumos publicados nos Anais dos Congressos Brasileiros de Pneumologia e Tisiologia de 1986 a 2004, para descrição quantitativa da distribuição geográfica e do tipo das instituições de origem dos resumos, dos tipos de estudos e dos temas abordados. Resultados: Foram publicados 6.467 resumos, sendo 3.870 originários de instituições do Sudeste, 1.309 do Sul, 783 do Nordeste, 267 do Centro-Oeste e 84 do Norte. Houve 94 resumos provenientes de instituições estrangeiras, em especial portuguesas (56,3%) e norte-americanas (13,8%). A maioria dos trabalhos (5.825) foi realizada em instituições públicas brasileiras. Quanto aos tipos de estudos, foram observados 4.234 estudos clínicos, 1.994 relatos de caso e 239 estudos experimentais, com elevação progressiva acentuada do número de estudos clínicos e de relatos de caso no período. No cômputo geral, tuberculose e outras doenças infecciosas foram os temas mais freqüentes (25,2%), seguidos por oncologia (11,6%), doenças pulmonares intersticiais (8,8%) e cirurgia torácica (8,5%). Entretanto, houve grandes variações no número de resumos sobre cada tema no decorrer do período. Conclusão: As instituições públicas brasileiras são as principais responsáveis pela atividade de pesquisa em Pneumologia no Brasil, a qual está concentrada na Região Sudeste. Um terço desta atividade é representada por relatos de caso e, embora haja grande variação de assuntos abordados, as doenças com elevada prevalência no país, como tuberculose e outras infecções pulmonares, são os temas mais freqüentes.

 


Palavras-chave: Pesquisa biomédica/estatística & dados numéricos; Doenças respiratórias; Doença pulmonar (especialidade); Bibliometria; Publicações científicas e técnicas/estatística & dados numéricos; Brasil

 

10 - Análise da mecânica pulmonar em modelo experimental de sepse

Analysis of pulmonary mechanics in an experimental model of sepsis

Rodrigo Storck Carvalho, André Gustavo Magalhãer de Pinho, Ana Paula Alves de Andrade, César Augusto Melo e Silva, Carlos Eduardo Gaio, Paulo Tavares

J Bras Pneumol.2006;32(4):316-321

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Verificar se há alterações na mecânica pulmonar de camundongos com sepse. Métodos: Foram utilizados 40 camundongos Balb/c divididos em dois grupos: sobrevida (n = 21) e mecânica respiratória (n = 19). O grupo sobrevida foi dividido em três subgrupos: controle (n = 7), subletal (n = 7) e letal (n = 7). O grupo mecânica respiratória também foi dividido em três subgrupos: controle (n = 5), subletal (n = 7) e letal (n = 7). A sepse foi induzida pelo método cecal ligation and puncture, usando-se um estímulo subletal e outro letal. A mecânica pulmonar foi medida oito horas após a intervenção, utilizando-se o método da oclusão ao final da inspiração. Dentro do grupo mecânica pulmonar foram estudadas as seguintes variáveis: variação total de pressão, pressão resistiva, pressão viscoelástica, elastância dinâmica e elastância estática. Os dados foram analisados por meio do teste estatístico ANOVA One-Way. Resultados: Os dados do grupo sobrevida determinaram a eficácia do modelo utilizado. Não houve diferença estatística entre os subgrupos da mecânica pulmonar quando analisadas as elastâncias dinâmica e estática, bem como não houve diferença estatística entre os subgrupos da mecânica pulmonar quando analisadas a variação total de pressão, pressão resistiva e pressão viscoelástica. Conclusão: Não houve lesão estrutural no pulmão, bem como não houve alteração nos componentes viscoso e viscoelástico do pulmão quando essas variáveis foram estudadas oito horas após a intervenção pelo método cecal ligation and puncture.

 


Palavras-chave: Sepse; Mecânica respiratória; Pulmão/lesões; Punções/instrumentação; Síndrome do desconforto respiratório do adulto; Camundongos

 

11 - Marcadores morfológicos de prognóstico no mesotelioma maligno: um estudo de 58 casos

Morphological aspects as prognostic factors in malignant mesothelioma: a study of 58 cases

Alexandre Bottrel Motta, Germânia Pinheiro, Leila Antonângelo, Edwin Roger Parra, Maria Margarida Monteiro, José Carlos das Neves Pereira, Tereza Takagaki, Mario Terra Filho, Sandro Martins, Vera Luiza Capelozzi

J Bras Pneumol.2006;32(4):322-332

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Diversos marcadores têm se mostrados promissórios como preditores do diagnóstico e prognóstico do mesotelioma maligno (MM). Método: Mediante estudo morfométrico e inmunomarcação de componentes estromais (calretinina, CEA, Leu-M1 e trombomodulina) e nucleares (p53 e Ki-67), avaliamos a sobrevida após o diagnóstico de 58 pacientes com tumores malignos de pleura. Resultados: O padrão histológico típico do mesotelioma maligno foi encontrado em 50 casos e o padrão atípico em 8 casos. Imunohistoquimicamente foram confirmados 40 casos como sendo mesoteliomas, 11 como adenocarcimonas e 7 casos do padrão atípico não puderam ser classificados. A análise multivariavel do Cox demonstrou a coexistência de um maior fator de risco de morte (476.2), nos pacientes com idade avançada, subtipo histológico bifásico e componentes de expressão nuclear. Conclusão: A calretinina foi o marcador inmunohistoquímico (IHQ) mais útil para o diagnóstico do mesotelioma e o CEA para o de adenocarcinoma. A quantificação por IHQ da trombomodulina foi fundamental na diferenciação do mesotelioma quando este foi positivo tanto para calretinina e como para o CEA. A informação prognostica mais valiosa foi a fornecida pela análise rotineira histopatológica do tipo histológico tumoral. Um ponto importante, divisor natural, foi a idade com uma media de 55 anos e 30.5% de componentes nucleares de marcação IHQ, separando os pacientes em dois grupos: pacientes com uma sobrevivência curta contra pacientes com uma sobrevivência mais longa que a esperada. Assim, a análise histopatológica oferece uma arma poderosa e de elevado potencial para guiar no tratamento adjuvante de quimioterápicos após a retirada cirúrgica do mesotelioma.

 


Palavras-chave: Neoplasias pleurais; Mesotelioma; Marcadores biológicos de tumor; Antígeno carcinoembrionário; Prognóstico

 

12 - Coexistência de transtornos respiratórios do sono e síndrome fibromiálgica

Sleep disordered breathing concomitant with fibromyalgia syndrome

Dienaro Germanowicz, Magali Santos Lumertz, Denis Martinez, Ane Freitas Margaretes

J Bras Pneumol.2006;32(4):333-338

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Identificar síndrome fibromiálgica em pacientes com transtornos respiratórios do sono. Métodos: Foram estudados 50 pacientes que compareceram à Clínica do Sono com queixas de roncar no sono, apnéias e sonolência diurna. Confirmou-se o diagnóstico de transtornos respiratórios do sono através de polissonografia. Para se estabelecer o diagnóstico de síndrome fibromiálgica, submeteram-se os pacientes a avaliação de acordo com os critérios estabelecidos pelo American College of Rheumatology. Resultados: Estudaram-se 50 pacientes, 32 do sexo masculino. A média (± desvio-padrão) de idade do grupo foi de 50 ± 12 anos. A média do índice de massa corporal do grupo foi de 29,7 ± 5,6 kg/m2. A média do índice de apnéias e hipopnéias do grupo foi de 36 ± 29 apnéias e hipopnéias /hora. Nove das 18 mulheres e 2 homens preencheram os critérios estabelecidos pelo American College of Rheumatology para o diagnóstico de síndrome fibromiálgica. Conclusão: Considerando-se que a prevalência de síndrome fibromiálgica na população geral é de 0,5% para homens e de 3,4% para mulheres, a fração de casos de fibromialgia mais de dez vezes maior nesta amostra reforça a hipótese de associação entre transtornos respiratórios do sono e síndrome fibromiálgica.

 


Palavras-chave: Transtornos respiratórios/complicações; Fibromialgia/complicações; Apnéia do sono tipo obstrutiva; Polissonografia

 

13 - Prevalência e prognóstico dos pacientes com pneumonia associada à ventilação mecânica em um hospital universitário

Prevalence of ventilator-associated pneumonia in a university hospital and prognosis for the patients affected

Márcio Martins de Queiroz Guimarães, José Rodolfo Rocco

J Bras Pneumol.2006;32(4):339-346

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Determinar prevalência de pneumonia associada à ventilação mecânica em unidade de terapia intensiva, fatores associados e evolução. Métodos: Foram avaliados 278 pacientes sob ventilação mecânica por mais de 24 horas prospectivamente em hospital universitário. Resultados: Desenvolveram a doença 38,1% dos pacientes, 35,7 casos/1.000 dias de ventilação mecânica: 45,3% por bacilos gram negativos, Pseudomonas aeruginosa (22%) o mais comum e 43,4% por germes multi-resistentes. O grupo com pneumonia associada à ventilação mecânica teve maiores tempos de ventilação mecânica, desmame, permanência no hospital e na unidade de terapia intensiva (p < 0,001); atelectasia, síndrome do desconforto respiratório agudo, pneumotórax, sinusite, traqueobronquite e infecção multirresistente foram mais comuns (p < 0,05). Letalidades na unidade de terapia intensiva e no hospital foram semelhantes. Fatores associados à doença (razão de chances; intervalo de confiança 95%): sinusite aguda (38,8; 3,4 - 441), ventilação mecânica >10 dias (7,7; 4,1 - 14,2), imunodepressão (4,3; 1,3 - 14,3), síndrome do desconforto respiratório agudo (3,5; 1,4 - 9,0), atelectasia (3,0; 1,2 - 7,3), parada cardiorrespiratória (0,18; 0,05 - 0,66) e hemorragia digestiva alta (0,07; 0,009 - 0,62]. Fatores associados ao óbito hospitalar: insuficiência renal crônica (26,1; 1,9 - 350,7), admissão prévia na unidade de terapia intensiva (15,6; 1,6 - 152,0), simplified acute physiologic score II > 50 pontos (11,9; 3,4 - 42,0) e idade > 55 anos (4,4; 1,6 - 12,3). Conclusão: A pneumonia associada à ventilação mecânica aumentou tempos de ventilação mecânica, permanência na unidade de terapia intensiva e no hospital, número de complicações, mas não a letalidade.

 


Palavras-chave: Pneumonia bacteriana; Infecção hospitalar; Unidades de terapia intensiva; Prognóstico; Estudos prospectivos; Terapia intensiva

 

Artigo de Revisão

14 - Pleurodese: técnica e indicações

Pleurodesis: technique and indications

Marcelo Costa Vaz, Evalo Marchi, Francisco Suso Vargas

J Bras Pneumol.2006;32(4):347-356

Resumo PDF PT PDF EN English Text

O derrame pleural recidivante é uma situação clínica comum que compromete a qualidade de vida dos pacientes, em especial dos portadores de doença oncológica em estágio avançado. A abordagem terapêutica do espaço pleural é variada, incluindo procedimentos agressivos como a pleurectomia. A pleurodese é a técnica mais freqüentemente utilizada, podendo ser induzida tanto através da inserção de cateteres pleurais, como por procedimentos cirúrgicos amplos (toracotomia). São vários os agentes esclerosantes indicados, incluindo o talco, que é o mais utilizado, o nitrato de prata e recentemente as citocinas proliferativas. Este artigo resume as principais abordagens do derrame pleural recidivante e particularmente da pleurodese, suas indicações, vantagens e desvantagens para a aplicação na prática diária do pneumologista.

 


Palavras-chave: Derrame pleural maligno/prevenção & controle; Neoplasias pleurais; Pleura/cirurgia; Pleurosede/métodos; Nitrato de prata; Talco; Recidiva

 

15 - Rinite, sinusite e asma: indissociáveis?

Rhinitis, Sinusitis and Asthma: hard to dissociate?

Cássio da Cunha Ibiapina, Emanuel Savio Cavalcantio Sarinho, Álvaro Augusto Souza da Cruz Filho, Paulo Augusto Moreira Camargos

J Bras Pneumol.2006;32(4):357-366

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Este estudo tem como objetivo rever a literatura ressaltando aspectos epidemiológicos e fisiopatológicos relacionados à abordagem unificada de rinossinusite alérgica e da asma, com as respectivas implicações terapêuticas. O levantamento bibliográfico foi realizado a partir das informações disponibilizadas pelas bases de dados Medline, MD Consult, Highwire, Medscape, LILACS e por pesquisa direta, dos últimos trinta anos, utilizando-se os termos allergic rhinitis e asthma. Foram selecionados 55 artigos originais em revisão não sistemática abordando a questão da associação clínica entre rinossinusite alérgica e asma. Verifica-se que nos últimos anos, com o uso de medicamentos tópicos, para as vias aéreas superiores ou para as vias aéreas inferiores, a abordagem terapêutica tem sido distinta. Entretanto, inúmeros inquéritos epidemiológicos, estudos de imunopatologia e clínicos demonstram a inter-relação entre asma e rinossinusite alérgica evidenciados por: i) a rinite alérgica encontra-se associada à asma e constitui-se em fator de risco independente para o seu aparecimento; ii)as características imunopatológicas da rinite alérgica e da asma são semelhantes; iii)a rinite alérgica e a asma são manifestações de uma enfermidade sistêmica; iv)o controle da rinite favorece o controle da asma. A estreita associação entre a rinite alérgica e a asma requer a integração das abordagens diagnóstica, terapêutica e profilática dessas enfermidades. Opções terapêuticas que permitam o controle simultâneo de ambas oferecem vantagens relacionadas ao custo e à tolerabilidade.

 


Palavras-chave: Asma/epidemiologia; Asma/fisiopatologia; Asma/quimioterapia; Sinusite/epidemiologia; Sinusite/fisiopatologia; Sinusite/quimioterapia; Rinite alérgica perene

 

Relato de Caso

16 - Asma e síndrome de Churg-Strauss

Asthma and Churg-Strauss syndrome

Soloni Afra Pires Levy, Alfeu Tavares França, Denise de La Reza, Solange Oliveira Rodrigues Valle, Ana Helena Pereira Correia

J Bras Pneumol.2006;32(4):367-370

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Relata-se o caso de uma mulher de 25 anos com síndrome de Churg-Strauss, cujos sintomas surgiram aos dezesseis anos, logo após o início do uso de contraceptivo oral. O quadro clínico evoluiu rapidamente com asma persistente grave, polipose nasal, rinite perene obstrutiva, eosinofilia periférica e tecidual, e mononeurite. A síndrome de Churg-Strauss é uma doença que exige suspeita precoce, diagnóstico preciso, tratamento agressivo e monitoramento periódico, devendo ser considerada no diagnóstico diferencial de asma persistente moderada e grave. O caso relatado chama a atenção para possível participação hormonal e surgimento em idade precoce.

 


Palavras-chave: Asma; Síndrome de Churg-Strauss; Eosinofilia; Pólipos nasais; Vasculites; Relatos de casos [tipo de publicação]

 

17 - Bócio de tireóide intratorácico e timoma invasivo: apresentação simultânea incomum

Intrathoracic goiter and invasive thymoma: rare concomitant presentation

Rodrigo Silva, Jefferson Gross, Fábio Haddad, Riad Younes

J Bras Pneumol.2006;32(4):371-374

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Apresentamos uma rara situação de ocorrência simultânea de dois tumores de mediastino com diferentes topografias e histologias, encontrados durante a ressecção de volumosa massa mediastinal em paciente assintomático. A possibilidade de diferentes tumores contidos numa mesma massa tumoral está relatada; entretanto, não encontramos na literatura médica relato de diferentes tumores em localizações distintas. Os bócios de tiróide intratorácicos e os timomas representam uma grande parcela dos tumores encontrados no mediastino. O tratamento cirúrgico, sempre que possível, desempenha papel fundamental na perspectiva de cura. A exploração cirúrgica minuciosa é fundamental para uma ressecção completa e possível achado de lesões concomitantes.

 


Palavras-chave: Timoma/complicações; Neoplasias do mediastino/complicações; Bócio subesternal;

 

18 - Microepidemia de histoplasmose em Blumenau, Santa Catarina

An outbreak of histoplasmosis in the city of Blumenau, Santa Catarina

Flávio de Mattos Oliveira, Gisela Unis, Luiz Carlos Severo

J Bras Pneumol.2006;32(4):375-378

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A histoplasmose pulmonar aguda é pouco diagnosticada e muitas vezes confundida com tuberculose. A maior parte do conhecimento sobre a doença veio de relatos de epidemias resultantes da exposição de certo número de indivíduos a uma mesma fonte de infecção. O isolamento do H. capsulatum var. capsulatum a partir de amostras de solo comprova o foco epidêmico. Pela primeira vez é descrita uma microepidemia, com o relato de dois casos e o isolamento do fungo do foco de infecção, em Santa Catarina. Recomendam-se novos estudos epidemiológicos para se determinar a prevalência da infecção nesse estado.

 


Palavras-chave: Histoplasmose/diagnóstico; Histoplasmose/epidemiologia; Histoplasma/isolamento & purificação; Pneumopatias fúngicas; Surtos de doenças; Relatos de casos [tipo de publicação]

 

Cartas ao Editor

20 - Acorda pneumologista !

Pulmonologists, awake!

Geraldo Lorenzi Filho, Flávio Magalhães, Carlos Alberto de Assis Viegas

J Bras Pneumol.2006;32(4):382-384

PDF PT PDF EN English Text


20 - Réplica

Reply

Richard Ricachenevski Gurski, André Ricardo Pereira da Rosa, Enio do Valle, Marcelo Antonio de Borba, André Alves Valiati

J Bras Pneumol.2006;32(4):384-

PDF PT PDF EN English Text


 


O Jornal Brasileiro de Pneumologia está indexado em:

Latindex Lilacs SciELO PubMed ISI Scopus Copernicus pmc

Apoio

CNPq, Capes, Ministério da Educação, Ministério da Ciência e Tecnologia, Governo Federal, Brasil, País Rico é País sem Pobreza
Secretaria do Jornal Brasileiro de Pneumologia
SCS Quadra 01, Bloco K, Salas 203/204 Ed. Denasa. CEP: 70.398-900 - Brasília - DF
Fone/fax: 0800 61 6218/ (55) (61) 3245 1030/ (55) (61) 3245 6218
E-mails: jbp@jbp.org.br
jpneumo@jornaldepneumologia.com.br

Copyright 2017 - Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia

Logo GN1