Jornal Brasileiro de Pneumologia

ISSN (on-line): 1806-3756

ISSN (impressa): 1806-3713

SCImago Journal & Country Rank
Busca avançada

Ano 2018 - Volume 44  - Número 4  (Julho/Agosto)

App





Editorial

1 - Um Mestre para lembrar e copiar

A teacher to remember and to emulate

Ana Luisa Godoy Fernandes1,a, Sonia Maria Faresin1,b

J Bras Pneumol.2018;44(4):253

PDF PT PDF EN English Text


Educação continuada: Imagem

4 - Cissura nodular

Nodular fissure

Edson Marchiori1,a, Bruno Hochhegger2,b, Gláucia Zanetti1,c

J Bras Pneumol.2018;44(4):259

PDF PT PDF EN English Text


Artigo Original

6 - Perfil clínico, epidemiológico e etiológico de pacientes internados com pneumonia adquirida na comunidade em um hospital público do interior do Brasil

Clinical, epidemiological, and etiological profile of inpatients with community-acquired pneumonia in a public hospital in the interior of Brazil

Laura Fuchs Bahlis1,2,3,a, Luciano Passamani Diogo3,b, Ricardo de Souza Kuchenbecker4,c, Sandra Costa Fuchs4,d

J Bras Pneumol.2018;44(4):261-266

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Descrever o perfil dos pacientes, taxas de mortalidade, acurácia de escores prognósticos e fatores associados à mortalidade em pacientes com pneumonia adquirida na comunidade (PAC) em um hospital geral no Brasil. Métodos: Estudo de coorte envolvendo pacientes com diagnóstico clínico e laboratorial de PAC e necessidade de internação hospitalar entre março de 2014 e abril de 2015 em um hospital público do interior do Brasil. Foi realizada a análise multivariada mediante o modelo de regressão de Poisson com variância robusta para avaliar os fatores associados com mortalidade intra-hospitalar. Resultados: Foram incluídos 304 pacientes. Aproximadamente 70% dos pacientes foram classificados como graves de acordo com os critérios de gravidade utilizados. A taxa de mortalidade foi de 15,5% e a de necessidade de internação em UTI foi de 29,3%. Após a análise multivariada, os fatores associados à mortalidade intra-hospitalar foram necessidade de ventilação mecânica (OR = 3,60; IC95%: 1,85-7,47); Charlson Comorbidity Index > 3 (OR = 1,30; IC95%: 1,18-1,43); e mental Confusion, Urea, Respiratory rate, Blood pressure, and age > 65 years (CURB-65) > 2 (OR = 1,46; IC95%: 1,09-1,98). A média do tempo entre a chegada do paciente na emergência e o início da antibioticoterapia foi de 10 h. Conclusões: A taxa de mortalidade intra-hospitalar de 15,5% e a necessidade de internação em UTI em quase um terço dos pacientes demonstram o grande impacto da PAC nos pacientes e no sistema de saúde. Indivíduos com maior carga de comorbidades prévias, CURB-65 elevado e necessidade de ventilação mecânica apresentaram pior prognóstico. Ações para reduzir o tempo até o início da antibioticoterapia podem resultar em melhores desfechos nesse grupo de pacientes.

 


Palavras-chave: Infecções comunitárias adquiridas; Pneumonia; Mortalidade hospitalar; Fatores de risco.

 

7 - Distância no teste de caminhada de seis minutos e sobrevida na fibrose pulmonar idiopática no Brasil

Six-minute walk distance and survival time in patients with idiopathic pulmonary fibrosis in Brazil

Eliane Viana Mancuzo1,2,a, Maria Raquel Soares3,b, Carlos Alberto de Castro Pereira4,c

J Bras Pneumol.2018;44(4):267-272

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Determinar o ponto de corte da distância no teste de caminhada de seis minutos (DTC6) em relação à menor sobrevida em pacientes com fibrose pulmonar idiopática (FPI) no Brasil. Métodos: Estudo retrospectivo realizado em dois centros de referência para FPI. O TC6 foi realizado em duplicata, considerando-se o maior valor da DTC6. Vários pontos de corte foram estimados, em valores absolutos e em percentual do previsto, utilizando curvas ROC, método de Kaplan-Meier e dados de outros estudos. Resultados: A amostra envolveu 70 pacientes com FPI, com média de idade de 71,9 ± 6.4 anos, sendo 50 homens (71,4%). A média de CVF foi de 76,6 ± 18.2% do previsto. As médias de SpO2 em repouso antes e depois do TC6 foram de 93,8 ± 2,5% e 85,3 ± 6,5%, respectivamente. A mediana de sobrevida foi de 44 meses (IC95%: 37-51 meses). A média da DTC6 foi 381 ± 115 m (79,2 ± 24,0% do previsto). Após as análises, os melhores pontos de corte para estimar a sobrevida foram de DTC6 < 330 m e < 70% do previsto. A mediana de sobrevida foi de 24 meses (IC95%: 3-45 meses) para aqueles com DTC6 < 330 m comparada a 59 meses (IC95%: 41-77 meses) para aqueles com DTC6 ≥ 330 m (p = 0,009). Similarmente, a mediana de sobrevida foi de 24 meses (IC95%: 13-35 meses) para pacientes com DTC6 < 70% do previsto e de 59 meses (IC95%: 38-80 meses) para aqueles com DTC6 ≥ 70% do previsto (p = 0,013). Modelos de regressão multivariada de Cox incluindo idade, sexo, tabagismo, SpO2 ao final do TC6 e CVF% mostraram que a DTC6 permaneceu significativamente associada à sobrevida (p = 0,003). Conclusões: Valores de DTC6 < 330 m e < 70% do valor previsto associaram-se à menor sobrevida em pacientes com FPI no Brasil.

 


Palavras-chave: Doenças pulmonares intersticiais; Fibrose pulmonar, Tolerância ao exercício.

 

8 - Controle da asma, função pulmonar, estado nutricional e qualidade de vida relacionada à saúde: diferenças entre homens e mulheres adultos com asma

Asthma control, lung function, nutritional status, and health-related quality of life: differences between adult males and females with asthma

Gabriele Carra Forte1,a, Maria Luiza Hennemann2,b, Paulo de Tarso Roth Dalcin1,3,c

J Bras Pneumol.2018;44(4):273-278

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar a qualidade de vida relacionada à saúde em pacientes com asma tratados em um centro de referência no sul do Brasil e identificar diferenças entre homens e mulheres, além de avaliar as diferenças entre os sexos no tocante ao controle da asma, função pulmonar e estado nutricional. Métodos: Trata-se de um estudo transversal com pacientes com idade ≥ 18 anos tratados em um ambulatório de asma. Foram avaliados parâmetros clínicos, função pulmonar, estado nutricional e qualidade de vida. Resultados: Cento e noventa e oito pacientes completaram o estudo. A média de idade foi de 56,2 ± 14,8 anos, e 81,8% eram do sexo feminino. A proporção de pacientes com asma não controlada foi maior entre as mulheres que entre os homens (63,0% vs. 44,4%; p = 0,041). O índice de massa corporal (IMC) e a porcentagem de gordura corporal foram maiores nas mulheres que nos homens (30,2 ± 5,8 kg/m2 vs. 26,9 ± 4,5 kg/m2 e 37,4 ± 6,4% vs. 26,5 ± 7,4%; p = 0,002 e p < 0,001, respectivamente). A qualidade de vida foi menor nas mulheres que nos homens nos seguintes domínios: sintomas (3,8 ± 1,5 vs. 4,6 ± 1,7; p = 0,006); limitação das atividades (3,6 ± 1,3 vs. 4,4 ± 1,5; p = 0,001); função emocional (3,6 ± 1,9 vs. 4,5 ± 1,7; p = 0,014); estímulos ambientais (3,2 ± 1,6 vs. 4,3 ± 1,9; p = 0,001). Conclusões: Homens com asma aparentemente apresentam melhores resultados que mulheres com asma no que tange à qualidade de vida relacionada à saúde, controle da asma, IMC, porcentagem de gordura corporal e comorbidades.

 


Palavras-chave: Asma; Estado nutricional; Qualidade de vida; Adulto.

 

9 - Associação entre função pulmonar, força muscular respiratória e capacidade funcional de exercício em indivíduos obesos com síndrome da apneia obstrutiva do sono

Correlation of lung function and respiratory muscle strength with functional exercise capacity in obese individuals with obstructive sleep apnea syndrome

Thays Maria da Conceição Silva Carvalho1,a, Anísio Francisco Soares2,b, Danielle Cristina Silva Climaco3,c, Isaac Vieira Secundo3,d, Anna Myrna Jaguaribe de Lima2,e

J Bras Pneumol.2018;44(4):279-284

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar e correlacionar a função pulmonar e a força muscular inspiratória com a tolerância ao esforço em indivíduos obesos com síndrome de apneia obstrutiva do sono (SAOS). Métodos: Foram recrutados 31 adultos com diagnóstico de SAOS de moderada a grave através do exame de polissonografia. Os participantes foram submetidos à espirometria para a medida de CVF, VEF1 e relação CVF/VEF1, assim como à manovacuometria para a medida de PImáx e PEmáx. Para a determinação da capacidade funcional de exercício foram realizados o teste shuttle (TS) e o teste de caminhada de seis minutos (TC6). Resultados: Na amostra, as médias de CVF (% do previsto), VEF1 (% do previsto), PImáx e PEmáx foram de 76,4 ± 12,3%, 80,1 ± 6,3%, 60,0 ± 21,9 cmH2O e 81,3 ± 22,2 cmH2O, respectivamente. As médias das distâncias percorridas no TS e no TC6 foram de 221 ± 97 m e 480,8 ± 67,3 m, respectivamente. Houve correlações moderadas positivas entre a distância percorrida no TS e CVF (r = 0,658; p = 0,001) e entre a distância no TS e VEF1 (r = 0,522; p = 0,003). Conclusões: Nesta amostra de indivíduos obesos com SAOS não tratada, houve reduções na função pulmonar, força muscular inspiratória e capacidade física. Além disso, observou-se que o declínio da função pulmonar, mas não da força muscular respiratória, estava associado à tolerância ao esforço físico nestes pacientes.

 


Palavras-chave: Síndromes da apneia do sono; Tolerância ao exercício; Testes de função respiratória; Músculos respiratórios.

 

10 - Tradução, adaptação transcultural e confiabilidade do questionário Understanding COPD para uso no Brasil

Translation, cross-cultural adaptation, and reliability of the Understanding COPD questionnaire for use in Brazil

Anamaria Fleig Mayer1,2,a, Aline Almeida Gulart1,2,b, Karoliny dos Santos1,c, Katerine Cristhine Cani1,2,d, Manuela Karloh1,2,e, Brenda O'Neill3,f

J Bras Pneumol.2018;44(4):285-291

Resumo PDF PT PDF EN English Text Anexo

Objetivo: Traduzir o questionário Understanding COPD (UCOPD) para o português, adaptá-lo para uso no Brasil e avaliar sua confiabilidade. Métodos: O questionário UCOPD é dividido em duas seções, denominadas seção A e seção B. A seção A compreende 18 itens, divididos em três domínios: "Sobre a DPOC", "Manejo dos Sintomas da DPOC" e "Acesso a Ajuda e Suporte". A seção B inclui cinco itens referentes à satisfação do paciente com o componente educacional dos programas de reabilitação pulmonar. O questionário UCOPD foi aplicado duas vezes no mesmo dia por dois observadores diferentes (com 10 min de intervalo entre uma aplicação e outra) e mais uma vez 15-20 dias depois. O teste de Wilcoxon foi usado para comparar a pontuação obtida em cada aplicação. A confiabilidade foi avaliada por meio do coeficiente de correlação intraclasse e de gráficos de dispersão de Bland-Altman. Resultados: A amostra foi composta por 50 pacientes com DPOC (35 homens; média de idade = 65,3 ± 7,91 anos; média do VEF1 = 36,4 ± 16,2% do valor predito). Os coeficientes de correlação intraclasse referentes à análise interobservador da pontuação total da seção A e seus domínios variaram de moderados a elevados. A pontuação obtida na seção A e em seus domínios não apresentou diferenças significativas quanto à confiabilidade teste-reteste (p < 0,05). Os coeficientes alfa de Cronbach de teste-reteste e interobservador referentes à pontuação total da seção A foram de 0,93 e 0,86, respectivamente (p < 0,001). Não foram observados efeitos de piso ou teto. Conclusões: A versão em português do Brasil do questionário UCOPD é confiável.

 


Palavras-chave: Doença pulmonar obstrutiva crônica; Reprodutibilidade de testes; Conhecimentos, atitudes e prática em saúde.

 

11 - Hiperidrose: prevalência e impacto na qualidade de vida

Hyperhidrosis: prevalence and impact on quality of life

Erica Nishida Hasimoto1,a, Daniele Cristina Cataneo2,b, Tarcísio Albertin dos Reis3,c, Antonio José Maria Cataneo2,d

J Bras Pneumol.2018;44(4):292-298

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Estabelecer a prevalência de hiperidrose primária no município de Botucatu (SP) e avaliar como o transtorno afeta a qualidade de vida dos seus portadores. Métodos: Foi realizado um levantamento populacional para identificar os casos de hiperidrose em moradores da região urbana da cidade, selecionados por amostragem sistemática de conglomerados. O número amostral de 4.033 participantes foi calculado usando os mapas censitários do município. Dez entrevistadores aplicaram um questionário que avaliou a presença de transpiração excessiva e convidaram os sujeitos que referiram hiperidrose para uma entrevista com um médico para a confirmação do diagnóstico. Resultados: Foram pesquisados 1.351 domicílios, com 4.133 moradores. Desses, 85 queixaram-se de sudorese excessiva (prevalência = 2,07%), sendo 51 (60%) do gênero feminino. Dos 85 indivíduos, 51 (60%) concordaram receber avaliação médica para confirmar o diagnóstico, e apenas 23 (45%) apresentaram hiperidrose primária (prevalência = 0,93%). Dos 23 indivíduos diagnosticados com hiperidrose primária, 11 (48%) referiram qualidade de vida ruim ou muito ruim. Conclusões: Embora as queixas de transpiração excessiva tenham sido superiores a 2%, a prevalência real de hiperidrose primária em nossa amostra foi de 0,93% e o distúrbio afetava a qualidade de vida em quase 50% dos indivíduos.

 


Palavras-chave: Hiperidrose/epidemiologia; Hiperidrose/diagnóstico; Qualidade de vida

 

12 - Espirometria em pacientes submetidos a investigação para detecção de doença arterial coronariana: é útil?

Spirometry in patients screened for coronary artery disease: is it useful?

Frederico Leon Arrabal Fernandes1,a, Regina Maria Carvalho-Pinto1,b, Rafael Stelmach1,c, João Marcos Salge1,d, Carlos Eduardo Rochitte2,e, Eliane Cardoso dos Santos Souza1,f, Janaina Danielle Pessi1,g, Alberto Cukier1,h

J Bras Pneumol.2018;44(4):299-306

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Determinar a prevalência de alterações espirométricas em pacientes submetidos a investigação para detecção de doença arterial coronariana (DAC) e os fatores de risco de comprometimento da função pulmonar. Métodos: Pacientes encaminhados para TC cardíaca foram submetidos a espirometria e, em seguida, divididos em dois grupos: função pulmonar normal e função pulmonar anormal. A prevalência de alterações espirométricas foi calculada em fumantes, pacientes com síndrome metabólica, idosos e portadores de lesões coronárias obstrutivas. Os grupos e subgrupos foram comparados quanto ao escore de cálcio coronariano e ao índice de gravidade de DAC de Duke. Resultados: Completaram o estudo 205 pacientes. Destes, 147 (72%) apresentaram função pulmonar normal e 58 (28%) apresentaram função pulmonar anormal. A mediana do escore de cálcio coronariano foi 1 nos pacientes com função pulmonar normal e 36 naqueles com função pulmonar anormal (p = 0,01). A média do índice de gravidade de DAC de Duke foi = 15 nos pacientes com função pulmonar normal e 27 nos pacientes com função pulmonar anormal (p < 0,01). O tabagismo apresentou a maior OR de função pulmonar anormal, seguido de idade > 65 anos e lesões coronarianas obstrutivas. Conclusões: A prevalência de alterações espirométricas parece ser alta em pacientes submetidos a TC cardíaca para detecção de DAC. O risco de função pulmonar anormal é maior em fumantes, idosos e pacientes com DAC, os quais, portanto, devem ser submetidos a espirometria. (ClinicalTrials.gov identifier: NCT01734629 [http://www.clinicaltrials.gov/])

 


Palavras-chave: Doença pulmonar obstrutiva crônica; Espirometria; Doença das coronárias; Tomografia computadorizada por raios X.

 

13 - Biópsia percutânea com agulha grossa, guiada por TC, de nódulos pulmonares menores que 2 cm: aspectos técnicos e fatores que influenciam a precisão

CT-guided percutaneous core needle biopsy of pulmonary nodules smaller than 2 cm: technical aspects and factors influencing accuracy

Juliano Ribeiro de Andrade1,a, Rafael Dahmer Rocha1,b, Priscila Mina Falsarella1,c, Antonio Rahal Junior1,d, Ricardo Sales dos Santos2,e, Juliana Pereira Franceschini3,f, Hiran Chrishantha Fernando4,g, Rodrigo Gobbo Garcia1,h

J Bras Pneumol.2018;44(4):307-314

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar a precisão diagnóstica da biópsia percutânea com agulha grossa, guiada por TC - doravante denominada BAG-TC - de nódulos pulmonares ≤ 2 cm, bem como identificar fatores que influenciam a precisão do procedimento e sua morbidade. Métodos: Estudo retrospectivo, realizado em um único centro, com 170 pacientes consecutivos submetidos a BAG-TC de nódulos pulmonares pequenos (≤ 2 cm) entre janeiro de 2010 e agosto de 2015. Resultados: Do total de biópsias, 156 resultaram em diagnóstico definitivo, com precisão diagnóstica global de 92,3%. Lesões maiores estiveram relacionadas com maior precisão global (OR = 1,30; p = 0,007). A presença de hemorragia parenquimatosa durante o procedimento resultou em menor precisão (OR = 0,13; p = 0,022). Pneumotórax foi a complicação mais comum. Uma distância > 3 cm entre a lesão e a pleura foi identificada como fator de risco de pneumotórax (OR = 16,94), ao passo que a realização de tampão sanguíneo após a biópsia foi um fator de proteção contra o pneumotórax (OR = 0,18). Conclusões: O diagnóstico de nódulos pequenos (< 2 cm) é um desafio do ponto de vista técnico. A BAG-TC é uma excelente ferramenta diagnóstica, cuja precisão é alta.

 


Palavras-chave: Biópsia guiada por imagem; Neoplasias; Pulmão.

 

14 - Validação de um sistema de análise de impedância bioelétrica para a avaliação da composição corporal de pacientes com DPOC

Validation of a bioelectrical impedance analysis system for body composition assessment in patients with COPD

Fernanda Rodrigues Fonseca1,2,a, Manuela Karloh2,3,b, Cintia Laura Pereira de Araujo1,2,c, Cardine Martins dos Reis1,2,d, Anamaria Fleig Mayer1,2,3,e

J Bras Pneumol.2018;44(4):315-320

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Este estudo teve como objetivo investigar a validade de um sistema de bioelectrical impedance analysis (BIA, análise de impedância bioelétrica) com oito eletrodos de contato presente em uma balança doméstica para a avaliação da composição corporal total de pacientes com DPOC. Métodos: Dezessete pacientes com DPOC (média de idade = 67 ± 8 anos; média do VEF1 = 38,6 ± 16,1% do previsto; média de índice de massa corpórea = 24,7 ± 5,4 kg/m2) foram submetidos à avaliação da composição corporal por dual-energy X-ray absorptiometry (DEXA, absorciometria por dupla emissão de raios X) e por um sistema BIA com oito eletrodos de contato. Resultados: Houve forte correlação intermétodos para massa gorda (r = 0,95), massa livre de gordura (r = 0,93) e massa magra (r = 0,93), mas correlação moderada para conteúdo mineral ósseo (r = 0,73; p < 0,01 para todos). Na análise de concordância, os valores entre DEXA e o sistema BIA diferiram em apenas 0,15 kg (−6,39 a 6,70 kg), 0,26 kg (−5,96 a 6,49 kg), −0,13 kg (−0,76 a 0,50 kg) e −0,55 kg (−6,71 a 5,61 kg) para massa livre de gordura, massa magra, conteúdo mineral ósseo e massa gorda, respectivamente. Conclusões: O sistema BIA com oito eletrodos de contato mostrou-se uma ferramenta válida na avaliação da composição corporal total em nossa amostra de pacientes com DPOC.

 


Palavras-chave: Doença pulmonar obstrutiva crônica; Composição corporal; Impedância elétrica.

 

Artigo de Revisão

15 - Assincronia paciente-ventilador

Patient-ventilator asynchrony

Marcelo Alcantara Holanda1,2,a, Renata dos Santos Vasconcelos2,b, Juliana Carvalho Ferreira3,c, Bruno Valle Pinheiro4,d

J Bras Pneumol.2018;44(4):321-333

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A assincronia paciente-ventilador (APV) é um desacoplamento entre o paciente, em relação a demandas de tempo, fluxo, volume e/ou pressão de seu sistema respiratório, e o ventilador, que as oferta durante a ventilação mecânica (VM). É um fenômeno comum, com taxas de incidência entre 10% e 85%. A APV pode ser devida a fatores relacionados ao paciente, ao ventilador ou a ambos. Os tipos de APV mais comuns são as de disparo, como esforço ineficaz; autodisparo e duplo disparo; as de ciclagem (tanto prematura quanto tardia); e as de fluxo (insuficiente ou excessivo). Cada um desses tipos pode ser detectado pela inspeção visual das curvas de volume-tempo, fluxo-tempo e pressão-tempo na tela do ventilador mecânico. Estratégias ventilatórias específicas podem ser adotadas, em combinação com a abordagem clínica do paciente, como controle de dor, ansiedade, febre, etc. Níveis profundos de sedação devem ser evitados sempre que possível. A APV se associa a desfechos indesejados, tais como desconforto, dispneia, piora da troca gasosa, aumento do trabalho da respiração, lesão muscular diafragmática, prejuízo do sono, aumento da necessidade de sedação e/ou de bloqueio neuromuscular, assim como aumento do tempo de VM, de desmame e de mortalidade. A ventilação proporcional assistida e a ventilação assistida com ajuste neural são modalidades de suporte ventilatório parcial que reduzem a APV e têm se mostrado promissoras. Este artigo revisa a literatura acerca da APV abordando seus tipos, causas, métodos de avaliação, suas potenciais implicações no processo de recuperação de pacientes críticos e estratégias para sua resolução.

 


Palavras-chave: Respiração artificial; Insuficiência respiratória; Suporte ventilatório interativo.

 

Cartas ao Editor

17 - Síndrome de hiperimunoglobulina E (síndrome de Jó): achados da TC de tórax

Hyperimmunoglobulin E syndrome (Job syndrome): chest CT findings

Pablo Rydz Pinheiro Santana1,2,a, Augusto Kreling Medeiros1,b, Cinthia Callegari Barbisan1,c, Antônio Carlos Portugal Gomes1,d, Edson Marchiori3,e

J Bras Pneumol.2018;44(4):335-336

PDF PT PDF EN English Text


18 - Compressão de tronco de artéria coronária esquerda em paciente com hipertensão portopulmonar

Left main coronary artery compression in a patient with portopulmonary hypertension

Iara Teixeira de Araújo1,a, Pammela Jacomeli Lembi1,b, Eduardo Belisario Falchetto2,c, Ricardo de Amorim Corrêa3,4,d

J Bras Pneumol.2018;44(4):337-338

PDF PT PDF EN English Text


Errata

19 - Assincronia paciente-ventilador. Versão ahead of print

Patient-ventilator asynchrony. Ahead of print

Marcelo Alcantara Holanda1,2,a, Renata dos Santos Vasconcelos2,b, Juliana Carvalho Ferreira3,c, Bruno Valle Pinheiro4,d

J Bras Pneumol.2018;44(4):339

PDF PT PDF EN English Text


20 - Tratamento da tuberculose

Tuberculosis treatment

Marcelo Fouad Rabahi1,2, José Laerte Rodrigues da Silva Júnior2, Anna Carolina Galvão Ferreira1,3, Daniela Graner Schuwartz Tannus-Silva1, Marcus Barreto Conde4,5

J Bras Pneumol.2018;44(4):340

PDF PT PDF EN English Text


 


O Jornal Brasileiro de Pneumologia está indexado em:

Latindex Lilacs SciELO PubMed ISI Scopus Copernicus pmc

Apoio

CNPq, Capes, Ministério da Educação, Ministério da Ciência e Tecnologia, Governo Federal, Brasil, País Rico é País sem Pobreza
Secretaria do Jornal Brasileiro de Pneumologia
SCS Quadra 01, Bloco K, Salas 203/204 Ed. Denasa. CEP: 70.398-900 - Brasília - DF
Fone/fax: 0800 61 6218/ (55) (61) 3245 1030/ (55) (61) 3245 6218
E-mails: jbp@jbp.org.br
jpneumo@jornaldepneumologia.com.br

Copyright 2018 - Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia

Logo GN1