Jornal Brasileiro de Pneumologia

ISSN (on-line): 1806-3756

ISSN (impressa): 1806-3713

Busca avançada

Ano 2010 - Volume 36  - Número 6  (Novembro/Dezembro)






Editorial

1 - A hora da virada

Time to turn the page

Carlos R. R. Carvalho

J Bras Pneumol.2010;36(6):669-670

PDF PT PDF EN English Text


Artigo Original

3 - Determinantes da experimentação do cigarro e do início precoce do tabagismo entre adolescentes escolares em Salvador (BA)

Determinants of smoking experimentation and initiation among adolescent students in the city of Salvador, Brazil

Adelmo de Souza Machado Neto, Tarcisio Matos Andrade, Carlos Napoli, Lilian Carine Souza de Lima Abdon, Mônica Rocha Garcia, Francisco Inácio Bastos

J Bras Pneumol.2010;36(6):674-682

Resumo PDF PT PDF EN English Text Anexo

Objetivo: Identificar os fatores associados à experimentação do cigarro e ao início precoce do tabagismo por adolescentes escolares (11-14 anos). Métodos: Estudo transversal de base populacional com adolescentes escolares (ensino fundamental e médio) de escolas públicas e particulares de Salvador, Bahia. Foi utilizado um protocolo de amostragem em múltiplos estágios. Os participantes da pesquisa responderam a um questionário anônimo, de preenchimento voluntário e autoaplicável. As variáveis dependentes foram o uso experimental do cigarro e o início precoce do tabagismo. Variáveis sociodemográficas, educacionais, relacionadas à influência da mídia e ao consumo de álcool foram consideradas variáveis independentes. Foi realizada a análise de regressão logística multivariada, seguida da análise da adequação do modelo de regressão logística final. Resultados: A prevalência de experimentação do cigarro foi de 16,1% (IC95%: 15,1-17,2). Dos 5.347 alunos avaliados, 757 experimentaram cigarros, e 462 (61,2%) desses 757 o fizeram antes dos 15 anos de idade (média de idade de experimentação de cigarros, 13,9 ± 1,8 anos). O início precoce do tabagismo associou-se com o tabagismo paterno (OR = 1,53; IC83%: 1,07-2,19) e com a influência da mídia (OR = 2,43; IC83%: 1,46-4,04). A experimentação de cigarros associou-se com o consumo do álcool (OR = 6,04; IC83%: 4,62-7,88), o tabagismo de amigos (OR = 3,18; IC83%: 2,54-3,99) e de namorados (OR = 3,42; IC83%: 1,78-6,56), assim como a intervenção educacional agressiva/coercitiva dos pais (OR = 1,60; IC83%: 1,26-2,04). Conclusões: O consumo do álcool e a influência de pessoas da convivência do jovem apresentaram uma forte associação com a experimentação de cigarros. O tabagismo paterno e a influência da mídia para os produtos do tabaco aumentaram as chances de consumo desta substância.

 


Palavras-chave: Tabagismo; Adolescência; Educação em saúde; Estudos transversais; Fatores epidemiológicos; Brasil.

 

4 - Tradução e adaptação cultural do Asthma Control Scoring System (Sistema de Escore para Controle Abrangente da Asma) para uso no Brasil

The Asthma Control Scoring System: Translation and cross-cultural adaptation for use in Brazil

Michelle Gonçalves de Souza Tavares, Márcia Margaret Menezes Pizzichini, Leila John Marques Steidle, Nazaré Otília Nazário, Cristiane Cinara Rocha, Maíra Chiaradia Perraro, Emílio Pizzichini

J Bras Pneumol.2010;36(6):683-692

Resumo PDF PT PDF EN English Text Anexo

Objetivo: Traduzir e adaptar culturalmente, para uso no Brasil, um instrumento específico de escore para o controle abrangente da asma, denominado Asthma Control Scoring System (ACSS). Métodos: O protocolo incluiu dez etapas: autorização escrita do autor do ACSS; tradução do instrumento para a língua portuguesa do Brasil por três tradutores; análise e comparação das três versões por um comitê revisor; retradução literal para o inglês; revisão e harmonização da retradução; aprovação do autor do ACSS; revisão da tradução por especialistas; desdobramento cognitivo: teste da clareza, compreensão e aceitabilidade junto à população alvo (avaliação da tradução por 10 profissionais da área da saúde); segundo desdobramento cognitivo: revisão da nova versão por um segundo grupo de profissionais da área de saúde; e reconciliação e elaboração da versão final pelo comitê revisor. Resultados: A versão do ACSS em português do Brasil apresentou clareza, compreensão e aceitabilidade. O instrumento foi considerado abrangente por englobar as manifestações clínicas, funcionais e inflamatórias da asma. Conclusões: Com o uso desta metodologia criteriosa empregada para a adaptação transcultural do ACSS, asseguramos sua adequação cultural para uso no Brasil. O uso desse instrumento poderá facilitar futuros estudos sobre o controle da asma.

 


Palavras-chave: Asma/classificação; Asma/prevenção & controle; Questionários.

 

5 - Temperatura do ar exalado, um novo biomarcador no controle da asma: Um estudo piloto

Exhaled breath temperature, a new biomarker in asthma control: A pilot study

Raul Emrich Melo, Todor A. Popov, Dirceu Solé

J Bras Pneumol.2010;36(6):693-699

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar se a temperatura do ar exalado (TAE), medida por um método não invasivo, é efetiva no monitoramento de pacientes com asma não controlada. Métodos: Estudo piloto com nove pacientes (sete mulheres e dois homens; média de idade: 39 anos) com diagnóstico de asma por pelo menos um ano e sem uso de tratamento de manutenção por pelo menos três meses antes do início do estudo. Na primeira visita, os pacientes foram submetidos à espirometria e à medida da TAE. Todos os pacientes foram orientados a iniciar tratamento com budesonida/formoterol (200/6 µg) inalatório a cada 12 h por seis semanas. Além disso, os pacientes com asma grave (VEF1 < 60% do previsto) foram orientados a utilizar prednisolona oral (40 mg/dia) por cinco dias. Após seis semanas, os pacientes foram submetidos aos mesmos testes. Resultados: Todos os pacientes relataram melhora dos sintomas de asma; confirmada por um aumento significativo de VEF1 da primeira para a segunda visita (média de VEF1: 56,1% vs. 88,7% do previsto; p < 0,05). Cinco pacientes utilizaram prednisolona oral, mas somente nos cinco dias iniciais do tratamento. Seis pacientes utilizaram doses extras da medicação inalatória (média de tempo de uso de medicação adicional = 2,5 semanas). Houve uma diminuição significativa da TAE entre os momentos de avaliação (média de TAE: 35,1°C vs. 34,1°C; p < 0,05). Conclusões: A asma não controlada, sobretudo durante exacerbações, é acompanhada pela elevação da TAE, que se reduz após o controle adequado da asma, demonstrado pela melhora do VEF1 e dos sintomas referidos. Esses resultados preliminares apontam para o monitoramento da TAE como um parâmetro possível na avaliação do controle da asma.

 


Palavras-chave: Asma; Biomarcadores farmacológicos; Hidroxicorticosteroides.

 

6 - Fatores preditores de hospitalização por asma em crianças e adolescentes participantes de um programa de controle da asma

Predictors of hospital admission due to asthma in children and adolescents enrolled in an asthma control program

Heli Vieira Brandão, Constança Sampaio Cruz, Armênio Guimarães, Paulo Augusto Moreira Camargos, Álvaro Augusto Cruz

J Bras Pneumol.2010;36(6):700-706

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Determinar as características clínicas e os fatores preditores para hospitalizações por asma em crianças e adolescentes sob tratamento em um centro de referência para asma. Métodos: Estudo de coorte retrospectiva com 151 crianças e adolescentes com asma, provenientes do Sistema Único de Saúde, recebendo tratamento gratuito e acompanhados durante 12 meses no centro de referência do Programa de Controle da Asma e Rinite Alérgica de Feira de Santana, em Feira de Santana (BA) Brasil. O teste do qui-quadrado foi utilizado para determinar a associação entre as variáveis estudadas e a ocorrência de hospitalizações, enquanto o teste de Mann-Whitney foi utilizado para a comparação entre os grupos de pacientes hospitalizados e não hospitalizados. O nível de significância adotado foi de p < 0,05. A análise univariada com regressão logística foi realizada para determinar os fatores preditores de hospitalização. Resultados: Dos 151 pacientes do estudo, 8 (5,2%) foram hospitalizados com um total de 12 internações. O único fator preditor encontrado na análise univariada foi maior gravidade da asma (OR = 13,3; IC95%: 2,55-70,1). Conclusões: Devido ao fato de que, em nossa amostra, o principal fator preditor de hospitalização foi a maior gravidade da asma, essa condição requer atenção especial no cuidado a esses pacientes.

 


Palavras-chave: Asma; Hospitalização; Serviços de saúde.

 

7 - Fatores de risco de complicações pulmonares em pacientes com sarcoma após toracotomia para a ressecção de nódulos pulmonares

Risk factors for pulmonary complications in patients with sarcoma after the resection of pulmonary nodules by thoracotomy

Rogério Santos Silva, Paulo Sérgio Siebra Beraldo, Flávia Ferretti Santiago, Daniel Sammartino Brandão, Eduardo Magalhães Mamare, Thomas Anthony Horan

J Bras Pneumol.2010;36(6):707-715

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Identificar os fatores de risco para complicações pulmonares em pacientes com sarcoma após serem submetidos a toracotomia para a ressecção de nódulos pulmonares. Métodos: Estudo de coorte retrospectivo com 68 pacientes consecutivos com diagnóstico de sarcomas e submetidos a 174 toracotomias para a ressecção de nódulos pulmonares. A variável dependente foi definida como a ocorrência de qualquer complicação pulmonar pós-operatória. As variáveis independentes foram relacionadas com o paciente, o diagnóstico de base e o tipo de procedimento cirúrgico. Os dados foram analisados segundo um modelo multivariado de estimação de equações generalizadas, com uma função de ligação logística e uma estrutura de correlação simétrica. Resultados: Houve 24 complicações (13,8%; IC95%: 9,0-19,8), incluindo um óbito. Os pacientes que apresentaram complicações pós-operatórias tiveram um tempo médio de internação duas vezes superior àqueles sem complicações (18,8 ± 10,0 dias vs. 8,6 ± 6,0 dias; p < 0,05). As variáveis que se correlacionaram com o desfecho foram o tipo de ressecção (em cunha ou anatômica; OR = 3,6; IC95%: 1,5-8,8), necessidade de transfusão sanguínea (OR = 9,8; IC95%: 1,6-60,1) e número de nódulos ressecados (OR = 1,1; IC95%: 1,0-1,1). O modelo multivariado obtido exibiu uma área sob a curva ROC de 0,75 (IC95%: 0,65-0,85). Conclusões: As complicações pulmonares pós-operatórias após a ressecção de nódulos pulmonares em pacientes com sarcoma não foram raras, ocorrendo em cerca de 10% dos procedimentos. A ocorrência dessas complicações pode ser antecipada pelo uso de ressecção não em cunha, necessidade de hemotransfusão e maior número de nódulos ressecados. Assim, já no pós-operatório imediato, é possível identificar pacientes de risco, que devem ser estritamente monitorizados durante o período pós-operatório imediato. Para esses pacientes, todas as medidas preventivas devem ser tomadas.

 


Palavras-chave: : Sarcoma; Metástase neoplásica; Risco; Toracotomia; Cirurgia torácica.

 

8 - Tratamento cirúrgico de crianças com pneumonia necrosante

Surgical treatment of children with necrotizing pneumonia

Fernando Luiz Westphal, Luís Carlos de Lima, José Corrêa Lima Netto, Eugênio Tavares, Edson de Oliveira Andrade, Márcia dos Santos da Silva

J Bras Pneumol.2010;36(6):716-723

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Descrever os resultados do tratamento cirúrgico de crianças com pneumonia necrosante. Métodos:   Análise retrospectiva dos prontuários de 20 crianças diagnosticadas com pneumonia necrosante e submetidas ao tratamento cirúrgico nos serviços de cirurgia torácica de dois hospitais na cidade de Manaus (AM) entre março de 1997 e setembro de 2008. Dados referentes a idade, sexo, agente etiológico, motivos da indicação cirúrgica, tipo de ressecção cirúrgica realizada e complicações pós-operatórias foram compilados. Resultados: Dos 20 pacientes analisados, 12 (60%) eram do sexo feminino. A média de idade dos pacientes foi de 30 meses. Os agentes etiológicos mais encontrados foram Staphylococcus aureus, em 5 pacientes (25%), e Klebsiella sp., em 2 (10%). Os motivos de indicação cirúrgica foram sepse, em 16 pacientes (80%), e fístula broncopleural, em 4 (20%). Os tipos de procedimentos cirúrgicos realizados foram lobectomia, em 12 pacientes (60%), segmentectomia, em 7 (35%), e bilobectomia, em 1 (5%). Além desses procedimentos, 8 pacientes (40%) foram submetidos à descorticação pulmonar. As complicações pós-operatórias foram as seguintes: fístula broncopleural, em 4 pacientes (20%); empiema, em 1 (5%); pneumatocele, em 1 (5%); e flebite em membro superior esquerdo, em 1 (5%). Quatro pacientes (20%) morreram. Conclusões: Pacientes com evidências de necrose pulmonar devem ser considerados para a ressecção cirúrgica, que está indicada em casos graves de sepse, fístula broncopleural de alto débito ou insuficiência respiratória aguda que não respondem ao tratamento clínico

 


Palavras-chave: Pneumonia; Necrose; Abscesso pulmonar; Empiema pleural.

 

9 - Trombose em artérias pulmonares pequenas e médias em granulomatose de Wegener: Um estudo com microscopia confocal a laser

Thrombosis in small and medium-sized pulmonary arteries in Wegener's granulomatosis: A confocal laser scanning microscopy study

Alfredo Nicodemos Cruz Santana, Alexandre Muxfeldt Ab`Saber, Walcy Rosolio Teodoro, Vera Luiza Capelozzi, Carmen Silvia Valente Barbas

J Bras Pneumol.2010;36(6):724-730

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: A granulomatose de Wegener (GW) pode causar dano nas células endoteliais e fenômenos tromboembólicos. Entretanto, poucos estudos analisaram a microcirculação pulmonar - artérias pulmonares de pequeno/médio calibre (APPMC) - em pacientes com GW. O objetivo deste estudo foi quantificar trombos de fibrina em amostras de APPMC de pacientes com GW. Métodos: Analisamos 24 APPMC de seis pacientes com GW e 16 APPMC de quatro pacientes controles sem WG. Utilizamos CD34 para a marcação do endotélio em todas as amostras e microscopia confocal a laser para detectar trombos de fibrina intravasculares. Calculamos a área total do vaso, a área livre do lúmen e a área trombótica. Resultados: A média da área total do vaso foi similar no grupo GW e no grupo controle (32.604 µm2 vs. 32.970 µm2, p = 0,8793). Trombos foram identificados em 22 das 24 APPMC (91,67%) no grupo GW, e em nenhuma do grupo controle (p < 0,0001; OR = 297 (IC95%: 13,34-6.612). A média da área trombótica foi maior no grupo GW do que no grupo controle (10.068 µm2 vs. 0.000 µm2, p < 0,0001). Em contraste, a média da área livre do lúmen foi menor no grupo GW que no grupo controle (6.116 µm2 vs. 24.707 µm2, p < 0,0001). Conclusões: A microscopia confocal a laser mostrou uma associação significante entre trombose microvascular pulmonar e GW. Isso sugere um possível papel da trombose microvascular na fisiopatologia da GW pulmonar, evocando o potencial benefício da anticoagulação na GW pulmonar. Entretanto, novos estudos são necessários para confirmar nossos achados, assim como um ensaio clínico randomizado a fim de testar o papel da anticoagulação no tratamento de pacientes com GW pulmonar.

 


Palavras-chave: Vasculite; Anticorpos anticitoplasma de neutrófilos; Granulomatose de Wegener; Trombose; Pulmão; Microscopia confocal.

 

10 - Avaliação clínica, nutricional e espirométrica de pacientes com fibrose cística após implantação de atendimento multidisciplinar

Clinical, nutritional and spirometric evaluation of patients with cystic fibrosis after the implementation of multidisciplinary treatment

Lídia Torres, Jenny Libeth Jurado Hernandez, Giseli Barbiero de Almeida, Liana Barbaresco Gomide, Valéria Ambrósio, Maria Inez Machado Fernandes

J Bras Pneumol.2010;36(6):731-737

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: A fibrose cística (FC) é uma doença hereditária, multissistêmica e crônica, para a qual é importante uma abordagem multidisciplinar. O objetivo deste estudo foi mostrar a evolução de um grupo de pacientes com FC após a implantação desse tipo de atendimento. Métodos: Foram analisados retrospectivamente 19 pacientes (idades entre 6 e 29 anos) em acompanhamento clínico no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo, na cidade de Ribeirão Preto (SP). Os pacientes foram divididos em dois grupos: grupo 6-12 (6-12 anos) e grupo 13+ (> 12 anos). Dados referentes a índice de massa corporal (IMC), escore Z, escore de Shwachman (ES), número de exacerbações/ano, colonização crônica por Pseudomonas aeruginosa e medidas espirométricas (CVF, VEF1, VEF1% e FEF25-75%) foram obtidos. Os dados foram coletados em dois momentos (antes e após a implantação de atendimento multidisciplinar) e foram analisados com o teste dos postos sinalizados de Wilcoxon. Resultados: A mediana de idade de início de sintomas foi de 10 meses. No grupo 6-12, houve somente um aumento significativo do IMC e da CVF. As outras medidas espirométricas aumentaram, mas não significativamente. No grupo 13+, não houve diferenças significativas entre os dois momentos, sendo que o ES apresentou uma diminuição com significância limítrofe. Houve diminuição não significativa das medidas espirométricas. Entretanto, o número de pacientes com volumes e fluxos alterados diminuiu nos dois grupos. Conclusões: Apesar do grupo pequeno, a manutenção dos parâmetros espirométricos pode significar estabilidade clínica e funcional. Os pacientes estudados mantiveram estabilidade clínica, funcional e nutricional durante o período, e a implantação de abordagem multidisciplinar pode ter contribuído nesse sentido.

 


Palavras-chave: Fibrose cística; Espirometria; Índice de massa corporal; Modalidades de fisioterapia.

 

11 - Mobilidade diafragmática durante espirometria de incentivo orientada a fluxo e a volume em indivíduos sadios

Diaphragmatic mobility in healthy subjects during incentive spirometry with a flow-oriented device and with a volume-oriented device

Wellington Pereira dos Santos Yamaguti, Eliana Takahama Sakamoto, Danilo Panazzolo, Corina da Cunha Peixoto, Giovanni Guido Cerri, André Luis Pereira Albuquerque

J Bras Pneumol.2010;36(6):738-745

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Comparar a mobilidade diafragmática de indivíduos sadios durante a espirometria de incentivo orientada a volume, durante a espirometria de incentivo orientada a fluxo e durante exercícios diafragmáticos. Comparar a mobilidade diafragmática entre homens e mulheres durante esses três tipos de exercícios respiratórios. Métodos: Foram avaliadas a função pulmonar e a mobilidade diafragmática de 17 voluntários sadios adultos (9mulheres e 8 homens). A avaliação da mobilidade do diafragma foi realizada durante a execução de exercícios diafragmáticos e durante o uso dos dois tipos de espirômetros de incentivo, por meio de um método ultrassonográfico. Resultados: A mobilidade diafragmática avaliada durante a utilização do espirômetro orientado a volume foi significativamente maior que aquela durante o uso do espirômetro orientado a fluxo (70,16 ± 12,83mm vs. 63,66 ± 10,82 mm; p = 0,02). Os exercícios diafragmáticos promoveram maior mobilidade diafragmática do que o uso do espirômetro orientado a fluxo (69,62 ± 11,83 mm vs. 63,66 ± 10,82 mm; p = 0,02). Durante os três tipos de exercícios respiratórios, a relação mobilidade/CVF foi significativamente maior nas mulheres do que nos homens. Conclusões: A espirometria de incentivo orientada a volume e o exercício diafragmático promoveram maior mobilidade diafragmática do que a espirometria de incentivo orientada a fluxo. As mulheres apresentaram um melhor desempenho nos três tipos de exercícios respiratórios avaliados do que os homens.

 


Palavras-chave: Diafragma; Exercícios respiratórios; Testes de função respiratória; Ultrassonografia; Músculos respiratórios.

 

12 - Envelhecimento pulmonar acelerado em pacientes com obesidade mórbida

Accelerated lung aging in patients with morbid obesity

Saulo Maia D'Ávila Melo, Valdinaldo Aragão de Melo, Enaldo Vieira de Melo, Raimundo Sotero de Menezes Filho, Vinicius Leite de Castro, Matheus Santana Paes Barreto

J Bras Pneumol.2010;36(6):746-752

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Determinar a idade pulmonar de pacientes com obesidade mórbida e compará-la com a idade cronológica desses pacientes, ressaltando o dano precoce da obesidade mórbida sobre os pulmões. Métodos: Estudo transversal, prospectivo e aberto que envolveu 112 indivíduos: 78 pacientes com obesidade mórbida (grupo de estudo) e 34 indivíduos não obesos e com função pulmonar normal (grupo controle). Todos os pacientes realizaram espirometria para a determinação da idade pulmonar. A idade pulmonar e a idade cronológica dos indivíduos em cada grupo foram comparadas isoladamente e entre os grupos. Resultados: A diferença entre a idade pulmonar e a idade cronológica no grupo com obesidade mórbida foi significativa (p < 0,0001; IC95%: 6,6-11,9 anos), com uma diferença média de 9,1 ± 11,8 anos. A diferença da idade pulmonar entre o grupo de estudo e o grupo controle foi significativa (p < 0,0002; IC95%: 7,5-16,9 anos), com uma diferença média de 12,2 ± 2,4 anos. A idade pulmonar demonstrou uma correlação positiva com a idade cronológica e o índice de massa corpórea (IMC) e uma correlação negativa com as variáveis espirométricas (p < 0,0001 para todos). A análise de regressão linear múltipla identificou as variáveis IMC e idade cronológica (p < 0,0001) como fatores preditivos significativos da idade pulmonar. Conclusões: A idade pulmonar está aumentada em pacientes com obesidade mórbida, sugerindo dano precoce e envelhecimento pulmonar acelerado, como evidenciado pela discrepância entre a idade cronológica e idade pulmonar. A determinação da idade pulmonar pode se tornar uma nova ferramenta na compreensão dos resultados da função pulmonar para pacientes e profissionais da saúde em relação ao controle da obesidade.

 


Palavras-chave: Espirometria; Obesidade mórbida; Testes de função respiratória.

 

13 - Infecções relacionadas a cateteres torácicos

Thoracic catheter-related infections

Ekrem Senturk, Murat Telli, Serdar Sen, Salih Cokpinar

J Bras Pneumol.2010;36(6):753-758

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Determinar o status de colonização de uma amostra de pacientes que recebeu cateteres torácicos (CTs) e correlacionar esse status a possíveis fatores prognósticos. Métodos: Estudo retrospectivo com 48 pacientes (17 mulheres e 31 homens) que receberam CTs no Departamento de Cirurgia Torácica do Hospital Universitário Adnan Menderes, localizado na cidade de Aydin, Turquia, entre dezembro de 2008 e março de 2009. Amostras de sangue para cultura foram coletadas da porção distal dos CTs e de cada um dos 48 pacientes. Procuramos por correlações entre culturas positivas e possíveis fatores prognósticos de infecção. Resultados: Resultados positivos de cultura em amostras de CT ocorreram somente 3 pacientes, em sangue em 2, e nas duas amostras em outros 2. A idade avançada correlacionou-se com culturas positivas das amostras de CT e sangue (r = 0,512 e r = 0,312, respectivamente; p < 0,05), assim como o uso prolongado do CT e com culturas positivas das mesmas amostras (r = 0,347 e r = 0,372, respectivamente; p < 0,05). Houve uma correlação significativa entre o status cirúrgico dos pacientes (aqueles submetidos a cirurgias) e culturas positivas somente das amostras de CT (p < 0,05), mas a presença de malignidade inoperável correlacionou-se com o crescimento bacteriano em ambos os tipos de amostras (p < 0,05 para ambos). Conclusões: Os fatores de risco acima citados aumentam o risco de infecções. No caso de pacientes com CTs e que apresentam tais fatores de risco, é imperativo que se utilize uma profilaxia com antibióticos de amplo espectro.

 


Palavras-chave: Infecções relacionadas a cateter; Cirurgia torácica; Infecções bacterianas.

 

14 - Pleurodese nos derrames pleurais malignos: Um inquérito entre médicos em países da América do Sul e Central

Pleurodese nos derrames pleurais malignos: Um inquérito entre médicos em países da América do Sul e Central

Evaldo Marchi, Francisco Suso Vargas, Bruna Affonso Madaloso, Marcus Vinicius Carvalho, Ricardo Mingarini Terra, Lisete Ribeiro Teixeira

J Bras Pneumol.2010;36(6):759-767

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: A pleurodese é uma alternativa eficaz no controle dos derrames pleurais malignos, mas existem controvérsias a respeito de sua indicação e técnica. O objetivo deste estudo foi avaliar como é realizada a pleurodese em países da América do Sul e Central. Métodos: Profissionais que realizam pleurodese responderam um questionário sobre critérios de indicação para pleurodese, técnicas utilizadas e desfechos. Resultados: Nossa amostra envolveu 147 profissionais no Brasil, 49 em outros países da América do Sul e 36 em países da América Central. Mais de 50% dos participantes realizavam pleurodese somente se confirmada a malignidade no derrame pleural. Entretanto, escalas de dispneia e de status de performance eram raramente utilizadas para indicar o procedimento. Aproximadamente 75% dos participantes no Brasil e na América Central preferiam realizar a pleurodese somente no caso de recidiva do derrame, e a expansão pulmonar deveria variar de 90% a 100%. O talco slurry foi o agente mais utilizado, instilado via drenos de calibre intermediário. A toracoscopia foi realizada em menos de 25% dos casos. Febre e dor torácica foram os efeitos adversos mais comuns, e empiema ocorreu em ≤ 14% dos casos. A média de sobrevida após o procedimento variou entre 6 e 12 meses. Conclusões: Há variações consideráveis quanto aos critérios de indicação para pleurodese, técnicas utilizadas e desfechos entre os países. Talco slurry é o agente mais frequentemente utilizado, e a toracoscopia é a primeira escolha no Brasil. Os baixos índices de complicações e o tempo de sobrevida elevado indicam que a pleurodese é efetiva e causa poucos efeitos adversos.

 


Palavras-chave: Derrame pleural maligno; Pleura; Pleurodese.

 

15 - Escala Razões para Fumar da Universidade de São Paulo: um novo instrumento para avaliar a motivação para fumar

University of São Paulo Reasons for Smoking Scale: a new tool for the evaluation of smoking motivation

Elisa Sebba Tosta de Souza, José Alexandre de Souza Crippa, Sonia Regina Pasian, José Antônio Baddini Martinez

J Bras Pneumol.2010;36(6):768-778

Resumo PDF PT PDF EN English Text Anexo

Objetivo: Desenvolver uma nova escala voltada para a avaliação da motivação para fumar, incorporando questões do 68-item Wisconsin Inventory of Smoking Dependence Motives (WISDM-68, Inventário Wisconsin dos Motivos de Dependência ao Fumo, de 68 itens) na Modified Reasons for Smoking Scale (MRSS. Escala Razões para Fumar Modificada). Métodos: Nove questões do WISDM-68 relativas à associação estreita, exposição a gatilhos/processos associativos e controle de peso foram incorporadas às 21 questões da MRSS. Um total de 311 fumantes (214homens; idade média = 37,6 ± 10,8 anos; média de cigarros consumidos ao dia = 15,0 ± 9,2) responderam a nova escala, o Fagerström Test for Nicotine Dependence (FTND, Teste de Fagerström para Dependência de Nicotina) e outras questões. Empregamos a análise fatorial exploratória para determinar a estrutura fatorial da escala. A influência de algumas características clínicas nos escores da solução fatorial final foi também avaliada. Resultados: A análise fatorial revelou uma solução com 21 questões agrupadas em nove fatores: dependência, prazer de fumar, redução da tensão, estimulação, automatismo, manuseio, tabagismo social, controle de peso e associação estreita. Para a escala como um todo, o coeficiente alfa de Cronbach foi de 0,83. As mulheres exibiram maiores escores para dependência, redução da tensão, manuseio, controle de peso e associação estreita do que os homens. Os escores do FTND correlacionaram-se positivamente com dependência, redução da tensão, estimulação, automatismo, tabagismo social e associação estreita. O número de cigarros fumados ao dia se associou com dependência, redução da tensão, estimulação, automatismo, associação estreita e manuseio. Os níveis de CO exalado mostraram associações positivas com dependência, automatismo e associação estreita. Conclusões: A nova escala fornece um quadro aceitável dos fatores motivacionais associados ao tabagismo, com confiabilidade e propriedades psicométricas satisfatórias.

 


Palavras-chave: Tabagismo; Estudos de validação como assunto; Abandono do uso de tabaco.

 

Comunicação Breve

16 - Tratamento cirúrgico de aspergiloma pulmonar

Surgical treatment of pulmonary aspergilloma

Raul Lopes Ruiz Júnior, Frederico Henrique Sobral de Oliveira, Bruno Luiz Burgos Piotto, Felipe Antunes e Silva de Souza Lopes Muniz, Daniele Cristina Cataneo, Antonio José Maria CataneoResumo

J Bras Pneumol.2010;36(6):779-783

Resumo PDF PT PDF EN English Text

O objetivo deste estudo foi analisar o resultado do tratamento cirúrgico de aspergiloma pulmonar. Para tanto, foram avaliados 14 pacientes adultos (7 homens e 7 mulheres) e tratados no Hospital Universitário da Faculdade de Medicina de Botucatu, em Botucatu (SP), entre 1981 e 2009. Dados foram coletados dos registros médicos dos pacientes. Dez pacientes (71%) apresentaram aspergiloma pulmonar simples, e 4 (29%) apresentaram aspergiloma pulmonar complexo. O sintoma mais frequente foi hemoptise, e a pneumopatia preexistente mais prevalente foi tuberculose. Dois pacientes (14%) foram submetidos a mais de um procedimento cirúrgico. Não houve mortalidade operatória. Metade dos pacientes apresentou complicações pós-operatórias, sendo fuga aérea prolongada e empiema as mais frequentes.

 


Palavras-chave: Aspergilose pulmonar; Tuberculose pulmonar; Cirurgia torácica.

 

Artigo de Revisão

17 - Câncer de pulmão ocupacional

Occupational lung cancer

Eduardo Algranti, José Tarcísio Penteado Buschinelli, Eduardo Mello De Capitani

J Bras Pneumol.2010;36(6):784-794

Resumo PDF PT PDF EN English Text

O câncer de pulmão é multicausal. Fatores hereditários, genéticos e ambientais interagem na sua gênese. O principal fator de risco é o tabagismo. Entretanto, o ambiente de trabalho é um local de possível exposição a agentes cancerígenos. Atualmente, a International Agency for Research on Cancer lista 19 substâncias/situações de trabalho/ocupações comprovadamente associadas ao câncer de pulmão (grupo 1). A abordagem da ocupação em pacientes portadores de câncer de pulmão é fraca, impactando negativamente na busca da causalidade e, consequentemente, no desvelamento de casos de câncer ocupacional. Os objetivos desta revisão foram elencar os agentes reconhecidamente indutores de câncer de pulmão, discutir a contribuição da ocupação no desenvolvimento da doença, citar as publicações nacionais sobre o tema e sugerir uma lista de procedimentos que são essenciais para uma adequada investigação da relação de causalidade entre câncer de pulmão e ocupação.

 


Palavras-chave: Neoplasias pulmonares; Doenças ocupacionais; Ocupações; Carcinógenos.

 

18 - Diagnóstico e tratamento da hipertensão pulmonar: uma atualização

Diagnosis and treatment of pulmonary hypertension: an update*

Susana Hoette, Carlos Jardim, Rogério de Souza

J Bras Pneumol.2010;36(6):795-811

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Ao longo dos últimos cinco anos, o conhecimento na área de hipertensão pulmonar evoluiu de forma consistente e significativa. Novos algoritmos diagnósticos e de tratamento foram desenvolvidos com base no resultado de diversos estudos clínicos que evidenciaram a utilidade de novas ferramentas, assim como a eficácia de novos medicamentos e de combinações. Da mesma forma, a classificação da hipertensão pulmonar evoluiu, na tentativa de agrupar as diferentes formas de hipertensão pulmonar que apresentam abordagens diagnósticas e terapêuticas semelhantes a fim de facilitar a condução clínica dos pacientes. Esta revisão visa discutir cada uma dessas modificações, tendo por base as diretrizes brasileiras para manejo da hipertensão pulmonar de 2005, ressaltando aquilo que foi acrescentado às diretrizes internacionais.

 


Palavras-chave: Hipertensão pulmonar/diagnóstico; Hipertensão pulmonar/terapia; Protocolos clínicos.

 

Série de Casos

19 - Mediastinite descendente necrosante: tratamento cirúrgico torácico minimamente invasivo

Descending necrotizing mediastinitis: minimally invasive thoracic surgical treatment

Cromwell Barbosa de Carvalho Melo, Petrúcio Abrantes Sarmento, Carlos Jogi Imaeda, Danilo Félix Daud, Fábio Nishida Hasimoto, Luiz Eduardo Villaça Leão

J Bras Pneumol.2010;36(6):812-819

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Relatar uma série de casos de pacientes com mediastinite descendente necrosante (MDN) tratados com cirurgia torácica minimamente invasiva. Métodos: Relatamos os casos de três pacientes com MDN submetidos à desbridamento mediastinal através de cirurgia torácica videoassistida no Hospital São Paulo, São Paulo (SP), desde a sua admissão até o desfecho final. Resultados: Os três pacientes apresentaram boa evolução pós-operatória, com tempo médio de internação de 16,7 dias. Conclusões: Concluímos que a videotoracoscopia é uma técnica efetiva para a drenagem mediastinal no tratamento da MDN, com os benefícios da cirurgia minimamente invasiva: menos dor pós-operatória, menor liberação de fatores inflamatórios, retorno precoce às atividades diárias e melhores resultados estéticos.

 


Palavras-chave: Mediastinite; Tórax; Cirurgia torácica vídeo-assistida.

 

Relato de Caso

20 - Doença de Castleman associada a sarcoma de células dendríticas foliculares e miastenia gravis

Castleman's disease associated with follicular dendritic cell sarcoma and myasthenia gravis

Fernando Luiz Westphal, Luís Carlos de Lima, Luiz Carlos Lopes Santana, José Corrêa Lima Netto, Vanise Campos Gomes Amaral, Márcia dos Santos da Silva

J Bras Pneumol.2010;36(6):819-823

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A doença de Castleman é um distúrbio linfoproliferativo atípico, de etiologia desconhecida, que pode estar associada a uma série de condições clínicas, inclusive doenças de caráter autoimune e neoplasias malignas. No presente relato, uma paciente de 72 anos foi encaminhada ao serviço de cirurgia torácica do Hospital Universitário Getúlio Vargas, localizado na cidade de Manaus (AM) para a ressecção de um tumor de mediastino posterior. Três meses antes, havia sido internada em UTI com um quadro de dispneia intensa, ocasião na qual foi diagnosticada miastenia gravis. Após a ressecção da massa mediastinal, a análise histopatológica revelou doença de Castleman hialino-vascular complicada por sarcoma de células dendríticas foliculares. Até o momento da redação deste estudo, a paciente utilizava um anticolinesterásico e corticoides para o controle da miastenia gravis.

 


Palavras-chave: Hiperplasia do linfonodo gigante; Sarcoma de células dendríticas foliculares; Miastenia gravis; Doenças do mediastino.

 

Carta ao Leitor

21 - Um caso raro de piopneumotórax

A rare case of pyopneumothorax

Vanda Areias, Jose Romero, Isabel Ruivo, Ulisses Brito

J Bras Pneumol.2010;36(6):824-825

PDF PT PDF EN English Text


Índice Remissivo de Assuntos

Índice Remissivo de Autores

Relação de Revisores

 


O Jornal Brasileiro de Pneumologia está indexado em:

Latindex Lilacs SciELO PubMed ISI Scopus Copernicus pmc

Apoio

CNPq, Capes, Ministério da Educação, Ministério da Ciência e Tecnologia, Governo Federal, Brasil, País Rico é País sem Pobreza
Secretaria do Jornal Brasileiro de Pneumologia
SCS Quadra 01, Bloco K, Salas 203/204 Ed. Denasa. CEP: 70.398-900 - Brasília - DF
Fone/fax: 0800 61 6218/ (55) (61) 3245 1030/ (55) (61) 3245 6218
E-mails: jbp@jbp.org.br
jpneumo@jornaldepneumologia.com.br

Copyright 2017 - Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia

Logo GN1