Jornal Brasileiro de Pneumologia

ISSN (on-line): 1806-3756

ISSN (impressa): 1806-3713

Busca avançada

Ano 2008 - Volume 34  - Número 10  (/Outubro)






Editorial

1 - Co-infecção tuberculose/HIV

Tuberculosis/HIV co-infection

Antônio Carlos Moreira Lemos

J Bras Pneumol.2008;34(10):753-755

PDF PT PDF EN English Text


Artigo Original

2 - Avaliação do Questionário de Controle da Asma validado para uso no Brasil

Evaluation of the Asthma Control Questionnaire validated for use in Brazil

Mylene Leite, Eduardo Vieira Ponte, Jaqueline Petroni, Argemiro D`Oliveira Júnior, Emílio Pizzichini, Álvaro Augusto Cruz

J Bras Pneumol.2008;34(10):756-763

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar se a versão em língua portuguesa do Asthma Control Questionnaire (ACQ, Questionário de Controle da Asma) é um instrumento válido para medir o controle da asma em pacientes adultos ambulatoriais no Brasil. Métodos: Foram avaliados 278 pacientes ambulatoriais com diagnóstico de asma. Todos os pacientes, durante a primeira visita, responderam ao questionário, foram submetidos à espirometria e avaliados clinicamente por um médico para a caracterização do controle da doença. Foram analisadas as versões do questionário com 5, 6 e 7 questões, utilizando dois escores distintos (0,75 e 1,50) como pontos de corte. Resultados: Dos 278 pacientes, 77 (27,7%) tinham asma intermitente, 39 (14,0%) asma persistente leve, 40 (14,4%) asma persistente moderada e 122 (43,9%) asma persistente grave. A sensibilidade do questionário para identificar asma não-controlada variou de 77% a 99% e a especificidade variou de 36% a 84%. O valor preditivo positivo variou de 73% a 90%, e o valor preditivo negativo variou de 67% a 95%. A razão de verossimilhança positiva variou de 1,55 a 4,81, e a razão de verossimilhança negativa variou de 0,03 a 0,27. Nas versões do ACQ com 5 e 6 questões, o coeficiente de correlação intraclasse foi de 0,92, e estas versões foram responsivas a mudanças no quadro clínico dos pacientes. Conclusões: O ACQ, nas suas três versões, teve boa capacidade de discriminar indivíduos com asma não-controlada daqueles com asma controlada. As versões com 5 e 6 questões apresentaram também boa reprodutibilidade e responsividade. Trata-se, portanto, de um instrumento válido para avaliação do controle da asma em pacientes adultos ambulatoriais no Brasil.

 


Palavras-chave: Asma; Terapêutica; Diagnóstico; Questionários; Reprodutibilidade dos testes.

 

3 - Asma e função pulmonar aos 6-7 anos de idade em uma coorte de nascimentos no Sul do Brasil

Asthma and lung function in a birth cohort at 6-7 years of age in southern Brazil

Moema Nudilemon Chatkin, Ana Maria Baptista Menezes, Silvia Elaine Cardozo Macedo, Edgar Fiss

J Bras Pneumol.2008;34(10):

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Asma e sintomas respiratórios são comuns na infância, e vários estudos têm demonstrado sua associação com função pulmonar prejudicada na vida adulta. O objetivo deste estudo foi investigar a associação de diversos sintomas respiratórios com padrões de sibilância (persistente, precoce e de início tardio) e função pulmonar aos 6-7 anos de idade em uma coorte de nascimentos, além de determinar se a função pulmonar estava associada à atopia ou a fatores demográficos, socioeconômicos, ambientais e gestacionais. Métodos: A populaçãoalvo compreendeu crianças de 6 a 7 anos de idade pertencentes à coorte de 5.304 nascimentos ocorridos em 1993 em Pelotas, no Sul do Brasil. Para esse acompanhamento selecionaram-se aleatoriamente 532 dessas crianças, e uma subamostra foi submetida a espirometria e testes cutâneos de puntura. Aplicou-se um questionário aos pais das crianças ou seus responsáveis. Resultados: Observamos valores espirométricos mais baixos nas crianças com sintomas respiratórios e asma. A média da relação volume expiratório forçado no primeiro segundo/capacidade vital forçada (relação VEF1/CVF) foi menor nas crianças com sibilância atual e asma, asma alguma vez na vida, quatro ou mais episódios de sibilância nos últimos 12 meses, sono perturbado pela sibilância e sibilância após exercícios. Sibilância persistente foi associada a redução da relação VEF1/CVF. Após regressão linear múltipla, sibilância após exercícios também foi associada a redução da relação VEF1/CVF. Cor da pele não-branca e fala prejudicada pela sibilância foram associadas a redução do VEF1. Conclusões: Crianças com sibilância persistente e sintomas de asma grave apresentaram função pulmonar prejudicada aos 6-7 anos de idade.

 


Palavras-chave: Asma; Testes de função respiratória; Sons respiratórios; Sinais e sintomas respiratórios

 

4 - Prevalência de refluxo gastroesofágico em pacientes com doença pulmonar avançada candidatos a transplante pulmonar

Prevalence of gastroesophageal reflux in lung transplant candidates with advanced lung disease

Gustavo Almeida Fortunato, Mirna Mota Machado, Cristiano Feijó Andrade, José Carlos Felicetti, José de Jesus Peixoto Camargo, Paulo Francisco Guerreiro Cardoso

J Bras Pneumol.2008;34(10):772-778

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar o perfil funcional do esôfago e a prevalência de refluxo gastroesofágico (RGE) em pacientes candidatos a transplante pulmonar. Métodos: Foram analisados prospectivamente, entre junho de 2005 e novembro de 2006, 55 pacientes candidatos a transplante pulmonar da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre. Os pacientes foram submetidos a esofagomanometria estacionária e pHmetria esofágica ambulatorial de 24 h de um e dois eletrodos antes de serem submetidos ao transplante pulmonar. Resultados: A esofagomanometria foi anormal em 80% dos pacientes e a pHmetria revelou RGE ácido patológico em 24%. Os sintomas digestivos apresentaram sensibilidade de 50% e especificidade de 61% para RGE. Dos pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica, 94% apresentaram alteração à manometria, e 80% apresentaram hipotonia do esfíncter inferior, que foi o achado mais freqüente. Pacientes com bronquiectasias apresentaram a maior prevalência de RGE (50%). Conclusões: O achado freqüente em pacientes com doença pulmonar avançada é RGE. Na população examinada, a presença de sintomas digestivos de RGE não foi preditiva de refluxo ácido patológico. A contribuição do RGE na rejeição crônica deve ser considerada e requer estudos posteriores para seu esclarecimento.

 


Palavras-chave: Gastroesophageal reflux; Lung transplantation; Manometry; Esophageal pH monitoring.

 

5 - Fibrose pulmonar idiopática simultânea a enfisema em pacientes tabagistas

Idiopathic pulmonary fibrosis and emphysema in smokers

Denise Rossato Silva, Marcelo Basso Gazzana, Sérgio Saldanha Menna Barreto, Marli Maria Knorst

J Bras Pneumol.2008;34(10):779-786

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Descrever os achados clínicos e funcionais de pacientes com enfisema em lobos superiores e fibrose pulmonar idiopática (FPI) em lobos inferiores, recentemente descrita na literatura. Métodos: Um grupo de 11 pacientes com a presença simultânea de enfisema e FPI foi identificado retrospectivamente. Todos os pacientes realizaram tomografia computadorizada de tórax com alta resolução e provas de função pulmonar. Resultados: Entre os 11 pacientes identificados, havia 8 homens e 3 mulheres, com média de idade de 70,7 ± 7,2 anos (variação, 61-86 anos). Todos os pacientes eram tabagistas (carga tabágica, 61,5 ± 43,5 anos-maço). As médias da capacidade vital forçada (CVF), do volume expiratório forçado no primeiro segundo (VEF1) e da relação VEF1/CVF foram 72,1% ± 12,7%, 68,2% ± 11,9% e 74,4 ± 10,8, respectivamente. Os volumes pulmonares foram normais em 7 pacientes. Um padrão restritivo foi observado em 3 pacientes e hiperinsuflação estava presente em um. A capacidade de difusão pulmonar apresentou redução moderada a grave em todos os pacientes (média, 27,7% ± 12,9% do previsto). No teste da caminhada de seis minutos, realizado por 10 pacientes, a distância caminhada média foi de 358,4 ± 143,1 m, ocorrendo dessaturação ≥4% em 9 pacientes. Achados ecocardiográficos sugestivos de hipertensão pulmonar estavam presentes em 4 pacientes (média da pressão sistólica da artéria pulmonar, 61,8 mmHg; variação, 36-84 mmHg). Conclusões: A presença simultânea de enfisema e FPI causa alterações características nas provas de função pulmonar. O achado mais importante é a discrepância entre a capacidade de difusão e a espirometria.

 


Palavras-chave: Enfisema pulmonar; Fibrose pulmonar; Doenças pulmonares intersticiais; Anóxia; Hipertensão pulmonar.

 

6 - Estudo imunohistoquímico do remodelamento pulmonar em camundongos expostos à fumaça de cigarro

Immunohistochemical study of lung remodeling in mice exposed to cigarette smoke

Samuel Santos Valença, Luís Cristóvão Porto

J Bras Pneumol.2008;34(10):787-795

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Muitos estudos sobre enfisema são realizados com exposição de animais à fumaça de cigarro durante um longo tempo, focando o tipo de célula envolvida no desequilíbrio protease/antiprotease e a degradação da matriz extracelular. A expressão aumentada de metaloproteinases no enfisema está associado com citocinas e evidências sugerem um papel importante da metaloproteinase de matriz-12 (MMP-12). Nosso objetivo foi estudar a detecção de inibidor tissular de metaloproteinase-2 (TIMP-2), fator de necrose tumoral alfa (TNF-α) e interleucina-6 (IL-6) por métodos imunohistoquímicos no pulmão de camundongos. Métodos: Camundongos C57BL/6 machos foram expostos 3 vezes ao dia a fumaça de 3 cigarros por um período de 10, 20, 30 ou 60 dias através de uma câmara de inalação (grupos CS10, CS20, CS30 e CS60, respectivamente). O grupo controle foi exposto às mesmas condições ao ar ambiente. Resultados: Nós observamos um aumento progressivo de macrófagos alveolares no lavado broncoalveolar dos grupos expostos. O diâmetro alveolar médio, um indicador de destruição alveolar, aumentou em todos os grupos expostos quando comparado ao grupo controle. O índice imunohistoquímico (II) para MMP-12 aumentou nos grupos CS10, CS20 e CS30 em paralelo a uma redução do II para TIMP-2 nos grupos CS10, CS20 e CS30. O II para as citocinas TNF-α e IL-6 aumentou em todos os grupos expostos quando comparado ao grupo controle. Enfisema foi observado no grupo CS60, com alterações na densidade de volume de fibras colágenas e elásticas. Conclusões: Estes achados sugerem que a fumaça de cigarro induz enfisema com uma participação importante do TNF-α e da IL-6 sem a participação de neutrófilos.

 


Palavras-chave: Macrófagos alveolares; Enfisema; Inibidor tissular de metaloproteinase-2; Interleucina-6.

 

7 - Resistência de vias aéreas em crianças medida pela técnica do interruptor: valores de referência

Airway resistance in children measured using the interrupter technique: reference values

Viviane Viegas Rech, Paula Cristina Vasconcellos Vidal, Hilário Teixeira de Melo Júnior, Renato Tetelbom Stein, Paulo Márcio Condessa Pitrez, Marcus Herbert Jones

J Bras Pneumol.2008;34(10):796-803

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: A técnica do interruptor é usada para determinar interrupter resistance (Rint, medida de resistência das vias aéreas através da técnica do interruptor) durante respiração tranqüila. Este método não-invasivo requer mínima cooperação e, por isso, pode ser útil para avaliar obstrução de vias aéreas em crianças não-colaborativas. Não existem dados publicados de valores de referência para Rint na população brasileira até o momento. O objetivo deste estudo foi definir uma equação para prever a resistência das vias aéreas pela técnica do interruptor em crianças saudáveis de 3 a 13 anos de idade. Métodos: Este estudo transversal prospectivo com crianças pré-escolares e escolares em Porto Alegre, Brasil, mensurou Rint durante pico de fluxo expiratório no volume corrente. Resultados: Cento e noventa e três crianças completaram as medidas. Estatura, peso corporal e idade mostraram correlação significante e independente com Rint na análise univariada usando regressão linear. A regressão múltipla com estatura, peso corporal, idade e gênero como variáveis resultou em um modelo no qual somente estatura e peso corporal foram significativos e independentes para predizer Rint. Colinearidade foi identificada entre estatura, peso corporal e idade. Conclusões: Valores e equação de referência para Rint em crianças saudáveis foram obtidos e são relacionados a estatura.

 


Palavras-chave: Testes de função respiratória; Resistência das vias respiratórias; Técnicas de diagnóstico do sistema respiratório; Obstrução das vias respiratórias/diagnóstico; Valores de referência.

 

8 - Diagnóstico e prognóstico dos tumores pulmonares neuroendócrinos mediante microscopia eletrônica e análise multivariavel de agrupamento

Using electron microscopy and multivariate cluster analysis to determine diagnosis and prognosis in cases of neuroendocrine lung carcinoma

Cecília Aparecida Vaiano Farhat, Edwin Roger Parra, Andrew V. Rogers, Silvia Nagib Elian, Mary N. Sheppard, Vera Luiza Capelozzi

J Bras Pneumol.2008;34(10):804-811

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Estabelecer, com ajuda do microscópio eletrônico, critérios que possibilitem uma diferenciação mais exata entre os quatro tipos maiores de tumores neuroendócrinos pulmonares: tumor carcinóide típico e atípico, carcinoma de grandes células neuroendócrino e carcinoma de pequenas células. Métodos: Todos os tumores foram avaliados morfometricamente e 16 variáveis foram relacionadas com diferenciação das células tumorais; estas variáveis foram analisadas sob microscopia eletrônica com ajuda de um analisador de imagem digital em 27 tumores. A avaliação através da microscopia eletrônica revelou que todos os tumors investigados podiam ser classificados a um dos quarto tipos listados acima. A análise das variáveis morfométricas foi usada para agrupar os tumores em três grandes grupos, os quais foram relacionados à sobrevivência pelas curvas de Kaplan Meier. Resultados: Os três grupos de carcinoma neuroendócrino associaram-se às curvas da sobrevivência, as quais mostraram características ultra-estruturais na microscopia eletrônica de significância prognóstica distinta. Os tumores foram contidos em três grupos bem definidos, que representam o espectro da diferenciação neuroendócrina: tumor carcinóide (grupo 1); tumor carcinóide atípico e carcinoma de grandes células neuroendócrino (grupo 2); e carcinoma de pequenas células (grupo 3). O grupo 2 representa um espectro intermediário na carcinogênese neuroendócrina, entre o carcinóide típico e o carcinoma de pequenas células. Conclusões: Nossos achados confirmam que a microscopia eletrônica é uma ferramenta útil no diagnóstico e prognóstico dos casos de tumores pulmonares.

 


Palavras-chave: Tumores neuroendócrinos/pulmão; Microscopia eletrônica; Análise por aglomerados; Análise de sobrevida.

 

9 - Hematopoese extramedular: achados em tomografia computadorizada do tórax de 6 pacientes

Extramedullary hematopoiesis: findings on computed tomography scans of the chest in 6 patients

Edson Marchiori, Dante Luiz Escuissato, Klaus Loureiro Irion, Gláucia Zanetti, Rosana Souza Rodrigues, Gustavo de Souza Portes Meirelles, Bruno Hochhegger

J Bras Pneumol.2008;34(10):812-816

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Apresentar os achados na tomografia computadorizada do tórax indicativos de hematopoese extramedular de seis pacientes. Métodos: Foram estudadas, retrospectivamente, as tomografias de seis pacientes adultos-cinco homens e uma mulher-com idade média de 36,5 anos. Os exames foram analisados por dois radiologistas, de forma independente, e as decisões finais foram obtidas por consenso. Resultados: O achado mais freqüente nas tomografias foi o de massas paravertebrais inferiores, de conteúdo heterogêneo (quatro pacientes). As tomografias de dois pacientes mostravam uma massa solitária parietal e pleural. Conclusões: A hematopoese extramedular apresenta aspectos na tomografia computadorizada fortemente sugestivos do diagnóstico que, quando correlacionados com a presença de doença hematológica de base, permitem, na maior parte dos casos, dispensar a comprovação histopatológica.

 


Palavras-chave: Tomografia computadorizada por raios X; Hematopoese extramedular, Mediastino/fisiopatologia, Anemia falciforme.

 

10 - Alterações da pressão de pico inspiratório e do volume corrente fornecidos por reanimadores manuais com balão auto-inflável em função do fluxo de entrada de oxigênio utilizado

Alterations in peak inspiratory pressure and tidal volume delivered by manually operated self-inflating resuscitation bags as a function of the oxygen supply rate

Armando Carlos Franco de Godoy, Ronan José Vieira, Eduardo Mello De Capitani

J Bras Pneumol.2008;34(10):817-821

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Determinar possíveis alterações do volume corrente e da pressão de pico inspiratório fornecidos por sete modelos de reanimador manual com balão auto-inflável em função do fluxo de entrada de oxigênio utilizado. Métodos: Os reanimadores testados foram: Oxigel,modelos A e B; CE Reanimadores; ProtecSolutions; Missouri; Axmed; e Narcosul. Para as aferições, acoplaram-se um fluxômetro de oxigênio de parede, um fluxômetro/respirômetro, um reanimador, um sensor (aparelho Tracer 5) e um pulmão-teste. Além disso, acoplou-se o aparelho Tracer 5 a um notebook. Utilizaram-se fluxos de entrada de oxigênio de 1, 5, 10 e 15 L/min. Resultados: O volume corrente fornecido pelo reanimador Oxigel modelo A ao receber 15 L/min de oxigênio foi aproximadamente 99% maior que o fornecido ao receber 1 L/min de oxigênio. Da mesma forma, a pressão de pico inspiratório foi 155% maior. Nas mesmas condições, o volume corrente fornecido pelo reanimador Narcosul foi 48% maior, e a pressão de pico inspiratório foi 105% maior. Os demais reanimadores testados não apresentaram alterações significativas do volume corrente e da pressão de pico inspiratório fornecidos. Conclusões: Nas condições de resistência e complacência utilizadas, os reanimadores em que o fluxo de entrada de oxigênio é direcionado diretamente ao interior do balão tiveram a válvula do paciente presa em posição de inspiração ao receberem um fluxo ≥ 5 L/min, aumentando significativamente o volume corrente e a pressão de pico inspiratório fornecidos. Isso não ocorreu nos reanimadores em que o fluxo de entrada de oxigênio é direcionado ao exterior do balão.

 


Palavras-chave: Oxigênio/administração & dosagem; Ressuscitação; Equipamentos e provisões; Ventilação pulmonar; Cuidados intensivos.

 

11 - Doença pulmonar por Mycobacterium tuberculosis e micobactérias não-tuberculosas entre pacientes recém-diagnosticados como HIV positivos em Moçambique, África

Mycobacterium tuberculosis and nontuberculous mycobacterial isolates among patients with recent HIV infection in Mozambique

Elizabete Abrantes Nunes, Eduardo Mello De Capitani, Elizabete Coelho, Alessandra Costa Panunto, Orvalho Augusto Joaquim, Marcelo de Carvalho Ramos

J Bras Pneumol.2008;34(10):822-828

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: A micobacteriose é frequentemente diagnosticada entre pacientes infectados pelo HIV. Em Moçambique, onde apenas um pequeno número de pacientes encontra-se sob tratamento anti-retroviral, e a tuberculose tem alta prevalência, existe a necessidade de melhor caracterização destes agentes bacterianos, em nível de espécie, bem como de se caracterizar os padrões de resistência às drogas antituberculosas. Métodos: Em uma coorte de 503 indivíduos HIV positivos suspeitos de tuberculose pulmonar, 320 apresentaram positividade para baciloscopia ou cultura no escarro e no lavado brônquico. Resultados: Bacilos álcool-ácido resistentes foram detectados no escarro em 73% dos casos com cultura positiva. De 277 isolados em cultura, apenas 3 mostraram-se tratar de micobactérias não-tuberculosas: 2 Mycobacterium avium e uma M. simiae. Todos os isolados de M. tuberculosis inicialmente caracterizados através de reação em cadeia de polimerase (RCP) do gene hsp65 foram posteriormente caracterizados como tal através de RCP do gene gyrB. Resistência à isoniazida foi encontrada em 14% dos casos; à rifampicina em 6%; e multirresistência em 5%. Pacientes previamente tratados para tuberculose mostraram tendência a taxas maiores de resistência às drogas de primeira linha. O padrão radiológico mais freqüente encontrado foi o infiltrado intersticial (67%), seguido da presença de linfonodos mediastinais (30%), bronquiectasias (28%), padrão miliar (18%) e cavidades (12%). Os pacientes infectados por micobactérias não-tuberculosas não apresentaram manifestações clínicas distintas das apresentadas pelos outros pacientes. A mediana de linfócitos CD4 entre todos os pacientes foi de 134 células/mm3. Conclusões: Tuberculose e AIDS em Moçambique estão fortemente associadas, como é de se esperar em países com alta prevalência de tuberculose. Embora as taxas de resistência a drogas sejam altas, o esquema isoniazida-rifampicina continua sendo a escolha apropriada para o início do tratamento.

 


Palavras-chave: Tuberculose; Micobactérias atípicas; HIV; Síndrome de imunodeficiência adquirida; Resistência a múltiplos medicamentos; Moçambique.

 

Artigo de Revisão

12 - Dislipidemia relacionada à fibrose cística

Cystic fibrosis-related dyslipidemia

Crésio de Aragão Dantas Alves, Daniela Seabra Lima

J Bras Pneumol.2008;34(10):829-837

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Esse artigo tem por objetivo rever o conhecimento atual sobre a fisiopatologia, o diagnóstico e a abordagem da dislipidemia relacionada à fibrose cística (DFC). A pesquisa bibliográfica utilizou os bancos de dados Medline e Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (1987-2007), selecionando os artigos mais relevantes sobre o tema. A DFC é caracterizada por hipertrigliceridemia e/ou hipocolesterolemia e deficiência de ácidos graxos essenciais. Seus principais fatores de risco são: insuficiência pancreática, dieta rica em carboidratos, hepatopatias, estado inflamatório e corticoterapia. Não existem recomendações específicas sobre a triagem, que habitualmente é realizada a partir do diagnóstico e, em intervalos regulares, com maior freqüência, nos indivíduos pertencentes aos grupos de risco. O tratamento inclui: dieta balanceada, reposição de micronutrientes, vitaminas e fibras, além de exercício físico regular de acordo com a tolerância individual. Na grande maioria dos casos, a hipertrigliceridemia da DFC não atinge valores que indiquem o uso de hipolipemiantes. Conclui-se que existem poucos trabalhos na literatura sobre a freqüência, etiologia e manejo da DFC. A recomendações preventivas e terapêuticas para a hipertrigliceridemia são extrapoladas de diretrizes para indivíduos sem fibrose cística. Mais pesquisas são necessárias para investigar a associação da deficiência de ácidos graxos essenciais com a fisiopatologia da fibrose cística. Como a hipertrigliceridemia é um importante fator de risco para doença arterial coronariana, estudos prospectivos irão contribuir para o melhor entendimento da história natural dessa complicação bem como definir maneiras de preveni-la e tratá-la.

 


Palavras-chave: Fibrose cística; Dislipidemias; Hipertrigliceridemia; Ácidos graxos não-esterificados.

 

Comunicação Breve

13 - Teste de vasorreatividade pulmonar

Testing pulmonary vasoreactivity

Edmundo Clarindo Oliveira, Carlos Faria Santos Amaral, Marco Antonio Moura, Frederico Thadeu Assis Figueiredo Campos, Helder Machado Pauperio

J Bras Pneumol.2008;34(10):838-844

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A hipertensão arterial pulmonar é classificada como idiopática ou secundária (associada a colagenoses, cardiopatias, hipertensão portal, tromboembolismo pulmonar e doenças da vasculatura pulmonar). O teste de vasorreatividade pulmonar é indicado para definir a melhor opção terapêutica. Muitas drogas têm sido utilizadas para a realização desse teste, sendo o óxido nítrico inalado a melhor opção, por apresentar ação específica pulmonar e meia vida muita curta (5-10 s). O resultado desse teste identifica candidatos à cirurgia cardíaca nas cardiopatias congênitas e candidatos ao uso de antagonista de cálcio nas outras formas de hipertensão pulmonar. A realização e interpretação do teste de vasorreatividade pulmonar exigem grande responsabilidade, e erros podem levar a decisões erradas e à ocorrência de óbitos.

 


Palavras-chave: Hipertensão pulmonar/diagnóstico; Óxido nítrico/uso diagnóstico; Administração por inalação.

 

Diretrizes da SBPT

14 - Diretrizes para cessação do tabagismo - 2008

Smoking cessation guidelines - 2008

Jonatas Reichert, Alberto José de Araújo, Cristina Maria Cantarino Gonçalves, Irma de Godoy, José Miguel Chatkin, Maria da Penha Uchoa Sales, Sergio Ricardo Rodrigues de Almeida Santos e Colaboradores

J Bras Pneumol.2008;34(10):845-880

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Estas diretrizes constituem uma ferramenta atualizada e abrangente para auxiliar o profissional de saúde na abordagem do tabagista, recomendando atitudes baseadas em evidências clínicas como a melhor forma de conduzir cada caso. De forma reduzida e mais objetiva possível, o texto final foi agrupado em dois grandes itens: Avaliação e Tratamento. Os dois itens apresentam comentários e níveis de recomendação das referências utilizadas, bem como algumas propostas de abordagem, como por exemplo, redução de danos, em situações específicas ainda pouco exploradas, como recaídas, tabagismo passivo, tabagismo na categoria médica e uso de tabaco em ambientes específicos.

 


Palavras-chave: Tabagismo/efeitos adversos; Abandono do hábito de fumar/métodos; Guia.

 

Relato de Caso

15 - Amiloidose traqueobrônquica primária

Primary tracheobronchial amyloidosis

José Wellington Alves dos Santos, Ayrton Schneider Filho, Alessandra Bertolazzi, Gustavo Trindade Michel, Lauro Vinícius Schvarcz da Silva, Carlos Renato Melo, Vinícius Dallagasperina Pedro, Daniel Spilmann, Juliana Kaczmareck Figaro

J Bras Pneumol.2008;34(10):881-884

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A amiloidose traqueobrônquica é uma forma pouco comum de amiloidose localizada, caracterizada por depósitos amilóides limitados à traquéia, brônquios principais e brônquios segmentares. Nós apresentamos o caso de um homem aposentado de 67 anos com dispnéia progressiva de longa data, sibilância e dor torácica. O diagnóstico de amiloidose traqueobrônquica foi realizado após três fibrobroncoscopias e confirmação histopatológica com coloração vermelho congo.

 


Palavras-chave: Amiloidose/traquéia; Broncoscopia; Doenças da traquéia/diagnóstico.

 

16 - Gravidez em paciente com microlitíase alveolar pulmonar grave

Pregnancy in a patient with severe pulmonary alveolar microlithiasis

José Osmar Bezerra de Souza Filho, Cristiane Maria Cavalcante Silveira, Aline Barreto da Cunha, Valéria Goes Ferreira Pinheiro, Francisco Edson de Lucena Feitosa, Marcelo Alcântara Holanda

J Bras Pneumol.2008;34(10):885-888

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A microlitíase alveolar pulmonar (MAP) é uma doença rara que atinge ambos os pulmões, caracterizada pela presença de pequenos cálculos (fosfato de cálcio) nos espaços alveolares. Relatamos o caso de uma paciente do sexo feminino, de 26 anos, cujo diagnóstico foi confirmado com base nos achados marcantes na radiografia de tórax e tomografia computadorizada de alta resolução. A paciente, gestante de 28 semanas, retornou ao hospital 10 meses após o diagnóstico apresentando insuficiência respiratória hipoxêmica e com distúrbio ventilatório restritivo grave à espirometria. Após completadas 32 semanas e 4 dias de gestação, foi submetida aparto cesariano, com sucesso para mãe e filha. A MAP tem evolução clínica variável. Tem provável caráter autossômico recessivo e associação com história familiar positiva. A etiologia é incerta, e muitos autores especulam que haja um defeito enzimático local responsável pelo acúmulo intra-alveolar de cálcio. Relatos de pacientes com MAP que engravidaram são excepcionais, sendo o presente caso o primeiro descrito no Brasil. O curso dessa doença costuma ser lentamente progressivo, e os pacientes geralmente falecem devido à insuficiência cardiorrespiratória. O presente caso ilustra a necessidade de se oferecer aconselhamento genético e orientações sobre o risco de gravidez às pacientes, especialmente em casos de doença avançada. Atualmente, a única terapia efetiva é o transplante pulmonar.

 


Palavras-chave: Alvéolos pulmonares; Gravidez; Insuficiência respiratória.

 

 


O Jornal Brasileiro de Pneumologia está indexado em:

Latindex Lilacs SciELO PubMed ISI Scopus Copernicus pmc

Apoio

CNPq, Capes, Ministério da Educação, Ministério da Ciência e Tecnologia, Governo Federal, Brasil, País Rico é País sem Pobreza
Secretaria do Jornal Brasileiro de Pneumologia
SCS Quadra 01, Bloco K, Salas 203/204 Ed. Denasa. CEP: 70.398-900 - Brasília - DF
Fone/fax: 0800 61 6218/ (55) (61) 3245 1030/ (55) (61) 3245 6218
E-mails: jbp@jbp.org.br
jpneumo@jornaldepneumologia.com.br

Copyright 2017 - Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia

Logo GN1