Jornal Brasileiro de Pneumologia

ISSN (on-line): 1806-3756

ISSN (impressa): 1806-3713

SCImago Journal & Country Rank
Busca avançada

Ano 2008 - Volume 34  - Número 9  (/Setembro)






Artigo Original

2 - Redução do número de internações hospitalares por asma após a implantação de programa multiprofissional de controle da asma na cidade de Londrina

Reduction in the number of asthma-related hospital admissions after the implementation of a multidisciplinary asthma control program in the city of Londrina, Brazil

Alcindo Cerci Neto, Olavo Franco Ferreira Filho, Tatiara Bueno, Maria Amélia Talhari

J Bras Pneumol.2008;34(9):639-645

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar a relação entre a redução do número de internações hospitalares por asma e as transformações ocorridas após a intervenção realizada no sistema de saúde de Londrina. Métodos: Em 2003, houve intervenção no sistema de saúde local (Unidades de Saúde da Família). Foram adotados os seguintes passos: elaboração de protocolo baseado no III Consenso Brasileiro no Manejo da Asma, fornecimento gratuito de corticosteróides inalatórios aos pacientes, capacitação de profissionais de saúde e realização de ações educativas, especialmente para a comunidade. Foram analisadas as autorizações de internação hospitalar de pacientes de Londrina com diagnóstico único de asma entre 2002 e 2005. Resultados: A média de idade foi de 14,3 ± 0,5 anos, sem predomínio de sexo. Houve redução mais acentuada do número de internações hospitalares em 2005, em comparação aos anos anteriores estudados. Verifica-se declínio mais acentuado em Unidades de Saúde da Família onde a capacitação dos profissionais ocorreu há mais tempo. O índice de internação hospitalar por asma após a intervenção (2004 e 2005)-120/100.000 habitantes-foi significativamente menor que o encontrado antes da intervenção (2002 e 2003) -178/100.000 habitantes (p < 0,01). Conclusões: A curva de internação mostrou tendência à queda após o ano de 2003, não sendo identificado outro fator, além da intervenção realizada, que justificasse os resultados obtidos. Quanto maior o tempo decorrido desde a intervenção, maior a redução do número de internações. Concluímos que a intervenção realizada no sistema de saúde local foi a responsável pelos dados apresentados.

 


Palavras-chave: Asma; Hospitalização; Saúde pública.

 

3 - Fenótipos clínicos de asma grave

Clinical phenotypes of severe asthma

Roseliane de Souza Araújo Alves, Flávia de Almeida Filardo Vianna, Carlos Alberto de Castro Pereira

J Bras Pneumol.2008;34(9):646-653

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Estabelecer os fenótipos clínicos em portadores de asma grave. Métodos: Foram estudados, retrospectivamente, 111 pacientes em um ambulatório especializado. Os pacientes foram avaliados e acompanhados de maneira sistemática, estabelecendo-se ao final do acompanhamento a adesão e o controle ou não da doença por dados clínicos e funcionais. A resistência ao tratamento foi definida como o não preenchimento, ao final do acompanhamento, por pelo menos seis meses, dos critérios de controle de asma, apesar do uso correto e adesão à medicação. Os fenótipos foram determinados por análise fatorial e comparados por testes diversos. Resultados: Ao final, 88 pacientes foram considerados aderentes e 23 não aderentes. Por análise fatorial do grupo aderente, quatro fenótipos foram determinados: o fenótipo 1 (28 pacientes), formado pelos pacientes resistentes ao tratamento, com maior freqüência de sintomas noturnos, maior número de exacerbações e uso mais freqüente de broncodilatador de resgate; o fenótipo 2 (48 pacientes), formado pelos pacientes com obstrução persistente, com menores valores de relação volume expiratório forçado no primeiro segundo/capacidade vital forçada na avaliação inicial, idade mais avançada e maior tempo de doença; o fenótipo 3 (42 pacientes), representa os pacientes com rinossinusite alérgica, sendo constituído de não fumantes com obstrução predominantemente reversível; e o fenótipo 4 (15 pacientes), formado por casos com história de intolerância à aspirina associado à asma quase fatal. Conclusões: Um número significativo de portadores de ama grave não adere ao tratamento. Muitos pacientes com asma grave têm obstrução irreversível, mas o fenótipo clínico mais relevante é constituído pelos pacientes resistentes ao tratamento habitual.

 


Palavras-chave: Asma; Asma/prevenção & controle; Asma/tratamento.

 

4 - Tratamento agressivo com retalho muscular e/ou omentopexia nas infecções do esterno e mediastino anterior em pós-operatório de esternotomia

Aggressive treatment using muscle flaps or omentopexy in infections of the sternum and anterior mediastinum following sternotomy

Alexandre Heitor Moreschi, Amarilio Vieira de Macedo Neto, Gilberto Venossi Barbosa, Mauricio Guidi Saueressig

J Bras Pneumol.2008;34(9):654-660

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar o impacto do tratamento agressivo com retalho muscular e/ou omentopexia nas infecções do esterno e mediastino anterior em pós-operatório de esternotomia sobre a mortalidade, comparando-o ao do tratamento conservador. Métodos: Foram coletados dados pré-, trans- e pós-operatórios. O grupo A (n = 44) incluiu pacientes submetidos ao tratamento conservador-desbridamento associado a ressutura e/ou a irrigação contínua com solução de polivinilpirrolidona-iodo, ou ainda a cicatrização por segunda intenção (dados retrospectivos). O grupo B (n = 9) incluiu pacientes nos quais não houve resolução da infecção com o tratamento conservador e que, por isso, foram submetidos ao tratamento agressivo (fase intermediária). O grupo C (n = 28) incluiu pacientes submetidos primariamente ao tratamento agressivo (dados prospectivos). Resultados: Identificou-se menor tempo de internação pós-operatória nos pacientes submetidos ao tratamento agressivo (p < 0,046). Houve 7 óbitos no grupo A, 1 no grupo B e 2 no grupo C. Entretanto, o nível de significância clássico de α = 0,05 não foi atingido. Conclusões: O tratamento agressivo mostrou-se também adequado para aquelas infecções em que o tratamento conservador não foi resolutivo. Esses achados demonstram que o tratamento proposto tem excelentes resultados.

 


Palavras-chave: Retalhos cirúrgicos; Osteomielite; Mediastinite; Cirurgia torácica.

 

5 - Tratamento operatório de 60 pacientes com malformações pulmonares: O que aprendemos?

Surgical treatment of 60 patients with pulmonary malformations: What have we learned?

Altair da Silva Costa Júnior, João Aléssio Juliano Perfeito, Vicente Forte

J Bras Pneumol.2008;34(9):661-666

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Analisar retrospectivamente os prontuários de pacientes com malformações pulmonares submetidos a tratamento operatório e verificar a evolução clínica até o diagnóstico definitivo. Métodos: Analisamos os prontuários dos pacientes com malformações pulmonares operados no Hospital São Paulo-Universidade Federal de São Paulo/Escola Paulista de Medicina-de 1969 a 2004. Cada prontuário foi analisado quanto aos seguintes aspectos: quadro clínico, diagnóstico, tratamento prévio, tratamento operatório e complicações hospitalares. Os critérios de inclusão foram os seguintes: ter diagnóstico de malformação pulmonar, ter sido submetido à ressecção pulmonar e ter prontuário com dados completos. Resultados: A análise dos prontuários revelou que 60 pacientes com diagnóstico de malformações pulmonares foram operados-27 casos de cisto broncogênico, 14 de ensifema lobar congênito, 10 de seqüestro pulmonar e 9 de malformação adenomatóide cística. A idade variou de 4 dias a 62 anos (média de 17,9 anos). Houve predominância do sexo masculino (55%). Noventa e dois por cento dos pacientes apresentavam sintomas (média de duração, 15,37 meses). Dos 60 pacientes operados, 27 (45%) receberam tratamento domiciliar ou hospitalar com antibiótico antes da operação. Quanto às complicações, observamos morbidade de 23% e mortalidade de 3,3%. A duração dos procedimentos operatórios realizados em nossos pacientes variou de 1 a 8 h (média, 3,2 h). Conclusões: A falha ou atraso no diagnóstico das malformações pulmonares resultou em tratamentos e hospitalizações desnecessárias e em complicações infecciosas recorrentes e freqüentes. Acreditamos que o tratamento definitivo é a operação, a qual é curativa e tem baixa morbidade e mortalidade.

 


Palavras-chave: Cisto broncogênico; Seqüestro broncopulmonar; Malformação adenomatóide cística congênita do pulmão;Infecções respiratórias; Cirurgia torácica.

 

6 - Estudo comparativo de sintomas respiratórios e função pulmonar em pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica relacionada à exposição à fumaça de lenha e de tabaco

Comparative study of respiratory symptoms and lung function alterations in patients with chronic obstructive pulmonary disease related to the exposure to wood and tobacco smoke

Maria Auxiliadora Carmo Moreira, Maria Rosedália de Moraes, Daniela Graner Schwartz Tannus Silva, Thayssa Faria Pinheiro, Huber Martins Vasconcelos Júnior, Lanucy Freita de Lima Maia, Daine Vargas do Couto

J Bras Pneumol.2008;34(9):661-666

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Descrever e analisar sintomas respiratórios e alterações espirométricas em pacientes portadores de doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), com história de exposição à fumaça de lenha e de tabaco. Métodos: Foram avaliados retrospectivamente dados de 170 pacientes distribuídos em 3 grupos: 34 pacientes expostos somente à fumaça de lenha, 59 pacientes, somente à de tabaco e 77 pacientes expostos a ambas. Resultados: Os grupos não diferiram quanto a idade (p = 0,225) e grau de exposição, considerando cada tipo de exposição isoladamente ou em associação (p = 0,164 e p = 0,220, respectivamente). No grupo exposto à fumaça de lenha predominou o sexo feminino.Não houve diferença entre os grupos quanto à freqüência dos sintomas respiratórios (p > 0,05), e houve predominância de grau moderado de dispnéia nos três grupos (p = 0,141). O grupo exposto à fumaça de lenha apresentou melhores percentuais da relação volume expiratório forçado no primeiro segundo/capacidade vital forçada e de volume expiratório forçado no primeiro segundo (p < 0,05). A prova broncodilatadora positiva ocorreu com maior freqüência no grupo exposto ao tabaco.O percentual de obstrução brônquica grave e muito grave foi significantemente maior no grupo exposto ao tabaco (44,1%) que no grupo exposto somente à fumaça de combustão de lenha (11,8%; p = 0,006). Conclusões: Os sintomas respiratórios e alterações da função pulmonar compatíveis com DPOC foram observados nos grupos expostos à fumaça de lenha. Todavia, estas alterações foram menos intensas do que as observadas nos grupos expostos ao tabaco. Este trabalho ressalta a importância de realizar-se um estudo prospectivo para avaliar o risco de DPOC associado à exposição à fumaça de lenha no Brasil assim como a necessidade de ações preventivas neste âmbito.

 


Palavras-chave: Doença pulmonar obstrutiva crônica; Tabagismo; Poluição do ar em ambientes fechados; Fumaça.

 

7 - Comparação da variação de resposta ao broncodilatador através da espirometria em portadores de asma ou doença pulmonar obstrutiva crônica

Comparison of spirometric changes in the response to bronchodilators of patients with asthma or chronic obstructive pulmonary disease

Isabella Correia Silvestri, Carlos Alberto de Castro Pereira, Sílvia Carla Sousa Rodrigues

J Bras Pneumol.2008;34(9):675-682

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: O diagnóstico diferencial entre asma e doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) através da resposta aos broncodilatadores inalatórios na espirometria ainda é controverso. O objetivo deste estudo foi detectar quais variáveis espirométricas melhor diferenciam asma de DPOC. Métodos: Estudo retrospectivo realizado entre abril de 2004 e janeiro de 2006, comparando-se os parâmetros espirométricos de 103 pacientes asmáticos, não fumantes, com os de 108 pacientes portadores de DPOC, fumantes de mais de 10 anos-maço. Todos os pacientes tinham mais de 40 anos e apresentavam doença estável no momento do exame. Resultados: O volume expiratório forçado no primeiro segundo (VEF1) pré-broncodilatador foi igual nos dois grupos (VEF1 = 51%), mas os portadores de DPOC eram mais velhos (66 ± 9 anos vs. 59 ± 11 anos, p < 0,001) e, na sua maioria, do sexo masculino (73% vs. 27%, p < 0,001). A mediana da variação absoluta do VEF1 pós-broncodilatador foi de 0,25 L (intervalo, −0,09 a 1,13 L) nos pacientes com asma e de 0,09 L (intervalo, −0,1 a 0,73 L) nos com DPOC (p < 0,001). A melhor combinação de sensibilidade (55%), especificidade (91%) e razão de verossimilhança (6,1) para o diagnóstico de asma foi obtida quando a percentagem de incremento do VEF1 pós-broncodilatador em relação ao VEF1 previsto foi igual ou maior que 10% (p < 0,001). Variações significativas isoladas da capacidade vital forçada foram mais comuns nos pacientes com DPOC. Conclusões: Em portadores de doenças pulmonares obstrutivas com mais de 40 anos, a Δ%prevVEF1 ≥ 10% constitui o melhor parâmetro espirométrico para diferenciar asma de DPOC.

 


Palavras-chave: Espirometria; Testes de função respiratória; Pneumopatias obstrutivas.

 

8 - Pneumonia estafilocócica adquirida na comunidade

Community-acquired staphylococcal pneumonia

José Wellington Alves dos Santos, Douglas Zaione Nascimento, Vinicius André Guerra, Vanessa da Silva Rigo, Gustavo Trindade Michel, Tiago Chagas Dalcin

J Bras Pneumol.2008;34(9):683-689

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: A pneumonia estafilocócica geralmente apresenta uma elevada taxa de morbidade e mortalidade. Normalmente ocorre em infecções por influenza (via aerógena) ou durante episódios de bacteremia (via hematogênica). Métodos: Um estudo retrospectivo e descritivo foi realizado com os pacientes que foram admitidos em nosso hospital entre janeiro de 1992 e dezembro de 2003 com diagnóstico de pneumonia adquirida na comunidade causada por Staphylococcus aureus. Todos eles eram maiores de 14 anos e não usuários de drogas endovenosas. Resultados: De um total de 332 casos de pneumonia adquirida na comunidade, foram encontrados 24 pacientes (7,3%) com pneumonia estafilocócica. A idade mínima e máxima eram de, respectivamente, 14 anos e 89 anos. Quinze pacientes eram homens e nove eram mulheres. Doze pacientes preenchiam critérios para pneumonia grave. O radiograma de tórax evidenciou consolidação unilateral em 14 casos, bilateral em 10, derrame pleural em 15, rápida progressão radiológica das lesões pulmonares em 14, presença de cavitação em 6 e pneumotórax em 1 paciente. A maioria dos pacientes apresentou co-morbidades e diabetes mellitus foi a mais freqüente. Doze pacientes apresentaram complicações como empiema e choque séptico. Houve quatro óbitos, o que representou 16,6% da amostra. Conclusões: A apresentação clínica da pneumonia causada por S. aureus é similar à apresentação das pneumonias originadas por outros agentes etiológicos. Os achados radiológicos, os dados epidemiológicos e os fatores de risco fornecem importantes indícios para o diagnóstico. Estes fatores são importantes para uma suspeição clínica, já que o S. aureus normalmente não é incluído nos tratamentos empíricos.

 


Palavras-chave: Pneumonia estafilocócica; Infecções estafilocócicas; Infecções comunitárias adquiridas.

 

9 - Impacto da umidificação aquecida com pressão positiva automática em vias aéreas na terapia do síndroma de apneia obstrutiva do sono

Impact of heated humidification with automatic positive airway pressure in obstructive sleep apnea therapy

Sara Moreira da Silva Trindade Salgado, José Pedro Correia Fernandes Boléo-Tomé, Cristina Maria Sardinha Canhão, Ana Rita Tavares Dias, Joana Isaac Teixeira, Paula Maria Gonçalves Pinto, Maria Cristina de Brito Eusébio Bárbara Prista Caetano

J Bras Pneumol.2008;34(9):690-694

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar o impacto da umidificação aquecida introduzida no início da terapia com pressão positiva automática em vias aéreas (APAP, do inglês automatic positive airway pressure) na adesão e efeitos secundários. Métodos: Foram randomizados 39 doentes com síndroma de apneia obstrutiva do sono sem terapia prévia em dois grupos de tratamento com APAP: com umidificação aquecida (grupo APAPcom; e sem umidificação (grupo APAPsem). Os doentes foram avaliados 7 e 30 dias após a colocação de APAP. Os parâmetros analisados foram a adesão ao tratamento (número médio de horas/noite), efeitos secundários (secura nasal ou da boca, obstrução nasal e rinorreia), sonolência diurna (escore da escala de sonolência de Epworth) e o conforto subjectivo (escala visual analógica). Foram ainda avaliados o índice de apneia-hipopneia (IAH) residual, pressões e fugas médias registados nos ventiladores. Resultados: Os dois grupos de doentes estudados eram semelhantes no que respeita à média etária (APAPcom: 57,4 ± 9,2; APAPsem: 56,5 ± 10,7 anos), IAH (APAPcom: 28,1 ± 14,0; APAPsem: 28,8 ± 20,5 eventos/hora de sono), Epworth basal (APAPcom: 11,2 ± 5,8; APAPsem: 11,9 ± 6,3) e sintomas nasais iniciais. A adesão foi semelhante nos dois grupos (APAPcom: 5,3 ± 2,4; APAPsem: 5,2 ± 2,3 horas/noite). Não se verificaram diferenças nos outros parâmetros avaliados. Conclusões: A introdução inicial da umidificação aquecida na terapia com APAP não demonstrou vantagem no que diz respeito à adesão e efeitos secundários.

 


Palavras-chave: Umidificação; Respiração com pressão positiva/efeitos adversos; Cooperação do paciente.

 

10 - Perfil dos fumantes que procuram um centro de cessação de tabagismo

Profile of smokers seeking a smoking cessation program

Sergio Ricardo Santos, Maria Stela Gonçalves, Fernando Sergio Studart Leitão Filho, José Roberto Jardim

J Bras Pneumol.2008;34(9):695-701

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Definir o perfil do fumante que procura um serviço de cessação do tabagismo e comparar os perfis observados em homens, mulheres e idosos. Métodos: Foram avaliados, prospectivamente, 203 fumantes. Os indivíduos responderam questionários relacionados ao histórico tabagístico, antecedentes psiquiátricos, questionários específicos para depressão e ansiedade, questionário de dependência à nicotina e um questionário geral auto-aplicável. Resultados: Nesta amostra, 58,6% dos indivíduos eram do sexo feminino (119). A média de idade para a amostra foi 45,3 ± 12,0 anos, sem diferença significante entre os sexos (p = 0,391). A maioria da amostra estudada apresentou classificação econômica C ou superior (84,2%). Sessenta e três porcento dos fumantes possuíam pelo menos o segundo grau completo. Depressão foi muito mais referida entre as mulheres com diferença estatística marginalmente significante (p = 0,069). Porém, avaliando-se depressão pelo Inventário Beck de Depressão, não houve diferença estatisticamente significante entre os sexos e entre idosos e não-idosos. Conclusões: Foram identificados aspectos no perfil dos fumantes que procuraram este serviço que já são reconhecidos na literatura especializada como preditores de insucesso no tratamento (como pertencer ao sexo feminino e diagnóstico de depressão). Isto demonstra a importância de se realizar uma completa avaliação prévia do perfil do fumante que procura um centro especializado, para que medidas possam ser tomadas antes e durante a abordagem do fumante, com o objetivo de se aumentar as taxas de sucesso no tratamento.

 


Palavras-chave: Ansiedade; Depressão; Tabagismo.

 

Comunicação Breve

11 - Impacto de fatores externos sobre a mecânica respiratória avaliada por um modelo fotogramétrico específico: biofotogrametria

Assessing the impact that external factors have on respiratory mechanics assessed using a specific photogrammetric model

Denise da Vinha Ricieri, Nelson Augusto Rosário Filho

J Bras Pneumol.2008;34(9):702-706

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Este é um relato sobre a adaptação metodológica da técnica fotogramétrica, utilizada em outras especialidades, para análise do movimento respiratório. A biofotogrametria e o modelo denominado biofotogrametria para análise da mecânica respiratória (BAMER), foram testados em uma condição fisiopatológica previamente descrita: a presença de hiperinsuflação dinâmica após exercício com uso de pressão expiratória final positiva. O modelo BAMER identificou um aumento da área tóraco-abdominal após exercício com uso de pressão expiratória final positiva, resultado este comparável aos obtidos por sistemas mais robustos em cinemática respiratória. A pesquisa em biofotogrametria possui valor relevante para muitas áreas, posto que agrega dados quantitativos, sendo particularmente relevante na pediatria, onde o monitoramento é escasso.

 


Palavras-chave: Biomecânica; Fotogrametria; Mecânica respiratória; Parede torácica.

 

Artigo de Revisão

12 - Higiene bucal com clorexidina na prevenção de pneumonia associada à ventilação mecânica

Oral hygiene with chlorhexidine in preventing pneumonia associated with mechanical ventilation

Carolina Contador Beraldo, Denise de Andrade

J Bras Pneumol.2008;34(9):707-714

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A pneumonia associada à ventilação mecânica (PAVM) é uma infecção freqüente nas unidades de terapia intensiva (UTI), e anti-sépticos bucais são utilizados preventivamente. Revisamos metanálises e ensaios clínicos randomizados indexados no Medical Literature Analysis and Retrieval System e Cumulative Index to Nursing and Allied Health Literature sobre o uso tópico da clorexidina na prevenção da PAVM. Oito publicações foram avaliadas. Em sete (87,5%), a clorexidina diminuiu a colonização da orofaringe, e em quatro (50%) houve redução de PAVM. A clorexidina parece diminuir a colonização, podendo reduzir a incidência da PAVM.

 


Palavras-chave: Pneumonia associada à ventilação mecânica; Higiene bucal; Clorexidina.

 

Artigo Especial

13 - Padrões tomográficos das doenças intersticiais pulmonares difusas com correlação clínica e patológica

High-resolution computed tomography patterns of diffuse interstitial lung disease with clinical and pathological correlation

Brett Elicker, Carlos Alberto de Castro Pereira, Richard Webb, Kevin O. Leslie

J Bras Pneumol.2008;34(9):715-744

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A tomografia de alta resolução (TCAR) é a técnica de imagem radiológica que reflete mais de perto as alterações da estrutura pulmonar. Os vários achados tomográficos podem ser combinados para formar padrões típicos. Estes, conjuntamente com a distribuição anatômica dos achados, e com os dados clínicos, podem estreitar o diagnóstico das doenças intersticiais pulmonares difusas, e em vários casos sugerir o diagnóstico correto com alto grau de acurácia. Os padrões mais comuns das doenças intersticiais pulmonares difusas na TCAR são o nodular, linear e reticular, lesões císticas, opacidades em vidro fosco e consolidações. Este artigo revisa as correlações entre os padrões tomográficos na TCAR e os achados patológicos e resume as causas mais comuns e os métodos de investigação para se atingir um diagnóstico nas doenças pulmonares crônicas difusas mais comuns.

 


Palavras-chave: Doenças pulmonares intersticiais/patologia; Tomografia computadorizada por raios X; Técnicas de diagnóstico do sistema respiratório.

 

Relato de Caso

14 - Vasculite leucocitoclástica cutânea associada à tuberculose pulmonar

Cutaneous leukocytoclastic vasculitis accompanied by pulmonary tuberculosis

Maurício Carvalho, Robson Luiz Dominoni, Denise Senchechen, Artur Furlaneto Fernandes, Ismael Paulo Burigo, Eloisa Doubrawa

J Bras Pneumol.2008;34(9):745-748

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Relatamos o caso de um homem de 50 anos com uma rara associação: tuberculose pulmonar e vasculite leucocitoclástica cutânea. O paciente procurou o pronto atendimento em razão do quadro de cefaléia, artralgia, rash cutâneo e perda ponderal (4 kg) nos últimos 20 dias. A radiografia de tórax, solicitada em consulta ambulatorial prévia, demonstrava cavitação nos lobos médio e superior do pulmão direito, confirmada por tomografia computadorizada. Apresentou baciloscopia de escarro (coloração de Ziehl-Neelsen) positiva em três amostras consecutivas e biópsia da lesão de pele compatível com vasculite leucocitoclástica cutânea. Foi, então, realizado o diagnóstico de vaculite leucocitoclástica cutânea associada à tuberculose pulmonar. Nosso objetivo é descrever uma associação pouco relatada na literatura médica e discutir seus possíveis mecanismos patogênicos.

 


Palavras-chave: Vasculite de hipersensibilidade; Tuberculose; Hipersensibilidade.

 

15 - Doença veno-oclusiva pulmonar: alternativas diagnósticas e terapêuticas

Pulmonary veno-occlusive disease: diagnostic and therapeutic alternatives

Carlos Eduardo Galvão Barboza, Carlos Viana Poyares Jardim, André Luís Dressler Hovnanian, Bruno Arantes Dias, Rogério Souza

J Bras Pneumol.2008;34(9):749-752

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A doença veno-oclusiva pulmonar (DVOP) é uma causa rara de hipertensão pulmonar. A biópsia cirúrgica era usualmente necessária para seu diagnóstico; entretanto, sua morbidade, mortalidade e seu impacto limitado levantou a discussão sobre o diagnóstico não-invasivo. Apresentamos um caso de uma paciente com dispnéia progressiva, hipoxemia e hipertensão pulmonar no cateterismo.A tomografia computadorizada revelou espessamento septal e micronódulos difusos.O lavado broncoalveolar revelou hemorragia alveolar oculta.Iniciou-se tratamento com antagonista da endotelina, que resultou em melhora clínica e funcional.A hemorragia alveolar oculta é uma característica da DVOP capaz de diferenciá-la da hipertensão pulmonar idiopática.Acreditamos que sua presença, associada à tomografia característica, seja suficiente para o diagnóstico de DVOP.

 


Palavras-chave: Hypertension, pulmonary; Pulmonary veno-occlusive disease; Bronchoalveolar lavage; Receptors, endothelin/antagonists & inhibitors.

 

 


O Jornal Brasileiro de Pneumologia está indexado em:

Latindex Lilacs SciELO PubMed ISI Scopus Copernicus pmc

Apoio

CNPq, Capes, Ministério da Educação, Ministério da Ciência e Tecnologia, Governo Federal, Brasil, País Rico é País sem Pobreza
Secretaria do Jornal Brasileiro de Pneumologia
SCS Quadra 01, Bloco K, Salas 203/204 Ed. Denasa. CEP: 70.398-900 - Brasília - DF
Fone/fax: 0800 61 6218/ (55) (61) 3245 1030/ (55) (61) 3245 6218
E-mails: jbp@jbp.org.br
jpneumo@jornaldepneumologia.com.br

Copyright 2017 - Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia

Logo GN1