Jornal Brasileiro de Pneumologia

ISSN (on-line): 1806-3756

ISSN (impressa): 1806-3713

Busca avançada

Ano 2009 - Volume 35  - Número 12  (/Dezembro)






Editorial

1 - Um patrimônio científico nacional

A national scientific treasure

José Antônio Baddini Martinez

J Bras Pneumol.2009;35(12):1165-1167

PDF PT PDF EN English Text


Artigo Original

2 - Fatores de risco para visitas à emergência por exacerbações de asma em pacientes de um programa de controle da asma e rinite alérgica em Feira de Santana, BA

Risk factors for ER visits due to asthma exacerbations in patients enrolled in a program for the control of asthma and allergic rhinitis in Feira de Santana, Brazil

Heli Vieira Brandão, Constança Sampaio Cruz, Murilo Cerqueira Pinheiro, Edgar Adolfo Costa, Armênio Guimarães, Adelmir Souza-Machado, Álvaro Augusto Cruz

J Bras Pneumol.2009;35(12):

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Determinar os fatores de risco para atendimentos de emergência por exacerbações da asma em pacientes acompanhados em um centro de referência. Métodos: Estudo de coorte prospectiva de 253 crianças e adultos com asma e monitorados por 12 meses no Centro de Referência do Programa de Controle da Asma e Rinite Alérgica de Feira de Santana, BA. Resultados: As exacerbações foram frequentes, e 36,5% dos pacientes buscaram assistência em serviços de emergência no período de 12 meses. Os fatores de risco associados às exacerbações foram idade > 20 anos (OR = 1,34; IC95%: 1,06-1,70); residência em zona urbana (OR = 1,19; IC95%: 1,06-1,33); baixa escolaridade (OR = 1,53; IC95%: 1,00-2,39); asma grave (OR = 1,65; IC95%: 1,24-2,18); e rinite crônica (OR = 2,20: IC95%: 1,00-4,80). Conclusões: Ter de rinite crônica, asma mais grave e baixa escolaridade foram os principais fatores de risco para atendimentos de emergência por exacerbações da asma nesta coorte. Esses resultados são semelhantes àqueles descritos para pacientes com asma sem tratamento regular.

 


Palavras-chave: Asma/etiologia; Serviços de saúde; Avaliação de programas e projetos de saúde.

 

3 - Disfunção diafragmática e mortalidade em pacientes portadores de DPOC

Diaphragmatic dysfunction and mortality in patients with COPD

Wellington Pereira dos Santos Yamaguti, Elaine Paulin, João Marcos Salge, Maria Cristina Chammas, Alberto Cukier, Celso Ricardo Fernandes de Carvalho

J Bras Pneumol.2009;35(12):

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Verificar se indivíduos portadores de DPOC com disfunção diafragmática apresentam maior risco de mortalidade quando comparados àqueles sem disfunção diafragmática. Métodos: Foi avaliada a função pulmonar, a mobilidade diafragmática, a qualidade de vida e o índice conhecido como Body mass index, airway Obstruction, Dyspnea, and Exercise capacity (BODE) em 42 pacientes portadores de DPOC. Os pacientes foram alocados em dois grupos de acordo com a gravidade do acometimento da mobilidade do diafragma: grupo de baixa mobilidade (BM; mobilidade ≤ 33,99 mm) e grupo de alta mobilidade (AM; mobilidade ≥ 34,00 mm). O índice BODE e a qualidade de vida foram quantificados nos dois grupos. Todos os pacientes foram acompanhados prospectivamente por um período de até 48 meses a fim de identificarmos o número de óbitos decorrentes de complicações respiratórias devido a DPOC. Resultados: Dos 42 pacientes avaliados, 20 foram classificados no grupo BM, e 22 foram alocados no grupo AM. Não houve diferenças significativas quanto à faixa etária, hiperinsuflação pulmonar e fatores relacionados à qualidade de vida entre os grupos. Entretanto, o grupo BM apresentou maior pontuação no índice BODE em relação ao grupo AM (p = 0,01). O acompanhamento dos pacientes ao longo de 48 meses permitiu identificar quatro óbitos na população estudada, sendo todos os casos no grupo BM (15,79%; p = 0,02). Conclusões: Esses resultados sugerem que pacientes portadores de DPOC com disfunção diafragmática, caracterizada por uma baixa mobilidade do diafragma, apresentam maior risco de mortalidade quando comparados àqueles sem disfunção diafragmática.

 


Palavras-chave: Doença pulmonar obstrutiva crônica/mortalidade; Diafragma; Tolerância ao exercício; Qualidade de vida.

 

4 - Prevalência da doença do refluxo gastroesofágico em pacientes com fibrose pulmonar idiopática

Prevalence of gastroesophageal reflux disease in patients with idiopathic pulmonary fibrosis

Cristiane Dupont Bandeira, Adalberto Sperb Rubin, Paulo Francisco Guerreiro Cardoso, José da Silva Moreira, Mirna da Mota Machado

J Bras Pneumol.2009;35(12):1182-1189

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Determinar a prevalência da doença do refluxo gastroesofágico (DRGE) e sua apresentação clínica, além do perfil funcional do esôfago em pacientes com fibrose pulmonar idiopática (FPI). Métodos: Foram avaliados prospectivamente 28 pacientes com FPI. Os pacientes foram submetidos à esofagomanometria estacionária, pHmetria de 24 h e testes de função pulmonar, assim como responderam a questionários sobre sintomas e qualidade de vida em DRGE. Resultados: A prevalência de DRGE foi de 35,7%. Os pacientes foram divididos em dois grupos: grupo DRGE+ (pHmetria anormal; n = 10), e grupo DRGE− (pHmetria normal; n = 18). No grupo DRGE+, 77,7% dos pacientes apresentavam pelo menos um sintoma típico de DRGE. Nesse grupo de pacientes, 8 (80%) apresentaram refluxo em posição supina, e 5 (50%) apresentaram refluxo exclusivamente nessa posição. Nos grupos DRGE+ e DRGE−, respectivamente, 5 (50,0%) e 7 (38,8%) dos pacientes apresentaram hipotonia do esfíncter esofágico inferior, assim como 7 (70,0%) e 10 (55,5%) apresentaram hipomotilidade esofágica. Não houve diferenças significativas entre os grupos quanto a características demográficas, função pulmonar, apresentação clínica ou achados manométricos. Conclusões: A prevalência de DRGE nos pacientes com FPI foi elevada. Entretanto, as características clínicas e funcionais não diferiram significativamente entre os pacientes com e sem DRGE.

 


Palavras-chave: Fibrose pulmonar; Refluxo gastroesofágico; Prevalência; Manometria; Monitoramento do pH esofágico.

 

5 - Influência da técnica de pressão expiratória positiva oscilante utilizando pressões expiratórias pré-determinadas na viscosidade e na transportabilidade do escarro em pacientes com bronquiectasia

Influence that oscillating positive expiratory pressure using predetermined expiratory pressures has on the viscosity and transportability of sputum in patients with bronchiectasis

Ercy Mara Cipulo Ramos, Dionei Ramos, Daniela Mizusaki Iyomasa, Graciane Laender Moreira, Kátia Cristina Teixeira Melegati, Luiz Carlos Marques Vanderlei, José Roberto Jardim, Adriana Siqueira de Oliveira

J Bras Pneumol.2009;35(12):

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Verificar a efetividade da técnica de pressão expiratória positiva oscilante (PEPO) utilizando pressões expiratórias pré-determinadas sobre a viscosidade e a transportabilidade do escarro em pacientes com bronquiectasia. Métodos: Foram incluídos no estudo 15 pacientes estáveis com bronquiectasia (7 homens; média de idade = 53 ± 16 anos), submetidos a duas intervenções PEPO consecutivas, com 24 h de intervalo entre si, utilizando pressões expiratórias de 15 cmH2O (P15) e 25 cmH2O (P25). O protocolo consistiu de tosse voluntária; nova expectoração voluntária após 20 min, denominado tempo zero (T0); repouso de 10 min; e utilização da técnica em duas séries de 10 min (S1 e S2) de PEPO em P15 e P25, com intervalo de 10 min entre si. A viscosidade e transportabilidade do escarro foram avaliadas pela viscosimetria, velocidade relativa de transporte no palato de rã, deslocamento em máquina simuladora de tosse e ângulo de adesão. As amostras de escarro foram coletadas em T0, após S1 e após S2. Testes estatísticos específicos foram aplicados de acordo com a distribuição dos dados. Resultados: Houve diminuição significante da viscosidade do escarro após S1 em P15 e após S2 em P25. Não houve diferenças significantes entre todas as amostras para a transportabilidade. Conclusões: Houve diminuição da viscosidade do escarro quando a PEPO foi realizada em P15 e P25, o que sugere que não seja necessário gerar alta pressão expiratória para obter o resultado desejado.

 


Palavras-chave: Viscosidade; Bronquiectasia; Fisioterapia (especialidade); Escarro.

 

6 - Conhecimento e práticas para a cessação do tabagismo entre médicos nigerianos

Knowledge of and practices related to smoking cessation among physicians in Nigeria

Olufemi Olumuyiwa Desalu, Adebowale Olayinka Adekoya, Adetokunbo Olujimi Elegbede, Adeolu Dosunmu, Tolutope Fasanmi Kolawole, Kelechukwu Chukwudi Nwogu

J Bras Pneumol.2009;35(12):

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar o conhecimento e as práticas para a cessação do tabagismo entre médicos na Nigéria. Métodos: Um inquérito transversal foi realizado na cidade de Lagos e em três zonas geopolíticas da Nigéria. Um questionário estruturado de autopreenchimento foi respondido por 436 médicos para a obtenção de informações a respeito do uso de tabaco e de seus efeitos na saúde, seu conhecimento e as práticas para cessação do tabagismo. ­Resultados: Dos 436 médicos, 292 (67,0%) estavam informados a respeito da cessação do tabagismo, mas somente 132 (30,3%) demonstraram bons conhecimentos sobre esse assunto. A prevalência de tabagismo entre os médicos foi de 17,7%. Além disso, 308 médicos (70,6%) relataram que a educação sobre tabagismo nos currículos de medicina era inadequada. Dos 436 médicos, 372 (86,2%) questionavam seus pacientes quanto ao tabagismo, e 172 (39,4%) os questionavam quanto aos motivos para o fumo. Como forma de intervenção para a cessação do tabagismo, 268 (61,5%) utilizavam breve aconselhamento (2-5 min), 12 (3,7%) prescreviam antidepressivos, 16 (2,8%) prescreviam terapia de reposição nicotínica (TRN), e 76 (17,4%) agendavam consultas de acompanhamento. Quando os médicos eram questionados quanto aos obstáculos para as intervenções para a cessação do tabagismo, 289 (66,3%) citaram pouco conhecimento do assunto, 55 (12,6%) citaram a falta de tempo, e 20 (4,6%) a indisponibilidade de TRN. Conclusões: Os resultados deste estudo destacam a falta de conhecimento dos médicos na Nigéria quanto à cessação do tabagismo, assim como a sua falha em aplicar práticas adequadas. Os resultados deste estudo podem auxiliar na avaliação e na formulação de diretrizes sobre cessação do tabagismo e de programas de educação em tabagismo para médicos. Nossos achados também destacam a necessidade da oferta de programas para cessação do tabagismo em todos os centros de atendimento.

 


Palavras-chave: Abandono do uso de tabaco; Tabaco; Médicos; Nigéria; Conhecimentos, atitudes e prática em saúde.

 

7 - Levantamento randomizado sobre a prevalência de tabagismo nos maiores municípios do Brasil

Random sample survey on the prevalence of smoking in the major cities of Brazil

Fernando Sergio Leitão Filho, José Carlos Fernandes Galduróz, Ana Regina Noto, Solange Aparecida Nappo, Elisaldo Araújo Carlini, Oliver Augusto Nascimento, Sérgio Ricardo Santos, José Roberto Jardim

J Bras Pneumol.2009;35(12):

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Divulgar os dados de um estudo transversal randomizado, realizado em 2001, pelo Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas. Métodos: A população pesquisada neste levantamento incluiu indivíduos com 12-65 anos de idade, residentes nos 107 maiores municípios do Brasil (com mais de 200 mil habitantes), o que representou 27,7% da população brasileira na época, estimada em 169.799.170 habitantes. Foram realizadas no total 8.589 entrevistas. Utilizou-se o questionário Substance Abuse and Mental Health Services Administration, que foi traduzido e adaptado para o uso no Brasil. Resultados: Do total, 41,1% dos entrevistados disseram já ter utilizado produtos derivados de tabaco alguma vez na vida. A prevalência de uso diário de tabaco foi de 17,4% da amostra (20,3% entre os homens e 14,8% entre as mulheres). Observou-se que 9% da população (10,1% entre os homens e 7,9% entre as mulheres) são dependentes da nicotina, segundo os critérios do National Household Surveys on Drug Abuse. Conclusões: A prevalência do uso diário de tabaco, nos maiores municípios brasileiros, é significativamente menor na presente década do que a prevalência nacional ao final do século passado.

 


Palavras-chave: Tabagismo/epidemiologia; Transtorno por uso de tabaco; Abandono do hábito de fumar.

 

8 - Detecção do fator corda e avaliação do aspecto macroscópico das colônias de micobactérias: um eficiente teste de triagem combinado para a identificação presuntiva do complexo Mycobacterium tuberculosis em meios sólidos

Cord factor detection and macroscopic evaluation of mycobacterial colonies: an efficient combined screening test for the presumptive identification of Mycobacterium tuberculosis complex on solid media

Fernanda Cristina dos Santos Simeão, Erica Chimara, Rosângela Siqueira Oliveira, Jonas Umeoka Yamauchi, Fábio Oliveira Latrilha, Maria Alice da Silva Telles

J Bras Pneumol.2009;35(12):

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: A diferenciação rápida entre Mycobacterium tuberculosis e micobactérias não-tuberculosas é fundamental para os pacientes coinfectados com tuberculose e HIV. Para tanto, utilizamos duas metodologias em nosso laboratório: detecção do fator corda e PCR-restriction enzyme analysis (PRA). O objetivo do estudo foi avaliar a acurácia desse teste de triagem em meio sólido como um método rápido para a identificação presuntiva do complexo M. tuberculosis, considerando custos e tempo de resultado. Métodos: Foram processadas 152 cepas pelo teste de triagem combinado, que consistiu da detecção do fator corda por microscopia (esfregaço corado por Ziehl-Neelsen) e avaliação do aspecto macroscópico das colônias, e PRA (padrão ouro). Os custos foram estimados através da obtenção dos preços dos insumos necessários para a realização de cada teste. Resultados: A acurácia da detecção do fator corda foi de 95,4% (IC95%: 90,7-98,1%) e a do teste de triagem combinado foi de 99,3% (IC95%: 96,4‑100%). O custo da detecção do fator corda foi de R$ 0,60 e do PRA de R$ 16,00. Os resultados da detecção do fator corda estão prontos em 2 dias, ao passo que os de PRA necessitam de 4 dias. Conclusões: A identificação presuntiva de M. tuberculosis usando o aspecto macroscópico das colônias em conjunto com a detecção de fator corda por microscopia é um teste simples, rápido e de baixo custo. Recomendamos o teste de triagem combinado para rapidamente identificar M. tuberculosis em sítios com poucos recursos financeiros e em laboratórios menos equipados, enquanto se aguarda a identificação definitiva por métodos moleculares ou bioquímicos.

 


Palavras-chave: Tuberculose; Mycobacterium/classificação; Reação em cadeia da polimerase; Testes diagnósticos de rotina.

 

Comunicação Breve

9 - Evolução do estado nutricional de pacientes desnutridos ou com excesso de peso candidatos a transplante pulmonar

Giuliana Bastos Esteves, Alessandra Macedo, Miyoko Nakasato, Maria Lúcia Mendes Bruno

J Bras Pneumol.2009;35(12):

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Estudo retrospectivo, que avaliou a evolução do estado nutricional, por meio de antropometria, de candidatos a transplante pulmonar desnutridos ou com excesso de peso. Foram incluídos pacientes com índice de massa corpórea (IMC) < 17 kg/m2 (desnutrido, n = 10) ou IMC > 27 kg/m2 (sobrepeso, n = 20) no momento da avaliação inicial. Estes pacientes foram submetidos por três consultas com um nutricionista (intervenções nutricionais). Não houve diferenças significantes nas variáveis antropométricas após as intervenções no grupo desnutrido. Porém, os resultados do grupo sobrepeso mostraram o impacto positivo da intervenção nutricional no peso, IMC e circunferência da cintura dos pacientes.

 


Palavras-chave: Transplante de pulmão; Estado nutricional; Índice de massa corporal; Antropometria.

 

Artigo de Revisão

10 - Associação genética da asma e da sibilância induzida por vírus: uma revisão sistemática

Genetic associations with asthma and virus-induced wheezing: a systematic review

Leonardo Araujo Pinto, Renato Tetelbom Stein, José Dirceu Ribeiro

J Bras Pneumol.2009;35(12):

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Diversos fenótipos de sibilância têm sido identificados com base em diferenças na história natural, fatores de risco e resposta ao tratamento. Em estudos epidemiológicos, a asma atópica ou sibilância induzida por vírus pode ser discriminada pela presença ou ausência de sensibilização a alérgenos. As crianças com asma apresentam níveis menores de função pulmonar. Pacientes com infecções respiratórias virais apresentam-se com função pulmonar normal, mas mostram reatividade da via aérea aumentada. O objetivo deste trabalho foi identificar genes e polimorfismos associados aos diferentes fenótipos de sibilância. Utilizando dados do Genetic Association Database, foi realizada uma revisão sistemática de estudos sobre genes e polimorfismos associados à sibilância induzida por vírus ou à asma atópica. O levantamento foi realizado em fevereiro de 2009. Todos os genes associados com o desfecho estudado presentes em mais de três estudos foram incluídos na análise. Identificamos que diferentes genes e locos têm sido associados à sibilância induzida por vírus ou à asma atópica. Enquanto a sibilância induzida por vírus foi mais frequentemente associada a polimorfismos no gene IL-8, polimorfismos localizados em genes de citocinas Th2 no cromossomo 5 (CD14 e IL-13) foram frequentemente associados à atopia ou à asma atópica. Esta revisão mostrou evidências de que a sibilância na infância pode ser afetada por variações genéticas de formas diferentes, dependendo de seu papel na inflamação das vias aéreas e na atopia. Estudos futuros de associação genética deverão levar em consideração os diferentes fenótipos na infância. Além disso, análises estratificadas para atopia podem ser úteis para elucidar os mecanismos da doença.

 


Palavras-chave: Genética; Polimorfismo genético; Asma; Interleucinas; Vírus sinciciais respiratórios.

 

11 - O papel do estresse oxidativo na DPOC: conceitos atuais e perspectivas

The role of oxidative stress in COPD: current concepts and perspectives

Antonio George de Matos Cavalcante, Pedro Felipe Carvalhedo de Bruin

J Bras Pneumol.2009;35(12):1227-1237

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A DPOC é uma causa importante de morbidade e mortalidade em escala global. As manifestações clínicas e funcionais da DPOC resultam de danos pulmonares provocados por um conjunto de mecanismos, incluindo o estresse oxidativo, a inflamação, o desequilíbrio do sistema protease-antiprotease e a apoptose. O estresse oxidativo é central na gênese da DPOC, pois além de provocar dano direto às estruturas pulmonares, amplifica os demais mecanismos. Os eventos celulares e moleculares responsáveis pelo dano pulmonar antecedem em muito a expressão clínica e funcional da DPOC. Os broncodilatadores, principais drogas empregadas atualmente no tratamento da DPOC, não são eficazes em reduzir a progressão da doença. Avanços na compreensão da patogênese da DPOC aliados a esforços renovados na pesquisa básica e clínica deverão permitir sua detecção na fase pré-clínica e possibilitar um monitoramento mais adequado de sua atividade, além de permitir a introdução de novas modalidades de agentes terapêuticos capazes de impedir eficazmente sua progressão.

 


Palavras-chave: Doença pulmonar obstrutiva crônica; Estresse oxidativo; Oxidantes; Antioxidantes; Inflamação.

 

Curso de Atualização - Micoses

12 - Capítulo 5 - Aspergilose: do diagnóstico ao tratamento

Chapter 5 - Aspergillosis: from diagnosis to treatment

Maria da Penha Uchoa Sales

J Bras Pneumol.2009;35(12):

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A aspergilose é uma doença multifacetada cujas manifestações clínicas são determinadas pela resposta imune do hospedeiro; podem se apresentar de forma alérgica, saprofítica ou invasiva. A aspergilose broncopulmonar alérgica caracteriza-se por asma corticoide dependente, febre, hemoptise e destruição da via aérea, que pode progredir para fibrose com faveolamento. O tratamento consiste da associação de corticosteroide e itraconazol. A aspergilose pulmonar invasiva requer documentação histopatológica e cultura positiva de material estéril para o diagnóstico. Possui pior prognóstico. O voriconazol apresenta melhor resposta terapêutica, proporcionando maior sobrevida e segurança do que a anfotericina B. A aspergilose pulmonar necrotizante crônica causa destruição progressiva do pulmão em pacientes com doença pulmonar crônica e leve grau de imunossupressão. O tratamento é realizado com itraconazol oral. A aspergilose pulmonar cavitária crônica causa múltiplas cavidades, contendo ou não aspergiloma, associadas a sintomas pulmonares e sistêmicos. O aspergiloma é caracterizado por tosse produtiva crônica e hemoptise em portadores de doença pulmonar crônica, associados a uma cavidade contendo massa arredondada, às vezes móvel, e separada da parede por espaço aéreo. A ressecção cirúrgica é o tratamento definitivo para ambas. Antifúngicos triazólicos promovem beneficio terapêutico a longo prazo com risco mínimo.

 


Palavras-chave: Aspergilose; Aspergilose pulmonar; Pneumopatias fúngicas.

 

13 - Capítulo 6 - Paracoccidioidomicose

Chapter 6 - Paracoccidioidomycosis

Bodo Wanke, Miguel Abidon Aidê

J Bras Pneumol.2009;35(12):

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A paracoccidioidomicose é uma micose sistêmica causada pelo fungo dimórfico Paracoccidioides brasiliensis. A doença é restrita à América Latina. É a principal micose sistêmica no Brasil, com maior frequência nas regiões sul, sudeste e centro-oeste. A doença é adquirida através da inalação de propágulos do fungo. Nas áreas endêmicas, a infecção primária ocorre durante a infância e envolve o sistema imunológico. A forma crônica do adulto mais frequente é de disseminação multifocal, com envolvimento dos pulmões, linfonodos, pele e mucosas. Essa forma tem evolução crônica com diagnóstico tardio. Tosse, dispneia e perda de peso associada a lesões cutâneas e das mucosas são evidentes e constituem as queixas principais da doença. A radiografia simples de tórax apresenta infiltrado reticulonodular difuso mais evidente nos lobos superiores. O diagnóstico etiológico se baseia na achado de P. brasiliensis no exame microscópico direto de espécimes clínicos, tais como aspirado de gânglios ou material de LBA, complementado pelo crescimento do fungo em cultura. O exame histopatológico de amostra de tecidos evidencia a parede espessa e birrefringente do fungo, assim como o aspecto típico de multibrotamento na célula-mãe. A imunodifusão em duplo gel de ágar é muito útil no diagnóstico quando o fungo não é encontrado nos exames micológicos. O tratamento de escolha é realizado com sulfametoxazol e trimetoprima, mas o itraconazol é a melhor droga. A anfotericina B é usada nos casos graves da doença.

 


Palavras-chave: Paracoccidioidomicose; Micoses; Pneumopatias fúngicas.

 

Relato de Caso

14 - Lesão complexa da traqueia: correção com retalho pediculado de músculo intercostal

Complex tracheal lesion: correction with an intercostal muscle pedicle flap

Hylas Paiva da Costa Ferreira, Carlos Alberto Almeida de Araújo, Jeancarlo Fernandes Cavalcante, Ronnie Peterson de Melo Lima

J Bras Pneumol.2009;35(12):

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A reconstrução esofágica é uma das mais complexas cirurgias do aparelho digestivo, principalmente quando realizada por técnicas minimamente invasivas. Esse procedimento está associado a inúmeras complicações, como deiscência de anastomose, quilotórax, necrose do tubo gástrico e fistulas. Relatamos o caso de um paciente com o diagnóstico de carcinoma epidermoide no terço distal do esôfago que foi submetido à uma esofagectomia por videotoracoscopia e laparoscopia. Durante o ato operatório, houve lesão do brônquio principal esquerdo, sendo necessária a correção cirúrgica imediata da lesão. No pós-operatório, o paciente evoluiu com insuficiência respiratória aguda e grande escape aéreo pelos drenos de tórax e pela ferida operatória cervical. Foi submetido à nova intervenção cirúrgica, através da qual se observou uma grande lesão na parede membranosa da traqueia, que foi corrigida com um retalho de músculo intercostal.

 


Palavras-chave: Traqueia; Fístula esofágica; Fístula do sistema respiratório; Músculos intercostais; Esofagectomia.

 

15 - Doença pulmonar por metal duro em trabalhador da indústria petrolífera

Hard metal lung disease in an oil industry worker

Patrícia Nunes Bezerra, Ana Giselle Alves Vasconcelos, Lílian Loureiro Albuquerque Cavalcante,Vanessa Beatriz de Vasconcelos Marques, Teresa Neuma Albuquerque Gomes Nogueira,Marcelo Alcantara Holanda

J Bras Pneumol.2009;35(12):

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A doença pulmonar por metal duro é uma pneumonia intersticial por células gigantes relacionada com a exposição à poeira composta por metais duros. Neste artigo é relatado o caso de um profissional da indústria petrolífera, diagnosticado com doença pulmonar por metal duro com base na documentação clínica, radiológica, funcional pulmonar e anatomopatológica.

 


Palavras-chave: Ligas/efeitos adversos; Cobalto; Tungstênio; Exposição ocupacional; Doenças pulmonares intersticiais.

 

16 - Complexo primário da paracoccidioidomicose e hipereosinofilia

Primary complex of paracoccidioidomycosis and hypereosinophilia

Roberto Martinez, Maria Janete Moya

J Bras Pneumol.2009;35(12):

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A infecção primária por Paracoccidioides brasiliensis é observada raramente. Um paciente masculino de 28 anos de idade apresentou febre, sintomas respiratórios e indisposição durante três meses. Exames radiológicos evidenciaram infiltrado pulmonar apical bilateral, pleurite à direita e linfadenomegalia hilar. O paciente apresentava leucocitose, intensa eosinofilia e títulos crescentes de anticorpos séricos anti-P. brasiliensis. Até onde sabemos, este é o primeiro relato do complexo primário da paracoccidioidomicose, associado com hipereosinofilia, apresentado por um adulto previamente hígido

 


Palavras-chave: Paracoccidioidomicose; Eosinofilia; Pneumopatias fúngicas.

 

Relação de Revisores

 


O Jornal Brasileiro de Pneumologia está indexado em:

Latindex Lilacs SciELO PubMed ISI Scopus Copernicus pmc

Apoio

CNPq, Capes, Ministério da Educação, Ministério da Ciência e Tecnologia, Governo Federal, Brasil, País Rico é País sem Pobreza
Secretaria do Jornal Brasileiro de Pneumologia
SCS Quadra 01, Bloco K, Salas 203/204 Ed. Denasa. CEP: 70.398-900 - Brasília - DF
Fone/fax: 0800 61 6218/ (55) (61) 3245 1030/ (55) (61) 3245 6218
E-mails: jbp@jbp.org.br
jpneumo@jornaldepneumologia.com.br

Copyright 2017 - Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia

Logo GN1