Jornal Brasileiro de Pneumologia

ISSN (on-line): 1806-3756

ISSN (impressa): 1806-3713

SCImago Journal & Country Rank
Busca avançada

Ano 2017 - Volume 43  - Número 6  (Novembro/Dezembro)

App





Educação continuada: Imagem

4 - Padrão de árvore em brotamento

Tree-in-bud pattern

Edson Marchiori1, Bruno Hochhegger2, Gláucia Zanetti1

J Bras Pneumol.2017;43(6):407

PDF PT PDF EN English Text


Educação Continuada: Metodologia Científica

5 - Entendendo os testes diagnósticos: parte 2

Understanding diagnostic tests. Part 2.

Cecilia Maria Patino1,2, Juliana Carvalho Ferreira1,3

J Bras Pneumol.2017;43(6):408

PDF PT PDF EN English Text


Artigo Original

6 - Impacto da pressão positiva contínua nas vias aéreas sobre as alterações pulmonares promovidas pela imersão em água

Impact of continuous positive airway pressure on the pulmonary changes promoted by immersion in water

Danize Aparecida Rizzetti1, Janayna Rodembuch Borba Quadros1, Bruna Esmerio Ribeiro1, Letícia Callegaro1, Aline Arebalo Veppo2, Giulia Alessandra Wiggers1, Franck Maciel Peçanha1

J Bras Pneumol.2017;43(6):409-415

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Verificar se continuous positive airway pressure (CPAP, pressão positiva contínua nas vias aéreas) em diferentes pressões melhora os volumes e capacidades pulmonares de sujeitos saudáveis em imersão em água. Métodos: Estudo clínico randomizado realizado entre abril e junho de 2016 com voluntárias saudáveis em uso de anticoncepcional oral. Foram aplicados três protocolos em imersão em água, todos com duração de 20 min: controle (sem aplicação de CPAP); CPAP5 (CPAP de 5 cmH2O); e CPAP10 (CPAP de 10 cmH2O). Avaliaram-se FC, SpO2, CVF, VEF1, relação VEF1/CVF em % do previsto, taxa de pico de fluxo expiratório e FEF25-75% em três momentos distintos: pré-imersão, 10 min após a imersão e 10 min após o final dos protocolos. Resultados: Foram avaliadas 13 voluntárias saudáveis. O protocolo CPAP10 foi capaz de reverter o padrão restritivo pulmonar induzido pela imersão em água em indivíduos saudáveis, mantendo normais os volumes e as capacidades pulmonares por um período mais prolongado quando comparado ao protocolo CPAP5. Conclusões: Nossos resultados indicam que, em condições cuja alteração hemodinâmica causadora do distúrbio pulmonar seja persistente, apenas a aplicação de pressões positivas mais elevadas é efetiva para manter as melhoras no quadro pulmonar por um maior tempo após a sua aplicação.

 


Palavras-chave: Modalidades de fisioterapia; Ventilação não invasiva; Pressão positiva contínua nas vias aéreas.

 

7 - Infecção por tuberculose entre profissionais de saúde da atenção básica

Tuberculosis infection among primary health care workers

Thamy Carvalho Lacerda1,2,3, Fernanda Mattos de Souza1, Thiago Nascimento do Prado1,2,4,5, Rodrigo Leite Locatelli1,2, Geisa Fregona1,3, Rita de Cássia Duarte Lima2,5, Ethel Leonor Maciel1,2,5

J Bras Pneumol.2017;43(6):416-423

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Estimar a prevalência de infecção latente pelo Mycobacterium tuberculosis (ILTB) e identificar os fatores de risco associados a essa infecção entre profissionais de saúde da atenção básica no município de Vitória (ES). Métodos: Estudo transversal cujas informações foram obtidas por meio de inquérito sobre dados sociodemográficos, ocupacionais, clínicos, de exposição e de conhecimento sobre tuberculose, realizado entre 2011 e 2012. Todos os participantes foram submetidos ao teste tuberculínico (TT), e a leitura do resultado foi realizada após 72 h por um profissional capacitado. Resultados: Participaram do estudo 218 profissionais de saúde. A prevalência de positividade ao TT foi de 39,4% (IC95%: 32,9-45,9) e de 54,1% (IC95%: 47,4-60,7), respectivamente, para os pontos de corte do TT ≥ 10 mm e ≥ 5 mm. Em relação às categorias profissionais, os agentes comunitários de saúde apresentaram a maior proporção de positividade ao teste, independentemente do ponto de corte considerado (≥ 10 mm: 47,5%; e ≥ 5 mm: 60,5%). Em relação aos fatores associados ao resultado do teste, "ter feito TT anteriormente" apresentou associações estatisticamente significativas com o resultado positivo ao TT para os pontos de corte ≥ 10 mm e ≥ 5 mm [OR = 2,5 (IC95%: 1,17-5,30) e OR = 2,18 (IC95%: 1,23-3,87), respectivamente]. Conclusões: Os profissionais de saúde da atenção básica dessa amostra apresentaram uma alta prevalência de ILTB. Logo, recomendam-se a instituição de um programa de triagem periódica para ILTB e a implantação de políticas efetivas de biossegurança para a prevenção dessa infecção nos profissionais de saúde na atenção básica.

 


Palavras-chave: Pessoal de saúde; Teste tuberculínico; Tuberculose latente; Atenção primária à saúde.

 

8 - Exactitud de la biopsia pleural cerrada para el diagnóstico de derrame pleural maligno

Accuracy of closed pleural biopsy in the diagnosis of malignant pleural effusion

Renata Báez-Saldaña1,2, Uriel Rumbo-Nava1, Araceli Escobar-Rojas2, Patricia Castillo-González1, Santiago León-Dueñas1, Teresa Aguirre-Pérez1, María Eugenia Vázquez-Manríquez3

J Bras Pneumol.2017;43(6):424-430

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Estudios previos demuestran que la biopsia pleural cerrada (BPC) para diagnóstico de malignidad tiene una sensibilidad menor al 60%, por lo que recientemente ha despertado controversia su valor como prueba diagnóstica. Nuestro objetivo fue evaluar la exactitud de la BPC para diagnóstico de malignidad en pacientes con derrame pleural. Métodos: Estudio prospectivo de 8 años en individuos que se sometieron a la realización de BPC para establecer la etiología del derrame. La información de cada paciente se tomó de los registros de anatomopatología y del expediente clínico. Cuando el resultado de la BPC demostró malignidad o tuberculosis, esto se tomó como biopsia diagnóstica y quedó éste como diagnóstico definitivo. En los casos en que el resultado del estudio histopatológico de la biopsia resultó inespecífico, el diagnóstico definitivo se estableció en base a otros procedimientos diagnósticos, como toracoscopia, toracotomía, fibrobroncoscopia, estudio bioquímico y celular del líquido pleural y/o pruebas microbiológicas. Mediante una tabla de contingencia de 2 × 2 se midieron los indicadores para una prueba diagnóstica. Resultados: Se estudiaron 1034 biopsias de pacientes con derrame pleural, de las cuales se excluyeron 171 (16.54%) por muestra inadecuada o información insuficiente. El desempeño para malignidad fue: sensibilidad, 77%; especificidad, 98%; valores predictivos positivo y negativo, 99% y 66%, respectivamente; índices de probabilidad positivo y negativo, 38.5 y 0.23, respectivamente; probabilidad antes y después de la prueba, 2.13 y 82, respectivamente. Conclusión: La BPC es útil como prueba diagnóstica en la práctica clínica, debido a que produce un cambio importante de la probabilidad antes de la prueba a la probabilidad después de la prueba.

 


Palavras-chave: Biopsia; Derrame pleural maligno, diagnóstico; Derrame plural maligno, epidemiología.

 

9 - Sobrevida em uma coorte de pacientes com câncer de pulmão: papel da idade e do sexo no prognóstico

Survival in a cohort of patients with lung cancer: the role of age and gender in prognosis

Juliana Pereira Franceschini, Sérgio Jamnik, Ilka Lopes Santoro

J Bras Pneumol.2017;43(6):431-436

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Analisar características demográficas e clínicas, assim como a evolução de pacientes com câncer de pulmão de células não pequenas (CPCNP) de acordo com a faixa etária e o sexo desses pacientes. Métodos: Coorte retrospectiva de pacientes diagnosticados com CPCNP entre janeiro de 2000 e julho de 2012, acompanhados até julho de 2015, em um hospital terciário de referência no município de São Paulo. Com base na distribuição de idade segundo os percentis 25 e 75, os pacientes foram estratificados em três grupos: < 55 anos; ≥ 55 e < 72 anos; e ≥ 72 anos. O tempo de sobrevida foi avaliado durante o período de acompanhamento do estudo. As funções de sobrevida geral e por sexo estratificada por faixa etária (considerando-se óbito por qualquer motivo) foram calculadas empregando-se o método de Kaplan-Meier. As diferenças entre as curvas de sobrevida foram verificadas pelo teste log‑rank. Resultados: Foram incluídos 790 pacientes, com a seguinte distribuição etária: 165, 423 e 202 pacientes, respectivamente, com < 55 anos; ≥ 55 e < 72 anos; e ≥ 72 anos. Na amostra geral, havia 493 homens (62,4%). O padrão histológico mais frequente foi adenocarcinoma nos grupos com < 72 anos; 575 pacientes (73%) apresentavam doença avançada (estádios IIIB-IV). A mediana de sobrevida em 5 anos foi de 12 meses (IC95%: 4-46), sem diferenças significantes nas faixas etárias estudadas. Conclusões: O CPCNP continua sendo mais frequente em homens, apesar de ter havido um aumento de sua proporção em mulheres na faixa etária < 55 anos. O adenocarcinoma predominou nas mulheres. Nos homens, o carcinoma escamoso predominou no grupo ≥ 72 anos. A maioria dos casos apresentava-se em estádio avançado ao diagnóstico. Não foram observadas diferenças estatísticas na sobrevida entre os sexos ou as faixas etárias.

 


Palavras-chave: Neoplasias pulmonares; Grupos etários; Sexo; Sobrevivência.

 

10 - Avaliação do impacto das mudanças do tratamento da tuberculose implantadas em 2009 no controle da tuberculose pulmonar no Brasil

Evaluation of the impact that the changes in tuberculosis treatment implemented in Brazil in 2009 have had on disease control in the country

Marcelo Fouad Rabahi, José Laerte Rodrigues da Silva Júnior, Marcus Barreto Conde

J Bras Pneumol.2017;43(6):437-444

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Analisar o impacto das mudanças do tratamento da tuberculose implantadas no Brasil em 2009 no número de casos de cura, de recidiva, de óbitos, de abandono e de tuberculose multirresistente (TBMR). Métodos: Foi realizada uma análise de séries temporais interrompida utilizando o modelo de regressão pelo método dos mínimos quadrados ordinários a partir de dados secundários coletados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação da Tuberculose entre janeiro de 2003 e dezembro de 2014. Resultados: A análise mostrou independência entre as mudanças do tratamento e a redução do número total de casos (β = 2,17; IC95%: −3,80 a 8,14; 189 p = 0,47), a redução do número de novos casos (β = −0,97; IC95%: −5,89 a 3,94; p =190 0,70) e do abandono do tratamento (β = 0,40; IC95%: 199 −1,12 a 1,93; p = 0,60). Demonstrou ainda tendência à associação com a diminuição da cura (β = −4,14; IC95%: −8,63 a 0,34; p = 0,07) e associação com aumento da mortalidade por tuberculose pulmonar (β = 0,77; IC95%: 0,16 a 1,38; p = 0,01). A TBMR aumentou significativamente tanto no período anterior quanto no período posterior às mudanças do tratamento (p < 0,0001), embora de forma independente da intervenção (β = 0,13; IC95%: −0,03 a 0,29; p = 0,12). Conclusões: As mudanças no tratamento não impediram nem a diminuição na taxa de cura e nem o aumento do abandono e da TBMR; por outro lado, se associaram ao aumento de óbitos por tuberculose pulmonar durante o período do estudo.

 


Palavras-chave: Tuberculose pulmonar/epidemiologia; Tuberculose pulmonar/tratamento farmacológico; Tuberculose pulmonar/mortalidade; Análise de séries temporais interrompida; Resistência a múltiplos medicamentos; Composição de medicamentos.

 

11 - Mortalidade por fibrose pulmonar idiopática: análise temporal no Brasil, 1979-2014

Mortality from idiopathic pulmonary fibrosis: a temporal trend analysis in Brazil, 1979-2014

Eduardo Algranti, Cézar Akiyoshi Saito, Diego Rodrigues Mendonça e Silva, Ana Paula Scalia Carneiro, Marco Antonio Bussacos

J Bras Pneumol.2017;43(6):445-450

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Analisar a mortalidade por fibrose pulmonar idiopática (FPI) no Brasil no período de 1979-2014. Métodos: Foram extraídos microdados do Sistema de Informações de Mortalidade do Ministério da Saúde cuja causa básica de óbito tenha sido codificada conforme a Classificação Internacional das Doenças, 9ª edição, códigos 515 ou 516.3 (até 1995), e 10ª versão, código J84.1 (a partir de 1996). Os coeficientes de mortalidade padronizados foram calculados para a população brasileira de 2010. A tendência anual da mortalidade foi analisada pelo método de regressão por pontos de inflexão. Foram calculadas as razões de risco (RR) por faixa etária, período analisado e gênero, utilizando-se como denominador pessoas-ano. Resultados: Foram registrados 32.092 óbitos no período estudado. O coeficiente de mortalidade padronizado mostrou-se ascendente, passando de 0,24/100.000 habitantes em 1979 para 1,10/100.000 em 2014. A tendência anual de crescimento identificou dois pontos de inflexão, em 1992 e 2008, gerando três retas com crescimento anual percentual de 2,2%, 6,8% e 2,4%, respectivamente. As RR (IC95%) por faixa etária, elegendo a faixa de 50-54 anos como referência, e por período estudado, elegendo o período de 1979-1984 como referência, foram de 16,14 (14,44-16,36) e de 6,71 (6,34-7,12), respectivamente. Homens, comparados a mulheres, apresentaram taxas de mortalidade padronizadas (por 100.000 pessoas-ano) superiores em todas as faixas etárias. Conclusões: Os coeficientes de mortalidade brasileiros por FPI são inferiores aos de outros países, podendo indicar subdiagnóstico ou subnotificação. A tendência temporal é semelhante à descrita na literatura e não é justificada apenas pelo envelhecimento populacional.

 


Palavras-chave: Fibrose pulmonar idiopática/epidemiologia; Fibrose pulmonar idiopática/ mortalidade; Dinâmica populacional.

 

12 - Doença de Niemann-Pick tipo B: avaliação do comprometimento pulmonar por TCAR

Niemann-Pick disease type B: HRCT assessment of pulmonary involvement

Heloisa Maria Pereira Freitas1, Alexandre Dias Mançano2, Rosana Souza Rodrigues1,3, Bruno Hochhegger4, Pedro Paulo Teixeira e Silva Torres5, Dante Escuissato6, Cesar Augusto Araujo Neto7, Edson Marchiori1

J Bras Pneumol.2017;43(6):451-455

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Analisar os achados de TCAR em pacientes com doença de Niemann-Pick (DNP) tipo B a fim de avaliar a frequência dos padrões tomográficos e sua distribuição no parênquima pulmonar, além das características clínicas mais frequentes. Métodos: Foram estudados 13 pacientes (3 do sexo masculino e 10 do sexo feminino) com idades variando de 5 a 56 anos. As imagens de TCAR foram avaliadas por dois observadores de forma independente, e os casos discordantes foram resolvidos por consenso. Os critérios de inclusão foram presença de anormalidades na TCAR e diagnóstico confirmado de DNP tipo B por exame anatomopatológico através de biópsias de medula óssea, pulmão ou fígado. Resultados: Os achados clínicos mais comuns foram hepatoesplenomegalia e dispneia leve a moderada. Os padrões tomográficos mais frequentes foram espessamento liso de septos interlobulares e opacidades em vidro fosco, presentes em todos os pacientes. Linhas intralobulares estiveram presentes em 12 pacientes (92,3%). O padrão de pavimentação em mosaico foi observado em 5 pacientes (38,4%). Áreas de aprisionamento aéreo foram identificadas em 1 dos casos (7,6%). O comprometimento pulmonar foi bilateral em todos os casos, sendo o terço inferior dos pulmões a região mais envolvida. Conclusões: O achado de espessamento liso de septos interlobulares, com ou sem opacidades em vidro fosco associadas, em pacientes com hepatoesplenomegalia é o achado mais frequente na DNP tipo B.

 


Palavras-chave: Doenças de Niemann-Pick; Tomografia computadorizada por raios X; Pneumopatias.

 

13 - Validação do questionário STOP-Bang para a identificação de apneia obstrutiva do sono em adultos no Brasil

Validation of the STOP-Bang questionnaire as a means of screening for obstructive sleep apnea in adults in Brazil

Ricardo Luiz de Menezes Duarte, Lorena Barbosa de Moraes Fonseca, Flavio José Magalhães-da-Silveira, Erika Aparecida da Silveira, Marcelo Fouad Rabahi

J Bras Pneumol.2017;43(6):456-463

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Realizar a validação da versão brasileira do questionário STOP-Bang (acrônimo em inglês para Snoring, Tiredness, Observed apnea, high blood Pressure, Body mass index, Age, Neck circumference, and Gender) para a identificação de apneia obstrutiva do sono (AOS) em adultos. Métodos: Neste estudo de validação, foram incluídos pacientes com idade ≥ 18 anos, recrutados entre maio de 2015 e novembro de 2016. Todos os pacientes completaram o questionário STOP-Bang e foram submetidos a polissonografia de noite inteira. O índice de apneias e hipopneias (IAH) foi calculado. Foram utilizadas tabelas de contingência e a área sob a curva (ASC) ROC para avaliar o desempenho do questionário. Resultados: Foram incluídos 456 pacientes. A média de idade foi de 43,7 ± 12,5 anos, e 291 (63,8%) dos pacientes eram homens. Com base no IAH, a AOS foi classificada em leve/moderada/grave (AOS, independentemente da gravidade; IAH ≥ 5 eventos/h), cuja prevalência foi de 78,3%; moderada/grave (IAH ≥ 15 eventos/h), cuja prevalência foi de 52,0%; e grave (IAH ≥ 30 eventos/h), cuja prevalência foi de 28,5%. A pontuação mais frequentemente obtida no STOP-Bang foi 4 (n = 106), seguida de 3 (n = 85) e 5 (n = 82). O aumento da pontuação obtida no STOP-Bang (pontuação máxima: 8) resultou em redução da sensibilidade e aumento correspondente da especificidade em todos os pontos de corte do IAH (≥ 5, ≥ 15 e ≥ 30 eventos/h). A ASC para a identificação de AOS, AOS moderada/grave e AOS grave foi de 0,743, 0,731 e 0,779, respectivamente. Para a identificação de AOS, a pontuação no STOP-Bang (valor de corte ≥ 3) apresentou sensibilidade de 83,5%, especificidade de 45,5% e acurácia de 75,2%. Conclusões: O questionário STOP-Bang mostrou-se adequado para identificar AOS e pode ser uma ferramenta eficaz para o diagnóstico do transtorno.

 


Palavras-chave: Apneia obstrutiva do sono/diagnóstico; Polissonografia; Técnicas e procedimentos diagnósticos; Inquéritos e questionários.

 

14 - Efeitos de estratégias de longo prazo simples de cuidados respiratórios em homens idosos com DPOC

Fabrício Zambom-Ferraresi, Pilar Cebollero,Javier Hueto, María Hernández, José Cascante, María Milagros Antón

J Bras Pneumol.2017;43(6):464-471

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar um programa comunitário supervisionado de 24 meses de exercícios de manutenção precedido de 3 meses de reabilitação pulmonar (RP) em comparação com um programa de 27 meses de aconselhamento de atividade física, quanto aos efeitos na força muscular máxima, potência muscular e capacidade de exercício em indivíduos com DPOC. Métodos: Foram recrutados 63 homens com DPOC moderada a grave de dois estudos anteriores. A 31 desses 63 participantes foram oferecidos 3 meses de RP seguidos de um programa supervisionado de 24 meses de exercícios de manutenção (grupo 24MEM), e a 32, um programa de 27 meses de aconselhamento de atividade física (grupo 27MAAF). Medidas realizadas aos 3 meses e ao final do período estudado incluíram força máxima dos membros superiores e inferiores, potência dos membros inferiores, distância percorrida no teste de caminhada de seis minutos (DTC6) e qualidade de vida. Resultados: Aos 27 meses, a melhora da força máxima dos membros superiores e inferiores foi maior no grupo 24MEM que no grupo 27MAAF (37,6 ± 28,3% e 28,4 ± 13,3%, respectivamente, vs. 8,8 ± 16% e 13,6 ± 16,4%, respectivamente; p < 0,05), e houve melhora da potência dos membros inferiores (24,6 ± 18,4% vs. −2,3 ± 28,5%; p < 0,01). O aumento da DTC6 após 3 meses também foi maior no grupo 24MEM que no grupo 27MAAF (33,2 ± 36,6 m vs. 2,9 ± 34,7 m; p < 0,05), mas não houve diferenças entre os grupos quanto a ΔDTC6 aos 27 meses (vs. basal). Conclusões: Um programa comunitário supervisionado de manutenção é uma estratégia de longo prazo bem sucedida para preservar os benefícios da RP na função muscular periférica e capacidade de exercício em indivíduos com DPOC. No entanto, o aconselhamento de atividade física consegue manter a força muscular máxima e a capacidade de exercício nesses indivíduos.

 


Palavras-chave: Doença pulmonar obstrutiva crônica; Força muscular; Pernas/fisiologia; Músculo esquelético/fisiologia; Aptidão física; Terapia por exercício/métodos.

 

Artigo de Revisão

15 - Tratamento da tuberculose

Tuberculosis treatment

Marcelo Fouad Rabahi1,2, José Laerte Rodrigues da Silva Júnior2, Anna Carolina Galvão Ferreira1,3, Daniela Graner Schuwartz Tannus-Silva1, Marcus Barreto Conde4,5

J Bras Pneumol.2017;43(6):472-486

Resumo PDF PT PDF EN English Text

O tratamento da tuberculose permanece um desafio em função da necessidade de que, em sua abordagem, seja considerado o contexto da saúde do indivíduo e da saúde coletiva. Adicionalmente, as questões sociais e econômicas têm-se mostrado como variáveis a ser consideradas na efetividade do tratamento. Ao revisarmos de forma crítica a literatura científica nacional e internacional sobre o tratamento da tuberculose nos últimos anos, tivemos como objetivos apresentar aos profissionais da área de saúde as recomendações baseadas na realidade brasileira e fornecer os subsídios necessários para a melhor tomada de decisão frente ao paciente com tuberculose, de modo a minimizar a morbidade e interromper a transmissão da doença Em função disso, o TDO é recomendado.

 


Palavras-chave: Tuberculose/tratamento farmacológico; Tuberculose/prevenção & controle; Tuberculose/cirurgia; Tuberculose/classificação.

 

17 - Fibrossarcoma epitelioide esclerosante primário da pleura

Primary sclerosing epithelioid fibrosarcoma of the pleura

Erlon de Ávila Carvalho1, Daniel Oliveira Bonomi1, Astunaldo Júnior Macedo Pinho1, Paulo Guilherme Oliveira Salles1, Henrique Cunha Vieira1

J Bras Pneumol.2017;43(6):490-491

PDF PT PDF EN English Text


Índice Remissivo de Assuntos

Índice Remissivo de Autores

 


O Jornal Brasileiro de Pneumologia está indexado em:

Latindex Lilacs SciELO PubMed ISI Scopus Copernicus pmc

Apoio

CNPq, Capes, Ministério da Educação, Ministério da Ciência e Tecnologia, Governo Federal, Brasil, País Rico é País sem Pobreza
Secretaria do Jornal Brasileiro de Pneumologia
SCS Quadra 01, Bloco K, Salas 203/204 Ed. Denasa. CEP: 70.398-900 - Brasília - DF
Fone/fax: 0800 61 6218/ (55) (61) 3245 1030/ (55) (61) 3245 6218
E-mails: jbp@jbp.org.br
jpneumo@jornaldepneumologia.com.br

Copyright 2018 - Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia

Logo GN1